Pular para o conteúdo

Gabriela Glette

Autor

Gabriela é brasileira, jornalista e vive na França, onde faz mestrado em comunicação. Apaixonada pelo país desde sempre, foi na França que ela se encontrou e aproveita este espaço para dar dicas e contar histórias e curiosidades sobre este país que vive no imaginário de muita gente. Com um gosto particular por cultura e viagens, ela é nômade digital e nunca mais pretende deixar de ser.

Conteúdos recentes
Brasileiro na França e usufruir da qualidade de vida do país.
França

Aposentado brasileiro pode morar na França? Entenda!

Depois de uma vida de muito trabalho, finalmente chegou o momento de desfrutar do sossego da aposentaria. E, nessa fase da vida, cada vez mais brasileiros estão optando por se aposentar no exterior visando mais qualidade de vida, segurança e novas experiências. A França também recebe bem aposentados de todas as partes do mundo! Por isso, preparamos um artigo com todas as informações para que você descubra se aposentado brasileiro pode morar na França. Aposentado brasileiro pode morar na França? Sim, um aposentado brasileiro pode morar na França. Para tal, será necessário dar entrada em um visto para aposentados na França (que, na prática, não leva esse nome, mas vamos por partes). O importante é que você saiba que é perfeitamente possível desfrutar da aposentadoria no país europeu após pendurar as chuteiras. Como morar na França como aposentado? Existem duas maneiras de um aposentado brasileiro morar na França. A maneira mais simples é quando o cidadão brasileiro possui também a cidadania francesa ou europeia. De posse de um passaporte europeu ou de algum documento de identificação emitido por qualquer estado-membro você pulará 99% das burocracias na hora de fazer as malas (ou o container!) para dar o pé do Brasil. No entanto, se este não for o seu caso, precisará de um visto para a França — mais especificamente um visa long séjour. Diferentemente de Portugal, que possui um visto específico para aposentadoria, para a França você precisará obter o visto de visiteur, que é uma categoria de visto válido por um ano, mas que pode ser renovado. Este é o mesmo visto que alguns estudantes solicitam para poder conseguir residir legalmente por até um ano no país, sem necessariamente ingressar em nenhuma das universidades da França. Em entrevista no YouTube, a advogada Juliana Jácome explica como morar na França após se aposentar no Brasil: Documentos para o visto de aposentados Antes mesmo de você abrir conta na França para converter a bolada mensal do INSS em preciosos euros, recomendo que você dê um passo para trás e comece pelo processo burocrático do visto — visa long séjour. A lista de documentos que veremos a seguir foi obtida na página oficial que trata da concessão do visto tipo visiteur, disponível no site do governo francês. Observe que a representação consular no Brasil pode mudar a lista de documentos quando bem entender, então consulte regularmente este artigo e o site oficial para encontrar atualizações e não ser pego de surpresa. Documentos para solicitar o visa visiteur Formulário de pedido de visto de longa duração preenchido no portal France-Visas; Passaporte emitido há menos de 10 anos, com validade de pelo menos 3 meses após a estadia prevista na França e com, no mínimo, 2 páginas em branco para vistos, junto com a cópia das 3 primeiras páginas; 2 fotografias recentes no formato 3,5 cm x 4,5 cm; Certidão de nascimento e/ou de casamento; Comprovante de residência no Brasil; Carta de motivação em francês justificando o motivo da permanência na França; Comprovantes da situação socioeconômica no país de residência: extrato oficial de aposentadoria serve para este caso, desde que emitido por órgão oficial; Declaração assinada de que não exercerá nenhuma atividade profissional na França; Certidão de antecedentes criminais, que pode ser emitida no site da Polícia Federal; Garantias financeiras regulares e suficientes à duração, como a última declaração de imposto de renda, extratos de contas bancárias ou pagamento da aposentadoria nos últimos três meses; Comprovante de estadia como reserva de hotel, contrato de locação de imóvel ou carta convite de um residente na França; Seguro viagem França para o período de permanência no país, cujas cotações podem ser realizadas no site Seguros Promo. Quanto custa o visto Visiteur? O visto tem custo de 99€ (você pagará em reais conforme a conversão do dia). Quanto tempo demora para sair o visto Visiteur? O visto em si não demora muito tempo para sair (os sites oficiais falam em média 15 dias), mas você precisa separar algumas semanas para organizar toda a documentação, traduzir os documentos originais e conseguir agendar um horário no consulado antes de viajar para a França. Atenção: nunca compre sua passagem aérea sem ter a confirmação do visto. Traduzir certidão de nascimento é um passo importante em todo e qualquer processo burocrático. Portanto, não deixe de aprofundar sobre o tema. E, para fazer as traduções juramentadas, indicamos a Yellowling, uma empresa de confiança que conta tradutores certificados e possui um ótimo custo-benefício, além de fazer todo o procedimento online - do orçamento até a entrega das traduções. Renda média para um aposentado brasileiro morar na França Legalmente, segundo o Consulado Geral da França, você precisa comprovar 615€ por mês de residência no país. Esse valor consta no documento de autofinanciamento e explicita que o aposentado brasileiro interessado em morar na França a longo prazo seja capaz de comprovar rendimentos da ordem dos 615€ por cada mês em solo francês. Como já adiantado, sabemos que o visto adequado para o aposentado brasileiro poder morar na França tem validade de 12 meses, podendo ser renovado anualmente. Deste modo, numa conta básica, calculamos ser necessário comprovar disponibilidade de pelo menos 7.380€ por ano (valores corretos na data desta publicação em abril de 2024). [caption id="attachment_168282" align="alignnone" width="750"] A conversão de reais para euros é a principal questão ao se mudar de país e requer muito planejamento.[/caption] Considerando a cotação do euro comercial em 26 de abril de 2024 (fixado em R$ 5,53), mais um acréscimo de 10% para fins de taxas, o valor mensal necessário para fazer frente aos 615€ exigidos pelo consulado seria de aproximadamente R$ 3.800. Contudo, vale ressaltar que com esse valor, o aposentado brasileiro pode morar na França. Mas passará aperto. Qual o valor adequado para um aposentado brasileiro morar na França? O aposentado brasileiro que quiser morar na França precisará dispor de pelo menos o dobro do valor legalmente exigido. Isso porque alugar apartamento no país, mesmo em pequenas cidades da França, custa caro. Os 615€ serão facilmente consumidos com o aluguel na França. Para se viver com algum conforto, o mínimo necessário deve ser igual ou superior ao salário mínimo na no país, que até abril de 2024 está fixado em 1.766,92€ por mês. Esse valor é adequado para alugar um imóvel em cidades perto de Paris e em cidades um pouco mais afastadas da capital. Como receber aposentadoria na França? Agora que você já se aposentou no Brasil e decidiu se mudar para a França, saiba que é possível receber mensalmente a sua aposentadoria por aqui. Você pode enviar os seus recursos por meio de plataformas online como a Wise, Remessa Online, Western Union, MoneyGram, entre outras. Essas são as formas mais baratas, mas você ainda pode enviar recursos utilizando bancos tradicionais ou mesmo a corretora onde você mantém as suas aplicações financeiras. Se quiser saber qual plataforma é a melhor, entre as favoritas dos brasileiros, veja o nosso comparativo entre Remessa Online ou Wise. Não descuide nunca da cotação do euro e monitore o valor da moeda com frequência para aumentar as chances de encontrar taxas mais baixas. Como funciona a aposentadoria na França? O tempo de contribuição na França é calculado por trimestres, e algumas condições mudaram com a reforma de 2023, o que significa que atualmente é necessário contribuir 167 trimestres para a geração nascida em 1957 e 172 trimestres para a geração nascida a partir de 1965 (ou seja, 43 anos trabalhados). A idade mínima da aposentadoria são 62 anos, no entanto, se optar por aposentar com essa idade o valor recebido será parcial. Para receber integralmente a aposentadoria, o contribuinte precisa ter 67 anos ou mais. O sistema de previdência na França A previdência na França funciona em um sistema denominado modelo de repartição. Ou seja, a contribuição que o trabalhador provém é o que financia o benefício do aposentado. As contribuições são compulsórias, sendo divididas entre empregador (60%) e empregados (40%). O valor pode variar conforme a faixa salarial. A pensão mínima é de 1.200€ por mês, sem os descontos, equivalendo à cerca de 85% do salário mínimo líquido na França. Reformas previdenciárias na França O francês é um povo que briga por direitos desde que o mundo é mundo. Por isso, a aposentadoria na França é tema de muitas discussões no país. As reformas previdenciárias que ocorreram na França a partir de 2010 tiveram como objetivo mitigar o enorme rombo da previdência no país. Com as reformas, foram instituídas mudanças na idade para aposentadoria (aumentando gradualmente de 62 para 64 anos). Com o aumento da idade para aposentadoria, aumentou-se por tabela o tempo de contribuição. E isso causou barulho. No entanto, essas são as regras para aposentadoria no país e é importante lidar com elas apenas se você ainda não se aposentou e somente se o seu plano for se aposentar no país (isto é, receber os seus recursos a partir da seguridade social francesa). Se você é aposentado brasileiro, as informações acima são válidas para fins de comparação e informação. Direitos e deveres Após a reforma previdenciária, vista acima, algumas regras foram alteradas antes de poder se aposentar no país. Deste modo, os deveres para atingir a aposentadoria no hexágono serão vistos abaixo. Direitos Os direitos daquele que se aposenta na França incluem: Possibilidade de solicitar a aposentadoria na França antes dos 62 anos em situações como: pensão por atividade profissional de natureza penosa ou desgastante, pensão por incapacidade permanente ou pensão por motivo de longa carreira contributiva; Pensão extensiva ao cônjuge em caso de falecimento; Benefícios complementares (conforme as faixas salariais) e casos particulares podem ser vistos no site Cleiss — Centro de Ligações Europeias e Internacionais de Segurança Social, em português. Deveres A vida de quem trabalha na França também tem uma porção de deveres. Alguns são: Contribuir por 172 trimestres ou 43 anos com o sistema de seguridade social; Ter pelo menos 62 anos, lembrando que ao se aposentar com essa idade o valor recebido será parcial; Para obter o valor integral é necessário contribuir até os 67 anos. Vantagens e desvantagens de se aposentar na França Aqui estão pontos de divergência e alguns de convergência. O que para mim são vantagens, para você que planeja viver como aposentado na França podem ser inconvenientes. Veja o que acha dos pontos elencados abaixo: Vantagens Algumas das maiores vantagens são: Qualidade de vida incomparável: embora o custo de vida na França seja caro, você se surpreenderá com tudo. Da qualidade do pão da padaria à segurança de se poder andar por aí à noite sem medo de ser feliz. Infelizmente, o Brasil peca em segurança (e o pãozinho francês “made in France” é outra coisa!); Transporte público eficiente: se você quiser ter um carro, tudo bem. Mas não será necessário! O transporte público na França é fantástico, sobretudo em regiões metropolitanas. Tudo bem, às vezes ele para, às vezes temos greves. Mas não tem comparação com o Brasil; O seu dinheiro vale mais: o que se compra com mil “dinheiros” na França não se compra com mil “dinheiros” do Brasil. O poder de compra do euro permite que você obtenha mais por menos, possa viajar, comer bem, fazer compras e ainda poupar; Reconhecimento àqueles que trabalharam em situações adversas: trabalhadores que exerceram funções associadas à insalubridade ao longo da vida conseguem se aposentar mais cedo em função dos riscos aos quais foram expostos. Desvantagens As principais desvantagens podem ser: Se a pessoa tem 62 anos e mais de 40 anos trabalhados, mesmo assim ela vai sofrer importantes descontos. O valor que ela receberá fica em torno de 60% do seu salário enquanto trabalhava; O salário do aposentado francês pode não ser suficiente para manter a qualidade de vida de quando se estava na ativa; ajustes podem ser necessários para encaixar a nova vida no novo salário; As mulheres recebem aproximadamente 40% menos que os homens pelos motivos já conhecidos: salários menores, carreiras interrompidas devido a filhos ou de discriminação no mercado de trabalho. Brasil e França tem acordo para aposentadoria? Assim como outros países europeus, a França também possui um acordo previdenciário com o Brasil. Isto significa que um brasileiro que vive na França, ou um francês que reside no Brasil, pode solicitar a contabilização do tempo de contribuição em ambos os países e assim ter direitos à aposentadoria por idade, por invalidez e pensão por morte. Em outras palavras, você pagará a sua previdência em apenas um dos países. [caption id="attachment_168283" align="alignnone" width="750"] O Acordo de Previdência Social Brasil-França está em vigor desde 2014.[/caption] Se você está no Brasil, e aspira solicitar a sua aposentadoria na França, acesse o site da Previdência e preencha o formulário que se enquadra na sua situação. Vale lembrar que o sistema de transferência não é automático, como acontece em Portugal, o que significa que você precisará fazer a transferência do dinheiro todos os meses para a sua conta. Você pode utilizar plataformas online já mencionadas acima, como a Wise ou a Remessa Online. Aposentado brasileiro tem benefícios fiscais ao se mudar para a França? Não, o acordo previdenciário que o Brasil tem com a França não pressupõe benefícios fiscais adicionais. O que ocorre é que o aposentado brasileiro pode por morar na França e optar por não ser bitributado, ou seja: pagará imposto apenas uma vez. Os impostos no país são salgados, mas, de modo geral, os recursos obtidos pelo Estado são revertidos em inúmeros benefícios, em especial aqueles associados aos sistemas de educação e de saúde na França. Como pedir aposentadoria na França? Brasileiros que desejam se aposentar na França podem fazê-lo de algumas formas. A mais simples, na verdade, consiste em obter a sua aposentadoria no Brasil e então se mudar para a França e viver por lá, convertendo a receita de reais para euros. No entanto, existe a possibilidade de se trabalhar por um determinado período no Brasil e outro na França, somando os tempos para então solicitar a aposentadoria em solo estrangeiro. Os brasileiros que desejam se aposentar na França têm, portanto, as seguintes opções: Mudar-se para a França na condição de aposentado pelo INSS e converter a sua aposentadoria para euros por meio de ferramentas como Wise e Remessa Online; Mudar-se para a França, tendo contribuído com o sistema previdenciário no Brasil, e com a intenção de contribuir por outro determinado período na França. Será necessário aplicar para um visto específico que dá direito a trabalhar no país (o visa visiteur que é o fio condutor deste artigo não se aplica a esse caso!). O brasileiro que reside na França há décadas e nunca contribuiu com o sistema previdenciário brasileiro está sujeito às regras do sistema previdenciário francês. Melhores cidades para aposentado brasileiro viver na França Morar em Paris pode ser incrível, mas a cidade é cara, agitada e estressante para idosos, o que faz com que muitos aposentados brasileiros acabem escolhendo morar em cidades menores e mais baratas. Veja abaixo algumas boas cidades para se morar, que não são tão pequenas e não tão caras e agitadas quanto a cidade luz e os respectivos preços médios para alugar um apartamento no centro da cidade. 1. Lyon Com pouco mais de 500 mil habitantes, Lyon está situada na histórica região Rhône-Alpes e é a terceira maior cidade do país. Morar em Lyon é ter toda a qualidade de vida da França sem o estresse típico de uma capital. [caption id="attachment_168285" align="alignnone" width="750"] Lyon é uma das melhores cidades do país e possui ótima qualidade de vida.[/caption] Segundo estimativas do Seloger, um apartamento em Lyon custa em média: Apartamento com mobília: 979€; Apartamento sem mobília: 843€. 2. Marselha É uma das cidades mais antigas da França, fundada por volta de 600 a.C. por marinheiros gregos. Desde então, Marselha tem sido uma importante cidade de passagem e de comércio. O seu porto é o principal da França e dá vida à cidade. [caption id="attachment_168286" align="alignnone" width="750"] Marselha é um destino maravilhoso para curtir esse período da vida.[/caption] Conforme o site Seloger, um dos meus preferidos, um apartamento em Marselha custa em média: Apartamento com mobília: 801€; Apartamento sem mobília: 734€. 3. Bordeaux Bordeaux é uma cidade incrível, mas é preciso ter um bom orçamento para viver por lá, pois figura entre as cidades mais caras da França. Os vinhos de Bordeaux, porém, fazem tudo valer a pena! [caption id="attachment_168288" align="alignnone" width="750"] Bons vinhos, qualidade de vida excepcional aguardam aqueles que decidem morar em Bordeaux. Foto: Nathane Costa[/caption] De acordo com estimativas do Seloger, é possível encontrar um apartamento para morar em Bordeaux pelo seguinte preço médio: Apartamento com mobília: 830€; Apartamento sem mobília: 747€. Vale a pena morar na França como aposentado? Sim, vale a pena morar na França como aposentado. A sensação de segurança, a qualidade de vida, o transporte público que funciona tão bem a ponto de você pode abolir o carro da sua rotina, a boa comida, etc. Tudo é convidativo, a França é um país esplêndido! Mas o Brasil dá saudade, não se esqueça! De todo modo, vencidas as etapas de obtenção do visto visiteur, resta apenas fazer um excelente planejamento financeiro, de modo que a sua aposentadoria, quando convertida para euros e após todas as taxas, permita que você tenha uma vida com qualidade igual ou superior a que você teria no Brasil. Quer conhecer histórias de brasileiros que resolveram deixar o Brasil? Confira o ebook “O sonho de viver na Europa”. Ele reúne a experiência e vivência de vários compatriotas sobre as oportunidades e dificuldades diante da mudança. Vale a pena para se inspirar e refletir! Agora que você já sabe que aposentado brasileiro pode morar na França, seja feliz! Entenda a importância do Exequatur para brasileiros que moram em outro país.

Pessoa aplicando para visto na França.
França Visto

Visto para França em 2024: como solicitar e quanto custa

Conhecer os tipos de visto para a França é o primeiro passo a ser dado se você quer se mudar para o país. Para ajudar no seu processo, saiba que cada um deles possui critérios, benefícios e até preços diferentes. Conheça abaixo um pouco mais sobre esse documento essencial e encontre o mais adequado pra sua necessidade! Pergunta Resposta Para ir para França precisa de visto? Não, caso sua estadia tenha duração igual ou inferior a 90 dias. Para 90 dias ou mais, precisa. Quanto custa para tirar visto francês? Há casos em que os vistos são gratuitos, outros são emitidos mediante taxas cobradas em euros, em valores que não ultrapassam 99€. Brasileiro precisa de visto para França? Brasileiros com cidadania europeia não precisam de visto para França. Precisa de visto para França? Depende do tempo de sua estadia. O visto não é necessário caso você vá visitar a França para ficar um período menor de 90 dias. Contudo, se você for permanecer no país por mais de 90 dias, o visto é obrigatório. Assim como os Estados-membros europeus que fazem parte do Espaço Schengen, a França não exige visto dos brasileiros que desejam entrar no país como turistas. Sendo assim, é possível planejar uma viagem de até 90 dias e permanecer legalmente no país sem qualquer dificuldade. Por outro lado, caso seu plano seja de permanecer no país por mais de três meses, se você não possuir cidadania europeia (passaporte ou identidade), será necessário solicitar um visto antes de sair do Brasil. Portanto, o visto é essencial para permanecer legalmente no país por mais de 90 dias. Documentos para visto francês De acordo com o Consulado Geral da França em São Paulo, os documentos básicos são: Formulário de visto preenchido e assinado; Passaporte válido + cópia das 3 primeiras páginas; 2 fotos 4cm X 5cm recentes; Certidão de nascimento ou casamento; Comprovante de residência no Brasil; Comprovação de recursos financeiros. Os valores e formas de comprovação variam de acordo com a modalidade do visto; Comprovante de residência ou hospedagem na França. Ela pode ser oferecida pela empresa que te contratou, comprovada por aluguel ou carta convite de responsabilidade de alojamento, comprovante de residência do responsável e cópia da identidade; Seguro de viagem internacional com cobertura mínima de 30 mil euros em despesas médicas e hospitalares pelo período de 3 meses de estadia. É importante reiterar que pode haver diferenças nos documentos solicitados entre as circunscrições de cada região. Por isso, vale checar o site oficial do consulado que atende ao estado em que você vive para não ter erro. Lembrando que existem pelo menos 10 categorias de vistos para a França e cada um deles conta com uma lista de documentos e pré-requisitos específicos. Caso você queira explorar todos os documentos para cada tipo de visto, a ferramenta dedicada aos vistos franceses é bem intuitiva e pode te ajudar. Visto de trabalho na França É o visto para quem conseguiu uma vaga de trabalho na França e custa 99€. Os documentos necessários para pedir o visto de trabalho, além dos documentos essenciais acima mencionados, são: Permissão de trabalho obtida por seu empregador junto à administração francesa; Cópia de diplomas, provas de qualificação e certificados de trabalho. Visto de estudante na França O visto de estudante atende àqueles que pretendem entrar no sistema de ensino na França, isto é, realizar um curso de francês, executar um acordo de cotutela ou de duplo-diploma, realizar a graduação completa, o mestrado, eventualmente o doutorado ou outros cursos livres de longa duração, como de culinária, por exemplo. Os documentos específicos para o visto de estudante para longa duração são: Número do processo concluído na Campus France, ferramenta através da qual você dará início ao seu processo de matrícula em uma universidade francesa; Pré-inscrição ou inscrição em um estabelecimento universitário com as datas de início e fim do curso, ou de curso do idioma francês com carga horária mínima de 20 horas semanais reconhecido pelo Ministério Francês da Educação Nacional; Garantias financeiras regulares suficientes à duração. Pode ser uma declaração de financiamento parental (com firma reconhecida em cartório), de recebimento de bolsa ou de autofinanciamento no valor mínimo de 615€ mensais. O pedido de visto custa 50€, mas se você for contemplado com alguma bolsa de estudos do Brasil, ele é gratuito. Experiência com visto de estudante para a França Eu, Bárbara, tive de pedir um visto de estudante para a França durante o mestrado, quando fui contemplada com uma bolsa financiada por uma fundação brasileira para passar 6 meses estudando e morando em Paris. Segui as instruções de iniciar o processo de solicitação com 3 meses de antecedência. Assim, o primeiro passo foi me cadastrar na plataforma da Campus France e anexar todos os documentos que comprovavam meu aceite na Universidade francesa, bem como os recursos financeiros que eu receberia durante o período fora. Como eu já tinha dois dos documentos mais difíceis do processo, isto é, o aceite da Universidade e a comprovação de recursos financeiros, a análise do meu dossier foi bem rápida. Em duas semanas eu já tinha feito minha entrevista pré-consular, tinha o meu número do processo e comecei a organizar a lista de documentos para marcar minha entrevista no Consulado francês. Devo dizer que a cada documento que eu colocava em minha pastinha, o coração batia mais forte! Fiz todo o procedimento com o Consulado de São Paulo, que fornece todas as instruções detalhadas para cada passo a passo. Como na época eu ainda não tinha uma residência fixa, nem conhecia ninguém na França, fiz uma reserva com cancelamento gratuito no Booking.com e usei como comprovante de estadia. Nesse campo específico do formulário de solicitação do visto, eu inseri as coordenadas da Universidade onde eu ficaria atrelada. Depois de pouco mais de uma semana, recebi um email do Consulado francês avisando que meu visto para a França já estava pronto e que eu poderia retirá-lo. Não foi necessário realizar mais nenhuma formalidade em relação ao visto, ao chegar em Paris. Visto Visiteur na França Essa modalidade de visto não permite trabalhar. É uma categoria que pode ser utilizada em situações como, por exemplo, aposentados no Brasil que desejam viver uma temporada estendida na França ou familiares de estudantes ou pessoas que desejam passar um tempo no país sem trabalhar. O visto custa 99€. Os documentos específicos para pedir o visto Visiteur são: Carta em francês com motivo do pedido de residência; Declaração de que não exercerá nenhuma atividade remunerada na França, feita de próprio punho e assinada; Justificativas de rendimentos suficientes para sua estadia na França; Comprovantes da situação socioeconômica no país de residência; Certidão negativa criminal. Visto de empreendedor na França Para quem pretende abrir um negócio na França através do visto de empreendedor, além dos documentos básicos, deve apresentar: No caso de atividade comercial, artesanal ou industrial, apresentar a opinião da Plateforme interrégionale de la Main d'œuvre Etrangère no departamento em que o projeto está previsto; Comprovante de registro da empresa (contrato social, extrait K ou Kbis) ou de filiação ao convênio social dos autônomos (se os documentos já tiverem sido obtidos); Formulário CERFA do tipo “commerçant, artisan, industriel” preenchido; Extrato do registro judiciário ou documento equivalente; Comprovantes relativos à sua capacidade de exercer a atividade em questão, como diplomas, qualificações, certificados, entre outros. Além disso, há ainda uma série de documentos que devem ser entregues conforme sua situação, isto é, no caso de criação de uma atividade ou inserção em uma atividade existente. Visto para cônjuge de francês Esse visto é gratuito e exclusivo para quem contraiu matrimônio com um(a) francês(a) e é o primeiro passo caso você queira tirar o cartão de residência para familiar de cidadão europeu. Os documentos necessários a essa modalidade, além dos básicos anteriormente listados, são: Cópia integral recente (menos de 3 meses) da certidão de casamento francesa, seja elaborada por uma prefeitura da França, seja transcrita nos registros consulares de estado civil para casamentos fora da França; Comprovante de nacionalidade francesa do cônjuge. Visto para Au Pair na França Na França, o programa de Au Pair tem como pré-requisito a inscrição em curso de francês ou a comprovação de conhecimento da língua. Ao mesmo tempo, essa categoria de visto não possui qualquer exigência em relação à comprovação da situação financeira do solicitante. Os documentos específicos necessários são: Carta de motivação em francês justificando o pedido de visto; Convenção elaborada pela família acolhedora no formulário específico CERFA, pelo período máximo de um ano; Atestado de conhecimentos básicos da língua francesa ou do nível de francês adquirido emitido por escola; Diploma ou certificado de educação secundária ou da qualificação profissional do candidato. Para fazer o pedido do visto de Au Pair é preciso pagar uma taxa de 99€. Visto para estágio na França Se você conseguiu aquela sonhada vaga de estágio na França para dar um salto na carreira, atente-se aos documentos específicos para essa categoria, além dos mandatórios e básicos listados anteriormente: Convenção de estágio aprovado pela administração francesa; Comprovantes de meios de subsistência para a duração do estágio; Documento especificando as condições de acomodação durante o estágio; Seguro médico para os 3 primeiros meses da estadia. O visto de estágio custa 99€. Passeport Talent Chercheur/Scientifique O Visto Passeport Talent Chercheur/Scientifique é voltado aos pós-doutorandos, pesquisadores e professores-pesquisadores que pretendem ficar na França por pelo menos 12 meses. Em alguns casos, ele também é atribuído à doutorandos – a decisão por esse visto, normalmente, cabe à Campus France ou à Universidade francesa que vai te receber. Além da documentação já listada, candidatos a esse visto devem apresentar: Convention d’accueil original de um organismo credenciado, constando o carimbo e assinatura da instituição de ensino; Diploma equivalente a um mestrado (Master) na França e sua respectiva tradução para o francês. Ele é tarifado em 99€. Experiência com visto Passeport Talent Chercheur/Scientifique para a França No doutorado, eu, Bárbara, fui contemplada com uma bolsa de estágio de pesquisa em uma Universidade de Paris. Após receber os documentos da agência financiadora brasileira, busquei a Campus France para dar início em meu processo. Anexei todos os documentos na plataforma, contudo, recebi uma notificação que afirmava que no meu caso eu deveria requisitar o visto Talent Chercheur/Scientifique, e não o de estudante. Por fim, indicaram que eu entrasse em contato com a minha Universidade francesa para solicitar a emissão de minha Convention d’accueil. [caption id="attachment_163170" align="alignnone" width="750"] Independentemente do seu tipo de visto para a França, é preciso ficar atento à documentação exigida.[/caption] Foi um processo angustiante, para dizer o mínimo. Estávamos no início de dezembro e a instituição de ensino ia em breve fazer sua pausa para festas de final de ano. Mas, para solicitar a emissão da Convention, tive que providenciar traduções de diplomas e contratar um seguro saúde que fizesse a cobertura de minha estadia na França - coisas que levam um certo tempo e considerável emprego de recursos. Após enviar todos os documentos necessários para a Universidade via e-mail, aguardei uma semana e recebi o aviso de que a Convention estava pronta. Vale dizer que o pessoal da minha Universidade trabalhou em tempo! Como tinha o prazo muito apertado, tive que contratar o serviço da DHL para fazer um envio prioritário do documento ao Brasil. Convention d'accueil original é obrigatória Apesar de estranho, de fato precisamos levar a Convention original ao Consulado na hora de pedir o visto. Isso porque se trata de um contrato de trabalho entre o pesquisador e a universidade de destino, portanto, tal documento deve conter a assinatura original do próprio reitor da Universidade, do Consulado francês no Brasil e do pesquisador convidado. O próprio atendente do Consulado de São Paulo me pediu para que eu guardasse a Convention com muito cuidado, pois ela era um documento importantíssimo. Reuni todos os documentos necessários, marquei meu atendimento e após 14 dias corridos recebi um e-mail que informava que meu visto estava pronto. Foi tudo bem em cima da hora, mas deu tudo certo! Para além dos 99€ pagos no dia de minha solicitação de visto, depois de chegar na França tive ainda que fazer a validação online do documento e pagar uma taxa de 225€. Visto para família de quem pede visto Talent Chercheur/Scientifique Esse visto é aplicável se você se enquadra no caso de ser esposa, marido ou filha(o) de quem está partindo para a França com um visto Talent Chercheur/Scientifique. Além dos documentos anteriormente mencionados, a papelada necessária para essa modalidade inclui: Certidão de casamento ou de nascimento de filhos, associada à tradução juramentada. Não é aceita a união estável; Autorização para residir na França, caso o menor esteja viajando apenas com um dos pais, com tradução juramentada; Formulário do contrato de trabalho do beneficiário, ou seja, a Convention d’accueil. O visto custa 99€. Visto Férias-Trabalho na França Em vigor desde março de 2018, o visto férias-trabalho na França é exclusivo para pessoas com idades entre 18 e 30 anos e pode ser solicitado até a véspera do aniversário de 31 anos. Ele permite que você vá para o país sem ter um emprego. Sua vantagem é que, caso encontre um emprego no país, poderá trabalhar legalmente. A modalidade permite estadia na França por no máximo 1 ano e não prevê renovação. Os documentos necessários para solicitá-lo são: Uma carta de motivação descrevendo o objetivo da viagem, currículo e comprovativo de conhecimento da língua francesa recomendado; Comprovantes financeiros pessoais: último extrato bancário pessoal recente (menos de 1 mês) ou uma declaração de seu banco comprovando um valor de pelo menos 2.500€ (ou o equivalente em reais). Cartões de crédito ou meios financeiros de terceiros não serão aceitos; Certificado médico atestando boa saúde e capacidade de exercer uma atividade profissional; Comprovante de retorno ou compromisso de fornecer uma prova de retorno ao final do visto; Comprovante de um registro criminal limpo. O visto é gratuito. Experiência com visto Férias-Trabalho na França A Laura Fahed conta um pouco de sua experiência com o visto Férias-Trabalho na França. Apesar de falar mais precisamente sobre o Férias-Trabalho, as dicas gerais que ela dá pode ajudar muito quem quer tirar qualquer outro tipo de visto para o país: Portanto, a dica principal é preparar todos os documentos com antecedência e tirar todas as suas dúvidas antes de viajar! Como tirar visto para a França? O procedimento para solicitar o visto para a França segue sempre os mesmos passos e ocorre diretamente com o Consulado de sua circunscrição: você reúne os documentos, preenche os formulários, faz um agendamento e aguarda a emissão do documento. A exceção é com o visto de estudante, cujo processo passa obrigatoriamente pelo intermediário Campus France, a agência oficial do governo francês responsável pela promoção do ensino superior na França. Portanto, se você for estudante, precisará se cadastrar na plataforma da Campus France, pagar uma taxa atualmente fixada em R$ 570,00 e enviar todos os documentos solicitados. Após enviar seus documentos à Campus France e conferir o passo a passo de candidatura, você passará por uma pré-entrevista consular e, somente após ter recebido o aceite de uma universidade, poderá agendar um horário no consulado. Quanto custa visto para França? De 0 a 99€, dependendo da categoria. Os valores podem ter seus custos consultados diretamente no site da Ambafrance. Alguns vistos, como para estudantes bolsistas no Brasil e do tipo férias-trabalho, por exemplo, são isentos de taxas consulares. Outros, como o de estudante, custam 50€ (excluída a taxa da Campus France). Mas a maioria das categorias de visto custam 99€. Você pode pagar este valor com o cartão de débito ou em espécie. Toda solicitação de vistos deverá ser paga em reais, diretamente no Consulado, de acordo com a cotação do dia. Onde tirar visto para França no Brasil? No Consulado da França que atende o estado brasileiro de sua residência. Confira como é feita a divisão: Embaixada de Brasília: GO, AC, AP, AM, PA, MT, RR, RO, TO; Consulado de Recife: AL, BA, CE, MA, PB, PE, RN, SE, PI; Consulado do Rio de Janeiro: RJ, MG, ES; Consulado de São Paulo: SP, PR, SC, RS, MS. Seção consular da Embaixada da França em Brasília Website: Seção consular da Embaixada da França em Brasília Endereço: Av. das Nações - Lote 04 - Quadra 801 Telefone: (61) 3222-3999 Consulado Geral da França em Recife Website: Consulado Geral da França em Recife Endereço: Edifício BV Corporate – 10° Andar - Boa Viagem - Recife - PE, 51021-410, Brasil Telefone: (81) 3117-3290 Consulado Geral da França no Rio de Janeiro Website: Consulado Geral da França no Rio de Janeiro Endereço: Avenida Presidente Antonio Carlos, 58 Telefone: (21) 3974-6699 Consulado Geral da França em São Paulo Website: Consulado Geral da França em São Paulo Endereço: Avenida Paulista, 1842 Telefone: (11) 3371-5400 Quanto tempo demora para o visto francês ficar pronto? Em média, 15 dias úteis. A emissão do visto em si não é demorada, mas o processo deve ser considerado na totalidade. Em outras palavras, é preciso levar em conta o tempo de reunir a documentação de acordo com a categoria de visto a ser solicitada. Como vimos, dentre eles estão  os comprovantes financeiros, a matrícula em uma instituição de ensino francesa ou o recebimento da Convention d’accueil (se for o caso), o preenchimento dos formulários e as eventuais traduções. O agendamento do visto também pode se tornar um problema, especialmente em meses de altíssima demanda, como o período compreendido entre julho e agosto, uma vez que o ano letivo na França começa em setembro. Por isto, nossa dica é começar a se preparar seguindo o prazo sugerido pelos consulados: 3 meses de antecedência. Pode renovar o visto francês? Depende do visto que você tiver. Documentos do tipo Férias-Trabalho, por exemplo, não podem ser renováveis. Outros, como o Talent Chercheur/Scientifique, permitem uma renovação plurianual. Os de estudante, por sua vez, permitem renovação para a quantidade de tempo restante para concluir o curso no qual você está matriculado. Ainda, o visto de cônjuge de francês também permite um prolongamento, seguindo as regras específicas do caso. Portanto, se você gostaria de renovar seu visto, o indicado é que você contate a prefeitura de seu lugar de residência na França alguns meses antes do final da validade do documento. Nesse sentido, vale dizer que não é possível renovar um visto já vencido. Já estou na França, posso pedir visto? Não. As circunscrições consulares são muito claras ao informar que não existe a possibilidade de solicitar o visto estando na França. No caso de brasileiros, é preciso voltar ao Brasil e dar entrada no pedido no Consulado. Tenho cidadania europeia, preciso de visto? Não! Se você tiver cidadania europeia, mesmo que seja de outro estado-membro, você não precisa passar pelas etapas burocráticas associadas à emissão de vistos. Se este for o seu caso, basta solicitar um documento chamado carte de séjour depois que você estiver na França). Trata-se de uma espécie de carteira de identidade que vai facilitar seu acesso aos benefícios do governo, como auxílio moradia, seguro de saúde, dentre outras coisas. Esse documento pode ser obtido na prefeitura da cidade onde você pretende morar na França. No site do Serviço Público francês é possível simular sua situação e conferir os procedimentos. Ao chegar no país, entre em contato com o Office Français de l’Immigration et de l’Intégration (OFII) e não se esqueça de se inscrever na Assurance Maladie, o serviço público de saúde na França. Documentos necessários para entrar na França Existem 2 maneiras de entrar na França sem ter cidadania europeia: como turista ou com um visto, independente da categoria. Confira abaixo a lista de documentos para ambos os casos. Entrando na França como turista Passaporte: documento válido com data de expiração para, no mínimo, três meses após a data marcada em sua passagem de volta; Passagem aérea de volta: o agente da imigração pode pedir a passagem de volta para seu país de origem, e caso você não o tenha, ele está no direito de impedir a sua entrada na França. Considerando que comprar a passagem para apenas um sentido é mais caro do que comprar a ida e volta juntos, compre sempre os dois trechos de uma vez; Seguro-saúde: cobertura mínima de 30 mil euros e que cubra todo o Espaço Schengen; Hospedagem: comprovante de hospedagem ou atestado de acolhimento de algum francês. Para o comprovante de hospedagem, você pode utilizar reserva em sites, como Booking e Airbnb, mas se for ficar hospedado na casa de alguém, precisará da carta convite escrita à mão e reconhecida na prefeitura; Meios financeiros: comprovantes de que possui meios financeiros para bancar sua estadia no país. Entrando na França com visto Seja qual for a categoria de visto, a entrada na França costuma ser menos rigorosa quando se apresenta um visto na imigração porque presume-se que você já apresentou os documentos na hora de obter o visto. Na maioria das vezes, apenas apresentar o visto já basta, mas é sempre bom ter em mãos todos os comprovantes que justifiquem sua entrada no país. Isso é ainda mais importante se você for fazer uma conexão antes de chegar à França. [caption id="attachment_163171" align="alignnone" width="750"] As formalidades em sua chegada na França são diferentes, a depender do visto que você possui.[/caption] Eu, Bárbara, por exemplo, quando cheguei no país de um voo direto, bastou apresentar meu passaporte com visto e fui liberada imediatamente. Contudo, quando tive que fazer uma conexão em outro país antes de chegar na França, apesar de estar munida de meu passaporte com visto, o agente da imigração solicitou algumas informações e outros comprovantes que justificassem minha entrada. Entreguei minha Convention d’accueil, meu comprovante de estadia e de bolsa e deu tudo certo! Quantos euros são necessários para entrar na França? Entre 32€ e 120€ por dia, a depender de seu projeto no país. Segundo informações do France-Visas, o mínimo exigido por pessoa é: 120€ por dia, caso você não tiver uma hospedagem em um hotel; 65€ por dia, se você for se hospedar em um hotel; 32,50€ por dia, se você for se hospedar em casas de familiares ou amigos. O agente de imigração pode pedir saldos disponíveis em conta-corrente, extratos de cartão de crédito, cartão pré-pago e/ou dinheiro em espécie. Estes valores são calculados quando uma pessoa viaja à França como turista. Caso você esteja de mudança para o país, o valor calculado são 615€ mensais. Mais uma vez, você precisará comprovar que já possui esta quantia somada para o período em que ficará quando solicitar o visto e não para o agente de imigração. Para comprovar as quantias é possível apresentar declarações de financiamento parental, desde que você comprove que seus pais recebem esta quantia todos os meses, ou até mesmo um extrato da conta bancária com o valor para um ano, que neste cenário totaliza 7.380€. Dúvidas frequentes sobre o visto para França Veja agora as respostas a algumas das perguntas mais frequentes sobre os vistos para o país.   Para finalizar, a dica essencial é: vá para a França legalmente desde a primeira vez, obtenha o visto correto para o seu momento de vida e parta para a sua viagem. Mesmo que seu visto seja de uma categoria não renovável, como o férias-trabalho, você terá inúmeras chances de fazer contatos com empresas que poderão chancelar um visto de trabalho no futuro. Com isso ficará muito mais fácil aplicar para o seu visto definitivo. A jornada é longa e burocrática? Sim. Mas é perfeitamente possível conseguir. Boa sorte na sua solicitação!

Guias e dicas sobre a Europa

Mais dicas sobre

Portugal

Mais dicas sobre

Espanha

Mais dicas sobre

Itália

Mais dicas sobre

França

Mais dicas sobre

Inglaterra

Mais dicas sobre

Alemanha

Mais dicas sobre

Irlanda

Mais dicas sobre

Outros países
Conteúdo exclusivo da Europa no seu email!
Receba na sua caixa de entrada os artigos, notícias e colunas da sua preferência para mergulhar no mundo europeu e preparar sua mudança!
Assine já nossa Newsletter