Milão é considerada o centro mundial da moda. Lar de grandes empresas internacionais, a capital da Lombardia concentra boa parte da oferta de empregos na Itália. Quem escolhe morar em Milão encontra uma cidade moderna e, ao mesmo tempo, cheia de história.

Quais são os fatores que devemos considerar ao escolher Milão para morar? É difícil se adaptar ao ritmo dos locais? Neste artigo, detalhamos os custos, a cultura e o clima de lá, com relatos de brasileiros que decidiram morar na cidade, mas antes, vamos responder três perguntas bem pontuais.

Pergunta Resposta
Custa caro morar em Milão? Sim. Milão possui o maior custo de vida da Itália, mas também concentra as melhores oportunidades de emprego no país.
Preciso falar italiano para arrumar emprego em Milão? Não necessariamente. A cidade abriga várias multinacionais, que contratam pessoas com inglês fluente.
Preciso de carro para morar em Milão? Não! O transporte público da cidade é um dos mais eficientes do país, com trens, metrô, bonde e ônibus.

Como é morar em Milão?

Milão, incluindo a sua região metropolitana, é capital regional mais populosa da Itália. Por isso, a cidade conta com uma excelente  rede de trens, metrôs e bondes, que ligam os bairros do centro às cidades-satélite, que abrigam boa parte dos seus estudantes e trabalhadores.

“Uma grande vantagem de morar em Milão é que eu não preciso de carro, o transporte público é ótimo”, diz Thiago Sabadini, publicitário brasileiro que foi morar na Itália há alguns anos. “Mas a maior desvantagem é o custo de vida, que acaba pesando no bolso”.

Milão, inclusive, tem um dos mais altos custos de vida na Itália. O aluguel de uma kitnet em um bairro central pode chegar a 2.000€. Mas, quando comparamos este gasto a tudo aquilo que a cidade oferece, o investimento vale a pena.

Ricardo Seola, designer brasileiro que também vive em Milão, diz que o ponto principal da cidade é sua acessibilidade.

“Por ser uma cidade geograficamente pequena, comparada às cidades brasileiras, a cultura e lazer é acessível a todos, independentemente de seu poder de compra.”

Selfie de homem em Milão Itália
O designer Ricardo Seola vive em Milão há 6 anos.

Onde morar em Milão?

Os bairros mais desejados por quem pretende morar em Milão são os da área central. Com a constante revitalização do centro da cidade, eles oferecem um cenário clássico, com edifícios antigos e apartamentos espaçosos, além da vida cultural agitada.

Precisa enviar dinheiro para outro país?

Envie dinheiro com toda a segurança, rapidez e melhor taxa de câmbio. Atualizamos a melhor entidade diariamente, faça já a sua simulação!

Cotar Agora →
Precisa enviar dinheiro para outro país?

Depois de testarmos as principais alternativas do mercado (Paypal, Western Union, Moneygram, etc), a plataforma que nós recomendamos é a Wise. É seguro, rápido e fácil de utilizar.

Ver Cotação →

Porta Venezia

Localizado no Centro Storico, o bairro Porta Venezia tem como via comercial principal a Corso Buenos Aires. Os edifícios neoclássicos e trams fazem parte da paisagem diária da região, além das lojas de marcas internacionais, restaurantes e cafés.

Città Studi

O bairro Città Studi leva este nome devido à alta concentração de universidades e instituições de ensino na área. É um bairro ideal para jovens e famílias, com várias opções de lazer, cultura e diversão.

Navigli

O quartieri Navigli foi um dos processos de revitalização mais recentes de Milão. Conhecido por ser o point do happy hour dos trabalhadores milaneses, a área é ideal para casais, jovens e trabalhadores, principalmente por sua acessibilidade ao transporte público.

Centro Storico

Viver entre a Piazza Duomo, o Castelo Sforzesco e a Galeria Vittorio Emmanuele é o sonho daqueles que querem viver em Milão. A região é ideal para jovens, casais sem filhos e trabalhadores, mas é, sem dúvidas, a mais cara da cidade.

Centrale – Repubblica

Localizado perto da Estação Central de Milão, o bairro é ideal para jovens, estudantes e trabalhadores. Por ser muito movimentado e contar com um grande volume de turistas, não é considerado extremamente seguro. Ainda assim, é uma das áreas mais acessíveis da cidade, com amplo transporte público.

Isola

A região mais moderna de Milão é conhecida pelos arranha-céus espelhados, que abrigam escritórios de multinacionais e empresas famosas. Pelo perfil da área, que conta com acesso fácil aos locais de trabalho e restaurantes badalados, casais sem filhos e jovens se dão bem por ali.

Conheça quais são os sites para alugar apartamento na Itália.

Qual o custo de vida em Milão?

De maneira geral, o norte da Itália é mais caro que as cidades ao sul. Apesar disso, os salários costumam também ser mais altos, o que acaba compensando para aqueles que escolhem Milão como moradia definitiva.

Confira a seguir as despesas detalhadas para morar em Milão.

Custos de moradia

Milão está entre as cidades mais caras da Itália para se viver. Alugar um apartamento na cidade pode ser impeditivo para a maior parte das pessoas. Por isso, muitas pessoas preferem morar nas cidades-satélites, onde pode-se encontrar apartamentos maiores com melhor custo-benefício.

Tipo de apartamento Preço médio
Monolocale no centro (equivalente à kitnet brasileira) 2.000€
Trilocale no centro (dois quartos, cozinha e sala) 2.500€
Monolocale fora do centro 830€
Trilocale fora do centro 1.600€

Para além do aluguel, quem escolhe morar em Milão deve considerar também as despesas com gás, água e eletricidade. Um apartamento de 85m² acumula, em média, 194€ de boletos mensais.

Custos de alimentação

Devemos pensar, também, nos custos com alimentação. Existem várias opções de supermercados na Itália, com ofertas e preços diferentes.

De acordo com Relatório de Consumo da Família de 2020 divulgado pelo Instituto Nacional de Estatística (Istat), com dados coletados no período pré-pandemia, uma família milanesa gasta, em média, 453€ ao mês em compras para a casa.

Sair para jantar fora também custa mais caro em Milão. Um casal que sai à noite, para desfrutar uma refeição com três pratos, gasta, em média, 75€.

Veja os custos de alguns de itens básicos nos supermercados, segundo o Numbeo.

Item Valor
Leite (1 litro) 1,30€
Pão branco (500gr) 2,01€
Arroz (1kg) 2,40€
Ovos (dúzia) 3,02€
Filé de frango (1kg) 9,33€
Carne vermelha (1kg) 18,32€
Maçã (1kg) 1,99€
Banana (1kg) 1,75€
Batata (1kg) 1,25€
Cebola (1kg) 1,09€
Tomate (1kg) 2,49€

Custos de transporte

De maneira geral, o transporte público na Itália é bem eficiente. Os serviços de transporte de Milão são oferecidos pela ATM (Azienda Trasporti Milanesi). Por seu tamanho, a cidade conta com uma excelente rede de metrôs, trens, ônibus e bondes, conhecidos pelos italianos como tram.

A passagem de metrô em Milão é a mais cara da Itália, custando 2€. No entanto, assim como nas outras cidades, ela pode ser integrada aos outros meios de transporte, dependendo do intervalo de tempo entre viagens. Os bondes e ônibus urbanos custam 1,50€. Já o passe mensal, custam 39€.

Custos de lazer

A vida noturna de Milão é uma das mais agitadas da Itália. Partindo do tradicional aperitivo, o drink vespertino acompanhado de petiscos, que custa em média 12€, os milaneses têm várias opções de lazer. Baladas, no entanto, cobram entrada e não trabalham com consumação.

A cidade conta também com uma série de museus e locais históricos. A Catedral Duomo, o cartão-postal mais famoso de Milão, traz visitas guiadas por profissionais bilíngues a partir de 8€ (adultos) e 4€ (crianças e meia-entrada). Outras atrações que valem a pena visitar em Milão são o Teatro Scala, que cobra 25€ por visitante, e o Castelo Sforzesco, que não cobra entrada.

Para quem pretende morar em Milão, visitar pontos turísticos acaba não sendo uma opção de lazer constante, mas sim, as saídas aos bares e restaurantes, cafés, cinema, parques, shows, entre outros. Veja a tabela a seguir com alguns custos, segundo o Numbeo.

Lazer Custo médio
Refeição, Restaurante Barato 17,50€
Refeição para 2 pessoas, restaurante de gama média, três pratos 75€
Cerveja doméstica (pressão 500ml) 6€
Capuccino 1,62€
Refrigerante 2,62€
Água (330 ml) 1,35€
Cinema 10€
Academia de ginástica 65,35€

Resumo do custo de vida em Milão

Com isso, um casal sem filhos que pretende morar em Milão gasta uma média mensal de 2.984€, conforme tabela a seguir:

Moradia 2.194€
Alimentação 450€
Transporte 80€
Lazer 260€
Total 2.984€

É um valor alto se comparar com o salário mínimo da Itália, mas como dissemos, morar em Milão custa caro. É importante que você aprenda a balancear as contas.

Mercado de trabalho em Milão

Milão pode ser a cidade mais fácil para trabalhar na Itália. A capital da Lombardia concentra a maior parte das empresas internacionais, oferecendo empregos até mesmo para quem não fala italiano fluentemente.

Essas vagas de trabalho, ao contrário daquelas das cidades mais turísticas, são, na sua maioria, contratos vitalícios. Dessa forma, você pode se estabelecer para morar em Milão com um salário fixo, algo mais difícil em cidades da região da Sicília ou Sardenha, com economia sazonal.

No entanto, é preciso considerar as particularidades de encontrar vagas de emprego na Itália. Você deve validar diploma, estar disposto a investir em networking e, principalmente, em aceitar vagas em níveis mais baixos de remuneração, quando comparadas à sua experiência.

Além disso, a oferta de emprego pode ser imprevisível.

“Quando me mudei para Milão, consegui uma vaga na área de publicidade em menos de um mês, sem exigência de italiano fluente”, garante Thiago. “Minha esposa, no entanto, demorou 2 anos para se colocar no mercado de trabalho”.

Estacionamento de carro em Milão, Itália
O mercado de trabalho em Milão é o melhor da Itália.

Veja também o nosso artigo sobre as coisas que ninguém te conta sobre trabalhar na Itália.

Sistema de saúde em Milão

O sistema de saúde na Itália é público e em Milão não seria diferente. No entanto, como no Brasil, existem algumas particularidades em relação à cobertura, acesso e disponibilidade de profissionais, que variam de cidade para cidade.

“Em Milão, não tive dificuldades para marcar uma consulta com um cardiologista”, garante Thiago, que se mudou para a cidade com a esposa e dois filhos em idade escolar há alguns anos. “Quando tentei marcar um endocrinologista, a história foi diferente: entrei numa fila de 3 meses”.

Além do SSN, o “SUS” italiano, Milão conta com uma rede de hospitais privados, com especialidades e preços que podem ser abatidos conforme o seu plano de saúde. Nestes casos, uma consulta com um médico especialista varia ente 70€ e 200€ pelo preço cheio.

“O sistema de saúde de Milão é excelente, até mesmo para aqueles que não estão inscritos no SSN”, garante Ricardo.  “Após fixar residência em Milão, me inscrevi e já possuo um médico de base, responsável pelo meu acompanhamento. Mesmo antes da inscrição, sempre fui atendido.”

Milão é uma cidade segura?

A segurança na Itália é uma questão recorrente, principalmente para quem deseja se estabelecer no país da bota. No entanto, boa parte dos brasileiros que imigraram para a Europa, não só para a Itália, garantem que se sentem mais seguros no velho continente.

“Ficar atento em locais de alta circulação de turistas, como estações de metrô e praças, é o básico em qualquer cidade grande”, diz Thiago. “Como é uma cidade populosa, não é difícil encontrar pessoas alcoolizadas à noite e no transporte público. Mesmo assim, a insegurança não se compara à que sentia no Brasil”.

Ricardo concorda, e diz ainda que nunca foi assaltado ou presenciou uma situação perigosa. “Andar sozinho em Milão, para mim, é seguro. Evito me colocar em situações de risco, obviamente, e tenho consciência que possuo algumas vantagens por ser homem. Mesmo assim, a violência e insegurança não é uma constante na cidade”.

Descubra também quais são as melhores cidades da Itália para morar.

Como é o clima em Milão?

Situada ao norte da Itália, Milão é conhecida pelos picos de temperatura. Muitas vezes, no inverno, é comum nevar na região, o que pode ser um choque para brasileiros acostumados às temperaturas amenas do Brasil.

“Eu só fui entender as diferenças entre as estações do ano quando me mudei para Milão”, brinca Thiago.

E, realmente: as estações na cidade são marcadas, com altas temperaturas no verão e termômetros abaixo de zero no inverno.

Andar pelos parques de Milão durante a primavera e outono é uma experiência única: as flores são abundantes em abril – um perigo para os alérgicos a pólen! – e as folhas laranjas colorem o cenário de outubro.

Milão é também conhecida pela névoa. Por estar situada na região da Pianura Padana, uma planície situada entre os Alpes Suíços ao norte e os Apeninos ao sul, o acúmulo de névoa chega a atrapalhar a visão de motoristas e pedestres na área. Por isso, cuidado extra ao dirigir!

É preciso visto para morar em Milão?

Assim como nas outras cidades da Itália, o visto é imprescindível para morar em Milão. Existem diversos tipos de visto para Itália para diferentes objetivos: trabalho estudo, investimento, tratamento de saúde, entre outros.

Turistas podem circular pela União Europeia por, no máximo, 90 dias. Dessa forma, quem pensa em permanecer mais tempo, é recomendado que peça um Permesso di Soggiorno para se manter em território italiano.

Vale a pena morar em Milão?

“Eu vivo em Milão há 6 anos e, para mim, é uma cidade maravilhosa, que sempre me ofereceu aquilo que preciso”, garante Ricardo. “Claro, tudo depende das oportunidades de trabalho que você consegue, além das suas necessidades em relação a lazer, cultura e tempo livre”.

Thiago, por outro lado, teve uma experiência diferente. “Morei em Milão com a minha família por um tempo e foi ótimo, mas o alto custo de vida acabou pesando. Hoje, vivo em uma cidade vizinha, Lecco, e sinto falta de não precisar de carro para atividades diárias”.

De maneira geral, Milão é uma cidade cosmopolita, com ótima rede de transporte público e grande variedade de atividades de lazer e oportunidades de emprego. Quem viveu ou ainda vive na cidade garante: vale a pena morar em Milão.

Se você quiser saber mais sobre como é a vida em Milão, recomendamos este vídeo da G. na Itália, que detalha o custo de vida e atividades práticas da cidade.

E aí, tem certeza que deseja morar em Milão? Para te inspirar e refletir como é a vida no velho continente, recomendo o ebook O sonho de viver na Europa, que reúne diversas histórias de brasileiros. Eles contam em detalhes as principais dificuldades de adaptação e as oportunidades que resolveram agarrar na nova vida.

Agora se você está pensando em viajar para a Itália e incluir a capital da moda no seu roteiro, não esqueça que o seguro viagem é obrigatório e deve ter cobertura mínima de 30 mil euros. Para fazer a cotação do seu seguro de forma personalizada, recomendamos que você utilize o nosso comparador de seguro viagem. Ele apresenta planos das principais seguradoras do mercado e ainda garantimos os melhores preços aos leitores do Euro Dicas.