Bolsa de estudo na Itália: dicas para conseguir a sua

Quer estudar na Itália? Já pensou em concorrer a uma bolsa de estudo e estudar de graça no país? Conseguir uma bolsa de estudo na Itália é um pouco trabalhoso, mas mais fácil do que se pensa! Se você pensa em morar na Itália e está atrás de bolsas de estudo, você está no lugar certo. Confira aqui como conseguir se inscrever, os documentos necessários e outras informações a respeito.

Como conseguir uma bolsa de estudo na Itália?

Existem vários tipos de bolsas de estudo na Itália. As mais comuns são as bolsas oferecidas pelas regiões italianas, as quais dispõe de um órgão que assegura a permanência estudantil nas universidades italianas.

Desta forma, a bolsa de estudo na Itália é garantida pela lei do Direito à educação (Diritto allo Studio – DSU), instituída em nível nacional que prevê, como, por exemplo, bolsas de estudo e até mesmo redução das taxas universitárias. Essas bolsas são oferecidas por tais órgãos, através verba do governo estatal.

Pedido de bolsa de estudos

Para conseguir uma bolsa de estudo na Itália como essa, é preciso apresentar alguns documentos.

Por que escolhemos a Goldenergy em Portugal?

São eles:

  • Comprovante de renda;
  • Carteira de trabalho de todos os componentes do núcleo familiar com mais de 18 anos;
  • Documento que ateste a área total e construída de todos os imóveis da família;
  • Saldo da conta-corrente de todos os componentes do núcleo familiar com mais de 18 anos.

Todos os documentos deverão ser apostilados e a tradução juramentada é obrigatória (atenção: a tradução também precisa ser apostilada!). Esse procedimento é obrigatório para todos os estudantes, inclusive para quem não conste mais no imposto de renda dos pais.

Atenção às regras e exceções

A regra muda se você, durante o ano anterior à sua matrícula na universidade, tenha trabalhado legalmente na Itália e tenha obtido uma renda superior a 6.000,00€ (comprovada através da declaração de renda no país).

Caso não contemple nenhum destes requisitos, você deverá apresentar os documentos elencados acima.

Para poder concorrer a uma bolsa de estudo na Itália através o DSU, você deverá ser domiciliado na Itália para concorrer às bolsas. Em outras palavras, você deverá estar presente no país no ato de inscrição e ter um contrato de aluguel em seu nome.

Boa notícia: a inscrição nos editais não é vinculada à matrícula em uma universidade italiana. Isto é, você pode se inscrever em mais de um edital de bolsas de estudos na Itália através a DSU, sem necessariamente se matricular na universidade desejada. Mas fique atento: cada região possui uma sede DSU, e desta forma, cada região estabelece os próprios prazos e modalidades de participação.

Neste site você poderá conferir algumas bolsas de estudo disponibilizadas por cada instituição de ensino italiano. As bolsas variam de universidade a universidade porque são financiados por verbais regionais e, logo, depende de quanto o governo regional decide destinar à Educação.

Valor médio da bolsa de estudo na Itália

Em relação ao pagamento, este é efetuado através de dois depósitos anuais na conta-corrente do aluno. O valor médio das bolsas de estudo na Itália é de 500€ mensais e dá direito ao restaurante universitário a custo zero e a um quarto na residência estudantil, caso o aluno tenha feito essa opção.

Diferentes tipos de bolsa de estudo na Itália

Existem diferentes tipos de bolsa para estudar na Itália. Confira a seguir alguns deles!

Bolsas de estudo na Itália pelo Brasil

Se você é bolsista de Mestrado ou Doutorado de uma Agência de fomento, como a FAPESP ou outras Fundações de Amparo à Pesquisa (FAP), saiba que pode passar um período de estudos no exterior, através do programa de acordo de cooperação internacional entre as Universidades brasileiras e italianas.

São os chamados Mestrados e Doutorados-sanduíches. Não, não é de comer! O termo “sanduíche” faz alusão ao modo no qual o pesquisador desenvolve a sua pesquisa: inicia-a em seu país (por exemplo, no Brasil), desenvolve parte dela no exterior (por exemplo, o pesquisador resolve ficar 1 ano na Itália como pesquisador visitante em uma universidade italiana) e termina-a no Brasil. Por isso o nome: o período no exterior é o “recheio” do período do mestrado ou doutorado.

dois estudantes

Nestes casos, as Agências de fomento permitem uma estadia no exterior de seis meses a um ano.

Bolsas de estudo oferecidas pelas Universidades italianas

É possível também conseguir bolsas de estudo na Itália parecidas com as bolsas do direito à educação. Neste caso, porém, cada Universidade faz as próprias regras. Por norma, leva-se em considerado a renda familiar e a média das notas obtidas no Ensino Médio ou durante a Graduação, na hipótese de inscrição nos cursos de pós-graduação.

As escolas italianas, no Ensino Médio, usam a escala de notas 60 a 100, diferentemente das escolas brasileiras, cujas notas vão de 0 a 10. O mesmo ocorre com as universidades, cuja nota mínima para se formar é 66 e a máxima 110. Nesse caso, é preciso consultar o edital de cada universidade para entender como é feita a “conversão” de notas, uma vez que não existe uma lei que a regulamente.

Alguns exemplos são as bolsas cedidas sobretudo pelas universidades particulares, como a Universidade Bocconi e a Universidade Cattolica, ambas situadas em Milão.

E nas universidades particulares?

Diferentemente das universidades públicas, as bolsas de estudos das universidades particulares contemplam, geralmente, a isenção da taxa anual de pagamento, a qual tende a ser mais cara do que as instituições estatais de ensino universitário.

Bolsas de estudo do governo italiano: brasileiros podem concorrer?

As bolsas de estudo oferecidas pelo governo italiano são destinadas a estrangeiros e/ou italianos residentes no exterior. Nesta última categoria estão os cidadãos estrangeiros que possuem a cidadania italiana e não moram na Itália.

O edital pode ser consultado na página do Ministério de Relações Exteriores da Itália (MAECI, Ministero degli Affari Esteri e della Cooperazione Internazionale). Costuma ser publicado antes do início do semestre acadêmico italiano, ou seja, em abril/maio (lembrando que o ano letivo inicia em setembro/outubro).

As bolsas de estudos na Itália concedidas pelo governo italiano englobam os cursos de pós-graduação no país, cursos de atualização para professores de Língua Italiana e cursos trimestrais de Língua Italiana para estudantes que possuem já o nível B2.

Existe ainda a possibilidade de cursar o Conservatório de Música e institutos de Arte, chamados AFAM (Alta Formazione Artistica, Musicale e Coreutica). Neste contexto, a regra muda um pouquinho: deve-se comprovar o conhecimento teórico na área desejada.

Documentos necessários para candidatar

Para participar do edital de bolsas de estudo do governo italiano, além de completar o formulário, disponibilizado pelo próprio site, é necessário anexar alguns documentos, como, por exemplo:

  • Histórico escolar da graduação;
  • Diploma de conclusão de curso;
  • Certificado de Língua Italiana nível B2.

Como sempre, todos os documentos deverão ser apostilados e traduzidos.

Valor da bolsa de estudo

As bolsas do governo italiano são em torno de 700€ e duram exatamente o tempo de permanência no país. O aluno deverá, porém, pagar as passagens, a estadia e o seguro-saúde. Mas o lado positivo é que essa bolsa de estudo na Itália não impede a participação dos editais das universidades italianas, mencionados no tópico anterior.

Bolsas de estudo europeias

É possível, também, ter uma bolsa de estudo na Itália oferecida pela União Europeia. A bolsa de estudo mais famosa é oferecida pelo programa Erasmus Mundus, que é um programa de Mestrado destinado exclusivamente aos estudantes não-residentes na Europa.

O diferencial dessa bolsa é que dá a possibilidade de o aluno cursar um ano na Itália e um ano em outro país europeu.

Para poder se inscrever, você deverá apresentar:

  • Diploma de Graduação;
  • Histórico escolar da Graduação;
  • Certificado de Proficiência de Língua Italiana e segunda língua estrangeira, ambas nível B2;
  • Comprovante de renda.

As bolsas do Erasmus Mundus são cerca de 1.200€ e cobrem a viagem, hospedagem e seguro-saúde. E claro, o aluno-bolsista é isento do pagamento das taxas anuais.

Como conseguir estudar na Itália de graça: passo a passo para conquistar sua bolsa

Aqui vai um breve tutorial de como conquistar a sua bolsa de estudo na Itália e estudar de graça no país.

Por se tratar de um processo longo e burocrático, a nossa recomendação é de que você comece a se planejar um ano antes da data escolhida para viajar. Se organize bem na hora de preparar toda a documentação necessária para a matrícula na universidade e para o pedido de bolsas. Ela será a sua grande aliada na realização do seu sonho!

Primeiro passo: documentos necessários

Já decidiu o que estudar e está pronto para pedir a sua bolsa de estudo na Itália?

Ainda que a regra mude de universidade a universidade, os documentos são os mesmos. Tenha em mãos todos os documentos necessários, apostile-os, traduza-os e apostile as traduções.

Graduação

Se você está interessado em fazer faculdade na Itália, você vai precisar de:

  • Histórico escolar do Ensino Médio;
  • Certificado de conclusão do Ensino Médio;
  • Histórico escolar do Ensino Fundamental II;
  • Certificado de conclusão do Ensino Fundamental II;
  • Histórico escolar do Ensino Fundamental I;
  • Certificado de conclusão do Ensino Fundamental I;
  • Certificado de conclusão da Pré-escola.

Este último documento é necessário para comprovar o mínimo de 12 anos de escolaridade exigidos pelo governo italiano somente se você tenha se formado no Ensino Fundamental antes da implementação do 9º ano pelo MEC.

Se você se formou após a ampliação do Ensino Fundamental, não vai precisar entregar o Certificado de conclusão da Pré-escola, uma vez que terá comprovado os 12 anos (9 anos de Ensino Fundamental + 3 de Ensino Médio) de escolaridade.

Pós-Graduação

Se você está interessado em cursar uma Pós-Graduação na Itália, você vai precisar apresentar os documentos elencados acima, seguidos de:

  • Histórico escolar da Graduação;
  • Certificado de conclusão da Graduação.

Não se esqueça de apostilar e traduzir os originais e, em seguida, de apostilar as traduções de cada documento. Sem eles você não poderá se inscrever nas bolsas de estudo nem se matricular nas universidades italianas.

Segundo passo: Escolha da universidade/instituto de Ensino

Com todos os documentos em mãos (originais e traduções apostiladas), chegou a hora de escolher onde estudar.

No site Universitaly, você poderá conferir todas as universidades italianas reconhecidas, autorizadas e credenciadas pelo Ministério da Educação italiano (MIUR, Ministero dell’Istruzione, dell’Università e della Ricerca).

Achei um curso interessante. E agora?

Terceiro passo: Inscrição nos editais de bolsa de estudo

Após escolher a universidade desejada, vamos à parte importante: inscrição nos editais de bolsa de estudo na Itália.

  • A universidade que eu tenho interesse é pública. Procure o edital da universidade no mapa no site da DSU. Lembre-se, cada universidade é administrada pela região onde tal instituição se encontra;
  • A universidade que eu tenho interesse é particular. Como dito acima, você deverá procurar no site de cada universidade o edital para bolsas de estudo na Itália;
  • Gostaria de fazer um intercâmbio na Itália. Confira o edital da sua universidade no Brasil ou Agência de fomento à pesquisa;
  • Gostaria de cursar uma Pós-Graduação em dois países diferentes. Consulte o edital do Erasmus Mundus!

Quanto custa estudar na Itália?

Estudar na Itália não é tão caro assim. Para alunos brasileiros, as taxas anuais são fixas. Isso significa que os alunos brasileiros têm um grande desconto nas taxas de Graduação e Mestrado.

estudante bolsista

Como podemos observar, os preços variam de 200€ a 1.000€. A única coisa em comum entre todas as instituições italianas é a taxa de inscrição, obrigatória para todos os cursos. Esta consiste na taxa de estudos regional no valor de 140€ mais um selo fiscal (marca da bollo) no valor de 16€.

Confira alguns exemplos de universidades italianas na tabela abaixo:

Instituição de Ensino Valor anual da taxa (graduação e pós-graduação)
Universidade de Milão 156€ (matrícula) + 200€
Universidade de Turim 156€ (matrícula) + 360€
Universidade de Roma La Sapienza 156€ (matrícula) + 660€
Universidade de Perúgia 156€ (matrícula) + 1.000€
Universidade de Nápoles L’Orientale 156€ (matrícula) + 622€

Como já mencionado, essas taxas podem ser reduzidas a 0€ caso você seja contemplado com a bolsa de estudo na Itália.

Não se assuste: você deverá pagar a taxa anual, mesmo sendo titular da bolsa de estudo na Itália. A universidade é obrigada a devolver esse dinheiro (somente os 140€, os 16€ da marca da bollo infelizmente não é restituível).

É difícil conseguir bolsa para estudar na Itália?

Eu diria que não é fácil nem difícil. É um processo um pouco complicado, visto que é bastante burocrático. A crise econômica parece não querer ir embora da Itália, mas a tendência é positiva para a Educação. As verbas para as bolsas de estudo foram cortadas, mas ainda sim, as bolsas são muitas.

Outro fator interessante é que não existe “competição” pelas bolsas. Se você preenche todos os pré-requisitos, é quase 100% de certeza que você ganhe a bolsa.

Eu passei pelo mesmo processo de indecisão e medo e conheço essa sensação. Mas todo sonho nasce de uma vontade de se realizar e de enfrentar um desafio. Por isso, arrisque-se (mas com consciência!). Conheça nosso guia completo para morar na Itália nesse artigo.

Bruna é bacharela em Letras e mestre em Comunicação. De um jeito ou de outro, está constantemente em contato com as palavras, seja escrevendo, falando, lendo, revisando, ensinando ou traduzindo. Após dois intercâmbios e alguns anos entre Brasil e Itália, se mudou para o país da bota em 2017, onde também se sente em casa.

Artigos relacionados

Cidadania italiana: quem tem direito, como solicitar e custos

Veja como reconhecer a sua cidadania italiana, desde saber se tem direito, recolher documentos e reconhecer no Brasil ou na Itália (e qual o custo).

Custo de vida na Itália: veja quanto se gasta por mês no país

Saiba qual é o custo de vida na Itália para um casal, incluindo aluguel, despesas fixas, transporte e saúde. Veja quanto é preciso para viver na na Itália.

Como morar na Itália: visto, custo de vida e melhores cidades

Se você quer morar na Itália confira tudo o que precisa saber sobre o país: tipos de visto, empregos, como estudar, custo de vida, saúde e muito mais.

Como trabalhar na Itália: salários, visto e como conseguir vaga

Tudo sobre como trabalhar na Itália: se precisa de visto ou cidadania, onde procurar emprego, custo de vida no país e as profissões mais procuradas.

Cidades da Itália: as 14 melhores para morar no país

Veja quais são as melhores cidades da Itália para morar, na opinião dos brasileiros e de acordo com o custo de vida, qualidade de vida, infrastruturas e segurança. Escolher a cidade para morar na Itália é uma decisão importante, pois tem impacto no seu futuro. Confira as dicas, conheça as cidades e escolha a sua.

Sites para alugar apartamento na Itália: conheça os melhores

Confira uma lista com os melhores sites para alugar apartamento na Itália e descubra os principais requisitos e quais são as melhores cidades para morar.

Câmbio de moedas

EURO € : R$ 0.00

LIBRA £ : R$ 0.00

DÓLAR $ : R$ 0.00

Ouça nosso Podcast

Curta nossa página

Euro Dicas no Youtube