House Sitting: o que é e como funciona na Europa

Europa  / 

Sabemos que fazer turismo em países europeus normalmente é muito caro. É necessário muito planejamento para passar uma semaninha na Europa. Imagina as despesas que uma pessoa tem para viajar por meses! E por um ano! House sitting pode ser a solução para você conseguir viajar por mais tempo!

Neste artigo, vamos te contar o que é house sitting e como ir para a Europa e ser house e/ou pet sitting. Além disso, mostraremos para você as principais plataformas do ramo e te falaremos algumas dicas e cuidados que você precisa ter para embarcar nessa experiência.

O que é house sitting?

house sitting atividade

Precisa abrir uma conta bancária na Europa?

Você pode abrir a sua conta bancária grátis em 5 minutos e com toda a segurança no N26, um banco digital que funciona em toda a Europa.


O N26 não exige comprovação de rendimentos, você só precisa estar na Europa e ter seu passaporte em mãos.

ABRIR CONTA »

Há diversas pessoas ao redor do mundo que ficam preocupadas em viajar e deixar a casa fechada, sem ninguém para assumir as responsabilidades domésticas. Por isso, surgiu a prática de house sitting.

Esse sistema nada mais é do que um acordo entre o proprietário do imóvel e um (ou vários) viajante(s). Ao deixar o imóvel por um determinado período, como férias, por exemplo, o proprietário confia os cuidados a viajante(s) – house sitting(s), que, em troca de estadia gratuita durante esse período, deve(m) “deixar a casa em ordem”.

Entre as tarefas de um house sitting está a realização de funções domésticas em geral, como limpar piscina, cortar gramado, pegar correspondências, não deixar estranhos entrarem na residência e cuidar de animais de estimação dos donos do imóvel (em alguns casos), ou seja, fazer com que tudo esteja sob controle na casa, como se o proprietário do imóvel estivesse ali.

House e/ou pet sitting

Frequentemente, um house sitting assume as funções de pet sitting, responsabilizando-se, também, pelos cuidados com animais de estimação do dono da residência.

Dependendo da pessoa e das tarefas que o dono da casa necessita que sejam feitas, isso pode (ou não) aumentar a aceitação do house sitting.

Ser house sitting também é uma estratégia dos nômades digitais.

Economia compartilhada

A prática do house sitting é um exemplo de economia compartilhada, um novo modelo de consumo colaborativo, cada vez mais comum nos dias de hoje, em que a troca de serviços entre os usuários substitui o dinheiro.

Ambos os lados saem ganhando: o proprietário do imóvel, que terá uma pessoa para cuidar da residência, economizando no pagamento de um empregado ou de canil, e o viajante, que terá hospedagem gratuita pelo período e em um lugar que dificilmente conseguiria pagar, fazendo, também, novas amizades nesse processo.

Precisa enviar dinheiro do Brasil para a Europa?

Depois de testarmos as principais alternativas do mercado (Paypal, Western Union, Moneygram e etc), a plataforma que nós recomendamos é a TransferWise.


Com mais de 35.000 avaliações positivas, na TransferWise você vai economizar até 8x nas suas transferências. Crie a sua conta grátis e envie dinheiro com segurança.

VER COTAÇÃO »

Economia para o viajante

Além da economia com a hospedagem, o viajante tem seus custos da viagem reduzidos por causa também, da alimentação, pois não é necessário ir direto a restaurantes, tendo em vista que as refeições podem ser feitas em casa, e do transporte – é comum o proprietário deixar o viajante usar seu carro.

Economia para o proprietário

Além de não precisar pagar uma pessoa para cuidar dos serviços da casa e de seus animais de estimação, o proprietário de casa no Reino Unido, por exemplo, tem taxas reduzidas pelas seguradoras, caso use os serviços das agências de house sitting.

Uma apólice pode até ser anulada caso a residência permaneça vazia por mais que 30 dias sem ser feito um acordo prévio.

Como ir para a Europa e ser house e/ou pet sitting

house sitting casa

Entre os países europeus, house sitting é comum na Irlanda, no Reino Unido, na França e na Alemanha. Porém, essa prática está cada vez mais sendo inserida em outros países.

Com o avanço tecnológico, sites especializados em serviços de house sitting ajudam no encontro entre os donos dos imóveis e os viajantes; eles servem como intermediadores dessa relação. Dessa forma, é possível tanto anunciar, quanto procurar as ofertas disponíveis pelo mundo.

Confira alguns dos principais sites:

  • Trusted House Sitters: atualmente, é o maior site do ramo, com mais ofertas. Porém, as vagas são bem concorridas e esse é o site que cobra a taxa de anuidade mais alta;
  • House Cares: com ampla variedade de ofertas, o site está há bastante tempo no ar e possui muitos membros brasileiros;
  • Mind My House: é considerado o melhor site para house sitting na Europa, principalmente no Reino Unido;
  • Luxury House Sitting: tem foco nas casas de luxo. Apesar disso, há opções também de imóveis mais moderados;
  • Nomador: oferece funções que os demais sites não têm, além de uma opção grátis na qual é possível responder a até três aplicações. Porém, a versão ilimitada é paga. Possui origem francesa. Por isso, é ideal para você que deseja se hospedar no sistema de house sitting na França.

Há muitas opções de cursos de francês para você aprender ou se aperfeiçoar no idioma!

A maioria dos sites de house sitting cobra anuidade

A maior parte das plataformas de house sitting cobra anuidade para o viajante que se cadastrar. O valor varia de acordo com o site.

O serviço é grátis na maioria dos sites para o proprietário que disponibiliza a sua residência para um viajante cuidar.

Dicas para ser um house sitting

Veja algumas dicas para você se tornar um house sitting:

  • Cadastre-se em uma das plataformas de house sitting e elabore um perfil atraente com suas características;
  • Dê referências, insira fotos e, se possível, grave um vídeo para comprovar que você fala o idioma do país onde deseja se hospedar;
    Programe um roteiro de viagem e seja flexível com relação às datas;
  • Candidate-se a diversos anúncios e selecione os que forem menos procurados;
  • Crie alertas e esteja disponível para conversar.

Cuidados a ter

De acordo com as pesquisas que fizemos, pessoas que se cadastraram para ser house sitting ficaram satisfeitas com a experiência. Porém, se você tem vontade de ser um, precisa se atentar a alguns detalhes:

  • É necessário ter um visto com tempo considerável no local de destino ou, até mesmo, um visto de residência;
  • House sitting não é emprego, pois o viajante não é remunerado pelo serviço. Como vimos, ele ganha direito a se hospedar na residência do proprietário em troca de cuidar dela (e, se for o caso, dos animais de estimação do dono da propriedade);
  • É possível levar a família consigo, dependendo das restrições do dono do imóvel. Tudo deve ser combinado previamente. Você pode levar, também, seu animal de estimação, dependendo das leis do país de origem e das restrições do dono do imóvel;
  • É necessário se atentar às regras da casa e respeitá-las. Por exemplo, se o dono do imóvel diz que é preciso alimentar o cão três vezes por dia, isso deve ser cumprido;
  • Você deve ter o cuidado de tomar conta da casa como se fosse o dono dela.

E aí? Gostou da ideia de ser um house sitting? Então se cadastre em um dos sites do ramo, monte seu perfil e comece a programar seus próximos destinos!

Confira também quais são os melhores países para trabalhar na Europa.

Em destaque na Euro Dicas
  • Precisa enviar dinheiro para outro país?

    A nossa plataforma preferida é a TransferWise. Com mais de 35.000 avaliações positivas, na TransferWise você vai economizar até 8x nas suas transferências. Crie a sua conta grátis e envie dinheiro com segurança.

    VER COTAÇÃO »
  • Sabia que é obrigatório ter Seguro de Viagem para entrar na Europa?

    Seja para morar ou visitar, a imigração pode exigir esse documento no país destino. Se você não tiver, será obrigado a voltar ao Brasil. Nós usamos o Seguros Promo para comparar várias opções e economizar.

    COMPARAR SEGUROS »
  • Pensando em morar em Portugal?

    Escrevemos um guia com todos os passos necessários para organizar a sua saída do Brasil com rapidez, segurança e sem complicações. Receba grátis o índice e primeiras páginas.

    RECEBER AMOSTRA »
COMPARTILHE

Carolina é luso-brasileira, jornalista e especializada em Comunicação Empresarial. Desenvolve e revisa conteúdos para diversas mídias. Adora viajar o mundo, conhecer novas culturas e escrever sobre suas experiências. Tem prazer em dar dicas de restaurantes, hotéis e também em ajudar brasileiros que desejem morar em outro país.