Curso de Idiomas

Aprender inglês sozinho: saiba o que é preciso para ser fluente

Se você vivenciou a era de ouro das escolas de idiomas, provavelmente não cogitou aprender inglês sozinho, já que a sala de aula parecia ser a opção mais viável. Mas acredite, menos de 5% das pessoas matriculadas realmente chegaram ao final do curso fluentes.

Precisa abrir uma conta bancária na Europa?

Você pode abrir a sua conta bancária grátis em 5 minutos e com toda a segurança na TransferWise, que funciona em toda a Europa.


A TransferWise não exige comprovação de rendimentos, você só precisa ter um endereço na Europa.

ABRIR CONTA »

Dentre os motivos, destacam-se a desmotivação e inadequação aos métodos tradicionais. Por isso, se você deseja aprender inglês sozinho, vai precisar de disciplina e organização, mas graças a tecnologia, também terá a chance de criar sua própria estratégia de estudo e se tornar fluente no seu tempo, do seu jeito.

Como aprender inglês sozinho

Você decidiu que vai aprender inglês sozinho, mas e agora? Por onde começar? Antes de mais nada, se pergunte: “eu quero aprender inglês para quê?”. Enumere seus motivos e objetivos, e só então comece a traçar estratégias e planos de estudos. Ferramentas, metodologias e plataformas de ensino virão a seguir, de acordo com o método que melhor funcionar para você.

Estratégias de aprendizado

Alguns aprendem melhor ouvindo, outros enquanto leem, e um terceiro grupo assimila melhor as informações na prática, seja falando ou vivenciando. A vantagem, no caso de aprender inglês sozinho, é que você, melhor do que ninguém, sabe qual é o método de aprendizagem mais eficiente, e pode personalizar tudo do seu jeito.

Confira então alguns passos que você precisa seguir para aprender inglês sozinho e não desistir no meio do caminho.

Tenha disciplina

Quando estamos fazendo algo por nós mesmos, seja uma dieta, uma rotina de exercícios físicos ou aprender um novo idioma, a auto sabotagem é a maior inimiga do sucesso. Portanto, se quiser resultado, um fator é determinante: a disciplina.

Sem disciplina, de nada vai adiantar continuar lendo esse artigo. Afinal, todas as dicas e ferramentas que vamos te mostrar aqui não terão utilidade se você não fizer a sua parte.

Defina metas e siga todas elas. Você quer aprender inglês? Mesmo? Então vai precisar de foco, prioridades e não desistir até atingir seu objetivo.

Seja organizado

De mãos dadas com a disciplina, vem a organização. Você está mesmo determinado a aprender inglês sozinho? Então dedique, no mínimo, 25 minutos do seu dia para estudar e praticar. E estudar, nesse caso, não necessariamente quer dizer ficar com a cara enfiada em livros e conceitos, mas viver o idioma.

Viva o inglês no dia a dia

Dentre todas as estratégias, provavelmente essa é uma das mais importantes. Além dos 25 minutos que pode estar separando para estudar, o inglês deve fazer parte da sua vida, 24 horas por dia, 7 dias por semana.

Precisa enviar dinheiro para outro país?

Depois de testarmos as principais alternativas do mercado (Paypal, Western Union, Moneygram, etc), a plataforma que nós recomendamos é a TransferWise.


Na TransferWise você vai economizar até 8x nas suas transferências e, se precisar de algum suporte, o apoio ao cliente é em português. Crie a sua conta grátis e envie dinheiro com toda segurança.

VER COTAÇÃO »

Sempre que possível, pense em inglês, leia artigos, repita palavras em inglês sem medo de parecer bobo, mude o idioma dos seus eletrônicos, aprenda a letra das suas músicas favoritas em inglês, entenda que o idioma está ao seu redor, e cabe somente a você absorve-lo.

Não se preocupe tanto em encontrar o melhor site, o melhor livro ou a melhor metodologia de ensino, se preocupe somente em ser você o melhor aluno.

Existem muitas maneiras de aprender inglês, basta encontrar a sua.

Adote “truques” para a gramática

É possível encontrar, de forma bastante didática, vídeos no YouTube onde você pode aprender regras de acentuação, de pronúncia, marcadores discursivos, verbos frasais, pronomes e muitos outros tópicos por meio de truques fáceis de serem compreendidos e, por consequência, memorizados.

Aposte em flashcards

Durante o seu processo de aprendizado, você provavelmente vai ouvir falar muito em “flashcards”. Traduzido como cartões de memória, eles costumam aparecer em filmes onde determinado personagem está aprendendo um idioma.

Basicamente, os cartões são pedaços de papel, como post-its mesmo, onde você escreve uma palavra nova e precisa memoriza-la. Muitas pessoas colam esses papeis (quando possível) nos respectivos locais e objetos do seu cotidiano.

Agora, se você não quer papel nem nada, pode baixar apps que oferecem essa função. Alguns deles são o Quizlet e o Knudge.me.

Recursos disponíveis

Além das estratégias que forneceram uma nova roupagem aos métodos de ensino tradicionais, a tecnologia entra a favor de uma aprendizagem mais dinâmica, divertida, inclusiva, efetiva e rápida.

Aplicativos mobile

Você anda pra cima e pra baixo com seu celular, dorme com ele ao lado, e não está usando todas essas oportunidades para aprender inglês? Pois saiba que existem inúmeros aplicativos que podem te ajudar a estudar e praticar o idioma no dia a dia.

Dentre algumas opções, há os apps em formato de jogos, aulas, conceitos e até mesmo conversação com nativos no idioma. Você pode começar a testar as funcionalidades com alguns apps mais populares, como:

Canais do YouTube

E aqui está, de mãos dadas com os smartphones, o YouTube. Além de muito conteúdo diversificado com youtubers estrangeiros, existem canais do Youtube criados tanto por brasileiros quanto por outras nacionalidades, focados a ensinar o idioma àquele que optou por aprender inglês sozinho. Veja alguns exemplos:

Canais brasileiros

Canais de estrangeiros (em português)

Aprender o idioma também é importante para quem vai fazer entrevista de emprego em inglês.

Jogos de videogame

Até as gerações que nasceram e cresceram sem contato com celular ou internet, os jogos de videogame eram uma das melhores formas de aprender inglês sozinho fora da escola — já que a maioria deles chegava às locadoras sem tradução para o português.

Hoje os tempos são outros, mas os jogos eletrônicos continuam sendo utilizados para aprimorar o idioma, colocando o jogador também em contato com gírias, expressões idiomáticas e, claro, com outros jogadores de todas as partes do mundo.

Músicas, filmes e podcasts

Além do advento do YouTube, o surgimento de plataformas de streaming, seja para música, filmes ou séries, ajudou em muito que estudantes independentes de inglês pudessem ter um contato mais próximo e constante com o idioma.

Filmes e seriados

Na Netflix, por exemplo, assista a filmes e séries em inglês, com a legenda também ativa em inglês. Alguns estilos de seriados, como as “sitcons” costumam ser mais indicados para quem está querendo se familiarizar com uma linguagem mais informal, do dia a dia. Friends, Modern Family, The Big Bang Theory e How I Met Your Mother são alguns bons exemplos.

Sobre os títulos que você já assistiu uma ou duas vezes, tente retirar a legenda e assistir novamente a esses filmes ou episódios apenas no idioma original.

Músicas, rádios e podcasts

Também por meio de serviços streaming, você pode acompanhar podcasts em inglês e ouvir suas músicas favoritas no seu tempo livre. Dentre as plataformas do gênero, Deezer e Spotify estão entre as mais populares por aqui. Nas versões para smartphone, os apps permitem também acompanhar as letras das músicas.

Já as rádios (e também podcasts), estão em sites/aplicativos como o Tune.in, que oferece um catálogo com mais de 100 mil rádios pelo mundo todo, além de 4 milhões de podcasts.

Sites em inglês

Além dos aplicativos, existem sites muito bem elaborados que fornecem informações e exercícios tanto para quem ainda é iniciante quanto para quem já está rumando para a fluência em inglês. Algumas sugestões mais populares incluem:

  • BBC Learning English: o site da emissora britânica BBC traz inúmeros conteúdos de aprendizagem e aperfeiçoamento em inglês. Dentre eles estão jogos, artigos, podcasts, testes e muito mais.
  • engVid: totalmente em inglês, o site disponibiliza gratuitamente aulas sobre diversos tópicos. Indicado para quem já tem alguma base no idioma.
  • TED: você provavelmente já deve ser visto palestras do TED por aí, então além de aprender sobre uma infinidade de assuntos, o site é valioso para aperfeiçoar o listening, além de assimilar diferentes sotaques.
  • Forvo: disponível também em aplicativo para smartphones, o Forvo é um dicionário de pronúncias. Ficou em dúvidas sobre como dizer alguma palavra? Então digite-a na busca e veja como pessoas de diversas nacionalidades a pronunciam.

Veja também quais são os países que falam inglês na Europa.

E quanto vai custar?

Se até hoje a sua desculpa para não aprender inglês era falta de tempo e dinheiro, já pode mudar o discurso. Afinal, mesmo se optar por recursos gratuitos, onde talvez não existam todas as ferramentas de uma versão premium, quem determina o aprendizado é o seu empenho, organização e dedicação.

Separamos para você uma seleção de cursos de inglês grátis para se aperfeiçoar.

Agora, se você quiser pagar por algumas aulas particulares, um método bastante difundido ultimamente está em plataformas onde o estudante tem aulas com professores nativos, em tempo real. Ou seja, se você tem dificuldades principalmente para treinar a conversação, esse pode ser um investimento bem interessante.

Alguns exemplos de plataformas confiáveis e com excelentes feedbacks são o Cambly e o italki. Confira alguns valores:

Cambly

Os planos são mensais e você pode personaliza-lo de acordo com suas preferências. Há possibilidades de aulas particulares e em grupos de 3 alunos. As durações das aulas vão de 15 a 120 minutos por dia, durante 1, 3, 5 ou 7 dias por semana.

Como exemplo, aulas em grupo com 30 minutos de duração, 5 dias por semana custam entre R$ 146 e R$ 206 (as aulas não são gravadas nem reservadas). As aulas particulares, nas mesmas configurações, vão de R$ 279 a R$ 399, com todos os recursos ativados.

Italki

No italki, as aulas funcionam de maneira diferente. Há a opção de encontrar tanto professores profissionais quanto tutores nativos que participam da plataforma e se disponibilizam para praticar a conversação. Em ambos os casos, o aluno paga diretamente ao professor/tutor por hora de aula.

Tanto com tutores quanto professores, os valores vão de US$ 4 a US$ 80, havendo um preço diferenciado para os 30 primeiros minutos experimentais.

O que vale mais a pena?

Indo direto ao ponto: o que vale mais a pena é o que funciona melhor para você. Enquanto algumas pessoas simplesmente não se sentem motivadas ou sequer concordam com os métodos das escolas de inglês, outras não conseguem aprender se não do modo tradicional.

Então, se você gosta de rotina, de estruturas e se sente melhor tendo como compromisso comparecer às aulas, provavelmente uma escola será mais proveitosa. Lembrando que, ainda assim, você precisará praticar, estar motivado e vivenciar o inglês mesmo quando não estiver em sala de aula.

Por outro lado, aprender inglês sozinho é ter liberdade, é seguir o próprio ritmo e se dedicar mais aos conteúdos que você tem mais pressa ou interesse. E o melhor, não vai precisar gastar dinheiro com mensalidades – nem com nada, se você não quiser. Mas lembre-se também que você será o responsável por definir e organizar toda a estrutura que as escolas já entregam mastigadas.

Aprender Inglês sozinho em um ano é possível?

Possível? Sim. Fácil? Nem tanto. Se você estiver estabelecendo esse prazo de um ano, não espere falar como um nativo, mas com muita disciplina é possível até chegar a fluência no idioma.

Não espere um milagre nem desista quando chegar aquela hora em que você “empacar”. Desafie-se sempre mais, abra mão de baladas, churrascos e o que mais surgir durante o período em que estiver se dedicando a aprender.

Viva em inglês, se envolva. Pense, escute, escreva, aprimore seu vocabulário todos os dias e pratique a pronúncia. Alguns vão te apoiar, outros criticar, mas antes de desistir, se lembre que aprender inglês é para sempre e que o idioma irá abrir inúmeras portas para você daqui em diante.

Empresas e universidades podem pedir um exame de proficiência para comprovar seu inglês.

E em 3 meses?

Você pode até já ter se deparado com anúncios prometendo fluência em 3 meses. Quer a verdade? É possível, mas com algumas ressalvas! Em 3 meses você consegue aprender inglês sozinho e se virar muito bem em meio aos gringos. Entretanto, esse período não terá tanto foco na gramática e normas.

O segredo para falar inglês em apenas 3 meses é a imersão total, todos os dias, o dia todo. Não se preocupe tanto com a teoria, foque na prática, na conversação. Não se preocupe em ter um inglês perfeito, apenas em conseguir se comunicar. A partir do momento em que você começa a praticar, a perfeição chega naturalmente.

Um intercâmbio está fora do orçamento? Então veja onde estudar inglês de graça no exterior.

Se jogue na experiência

Procure conhecer pessoas que falam o idioma. Pode ser por meio de aplicativos ou até mesmo em jogos online. Converse com eles, seja de forma escrita ou falando. Tome cuidado quando sua mente pedir para que você desista ou faça outra coisa — você precisa estar focado se quiser sair do lugar.

Se tiver a oportunidade de fazer um intercâmbio, fuja dos brasileiros. Converse apenas com os nativos, e pelo máximo de tempo que puder. Abrace seu objetivo e não solte até que ele tenha sido atingido.

Este artigo pode conter links comissionados para serviços e produtos de parceiros do Euro Dicas.
Compartilhe

Heloísa Garcia

Brasileira, tem formação em Design de Games e Comunicação em Computação Gráfica. Apaixonada por tecnologia, cinema e literatura, desapegou e foi viver na Europa em 2015. De volta ao Brasil, hoje é grande entusiasta de um estilo de vida quase nômade.

Artigos Relacionados

Fechar