Pular para o conteúdo
Andrea Côrtes

Andrea Côrtes

Autor

Andrea é jornalista e também tem formação em Linguística. Apesar de nascida em Curitiba, não demorou muito tempo para seu coração ganhar o mundo. Começou a trabalhar com agronegócio, área que a fez ganhar gosto para trabalhar fora do escritório, com pessoas de culturas e lugares diferentes. Com uma câmera na mão, desbravou inúmeras cidades e nunca mais parou. Decidiu unir a paixão pela profissão e pelas viagens e fez disso sua vida. Viajou por todos os cantos do Brasil e também se aventurou pelos Estados Unidos, sete países da África e Ásia. Ao lado do filho já morou no Sri Lanka e no Vietnã. Desde 2018 vive na Inglaterra e divide seu tempo entre a maternidade, produção de conteúdo e viagens pelo Reino Unido e Europa.

Localizações

Onde Nasceu?

Curitiba, Brasil

Onde mora?

Market Harborough, Inglaterra

Onde já morou?

Cape Town, África do Sul

Kapalady, Sri Lanka

Mũi Né, Vietnã

Parceiro Euro Dicas

Desde quando colabora com o Euro Dicas?

Formação

Universidade Positivo

Comunicação Social - Jornalismo

Universidade Federal do Paraná

Letras Português - Linguística e Literatura

Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Comunicação Institucional - Assessoria de Imprensa

Jornalista com mais de dez anos de experiência em jornais, revistas, agência, assessoria de imprensa e televisão. Desde 2018 trabalho exclusivamente com produção e gerenciamento de conteúdo online com foco em turismo, vida no exterior, finanças, economia e B2B.

Curiosidades

Tem filhos?

1

Tem pet?

0

Tem Cidadania Europeia?

Sim

Clima preferido

Verão e Calor

Mão dominante

Destro

Love for words, people and travel! Sempre viajei desde pequena com a minha família e a vontade de conhecer o mundo continuou desde então. A profissão me permitiu conhecer diferentes partes do Brasil e a sede de experienciar outras culturas me levou a colecionar memórias na África do Sul, assim como viver no Sri Lanka e no Vietnã. Hoje, com meu filho Luca, divido meu sonho de conquistar os 4 cantos do mundo!
Conteúdos recentes
Profissional fazendo uma tradução juramentada
Tradução de documentos

O que é tradução juramentada? Onde fazer? Tire suas dúvidas

A tradução juramentada traduz, de forma fiel, documentos brasileiros de modo a torná-los válidos em outros países e documentos estrangeiros para terem validade no Brasil. Então, se você vai embarcar rumo ao sonho de morar, estudar ou trabalhar fora do Brasil, acompanhe este artigo. E se está vindo para o Brasil após terminar uma graduação no exterior, por exemplo, esse conteúdo também será útil para você.   Antes de iniciarmos, confira, a seguir, respostas para três dúvidas comuns sobre a tradução juramentada. Perguntas Respostas Quando é necessário fazer tradução juramentada nos documentos? A tradução juramentada geralmente é exigida em pedidos de cidadania, casamento com estrangeiro, estudo ou trabalho no exterior, entre outros motivos Quanto custa uma tradução juramentada? Varia conforme a dificuldade do idioma, a quantidade de tradutores disponíveis, a urgência para recebimento do material, o número de laudas, entre outros fatores. Normalmente, custa entre R$ 100 e R$ 250 por lauda Tradutores juramentados precisam de certificação? Sim. Os tradutores juramentados são certificados e reconhecidos oficialmente por um órgão governamental competente, para fazer traduções de documentos que tenham validade legal O que é a tradução juramentada? Também conhecida como tradução pública, a tradução juramentada é a tradução oficial de documentos para que eles tenham validade perante os órgãos públicos do país para o qual deseja apresentá-los. Diferentemente do que acontece com um livro ou com um artigo, quando há a necessidade de traduzir um documento para outro idioma é preciso que a tradução tenha a sua autenticidade comprovada. Em outras palavras, é como se fosse necessário ter uma garantia de que tudo aquilo que está presente no documento e foi vertido de uma língua para outra é, de fato, verdadeiro e que não houve nenhum tipo de alteração. Sem a tradução juramentada não seria possível atribuir autenticidade a documentos estrangeiros, uma vez que a nossa legislação não reconhece ou aceita documentos escritos em outros idiomas como provas em tribunais ou como documentos válidos. Como fazer uma tradução juramentada? Existem algumas formas de fazer uma tradução juramentada, são elas: Yellowling Procurando por um bom serviço de tradução de documentos que encontramos a plataforma Yellowling, usamos e gostamos muito (e agora recomendamos aos nossos leitores!). Funciona como um Uber das traduções juramentadas: você faz o seu registro na plataforma, faz o seu orçamento online, preenchendo o idioma original e o idioma para o qual você precisa da tradução juramentada, os dados solicitados e anexando o arquivo. Após isso, você recebe, instantaneamente, em até 1 minuto, o valor que deverá pagar pela tradução. Além disso, no site, é possível o cliente escolher a data que deseja receber o documento traduzido. [caption id="attachment_171869" align="alignnone" width="750"] A Yellowling é confiável e realiza a tradução juramentada de forma econômica e com qualidade. Foto: Carolina Carvalho[/caption] A empresa é super séria, trabalha com tradutores juramentados, e surgiu para desburocratizar esse serviço tão caro e necessário. Portanto, vale a pena entrar no site da Yellowling e fazer o seu orçamento gratuitamente. eTraduções A eTraduções está na nossa lista de “queridinhos” pelo bom atendimento e preço justo comparado ao mercado. É uma empresa sólida e confiável, com um ótimo posicionamento no Google, conta com os serviços de tradução juramentada, técnica e Apostila de Haia. A solicitação do serviço pode ser feita 100% online, por meio do site da eTraduções, e o retorno também é rápido, dependendo do serviço que você escolher. Junta Comercial A maneira mais comum de realizar a tradução juramentada é consultar a lista de tradutores juramentados na Junta Comercial do seu Estado. Em São Paulo, por exemplo, pode ser consultada no site da Jucesp. Já na Junta Comercial do Estado do Rio de Janeiro (Jucerja), a consulta pode ser feita na página de Serviços, opção Tradutores. Essa é uma forma válida, mas que gasta tempo e não costuma custar muito barato. E você também pode não conhecer bem o trabalho dos tradutores para saber a qualidade do serviço. Quanto custa tradução juramentada? Em média, entre R$ 100 e R$ 250 a lauda. Mas essa é apenas uma estimativa. Os preços variam conforme a dificuldade do idioma, da quantidade de tradutores disponíveis, da urgência para recebimento do material traduzido, qualidade do texto de origem, entre outros fatores. As traduções juramentadas eram reguladas pela tabela da Junta Comercial, que dizia que cada lauda deveria ter determinado valor, que era muito alto e havia poucos tradutores juramentados. Mas recentemente houve uma alteração da lei e atualmente não existe mais uma tabela de preços. O valor passa a ser de livre negociação entre as empresas prestadoras de serviço e os clientes. Para saber, ao certo, o valor da sua tradução juramentada, recomendamos que faça a cotação na plataforma Yellowling, que é uma maneira rápida, segura e econômica de fazer a sua tradução. Quanto tempo demora para fazer a tradução juramentada? Alguns documentos podem ser traduzidos em menos de um dia, ou em poucos dias; outros que possuam termos mais técnicos, por exemplo, podem levar mais dias ou até semanas para serem finalizados. É importante destacar que o tempo é calculado com base em fatores que foram informados no momento que o cliente fez o orçamento. Por exemplo: Urgência da solicitação; Quantidade de palavras / laudas do documento; Idioma trabalhado; Capacidade técnica; Qualidade do texto de origem; Tipo de documento que necessita de tradução juramentada, entre outros. Importância da tradução juramentada Para entender a importância da tradução juramentada não apenas no Brasil, mas em outros países, é preciso entender um pouco das exigências legais que cada nação faz ao receber determinados tipos de documentos de estrangeiros. No caso do Brasil, essa exigência vem em decorrência do Decreto Federal número 13.609, de 21 de outubro de 1943. Esse decreto indica que nenhum documento estrangeiro redigido em outro idioma que não o português tem validade no Brasil. Para que eles possam ser considerados por um órgão público, por exemplo, é preciso que venham acompanhados de uma versão traduzida, nascendo, assim, a tradução juramentada. Então, para que possam ser reconhecidos perante os órgãos públicos brasileiros, exige-se que os documentos sejam acompanhados por uma versão traduzida para português. [caption id="attachment_171870" align="alignnone" width="750"] Considere as recomendações de pessoas que já utilizaram o serviço de tradução juramentada para escolher a empresa ou profissional.[/caption] Cabe também ressaltar que, da mesma forma, a tradução juramentada torna válidos os documentos brasileiros no exterior. Em alguns casos, a tradução juramentada para o inglês é suficiente. Note que a tradução juramentada é uma versão em língua portuguesa com fé pública, ou seja, reflete oficialmente o conteúdo descrito em outro idioma. Fazendo uma comparação, é como se a tradução juramentada fosse a autenticação em cartório de um determinado texto, dando ciência a quem possa interessar de que ela, de fato, é legítima. O mesmo acontece, por exemplo, quando você quer solicitar a cidadania italiana ou cidadania espanhola e precisa dos documentos traduzidos e juramentados em italiano ou espanhol. Validade legal e reconhecimento internacional A tradução juramentada tem validade legal em todo o território nacional. Isso significa que toda tradução juramentada realizada por tradutor público e registrada no Brasil será aceita em todos os Estados ou Distrito Federal. Ainda, a expressão “fé pública” da tradução juramentada significa que os atos dos tradutores juramentados têm autenticidade. Essa característica torna as traduções juramentadas aprovadas em todos os órgãos públicos e reconhecidas na maioria dos países estrangeiros. Ou seja: a tradução juramentada garante reconhecimento internacional ao documento. Como escolher um tradutor juramentado confiável? A melhor maneira de escolher um tradutor juramentado de confiança é buscando avaliações do tradutor e da empresa em sites confiáveis, como o Google e o Reclame Aqui, por exemplo. Nós do Euro Dicas usamos constantemente os serviços da Yellowling e da eTraduções e confiamos no trabalho das duas empresas. Todo o processo é feito online e você pode ficar tranquilo, pois economizará com os custos e receberá todas as suas traduções com qualidade e dentro dos prazos combinados. Em quais casos a tradução juramentada é obrigatória? Sempre que for necessário apresentar um documento estrangeiro a uma autoridade brasileira, o mesmo deverá ser acompanhado da tradução juramentada, ou seja, todo documento de caráter público. Isso também vale quando você precisa traduzir um documento em português para ser apresentado no exterior. Entre os casos mais comuns de obrigatoriedade da sua apresentação, podemos citar: Casamento com estrangeiro: nesse caso, deve-se apresentar a tradução pública da certidão de nascimento, do documento de identidade e demais documentos solicitados do cônjuge de outra nacionalidade; Estudos / trabalho no exterior: além da tradução pública dos documentos de identificação do estrangeiro, também é necessário traduzir certificados e diplomas, históricos escolares etc.; Pedidos de cidadania: todos os documentos do requerente estrangeiro; Documentos jurídicos: atas, contratos, sentenças de processos judiciais, procurações, testamentos. Como é identificada uma tradução juramentada? A tradução pública é identificada pelo número do cadastro do tradutor público juramentado na Junta Comercial do seu estado, comprovando que ele tem “autoridade” suficiente para realizar o serviço de tradução juramentada. Confira quais são as diferenças entre tradução juramentada, técnica, certificada e jurídica. Selos, assinaturas e certificações do tradutor O documento traduzido deve vir com a assinatura do tradutor juramentado e o selo colgado, concedido pelo Poder Público, do profissional inscrito na Junta Comercial do estado onde ele reside. Isso comprova a autenticidade da tradução juramentada. Vale dizer, ainda, que o tradutor público precisa ser certificado para atuar. Antes, era necessário que os tradutores juramentados fossem concursados na Junta Comercial de seu estado, para que pudessem estar aptos a fazer a tradução juramentada de documentos. Mas, segundo o site do Governo Federal, a profissão de tradutor e intérprete foi regulamentada pela Lei n.º 14.195, de 26 de agosto de 2021. De acordo com a lei, o concurso não é mais necessário para os profissionais que obtiverem grau de excelência em exames nacionais ou internacionais de proficiência: nível C2 do QCER (Quadro Comum Europeu de Referências), sendo necessário atingir 80% da pontuação. Estrangeiros também podem trabalhar na área no Brasil Além disso, estrangeiros que moram no Brasil poderão se habilitar na profissão, desde que apresentem o certificado CELPE-Bras no nível Avançado Superior, quando o interessado não pertencer a um país da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP). Vale informarmos, ainda, que o concurso de aptidão agora é nacional, organizado pelo DREI, e não mais por cada Junta Comercial. Segundo a informação no site do Governo Federal do Brasil a Secretaria Especial de Produtividade e Competitividade (Sepec) ligada ao Ministério da Economia — à qual o DREI é vinculado –, essa regulamentação contribui para a abertura do Brasil para o comércio internacional e para o intercâmbio de estudos. E possibilita, também, que mais profissionais realizem o serviço. Apostilamento dos documentos com tradução juramentada Outro ponto importante é que em mais de 100 países, incluindo o Brasil, todos os documentos devem ser acompanhados de um certificado especial. A Apostila de Haia, de forma simples, autentica como verdadeiro um documento público de outro país. Ou seja, o selo ou carimbo emitido por autoridades competentes, certifica a sua autenticidade para que ele passe a ser válido no país requerido. É uma forma de simplificar e tornar o processo de legalização de documentos mais ágil entre os países signatários. Assim, há um reconhecimento mútuo entre eles de que determinado documento é verdadeiro. No Brasil, o órgão responsável pelo apostilamento eletrônico e validação da mesma é o Conselho Nacional de Justiça – CNJ. Quanto custa a apostila de Haia? Segundo o artigo 18 da Resolução 228/2016 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), os cartórios de cada estado têm autonomia para definirem os valores a serem cobrados pelo apostilamento de Haia. Os emolumentos corresponderão, para cada apostila emitida, ao custo de Procuração Sem Valor Declarado, segundo os valores vigentes em cada Estado da Federação. Em junho de 2024, entrei em contato por telefone com cartórios autorizados de cada estado do Brasil, para descobrir os valores cobrados pelo apostilamento de Haia. Confira tudo na tabela adiante. Estado Valor do Apostilamento de Haia por documento Acre R$ 63,90 Alagoas R$ 82,58 Amapá R$ 75,41 Amazonas R$ 69,16 Bahia R$ 108,26 Ceará R$ 67,43 Distrito Federal R$ 40,45 Espírito Santo R$ 73,52 Goiás R$ 84,12 Maranhão R$ 127,03 Mato Grosso R$ 117,01 Mato Grosso do Sul R$ 115 Minas Gerais R$ 172,78 Pará R$ 137,15 Paraíba R$ 93,50 Paraná R$ 72,64 Pernambuco R$ 112,34 Piauí R$ 68,61 Rio de Janeiro R$ 119,98 Rio Grande do Norte R$ 97,66 Rio Grande do Sul R$ 82,90 Rondônia R$ 54,44 Roraima R$ 72,50 Santa Catarina R$ 64,29 São Paulo R$ 151,05 Sergipe R$ 85,62 Tocantins R$ 83,30 Vale informar, ainda, que os valores apresentados são sem o reconhecimento de firma e que o preço para esse tipo de serviço é cobrado por assinatura. Como funciona a tradução juramentada em outros países? Não existe uma regra universal sobre as normas da tradução juramentada. Cada país é soberano para estipular as suas próprias regras. No Brasil, por exemplo, só são aceitas traduções juramentadas feitas dentro do país. Em outras localidades, as traduções feitas por brasileiros podem ser aceitas, enquanto em outras, como na Argentina, não. Ou seja, tudo vai depender do país em questão e das regras estipuladas pela instituição que requer o documento. Essas dúvidas são comuns, por exemplo, a quem vai estudar no exterior. Algumas universidades podem pedir diplomas e certificados traduzidos para o seu idioma. Entretanto, a forma de tradução depende de uma série de fatores, que consideram a regra do país que abriga a instituição de ensino.  Portanto, quando alguém solicitar algum documento e houver necessidade de que ele seja traduzido, fique de olho nas regras do país, para que você possa entregar uma tradução válida e de caráter oficial. Caso contrário, você terá algum contratempo, tendo que refazer todo o material até que possa entregar a versão correta. A tradução juramentada precisa ser feita por um nacional do país no qual vai pedir cidadania? Cada país tem as suas próprias regras quanto à tradução pública. No Brasil, por exemplo, só são válidas as traduções feitas por nacionais e estrangeiros residentes no país que tenham o certificado CELPE-Bras no nível Avançado Superior quando o interessado não pertencer a um país da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP). Enquanto isso, em outros países não existe o requisito do tradutor juramentado ter que ser cidadão nato ou naturalizado para realizar a tradução. Quais as traduções juramentadas mais comuns? As traduções juramentadas mais comuns são: Tradução juramentada para italiano para cidadania; Tradução juramentada para inglês para trabalho; Tradução juramentada para espanhol para cidadania, trabalho e estudo na Espanha; Tradução juramentada para francês, para estudar e trabalhar na França; Tradução juramentada para alemão, para cidadania e trabalhar no país. Dicas para fazer a sua tradução juramentada Confira dicas importantes que irão ajudá-lo na hora de realizar a sua tradução juramentada. 1. Escolha um bom lugar para fazer a sua tradução juramentada Como falamos, é de suma importância buscar empresas confiáveis para realizar a tradução juramentada. Site da junta comercial de seu estado e empresas como Yellowling e eTraduções são de confiança e você saberá que receberá o seu material com qualidade no prazo combinado. 2. Faça orçamento online Já selecionou as empresas confiáveis que realizam a tradução juramentada? Então aproveite que com a maioria delas é possível solicitar orçamento online e faça o seu. Assim, você pode comparar os preços, o atendimento e escolher a melhor opção para você. 3. Tenha flexibilidade quanto à data de recebimento do seu documento traduzido O ideal é solicitar a tradução juramentada com antecedência à data que você precisa. Quando a solicitação da tradução é feita com urgência, o valor cobrado pelo serviço geralmente é mais elevado. 4. Certifique-se sobre a necessidade de realizar a tradução juramentada Busque em órgãos oficiais, como sites de universidades estrangeiras, por exemplo, se a tradução juramentada é, realmente, exigida. Se sim, informe-se sobre quais documentos devem ser traduzidos. Em alguns casos, apenas a tradução certificada pode ser suficiente. Assim, você não precisa gastar dinheiro realizando a tradução juramentada de todos os documentos. Veja um vídeo da Yellowling, que explica tudo sobre o que é e como fazer a sua tradução. Agora que você sabe quando é necessário fazer a tradução juramentada e quais documentos traduzir, vai ser bem mais simples realizar o processo de maneira mais segura, rápida e econômica. Boa sorte!

Homem tentando fazer Pix Internacional pelo celular.
Enviar dinheiro para o exterior

PIX internacional: já dá para fazer transferências para o exterior?

O anúncio da criação do Pix Internacional pelo Banco Central do Brasil gerou grande interesse e expectativa em quem envia dinheiro para outros países. A nova modalidade de pagamento promete facilitar e tornar as transferências para o exterior mais práticas, econômicas e rápidas. Diante disso, neste artigo explicamos o que é o Pix Internacional, como deve funcionar, suas vantagens e quando será lançado. Acompanhe! Perguntas Respostas É possível fazer Pix Internacional? Não. O Pix Internacional ainda não está habilitado no Brasil. Como fazer um Pix para uma conta internacional? Não é possível fazer um Pix para uma conta internacional. Mas o sistema pode ser usado para o pagamento de transferências para o exterior. Como receber Pix Internacional? Não é possível receber Pix Internacional. O recurso ainda não foi liberado pelo Banco Central do Brasil ou pelo BIS. Pix Internacional já está funcionando? O Pix Internacional ainda não está funcionando. No entanto, em 2023, o presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, anunciou durante uma entrevista que a instituição estava negociando o Pix Internacional com 4 países da América Latina: Uruguai; Colômbia; Chile; Equador. De acordo com o presidente do BC, a ideia é que a forma de pagamento e transferências instantâneas, como funciona no Brasil hoje, comece a se estender entre alguns países da América Latina, formando uma espécie de bloco. Embora ainda não seja possível fazer um Pix para contas fora do Brasil, há algumas atualizações em julho de 2024. Conforme matéria publicada no site G1, a ferramenta já está sendo aceita, segundo o relato de turistas, em algumas lojas dos seguintes países: Argentina (Buenos Aires); Estados Unidos (Miami e Orlando); Portugal (Lisboa); Uruguai; Chile; França. Qual a previsão do lançamento? Apesar da expectativa de que o novo recurso seja implantado nos próximos dois anos, ainda não existe uma data exata para o lançamento do Pix Internacional. Contudo, o diretor de Organização do Sistema Financeiro e Resolução do Banco Central, Renato Gomes, declarou em entrevista para o site UOL que a expansão do Pix para pagamentos internacionais é uma prioridade do BC. O que é Pix? O sistema de pagamento Pix é instantâneo, funciona 24 horas, 7 dias da semana, e permite a transferência de dinheiro entre contas de instituições financeiras diferentes em até 10 segundos. As operações podem ser feitas por meio de conta corrente, poupança e conta de pagamento, seja de pessoas físicas ou jurídicas. Para fazer as transferências, não é preciso ter os dados bancários do destinatário, apenas um código chamado “Chave Pix” ou um QR Code. Também não há limite mínimo para operações, portanto você pode fazer transações a partir de R$ 0,01. Embora o Banco Central não estabeleça um limite máximo de valores, algumas instituições que oferecem a opção de Pix podem definir um valor máximo para operações, a fim de reduzir riscos de fraude e prevenir a lavagem de dinheiro. O Pix foi criado pelo Banco Central e começou a funcionar em novembro de 2020. Atualmente, ele é o meio de pagamento mais utilizado no Brasil, alcançando 9,4 bilhões de operações no segundo trimestre de 2023. E o Pix Internacional? Diante do sucesso do Pix, o Banco Central viu a necessidade de criar uma modalidade para transferências internacionais e facilitar o processo para quem precisa transferir dinheiro para uma conta no exterior. O Pix Internacional também consiste em uma modalidade de pagamentos instantâneos, mas para transferências para o exterior. A expectativa é que torne as remessas mais rápidas e baratas, mas mantenha a segurança. Como mencionamos anteriormente, o lançamento do Pix Internacional ainda está na pauta do Banco Central do Brasil. Porém, o BIS (Bank for International Settlements) e sete bancos centrais, incluindo o Federal Reserve Bank de Nova York, planejam testar um novo sistema de transações, que poderá efetuar pagamentos instantâneos com alcance internacional. Plataforma Nexus Criada e testada pelo BIS, a plataforma Nexus funcionará como o Pix Internacional entre todos os países abrangidos. A instituição explicou que o Nexus ainda está em fase de testes e que há alguns pontos importantes que precisam ser assegurados antes do lançamento. Assim, diante da dificuldade em transferir dinheiro para contas internacionais, como o tempo que as operações levam e os valores de câmbio, os objetivos do Nexus incluem: Reduzir o tempo para o dinheiro chegar na conta internacional; Diminuir os valores cambiais; Aumentar o número de transações diárias. Assista o vídeo abaixo do canal InfoMoney e confira mais detalhes sobre como irá funcionar o projeto de Pix Internacional da plataforma Nexus. Como usar o Pix Internacional? Como o Pix Internacional não foi liberado pelo Banco Central e pelo BIS, ainda não se sabe como será o processo. Mas, a expectativa é que ele tenha as mesmas características do Pix tradicional, utilizando apenas um código como a Chave Pix para efetuar a transação. Nesse sentido, em vez de utilizar os dados bancários internacionais do destinatário, os usuários poderiam inserir apenas o número de celular, CPF/CNPJ, email ou uma chave aleatória. Os pagamentos podem ser feitos por meio de um QR Code. Além disso, atualmente as transferências internacionais podem demorar de um a cinco dias para serem concluídas. A expectativa é que, com o Pix, elas sejam feitas em poucos segundos. Outras formas de pagamento semelhantes É importante lembrar que o Pix foi criado pelo Banco Central e é totalmente brasileiro, por isso só funciona no Brasil. No entanto, outros países já possuem ou estão desenvolvendo sistemas de pagamentos instantâneos similares. Na Europa, por exemplo, o Banco Central Europeu (BCE) vem trabalhando para popularizar o sistema TIPS, que possibilita pagamentos imediatos entre os países da zona do euro e em coroas suecas, assim como o Brasil quer fazer com o Pix na América Latina. Em Portugal, o sistema SPIN foi lançado em 2024. Quais as taxas vão incidir no Pix Internacional? O Banco Central e o BIS ainda não divulgaram quais taxas irão incidir sobre o Pix Internacional. Atualmente, as transferências no Brasil são gratuitas para pessoas físicas e podem ser cobradas taxas de pessoas jurídicas, dependendo da instituição. No entanto, como a ferramenta ainda está em fase de estudo, não há informações sobre quais serão os custos para quem envia ou recebe dinheiro e como será definida a taxa de câmbio das transações. Lembrando que, atualmente, uma transferência internacional possui uma série de taxas, como: Taxa IOF: de 0,38% para transferências entre diferentes titularidades e 1,1% para transferências da mesma titularidade. Além disso, o IOF é de 4,38% quando a operação é feita pelo cartão de crédito; Spread: custo administrativo cobrado pelas plataformas para realizar os serviços de envio e recebimento de dinheiro do exterior. O valor varia dependendo da plataforma utilizada; Tarifa bancária: custo cobrado pelo banco; Taxa de câmbio: algumas instituições cobram uma margem de lucro em cima da cotação de câmbio; Taxa SWIFT: cobrada por algumas instituições, geralmente custa 20 dólares por operação, mas pode variar; Outros impostos: dependendo da remessa, é preciso pagar outros impostos como o Imposto de Renda. Como podemos notar, atualmente as taxas variam muito conforme a instituição em que a remessa é feita, exceto o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras), que é obrigatório. [caption id="attachment_171964" align="alignnone" width="750"] As taxas para enviar transferências internacionais variam entre os provedores, verifique com antecedência.[/caption] Dessa forma, a expectativa é que o Pix Internacional torne a transferência de dinheiro para o exterior mais rápida, simples e barata. Vantagens do Pix Internacional Como mencionamos anteriormente, o Pix Internacional facilitará muitos processos nas transferências bancárias que, ainda hoje, dificultam e encarecem as transações financeiras para o exterior. Veja algumas das vantagens que podem chegar com o lançamento do Pix Internacional: Diminuir o tempo das transações internacionais, levando apenas segundos, como acontece com o Pix no Brasil; Deixar as operações cambiais com um custo menor do que é cobrado atualmente; Facilitar as transações financeiras entre diferentes países e moedas; Aumentar o número de transferências internacionais que podem ser realizadas por dia; Facilitar pagamentos e transferências entre pessoas físicas e jurídicas no âmbito internacional. É importante lembrar que o Pix Internacional ainda não está em funcionamento. Portanto, até esse momento, é difícil saber todas as suas vantagens, regras e custos. A expectativa, segundo as informações passadas pelo Banco Central e pelo BIS, é que a forma de realizar as transferências internacionais seja realmente mais fácil e menos cara. Vale a pena fazer um Pix Internacional? Mas afinal, será que vale a pena fazer um Pix Internacional? A verdade é que ainda é cedo para saber. Como podemos notar, ainda há muitas expectativas e especulações sobre como será o Pix Internacional, mas nada concreto ou confirmado. Por enquanto, só se sabe que ele deve ser lançado para facilitar as transferências internacionais, mas não se sabe como. Sendo assim, ainda não temos como saber se a operação será vantajosa e fácil de usar. Também não está claro se com ela poderemos enviar e receber dinheiro do exterior, ou fazer apenas envios. Então, é necessário esperar o lançamento oficial da modalidade para ter mais certezas e informações concretas sobre as operações. Enquanto o Pix Internacional não está em funcionamento, como enviar dinheiro para o exterior? Enquanto o Pix Internacional não entra em funcionamento, a melhor opção para fazer transferências internacionais são as plataformas digitais. Nelas, os preços são mais econômicos e a operação é muito mais rápida. Por isso, indicamos a Wise, uma plataforma inglesa que possui uma conta internacional gratuita e é possível fazer transferências para o exterior de forma simples, rápida e econômica. Não há cobrança de taxa para abrir uma conta Wise, e também não há margem de lucro na conversão do câmbio. Além disso, as taxas da Wise são transparentes e dependem da operação feita. Com a Wise, é possível enviar dinheiro para mais de 70 países em 50 moedas diferentes. Nesse sentido, o destinatário não paga nada para receber e o dinheiro cai diretamente na conta-corrente em até 2 dias úteis. "Eu, Andrea entendo que, de todas as plataformas disponíveis, diante das vantagens da Wise, ela é sempre a minha primeira escolha na hora de enviar dinheiro para outros países, especialmente o Brasil. Eu uso para fazer pagamentos de serviços ou mesmo mandar dinheiro para a família." Independentemente do motivo, para quem tem o dia a dia corrido e quer fazer o dinheiro valer, a praticidade e a economia são os grandes atrativos da Wise. E o dinheiro chega praticamente em segundos, em muitas transações! Remessa Online e Wise aceitam Pix no pagamento da remessa internacional Se você precisa fazer transferências mais rápidas do Brasil para o exterior, já pode usar o Pix pela Wise (apenas na conversão de real para euro) ou Remessa Online. Tanto a Remessa Online ou a Wise têm processos muito simples. Nos próprios aplicativos das plataformas, você escolhe o beneficiário/conta que receberá o dinheiro no exterior, informa o valor e na hora de escolher o método de pagamento, pode optar pela opção “Pix”. [caption id="attachment_171966" align="alignnone" width="750"] Os provedores online como Remessa Online e Wise são confiáveis para enviar e receber transferências internacionais.[/caption] Na tela, você verá a opção de copiar a Chave Pix que deverá ser “colada” no aplicativo do seu banco brasileiro e paga por lá (também tem a opção de ler um QR Code). Ao confirmar e enviar o dinheiro, em segundos o seu beneficiário já recebe o valor na conta. Lembrando que, para usar o Pix na Wise e na Remessa Online, é necessário se cadastrar em ambas as plataformas para ter a conta internacional que receberá o dinheiro. Quando o Pix Internacional começa a funcionar? Como explicado, ainda não há informações oficiais nem uma data fixada para o início das operações do Pix Internacional. Por enquanto, é preciso usar as plataformas digitais de transferências internacionais como a Wise e a Remessa Online e aguardar mais informações do Banco Central e do BIS. Gostou do artigo? Se você deseja ter outras informações sobre as melhores formas de fazer pagamentos internacionais, não deixe de acompanhar as nossas notícias atualizadas!

Guias e dicas sobre a Europa

Mais dicas sobre

Portugal

Mais dicas sobre

Espanha

Mais dicas sobre

Itália

Mais dicas sobre

França

Mais dicas sobre

Inglaterra

Mais dicas sobre

Alemanha

Mais dicas sobre

Irlanda

Mais dicas sobre

Outros países
Conteúdo exclusivo da Europa no seu email!
Receba na sua caixa de entrada os artigos, notícias e colunas da sua preferência para mergulhar no mundo europeu e preparar sua mudança!
Assine já nossa Newsletter