Sistema de saúde privado na França: entenda como funciona a Mutuelle

França  / 

O sistema de saúde na França é um pouco mais complexo do que no Brasil, por isso neste texto irei te explicar como ele funciona, já que na maioria das vezes, acaba sempre sendo um misto entre público e privado. Porém, para você entender como é o sistema de saúde privado na França, é preciso primeiro compreender o que é financiado pelo governo, isto é, o sistema público, conhecido como Assurance Maladie.

Sistema de saúde pública na França é para todos

Se existe uma palavra para caracterizar o sistema de saúde na França, esta palavra seria igualdade. Tanto para o pobre, quanto para o rico ou até mesmo o milionário, o sistema de saúde é exatamente o mesmo e funciona da mesma forma. Uma das principais preocupações que temos quando mudamos de país, é em relação ao seguro de saúde. Não é recomendado não o ter e, em alguns países, como por exemplo na França, ele acaba sendo obrigatório, mesmo para estrangeiros. Entenda abaixo.

Diferença entre saúde pública e privada na França

Na França, o sistema de saúde é universal e em grande parte financiada pelo Estado. Para ter acesso ao sistema de saúde pública, é preciso fazer a Carte Vitale, que é o cartão da seguridade social francesa. Com ela, é possível ir ao médico, hospital, fazer exames, dentista e comprar remédios. É como se fosse um cartão de crédito, que precisamos ter sempre na carteira. Qualquer pessoa que esteja legalmente na França, pode solicitá-lo via Internet.

Precisa abrir uma conta bancária na Europa?

Você pode abrir a sua conta bancária grátis em 5 minutos e com toda a segurança no N26, um banco digital que funciona em toda a Europa.


O N26 não exige comprovação de rendimentos, você só precisa estar na Europa e ter seu passaporte em mãos.

ABRIR CONTA »

O Estado costuma financiar em média 80% dos gastos em saúde, ou seja, os outros 20% ficam a cargo do cidadão e, é aí que entra o seguro de saúde privado, chamado de Mutuelle. É ela que irá reembolsar o restante dos gastos e por isso vale muito a pena. Apesar da Mutuelle não ser obrigatória (diferente da seguridade social), é altamente recomendada.

Sistema de saúde privado na França: entenda a Mutuelle

Como explicado acima, o sistema de saúde privado na França chama-se Mutuelle. Tal como no Brasil, existem diversas empresas especializadas em saúde privada e os preços variam de acordo com idade, ocupação e os serviços que entram no reembolso. Para escolher o melhor e que mais se encaixa no bolso de cada um, existe até um site comparador de mutuelles, o Santiane.

Para um funcionário assalariado, o sistema de saúde privado costuma ser oferecido pelas empresas. Porém, os profissionais liberais que quiserem ter um sistema de saúde privado, precisarão pagar do próprio bolso, o que custará cerca de 30 euros por mês.

Já um estudante paga apenas 10 euros por mês, em ambos os casos se escolherem o plano mais simples de todos. Estes valores são muito mais baixos quando comparados ao Brasil e não podemos esquecer que, quando uma pessoa possui – tanto o seguro social público, quanto privado na França – ela terá 100% dos gastos com saúde reembolsados, inclusive, armações de óculos e lentes de contato.

Como funciona o sistema de saúde privado na França

O sistema de saúde privado na França está diretamente ligado ao público, isto é, para a contratação de uma Mutuelle é necessário que o cidadão já esteja inscrito na seguridade social. A partir deste cartão, também interligado com a conta corrente, as consultas e gastos são reembolsadas diretamente na conta.

O mesmo funciona com o plano de saúde privado. Ao se inscrever, em qualquer empresa que seja, a pessoa recebe pelo correio um papel grosso e dobrável, onde contém todas as informações referentes ao seguro.

O reembolso do plano de saúde privado também está ligado à seguridade social, porém para que isto funcione é preciso fazer um processo, chamado téletransmission. Através dele, nós autorizamos a Assurance Maladie a enviar as informações à Mutuelle. Desta forma, a empresa saberá exatamente quanto o governo te pagou por uma consulta e irá fazer o reembolso do restante. Por isso, é importante cadastrar a conta corrente, tanto na seguridade social, quanto na Mutuelle.

Depois de ir à uma consulta ou mesmo no hospital, exatamente como ocorre no Brasil, o médico pede a Carte Vitale e a Mutuelle.

Precisa enviar dinheiro para outro país?

Depois de testarmos as principais alternativas do mercado (Paypal, Western Union, Moneygram, etc), a plataforma que nós recomendamos é o Remessa Online.


No Remessa Online você vai economizar até 8x nas suas transferências e, se precisar de algum suporte, o apoio ao cliente é em português. Crie a sua conta grátis e envie dinheiro com segurança.

VER COTAÇÃO »

médicos no hospital

Veja também como funciona o sistema de saúde privada em Portugal e o sistema de saúde privada na Espanha.

Consultas médicas

O procedimento de consultas médicas na França é diferente do Brasil, porque antes de irmos ao especialista, precisamos passar pelo clínico geral. Esta primeira consulta será paga e depois reembolsada, porém, se for preciso ir ao especialista, o médico generalista te dará um papel assinado por ele, pedindo para você marcar uma consulta em outro médico. E, com este papel, caso você tiver a Carte Vitale e a Mutuelle, você não precisará pagar nada na hora.

O médico irá pedir a Carte Vitale e a colocará numa maquininha, neste momento suas informações serão encaminhadas à Assurance Maladie, que fará o reembolso de parte do que foi pago.

Um clínico geral costuma custar 25 euros a consulta (em Paris costuma ser mais caro), então neste caso o governo reembolsará 70% deste valor (em média 16 euros). Os outros 30% são reembolsados pela sua Mutuelle, através do mesmo procedimento.

Se você mora na Europa, pode solicitar o Cartão Europeu de Saúde e usufruir dos benefícios, entenda como no nosso artigo.

Como são calculados os reembolsos?

Os reembolsos são feitos em cima de bases estipuladas pelo governo e na França um médico clínico geral custa em média 25 euros. Se você for num médico que custe 50 euros a consulta, você só será reembolsado em cima da base de 25 euros. Este é um problema constante principalmente em Paris, onde a maioria dos médicos cobram mais do que o valor de base e você é obrigado a arcar com o resto. Por isso, a importância do seguro de saúde privado e de escolher bem um médico.

Exames

Em relação aos exames, o sistema da França é bastante parecido com o do Brasil, pois diferente das consultas médicas, eles são cobertos pelo governo, ou seja, não é preciso pagar adiantado para ser reembolsado depois. Basta apresentar os cartões de seguro de saúde no guichê de entrada antes de fazer os exames.

Medicamentos

Se no Brasil, os medicamentos fornecidos pelo governo estão disponíveis via posto de saúde, na França, basta ir à farmácia. Quando o médico lhe prescrever um remédio, você precisará apresentar a Carte Vitale para ter acesso aos medicamentos básicos sem pagar nada, para o farmacêutico que te atender. No entanto, como acontece com as consultas, para alguns medicamentos, a Assurance Maladie só cobre uma porcentagem e a outra é paga pela Mutuelle.
Caso você não tenha Mutuelle ou o medicamento prescrito não seja coberto pelo governo, será necessário arcar com uma parte ou a totalidade de determinado medicamento.

Internações

Nas internações, geralmente o cidadão não paga nada quando ainda está no hospital, diferente do Brasil. A conta costuma chegar pelo correio algum tempo após o procedimento/consulta. Eles solicitam os dados dos seguros, nós precisamos enviar pelo correio e depois de alguns dias, o seguro de saúde, tanto público, quanto privado, pagam a conta diretamente para o hospital.

Saúde na Europa: veja como funciona a saúde no continente e compare com o modelo francês.

Comparativo de preços do sistema de saúde privado na França

Para você ter uma ideia de quanto irá pagar, caso deseje contratar uma Mutuelle, deixo aqui três opções possíveis e seus respectivos valores:

1. Profissional liberal: o valor mínimo de uma Mutuelle para um profissional liberal é de 35 euros ao mês e o máximo chega a 76 euros. Ambos os casos cobrem os gastos que o governo não paga, mas a Mutuelle mais cara cobre próteses dentárias e possui o preço garantido até os 89 anos de idade, por exemplo.

2. Trabalhador assalariado: assim como no caso acima, os valores vão de 35 euros, mas podem chegar aos 105. A diferença é que quando temos contrato de trabalho, este valor fica a cargo da empresa. Não é obrigatório, mas a maioria das empresas acabam oferecendo a Mutuelle, inclusive para os filhos.

3. Estudante: a vida dos estudantes na França costuma ser muito mais barata do que para quem já ingressou no mercado de trabalho e isto também vale para o sistema de saúde privado. Existem planos que custam apenas 10 euros ao mês para estudantes.

Como se inscrever?

Caso você tenha decidido a contratar uma Mutuelle, o ideal é acessar um site comparativo de preços – o Santiane. Após escolher o melhor para você, basta acessar o site da empresa, preencher todas as informações solicitadas e aguardar que o documento chegue em sua casa pelo correio. Mais fácil do que parece, não é mesmo?

Para entrar na França, seja como turista ou para morar, você vai precisar apresentar um seguro viagem para França. É um documento obrigatório que pode ser exigido na Imigração ainda no aeroporto. Entenda como contratar e quanto custa.

Em destaque no Euro Dicas
  • Sabia que é obrigatório ter Seguro de Viagem para entrar na Europa?

    Seja para morar ou visitar, a imigração pode exigir esse documento no país destino. Se você não tiver, será obrigado a voltar ao Brasil. Em parceria com a Seguros Promo garantimos aos nossos leitores o melhor preço de seguro de viagem.

    COTAR SEGURO »
  • Precisa enviar dinheiro para outro país?

    A nossa plataforma preferida é o Remessa Online. No Remessa Online você vai economizar até 8x nas suas transferências e, se precisar de algum suporte, o apoio ao cliente é em português. Crie a sua conta grátis e envie dinheiro com segurança.

    VER COTAÇÃO »
  • Pensando em morar em Portugal?

    Escrevemos um guia com todos os passos necessários para organizar a sua saída do Brasil com rapidez, segurança e sem complicações. Receba grátis o índice e primeiras páginas.

    RECEBER AMOSTRA »
COMPARTILHE
Autor

Gabriela é brasileira, jornalista e vive na França, onde faz mestrado em comunicação. Apaixonada pelo país desde sempre, foi na França que ela se encontrou e aproveita este espaço para dar dicas e contar histórias e curiosidades sobre este país que vive no imaginário de muita gente. Com um gosto particular por cultura e viagens, ela é nômade digital e nunca mais pretende deixar de ser.