Quem escolhe se mudar para outro país sabe que a segurança é um fator importante na decisão final. A Itália, famosa por suas cidades históricas e tradição culinária, é um destino comum para brasileiros que desejam morar na Europa, principalmente pela facilidade na obtenção da cidadania por ascendência. Mas como é a segurança na Itália? Quem se muda para a Itália se sente seguro? Quais os principais crimes cometidos e como evitá-los?

Neste artigo, vamos esclarecer todas as dúvidas com relação ao tema.

A Itália é um país seguro?

Apesar de não figurar na lista dos 10 países mais seguros do mundo, a Itália ocupa a 32ª posição no Global Peace Index (GPI), um estudo que avalia conflitos externos, internos, criminalidade, estabilidade política e indicadores de tranquilidade social. Por ser um país turístico, a Itália compartilha de alguns males das cidades com grande volume de visitantes, como furtos, roubos e golpes.

Ainda assim, os italianos nativos e imigrantes, tanto os que moram nas cidades maiores quanto nas menores, confirmam que a Itália é um país seguro para seus habitantes.

Principais crimes na Itália

Apesar dos golpes e furtos a turistas, que acontecem em pontos famosos e estações de trem ou metrô, o crime mais cometido na Itália é o furto a residências e estabelecimentos comerciais, que geralmente acontece quando os proprietários estão ausentes. Por isso, a polícia local aconselha que os donos de imóveis invistam em sistemas de segurança, que variam de alarmes a sistemas de vigilância com câmeras.

Crimes de extorsão também são bastante comuns na Itália. Golpes por telefone, onde o interlocutor tenta obter dados bancários sob a desculpa de prover serviços especiais ou oferecer descontos, acontecem com frequência no país. Além disso, é comum que pessoas toquem o interfone de residências, se passando por funcionários da companhia de gás ou luz, para obter acesso a condomínios e roubar itens deixados nos locais de acesso comum. É importante ficar atento às dicas de segurança da polícia italiana, que costuma fazer campanhas de conscientização em relação a esse tipo de golpe. Confira o site oficial da polícia italiana sobre como se proteger no país (em italiano).

Homicídios e outros crimes violentos não acontecem com frequência na Itália, apesar do Ministerio dell’Intero ter registrado um aumento nos casos de feminicídio em 2020. Infelizmente, o número de denúncias de violência doméstica e crimes passionais foi maior em vários países, inclusive no Brasil, como reflexo das restrições de circulação causadas pela pandemia do Covid-19.

Precisa enviar dinheiro para outro país?

Envie dinheiro com toda a segurança, rapidez e melhor taxa de câmbio. Atualizamos a melhor entidade diariamente, faça já a sua simulação!

Cotar Agora →
Precisa enviar dinheiro para outro país?

Depois de testarmos as principais alternativas do mercado (Paypal, Western Union, Moneygram, etc), a plataforma que nós recomendamos é a Wise. É seguro, rápido e fácil de utilizar.

Ver Cotação →

Polícia em Roma

Golpes mais comuns na Itália

Já vimos aqui que a Itália é um país seguro, mas alguns delitos podem acontecer, como em qualquer parte do mundo. Portanto, fique atento a alguns potenciais riscos durante sua viagem ao país.

Na Itália, muitos golpistas e trapaceiros tentam tirar vantagem dos turistas, principalmente nas proximidades dos pontos turísticos e nem cidades do sul do país, como Roma e Nápoles. Portanto, seja cauteloso com pessoas tentando distraí-lo com apresentações, petições ou oferecendo ajuda com sua bagagem. Conheça os golpes mais praticados no país e saiba como evitá-los.

Clonagem de cartões

Segundo o Portal Consular, a Itália é apontada como um dos 20 países com maior incidência de clonagem de cartões de crédito. Por isso, nunca entregue seu cartão em estabelecimentos. Em comércios informais, use dinheiro sempre que possível. Ao usar caixas eletrônicos, verifique se não há qualquer alteração ou câmeras na máquina.

Produtos falsificados

É comum encontrar vendedores nas ruas oferecendo produtos falsificados como se fossem originais e é impressionante a quantidade de pessoas que caem nesse golpe. Se perceber que um determinado relógio custa 100 euros na loja, ele não pode estar sendo vendido na rua por 30 euros. Simplesmente é incompatível.

Ajudantes em bilheterias ou máquinas de venda automática

Se alguém aparecer do nada para lhe ajudar a operar uma máquina de venda automática ou comprar um bilhete seja para o que for, desconfie. Esse tipo de golpista é muito comum no mundo todo e na Itália não é diferente. Desconfie, mas se a máquina estiver em algum local privado, perceba se realmente não é um serviço do local.

Pequenos furtos

Alguém esbarra em você na rua e, enquanto lhe pede desculpas, rouba sua carteira ou algum pertence. O clássico golpe do batedor de carteira, em versão mais sofisticada! Fique atento, pois este é o mais comum, principalmente nos grandes centros, transportes e pontos turísticos da Itália.

Pulseirinha

Mais uma vez lembrando da Bahia e da tradicional fitinha do Senhor do Bonfim, na Itália os ambulantes também se aproveitam do seu encantamento de turista, lhe abordam e amarram uma pulseirinha em seu braço, pela qual lhe cobrarão alguns euros.

Se alguém se aproximar de você sem que seja do seu interesse, seja firme em dar uma resposta negativa.

Aluguel de apartamento

Se você for alugar um apartamento na Itália para temporada ou para morar na Itália, não deixe de procurar um corretor habilitado para isso. Anunciantes falsos podem oferecer apartamentos que não existem por meio da internet.

Funciona assim: você encontra o anúncio, gosta do apartamento e resolve tratar diretamente com o proprietário para fugir da taxa cobrada pelas imobiliárias. Daí ele propõe fazer um depósito em troca das chaves, que serão enviadas pelo correio. Só que você não verá nem as chaves, nem seu dinheiro de volta. O verdadeiro barato que sai caro.

Táxis cobrando a mais

Infelizmente esse é um golpe comum em todo o mundo. Fique sempre atento ao taxímetro!

Apesar de ser seguro, principalmente se você estiver atento aos riscos que falamos anteriormente, se algo acontecer, não hesite em chamar as forças de segurança na Itália.

Veja mais sobre a qualidade de vida na Itália.

Índices de criminalidade do país

Para melhor compreender o cenário de segurança na Itália, o site Eurostat compilou dados de 2012 a 2018 das denúncias às autoridades italianas. Nesse período, a análise foi positiva e os números mostraram:

  • Queda no número de homicídios: em 2012, a polícia italiana registrou 555 homicídios. Em 2018, o número foi de 319, atingindo 315 em 2019.
  • Queda no número de furtos: em 2012, cerca de 1.477.000 furtos foram registrados. Em 2018, houve cerca de 1.189.000 denúncias à polícia do mesmo crime.
  • Queda no número de roubos: em 2012, houve 41.281 roubos, com uso de violência ou ameaça pelo criminoso. Esse número caiu para 28.390 em 2018.

Em todo o país, nota-se uma tendência maior na queda dos homicídios e crimes violentos. Nos grandes centros urbanos, no entanto, há uma concentração de roubos e furtos que, apesar de estarem diminuindo, continuam sendo um problema, principalmente para turistas.

Cidades mais e menos seguras na Itália

Como qualquer país turístico, as cidades mais visitadas possuem grande circulação de pessoas e, portanto, costumam registrar mais crimes como furtos e roubos. Quem pensa em morar na Itália e busca segurança terá que abrir mão da localização: as cidades com menor criminalidade estão mais distantes dos grandes centros. Para quem busca trabalhar na Itália, isso pode ser uma desvantagem, já que as cidades maiores oferecem mais oportunidades de emprego, principalmente para quem não é fluente no italiano.

Cidades mais seguras da Itália

Confira a lista das cidades mais seguras da Itália em 2020, de acordo com o jornal Il Sole 24 ore e dados do Ministerio dell’Intero:

Oristano, na Sardenha

A capital da província de Oristano, localizada na porção centro-oeste da ilha da Sardenha, é considerada a cidade mais segura da Itália. Suas atividades econômicas se concentram no turismo, agricultura, serviços e pequenas indústrias. A cidade na ilha italiana registrou apenas 2.057 ocorrências policiais em todo o ano de 2020.

L’Aquila, em Abruzzo

A cidade fica na região central da Itália, a 1h30 de carro da capital, Roma. Além de ter uma boa posição no raking de cidades mais seguras da Itália, L’Aquila ainda se destaca por ter diminuído bastante os níveis de poluição do ar, sendo reconhecida pelo relatório Mal’aria, publicado pela instituição ambiental Legambiente.

Potenza, em Basilicata

Potenza é a capital regional mais alta da Itália, situada na cordilheira dos Apeninos. É um lugar cheio de história, habitado desde o ano 216 a.C. Devido à altitude da área central da cidade, escadas rolantes são um meio de transporte comum para os pontos turísticos. Em 2015, Potenza registrava pouco mais de 67 mil habitantes e é considerada uma das mais seguras do país.

Pordenone, em Friuli Venezia Giulia

Localizada aos pés dos Alpes Venezianos, Pordenone é famosa por sediar festivais de cinema, como o Giornate del Cinema Muto e o FMK International Short Film Festival. A cidade de pouco mais de 51 mil habitantes tem bastante imigrantes, que somam 13% da população local.

Benevento, em Campania

Localizada a 50 quilômetros ao Norte de Nápoles, Benevento é uma cidade de grande importância histórica. A igreja de Santa Sofia, no centro de Benevento, foi declarada Patrimônio Mundial pela UNESCO em 2011. A cidade é considerada a quinta mais segura da Itália.

Cidades menos seguras da Itália

Apesar de algumas cidades terem registrado um aumento em roubos, que vão desde bolsas e carteiras até automóveis e residências, os homicídios e crimes violentos estão diminuindo consistentemente há pelo menos 30 anos. Confira a lista das cidades menos seguras da Itália:

Milão, na Lombardia

Milão, também conhecida como a capital da moda italiana registra cerca de 8.500 ocorrências policiais a cada 100.000 habitantes. Os crimes mais comuns são furto, de bens pessoais e automóveis. Apesar de a cidade ter registrado uma queda no número de homicídios, crimes virtuais como cyberstalking e clonagem de cartão de crédito aumentaram em relação aos anos anteriores.

Milan

Rimini, em Emilia Romagna

A cidade de Rimini registra 8.000 ocorrências policiais a cada 100.000 habitantes. Houve um aumento de denúncias de roubos a residências e furtos de objetos pessoais no último ano, mas Rimini se destaca pela alta incidência de violência sexual, que também registrou mais denúncias em 2020.

Bologna, em Emilia Romagna

A capital da região de Emilia Romagna é um dos principais centros de roubos a bolsas, com 7.100 ocorrências a cada 100.000 habitantes. Apesar de ter registrado uma queda significativa em homicídios nos últimos 30 anos, a maior incidência de crimes ao patrimônio pessoal reflete uma realidade de desigualdade econômica, que tem crescido até mesmo na Itália.

Torino, em Piemonte

A importante cidade no Norte da Itália registra 7.000 denúncias à polícia a cada 100.000 habitantes. Apesar da taxa de homicídios, intencionais ou que são seguidos por roubo, ser irrelevante, Torino se destaca pela grande quantidade de furtos com ameaças, espancamentos e lesões maliciosas.

Roma, a capital italiana

Roma, a capital da Itália e principal cidade turística do país ocupa a quinta posição no ranking de cidades mais perigosas. Com 6.600 denúncias a cada 100.000 habitantes, quem mais sofre com a alta incidência de furtos na cidade é o turista, que deve ficar atento à carteira e documentos quando visita locais famosos. A cidade segue a tendência de segurança do país, com queda no número de homicídios.

Segurança na Itália em comparação com outros países da Europa

De acordo com o site Global Peace Index (GPI), a Itália é o 18º país mais seguro dos 27 que compõem a União Europeia. O GPI reúne uma série de índices, que vão desde a ocorrência de crimes até investimento em armas nucleares, para determinar os riscos de morar em um país.

Quando comparado aos outros países da Europa, a Itália é bem menos segura que Portugal, que ocupa a 2ª posição no ranking mundial e 1º lugar no continente. No entanto, está à frente da Espanha, França e do Reino Unido, composto por Inglaterra, Escócia, Irlanda do Norte e País de Gales, que também são destinos visados por brasileiros que desejam morar na Europa.

Em resumo, a Itália é um país seguro quando levamos em consideração o volume de turistas e sua população. A estabilidade política e neutralidade em conflitos mundiais reforçam a sensação de segurança de seus habitantes, apesar da desigualdade econômica dos grandes centros.

Segurança na Itália em comparação com o Brasil

Quando comparamos as estatísticas de criminalidade entre os países, a sensação de segurança na Itália é bem maior que no Brasil. De acordo com o Global Peace Index (GPI), a Itália é o 32º país mais seguro do mundo, enquanto o Brasil ocupa a  126ª posição.

Entre 2018 e 2019, a Itália conseguiu reduzir ainda mais sua taxa de homicídios. Nesse período, foram apenas 315 assassinatos, com 62 estrangeiros entre as vítimas, de acordo com dados do Instituto Nazionale di Istatistica. A segurança no país europeu tem aumentado em tendência constante, apresentando queda nos indicadores de criminalidade há pelo menos 30 anos.

O Brasil, por sua vez, contrariou a tendência mundial e apresentou um aumento de 5% em sua taxa de homicídios entre 2019 e 2020, mesmo com a redução de circulação por causa da pandemia de Covid-19. Os crimes contra o patrimônio, no entanto, apresentaram queda significativa no primeiro semestre de 2020, conforme o Anuário Brasileiro de Segurança Pública. Houve 34% de queda a roubo de transeuntes e 22,5% em roubos de carros, dois crimes bastante comuns na Itália.

Mesmo com os números da criminalidade no Brasil apresentando uma melhora, é indiscutível que, em comparação, a Itália é um país seguro, tanto para seus moradores como para os turistas.

É possível se sentir em segurança na Itália?

Para quem está acostumado com o Brasil, a sensação de segurança na Itália é muito maior. Na maior parte das cidades, as ruas são bem iluminadas e as pessoas que circulam em áreas residenciais são, majoritariamente, moradores locais.

Nos grandes centros brasileiros, é comum que executivos de grandes empresas tenham carros blindados e seguranças que os acompanham nas ruas. Na Itália, essa situação é praticamente inexistente, e carros blindados geralmente não são comercializados para a população comum.

A segurança na Itália está presente em todos os níveis sociais e, fora das áreas de alta circulação de turistas, o brasileiro pode caminhar nas ruas com muito mais tranquilidade do que em seu país de origem.

Dicas de segurança na Itália

Independente de onde você esteja fazendo turismo, alguns cuidados são necessários. Veja as dicas abaixo nossas dicas de segurança na Itália e faça delas um bom uso:

  • Seja especialmente vigilante em locais como estações de trem, aeroportos, restaurantes, cafés ao ar livre e em transportes públicos;
  • Evite carregar muitos pertences. Proteja seus itens pessoais o tempo todo, especialmente seu passaporte. O ideal é usar uma doleira por baixo da roupa;
  • Nas grandes cidades evite andar sozinho em parques à noite e não deixe seus pertences sem vigilância;
  • Não deixe pertences no interior de carros alugados. Tirar o dinheiro da carteira e deixá-la à mostra no interior do veículo é um convite aos arrombadores;
  • Atenção redobrada às crianças. Ao longo de todo o texto falamos de prejuízos materiais, mas Deus me livre e guarde se o que for levado for seu filho. É uma ocorrência incomum na Itália, mas é bom estar sempre preparado;
  • Não se distraia da bolsa ou carteira, principalmente em viagens em família. São comuns os momentos de distração para atender alguma demanda das crianças. Nessa hora, não se descuide das suas coisas;
  • Evite carregar a carteira no bolso de trás (por motivos óbvios);
  • Deixe os documentos originais no hotel e tenha uma cópia em mãos e em seu e-mail. Você evita perdê-los e ter dor de cabeça durante a viagem.

Lembre-se sempre que tomar medidas de precaução é a melhor forma de garantir uma viagem segura.
Se conhecer a Itália está nos seus planos, saiba que o seguro viagem é obrigatório para entrar no país. Para contratar um seguro viagem ideal para o seu próximo destino você pode utilizar o nosso comparador de seguro viagem. Em parceria com o portal Seguros Promo, garantimos os menores preços aos nossos leitores em planos completos das principais seguradoras do mercado. Faça a cotação e aproveite!