De acordo com o Índice Global da Paz 2023 (Global Peace Index – GPI), Portugal está entre os 10 países mais pacíficos do mundo.

Esta é a 17ª edição do GPI, que classifica 163 países e territórios independentes de acordo com seu nível de tranquilidade e paz. Ao todo, 99,7% de toda a população mundial está representada nesta classificação.

Os países são listados com notas que vão de 1 (muito seguro e pacífico) a 5 (pouco ou nada seguro e pacífico).

Portugal no TOP 10

A média geral de Portugal vem caindo nas últimas três edições do ranking do Global Peace Index, passando da 4ª posição em 2021 para 6ª em 2022 e 7ª em 2023, mas o país permanece entre os mais seguros e pacíficos.

Este ano, o maior crescimento dentre as 10 primeiras colocações foi o de Singapura, que agora surge na sexta posição, posicionada à frente de Portugal. A liderança do ranking, desde 2008, é da Islândia, país mais pacífico e seguro do mundo.

Portugual ocupa a sétima posição no ranking da paz de 2023
Os 83 melhores colocados têm índices que variam de muito pacífico a médio. Fonte: Global Peace of Index 2023.

Médias globais sobem no último ano

Os resultados de 2023 revelaram que o nível médio de paz global subiu cerca de 0,5% (quanto mais alta, pior), com 84 países melhorando e 79 apresentando piores indicadores de paz do que em 2022.

No topo, além da Islândia, aparecem Dinamarca, Irlanda, Nova Zelândia e Áustria. No extremo oposto, o Afeganistão mantém a última posição pelo oitavo ano consecutivo. Em seguida, aparecem Iêmen, Síria, Sudão do Sul e República Democrática do Congo.

Comprar euro mais barato?

A melhor forma de garantir a moeda europeia é através de um cartão de débito internacional. Recomendamos o Cartão da Wise, ele é multimoeda, tem o melhor câmbio e você pode utilizá-lo para compras e transferências pelo mundo. Não perca dinheiro com taxas, economize com a Wise.

Cotar Agora →
Quer morar em Portugal legalmente e com segurança?

Recomendamos a assessoria da Madeira da Costa, uma sociedade de advogados experientes para auxiliar na sua solicitação de vistos, autorização de residência, cidadania e outros trâmites. É da nossa confiança.

ENTRAR EM CONTATO →

A guerra na Ucrânia teve um impacto significativo no índice geral de paz e tranquilidade. Os dois países envolvidos no conflito estão entre os cinco que mais pioraram, ao lado do Haiti, Mali e Israel

No caminho contrário, os países que mais avançaram positivamente em segurança e paz foram a Líbia (pelo segundo ano consecutivo), Burundi, Omã, Costa do Marfim e o Afeganistão, ainda que mantenha a pior posição do ranking.

Europa é a região mais pacífica

A Europa é a região que reúne os países mais pacíficos do mundo, seguida pela região Ásia-Pacífico. Oriente Médio e Norte da África são as duas menos pacíficas, mas as que mais melhoraram no último ano, ao lado da América do Norte, impulsionada por bons indicadores do Canadá.

Vários países da América Central e Caribe registraram reduções no número de homicídios, embora a região ainda tenha a maior taxa de homicídios (em média) em comparação com outras áreas incluídas no GPI.

Brasil entre os últimos da América do Sul

O Brasil aparece na posição 132º, com 2.462 pontos, logo abaixo dos Estados Unidos, na 131ª posição, com 2.448 pontos. Dos 11 países da América do Sul incluídos no ranking, o Brasil fica à frente da Venezuela e da Colômbia.

Os países mais seguros e pacíficos da América do Sul são o Uruguai (50ª posição geral), seguido por Argentina e Chile.

  1. Uruguai (50º)
  2. Argentina (54º)
  3. Chile (58º)
  4. Paraguai (69º)
  5. Bolívia (78º)
  6. Equador (97º)
  7. Peru (104º)
  8. Guiana (106º)
  9. Brasil (132º)
  10. Venezuela (140º)
  11. Colômbia (141º)

Onze indicadores globais pioraram em 2023

Dos 23 indicadores do GPI, dez registraram melhorias, onze pioraram e dois se mantiveram estáveis. Tais indicadores, qualitativos e quantitativos, são separados em três dimensões: nível de segurança e proteção social, dimensão dos conflitos domésticos e internacionais em curso e grau de militarização.

Os dois primeiros tiveram resultados piores, enquanto o grau de militarização apresentou leve melhora, tendência que vem se mantendo ao longo das últimas análises.

Os melhores e piores países, em cada uma das dimensões são os seguintes:

Nível de segurança e proteção social

Os 5 melhores Os 5 piores
Finlândia Afeganistão
Japão Iêmen
Islândia Síria
Singapura Sudão do Sul
Noruega República Democrática do Congo

Conflitos em curso

Os 5 melhores Os 5 piores
Islândia Iêmen
Maurícias Ucrânia
Singapura Síria
Uruguai Rússia
Malásia Afeganistão

Militarização

Os 5 melhores Os 5 piores
Islândia Israel
Malásia Rússia
Hungria Estados Unidos
Portugal Coreia do Norte
Eslovênia França

Especificamente no tema da militarização, Portugal passou do oitavo para o quarto lugar, um dos maiores ganhos de posição nesta dimensão.

Quando isolados por indicadores, os principais resultados negativos gerais dos países estão relacionados com os conflitos externos, mortes por conflitos internos, número de refugiados e indicadores de instabilidade política.

Em compensação, houve uma melhora, na média, em indicadores ligados ao tema do terrorismo e às taxas de homicídio. A relação completa dos indicadores inclui também dados de exportação de armas, crimes violentos, armas nucleares e pesadas, situação carcerária e outros.

As informações detalhadas do ranking podem ser conferidas no relatório disponível no site Vision of Humanity