Como morar na Espanha: todas as dicas para planejar sua mudança

A Espanha é um dos principais destinos dos brasileiros que querem viver na Europa, seja para estudar, trabalhar, investir ou curtir a aposentadoria. Se você está planejando morar na Espanha, confira no artigo a seguir e saiba como é viver no país, o custo de vida nas principais cidades e outras informações importantes.

Como é morar na Espanha?

Ao ouvir a palavra Espanha, muitas imagens positivas vêm à mente. Pense em um país de beleza ímpar, com ótimo clima, gente simpática e alegre que acolhe os estrangeiros, gastronomia maravilhosa, excelentes sistemas públicos de saúde e educação, segurança e cidades com muita qualidade de vida.

Eu AMO morar na Espanha, e não sou a única. A Espanha é um dos países da Europa com o maior número de imigrantes vindos do Brasil. Mais de 100 mil brasileiros moram atualmente no país, segundo o Instituto Nacional de Estatística Espanhol (INE).

De norte a sul, a terra de Cervantes é uma experiência de descobertas constantes. Há uma imensa riqueza cultural, belas paisagens e sempre algum evento no calendário. Ou seja, com um pouquinho de dinheiro a mais no orçamento dá pra se divertir bastante. Além das vantagens já mencionadas, os brasileiros que vivem de forma permanente e legal na Espanha podem solicitar a cidadania após 2 anos. Sim, em apenas dois anos você já poderá se tornar um novo espanhol por tempo de residência.

Planejamento é necessário

Nesse momento, você já deve estar sonhando em fazer as malas e morar na Espanha, né? Sabemos que este é um grande passo e requer muito planejamento, determinação e paciência. Por isso, preparamos esse artigo com muitas informações para você começar a organizar sua viagem. Vamos contar com detalhes quais são os tipos de vistos que você pode adquirir, quanto custa, em média, viver no país e quais são as melhores cidades para morar na Espanha.

Por que escolhemos a Goldenergy em Portugal?

O que é preciso para morar na Espanha? Primeiros passos

Se a sua intenção for morar na Espanha, a primeira informação que você deve saber é que, mesmo estando em solo espanhol, é muito difícil conseguir uma autorização de residência e trabalho, caso você chegue no país como turista. Por isso, você vai precisar de tempo para se dedicar a esse projeto.

Tempo para saber como é possível viver legalmente no país, providenciar os documentos, definir orçamento, cidade e possíveis bairros onde morar, aprender o idioma local, entre outros. Portanto, não deixe tudo pra última hora!

Providencie seu passaporte

Se a sua intenção for mudar para o exterior, o primeiro passo é providenciar o passaporte. O documento é a identificação válida em viagens para a Europa. Para entrar na Espanha, o passaporte precisa ter, no mínimo, uma validade de 3 meses após a data prevista de retorno ao Brasil.

Recomendamos viajar com o passaporte com validade superior a 6 meses, especialmente para quem deseja fixar residência em solo espanhol. A Polícia Federal é o órgão responsável por fazer e emitir o passaporte e tudo pode ser agendado no site da própria PF.

Providencie seu visto, caso não tenha cidadania europeia

Muitos brasileiros possuem dupla nacionalidade (brasileira e europeia) e sonham em morar na Espanha. Saiba que essa é a maneira mais fácil para entrar e permanecer no país.

Você não vai precisar de um visto mas, caso decida passar mais de três meses, terá que obter o NIE (Número de Identidade do Estrangeiro) e uma Tarjeta de Residencia. Esses dois documentos dão o status de residente legal na Espanha e são úteis para muitos trâmites como, por exemplo, obter um plano de celular, alugar um imóvel ou abrir um negócio.

Todos os brasileiros que não possuem cidadania espanhola ou de outro país da União Europeia, precisam de visto para morar na Espanha, seja para estudar, trabalhar, investir ou apenas viver como aposentado

Planejamento financeiro e emocional para morar na Espanha

Para quem busca novas experiências no exterior, seja na vida profissional ou pessoal, o planejamento é fundamental. Por mais aventureira que uma pessoa possa ser, primeiramente é preciso planejar tudo, sobretudo as questões que envolvem a parte financeira.

Ao se organizar para uma mudança desse porte, você precisa pesquisar o máximo que puder sobre o custo de vida na cidade em que vai viver. Fazer as contas corretamente pode ser a diferença entre conseguir morar na Espanha ou ter que voltar para o Brasil antes do previsto.

Economize para não ser pego de surpresa

Também é necessário ter economias para os primeiros meses e para os gastos extras que eventualmente poderão surgir. Se for para estudar, você tem que conseguir se bancar sem contar com um trabalho extra (o visto de estudante concede horas limitadas de trabalho). Se for empreender, o recomendável é ter, pelo menos, um ano de reservas.

Também é preciso cuidar da nossa parte emocional, já que a distância geográfica será tão grande quanto os desafios de recomeçar a vida no exterior. A melhor forma de ter controle emocional é se preparar para situações não desejadas que podem ocorrer.

Morar na Espanha é muito bom, mas a rotina e os hábitos serão bem diferentes. Além disso, dá saudades de casa, da família e dos amigos. É natural sentir nostalgia e tristeza, mas isso não deve afetar o seu bem-estar. Procurar grupos de pessoas do nosso país pode ajudar. É muito comum encontrar brasileiros pelas grandes cidades, como Barcelona e Madrid. Lembre-se que o medo não deve ser maior do que a sua vontade e determinação de ter uma vida melhor.

Faça as malas!

O que levar na mala para morar na Espanha? Essa é uma das perguntas que os amigos mais fazem. É muito difícil resumir a sua vida em apenas uma ou duas malas de 23 kg, mas uma mudança de país requer planejamento e escolhas sábias do que por na bagagem. Falo por experiência própria.

Eu exagerei

Confesso que me arrependi de viajar com cinco volumes e depois arcar com os custos e o peso da minha indecisão. Por isso, recomendo que você escolha as suas roupas favoritas e alguns objetos pequenos que vão te fazer "se sentir em casa". A família e os amigos certamente irão visitá-lo e poderão fazer a gentileza de levar mais coisas para você. Uma outra opção, é despachar pelos Correios o que você deixou para trás e sente falta.

Segundo um raio-X do mercado de locação, apresentado pela Safe Rental, a casa típica para alugar na Espanha tem 80 metros quadrados, três quartos e um banheiro. Além disso, muitos imóveis disponíveis para locação já estão mobiliados, o que pode significar uma grande economia. Vivendo aqui, cheguei à conclusão de que menos é sempre mais. Meu conselho é que você seja o mais prático possível, bem mais do que eu fui na hora de fazer as minhas cinco malas.

Já que estamos falando de mala, não se esqueça de levar na bagagem de mão toda documentação essencial para você morar na Espanha: certidões de nascimento e casamento (se for o caso), comprovantes de renda, diplomas, históricos de estudos, etc. Ou seja, tudo que você considere relevante.

Estudar, trabalhar, investir ou aposentar na Espanha

Você pode estar se perguntando: já entendi que o planejamento é necessário, mas como faço para morar na Espanha? Abaixo você vai descobrir dicas de como se preparar para estudar, trabalhar, investir ou viver como aposentado no país.

1. Estudar na Espanha

Ao longo dos anos, o sistema educacional espanhol se tornou uma referência na Europa e no mundo por oferecer a estudantes, nativos e estrangeiros, um ensino de qualidade. A Espanha admite anualmente mais de 130 mil estudantes de outras nacionalidades e é o terceiro país da União Europeia com o maior número de estrangeiros.

A Espanha é um país acessível no que se refere ao orçamento necessário para estudar. Entretanto, o custo varia bastante entre as instituições públicas ou privadas. Mas saiba que muitas instituições de ensino oferecem bolsas para estudantes estrangeiros.

Então, seja para fazer um MBA, um mestrado ou um doutorado, é preciso se preparar. Ou seja, pesquisar os cursos disponíveis, valores, tipo de visto, além de saber como funciona o processo de admissão. Também reconheça todos os diplomas que tem no Brasil, faça as traduções juramentadas e deixe tudo muito bem preparado.

Encontre o seu curso

Para te ajudar na pesquisa, recomendamos os dois buscadores abaixo:

Saiba mais no nosso artigo sobre estudar na Espanha.

2. Trabalhar na Espanha

Infelizmente, com a crise do coronavírus, a Espanha entrou em recessão e as previsões para a economia não são nada animadoras. Não é impossível, mas requer muita determinação, bons contatos e sorte.

Pesquise no LinkedIn, busque anúncios em jornais, sites de emprego, nas próprias empresas e envie o seu currículo ainda do Brasil. O caminho mais fácil é receber uma oferta de uma empresa espanhola que vai agilizar todo o processo burocrático do visto para você.

Outra opção é vir como turista, já que você pode permanecer até 90 dias sem visto, para conhecer o terreno e fazer contatos pessoalmente. Mas, caso te chamem para uma vaga, você terá que retornar ao Brasil para agilizar a papelada e entrar com o pedido de visto na Embaixada ou nos Consulados da Espanha. O ideal é falar fluentemente o idioma local e o inglês pode ser um diferencial relevante. Saiba como trabalhar na Espanha nesse artigo.

3. Investir na Espanha

Se você tem interesse em morar na Espanha e dinheiro para investir no país, saiba que, apesar da crise do coronavírus, o momento pode ser certeiro.

O mercado imobiliário espanhol, com preços em queda, continua a ser um dos mais atrativos para os investidores, segundo estudo realizado pela empresa de consultoria PwC e Urban Land Institute. A Espanha é o segundo país europeu com mais de uma cidade no ranking das dez melhores para investir, superada apenas pela Alemanha. Madrid aparece em quinto lugar e Barcelona em sétimo.

Após a crise de 2008, o governo repensou o modelo de gestão e fez planos para a recuperação econômica. A partir disso, o país passou a ter uma legislação mais favorável para o capital estrangeiro, não fazendo distinção entre investidores locais e estrangeiros.

A chamada “Lei de Empreendedores”, para quem investe em capital ou imóveis, concede direito a autorização de residência na Espanha. Após dois anos, é possível solicitar a nacionalidade espanhola. Além dessas medidas importantes, o país recebe milhões de estrangeiros todos os anos e o turismo é uma das principais atividades econômicas.

4. Aposentadoria na Espanha

A Espanha foi considerada um dos melhores destinos do mundo para viver como aposentado em 2020. Por isso, residir em terras espanholas pode ser uma ótima opção com o seu dinheiro da aposentadoria. Tá certo que no atual momento o real está muito desvalorizado em relação ao euro, mas tenha em mente que o custo de vida no país é um dos menores da Europa.

Para citar um exemplo, enquanto um aposentado paga cerca de 300€ por mês por um bom plano de saúde privado no Brasil, na Espanha o preço é inferior a 100€ mensais. Além disso, depois de dois anos de residência, é possível solicitar a cidadania espanhola e o acesso ao excelente sistema público de saúde é um fator importante a se considerar.

Quem tem cidadania europeia pode morar na Espanha?

Você já deve saber que é possível morar na Espanha com cidadania de outro país da União Europeia, não é mesmo? A questão é que, ao contrário do que muita gente pensa, não basta ter passaporte europeu para viver em terras espanholas. O governo estabelece algumas regras e procedimentos para regularização dos estrangeiros que planejam morar no país.

morar na espanha familia

Caso você seja cidadão da União Europeia, pode entrar livremente no país, mas se permanecer por mais de 90 dias, será obrigatório obter o seu Número de Identidad de Extranjero. O famoso NIE é uma espécie de CPF para estrangeiros usado em vários trâmites, desde a abertura de conta bancária até a contratação de um plano de internet. Mas, para conseguir o NIE, é preciso contratar um seguro de saúde válido em território espanhol.

Além disso, você precisa especificar os motivos pelos quais o número é solicitado, sejam eles econômicos, profissionais ou sociais. O procedimento deve ser feito pela internet e finalizado presencialmente. Se você estiver na Espanha, deverá se dirigir à Direção-Geral da Polícia. No Brasil, será por meio de um dos Consulados da Espanha existentes no país.

Visto para Espanha

Os brasileiros que não têm cidadania espanhola ou de outro país da União Europeia e querem ficar na Espanha por mais de 90 dias vão precisar de um visto para permanecer no país. Há inúmeras opções de visto para Espanha. Você pode decidir estudar, ser contratado por uma empresa ou mesmo viver como aposentado. Veja a seguir alguns tipos de visto que você pode solicitar.

Visto para estudantes e serviços de voluntariado

É preciso ter em mãos a documentação que comprove que você vai estudar, fazer um estágio ou serviço voluntário na Espanha. Se a sua ideia for estudar no país, por exemplo, terá que apresentar a matrícula que indique claramente as datas exatas de duração do curso, assim como o valor pago e o calendário das aulas e horários letivos.

O governo espanhol recomenda solicitar este tipo de visto com, pelo menos, um mês de antecedência, já que eles são expedidos com a autorização dos serviços centrais em Madrid e isso pode demorar várias semanas.

Visto de trabalho para morar na Espanha

Esse tipo de visto é para quem vai trabalhar no país de forma remunerada como empregado, assalariado e similares em uma empresa na Espanha. O visto deve ser solicitados ainda no Brasil, na Embaixada da Espanha ou nos Consulados Honorários da Espanha. Por isso, antes de deixar o Brasil, você já precisa ter um contrato com uma empresa espanhola para dar início no processo.

A empresa interessada tem que fornecer o contrato de trabalho para que você inicie o trâmite e também providenciar a autorização de residência e trabalho, expedida pelo governo espanhol.

Visto para aposentados e renda fixa

Esse é o visto ideal para quem tem renda fixa ou aposentadoria no Brasil e não pretende realizar atividade econômica ou profissional na Espanha. No entanto, para obter o Visto de Residência não Lucrativa, você deverá comprovar que possui uma renda mensal de pelo menos 400% do valor do IPREM (Indicador Público de Renta de Efectos Múltiples), fixado em 2020 em 537,84€). Ou seja, é necessário ter uma renda mensal igual ou superior a 2.151,36€.

Além disso, considere um adicional por mês de 537,84€ para arcar com o sustento de cada familiar que more com você. Neste caso, podem servir de comprovação de renda, documentos como a declaração do imposto de renda e os extratos bancários.

Visto para empreendedores e investidores

Quem planeja abrir um negócio na Espanha, precisa requerer o visto de empreendedor. A princípio, o tempo concedido é de dois anos, mas pode ser renovado, desde que o negócio continue a funcionar. A partir de dois anos, vivendo legalmente na Espanha, é possível solicitar a cidadania espanhola.

Esse visto também é dirigido aos profissionais altamente qualificados, pesquisadores e investidores. Neste último caso, é necessário realizar um investimento monetário significativo na Espanha como, por exemplo:

  • Investir, no mínimo, 2 milhões de euros na compra de títulos da dívida pública espanhola;
  • Comprar ações ou participações em sociedades de capital no valor mínimo de 1 milhão de euros;
  • Investir, pelo menos, 1 milhão de euros em fundos de investimentos;
  • Investir um valor igual ou superior a 1 milhão de euros em depósitos bancários;
  • Adquirir um imóvel no valor mínimo de 500 mil euros situado em território espanhol.

Visto com exceção de autorização de trabalho para morar na Espanha

Esse visto é para quem deseja realizar um trabalho na Espanha e precisa de uma autorização prévia do governo espanhol. É o caso dos artistas que vem ao país fazer shows. A atividade não poderá ultrapassar cinco dias contínuos ou vinte dias de atuação, num período inferior a seis meses.

Também entram nessa lista correspondentes dos meios de comunicação, religiosos, funcionários públicos civis ou militares, etc.

Visto para reagrupamento familiar

O visto para reagrupamento familiar pode ser solicitado apenas para aqueles que possuem um familiar brasileiro que more legalmente na Espanha. O interessado deve obter na Espanha a autorização de residência temporária para reagrupamento familiar e, só depois que o documento for expedido, poderá apresentar a sua solicitação de visto no Consulado-Geral.

Esse são os principais tipos de visto existentes para a Espanha. Em cada caso, há uma lista de documentos a serem apresentados, além do pagamento da respectiva taxa. Vale citar, que é possível que os documentos tenham que ser traduzidos e apostilados.

Qual a melhor cidade para se viver na Espanha?

Quais são as melhores cidades para morar na Espanha como estrangeiro? O país é dividido em dezessete Comunidades Autônomas, cada uma com aspectos culturais próprios e, às vezes, até uma língua específica. Escolher o lugar ideal para viver não é fácil, é uma decisão pessoal em que muitos fatores devem ser levados em consideração, mas um ponto em comum todas as cidades espanholas têm: qualidade de vida. Abaixo, listamos algumas opções que podem se tornar o seu novo destino.

Barcelona é a capital cultural

É difícil não se apaixonar pela capital da Catalunha. O modernismo, estilo arquitetônico que moldou Barcelona graças à ousadia do genial Antoni Gaudí, faz com que a cidade seja única. Além da beleza e da originalidade de seus edifícios, Barcelona dita tendência na gastronomia, design e artes. Fora isso, vem se tornando um lugar cada vez mais sustentável ao ampliar as ciclovias já existentes e áreas exclusivas para pedestres, além de reduzir a circulação de automóveis.

Morar em Barcelona

Com mais de dois mil anos de história e 1,6 milhões de habitantes, a metrópole localizada no nordeste da Espanha é a segunda cidade mais populosa do país e a que atrai o maior número de turistas. Em Barcelona você encontra mar, montanha e um clima privilegiado, além de serviços públicos de qualidade, como saúde e transporte. No entanto, é a segunda cidade mais cara da Espanha, atrás apenas de Madrid.

A grandeza da capital Madrid

Madrid está localizada no centro da Península Ibérica e é a maior cidade do país, com mais de 3,2 milhões de habitantes. Por ser o eixo comercial, concentra as maiores ofertas de emprego. No entanto, isso eleva os preços dos imóveis e, consequentemente, o custo de vida. Mas a frenética capital espanhola, vibrante e com uma pitada de caos acolhe pessoas do mundo todo. Por isso, será mais fácil “se sentir em casa”.

Também leva a fama de ter uma das noites mais animadas do país, os melhores museus e parques impecáveis em um lugar relativamente pequeno com pouco mais de 3 milhões de habitantes. São muitos os aspectos positivos de se morar em Madrid: o atendimento nos hospitais públicos é eficiente, assim como o transporte público. Normalmente os bairros, mesmo os periféricos, contam com boas conexões.

Toledo traz tranquilidade e charme

Toledo é o lugar perfeito para quem trabalha em Madrid, mas não quer viver na capital do país. Com cerca de 690 mil habitantes, está muito próxima e muito bem conectada à Madrid (50 minutos de trem). Ao mesmo tempo, é bem mais tranquila.

A cidade é charmosa, repleta de áreas verdes, tem excelente gastronomia e grande valor cultural e histórico. Além disso, tem uma boa oferta educacional e de saúde e os preços dos aluguéis são mais acessíveis.

Valência e sua arquitetura futurista

Valência, ao leste da península ibérica e na costa do mar Mediterrâneo, é a terceira maior cidade da Espanha, com 800 mil habitantes. É, sem dúvidas, um lugar ideal tanto para o turismo, quanto para viver. É inegável que um dos maiores atrativos é o seu clima, já que a temperatura média ao longo do ano é de 17º C e quase não chove.

Além da segurança ao andar pelas ruas, outra vantagem é que, ao contrário do que acontece em cidades espanholas como Madrid e Barcelona, em Valência o custo de vida é relativamente barato e você encontra tudo o que precisa: supermercados, comércio, restaurantes e serviços públicos de transporte e saúde.

A cidade das artes e das obras futuristas do arquiteto Santiago Calatrava também se destaca pela beleza natural, com diferentes praias e culinária. A paella, definitivamente, o prato mais emblemático da cozinha espanhola, foi inventada nessa região.

Sevilha, o berço da tradição

Palácios medievais, touradas, castanholas, flamenco e uma grande devoção religiosa. Para muitas pessoas, a Espanha dos sonhos e das tradições está em Sevilha. A multicultural capital da Andaluzia ainda preserva a herança dos romanos, judeus e árabes. É a quarta maior cidade espanhola, com 700 mil habitantes, e uma das mais belas do país.

O povo é simpático e hospitaleiro e o clima agradável com uma média de 300 dias e 18º C, a arquitetura belíssima e há muitas opções culturais e de lazer. No entanto, a cidade não tem praia e o transporte público não é dos melhores.

As linhas de ônibus circulam por todo lado, mas o metrô não. É novo e, por enquanto, tem apenas uma linha. Para quem gostar de pedalar, Sevilha é praticamente toda plana e conta com nada menos que 170 quilômetros de ciclovia e 250 estações de bicicletas espalhadas pela cidade.

San Sebastián, um balneário imperdível

Um pouco da França na Espanha, assim é San Sebastián. Acabo de chegar de uma viagem ao litoral do País Basco, no norte do país, e já estou morrendo de saudade. Voltaria para lá e, quem sabe, até para morar. É que a cidade me conquistou de forma rápida e intensa. Tudo (absolutamente tudo) o que eu li a respeito dela superou as minhas expectativas.

Não à toa, desde o início do século XX, Donostia (em basco) ganhou fama por ser o destino onde a corte espanhola passava o verão, longe da calorenta Madrid. Além de ser um balneário delicioso, com mar e montanha, é uma cidade elegante com uma belíssima arquitetura.

Balneário de San Sebastián

Isso sem falar que a vida neste pequeno pedaço da Espanha, com aproximadamente 187 mil habitantes, gira em torno dos prazeres da mesa. Para quem gosta de comer, como eu, isso é um prato muito bem feito. A meca gastronômica número 1 do país (que Madrid e Barcelona me perdoem) tem vários restaurantes com estrelas no guia Michelin. Muitos dos bares no centro histórico (Parte Vieja) trazem a estrela do cardápio local, os pintxos, pequenas e deliciosas porções similares às tapas espanholas.

A cidade ferve em julho, por conta do Festival de Jazz e em agosto, durante a Semana Grande. Em setembro também rola o famoso Festival Internacional de Cinema. Talvez o único porém  é que San Sebastián é um dos lugares mais caros para morar na Espanha e o clima, no inverno, é bastante frio.

Palma de Mallorca e suas paisagens paradisíacas

ue tal morar na Espanha, mas em uma ilha? Palma de Mallorca é a capital de Mallorca que faz parte do arquipélago das Ilhas Baleares, na costa leste da Espanha, juntamente com Menorca, Ibiza e Formentera. Com mais de 440 mil habitantes, a cidade portuária já foi dominada pelos mouros, romanos e cristãos. Além disso, possui um dos núcleos históricos mais bem conservados da Europa.

Nos bares e restaurantes, há fartura de comida fresca e saborosa. Mas o mar (suspiros), esse sim chama a atenção! As cores da água são inacreditáveis e, some à isso, a tranquilidade da ilha, tirando os meses de alto verão, como julho e agosto, quando o movimento de turistas chega a ser insuportável e pode até faltar água.

Portanto, Palma de Mallorca é um refúgio mais recomendado para quem está aposentado ou para famílias que buscam um outro ritmo de vida, diferente das grandes metrópoles.

Aluguel nas grandes cidades da Espanha

O tema aluguel em Madrid e Barcelona é bem delicado. Além dos preços serem altíssimos em relação aos salários pagos nestas duas cidades, existe uma grande burocracia na hora de se fazer um contrato. Um conselho, se está chegando agora, procure diretamente uma vaga, dividindo apartamento com outras pessoas e depois que tiver um emprego, comece a buscar um lugar somente para você.

Sem emprego e sem contracheque, só se consegue alugar um apartamento na Espanha com um grande golpe de sorte. Segundo o ranking realizado na Espanha, as melhores cidades do país para se viver são: San Sebastián, Madrid, Toledo, Valência e Sevilha. Considerando a qualidade de vida que oferece cada uma delas.

Como é o custo de vida na Espanha?

Morar na Espanha tem se tornado, cada vez mais, o objetivo de muitos brasileiros. Em meio aos planos sobre como seria, ou será, a vida nesse lado do oceano Atlântico, os futuros viajantes precisam organizar o seu orçamento que, se for mal planejado, pode resultar em muita dor de cabeça após a mudança.

Os cálculos são bastante relativos, dependem do estilo de vida de cada pessoa. Mas, para ter noção dos gastos, veja abaixo alguns preços médios para um casal em diferentes cidades da Espanha. Os dados são do portal calculador de custo de vida Numbeo.

Custo de vida na Espanha – preços gerais

DESPESAS PREÇOS
Aluguel apartamento de 1 quarto no centro da cidade 674,18€
Contas da casa (luz, água, gás) 117,63€
Internet 40,61€
Transporte público mensal (por pessoa) 40€
Alimentação 300€
Refeição para duas pessoas em restaurante com entrada, prato principal e sobremesa 40€
Total para duas pessoas 1,242.42€

Custo de vida em Barcelona
DESPESAS PREÇOS
Aluguel apartamento de 1 quarto no centro da cidade 937,66€
Contas da casa (luz, água, gás) 129,21€
Internet 42,91€
Transporte público mensal (por pessoa) 40€
Alimentação 340€
Refeição para duas pessoas em restaurante com entrada, prato principal e sobremesa 50€
Total para duas pessoas 1,589.78€

Custo de vida em Madrid
DESPESAS PREÇOS
Aluguel apartamento de 1 quarto no centro da cidade 982,33€
Contas da casa (luz, água, gás) 136,59€
Internet 42,79€
Transporte público mensal (por pessoa) 54,70€
Alimentação 350€
Refeição para duas pessoas em restaurante com entrada, prato principal e sobremesa 50€
Total para duas pessoas 1,671.11€

Custo de vida em Toledo
DESPESAS PREÇOS
Aluguel apartamento de 1 quarto no centro da cidade 500€
Contas da casa (luz, água, gás) 110,38€
Internet 30€
Transporte público mensal (por pessoa) 34€
Alimentação 290€
Refeição para duas pessoas em restaurante com entrada, prato principal e sobremesa 25€
Total para duas pessoas 989.38€

Custo de vida em Valência
DESPESAS PREÇOS
Aluguel apartamento de 1 quarto no centro da cidade 725,20€
Contas da casa (luz, água, gás) 117,04€
Internet 36,21€
Transporte público mensal (por pessoa) 42,74€
Alimentação 320€
Refeição para duas pessoas em restaurante com entrada, prato principal e sobremesa 38€
Total para duas pessoas 1,321.93€

Custo de vida em Sevilha
DESPESAS PREÇOS
Aluguel apartamento de 1 quarto fora no centro da cidade 638,12€
Contas da casa (luz, água, gás) 128,35€
Internet 38,71€
Transporte público mensal (por pessoa) 33,50€
Alimentação 300€
Refeição para duas pessoas em restaurante com entrada, prato principal e sobremesa 30€
Total para duas pessoas 1,202.18€

Custo de vida em San Sebastián
DESPESAS PREÇOS
Aluguel apartamento de 1 quarto fora no centro da cidade 912,50€
Contas da casa (luz, água, gás) 95,28€
Internet 39,50€
Transporte público mensal (por pessoa) 44,24€
Alimentação 340€
Refeição para duas pessoas em restaurante com entrada, prato principal e sobremesa 50€
Total para duas pessoas 1,525.76€

Custo de vida em Palma de Mallorca
DESPESAS PREÇOS
Aluguel apartamento de 1 quarto fora no centro da cidade 878,57€
Contas da casa (luz, água, gás) 103,68€
Internet 42,87€
Transporte público mensal (por pessoa) 30€
Alimentação 330€
Refeição para duas pessoas em restaurante com entrada, prato principal e sobremesa 47,50€
Total para duas pessoas 1,462.62€

Emprego e mercado de trabalho na Espanha

Atualmente, nem tudo são flores. Duramente castigada pela pandemia do coronavírus, a Espanha enfrenta uma recessão sem precedentes com a queda histórica de 18,5% do PIB, no 2o trimestre de 2020, segundo o Instituto Nacional de Estatísticas (INE). E agora, justamente no verão, quando o país voltava a ganhar um pouco de fôlego, o novo aumento de casos de coronavírus pegou todo mundo de surpresa causando um mix de desânimo, revolta e preocupação, principalmente no sofrido setor de turismo que representa 12,5% do PIB espanhol.

Os ingleses, por exemplo, que todos os anos invadiam as ilhas e praias espanholas, agora precisam cumprir uma quarentena de 14 dias ao voltar pra casa, o que reduziu drasticamente o número de viajantes ao país ibérico.

Desemprego e falta de oportunidades na crise do coronavírus

Não dá para negar que muitos negócios se viram forçados a fechar as portas de vez. Além do turismo, o comércio e os transportes foram os setores mais afetados, seguidos pela construção civil e a indústria. Falta trabalho para os espanhóis e também falta trabalho para os estrangeiros. As poucas vagas que encontramos, ao fazer uma pesquisa em sites como o LinkedIn, são nas áreas de Marketing, Mídias Sociais, Call Center e em Supermercados.

No entanto, a União Europeia, planeja dar um impulso em tudo o que tem a ver com a “economia verde”: energia renovável, recuperação de espaços, rios, água, reflorestamento, reciclagem de resíduos, entre outros. Profissionais das áreas de Tecnologia da Informação e Engenharia também devem ficar atentos às ofertas, uma vez que ambos os setores estavam em crescimento.

Como é o clima na Espanha?

Para um brasileiro, pode ser sempre um ponto de desconforto ao chegar na Europa, principalmente durante o inverno. Na Espanha, você vai curtir as 4 estações do ano, vai ver as flores surgindo na primavera e o clima agradável, aproveitará as praias no verão, querendo escapar de cidades como Madrid, onde o calor é mais forte.

Também vai ver as folhas caindo no outono, com temperaturas baixas, porém, suportáveis para um brasileiro e vai sentir muito frio no inverno. Se for para serra, ainda poderá ver neve.

Vantagens de morar na Espanha

Se a Espanha pode se orgulhar de alguma coisa, é de ter um dos melhores climas quando o inverno chega à Europa. Enquanto os termômetros caem abaixo de zero em outros países, em algumas cidades espanholas as temperaturas giram em torno de 16º C. Então, se você está procurando fugir do frio, morar na Espanha é a opção ideal para você. Outra vantagem, e uma das que eu mais aprecio, é viver com segurança.

Imagina você poder andar sem medo pelas ruas, a pé e em qualquer horário, inclusive de madrugada. Isso, para uma carioca que já foi assaltada quatro vezes, traz uma sensação de paz inexplicável. Na Europa, a violência é mínima. No entanto, os ladrões se aproveitam das pessoas distraídas para levar a carteira sem que elas percebam. É o chamado “pickpocket“, que pode ser tranquilamente evitado.

Prefeitura de Valência

Muita gente pensa que a vida na Europa é feita de luxo e glamour mas, de uma maneira geral, a importância com a aparência é infinitamente menor do que no Brasil. As pessoas se preocupam menos com roupa e estética e o armário bem enxuto é a prova disso. E aqui, fique sabendo, que todo mundo põe a mão na massa. Faz parte do nosso dia a dia cozinhar a própria comida, fazer a faxina de casa e tirar o lixo.

Simplicidade na vida é diferencial ao morar na Espanha

É verdade que a maioria da população não tem ajuda com as tarefas domésticas porque a mão de obra é cara, diferentemente do Brasil. E carro, gente, é um luxo. Há poucas vagas nas ruas e o transporte público é tão eficiente que você nem vai sentir falta de ter um volante.

Para finalizar, o custo de vida da Espanha compensa bastante se você comparar com o de outros países da Europa. Ele é o segundo mais barato do continente, atrás apenas de Portugal. Obviamente que hoje, na comparação com o Brasil, a vida está mais cara por conta da grande desvalorização do real em relação ao euro.

Mas, ainda assim, é tão bom viver aqui que eu não consigo parar de enumerar as vantagens. Algo que até hoje me surpreende, por exemplo, é a conta do supermercado. Nós tomamos bons vinhos e comemos maravilhosamente bem porque os produtos regionais são bastante acessíveis.

Ah, também não posso deixar de mencionar que, por uma pechincha, é possível passear pela Europa ou mesmo pelo território espanhol se você for uma pessoa planejada e organizar a viagem com bastante antecedência. Sem dúvida, viver na Espanha é a oportunidade de desfrutar de muitas coisas boas.

Dicas para morar na Espanha

Antes de se mudar para a Espanha, ou para qualquer outro país, é importante preparar-se. Não basta fazer as malas e pronto. Pense, principalmente, na parte burocrática. Cuide para que todos os documentos brasileiros estejam em dia e que não fique nada pendente para ter que voltar correndo para casa. Melhor ainda, se tiver alguém de confiança para deixar uma procuração registrada em cartório danos plenos poderes.

Sempre faça uma poupança antes da mudança. Tenha alguns meses de despesas garantindo, não vá só contando com o que pode acontecer. Abra uma conta na Espanha em bancos acessíveis para estrangeiros e envie o dinheiro necessário para se manter nos primeiros meses.

O planejamento é a chave do sucesso para quem pretende morar no exterior, pode ser a diferença entre conseguir ficar na Espanha ou ter que voltar para o Brasil. Por isso, coloque os pés no chão e planeje tudo, pesquise o máximo que você puder. Isso vale para qualquer país.

Seguro viagem para morar na Espanha

É importante lembrar que, se você planeja visitar ou morar na Espanha, o seguro viagem é essencial para sua segurança durante sua estadia. Para fazer a cotação do seu seguro de forma personalizada, recomendamos que você utilize o nosso comparador de seguro viagem. Ele apresenta planos das principais seguradoras do mercado e ainda garantimos os melhores preços aos leitores do Euro Dicas.

Se preferir, pode também utilizar o portal Seguros Promo, comparador online que nós recomendamos e utilizamos para realizar cotações aqui no Portal.

Adriana Levis Alambert trabalha como jornalista há mais de 20 anos. Se formou na UniverCidade, no Rio de Janeiro, com pós-graduação em Mídias Digitais e Interativas pelo Senac-Rio e pós graduação em Mídia, Tecnologia da Informação e Novas Práticas Educacionais pela PUC-Rio. Trabalhou como repórter, apresentadora e editora no Canal Futura, Sportv e na Web TV da Petrobras. Atualmente faz um Master em Direção de Cinema Documental, na Escola de Cine de Barcelona, na Espanha. Também trabalha com turismo, adora viajar, conhecer novas culturas e compartilhar suas experiências.

Amanda Corrêa é brasileira, jornalista, mora na Europa desde 2014. Possui Mestrado em Ciências da Comunicação pela Universidade do Minho, experiência na área de assessoria de imprensa e televisão. Já morou na Inglaterra e atualmente mora em Portugal. Amanda já visitou 15 países do mundo, ama viajar e conhecer novas culturas e gastronomias. É co-fundadora do site Vagas pelo Mundo, apresentadora do podcast "Partiu Morar Fora" e produtora de conteúdo para diversos portais.

Artigos relacionados

Melhores cidades da Espanha para morar: confira o top 5

Conheça as cidades da Espanha com melhor qualidade de vida, para você morar. Uma dessas cidades da Espanha é perfeita para você viver. Veja a lista!

Profissionais em falta na Espanha: lista de profissões e salários médios

Apesar dos vários anos de crise económica na Espanha e o elevado desemprego, existem profissionais em falta na Espanha. Conheça a lista de profissões.

Cidadania Espanhola: como conseguir o passaporte europeu

Existem 3 situações em que brasileiros podem ter direito à cidadania espanhola. Conheça o processo para solicitar e quais os documentos necessários.

Visto para Espanha: quais são, custos e como conseguir

Conheça quais os tipos de visto para Espanha. Saiba como e onde requerê-los, quanto custa e quais os documentos necessários para dar entrada no processo.

Custo de vida na Espanha: saiba quanto custa viver no país

Conheça o custo de vida na Espanha e quanto precisa para viver bem: quanto custa alugar um apartamento, as principais contas do mês, mercado, lazer e mais.

Validar diploma brasileiro na Espanha: como solicitar

Se você quer morar e trabalhar na Espanha, é provável que precise validar o diploma brasileiro na Espanha para exercer sua profissão. Saiba como aqui.

Câmbio de moedas

EURO € : R$ 0.00

LIBRA £ : R$ 0.00

DÓLAR $ : R$ 0.00

Ouça nosso Podcast

Curta nossa página

Euro Dicas no Youtube