Quase 800 mil pacientes aguardavam por uma cirurgia no sistema de saúde da Espanha no final do ano passado, número 12% superior ao do mesmo período de um ano antes.

Segundo os dados do Ministério da Saúde da Espanha, há cerca de 20% dos pacientes que esperam há mais de seis meses para conseguir avançar com uma cirurgia, quando não são casos de urgência. Esse indicador pode passar dos 30% em algumas regiões do país.

Espera por cirurgias é alta no país todo

Na média do país, a espera por uma cirurgia ronda os 120 dias, chegando a quase 160 dias em algumas regiões, apontam o indicadores oficiais do ministério sobre o sistema sanitário.

Espera também para consultas

A espera também tem sido grande para as consultas com médicos especialistas. Na média do país, o cidadão precisa aguardar mais de 90 dias para marcar a consulta. E há regiões em que a espera ultrapassa os 120 dias.

Os indicadores oficiais do governo mostram que mais de 50% das pessoas que pretendem marcar uma consulta já esperam pelo menos dois meses.

Observe o tempo médio de espera por consulta com médico especialista:

Região  Dias
Média do país 95
Andaluzia 123
Galícia 66
Madri 75
Catalunha 94
Extremadura 75

De acordo com o presidente da Associação Espanhola para a Defesa da Saúde Pública, Marciano Sánchez-Bayle:

Precisa enviar dinheiro para outro país?

Envie dinheiro com toda a segurança, rapidez e melhor taxa de câmbio. Atualizamos a melhor entidade diariamente, faça já a sua simulação!

Cotar Agora →
Procura assessoria para morar na Espanha?

Para solicitar a sua cidadania espanhola, visto, documentos, validação de diploma ou acompanhamento jurídico recomendamos o Escritório Madeira da Costa. Agende a sua consultoria e mude para a Espanha com segurança e tranquilidade.

SABER MAIS →

“a situação na Espanha está bastante má. O país não conseguiu voltar aos números de antes da pandemia de Covid”.

Sindicatos apresentam propostas

As entidades que representam os médicos espanhóis apresentaram propostas ao governo, entre elas a extensão do horário de trabalho, que hoje, no sistema público, está limitado ao intervalo das 8 horas da manhã até às 3 da tarde, sem atendimento aos finais de semana e feriados.

Sugerem também um foco maior no atendimento primário, o que poderia tirar um pouco da pressão de outras áreas.

Todas as propostas e reivindicações passam, também, pelos temas de investimento salarial, planejamento de carreiras e ampliação do corpo médico. Desde o final de 2022, e ao longo dos primeiros meses de 2023, uma série de manifestações e greves têm ocorrido em diversas regiões do país.

Investimento espanhol abaixo da média europeia

Um dos pontos centrais das discussões é o investimento na saúde pública espanhola. Dados do governo mostram um valor ao redor de 1.900€ por pessoa/ano, investimento que fica abaixo da média da União Europeia (2.200€) e atrás de países como Alemanha (4.400€), Países Baixos (4.300€), Reino Unido (3.700€), França (3.500€) e Itália (2.000€).

Na semana do dia 17 de abril, o governo espanhol anunciou um investimento de cerca de 580 milhões de euros para a melhoria das infraestruturas dos cuidados primários do Serviço Nacional de Saúde. O valor será aplicado nos centros de saúde e consultórios de cuidados e emergências, em um cronograma que contempla ações até dezembro de 2025.

Fuga para o sistema privado

As dificuldades no serviço público de saúde acabam gerando uma sobrecarga também no sistema privado, com um número crescente de espanhóis que acabam tendo que recorrer a esta modalidade para fugir da longa espera.

Com uma população de pouco mais de 47 milhões de pessoas, quase um quarto de todos os cidadãos espanhóis (11,6 milhões) já pagam por planos de saúde privados. Em valor, o investimento global nas apólices de seguro subiu cerca de 7% de 2021 para 2022. Desde 2018, há mais 1,2 milhão de segurados.

Do lado dos médicos, a saída para a saúde privada também tem aumentado. Relatório do Ministério da Saúde que aponta a necessidade de mais médicos especialistas no sistema público, mostra que 30% dos mais de 190 mil médicos ativos na Espanha estão em unidades privadas.