Animais de estimação são como parte da família e, com isso, não dá para mudar de país sem levar nosso pet conosco. Com isso, se você está se planejando para se mudar para o país hispânico, é essencial saber quanto custa ter um pet na Espanha.

A seguir, confira mais detalhes sobre custos essenciais, as diferenças entre ter pet no Brasil e na Espanha e algumas experiências pessoais para conseguir planejar seu orçamento com mais pé no chão. Vamos lá?

Quanto custa ter um pet na Espanha?

Em média, ter um pet na Espanha pode custar entre 50€ e 95€ por mês. O valor, no entanto, não inclui gastos normalmente anuais, como consultas veterinárias, vacinas e até mesmo o implante de microchip — obrigatório para animais de estimação.

Anualmente, incluindo esses gastos menos recorrentes, um gato ou cachorro pode custar por volta de 1.000€: 785€ para gatos e 1.340€ para cachorros. Mas, claro, esses valores vão depender de uma série de fatores como a espécie do seu pet, o tamanho, as condições de saúde e outras especificidades.

Quais são os custos para ter um pet na Espanha?

Depende muito. 

Cada pet terá suas próprias necessidades e exigências — assim como cada dono, que pode ou não precisar de uma creche para chamar de sua, por exemplo. Porém, no geral, os custos básicos para ter um pet na Espanha serão com:

  • Microchip de identificação;
  • Vacinas obrigatórias, como a da raiva;
  • Antiparasitas, como pulgas e carrapatos;
  • Alimentação diária;
  • Higiene;
  • Acessórios diversos, como brinquedos e arranhadores.

Como acessórios diversos são itens que vão depender muito de cada pet e cada dono, não incluímos esse tipo de gasto no cálculo de quanto custa ter um pet na Espanha.

Precisa enviar dinheiro para outro país?

Envie dinheiro com toda a segurança, rapidez e melhor taxa de câmbio. Atualizamos a melhor entidade diariamente, faça já a sua simulação!

Cotar Agora →
Procura assessoria para morar na Espanha?

Para solicitar a sua cidadania espanhola, visto, documentos, validação de diploma ou acompanhamento jurídico recomendamos o Escritório Madeira da Costa. Agende a sua consultoria e mude para a Espanha com segurança e tranquilidade.

SABER MAIS →

Eu mesma, por exemplo, tenho duas cachorras — Pina e Margot — que gostam muito de brinquedos e mordedores e preciso incluir esse gasto no meu orçamento de tempos em tempos. Mas muitos cachorros não têm essa necessidade, assim os tutores desses bichinhos não precisam pensar nisso.

Da mesma forma, gastos com creche (guardería, em espanhol) e serviços de alojamento ou hotel também ficaram de fora dos cálculos, mas podem custar entre 20€ e 30€ por dia.

A seguir, confira a tabela da média de valores dos principais gastos para donos de cachorros e gatos separadamente. Ressaltando que, para calcular o preço da ração, usamos a marca Royal Canin, considerada de gama media aqui na Espanha — ou seja, não é Super Premium como no Brasil.

Custos para cachorros

Para calcular esses gastos, consideramos um cachorro de tamanho médio, que consome por volta de 10kg de ração por mês e que toma dois banhos por mês.

Itens Preço médio (por mês)
Pacote de ração (10kg) 44€
Petiscos 8€
Banho 16€
Antiparasitas 8,30€
Tapete higiênico 20€
Roupinha 18€
Consulta veterinária 46,50€ (por ano)
Vacinas 80€ (por ano)
Microchip 40€ (uma única vez)

Custos para gatos

Para calcular esses gastos relacionados a quanto custa ter um pet na Espanha, consideramos um gato adulto sem necessidades especiais.

Itens Preço médio (por mês)
Pacote de ração seca (2kg) 20€
8 sachês de comida úmida (85g) 12,80€
Areia 12€
Antiparasitas 5,60€
Consulta veterinária 60€ (por ano)
Vacinas 80€ (por ano)
Microchip 40€ (uma única vez)

Mas um gatinho com condições especiais de saúde não necessariamente irá afetar tanto no cálculo. É o caso do Pepito, gato do nosso entrevistado Paulo Perez, head de marketing.

Pepito tem 10 anos e foi diagnosticado recentemente com diabetes. No geral, portanto, Paulo acaba gastando mais com rações especiais e também precisa arcar com gastos de insulina (57€ por 10mL) e injeções (20€ cada 100 seringas). Mas os outros gastos são bastante parecidos com os gastos de um gato sem a doença.

Gato laranja deitado em sofá
Pepito tem tratamento especial por ter diabetes, mas a diferença no orçamento é pouca. Foto: Arquivo pessoal.

De acordo com Paulo, ainda, a melhor opção para comprar ração é na rede online chamada Miscota, que tem opções de qualidade a bom preço. Ainda, o brasileiro dá um aviso:

“Não recomendo comprar comida para gatos ou cachorros em supermercados como Mercadona, Lidl ou Carrefour. Você pode encontrar sacos de pienso de 3 kg por 5€, mas a qualidade da comida é bastante baixa”.

E para levar o pet do Brasil? Quanto custa?

Depende, mas pode custar por volta de R$ 4.500.

Esse valor inclui implante de microchip, vacina contra a raiva e sorologia, consulta veterinária para atestar o Certificado Veterinário Internacional (CVI), caixa de transporte e serviços de consultoria e adestramento. Sem o serviço de consultoria, no entanto, o preço de levar o pet do Brasil para a Espanha pode cair para em torno de R$ 3.000.

Serviços e itens Preço médio
Consultoria R$ 1800
Implante de microchip R$ 180
Vacina contra a raiva + sorologia R$ 360
Consulta veterinária para assinatura do CVI R$ 150
4 consultas com adestrador R$ 500
Caixa de transporte R$ 1 mil
Passagem R$ 1.225*

*Ou 250 dólares. O valor em reais foi calculado com base na cotação do dólar do dia 18 de dezembro de 2023 (USD 1 = R$ 4,90).

Pessoalmente, a contratação de uma consultoria foi necessária para trazer Pina e Margot do Brasil para a Espanha. Isso porque, o processo de documentação é extremamente burocrático e não queria correr o risco de não conseguir embarcar com elas – e acabar com gastos extras no orçamento de quanto custa ter um pet na Espanha. O processo, aliás, exige que você atenda a datas específicas de vacinação (pelo menos 90 dias antes da viagem) e sorologia (30 dias depois da vacinação).

Além disso, o CVI emitido pela Vigiagro (Vigilância Agropecuária Internacional) pode valer por apenas 10 dias — ou seja, você precisa tirá-lo poucos dias antes da sua viagem e torcer para não ter que lidar com nenhum atraso de voo.

Sem a consultoria, você precisará se organizar muito bem para não correr o risco de ter problemas na imigração com seus pets enquanto estiver lidando com todas as demandas de uma mudança de país. Aliás, cabe ressaltar: mesmo com a consultoria, acabei enfrentando momentos de insegurança em relação a todo o processo — e não cito o nome da empresa exatamente por isso.

Para saber mais, sugerimos o vídeo do pessoal do canal “Te levo na mala”, do YouTube, falando sobre o passo a passo para levar seu cachorro para a Europa — um processo que acaba sendo bem parecido ao dos gatinhos.

Diferenças entre ter pet no Brasil e na Espanha

algumas diferenças entre ter um pet no Brasil e na Espanha. Vamos a algumas delas.

É mais comum dar banho você mesmo

A primeira diferença que notei é que terceirizar o banho dos cachorros aqui é mais raro — e caro. Quando perguntei para uma dona de pet shop se eles davam banho em cachorros e quanto custava, foi como se estivesse perguntando algo muito absurdo — assim como o preço que ela decidiu cobrar, que seria de 36€.

Pessoa dando banho em seu cachorro
Enquanto eu ensaboava e segurava a Margot, a dona do pet shop cuidava da água quente. Foto: Arquivo pessoal.

Com isso, acabei descobrindo que aqui é muito comum “alugar” uma espécie de tanque especial para cachorros para dar banho você mesmo. Você vai lá e pode ter à disposição água quente, shampoo e secador para seu pet e pagar pelo tempo do banho. Essa alternativa pode resultar em uma boa economia para o orçamento de quanto custa ter um pet na Espanha.

Proprietários de imóveis podem vetar pets

Outra diferença é que, ao contrário do Brasil, aqui na Espanha é permitido vetar animais em apartamentos. Sendo assim, na hora de procurar uma vivienda para morar na Espanha, o seu número de ofertas de aluguéis podem diminuir muito se você tiver um pet e você também pode acabar precisando pagar mais caro por isso – o que pode afetar o custo de vida no país.

Pets são permitidos no transporte público

Por último, por mais que pets possam ser vetados no acordo de aluguel, é possível encontrá-los no transporte público independentemente do tamanho.

Enquanto no Brasil tem um tamanho limite — o que acaba limitando para donos de cachorros maiores — aqui eles podem andar mais livremente. Ou seja, se você quiser levar seu pet para um lugar que não seja possível ir a pé, não necessariamente vai precisar fazer um aluguel de carro, por exemplo, e acabará economizando com isso.

Vale a pena ter pet na Espanha?

Com certeza! Mas, como tudo, demanda planejamento. Isso porque qualquer espécie de pet demanda atenção e ter suas necessidades atendidas, o que pode muitas vezes sair do orçamento.

No meu primeiro mês na Espanha, por exemplo, o estresse de toda a mudança colaborou para que Pina tivesse uma inflamação nos gânglios da garganta. Para descobrir o problema e começar o tratamento, foram 90€ em consulta veterinária, hemograma e remédios.

Com isso, vale lembrar que, além de saber quanto custa ter um pet na Espanha e fazer o orçamento mensal e anual, sugerimos que você também separe uma reserva para emergências do tipo. Assim, você vai poder curtir seu pet sabendo que ele está protegido — e você também.

Sendo assim, se você programar sua mudança incluindo os gastos com seu bichinho, definitivamente vai valer a pena ter pet na Espanha. Afinal, seu pet será seu pet em todos os lugares. Boa mudança!