Muitos brasileiros que passam a morar na Itália pensam que conseguirão um bom emprego logo nos primeiros meses de estadia no novo país. Porém, o mercado de trabalho italiano pode apresentar uma série de dificuldades para os imigrantes brasileiros. Para te ajudar, hoje iremos apresentar o que ninguém te conta sobre trabalhar na Itália.

Confira quais são os principais problemas que um brasileiro pode encontrar ao procurar trabalho na “terra da pizza”!

O que ninguém te conta sobre trabalhar na Itália: 8 questões problemáticas

Não são poucos os desafios de trabalhar na Itália. Isso porque, existem diversas questões que podem se mostrar problemáticas no processo de busca por um trabalho no país.

Vamos conferir, a seguir, o que ninguém te conta sobre trabalhar na Itália e como você pode contornar os principais desafios que o mercado de trabalho italiano pode colocar no seu caminho enquanto brasileiro imigrante no país.

1. É preciso saber italiano

Segundo o jornal Il Sole 24 ore, o italiano é a quarta língua mais estudada em todo o mundo e a vigésima mais falada pelas pessoas.

Porém, apesar desses dados, a língua italiana ainda é desconhecida para a maioria dos brasileiros: e isso pode ser um grande desafio para quem deseja encontrar uma vaga no mercado de trabalho da Itália.

Dominar o italiano é fundamental para conseguir uma vaga de trabalho no país, principalmente nos primeiros meses como recém-chegado imigrante.

Precisa enviar dinheiro para outro país?

Envie dinheiro com toda a segurança, rapidez e melhor taxa de câmbio. Atualizamos a melhor entidade diariamente, faça já a sua simulação!

Cotar Agora →
Precisa enviar dinheiro para outro país?

Depois de testarmos as principais alternativas do mercado (Paypal, Western Union, Moneygram, etc), a plataforma que nós recomendamos é a Wise. É seguro, rápido e fácil de utilizar.

Ver Cotação →

A maioria das vagas irá exigir que o candidato possua pelo menos um conhecimento básico do idioma. Assim, não conhecer a língua poderá certamente te prejudicar na busca por um emprego.

A boa notícia é que o italiano é, assim como o português, uma língua latina: as duas línguas descendem do Latim.

Dessa maneira, aprender a língua italiana não é um desafio tão grande para um brasileiro. Você pode conseguir um domínio intermediário da língua com apenas alguns meses de estudo e, melhor ainda, de permanência no país.

2. Você vai precisar de indicação para conseguir uma vaga

A Itália possui uma grande tradição com indicações (raccomandazioni) em diversas áreas do cotidiano: e o mercado de trabalho está incluído nessas listas.

Dessa forma, os empregadores muitas vezes contam com recomendações de conhecidos para selecionar os candidatos.

Porém, isso não é necessariamente um ponto negativo do mercado italiano e acontece porque os italianos confiam muito na palavra das pessoas, principalmente conhecidas.

Assim, se você se mostrar uma pessoa competente e esforçada, é provável que você também seja recomendado e consiga uma boa vaga de emprego.

Para isso, é importante fazer as amizades corretas durante os primeiros meses no país, além de, claro, mostrar muito esforço e determinação.

E lembre-se também de que, apesar de ser uma tradição muito forte no país, a recomendação não é tudo: não se assuste com essa característica e busque sempre realizar um trabalho de qualidade no que você faz.

3. A concorrência é elevada

A pandemia causada pelo novo coronavírus afetou muito a economia da Itália como um todo, incluindo o mercado de trabalho.

Porém, com a recuperação e com o novo governo, as vagas de emprego não param de crescer em diversos setores do país: o que pode ser positivo para os brasileiros que querem trabalhar na “terra da pizza”.

Ao mesmo tempo, devemos levar em consideração que existe muita concorrência dentro do mercado de trabalho italiano: é comum observarmos a presença de centenas de candidatos que concorrem por uma mesma vaga.

Assim, se você pretende se transferir para o país e conseguir um emprego, prepare-se para enfrentar muita concorrência, tanto de italianos como de outros imigrantes.

Mas isso não é motivo para desânimo! A melhor estratégia para enfrentar esse desafio é construir um currículo adequado e no modelo europeu, se manter bem preparado e não desistir diante do primeiro “não”.

O que ninguém te conta sobre trabalhar na Itália concorrência

4. Você pode precisar validar seu diploma

Se você busca conseguir um emprego qualificado na Itália (que exige determinada qualificação), então você precisará validar o seu diploma no país.

Validar o diploma na Itália será extremamente importante para o início da sua jornada no país, principalmente para os brasileiros que almejam conseguir uma vaga no mercado de trabalho italiano.

O processo poderá ser mais ou menos difícil de acordo com a área do diploma a ser validado. As áreas da saúde, por exemplo, são as mais difíceis de serem validadas.

Assim, um dos maiores desafios nesse sentido pode ser a frustração com o processo de validação: você precisará gastar algumas centenas de euros e poderá ter que esperar um bom tempo até conseguir o seu diploma validado. Esses são dois dos motivos que fazem com que muitos brasileiros desistam da validação e procurem um emprego fora da área de formação.

5. Ter retrocesso na carreira é algo comum

Dentre o que ninguém te conta sobre trabalhar na Itália, o retrocesso na carreira se destaca e surpreende negativamente muitos dos recém-chegados imigrantes.

Você pode ter anos de experiência em determinada área e ter trabalhado em bons cargos no Brasil. Mas é provável que, mesmo assim, você tenha que se contentar com uma posição muito inferior na Itália.

Essa situação acontece muito frequentemente: os brasileiros na Itália nem sempre são valorizados dentro das empresas e indústrias como deveriam.

Assim, você pode ser muito qualificado e possuir um currículo muito extenso, mas mesmo assim ser considerado inferior em relação a um italiano muito menos preparado.

Para evitar frustrações, esteja preparado para aceitar um cargo iniciante ou inferior ao que você possuía no Brasil. Essa pode ser uma oportunidade de crescer dentro da empresa e de se inserir no mercado de trabalho da Itália.

6. Existe preconceito e xenofobia

Infelizmente, diversas são as histórias de preconceito e xenofobia contra brasileiros que buscam empregos na Itália.

A Itália é um país acostumado a receber imigrantes, mas mesmo assim o preconceito não deixa de ser parte da realidade dos imigrantes que vivem no local, principalmente dentro do mercado de trabalho.

Para um brasileiro que quer trabalhar na Itália, o preconceito pode aparecer principalmente em empregadores que dão preferência para italianos ou outros europeus do que para brasileiros dentro de um processo de seleção.

Isso acontece pois os imigrantes não-europeus são, muitas vezes, considerados “menos qualificados” ou, até mesmo, “menos competentes”.

Assim, para a maioria dos não-europeus (incluindo brasileiros, principalmente aqueles sem cidadania europeia), as áreas consideradas “subempregos” são que mais empregam.

Dessa forma, é importante ter em mente que o recomeço da sua carreira na Itália pode não acontecer como esperado.

Veja também esse artigo que mostra como é ser brasileira na Itália.

7. As diferença entre regiões e cidades são consideráveis

Um dos grandes problemas da Itália é a diferença entre regiões (principalmente entre o norte e o sul do país) e entre cidades. Essas diferenças são sentidas em diversos aspectos, mas causam um forte impacto também no mercado de trabalho do país.

Assim, quando um brasileiro decide se transferir para a Itália para trabalhar, o local de moradia deve ser escolhido com grande atenção e levando em consideração a oferta de oportunidades no local.

Para quem deseja conseguir um emprego de forma mais rápida, a melhor opção é escolher uma cidade do norte do país. Isso porque, o norte concentra a maior quantidade de indústrias, fábricas, lojas e oficinas que empregam milhares de pessoas.

Ainda, dentro das regiões do norte, busque optar também por cidades médias ou cidades grandes, já que as cidades pequenas contam com uma menor quantidade de ofertas de emprego justamente devido ao seu tamanho reduzido.

Para brasileiros imigrantes na Itália, algumas das melhores opções podem ser Milão ou Roma, principalmente para os primeiros meses de estadia no país.

As duas cidades são muito dinâmicas e oferecem diversas oportunidades, apesar de possuírem um custo de vida bem alto.

O que ninguém te conta sobre trabalhar na Itália Milão

8. Os salários são baixos

Segundo o site italiano Money. It, o salário líquido médio de um italiano é de 1300€, o que pode parecer pouco, mas não é quando levamos em consideração o custo de vida médio das cidades italianas e os muitos benefícios que os trabalhadores possuem no país.

Porém, dentre o que ninguém te conta sobre trabalhar na Itália, devemos citar o fato de que os imigrantes, principalmente aqueles que possuem uma formação estrangeira, costumam ganhar menos, principalmente nos primeiros meses no novo país.

Isso porque, a maioria dos recém-chegados imigrantes aceita trabalhar por um valor inferior do que aquele pago dentro da profissão, o que faz com que os empregadores já possuam o costume de remunerar os imigrantes com valores inferiores.

Mas isso não é uma regra: você pode conseguir um emprego na Itália e ganhar o mesmo ou até mesmo mais do que um italiano que se formou no país.

Porém, esteja preparado para ganhar um salário não tão alto quanto o esperado nos seus primeiros meses ou anos de permanência no país.

Como enfrentar os desafios do mercado de trabalho italiano?

O objetivo de listar o que ninguém te conta sobre trabalhar na Itália não é desanimar brasileiros que desejam conseguir um lugar no mercado de trabalho italiano, mas conscientizar sobre os possíveis desafios que podem existir nesse processo e mostrar que nem tudo são flores.

Apesar dos problemas listados no artigo, existem formas de contornar as adversidades da busca por um emprego na Itália.

Vamos conferir, a seguir, dicas que irão te ajudar a enfrentar os desafios do atual mercado de trabalho da Itália:

1. Enfrentar o processo com muita paciência

No momento da sua chegada no país, nem tudo será da forma que você havia planejado (e isso inclui a busca por um trabalho). Você poderá demorar meses para conseguir uma posição, ter que lidar com salários baixos ou aceitar uma vaga fora da sua área de atuação.

O melhor a fazer é ter paciência e aceitar que o processo pode ser longo e demorado, mas pode ser também muito frutífero e positivo no final das contas.

2. Considere fazer uma formação na Itália

Uma das melhores formas de se inserir no mercado de trabalho italiano e superar os desafios do mesmo é possuir algum tipo de formação no país, seja um curso de mestrado, doutorado ou outro tipo de pós-graduação.

Considere essa possibilidade, principalmente se você deseja conseguir uma posição que exige mais qualificação.

3. Pesquise vagas de emprego

Veja vagas disponíveis nos principais sites de emprego da Itália, como o Subito.It e o Adecco.

Você poderá se surpreender com a quantidade de oportunidades que existem dentro dessas plataformas.

4. Aprenda a língua italiana

Como vimos, vale muito a pena dedicar horas do seu tempo para aprender o italiano. Dominar o idioma irá aumentar consideravelmente as suas chances de conseguir uma vaga de emprego na Itália

Viu como as adversidades podem ser contornadas?

Apesar das possíveis questões problemáticas citadas e de muitas outras, a Itália é o 7º país mais rico do mundo, faz parte do G8 e oferece muitas oportunidades para imigrantes que decidiram morar na Itália. Boa sorte!