O salário mínimo na Itália é um tema importante principalmente para quem está pensando em se mudar para o bel paese. Afinal, além da parte burocrática, é preciso saber também como é estruturado o mercado de trabalho em todos os seus aspectos.

Neste artigo, mostramos o salário mínimo, os salários médios, além de explicar brevemente como anda a taxa de desemprego no país.

Perguntas Respostas
Qual o valor do salário mínimo na Itália? Não existe salário mínimo na Itália.
Quanto é um bom salário na Itália? Um salário próximo da média do país, de 1.800€ bruto, é um bom salário.
Qual o valor do salário mínimo por hora trabalhada? Depende da área de atuação do trabalhador, mas a média gira em torno de 11,50€.

Existe salário mínimo na Itália?

Morar na Itália significa também conhecer uma nova realidade: o mercado de trabalho italiano. Por exemplo, não existe o conceito de salário mínimo na Itália.

Existe, por outro lado, o mínimo retribuído por hora trabalhada, específico para cada área de atuação. Uma empresa farmacêutica, por exemplo, pode pagar o mesmo salário-base para seus trabalhadores, independente da formação acadêmica.

Desta forma, o que acontece é que cada categoria de trabalho vai, de comum acordo, estipular um salário mínimo baseado em horas.

Isso porque, historicamente — e também em decorrência do regime fascista — a Itália foi organizada de modo que os sindicatos e os grupos de trabalhadores organizados pudessem ter mais voz ativa (e também serem controlados mais facilmente).

Em 2023, o debate público de um possível salário mínimo na Itália veio à tona no parlamento italiano como uma forma de dar garantias aos trabalhadores de um salário mais justo. A Priscilla Guerra, do canal Coisas Que Eu Sei, fez um vídeo detalhando essa pauta e explica o que pode mudar com a aprovação de decretos relacionados ao assunto.

Precisa enviar dinheiro para outro país?

Depois de testarmos as principais alternativas do mercado (Paypal, Western Union, Moneygram, etc), a plataforma que nós recomendamos é a Wise. É seguro, rápido e fácil de utilizar.

Ver Cotação →

O salário mínimo e o CCNL

O Contratto collettivo nazionale di lavoro (CCNL) é uma categoria de contratação dos trabalhadores subordinados na Itália, reconhecido por lei, estipulado pelas partes contratantes, ou seja, empregados, sindicatos e empregador, de natureza coletiva.

Assim, todo e qualquer acordo deve ser negociado com a coletividade, não dando, desta forma, brecha a acordos coletivos.

No Brasil, o CCNL pode ser equiparado ao regime de contratação através da Consolidação das Leis do Trabalho, a famosa CLT, decreto-lei que garante a contratação coletiva dos trabalhadores. O CCNL não se aplica aos trabalhadores autônomos, freelancer e quem trabalha com Partita IVA (o CNPJ italiano).

Segundo as leis italianas de trabalho, o CCNL é subordinado à Constituição Italiana e o Statuto del Lavoratore, o estatuto que garante direitos e deveres dos trabalhadores, além das leis regionais de trabalho. Sendo assim, as empresas podem, também, formular contratos que mesclam essas leis.

Categorias e salários na Itália

São muitas as categorias profissionais abrangidas pelo CCNL, entre as quais:

  • Artesãos;
  • Terceiro setor;
  • Siderúrgicos;
  • Moda;
  • Pesca;
  • Turismo e hotelaria;
  • Transporte público;
  • Rádio e TV.

O CCNL garante que cada categoria receba um mínimo salarial, além de ser “enquadrado” como um trabalhador pertencente a tal categoria. Desta forma, é ilegal receber um salário inferior ao piso salarial da própria categoria.

O salário mínimo de cada categoria corresponde ao nível de enquadramento de cada funcionário. No caso dos trabalhadores do comércio e terceiro setor, por exemplo, tais níveis vão de 1 (mais alto) a 7 (mais baixo).

Em junho de 2021, no entanto, as categorias do setor metalúrgico e mecânico sofreram uma mudança, com a eliminação do nível 1 e reestruturação das outras categorias.

Considerando que funcionários de níveis mais altos possuem uma base salarial maior, a remuneração/hora de cada setor em vigor no ano de 2024 foi fixada em 2021 e é a seguinte:

Tipo Salário/hora (valor bruto)
Turismo 7,48€
Cooperativas de assistência social 7,18€
Empresas públicas de turismo, terceiro setor e restauração de bens 7,28€
Artesãos têxteis e indústria da moda 7,09€
Serviços de assistência social 6,68€
Serviços de limpeza e manutenção privada 6,52€
Vigilância 4,60€

O principal problema da remuneração garantida pelo CCNL é que ela não é renovada de forma tão frequente. O salário por hora dos profissionais da limpeza e manutenção, por exemplo, não é atualizado desde 2016.

Por outro lado, os valores dos salários/hora mencionados são os mínimos. É muito comum que empregadores e empregados façam acordos estipulando outros valores (mais altos).

Qual é o salário médio na Itália?

O salário médio da Itália está em torno de 1.611€ (valor líquido).

Segundo os dados mais recentes, em 2022, os italianos obtiveram uma renda anual média bruta, ou seja, antes do desconto dos impostos, de 30.284€. Isso é equivalente a cerca de 2.330€ brutos ao mês (em 13 mensalidades).

O valor da média salarial considera as disparidades entre o norte e o sul. Existe uma grande diferença entre as regiões da Itália e, de uma forma geral, os estados da região norte do país tendem a oferecer mais ofertas de trabalho e também maiores salários do que aqueles do sul.

Algumas categorias estipulam um salário mínimo na Itália baseado no valor/hora.
Os setores de limpeza e manutenção estão entre os que oferecem menor remuneração na Itália

O sul da Itália, por outro lado, é historicamente marcado por uma desigualdade, tanto na oferta de trabalho quanto na amplitude salarial. Tendencialmente, existem menos vagas “técnicas” no sul e, dessa maneira, os salários são menores.

Além disso, o custo de vida nas cidades do sul é inferior ao das cidades do norte, o que também explica os salários inferiores.

Mas outros fatores também irão influir na remuneração, como:

  • Grau de estudo;
  • Experiência;
  • Tempo de trabalho na mesma categoria;
  • Idade.

Quais os impostos incidem sobre o salário mínimo na Itália?

Os principais impostos que incidem atualmente sobre o salário na Itália são os seguintes:

  • Contribuições do INPS, relativa à contribuição ao fundo de previdência, equivalente ao INSS brasileiro;
  • Imposto IRPEF, que diz respeito ao recolhimento do imposto de renda direto do holerite;
  • Impostos extras do IRPEF relativos à cidade ou província, que podem ou não incidir sobre o salário do trabalhador conforme o local de trabalho.

A contribuição do INPS é geralmente fixa e seu desconto é de 9,19% sobre o valor bruto do salário. Já o desconto do IRPEF varia por faixas, sendo calculado com base no valor do salário bruto anual do trabalhador. Atualmente, a taxação por faixa é:

Faixa salarial Taxa de IRPEF
Até 15.000€ 23%
Entre 15.001€ e 28.000€ 25%
Entre 28.001€ e 50.000€ 35%
Superior a 50.000€ 43%

Quais são os maiores e menores salários na Itália?

De uma forma geral, segundo o jornal Wall Street Itália, os salários mais altos são para os profissionais das seguintes áreas:

Setor Salário médio anual (bruto)
Serviços financeiros 265.000€
Medicina 75.000€
Marketing Digital 57.000€
Engenharia 38.000€
Advocacia 35.800€

Por outro lado, os setores que oferecem os menores salários, segundo o Centro Studi UIL são:

Setor Salário médio anual (bruto)
Correios 17.940€
Agroalimentar 16.991€
Comunicação 16.679€
Turismo 16.198€

Setores mais procurados pelos estrangeiros

Segundo os dados do relatório Tendências do trabalho migrante em Itália publicado em 2023, os setores que mais empregam estrangeiros são:

  • Indústria;
  • Construção civil;
  • Comércio
  • Hotéis e restaurantes;
  • Serviços coletivos e pessoais (serviços domésticos como limpeza, assistência a idosos e crianças, etc.).

É possível viver com um salário mínimo na Itália?

Depende. A princípio, é importante analisar alguns fatores, como:

  • Região/cidade de residência;
  • Despesas mensais e gastos fixos;
  • Tipo de contrato.

Caso você se encontre em uma cidade muito cara, como Milão, um salário inferior a 1.500€ é considerado um salário muito baixo (para se ter uma ideia, o aluguel de um quarto no centro de Milão vai de 940€ a 1.500€ — dados de fevereiro de 2024). É difícil conseguir pagar todas as contas com somente um salário mínimo nos grandes centros italianos.

Na verdade, até em uma cidade média pode ser difícil viver com um salário mínimo. O aluguel (uma vez que essa é normalmente a conta mais cara) de um apartamento de um quarto no centro da cidade de Pádua, por exemplo, pode chegar até 1.000€, o que já representaria praticamente todo o salário de alguém que recebe 1.500€.

Porém, se você estiver pensando em viver com um salário mínimo em uma cidade pequena da Itália, então talvez essa situação seja possível. Algumas cidades baratas para se viver na Itália são:

  • Alessandria;
  • Rieti;
  • Belluno;
  • Pescara;
  • Cuneo.

Minha experiência com o salário na Itália

Partindo de uma opinião mais pessoal sobre o assunto, considerando um salário médio de 1.500€ a 1.600€, ainda é possível viver na maioria das cidades italianas, pagando todas as contas e tendo pequenos luxos.

No entanto, é importante ressaltar que, para isso, você precisará fugir de grandes centros e optar por cidades que não atraiam tanto turismo e, portanto, terão aluguéis mais em conta e supermercados mais baratos.

Custo de vida na Itália

Acreditamos que, em comparação com outros países da Europa, o custo de vida na Itália não é muito alto. Porém, os valores dos aluguéis vem aumentando desde 2023 e conseguir um aluguel por um bom preço está sendo um desafio, até mesmo fora dos grandes centros.

Segundo uma pesquisa em fevereiro de 2024, no site Numbeo, o custo de vida para uma pessoa no país é de cerca de 856€ sem aluguel. O valor médio de aluguel de um apartamento de um quarto no centro de uma cidade italiana varia de 780€ e 1.400€.

Assim, podemos calcular que em média se gasta de 1.650€ a 2.250€ por mês com aluguel, alimentação, contas, transporte, lazer e saúde.

Mas, é claro que esses valores são meramente ilustrativos. O custo de vida para alguém que vai morar em Roma, por exemplo, é muito diferente do custo de vida em uma cidade menor, menos turística e no sul do país, por exemplo.

Para que você tenha uma ideia de como é a relação entre o salário e o custo de vida na Itália, abaixo elencamos os salários médios de cada região:

Região Salário médio (bruto)
Norte 2.900€
Centro 2.300€
Sul 1.500€
Itália 2.100€

Poder de compra x salário mínimo na Itália

A inflação afetou consideravelmente o poder de compra dos italianos nos últimos anos. De acordo com dados da Organização Internacional do Trabalho, a Itália registrou uma queda de 12 pontos percentuais no poder de compra das famílias no período de 2008-2022.

Dentre os fatores que influenciaram a queda no poder de compra dos italianos, a organização destaca a pandemia de Covid-19 de 2020, que impactou decisivamente a economia na Itália.

Segundo os dados publicados em 2024 pelo ISTAT (Instituto de Estatística da Itália), em 2023, os preços aumentaram 5,7%, obtendo abrandamento face aos 8,1% de 2022. Mas o poder de compra dos italianos vem se recuperando lentamente. No último trimestre de 2023, o consumo aumento 1,2% em relação ao trimestre anterior.

Quem recebe salário mínimo na Itália?

O conceito de salário mínimo, como vimos, não “existe” no país da bota como existe no Brasil. O salário mínimo na Itália é calculado a partir da categoria de cada trabalhador e do enquadramento deste.

O salário mínimo na Itália é obrigatório para todos os trabalhadores devidamente registrados. O registro no CCNL não é a única forma de contratação no país, existindo outros tipos de contrato, sindicatos e acordos de trabalhadores.

Mulher fazendo contas
O poder de compra dos italianos ainda precisa se recuperar para chegar aos níveis anteriores.

A partir de 2024, o governo italiano pagará o Assegno di Inclusione para cidadãos em situação de dificuldade econômica. É um benefício de incentivo à inclusão social e profissional. O valor médio é de 620€ e já começou a ser pago em janeiro para cerca de 480 mil famílias no país.

Quem pode solicitar o benefício?

Os requisitos para as famílias terem acesso ao benefício são:

  • Possuir, ao menos, um menor de idade, ou pessoa com mais de 60 anos, com deficiência ou que recorra a serviços sócios sanitários por grave desvantagem;
  • Que o requerente seja cidadão europeu ou estrangeiro legal no país (com permesso di soggiorno);
  • Morar na Itália por no mínimo 5 anos (de forma contínua nos últimos dois anos). Essa condição vale também para os membros da família considerados no núcleo familiar;
  • Ter um ISEE (documento que atesta os documentos do núcleo familiar a partir da Declaração do Imposto de Renda) válido, atestando um valor não superior a 9.360€. O cálculo considera o número de pessoas do núcleo familiar e se elas possuem necessidades especiais.

Imigrantes recebem salários menores que os italianos

As diferenças salariais entre imigrantes e italianos ainda existe e é considerável. Na Europa, de forma geral, é três vezes mais provável que um imigrante trabalhe em empregos básicos do que um nativo. Sendo assim, os salários tendem a ser mais baixos para os imigrantes.

Na verdade, a Itália é o país europeu que tem o menor número de imigrantes com um diploma de ensino superior. Quer dizer, dos imigrantes que chegam no país, segundo o 7º Relatório do Observatório das Migrações, apenas cerca de 13% possui uma graduação, mestrado ou doutorado. Isso leva essa grande massa de imigrantes a ocupar cargos e posições mais básicas e ter os menores salários.

Como trabalhar na Itália?

Para trabalhar na Itália, é necessário ter o visto per motivi di lavoro subordinato e o Permesso di soggiorno per lavoro subordinato.

O primeiro documento é necessário para o ingresso no país e você deverá solicitá-lo diretamente na Embaixada Italiana ou Consulado Italiano mais próximo da sua residência. Porém, para consegui-lo, é necessário ter um contrato ou pré-contrato de trabalho.

Desemprego na Itália

A Itália é um país que sofre com o desemprego, cuja taxa está em torno de 7,2% ao ano considerando os dados de janeiro de 2024. Somente entre os jovens a taxa é de 21,8%, representando um aumento de 0,2 pontos percentuais comparado ao mês de dezembro de 2023.

Com o “fim” da pandemia, o mercado de trabalho italiano está se recuperando lentamente desde o fim de 2022. Porém, o desemprego ainda continua sendo um problema para o país.

Como a dívida pública italiana já ultrapassa os 145% do PIB (PIL, em italiano), a Itália ainda tem um longo caminho de recuperação do seu mercado de trabalho, que vem sendo fortemente afetado por uma série de crises, começando com aquela de 2008 e chegando até a provocada pela pandemia.

Cuidado com ofertas que superam o padrão

É importante tomar cuidado com as ofertas de emprego direcionadas aos estrangeiros. Todo e qualquer cidadão legalmente residente na Itália, se titular de um contrato de trabalho devidamente registrado, tem direito a férias e 13º!

Preste atenção quando for assinar um contrato de trabalho, e lembre-se que um contrato é a garantia da sua estadia no país!

Quanto é um bom salário na Itália?

Decidir quanto é um bom salário na Itália depende de vários fatores, principalmente localização geográfica e circunstâncias pessoais. Quem vive ao norte precisará ganhar mais do que quem vive ao sul da Itália, já que o custo de vida é tendencialmente mais alto.

Por outro lado, uma pessoa solteira ou um casal sem filhos gastará bem menos do que um casal com filhos ou com outros membros da família juntos.

No entanto, quando falamos de um salário que atende às necessidades da maioria das pessoas que moram na Itália, receber cerca de 1.800€ líquido ao mês pode ser considerado um salário adequado.

Salário mínimo na Itália x Salário mínimo no Brasil

Quando comparamos um salário mínimo na Itália com um salário mínimo no Brasil, você já deve imaginar que as diferenças são enormes, não é?

Para começar, o poder de compra do salário italiano é bem mais alto do que o salário brasileiro. Para se ter uma ideia, a renda média per capita de uma família brasileira é de cerca de 13.194€ ao ano, enquanto na Itália esse valor chega a cerca de 38.569€. Ou seja, uma família brasileira ganha praticamente três vezes menos do que uma família italiana.

Perguntas frequentes sobre o salário mínimo na Itália

Explicamos a maioria das dúvidas que muitos brasileiros têm sobre o salário mínimo italiano. Aqui, compilamos algumas outras perguntas frequentes que podem te ajudar a entender melhor sobre o tópico.

Como é o salário de professor na Itália?

O salário médio de um professor na Itália é de cerca de 1.400€ por mês. É importante lembrar que este é o salário médio para um professor escolar e que atua em regime de estabilidade, quer dizer, com um contrato a tempo indeterminado.

Professores suplentes, contratados para cobrir as aulas por períodos breves, recebem de acordo com a quantidade de horas realizadas. Um suplente que dá 6 horas de aula semanais, por exemplo, recebe cerca de 503€, enquanto um que dá 16 horas de aula semanais pode chegar a 1.329€.

Qual é o salário de um farmacêutico na Itália?

O salário de um farmacêutico na Itália é de cerca de 1.300€ para um profissional em início de carreira e pode chegar a cerca de 1.600€ para quem tem entre 4 e 20 anos de carreira. Estes são valores médios para profissionais que trabalham em farmácias municipais ou privadas.

No caso de farmácias hospitalares, os valores são um pouco mais elevados e o profissional pode chegar a receber 3.308€ mensais.

É importante lembrar que para profissionais em funções específicas e reconhecidas pelo Estado, é necessário fazer a validação do diploma na Itália ou, no caso do profissional de farmácia, realizar todo o ciclo de estudos em Farmacia ou Chimica e Tecnologia Farmaceutiche.

Qual o salário de um médico na Itália?

O salário médio de um médico na Itália é de cerca de 3.400€ por mês ao longo de toda a carreira. Quanto mais tempo de experiência ou quanto mais especializado, maior será o salário.

O salário dos médicos italianos, no entanto, está abaixo de muitos vizinhos europeus. Por isso, cada vez mais médicos escolhem seguir para o setor privado (onde os salários são substancialmente mais altos do que no setor público) ou mudar para o exterior e seguir carreira em países como Alemanha, Bélgica e Inglaterra.

Qual é a média de salário de um dentista na Itália?

O salário médio de um dentista na Itália é de cerca de 3.500€ por mês para um profissional recém-graduado, enquanto um dentista especialista pode chegar a ganhar 85.000€ por ano.

Aliás, os profissionais dessa área praticamente se igualam aos médicos nas questões salariais e a Odontologia é considerada uma das profissões mais bem remuneradas do país da bota.

Agora que você já entendeu como funciona o salário mínimo na Itália, é hora de começar a planejar a mudança. O ebook O sonho de viver na Europa reúne as histórias e a experiência de muitos brasileiros que decidiram emigrar. Vale a pena ler!