Pular para o conteúdo

França

Qual é o país europeu ideal para mim?
Descubra seu destino europeu ideal neste quiz,
explorando cultura, estilo de vida e oportunidades.
Descubra seu país europeu ideal

Mais recentes

Pessoa declarando seu Imposto de renda na França
França Tributação para Expatriados

Imposto de renda na França: saiba como declarar o seu

Entender o funcionamento do imposto de renda na França é essencial para os brasileiros que têm planos de viver, trabalhar ou investir no país. O sistema fiscal do Hexágono é complexo e cheio de regras, mas é completamente possível de compreender seu funcionamento. Neste artigo, te explicamos como. Como declarar Imposto de Renda na França Você deve realizar a declaração de Imposto de Renda na França conforme as datas informadas anualmente. O procedimento é obrigatoriamente online, com exceção de alguns casos, e conta com um site específico para tal. Apesar de ser completamente possível de declarar sozinho, você tem também a possibilidade de contar com a ajuda de especialistas, como a Personal Tax. Quem deve declarar Imposto de Renda na França? A princípio, qualquer pessoa que seja morar na França como residente no ano de referência deve declarar seus rendimentos, sejam eles de fontes francesas ou estrangeiras. Ao mesmo tempo, um francês com residência fiscal fora do país também poderá ser obrigado a declarar sua renda aos serviços fiscais franceses, se tiver rendimentos provenientes de fontes no Hexágono. De maneira geral, será a sua residência fiscal, a composição e proveniência da sua renda que vão determinar a quantidade de seu imposto de renda, as regras e o procedimento a seguir. Nesse sentido, uma convenção internacional entre a França e outro país pode prever regras fiscais diferentes para cada caso. Por isso, é importante que você conheça os tratados internacionais para evitar a bitributação que podem influenciar na sua declaração. Brasileiro precisa declarar Imposto de Renda na França? Sim, segundo a convenção entre o Brasil e a França que visa evitar a dupla tributação e prevenir a evasão fiscal de Imposto de Renda. São exemplos de itens tributáveis: Rendimentos provenientes de bens imobiliários; Lucros de empresas; Dividendos em geral; Juros; Royalties; Ganhos de capital; Exercício de profissões dependentes e independentes; Remunerações de direção, de artistas e desportistas. Precisa declarar o envio dinheiro do Brasil para França? Sim. O envio de dinheiro para a França precisa ser declarado, mas você somente pagará imposto a depender do motivo do envio. Por exemplo, é preciso declarar se você envia dinheiro para: Sua conta no exterior de mesma titularidade; Doações; Pagamento de empréstimos; Investimentos; Pagamentos de serviços no exterior. No entanto, caso você esteja enviando dinheiro para a França visando manutenção de filhos e cônjuges, não é necessário declarar. Essas regras estão descritas na mencionada convenção entre Brasil e França. E quem envia dinheiro da França para o Brasil? Não há necessidade de declarar o envio de dinheiro da França para o Brasil, no entanto, as transferências podem estar sujeitas a controles por parte do seu banco. [caption id="attachment_170569" align="alignnone" width="750"] Contas bancárias no exterior devem ser declaradas no imposto de renda na França e no Brasil.[/caption] O que é obrigatório declarar é a abertura e utilização de contas bancárias no exterior para a realização legal de suas operações. Quem não precisa declarar? De maneira geral, professores brasileiros que permaneçam até dois anos na França e estudantes brasileiros em período de formação. Nesse último caso, professores, estudantes e pesquisadores que recebem bolsa de estudo na França por parte do governo brasileiro também não precisam declarar. Em algumas situações, também não é necessário declarar herança recebida no exterior. Entretanto, indicamos sempre buscar o seu caso específico nas leis estabelecidas entre a França e o Brasil a respeito do tema. Passo a passo para declarar Imposto de Renda na França A declaração do Imposto de Renda na França é obrigatoriamente feita via internet, caso seu domicílio esteja equipado para tal. Caso você não tenha acesso à internet ou não acredite que seja capaz de fazer sua declaração online, é possível solicitar um formulário de papel. Ainda que trabalhosa, é possível dizer que a ferramenta de declaração de Imposto de Renda na França é bastante intuitiva, o que faz com que seja completamente possível de completá-la sozinho. No entanto, se você quiser, é possível solicitar a ajuda de um especialista. Conheça mais sobre suas opções abaixo. Fazer a declaração sozinho Após entrar no portal de impostos que reúne os formulários online, é preciso criar uma conta, e para isso, você deve fornecer seu número fiscal. Esse número é aquele que aparece no Avis d’Imposition, documento que a pessoa obrigada a declarar seu Imposto de Renda na França recebe com uma certa antecedência via e-mail ou carta. Lembrando que sua declaração é sempre feita com base nos rendimentos recebidos no ano anterior. Etapa 1 Nessa primeira etapa, você verá que algumas informações já estão preenchidas em função do que foi possível recuperar de seus dados, ou do que foi informado no ano precedente. Assim, aqui você deve apenas verificar e eventualmente corrigir alguma informação incorreta. É nesse momento também que a Administração Fiscal pede para você informar alguma mudança de situação como, por exemplo, um casamento, uma união estável ou divórcio. Etapa 2 Nesta etapa, você deve verificar a exatidão das informações preenchidas pela Administração Fiscal, tais como seu estado civil, seu endereço fiscal, sua residência principal, sua data de nascimento, entre outros dados pessoais. Nessa mesma fase, é preciso enviar informações acerca de sua residência como, por exemplo, as pessoas pelas quais você se responsabiliza: crianças, filhos maiores, casais e dependentes em geral. Etapa 3 Aqui é o momento de declarar as rendas recebidas no ano anterior. A Administração Fiscal faz um pré-preenchimento da ficha com base nas informações transmitidas pelos empregadores, estabelecimentos financeiros, organismos de aposentadoria na França e afins. Na página seguinte, você deve assinalar as opções correspondentes às rendas que você recebeu e, portanto, deve declarar: salários, pensões de aposentadoria, rendas de propriedade e afins. [caption id="attachment_168907" align="alignnone" width="750"] Organização de documentos é essencial para fazer sua declaração de imposto de renda, mesmo online.[/caption] As rubricas de cada tipo de renda aparecem a seguir e costumam vir pré-preenchidas. Basta você verificar os montantes indicados com base em seus holerites e outros documentos, alterando valores em caso de necessidade. Nessa mesma etapa, é possível informar outros tipos de renda, inclusive aqueles do estrangeiro. Etapa 4 Após preencher tudo, é possível verificar um resumo de sua declaração. É o momento de checar se tudo está correto e ter uma estimativa tanto do imposto a ser pago, quanto do valor a ser restituído. Antes de ir para a última etapa, verifique também suas coordenadas bancárias e seu endereço de e-mail. Elas serão essenciais para validar sua declaração de renda. Etapa 5 Você chegou ao fim da declaração Imposto de Renda na França. Em instantes, você receberá um e-mail de confirmação. Ainda é possível modificar as informações declaradas até a data limite mencionada no site oficial do procedimento. Por fim, você deve guardar o comprovante recebido para fins de controle, assim como todos os documentos utilizados para preencher sua declaração. Fazer a declaração com ajuda de especialista Caso você prefira, é possível fazer sua declaração Imposto de Renda na França com a ajuda de um especialista. Indicamos a Personal Tax, uma consultoria tributária para expatriados. O serviço é personalizado, confiável e de qualidade. Tudo o que você precisa para não se preocupar com novos termos e novas burocracias em outra língua. Prazo para fazer a declaração Imposto de Renda França A partir do mês de abril de cada ano e a data limite varia conforme o seu departamento na França. Em 2024, o serviço iniciou no dia 11 de abril. A data limite da declaração depende de seu lugar de residência. Veja as informações da tabela abaixo: Número do departamento Data limite da declaração 01 a 19 (zona 1) e não residentes 23 de maio 2024 às 23h59 20 a 54 (zona 2) 30 de maio de 2024 às 23h59 55 a 976 (zona 3) 6 de junho de 2024 às 23h59 Prazo de reembolso e pagamento do IRPP Em 2024, o prazo de reembolso e pagamento do Imposto de Renda na França ocorrerá entre 24 de julho e 2 de agosto. As datas precisas vão variar conforme a sua situação. Veja mais detalhes na tabela a seguir: Caso específico Via e-mail ou site Via papel Direito a reembolso 24 de julho e 2 de agosto 24 de julho e 29 de agosto Sem necessidade de pagar 24 de julho e 2 de agosto 24 de julho e 29 de agosto Com necessidade de pagar 26 de julho e 2 de agosto 25 de julho e 23 de agosto Métodos de pagamento ou reembolso O reembolso será realizado ao longo do verão de 2024, via transferência bancária para o número de conta na França informado à Administração Fiscal. Já o pagamento pode ser feito online, diretamente no site dos Impostos na França. Há também a opção de débito automático, que ocorre na conta informada à Administração Fiscal. O que acontece se não declarar? Não declarar o Imposto de Renda na França pode te enquadrar em fraude fiscal, e consequentemente, você poderá receber sanções fiscais e penais. Caso a Administração Fiscal descubra uma atividade não declarada, o imposto que você deverá pagar será aumentado em 80%. No que se refere às sanções penais, é possível que você sofra as consequências pelos 6 anos subsequentes. Para além das sanções fiscais, você ainda deverá pagar 500.000€ de multa, além de correr o risco de ficar 5 anos na prisão. As penas poderão ser mais graves conforme o seu caso. Alíquota Imposto de Renda na França A escala progressiva do Imposto de Renda na França é um parâmetro para fazer o cálculo do imposto. Ela comporta várias fatias, cada uma dentre elas tendo uma alíquota de imposto diferente. A lei de finanças aumentou a tabela do Imposto de Renda em 4,8% desde o dia 1º de janeiro de 2024. Tabela de Imposto de Renda na França O imposto sobre os rendimentos que você recebeu em 2023 e que você deverá declarar em 2024 é calculado por fatias que vão de 0% a 45%. Veja abaixo a tabela de referência: Fração do lucro tributável (por uma parte) Taxa de imposto a ser aplicada à faixa Até 11.294€ 0% De 11.295€ a 28.797€ 11% De 28.798€ a 82.341€ 30% De 82.342€ a 177.106€ 41% Acima de 177.106€ 45% Isso significa que se você receber um salário mínimo na França, seu parâmetro de cálculo será diferente de quem recebe mais do que isso. Como calcular o valor do Imposto de Renda na França? Você deve calcular o valor do imposto de renda a partir do lucro tributável líquido, em três etapas principais. Para isso, faça os seguintes cálculos: Divida o lucro líquido tributável pelo número de cotas familiares; Aplique então a este resultado a tabela progressiva de imposto sobre o rendimento aplicável aos rendimentos do exercício em causa; Multiplique o resultado obtido pelo número de cotas do quociente familiar para obter o valor do imposto devido. Exemplo prático Imaginemos o caso de uma pessoa solteira com um rendimento líquido tributável de 32.000€ em 2023. Como é apenas uma pessoa, o quociente familiar é 1. Mas, se houvesse dependentes, o valor do quociente seria maior. Em primeiro lugar, realizamos a operação 32.000€/1 = 32.000€. Para calcular o imposto desta pessoa é preciso submeter este resultado à escala aplicável aos rendimentos de 2023: Faixa de rendimentos até 11.294€ tributados a 0% = 0€; Faixa de rendimentos de 11.295€ a 28.797€ tributados a 11%: ou seja, (28.797 - 11.294) x 11% = 1.925,33€ Faixa de rendimentos de 28.798€ a 32.000€ tributados a 30%: ou seja, (32.000 - 28.797) x 30% = 960,90€. Assim, a taxa marginal de imposto desta pessoa solteira é de 30%. No entanto, nem todos os seus rendimentos terão uma tributação a 30%. O resultado total obtido é igual a 0€ + 1.925,33 + 960,90 = 2.886,23€. Para saber o imposto que essa pessoa terá de pagar sobre os seus rendimentos, resta multiplicar este valor pelo número de quotas do quociente familiar do solteiro: 2.886,23€ x 1 = 2.886,23 €. Caso você queira, é possível fazer o cálculo da sua situação com a ajuda de uma ferramenta específica do governo da França. Dicas para pagar menos imposto e aumentar o reembolso É possível pagar menos em seu Imposto de Renda na França. Veja algumas dicas de como fazer isso: Aprenda a encontrar boas ofertas de investimento com tributação privilegiada; Compre um imóvel antigo para fazer trabalhos de renovação; Alimente um plano de poupança para aposentadoria (PER, em francês), principalmente se você tiver uma tributação alta durante seu período de emprego na França; Desconfie de dispositivos mirabolantes que prometem abater impostos. De maneira complementar, também é possível maximizar seu reembolso. Boas práticas para este fim são: Insira todas as suas informações corretamente. Isso garante o cálculo correto de suas deduções e restituições de impostos; Reivindique todos os créditos e deduções que se aplicam à sua situação. Isso pode demandar um trabalho a mais, mas é uma oportunidade de economizar; Atualize suas informações de dependentes, já que eles podem ajudar a reduzir sua responsabilidade fiscal; Inclua todos os valores transferidos (doações, mensalidades, perdas de capital e não-capital, por exemplo); Verifique suas declarações anteriores para saber o que você já solicitou. Despesas dedutíveis O valor do seu Imposto de Renda na França terá um ajuste dependendo da sua situação, a saber: Limitação do quociente familiar; Desconto para rendimentos modestos; Reduções e créditos fiscais; Contribuição sobre rendimentos elevados. Benefícios fiscais ao fazer o IRPP da França Os benefícios fiscais ao fazer seu Imposto de Renda na França estão no fato de que o Estado possui incentivos para a realização de certos investimentos ou serviços como, por exemplo, despesas com o cuidado de crianças; emprego de um assalariado em seu domicílio ou em reformas pessoais; investimentos em Pequenas e Médias Empresas, em imóveis locativos, etc. De acordo com a natureza de suas despesas, você terá direito a uma redução de imposto (réduction d’impôt), um crédito fiscal (crédit d’impôt) ou uma dedução fiscal (déduction fiscale). O Canal da Leda em Paris tem um vídeo bem explicativo sobre a importância de declarar seus impostos na França e sobre esses benefícios fiscais: De maneira geral, em uma redução de imposto, a Administração Fiscal deduz uma soma do montante de seu imposto. Por exemplo, você fez uma doação a uma associação que te dá direito a uma redução de 700€. Se o seu imposto é de 1.500€, você pagará apenas 800€. Um crédito fiscal, de maneira semelhante, é uma soma subtraída de seu imposto. Por exemplo, se você tem direito a um crédito fiscal de 700€ para despesas com cuidados infantis e deve pagar 500€ de imposto, os serviços fiscais vão te reembolsar 200€. Por fim, em uma dedução fiscal, a Administração Fiscal retira um valor de seu rendimento tributável. Para ilustrar, se você possui um rendimento de 10.000€ e uma dedução fiscal de 1.000€, a sua tributação será de apenas 9.000€. Cuidados ao fazer a declaração do imposto de renda Alguns cuidados são essenciais para fazer sua declaração do Imposto de Renda na França. Veja alguns deles: Fique atento às datas para não perder os prazos; Reúna, ao longo do ano, eventuais comprovantes e documentos que possam te ajudar no momento da declaração; Busque tirar suas dúvidas com antecedência; Informe-se acerca dos procedimentos para evitar a dupla tributação; Considere aproveitar todas as deduções e créditos fiscais disponíveis para o seu caso; Veja se você não se enquadra em nenhuma exceção. Por fim, lembre-se de que há possibilidade de solicitar o serviço de uma consultoria tributária para expatriados, como a Personal Tax. Isso pode te economizar tempo e poupar a preocupação de cometer algum erro — principalmente se for a sua primeira vez declarando Imposto de Renda na França.

França

Contrato de trabalho na França: como funciona e regras principais

Se você quer trabalhar na França provavelmente já se perguntou como funciona o contrato de trabalho e como é a vida de um trabalhador nesse país. Neste artigo vamos te ajudar a entender sobre as opções de contrato de trabalho na França para que você possa se planejar. Vamos te explicar desde a promessa de contratação, passando pelos tipos de contrato de trabalho mais conhecidos, até os direitos e deveres da empresa e do trabalhador. Também vamos falar sobre horas de trabalho, salário e benefícios de um assalariado. Como é o contrato de trabalho na França? O contrato de trabalho francês determina a relação de trabalho entre o empregador e o funcionário. Contém os dados do empregador - nome e endereço da empresa, número de registro na URSSAF (Union Recouvrement Sécurité Sociale Allocations Familiales - órgão que coleta a seguridade social) e nome de seu representante. Da parte do empregado, o contrato deve informar nome, matrícula na seguridade social e endereço. Ele é normalmente composto pelos seguintes artigos principais: Tipo de contrato; Data de início (e do fim, em casos de empregos temporários); função e atribuições do trabalhador; Remuneração; Horário de trabalho e jornada; Duração do período de experiência; Local de trabalho; Duração das férias e cálculo do período a que o empregado tem direito; Procedimento adequado para quebra de contrato (demissão); Condições de filiação a plano de aposentadoria e seguro saúde. Nem todos os tipos de contrato de trabalho precisam de um documento tão específico, mas o empregador precisa transmitir todas essas informações ao contratado na primeira semana de trabalho ou até um mês após a contratação. Então digamos que você encontrou uma vaga de emprego, passou pelo processo seletivo e foi escolhido. Se ainda está no Brasil ou comprometido com outro emprego do qual vai precisar se desligar antes de começar na nova função, provavelmente você vai receber da empresa uma promessa de contratação. Vamos ver o que é isso. Promessa de contratação Em algumas situações, empresas podem redigir a chamada promessa de contratação. Este documento, com valor de contrato de trabalho, permite que um profissional que pretende morar na França possa comprovar que tem um emprego prometido quando vai solicitar um visto de trabalho para o país. É uma forma de proteção. A promessa de contratação é útil quando o profissional muda de empresa e precisa de uma garantia de que o novo contratante não vai voltar atrás. Da mesma forma, o futuro contratado também se compromete a tomar posse do seu posto na data acordada com a empresa. Elementos essenciais do contrato No seu primeiro dia de trabalho, talvez antes disso ou até um ou dois dias após começar a trabalhar, você vai assinar seu contrato, juntamente com a empresa. Como explicado, o documento contém informações legais importantes para você, elas vão respaldar tanto a empresa quanto você e ser guias para as atribuições que você está prestes a ter. Lembre-se de conferir se as informações listadas acima estão presentes. No contrato também estarão as obrigações tanto do funcionário quanto da empresa. Da mesma forma, se existem particularidades relacionadas à função, elas podem ser mencionadas no contrato, como cláusulas de não concorrência, de confidencialidade, de mobilidade, etc. Carga horária contratual na França Em relação à carga horária de trabalho, ela é menor do que a brasileira. Para empregos de tempo integral, a jornada de trabalho na França é de 35 horas de trabalho semanal (1.067 horas por ano), totalizando sete horas de trabalho, cinco dias por semana. A jornada de trabalho geralmente começa às 9 e vai até as 17 horas, com uma pausa de no mínimo 20 minutos, mas que normalmente é de uma hora. Claro que esses horários podem variar dependendo do ramo de trabalho e do acordo feito entre as partes. Para um trabalho em tempo parcial, a carga horária pode variar bastante, sendo regra que ela seja menor que a jornada integral, com remuneração equivalente ao período trabalhado. Home office Devido à pandemia, as empresas francesas, assim como no resto do mundo, se tornaram mais flexíveis em relação ao formato de trabalho e não é raro encontrar vagas que permitem o trabalho remoto parcial e até mesmo integral. Mas é claro que isso precisa ser acertado entre trabalhador e funcionário e também vai depender do que o cargo exige. Tipos de contrato de trabalho na França A França tem um sistema trabalhista que permite bastante flexibilidade, garantindo ao mesmo tempo os direitos dos trabalhadores. Para explicar melhor, quando falamos de tipos de contrato de trabalho, muitas vezes essa diferenciação se dá pela duração do contrato. Os tipos de contrato de trabalho mais conhecidos na França são os chamados CDD e CDI. Confira como funcionam esses e outros contratos na França. CDI A sigla CDI significa Contrato de Duração Indeterminada, ou seja, é um trabalho com data de início, mas sem data de expiração. Ele vai durar até que uma das partes, ou ambas, decida rescindir o contrato. O CDI é o objetivo de muitas pessoas, assim como o trabalho de carteira assinada no Brasil, pela maior estabilidade, em comparação com empregos temporários ou informais. [caption id="attachment_170685" align="alignnone" width="750"] O contrato de duração indeterminada é cobiçado por muitos trabalhadores que desejam estabilidade profissional.[/caption] Ter um contrato CDI pode não ser sinônimo de fazer carreira, mas é a primeira etapa para isso. Isso porque você se torna um funcionário permanente da empresa, e pode progredir de cargo com o tempo, experiência e desempenho. CDD Diferente do CDI, o CDD, Contrato de Duração Determinada, não é de longo prazo, embora ele possa durar muitos meses. Normalmente ele é utilizado para contratação para eventos, para serviços pontuais, ou quando a empresa acha necessário. Também pode ser usado na cobertura de licença maternidade ou paternidade e de férias. O CDD pode ser renovado até duas vezes e ao fim das duas renovações, caso seja do interesse da empresa e do contratado, ele pode se tornar um CDI. Contrato de Aprendizagem Os contratos de aprendizagem e de profissionalização são modalidades de trabalho de França específicas para estudantes em alternance e que já estão na França. No sistema de estudo em alternance, o aluno intercala dias de trabalho e de estudo presencial na faculdade, portanto ele precisa de um horário de trabalho flexível. A duração do contrato de aprendizagem para quem estuda na França vai de seis meses a três anos, de acordo com o tipo de diploma. Esta modalidade visa estudantes de 16 a 25 anos. Contrato de Trabalho Intermitente Um caso particular de contratação, o contrato intermitente é voltado para trabalhos sazonais ou que não ocorrem durante o ano todo. Dessa forma, o empregado trabalha durante o período estipulado e fica em uma espécie de licença pelo resto do tempo. As condições específicas de trabalho devem ser estipuladas no contrato. Contrato de Trabalho Temporário Esta modalidade de contratação é específica para alguns casos previstos por lei. Basicamente, se aplica para a realização de algum tipo de trabalho, a empresa contratará uma agência de trabalhos temporários, que por sua vez contratará pessoas qualificadas para cumprir o que precisa ser feito. É uma contratação por demanda, e a cada uma delas, um novo contrato será assinado. Contrato de Profissionalização Neste caso, a duração do contrato é de seis meses a dois anos e ele é destinado a jovens de 16 a 25 anos. O pulo do gato aqui é que ele é acessível a pessoas acima dessa faixa etária, desde que elas estejam inscritas como “candidato a emprego” (demandeurs d’emploi) e, para isso, basta se inscrever no órgão de auxílio a trabalhadores, o France Travail (antigo Pôle Emploi). Este estatuto indica que a pessoa está à procura de trabalho, esteja ela desempregada ou em mudança de carreira. É o caso, para citar um, de quem muda de área de trabalho e precisa voltar aos estudos. Nesses modelos, há um acordo entre empresa e escola no qual a primeira se compromete a financiar os estudos do estudante, enquanto este deve cumprir uma carga horária de trabalho e estudo. Essa carga horária pode ser uma semana na escola e uma no trabalho, ou dois dias na escola e três dias no trabalho, por exemplo. [caption id="attachment_170681" align="alignnone" width="750"] Estudantes na França podem se beneficiar de contratos de trabalhos específicos para eles.[/caption] Outra vantagem dos contratos de profissionalização e de aprendizagem é que o estudante recebe um salário enquanto está estudando. O valor depende da idade e do grau de estudo. Além disso ele se insere no mercado de trabalho desde cedo. Isso facilita a criação de uma rede de contatos profissionais e cria familiaridade com a profissão escolhida antes mesmo do fim dos estudos. Algumas empresas podem contratar esses estudantes ao fim do período de aprendizagem, assinando contratos CDI. Para quem tem visto de estudante, a empresa contratante precisa solicitar uma permissão de trabalho, pois o número de horas trabalhadas é maior do que o permitido para estudantes (964 horas por ano). Qual o melhor tipo de contrato no país? O melhor tipo de trabalho vai depender do seu objetivo. Para um estudante, um contrato de aprendizagem pode ser uma boa escolha, caso ele queira acumular os estudos com a inserção no mercado de trabalho. Para quem quer estabilidade, um CDI é a melhor opção, sendo também o tipo de trabalho buscado por quem quer fazer carreira em uma empresa ou migrar de vez para a França. Se você vem de outro país e busca um emprego na França, tanto um CDD quanto um CDI podem ser boas opções, tudo depende de quanto tempo você pretende morar na França. Existe período de experiência no contrato de trabalho francês? Assim como no Brasil, a legislação trabalhista da França prevê um período de experiência dentro do qual o contrato de trabalho, seja ele qual for, pode ser rescindido sem maiores complicações por ambas as partes. Esse tempo, na França, é de três meses. Após esse período, o empregado pode se considerar efetivado. É após a experiência que fica um pouco mais fácil comprovar renda no famoso dossiê de aluguel na França que você vai precisar criar para conseguir seu cantinho para morar. Como funciona o aviso prévio? Caso o funcionário decida pedir demissão, ele pode cumprir aviso prévio ou não, tudo depende de acordo feito entre ele e a empresa. A demissão deve ser comunicada oralmente ou por escrito. Quanto ao tempo de aviso prévio, não existe unanimidade, mas as empresas costumam solicitar um mês, podendo ser mais caso o funcionário tenha anos de empresa. Tudo vai depender do grau de responsabilidade e dificuldade do cargo, se é preciso tempo para treinar alguém novo e se há alguém que possa cobrir imediatamente as atividades de quem vai partir. Principais direitos trabalhistas na França Quem trabalha na França tem direito a: Salário mínimo - 1.766,92 € sem descontos (em 2024); Pagamento de horas extras trabalhadas; Cinco semanas de férias remuneradas; 16 a 46 semanas de licença maternidade; 25 a 32 dias de licença paternidade; Auxílio doença; Auxílio-desemprego. Quais os deveres? O empregado deve agir de acordo com a ética e regras da empresa. Outros deveres importantes são: Respeitar as normas de segurança; Cumprir os horários de trabalho; cumprir suas obrigações contratuais segundo as instruções de seus superiores; Zelar pela segurança do ambiente de trabalho e dos colegas (usar equipamentos de segurança e seguir treinamentos); Não fazer concorrência desleal com o empregador; Ter atenção com o sigilo profissional. Como conseguir um contrato de trabalho na França Agora que você já sabe o que esperar de um emprego em solo francês, vamos te dar dicas de onde achar vagas de emprego que se encaixem no que você procura. Veja alguns dos sites de busca de emprego mais usados na França nos últimos tempos. LinkedIn Os franceses usam muito o LinkedIn, ele é um ótimo site para buscar vagas no mundo corporativo e se conectar com pessoas que podem te ajudar a chegar lá. Seguir pessoas e empresas da sua área é o mínimo e não esqueça de manter seu perfil atualizado. Sempre que possível, interaja e poste com frequência. As empresas costumam dar valor a isso. Um currículo em francês também é essencial. Welcome to the Jungle O site Welcome to the Jungle é uma plataforma de emprego mais despojada, é o lugar para procurar por vagas em Tech, Marketing, TI, Design. Possui tem também vagas de atendimento e serviços. Indeed O Indeed é um site mais geral, tem todo tipo de vaga e é preciso procurar bem para encontrar boas oportunidades. Porém, saiba que com um bom currículo, isso é possível. Hello Work Assim como o Welcome to the Jungle, o Hello Work também se tornou popular recentemente e engloba uma variedade de áreas de trabalho. Se você chegou até aqui, sua busca por uma vaga de trabalho na França já ficou mais fácil, e quando encontrar, você já sabe o que esperar do contrato de trabalho. Se você está se planejando para morar e trabalhar na França, conheça o ebook O sonho de viver na Europa. Nele, brasileiros que também decidiram mudar de continente compartilham suas histórias inspiradoras. Boa sorte na sua busca!

Brasileiro na França e usufruir da qualidade de vida do país.
França

Aposentado brasileiro pode morar na França? Entenda!

Depois de uma vida de muito trabalho, finalmente chegou o momento de desfrutar do sossego da aposentaria. E, nessa fase da vida, cada vez mais brasileiros estão optando por se aposentar no exterior visando mais qualidade de vida, segurança e novas experiências. A França também recebe bem aposentados de todas as partes do mundo! Por isso, preparamos um artigo com todas as informações para que você descubra se aposentado brasileiro pode morar na França. Aposentado brasileiro pode morar na França? Sim, um aposentado brasileiro pode morar na França. Para tal, será necessário dar entrada em um visto para aposentados na França (que, na prática, não leva esse nome, mas vamos por partes). O importante é que você saiba que é perfeitamente possível desfrutar da aposentadoria no país europeu após pendurar as chuteiras. Como morar na França como aposentado? Existem duas maneiras de um aposentado brasileiro morar na França. A maneira mais simples é quando o cidadão brasileiro possui também a cidadania francesa ou europeia. De posse de um passaporte europeu ou de algum documento de identificação emitido por qualquer estado-membro você pulará 99% das burocracias na hora de fazer as malas (ou o container!) para dar o pé do Brasil. No entanto, se este não for o seu caso, precisará de um visto para a França — mais especificamente um visa long séjour. Diferentemente de Portugal, que possui um visto específico para aposentadoria, para a França você precisará obter o visto de visiteur, que é uma categoria de visto válido por um ano, mas que pode ser renovado. Este é o mesmo visto que alguns estudantes solicitam para poder conseguir residir legalmente por até um ano no país, sem necessariamente ingressar em nenhuma das universidades da França. Em entrevista no YouTube, a advogada Juliana Jácome explica como morar na França após se aposentar no Brasil: Documentos para o visto de aposentados Antes mesmo de você abrir conta na França para converter a bolada mensal do INSS em preciosos euros, recomendo que você dê um passo para trás e comece pelo processo burocrático do visto — visa long séjour. A lista de documentos que veremos a seguir foi obtida na página oficial que trata da concessão do visto tipo visiteur, disponível no site do governo francês. Observe que a representação consular no Brasil pode mudar a lista de documentos quando bem entender, então consulte regularmente este artigo e o site oficial para encontrar atualizações e não ser pego de surpresa. Documentos para solicitar o visa visiteur Formulário de pedido de visto de longa duração preenchido no portal France-Visas; Passaporte emitido há menos de 10 anos, com validade de pelo menos 3 meses após a estadia prevista na França e com, no mínimo, 2 páginas em branco para vistos, junto com a cópia das 3 primeiras páginas; 2 fotografias recentes no formato 3,5 cm x 4,5 cm; Certidão de nascimento e/ou de casamento; Comprovante de residência no Brasil; Carta de motivação em francês justificando o motivo da permanência na França; Comprovantes da situação socioeconômica no país de residência: extrato oficial de aposentadoria serve para este caso, desde que emitido por órgão oficial; Declaração assinada de que não exercerá nenhuma atividade profissional na França; Certidão de antecedentes criminais, que pode ser emitida no site da Polícia Federal; Garantias financeiras regulares e suficientes à duração, como a última declaração de imposto de renda, extratos de contas bancárias ou pagamento da aposentadoria nos últimos três meses; Comprovante de estadia como reserva de hotel, contrato de locação de imóvel ou carta convite de um residente na França; Seguro viagem França para o período de permanência no país, cujas cotações podem ser realizadas no site Seguros Promo. Quanto custa o visto Visiteur? O visto tem custo de 99€ (você pagará em reais conforme a conversão do dia). Quanto tempo demora para sair o visto Visiteur? O visto em si não demora muito tempo para sair (os sites oficiais falam em média 15 dias), mas você precisa separar algumas semanas para organizar toda a documentação, traduzir os documentos originais e conseguir agendar um horário no consulado antes de viajar para a França. Atenção: nunca compre sua passagem aérea sem ter a confirmação do visto. Traduzir certidão de nascimento é um passo importante em todo e qualquer processo burocrático. Portanto, não deixe de aprofundar sobre o tema. E, para fazer as traduções juramentadas, indicamos a Yellowling, uma empresa de confiança que conta tradutores certificados e possui um ótimo custo-benefício, além de fazer todo o procedimento online - do orçamento até a entrega das traduções. Renda média para um aposentado brasileiro morar na França Legalmente, segundo o Consulado Geral da França, você precisa comprovar 615€ por mês de residência no país. Esse valor consta no documento de autofinanciamento e explicita que o aposentado brasileiro interessado em morar na França a longo prazo seja capaz de comprovar rendimentos da ordem dos 615€ por cada mês em solo francês. Como já adiantado, sabemos que o visto adequado para o aposentado brasileiro poder morar na França tem validade de 12 meses, podendo ser renovado anualmente. Deste modo, numa conta básica, calculamos ser necessário comprovar disponibilidade de pelo menos 7.380€ por ano (valores corretos na data desta publicação em abril de 2024). [caption id="attachment_168282" align="alignnone" width="750"] A conversão de reais para euros é a principal questão ao se mudar de país e requer muito planejamento.[/caption] Considerando a cotação do euro comercial em 26 de abril de 2024 (fixado em R$ 5,53), mais um acréscimo de 10% para fins de taxas, o valor mensal necessário para fazer frente aos 615€ exigidos pelo consulado seria de aproximadamente R$ 3.800. Contudo, vale ressaltar que com esse valor, o aposentado brasileiro pode morar na França. Mas passará aperto. Qual o valor adequado para um aposentado brasileiro morar na França? O aposentado brasileiro que quiser morar na França precisará dispor de pelo menos o dobro do valor legalmente exigido. Isso porque alugar apartamento no país, mesmo em pequenas cidades da França, custa caro. Os 615€ serão facilmente consumidos com o aluguel na França. Para se viver com algum conforto, o mínimo necessário deve ser igual ou superior ao salário mínimo na no país, que até abril de 2024 está fixado em 1.766,92€ por mês. Esse valor é adequado para alugar um imóvel em cidades perto de Paris e em cidades um pouco mais afastadas da capital. Como receber aposentadoria na França? Agora que você já se aposentou no Brasil e decidiu se mudar para a França, saiba que é possível receber mensalmente a sua aposentadoria por aqui. Você pode enviar os seus recursos por meio de plataformas online como a Wise, Remessa Online, Western Union, MoneyGram, entre outras. Essas são as formas mais baratas, mas você ainda pode enviar recursos utilizando bancos tradicionais ou mesmo a corretora onde você mantém as suas aplicações financeiras. Se quiser saber qual plataforma é a melhor, entre as favoritas dos brasileiros, veja o nosso comparativo entre Remessa Online ou Wise. Não descuide nunca da cotação do euro e monitore o valor da moeda com frequência para aumentar as chances de encontrar taxas mais baixas. Como funciona a aposentadoria na França? O tempo de contribuição na França é calculado por trimestres, e algumas condições mudaram com a reforma de 2023, o que significa que atualmente é necessário contribuir 167 trimestres para a geração nascida em 1957 e 172 trimestres para a geração nascida a partir de 1965 (ou seja, 43 anos trabalhados). A idade mínima da aposentadoria são 62 anos, no entanto, se optar por aposentar com essa idade o valor recebido será parcial. Para receber integralmente a aposentadoria, o contribuinte precisa ter 67 anos ou mais. O sistema de previdência na França A previdência na França funciona em um sistema denominado modelo de repartição. Ou seja, a contribuição que o trabalhador provém é o que financia o benefício do aposentado. As contribuições são compulsórias, sendo divididas entre empregador (60%) e empregados (40%). O valor pode variar conforme a faixa salarial. A pensão mínima é de 1.200€ por mês, sem os descontos, equivalendo à cerca de 85% do salário mínimo líquido na França. Reformas previdenciárias na França O francês é um povo que briga por direitos desde que o mundo é mundo. Por isso, a aposentadoria na França é tema de muitas discussões no país. As reformas previdenciárias que ocorreram na França a partir de 2010 tiveram como objetivo mitigar o enorme rombo da previdência no país. Com as reformas, foram instituídas mudanças na idade para aposentadoria (aumentando gradualmente de 62 para 64 anos). Com o aumento da idade para aposentadoria, aumentou-se por tabela o tempo de contribuição. E isso causou barulho. No entanto, essas são as regras para aposentadoria no país e é importante lidar com elas apenas se você ainda não se aposentou e somente se o seu plano for se aposentar no país (isto é, receber os seus recursos a partir da seguridade social francesa). Se você é aposentado brasileiro, as informações acima são válidas para fins de comparação e informação. Direitos e deveres Após a reforma previdenciária, vista acima, algumas regras foram alteradas antes de poder se aposentar no país. Deste modo, os deveres para atingir a aposentadoria no hexágono serão vistos abaixo. Direitos Os direitos daquele que se aposenta na França incluem: Possibilidade de solicitar a aposentadoria na França antes dos 62 anos em situações como: pensão por atividade profissional de natureza penosa ou desgastante, pensão por incapacidade permanente ou pensão por motivo de longa carreira contributiva; Pensão extensiva ao cônjuge em caso de falecimento; Benefícios complementares (conforme as faixas salariais) e casos particulares podem ser vistos no site Cleiss — Centro de Ligações Europeias e Internacionais de Segurança Social, em português. Deveres A vida de quem trabalha na França também tem uma porção de deveres. Alguns são: Contribuir por 172 trimestres ou 43 anos com o sistema de seguridade social; Ter pelo menos 62 anos, lembrando que ao se aposentar com essa idade o valor recebido será parcial; Para obter o valor integral é necessário contribuir até os 67 anos. Vantagens e desvantagens de se aposentar na França Aqui estão pontos de divergência e alguns de convergência. O que para mim são vantagens, para você que planeja viver como aposentado na França podem ser inconvenientes. Veja o que acha dos pontos elencados abaixo: Vantagens Algumas das maiores vantagens são: Qualidade de vida incomparável: embora o custo de vida na França seja caro, você se surpreenderá com tudo. Da qualidade do pão da padaria à segurança de se poder andar por aí à noite sem medo de ser feliz. Infelizmente, o Brasil peca em segurança (e o pãozinho francês “made in France” é outra coisa!); Transporte público eficiente: se você quiser ter um carro, tudo bem. Mas não será necessário! O transporte público na França é fantástico, sobretudo em regiões metropolitanas. Tudo bem, às vezes ele para, às vezes temos greves. Mas não tem comparação com o Brasil; O seu dinheiro vale mais: o que se compra com mil “dinheiros” na França não se compra com mil “dinheiros” do Brasil. O poder de compra do euro permite que você obtenha mais por menos, possa viajar, comer bem, fazer compras e ainda poupar; Reconhecimento àqueles que trabalharam em situações adversas: trabalhadores que exerceram funções associadas à insalubridade ao longo da vida conseguem se aposentar mais cedo em função dos riscos aos quais foram expostos. Desvantagens As principais desvantagens podem ser: Se a pessoa tem 62 anos e mais de 40 anos trabalhados, mesmo assim ela vai sofrer importantes descontos. O valor que ela receberá fica em torno de 60% do seu salário enquanto trabalhava; O salário do aposentado francês pode não ser suficiente para manter a qualidade de vida de quando se estava na ativa; ajustes podem ser necessários para encaixar a nova vida no novo salário; As mulheres recebem aproximadamente 40% menos que os homens pelos motivos já conhecidos: salários menores, carreiras interrompidas devido a filhos ou de discriminação no mercado de trabalho. Brasil e França tem acordo para aposentadoria? Assim como outros países europeus, a França também possui um acordo previdenciário com o Brasil. Isto significa que um brasileiro que vive na França, ou um francês que reside no Brasil, pode solicitar a contabilização do tempo de contribuição em ambos os países e assim ter direitos à aposentadoria por idade, por invalidez e pensão por morte. Em outras palavras, você pagará a sua previdência em apenas um dos países. [caption id="attachment_168283" align="alignnone" width="750"] O Acordo de Previdência Social Brasil-França está em vigor desde 2014.[/caption] Se você está no Brasil, e aspira solicitar a sua aposentadoria na França, acesse o site da Previdência e preencha o formulário que se enquadra na sua situação. Vale lembrar que o sistema de transferência não é automático, como acontece em Portugal, o que significa que você precisará fazer a transferência do dinheiro todos os meses para a sua conta. Você pode utilizar plataformas online já mencionadas acima, como a Wise ou a Remessa Online. Aposentado brasileiro tem benefícios fiscais ao se mudar para a França? Não, o acordo previdenciário que o Brasil tem com a França não pressupõe benefícios fiscais adicionais. O que ocorre é que o aposentado brasileiro pode por morar na França e optar por não ser bitributado, ou seja: pagará imposto apenas uma vez. Os impostos no país são salgados, mas, de modo geral, os recursos obtidos pelo Estado são revertidos em inúmeros benefícios, em especial aqueles associados aos sistemas de educação e de saúde na França. Como pedir aposentadoria na França? Brasileiros que desejam se aposentar na França podem fazê-lo de algumas formas. A mais simples, na verdade, consiste em obter a sua aposentadoria no Brasil e então se mudar para a França e viver por lá, convertendo a receita de reais para euros. No entanto, existe a possibilidade de se trabalhar por um determinado período no Brasil e outro na França, somando os tempos para então solicitar a aposentadoria em solo estrangeiro. Os brasileiros que desejam se aposentar na França têm, portanto, as seguintes opções: Mudar-se para a França na condição de aposentado pelo INSS e converter a sua aposentadoria para euros por meio de ferramentas como Wise e Remessa Online; Mudar-se para a França, tendo contribuído com o sistema previdenciário no Brasil, e com a intenção de contribuir por outro determinado período na França. Será necessário aplicar para um visto específico que dá direito a trabalhar no país (o visa visiteur que é o fio condutor deste artigo não se aplica a esse caso!). O brasileiro que reside na França há décadas e nunca contribuiu com o sistema previdenciário brasileiro está sujeito às regras do sistema previdenciário francês. Melhores cidades para aposentado brasileiro viver na França Morar em Paris pode ser incrível, mas a cidade é cara, agitada e estressante para idosos, o que faz com que muitos aposentados brasileiros acabem escolhendo morar em cidades menores e mais baratas. Veja abaixo algumas boas cidades para se morar, que não são tão pequenas e não tão caras e agitadas quanto a cidade luz e os respectivos preços médios para alugar um apartamento no centro da cidade. 1. Lyon Com pouco mais de 500 mil habitantes, Lyon está situada na histórica região Rhône-Alpes e é a terceira maior cidade do país. Morar em Lyon é ter toda a qualidade de vida da França sem o estresse típico de uma capital. [caption id="attachment_168285" align="alignnone" width="750"] Lyon é uma das melhores cidades do país e possui ótima qualidade de vida.[/caption] Segundo estimativas do Seloger, um apartamento em Lyon custa em média: Apartamento com mobília: 979€; Apartamento sem mobília: 843€. 2. Marselha É uma das cidades mais antigas da França, fundada por volta de 600 a.C. por marinheiros gregos. Desde então, Marselha tem sido uma importante cidade de passagem e de comércio. O seu porto é o principal da França e dá vida à cidade. [caption id="attachment_168286" align="alignnone" width="750"] Marselha é um destino maravilhoso para curtir esse período da vida.[/caption] Conforme o site Seloger, um dos meus preferidos, um apartamento em Marselha custa em média: Apartamento com mobília: 801€; Apartamento sem mobília: 734€. 3. Bordeaux Bordeaux é uma cidade incrível, mas é preciso ter um bom orçamento para viver por lá, pois figura entre as cidades mais caras da França. Os vinhos de Bordeaux, porém, fazem tudo valer a pena! [caption id="attachment_168288" align="alignnone" width="750"] Bons vinhos, qualidade de vida excepcional aguardam aqueles que decidem morar em Bordeaux. Foto: Nathane Costa[/caption] De acordo com estimativas do Seloger, é possível encontrar um apartamento para morar em Bordeaux pelo seguinte preço médio: Apartamento com mobília: 830€; Apartamento sem mobília: 747€. Vale a pena morar na França como aposentado? Sim, vale a pena morar na França como aposentado. A sensação de segurança, a qualidade de vida, o transporte público que funciona tão bem a ponto de você pode abolir o carro da sua rotina, a boa comida, etc. Tudo é convidativo, a França é um país esplêndido! Mas o Brasil dá saudade, não se esqueça! De todo modo, vencidas as etapas de obtenção do visto visiteur, resta apenas fazer um excelente planejamento financeiro, de modo que a sua aposentadoria, quando convertida para euros e após todas as taxas, permita que você tenha uma vida com qualidade igual ou superior a que você teria no Brasil. Quer conhecer histórias de brasileiros que resolveram deixar o Brasil? Confira o ebook “O sonho de viver na Europa”. Ele reúne a experiência e vivência de vários compatriotas sobre as oportunidades e dificuldades diante da mudança. Vale a pena para se inspirar e refletir! Agora que você já sabe que aposentado brasileiro pode morar na França, seja feliz! Entenda a importância do Exequatur para brasileiros que moram em outro país.

Conheça nossas Trilhas

Morar na Europa oferece uma qualidade de vida excepcional, com sistemas de saúde eficientes, educação de alta qualidade e uma rica diversidade cultural.

Notícias recentes

Prédio público francês com bandeira nacional no telhado
França Notícias

Eleições na França: entenda a reviravolta do segundo turno que deu vitória à esquerda

Nos dias 30 de junho e 7 de julho, os franceses foram às urnas para eleger novos membros da Assembleia Nacional. Com isso, conhecemos o resultado das eleições na França e adiantamos que, na contracorrente da Europa, a esquerda saiu vitoriosa. Para rememorar, a votação às pressas veio após decisão de Emmanuel Macron em dissolver o Parlamento francês no dia 9 de junho de 2024 - decisão tomada após revés sofrido pelo seu partido, Renascimento (Renaissance), no Parlamento Europeu. A extrema-direita, representada pelo Reagrupamento Nacional (Rassemblement National) de Marine Le Pen, então favorita a dominar os assentos da Assembleia, não formou maioria após uma movimentação estratégica coordenada pela Nova Frente Popular. Conheça o desfecho das eleições. Reviravolta no cenário eleitoral Os analistas políticos europeus davam como certo: a França se uniria ao crescente número de países europeus governados por coalizões de extrema-direita cujos representantes mais proeminentes são a Itália de Giorgia Meloni e a Hungria de Viktor Orbán. Não foi o que aconteceu e a esquerda embolsou o maior número de assentos entre os três principais blocos. Dos três grupos mais significativos, nenhum bloco (nem de esquerda, nem de centro, tampouco de direita) conseguiu formar maioria absoluta, que na Assembleia é de 289 das 577 cadeiras. A Euronews fala em "vencedores e vencidos". Com cada um dos lados com uma fatia do bolo, a margem de manobra da sigla Nova Frente Popular (Nouveau Front Populaire) é substancial, mas seu poder de barganha não está garantido. Em um movimento tático e bem-sucedido, a aliança coordenada pelo partido NFP convenceu candidatos de esquerda e centro que haviam recebido menos votos a desistirem de suas candidaturas. Essa estratégia permitiu que os então candidatos fizessem campanha para outros políticos mais bem posicionados, com ideais semelhantes, atraindo votos válidos para concorrentes com chances reais de vitória. A manobra surtiu efeito e conseguiu frear o crescimento da extrema-direita no primeiro turno. A composição ficou, em linhas gerais, dessa forma: Partido/Coalizão Número de assentos União de esquerda 178 Juntos (alinhada ao governo de Emmanuel Macron) 150 Reagrupamento Nacional (direita) 125 O que aconteceu no primeiro e na segundo turno? Foi uma eleição eletrizante em dois turnos (chamados de voltas): dias 30 de junho e 7 de julho. No primeiro turno, dados compilados pelo Le Monde baseados em informações do Ministério do Interior, a direita dominava as votações com 33,1% dos votos, seguido pela Nova Frente Popular (28%) e pela base macronista (20%). A participação dos eleitores foi de 66,7%. No segundo turno, a dança das cadeiras colocou a esquerda à frente do Reagrupamento Nacional e do Juntos (Ensemble), e neutralizou todas as chances de Jordan Bardella assumir como primeiro-ministro. A aposta de Macron não saiu como esperada, mas não foi uma catástrofe para seu governo. A participação dos eleitores no segundo turno foi de 59,71% conforme o Ministério do Interior. O que pode acontecer com o governo francês? Após as eleições legislativas, o processo consiste no que analistas chamam de formação do governo. Isso inclui a eleição do Presidente da Assembleia e a nomeação de um novo primeiro-ministro. Em resumo: quem foi eleito conseguirá governar. O primeiro-ministro Gabriel Attal apresentou sua demissão e Emmanuel Macron na última segunda-feira, 8, liberando as dependências no Hotel Matignon, em Paris. Macron, porém, solicitou que o político permanecesse no cargo a fim de garantir a estabilidade do país nesse período de transição, reportou a Franceinfo. A renúncia de Attal jogaria mais uma batata quente nas mãos de Macron às vésperas dos Jogos Olímpicos de Paris que começam em 26 de julho. Attal permanece em sua residência oficial com a mala meio cheia-meio vazia enquanto o cenário se desenha. Ele segue, portanto, sendo a segunda pessoa mais poderosa da França depois de Macron. Situação dos imigrantes com o resultado É difícil afirmar em que grau os imigrantes serão afetados, mas é seguro dizer que com a extrema-direita sem maioria no governo, pontos polêmicos defendidos pelos nacionalistas caem por terra. As medidas anti-imigração defendidas por Marine Le Pen e propagadas por Jordan Bardella incluíam, caso este fosse alçado ao cargo de primeiro-ministro: Fim do direito a filhos de imigrantes nascidos no país à nacionalidade francesa aos 18 anos; Deportação facilitada de estrangeiros; Fim da regularização de imigrantes sem documentos; Restrição do Auxílio médico estatal (AME). Todas essas mudanças agora estão em suspensão, dado que o Reagrupamento Nacional não formou maioria na assembleia. No entanto, é preciso lembrar que uma lei de imigração foi aprovada no fim de 2023 e que, apesar de dura, é muito mais "branda" do que a proposta (agora enterrada) do RN. Participação da juventude nas eleições A juventude francesa teve papel determinante no resultado das eleições legislativas de 2024 com forte mobilização e inclinação à esquerda. Pesquisa coordenada pela Harris Interactive for Challenges para o primeiro turno e divulgada pelo l'Opinion indica que 41% dos jovens de 18 a 24 anos registraram votos para a Nova Frente Popular (esquerda); 23% para o Reagrupamento Nacional (extrema-direita) e 13% escolheram o campo macronista. Para ir mais fundo, pesquisa liderada pelo Ipsos e encomendada pelo Le Monde revelou que 49% dos jovens entre os 18 e os 24 anos não tinham intenção de ir às urnas no primeiro turno. Apesar do número alarmante, recolhida junto a quase 12 mil eleitores dessa faixa etária, as intenções de voto corroboram os dados da pesquisa Harris: Do total de entrevistados, 45% afirmaram depositar suas cédulas para candidatos da Nova Frente Popular; 31% para candidatos do partido Reagrupamento Nacional; 10% declararam votar em candidatos de base macronista. O que os números mostram é que a direita não está fadada ao fracasso e que a juventude pode vir a eleger políticos nacionalistas num futuro próximo. Representantes da esquerda têm uma oportunidade para se rejuvenescer, reformular o diálogo e se aproximar da geração mais jovem. Um movimento errado e o próximo pleito pode ser embolsado por figuras do outro extremo. Participação geral foi significativa O termômetro de interesse da população pela eleição é medido pelo Ministério do Interior em horários distintos, em especial a participação até as 17 horas. A taxa de participação global (de todas as faixas etárias aptas a votar) às 17h do segundo turno (7 de julho de 2024) foi de 59,71%, salto de 21,60% em relação ao pleito de 2022, quando o Ministério do Interior computou participação de 38,11%. Finalmente, a taxa de participação no segundo turno encerrado domingo (7) às 20h foi de 67,10% face a 66,7% no primeiro turno (30 de junho), conforme o Libération. Macron ainda não se manifestou A única movimentação pública do presidente em relação ao resultado das eleições foi a respeito da renúncia de Gabriel Attal; Macron solicitou que seu primeiro-ministro permanecesse no cargo até que as negociações avancem. Reservadamente, Macron espera formar uma coalizão com a Nova Frente Popular para ter alguma paz no seu mandato. Isso passa necessariamente pela nomeação de um primeiro-ministro alinhado às expectativas do presidente. Um primeiro-ministro indicado pela esquerda seria ruim para Macron, mas muito menos desastroso para seu governo do que o cenário que se desenhava até o primeiro turno, quando Jordan Bardella já estava quase certo de que sua nova casa seria no Hotel Matignon. [caption id="attachment_174237" align="alignnone" width="750"] Até o momento, única declaração foi para que Attal permanecesse como primeiro-ministro. Foto: Gonzalo Fuentes[/caption] Nos próximos dias, declarações serão feitas apenas quando as partes se falarem entre si - o que já está acontecendo nos bastidores. Enquanto Macron tenta imprimir seu estilo, Jean-Luc Mélenchon, da esquerda, bate o pé para que Attal abandone o cargo e para que o presidente convoque a Nova Frente Popular para governar, informa o La Dépêche. A Inglaterra também está passando por novas eleições, confira como está a situação no país.

Lançadas bolsas de mestrado e doutorado na frança
França Notícias

Publicados editais de bolsas de mestrado e doutorado para estudar na França

A embaixada francesa no Brasil, por meio da Campus France, lançou três editais de bolsas de mestrado e doutorado na França destinadas exclusivamente a alunos matriculados em universidades brasileiras ou francesas. Há oportunidades de bolsas de estudo para indígenas (bolsa Guatá), para estudantes com pesquisas nas áreas de Ecologia, Ciências Ambientais, Ciências da Natureza e Saúde (bolsa TerrEE) e para estudantes de mestrado que tenham sido admitidos em universidades francesas com início das atividades previstas para 2024/2025 (bolsas de excelência M2). Bolsas são exclusivas para brasileiros A Campus France publicou três editais de bolsas de estudo na França capazes de despertar o interesse de estudantes brasileiros que buscam ampliar seus horizontes acadêmicos. Com oportunidades diversificadas e democráticas, a França se destaca como um destino privilegiado para aqueles que almejam uma formação de excelência em um ambiente multicultural e inovador. Os editais recém-publicados abrem portas para doutorandos indígenas, doutorandos em Ciências da Natureza e da Saúde, e mestrandos de todas as áreas do conhecimento. As bolsas do governo francês direcionadas a estudantes brasileiros, reforçando os laços acadêmicos e a troca de conhecimento entre as nações. Para os brasileiros, a possibilidade de passar uma temporada imerso em uma universidade francesa pode abrir portas para uma carreira global. Conheça detalhes das opções de bolsas disponíveis e saiba como se candidatar. Bolsa Guatá: opção para estudantes indígenas Por intermédio da Campus France, o governo francês promove a bolsa Guatá. Essa modalidade é voltada exclusivamente a doutorandos indígenas matriculados em uma das onze universidades parceiras: Unicamp; UnB; UFSCar; UEA; UFGD; UFSC; UFPE; UFRR; UFF; UFMG; USP. Conforme o edital, é necessário que os candidatos estejam cursando o primeiro, segundo ou terceiro ano de doutorado em uma das universidades parceiras. Outros pré-requisitos incluem a comprovação da identidade indígena, projeto de pesquisa, currículo Lattes e carta de motivação. Confira os requisitos completos na última versão do edital. Os candidatos poderão escolher qualquer universidade francesa para cursar o período de estudos na França, mas a Campus France observa que, exclusivamente para a área de humanidades, a Universidade Paris 8 Vincennes-Saint-Denis é parceira privilegiada do programa. Como se candidatar para a bolsa Guatá A candidatura para a bolsa Guatá é feita exclusivamente online por meio deste formulário. A data limite para inscrição é 31 de março de 2024 às 23h59. Para realizar a inscrição os candidatos deverão obrigatoriamente apresentar: Currículo Lattes (1 a 3 páginas); Projeto de pesquisa da tese de doutorado em português (máximo de 5 páginas); Carta de motivação em português com no máximo 2 páginas (modelo disponível no anexo 1 do edital); Cópia de um documento de identidade; Certificado de matrícula no ano corrente em uma das onze universidades brasileiras parceiras; Um documento que comprova a identidade indígena: documento entregue à universidade para comprovar a identidade indígena, ou RANI, ou a autodeclaração de pertencimento étnico, assinada por duas lideranças indígenas (anexo 2 do edital); Indicação do programa de doutorado francês que o aluno deseja ingressar. Em caso de aprovação na primeira fase, os candidatos deverão apresentar, até 15 de maio de 2024, o comprovante de admissão numa universidade francesa e declaração do orientador/co-orientador ratificando que o candidato possui nível de idioma adequado para seguir um curso de doutorado em francês. Valor da bolsa Guatá e duração do benefício O valor da bolsa de doutorado Guatá é fixado em 1.704€ por bolsista e o benefício tem duração mínima de 6 meses e máxima de 11 meses com início previsto para setembro de 2024. Importante anotar que a bolsa não é renovável e o bolsista deverá retornar ao Brasil no término do benefício. Publicação do resultado Os bolsistas selecionados serão comunicados em 17 de maio. É importante ficar atento ao e-mail e às informações publicadas no site da Campus France. Critérios de seleção Segundo a Campus France, os dossiês serão avaliados por uma comissão de seleção constituída pelo Serviço de Cooperação e Ação Cultural da Embaixada da França no Brasil. Os critérios de seleção serão os seguintes: Motivação e o compromisso com o projeto de mobilidade; Qualidade da candidatura; Coerência do curso escolhido com os objetivos pessoais e profissionais do candidato. Bolsa TeRREE: pesquisa em Ciências Ambientais, da Natureza e Saúde Uma segunda opção de bolsa de doutorado na França, também mediada pela Campus France, é a modalidade TeRREE. Esta opção é dedicada aos estudantes de doutorado com pesquisas nas áreas de Ecologia, Ciências Ambientais, Ciências da Natureza e Saúde com idade igual ou inferior a 40 anos. [caption id="attachment_162671" align="alignnone" width="750"] Bolsa TeRREE de doutorado oferece oportunidades para pesquisadores em áreas específicas.[/caption] A temática desta bolsa está alinhada aos compromissos da França com a preservação da biodiversidade e a mitigação das emissões de gases de efeito estufa, de um lado, e das consequências que essas ações acarretam à saúde humana e animal, de outro. Eis a razão de a bolsa ser dedicada exclusivamente a pesquisadores atuando nos campos das Ciências da Natureza e da Saúde. Conforme o edital da bolsa TeRREE, há apenas uma oportunidade disponível. Os aplicantes para essa modalidade devem submeter, entre outros documentos, um projeto de pesquisa, a cópia do currículo Lattes e uma carta de motivação. Veja outros detalhes abaixo. Os candidatos poderão escolher qualquer universidade para cursar uma parte do doutorado na França. Como se candidatar para a bolsa TeRREE A candidatura para a bolsa TeRREE será realizada exclusivamente online por meio deste formulário. A data limite para inscrição é 31 de março de 2024 às 23h59. Para realizar a inscrição os candidatos deverão obrigatoriamente apresentar: Currículo do doutorando (2 a 3 páginas; bibliografia limitada aos artigos mais importantes) e/ou recentes) em francês, inglês ou português; Projeto de pesquisa da tese de doutorado em português ou francês (máximo 5 páginas); Carta de motivação (até 2 páginas no máximo); Cópia de um documento de identidade; Certificado de matrícula em uma universidade brasileira; Certificado de pré-inscrição / carta convite da instituição de acolhimento na França indicando as datas previstas da mobilidade. Em caso de aprovação, o candidato(a) deverá confirmar seu aceite dentro de sete dias. Valor da bolsa TeRREE e duração do benefício O valor da bolsa de doutorado TeRREE é fixado em 1.690€ para bolsistas em cotutela, e de 1.704€ para bolsistas sem cotutela de tese. A bolsa tem duração entre 3 e 12 meses com início previsto a partir de setembro de 2024. Tal qual a oportunidade dedicada ao público indígena, esta bolsa não é renovável e o aprovado deverá retornar ao Brasil no fim do período. Publicação do resultado O bolsista selecionado(a) será comunicado em 17 de abril e terá de manifestar seu aceite dentro de até sete dias. O contemplado deverá, após a aprovação, entrar em contato com a universidade anfitriã francesa e elaborar a Convention d'Accueil. Caso o aprovado seja doutorando em cotutela, será necessário solicitar à universidade anfitriã a assinatura de um Contrat de séjour de recherche. Critérios de seleção Os candidatos serão avaliados por um comitê destacado pela Embaixada da França no Brasil. Os critérios de seleção atribuem peso significativo às relações entre clima e saúde humana e animal: Qualidade do projeto de pesquisa do doutorando; Relevância com relação aos desafios da crise climática, da perda da biodiversidade e de saúde pública; Integração numa equipe de pesquisa francesa. Bolsas M2 (Master 2): a mais abrangente O terceiro edital publicado pelo governo francês e intermediado pela Campus France visa patrocinar as pesquisas de estudantes brasileiros que tenham sido admitidos no M2 (Master 2) em uma universidade francesa. Essa oportunidade contempla candidatos de qualquer área do conhecimento. A bolsa de pós-graduação M2 tem como principal pré-requisito a exigência de o estudante já ter sido admitido no segundo ciclo do Master (mestrado) em uma universidade francesa. Essa oportunidade pode ser útil àqueles que possuem uma bolsa de estudos de alguma agência financiadora brasileira (CNPq, CAPES ou outras fundações de amparo à pesquisa) e que desejam acumular dois benefícios. Neste caso, é preciso verificar se a agência pagadora do benefício no Brasil permite o acúmulo de bolsas. [caption id="attachment_162673" align="alignnone" width="750"] Essa oportunidade do Campus France é uma excelente maneira de aprofundar suas pesquisas no mestrado.[/caption] O edital da bolsa M2 não especifica a quantidade de bolsas disponíveis, mas utiliza linguagem plural. Os aplicantes a essa modalidade precisam obrigatoriamente comprovar recursos próprios ou de outras fontes de financiamento no valor equivalente a 390€ por mês de vigência da bolsa. Os candidatos poderão escolher qualquer universidade para cursar uma parte do mestrado na França. Veja outros detalhes abaixo. Como se candidatar para a bolsa excelência M2 A candidatura para a bolsa excelência M2 será realizada exclusivamente online por meio deste formulário. A data limite para inscrição é 31 de maio de 2024 às 23h59. Para realizar a inscrição os candidatos devem ter até 35 anos e deverão apresentar: RG ou passaporte; Currículo em francês com no máximo 2 páginas; Carta de motivação em francês de, no máximo, 1 página (ressaltando a importância do curso para suas projeções profissionais e acadêmicas); Histórico oficial de notas do ensino superior (graduação e, se houver, eventuais cursos de pós-graduação). Não é necessário providenciar a tradução juramentada do documento; Diploma do ensino superior (graduação e, se houver, eventuais pós-graduações). Não é necessário providenciar a tradução juramentada do documento; Carta de aceite ou comprovante de aceitação no segundo ano de Master (M2) na França para o ano acadêmico 2024-2025. Apenas o documento oficial da universidade será aceito e as formações en alternance ou par apprentissage não são consideradas; Diploma de proficiência da língua da formação seguida na França (DELF, DALF ou TCF para língua francesa e equivalentes para língua inglesa); Provas do cofinanciamento, no valor mínimo de 390€ por 10 meses (3.900€, ou equivalente em moeda local): A Campus France recomenda comprovação a partir de holerite/contracheque, declaração do imposto de renda, DECORE, extrato de investimentos ou aplicações, última remuneração, extrato bancário, conta-corrente ou extrato de poupança, ou fornecidos por uma instituição brasileira, ou francesa, pública ou particular (exemplo: carta de concessão de bolsa de estudos). Valor da bolsa M2 e duração do benefício O valor da bolsa de mestrado M2 é fixado em 470€. O edital especifica que a bolsa terá duração máxima de 10 meses com início previsto a partir de setembro de 2024. Os candidatos contemplados nessa chamada deverão garantir financiamento adicional, no valor mínimo de 390€ por mês (ou equivalente em reais) durante a vigência da bolsa paga pela Embaixada Francesa. Os recursos poderão ser comprovados a partir de financiamento pessoal ou de uma instituição brasileira, ou francesa (desde que não seja outra bolsa do governo francês). O auxílio não é renovável e esta bolsa não custeia passagens aéreas para França. Para encontrar e avaliar as opções, recomendamos o uso de comparadores como Vai de Promo e Skyscanner. Publicação do resultado O resultado será publicado em 12 de junho de 2024 e os aprovados terão até 16 de junho para completar e enviar os demais documentos pedidos nas instruções de seleção (enviado por e-mail apenas aos aprovados). Critérios de seleção Os candidatos também serão avaliados por um comitê destacado pela Embaixada da França no Brasil. Por se tratar de uma bolsa de mestrado, as exigências são menores do que o que é cobrado dos aplicantes às oportunidades de doutorado. Excelência acadêmica do candidato; Consistência do curso escolhido com os objetivos profissionais do candidato. Benefícios comuns às bolsas de doutorado Bolsistas aprovados para receber bolsas de doutorado na França desfrutam de facilidades adicionais, além de isenções para procedimentos consulares. As principais vantagens para os bolsistas de doutorado incluem: Procedimento pré-consular gratuito “Estudos na França” para os pesquisadores matriculados em cotutela que se inscreveram para o procedimento pré-consular via Campus France Brasil; Visto de estudante para a França gratuito; Taxas de inscrição gratuitas para o doutorado em uma instituição pública francesa de ensino superior (confira o edital correspondente à sua candidatura); Cobertura da previdência social na França desde a chegada ao país e durante os primeiros três meses; Auxílio na busca por alojamento em residências universitárias administradas pelo CROUS em toda a França, em que ajuda nos custos de aluguel na França; Passagem aérea ida e volta Brasil/França; O valor mensal da bolsa em si, de acordo com os valores apresentados no artigo; Atividades culturais, como exposições e concertos, a preços preferenciais; Apoio administrativo e pedagógico ao bolsista; Possibilidade de se afiliar à rede France Alumni. Ainda que as bolsas exijam o retorno ao Brasil e não sejam renováveis, a experiência em grandes universidades francesas pode facilitar o caminho para futuras colaborações entre os estudantes brasileiros e pesquisadores franceses. Em grandes linhas, as conexões com professores e profissionais de fora são os verdadeiros benefícios desses e de outros editais.

Prédio público na cidade de Paris, França
França Notícias

Aprovada polêmica Lei de Imigração na França: entenda o que muda

Foram 18 meses de reviravoltas até que em 19 de dezembro de 2023 o Parlamento aprovou a lei de imigração na França por 349 votos a favor e 186 contra. Considerada por especialistas como uma lei com “aderência a extrema-direita”, o documento será debatido pelo Conselho Constitucional em 25 de janeiro de 2024 com o objetivo de julgar se os pontos são ou não conflitantes com a constituição francesa. Parlamento aprovou lei mais rígida de imigração A lei de imigração na França aprovada pelo senado endurece os requisitos para admitir estrangeiros no país e dificulta a vida daqueles que já moram na França, seja de maneira legal ou não. O texto da nova lei é um desafio para imigrantes e para o próprio governo, que terá de lidar com manifestações e já começa a amargar importante desaprovação em função das políticas de integração tidas como duvidosas. Sociedade civil e personalidades fizeram manifestações no dia 21 de janeiro. Mudanças na lei impactam diretamente os imigrantes Considerada por especialistas como uma vitória do partido Reunião Nacional (Rassemblement National), do qual faz parte a direitista Marine Le Pen, o projeto de lei original foi endurecido de modo a frear a imigração na França, visando o que pode ser considerado um “projeto nacionalista”. A nova lei imigração institui, entre outras, mudanças em medidas para regularização de trabalhadores sem documentos em certas profissões, acesso a benefícios sociais e familiares e até mesmo uma “caução” para que alunos possam realizar seus estudos na França. Confira os principais aspectos que já sabemos sobre a lei imigração. Impacto no reagrupamento familiar Os requerentes que moram no país e que almejam o reagrupamento familiar na França, terão de cumprir novas exigências que ampliam o prazo para dar entrada no pedido. Destacam-se: Vivência mínima na França de 24 meses, ante 18 meses atuais; Receber recursos financeiros estáveis, ​​regulares e suficientes; Ter seguro saúde na França (assurance maladie). É exigida, ainda, que o cônjuge tenha pelo menos 21 anos, uma diferença considerável em comparação com os 18 anos exigidos atualmente. Acesso a prestações e auxílios sociais serão mais difíceis Até antes da aprovação da lei, estrangeiros em situação legal poderiam solicitar a CAF (caisse d'allocations familiales) assim que chegassem ao país. Essa ajuda oferecida pelo governo permitia que estrangeiros pudessem receber auxílios em euros para fazer frente às despesas de aluguel na França. A partir da promulgação da lei imigração, estrangeiros poderão continuar solicitando o auxílio, mas com períodos de carência que vão de 3 meses a 5 anos. Os casos são os seguintes: Estrangeiros em situação legal que estejam empregados: poderão solicitar o auxílio APL (aides personnelles au logement — assistências personalizadas para habitação, em tradução livre) com carência de 3 meses. Será necessário chegar ao país, encontrar um imóvel para alugar, arrumar um emprego e aguardar esse prazo para fazer a demanda junto a CAF; Estrangeiros em situação legal que estejam desempregados: poderão solicitar o auxílio APL somente após 5 anos de residência no país. O prazo é visto com reserva por especialistas, e o artigo que versa sobre benefícios sociais atribuídos a estrangeiros não será examinado imediatamente, conforme fontes consultadas pelo Le Parisien. A versão original do texto instituía a carência de 5 anos sem distinções e foi suavizada em encontro a portas fechadas. Estudantes estrangeiros serão impactados com pagamentos ao Estado O novo texto da lei de imigração francesa prevê que estrangeiros que desejam estudar na França deverão efetuar o pagamento de “caução” ao Estado para serem elegíveis a carte de séjour. [caption id="attachment_160606" align="alignnone" width="750"] Estudantes estrangeiros poderão ter de pagar caução cujo valor permanece desconhecido.[/caption] Este depósito será devolvido aos estudantes ao término dos estudos, quando saírem da França ou caso encontrem um emprego no país. O portal l'Etudiant, citando o texto, destaca que determinados casos poderão levar à dispensa do depósito, incluindo fatores como estudantes de baixa renda ou com comprovada excelência acadêmica. Em aberto está o valor do depósito, quantia que será especificada por decreto. Um dia depois da aprovação da lei, a primeira-ministra francesa, Elisabeth Borne, chegou a estipular que a caução pode variar entre 10€ e 20€. Restrições no acesso à saúde pública Um dos pontos mais controversos da nova lei de imigração francesa prevê dificultar o acesso a cuidados médicos aos requerentes de asilo, bem como endurecer a concessão de autorizações de residência (titre de séjour) para portadores de doenças graves. Relatos consolidados pelo Le Figaro destacam que essa medida está em descompasso com o sistema de saúde humanista e público francês, e que a promulgação desse artigo coloca em risco a vida de crianças e idosos. Mais de 5 mil profissionais da saúde exigiram, em dezembro último, a retirada do texto por ser considerado “mortal para a saúde pública”. Regularização do estrangeiro será mais complexa A nova lei prevê que autoridades locais (prefeitos) terão liberdade para emitir autorizações de residência (titre de séjour) a imigrantes sem documentos, desde que estes estejam exercendo profissões com falta de mão de obra. Os documentos, segundo texto analisado pelo Le Parisien, terão validade de um ano, mas há condições a serem cumpridas. Para se beneficiar, os trabalhadores em situação irregular precisam morar na França há pelo menos 3 anos e devem ter exercido alguma atividade com carência de profissionais por pelo menos 12 meses ao longo dos últimos dois anos. Esses imigrantes poderão solicitar a regularização sem qualquer interferência do empregador. Estrangeiros que tiverem sido condenados por crimes de diferentes naturezas não poderão se beneficiar da regularização. Cotas migratórias limitam as autorizações de residência O texto da polêmica lei de imigração na França estabelece a criação de cotas migratórias. De modo geral, a lei prevê a instituição de um determinado número de autorizações de residência, sem que haja a possibilidade de ultrapassar o limite (que permanece desconhecido). [caption id="attachment_160605" align="alignnone" width="750"] Artigo sobre cotas migratórias na lei de imigração da França é objeto de polêmica.[/caption] Essa medida, segundo especialistas consultados pela BFMTV pode ir contra a separação de poderes. Pesa contra esse artigo o que é chamado de “discriminação” entre estrangeiros, uma vez que alguns seriam preteridos em relação a outros. Em resumo: dois estrangeiros atendendo aos mesmos requisitos (ainda a serem conhecidos) poderiam receber tratamentos diferentes. Um poderia ter a autorização aprovada e ao outro, a autorização poderia ser negada caso as cotas tivessem sido excedidas. Impacto na atribuição da nacionalidade francesa Até a promulgação da polêmica lei de imigração na França, a atribuição da nacionalidade francesa aos filhos nascidos na França de pais estrangeiros era automática, à condição de que a criança residisse no país, de forma contínua ou não, durante 5 anos a partir dos 11 anos. Com a nova lei, deixa de ser automática a atribuição da cidadania francesa aos nascidos na França de pais estrangeiros, exigindo que o requerente faça a demanda ao Estado entre os 16 e os 18 anos, sob risco de o pedido ser rejeitado, caso o demandante tenha sido condenado por violação da lei. Detenção de menores estrangeiros foi vetado por Macron A lei francesa proibia a detenção de menores de 18 anos, mas a nova lei imigração previa que esse veto fosse derrubado. Este ponto foi vetado pelo presidente Emmanuel Macron e a França permanece aderente ao Tribunal Europeu dos Direitos Humanos. Assista a um resumo da lei de imigração na França publicado pelo canal Euronews em português. Quantidade de imigrantes na França Dos 67,75 milhões de habitantes da França, 90 mil são brasileiros. É um número pequeno quando comparado com o total de pessoas, mas extremamente significativo se considerarmos que uma quantidade não negligenciável destes brasileiros poderão ser afetados pela polêmica lei de imigração francesa. Segundo o Insee (Institut national de la statistique et des études économiques), órgão equivalente ao nosso IBGE, dados mais recentes dão conta de que a França tem cerca de 7 milhões de imigrantes, ou aproximadamente 10% de sua população. A nova lei de imigração, que tem sido chamada de lei antimigração, parece um contrassenso em uma nação cuja pujança é também fruto daqueles que escolheram o país como lar. As próximas semanas serão decisivas e definirão os passos do país cujo lema é a Liberdade, Igualdade e Fraternidade.

Colunas

Morar na Europa oferece uma qualidade de vida excepcional, com sistemas de saúde eficientes, educação de alta qualidade e uma rica diversidade cultural.

Saiba mais sobre os Brasileiros na Europa

Guias e dicas sobre a Europa

Mais dicas sobre

Portugal

Mais dicas sobre

Espanha

Mais dicas sobre

Itália

Mais dicas sobre

França

Mais dicas sobre

Inglaterra

Mais dicas sobre

Alemanha

Mais dicas sobre

Irlanda

Mais dicas sobre

Outros países
Conteúdo exclusivo da Europa no seu email!
Receba na sua caixa de entrada os artigos, notícias e colunas da sua preferência para mergulhar no mundo europeu e preparar sua mudança!
Assine já nossa Newsletter