Saúde na Itália, como funciona para cidadãos e turistas

Saúde na Itália

Itália  / 

Buongiorno, amici! Resolvi fazer um post muito especial para os leitores do Euro Dicas, um verdadeiro “resumão” de informações sobre saúde na Itália.

Quem acompanha o Blog do Pesquisa Italiana com certeza já viu muitos posts sobre o assunto por lá. Nesses textos, discutimos questões que quase ninguém sabe, mas que valem ouro na hora de viajar para a Europa.



Como é a saúde na Itália

Por exemplo, como ter um seguro-saúde quando estiver na Itália? Ele será válido para outros países europeus? Qual a maneira de pagar o menos possível, evitar os “seguros de cartão de crédito” e, mesmo assim, ter garantida a assistência médica?

São questões que mexem com um lado muito forte de todos nós: nossa própria saúde e a saúde das pessoas que amamos (e que queremos levar junto em nossa viagem ou mudança para a Itália!).

Hoje, então, vou apresentar esse “resumão“, ideal para quem deseja ter uma visão geral sobre a saúde na Itália. Links ao longo do texto trarão mais informação e contexto para cada explicação. Vamos começar?

O que acontece se eu ficar doente na Itália?

Imagine que você viajou para a Itália, talvez para dar início lá na Europa em seu processo de reconhecimento da cidadania italiana. Ou talvez você já tenha a cidadania e deseja se mudar para o Velho Continente em definitivo. Bem, independentemente dos motivos, como fica a sua saúde no país europeu?

Veja também o nosso guia para morar na Itália e também pode ser útil saber quem tem direito à cidadania italiana.

Como é a qualidade da assistência médica italiana

A Itália é um país maravilhoso, como nós sabemos! Há muitas coisas excelentes e magníficas; todavia, há também outras coisas mais… duvidosas. Os serviços públicos entram nessa segunda categoria.

No caso da saúde na Itália, você pode receber cuidados médicos de primeiríssimo mundo se estiver no hospital certo de uma grande cidade, mas também pode sofrer um pouco em hospitais de zonas mais distantes dos centros urbanos. Mais ou menos como acontece no Brasil, não é mesmo?

Assim, se alguém me pergunta como é a saúde na Itália, minha resposta seria basicamente a mesma da de um brasileiro: depende muito de onde você se encontra!

Também já falamos das melhores cidades da Itália para se viver.

Em qualquer lugar de Itália, há sempre um médico disponível

Agora, há uma diferença crucial, um ponto positivo enorme para a Itália: não importa onde você esteja, sempre haverá um medico (medico di famiglia ou guardia medica) por perto para atender suas emergências e cuidar das doenças.

Com pouca burocracia e custos relativamente baixos. Esse tipo de suporte inexiste, infelizmente, na maior parte do Brasil, e faz toda a diferença para quem ver morar aqui.

A saúde na Itália para cidadãos italianos

Se você já é um cidadão ou uma cidadã italiano/a, então terá direito a se cadastrar no SSN, o “INSS” da Itália! A sigla significa Servizio Sanitario Nazionale, ou, literalmente, Sistema Nacional de Saúde.

O SSN fornece cobertura de saúde em todo o território, permite obter tratamentos gratuitos, exames laboratoriais, receitas de medicamentos, marcar consultas simples ou com especialistas. Serviço completinho!

Como é e como usufruir do SNN?

Para usufruir do SSN, basta ser cidadão/cidadã e fazer a “tessera sanitaria” na ASL da sua cidade. Caso fique muito doente e precise de tratamentos complexos, pequenas taxas adicionais podem ser cobradas – mas, no geral, é um serviço é praticamente “de graça“.

Você pode conferir o custo de vida na Itália.

Quais são as coisas boas do SNN?

  • Ampla cobertura;
  • Baixo custo;
  • Atendimento garantido a todos os seus dependentes!

Outra “vantagenzona“: o SSN pode ser usufruído também por quem ainda não é cidadão, porém já obteve o Permesso de Soggiorno. Este documento é uma permissão de permanência na Itália por um período mais longo, e é concedido também para quem já deu entrada, aqui na Itália, no pedido de reconhecimento da cidadania. Explicamos direitinho esta história aqui.

A saúde na Itália para o não-cidadão italiano

E como fica para quem não é cidadão? Se você ainda não é um cidadão ou uma cidadã italiano/a, então terá que seguir outras estratégias para ter o suporte à saúde garantido.

Quem vem pra cá normalmente já adquire previamente um seguro de saúde privado, os famosos “seguros-assistência de viagem”. Cartões de crédito e agências de turismo os oferecem em parcelas pequenas e fáceis de pagar – 15 dias na Europa, aproximadamente R$350.

Nós sempre dizemos que estes seguros privados valem a pena. Praticamente todos os hospitais os reconhecem, você receberá atendimento gratuito boa e poderá viajar tranquilo pela Itália sabendo que, caso alguma coisa chata aconteça, terá suporte médico, sem muita burocracia.

Além disso, boa parte dos seguros-assistência, hoje, trazem comodidades importantes para o turista brasileiro, como contato telefônico com atendentes que falam português.

Os seguros privados se tornam caros numa estada de longa-duração

Porém…veja bem: os seguros privados são ótimos, mas só se você ficar por um curto período na Europa! Para viagens mais longas, o custo pode se tornar proibitivo. Nisso, muita gente acaba por abrir mão do seguro de saúde, o que também não é um bom negócio.

Há uma belíssima solução nesses casos, e ela se chama CDAM.

Conhecenço o CDAM, uma coisa boa do INSS!

Contribuintes do INSS podem usufruir do sistema público de saúde italiano de graça. Isso mesmo, você leu certo!

O governo brasileiro e o italiano possuem um acordo, em vigor desde 1.999, que, a grosso modo, “iguala” a contribuição ao INSS à contribuição ao SSN italiano. Assim, o brasileiro contribuinte do INSS pode usar o sistema público italiano sem pagar nada a mais por isso.

O brasileiro só precisa, é claro, provar que é contribuinte do INSS. Isso é feito a partir da emissão do CDAM, o Certificado de Direito à Assistência Médica.

No post “Como usar gratuitamente o sistema de saúde italiano”, explicamos passo a passo como conseguir o documento e como utilizá-lo quando estiver na Itália.

Para quem pretende passar uma longa temporada na Itália com vistos de turista, estudante ou trabalho, e não quer pagar caro por seguros privados, emitir o CDAM é uma benesse fundamental e que precisa ser conhecida e aproveitada.

Dicas importantes

Muito bem, vimos neste post que cidadãos italianos (ou requerentes à cidadania!) têm direito à saúde de graça, e que brasileiros podem usar o CDAM como “atalho” para usufruir do sistema de saúde italiano, mesmo sem a cidadania.

Mas gostaria de fechar o post com uma mensagem importante. Pode confiar: se estiver na Itália, independente de seu status, o sistema de saúde irá cuidar de você.

Mesmo que você viaje completamente desamparado, sem seguro nenhum, caso haja qualquer problema mais grave com sua saúde, você será atendido em um hospital e receberá tratamento médico adequado e de graça. Esta é uma garantia que nosso povo sempre dá, independente de leis, regras ou seguros! 😊

Buon viaggio! E não deixe de ler o que escrevemos sobre os profissionais mais procurados em Itália

COMPARTILHE

Dario é italiano (melhor, siciliano!), adotado há 2 anos pelo quente e colorido Brasil! É fundador do Pesquisa Italiana, e com um time de 14 colaboradores ajuda os descendentes de italianos a descobrir as próprias origens! Ama praia, churrasco e obviamente, pizza!