(Atualizado em novembro de 2021). Muitos brasileiros sonham em se mudar, mas não sabem como morar na Itália! Bom, não é para menos, não é mesmo? É realmente um país para lá de encantador: belas paisagens, ótima comida, arte e cultura por toda parte. Tudo vira motivo para se apaixonar pelo país da bota!

Pensando nisso, reunimos neste artigo algumas informações úteis e importantes para que você consiga se mudar para lá de forma segura e legal. Buona lettura!

Como é morar na Itália?

Sempre me perguntam: “Bruna, é bom morar na Itália?” Morar na Itália é… diferente!

Esqueça a vida agitada das grandes cidades brasileiras. Com exceção das poucas cidades grandes do país, o ritmo de vida na Itália é lento, é como se a vida das pessoas fosse baseada na ideia implícita de “Se não der para resolver hoje, tudo bem: nós pensamos nisso amanhã”.

Aliás, esqueça as grandes cidades: Itália é um país de cidades pequenas. Exceto Roma e Milão, todas as outras cidades têm uma população abaixo de 1 milhão de habitantes.

É exatamente por esse motivo que o ritmo de vida não é tão frenético como nos grandes centros. A proximidade com o interior é bastante sentida, principalmente em regiões mais agrícolas, como a Úmbria, a Toscana e as Marcas, como em outras cidades do centro-sul do país. Para como é morar na Itália, só vindo para entender!

Como morar na Itália legalmente?

Para morar na Itália legalmente, você vai precisar de um visto de residência e, assim que chegar no país, é imprescindível tirar o Permesso di soggiorno. Calma, vamos falar sobre esses dois documentos mais adiante!

Precisa enviar dinheiro para outro país?

Envie dinheiro com toda a segurança, rapidez e melhor taxa de câmbio. Atualizamos a melhor entidade diariamente, faça já a sua simulação!

Cotar Agora →
Precisa enviar dinheiro para outro país?

Depois de testarmos as principais alternativas do mercado (Paypal, Western Union, Moneygram, etc), a plataforma que nós recomendamos é a Wise. É seguro, rápido e fácil de utilizar.

Ver Cotação →

O governo italiano aceita como residente (temporário ou permanente) um cidadão estrangeiro caso ele se enquadre em alguma das categorias abaixo:

  • Estudo;
  • Trabalho;
  • Investimento;
  • Aposentado.

Estudar na Itália

Se você está pensando em como morar na Itália por um período pré-estabelecido, saiba que um dos modos de se mudar para o país é através de um intercâmbio, matrícula na universidade ou até mesmo, inscrição em um curso de língua italiana.

Estudar na Itália é, inclusive, uma ótima forma para conhecer mais de perto o estilo de vida dos italianos, a língua, a vida universitária e a cultura de forma geral.

Trabalhar na Itália

Caso o seu desejo seja se estabelecer no país de forma definitiva, encontrar uma vaga de emprego será fundamental. Morar na Itália trabalhando poderá te ajudar a entender o ritmo de trabalho no país — além, de claro, garantir uma renda fixa no país. Saiba tudo no artigo sobre trabalhar na Itália.

Aposentar na Itália

Finalmente a tão sonhada aposentadoria! Que tal se mudar para a Itália após tantos anos de empenho? Em consequência de um acordo entre os INSS brasileiro e italiano (chamado INPS), o cidadão brasileiro pode usufruir a aposentadoria brasileira em solo italiano.

Inclusive, este umas das possibilidades de visto e de Permesso di soggiorno disponíveis! Temos um artigo exclusivo sobre morar na Itália como aposentado.

Aposentar na Itália
Aposentar na Itália é usufruir de tranquilidade, segurança e menos stress

Investir na Itália

Outro modo possível para realizar o tão esperado sonho de morar no país é investir na Itália. Se você tem essa facilidade, saiba que o governo italiano oferece um tipo de visto especialmente para quem está interessado em realizar investimentos.

O procedimento é um pouquinho mais complicado, uma vez que a Agenzia delle Entrate (órgão governamental símile à nossa Receita Federal) deverá conferir a sua disponibilidade econômica.

Morar na Itália com cidadania europeia

É possível também morar na Itália com cidadania europeia. Os cidadãos europeus não possuem nenhuma restrição em relação a trabalho, visto, tempo de permanência no país, carteira de motorista, etc.

Precisa de visto para morar na Itália?

Sim, para morar na Itália é preciso visto, caso você não tenha uma cidadania europeia.

Existem vários tipos de visto para a Itália, são eles:

Visto Preço
Estudo/Pesquisa 50€
Trabalho 116€
Investimento 116€
Tratamento médico 116€
Visita de parentes 116€
Reingresso 116€
Residenza elettiva 116€
Adoção 0€

Independentemente do visto que você for precisar tirar, o “modus operandi” é quase sempre o mesmo:

  • Solicitação do Visto no Consulado ou Embaixada da Itália mais próxima da sua residência;
  • Módulo de apresentação do visto;
  • Imposto de renda;
  • Comprovação da necessidade de visto;
  • Pagar a taxa.

O visto para a Itália costuma ser emitido, em média, um mês após a solicitação. É um prazo indicativo, uma vez que quanto mais complicado o requerimento, mais tempo levará para ser analisado.

Exemplificando, para os vistos de trabalho, dependerá sempre do tipo de trabalho. O prazo é de 30 dias para quem já possui um contrato. Porém, o prazo pode variar, podendo chegar a 120 dias de espera.

No caso do visto de estudante, por outro lado, o prazo costuma ser de um mês.

O que é o Permesso di Soggiorno?

O Permesso di soggiorno nada mais é do que um documento que autoriza o cidadão estrangeiro a permanecer no país. Isso significa que, além do visto, o cidadão estrangeiro, assim que chegar na Itália, vai precisar solicitar também o Permesso di soggiorno! Lembre-se que ambos são necessários para morar na Itália!

Para diferenciar os dois documentos é fácil: o visto é a autorização, para quem está no exterior, de entrar no país; já o Permesso concede a autorização a uma estadia longa para quem foi autorizado a entrar no país (através do visto). Agora ficou fácil de entender, né?

O Permesso di soggiorno é um documento essencial para poder morar na Itália! Sem ele, a sua estadia ou mudança definitiva não poderá ser completada, e isso significa que você não poderá estudar, trabalhar ou até mesmo, sair do país!

Como solicitar o Permesso di Soggiorno?

A solicitação do Permesso deverá ser feita através dos correios (Poste Italiane). Você deverá retirar o assim chamado “kit giallo” (kit amarelo) em alguma agência da Posta. Ou seja, diferentemente do Visto, o Permesso é solicitado já estando em terras itálicas. Esse é o passo definitivo para morar na Itália!

Uma vez com o kit em mãos, você deverá preencher o formulário de requerimento e entregar também:

  • Passaporte original válido;
  • Fotocópia do passaporte e da página que contem o carimbo de entrada no país e do visto;
  • Recibo de pagamento de requerimento;
  • Comprovante do motivo de estadia;
  • 4 fotos;
  • Comprovante de endereço (contrato de aluguel, por exemplo).

Custo e prazo

O custo do Permesso é de 76,16€ e o prazo para a sua emissão é de 1 a 3 meses. Até lá, o cidadão estrangeiro é autorizado a utilizar o recibo de requerimento como comprovação de estadia.

Validade

A validade do Permesso di soggiorno é diretamente ligada ao tipo de visto que você possui. O Permesso di soggiorno per motivi di studio dura 12 meses, já o Permesso para quem for trabalhar dura 24 meses.

Quanto é o custo de vida na Itália?

A Itália é um dos países mais baratos da Europa, ficando atrás de Portugal, Espanha e Grécia. Como podemos ver na classificação do Numbeo, o custo médio de vida na Itália, para uma pessoa cotado em novembro de 2021, é o seguinte:

Despesa Custo médio
Aluguel (apartamento 1 quarto no centro) 584€
Contas (gás, luz, internet, água etc.) 190€
Alimentação 120€
Lazer (restaurante, cinema etc.) 150€
Total 1.044€

Claro, esses são valores médios. O custo de vida real dependerá da cidade na qual você irá morar.

Outro detalhe importante, na Itália, não existe a política de salário mínimo. Existe um mínimo legal, mas não existe uma política governamental para a regulação dos salários. Desta forma, estima-se que o salário médio esteja por volta de 1.400€. Mais uma vez, esse valor vai depender do grau de escolaridade, cidade, tipo de emprego, etc.

Aluguel na Itália

Em geral, o aluguel na Itália é bastante proporcional ao salário e ao custo de vida. Os preços mais caros são de cidades como Roma, Florença e Milão, podendo ultrapassar os 1.200 euros mensais!
De forma geral, os aluguéis fora do centro histórico costumam ser a melhor opção.

Alimentação na Itália

A vantagem de a Itália ser um país pequeno e com grande incentivo à agricultura é que o custo da alimentação não costuma ser alto. Por norma, azeite de oliva, frutas, verdura e cereais costumam ter preços muito acessíveis. O valor médio de alimentação para uma pessoa é de 120€, claro, cozinhando em casa.

Transporte na Itália

Em relação ao transporte público nacional, vale lembrar que os trens estão presentes em quase todo o território italiano. Às vezes atrasam, mas geralmente, o serviço é de boa qualidade e muito utilizado pelos italianos.

A cidade de Milão é uma das cidades mais completas do ponto de vista do transporte público: metrô, ônibus, bonde e trens são conectados, cobrindo praticamente toda a cidade metropolitana.

Tendencialmente, a região Sul do país costuma apresentar mais problemas, seja no transporte local, como no transporte nacional (trens).

Lazer na Itália

A Itália é bem dinâmica e movimentada no que se refere a opções de lazer. Claro, tudo vai depender da cidade.

Cidades grandes costumam ser cheias de atrativos para preencher o tempo livre. Cidades pequenas, como Perúgia e Siena, tem uma vida cultural bastante agitada por serem cidades universitárias, atraindo, além de estudantes italianos, estudantes estrangeiros.

Restaurantes na Itália
“Fazer um aperitivo” é um costume italiano no fim da tarde

De modo geral, o lazer na Itália é bastante parecido com as opções do Brasil: teatro, cinema, restaurantes, academia, parques, natureza, etc. É bastante comum passar horas e horas em cafés, principalmente nas cidades pequenas. Durante o inverno, é bastante comum esquiar!

Clima na Itália

O clima na Itália é bastante moderado. O norte tende a ser mais frio do que o sul do país. Muitas cidades do sul, porém, encontram-se em altitudes muito elevadas, o que faz com que essas localidades sejam bastante frias (pela proximidade às montanhas).

O verão, por outro lado, é úmido. Durante o dia, é normal observar cidades desertas: é realmente quente. Nesses casos, a famosa pausa vespertina é uma verdadeira salvação!

Como é a saúde na Itália?

O Sistema Sanitario Nazionale (SSN) é o sistema de saúde pública da Itália. Toda a saúde na Itália funciona de modo parecido com a organização do SUS no Brasil. Isto é, cada bairro ou cidadezinha tem um médico de referência. São os chamados médicos de família (ou “medico di base”).

Diferentemente do Brasil, a maioria dos italianos não é titular de convênio médico e usa os serviços do SSN. De modo geral, o SSN consegue atender boa parte da demanda dos serviços previstos pelo sistema único de saúde italiano.

A saúde de cada cidadão é acompanhada por um médico único, os chamados médicos de família de base. Eles serão os responsáveis pelo seu acompanhamento médico. Tudo o que você precisar terá que passar por eles — a não ser, claro, que você use o sistema particular. Nesses casos, funciona igual no Brasil: o pagamento e o acompanhamento é feito diretamente com o médico escolhido.

Para utilizar o sistema público de saúde italiano, é preciso procurar uma agência sanitária local para poder fazer o cartão que dá acesso ao sistema de saúde italiano. No entanto, brasileiros que residem na Itália podem usufruir de um acordo entre o Brasil e a Itália, o IB2 CDAM.

Como usar o IB2

O IB2 é um certificado de direito à assistência médica que garante aos brasileiros que vão morar na Itália tenham acesso ao sistema de saúde e vice-versa. Para tal, é preciso fazer o apostilamento do mesmo, a chamada apostila de Haia.

Esse certificado também deve ser traduzido para o italiano. Ao chegar na Itália, procure a agência sanitária local para regularizar o documento e ter acesso ao serviço de saúde pública local.

Esse médico será seu primeiro contato sempre que você precisar ir ao médico e as consultas com ele são gratuitas. É o médico de base que verifica a complexidade do caso e te encaminhará para um especialista ou solicitará exames mais complexos.

Documentos para morar na Itália

Para morar na Itália, você vai precisar reunir uma série de documentos que serão imprescindíveis para a sua estadia no país. De modo geral, esses documentos são os mesmos necessários para tirar o visto e o Permesso di soggiorno. São eles:

  • Passaporte válido;
  • Formulário de solicitação de Visto/Permesso di soggiorno;
  • Comprovante de renda;
  • Seguro-saúde;
  • Inscrição na faculdade ou no curso desejado (caso você queira pedir o Visto de estudante);
  • Comprovante de residência italiana (para o Permesso di soggiorno).

Se você for morar na Itália porque vai cursar uma faculdade, a documentação também deverá incluir:

  • Histórico escolar original, acompanhado da tradução juramentada;
  • Apostilamento de ambos os documentos;
  • Declaração de valor: documento emitido pelo consulado italiano a partir do histórico e diploma do ensino fundamental e médio.

Melhores cidades da Itália para morar

A Itália possui paisagens indescritíveis que fazem do país, como um todo, uma excelente escolha para quem deseja viver uma experiência europeia.

Para escolher qual cidade morar na Itália, você deve pesquisar bem e definir o que deseja. Se você gosta de grandes centros, Milão e Roma são perfeitas. Para quem prefere uma cidade média (para os padrões brasileiros), Brescia é a minha favorita.

Enfim, cada cidade possui seus prós e contras, e essa escolha é muito pessoal. Falaremos um pouco sobre as  melhores cidades italianas para morar.

Milão

A capital mundial da moda não pode ficar de fora de uma lista para quem sonha em morar na Itália. No entanto, se engana quem pensa que Milão é conhecida apenas pelo mundo fashion.

A cidade tem lazer variado, contando com restaurantes, grandes parques e uma variedade de centros de compras, morar em Milão pode ser uma experiência enriquecedora.

Roma

A capital da Itália respira história. Além de se encantar com aquele que é um dos berços da nossa civilização moderna, quem escolhe morar em Roma pode saborear deliciosos pratos como a carbonara, nascida na cidade.

Turim

A quarta maior cidade do país tem belas praças e elegantes cafés, além de contar com importantes museus e ter localização privilegiada, aos pés dos Alpes italianos. Morar em Turim pode ser mais barato, mas é uma cidade muito interessante.

Morar em Turim
Imagem de Turim, na Itália

Nápoles

Essa cidade, localizada no sul da Itália, é o local de nascimento da pizza. Precisa falar mais? Nápoles também conta com museus incríveis e paisagens de tirar o fôlego, bem como a presença de um vulcão ainda ativo, o Vesúvio.

Gênova

Menos conhecida que as concorrentes acima, essa cidade, localizada na região da Liguria, é o local onde o pesto foi criado. Há outro forte motivo para quem deseja morar na Itália escolher essa cidade. Nessa região também estão as Cinque Terre, um dos destinos de praia mais visitados do país e mais conhecidos do mundo.

Precisa falar italiano para morar na Itália?

A língua italiana é, sim, imprescindível para morar na Itália. Com exceção de cidades muito turísticas e/ou mais propensas ao mundo dos negócios, como Roma e Milão, respectivamente, não falar italiano significa não se integrar na cultura local.

Por mais que outras línguas sejam ensinadas nas escolas – como inglês, francês, espanhol e alemão – existe uma resistência muito grande em relação aos idiomas estrangeiros por parte dos italianos.

O nosso conselho é aprender italiano minimamente antes de se mudar para a Itália. Desta forma, será mais fácil enfrentar a burocracia!

Incentivo para morar na Itália

Você já deve ter visto na mídia ou em algum site da internet que existem cidades italianas que oferecem incentivos para morar no país, como benefícios em dinheiro ou mesmo casas na Itália a 1 euro. E é verdade! Mas como tudo na vida: nada vem de graça, não é mesmo?

Um exemplo é a cidade de Bormida, que o prefeito Daniele Galliano publicou que pretendia oferecer 2 mil euros para qualquer pessoa que se mudasse para a cidade e comprasse um imóvel. Ou seja, os dois mil euros são um bônus para que a pessoa escolha Bormida para morar e investir em um imóvel, já que a cidade tem déficit populacional (menos de 400 pessoas moram lá).

O caso das casas de 1 euro segue lógica semelhante: as casas a 1 euro são habitações que necessitam de reabilitação, precisam passar por uma grande reforma para serem habitadas (e há prazos e regras para fazer essa reforma). Assim as prefeituras reduz o número de casas abandonadas nas cidades e atraem população para zonas fracamente habitadas.

Portanto, se você quer morar na Itália, o incentivo deve ser visto como um bônus para quem já tem intenção de viver por aqui, não a principal razão.

Vale a pena morar na Itália?

Como toda e qualquer escolha, morar na Itália comporta coisas negativas e coisas positivas.

Motivos para morar na Itália

  • Excelente qualidade de vida e um estilo de vida mais calmo, com menos stress;
  • Saúde pública de qualidade;
  • Educação pública de qualidade;
  • Segurança;
  • Paisagens deslumbrantes;
  • Gastronomia incomparável com alimentos frescos e naturais.

Motivos para não morar na Itália

Claro, o outro lado da moeda inclui:

  • Saudades do Brasil, da família, dos amigos, das comidas…
  • Possível instabilidade (já que você vai começar a vida do zero);
  • Burocracia;
  • Empregabilidade complicada nesse momento;
  • Altos impostos e escândalos políticos (soa familiar?);
  • O idioma (é preciso aprender o italiano).

Mas se você chegou até aqui, é porque o seu coração fala mais alto e a sua vontade de morar na Itália é bem forte. Por isso, independentemente da sua escolha, o importante é arriscar e ser feliz!

In bocca al lupo! (boa sorte!)