Depois de 2 anos sem permitir a entrada de turistas, o governo italiano comunicou que as fronteiras serão reabertas e a entrada de turistas será novamente permitida no país em março. Confira agora as novas regras sobre a permissão de entrada de brasileiros na Itália.

Entrada de brasileiros na Itália permitida a partir de 1º de março

No dia 22 de fevereiro, o ministro da Saúde italiano, Roberto Speranza, tornou público o anúncio de que turistas vindos de países de fora da União Europeia poderão entrar no país – o que inclui os viajantes brasileiros.

Não será preciso mais se submeter à quarentena, bastando comprovar que possui vacinação completa (há 14 dias), certificado de cura ou um teste negativo, conforme as indicações governamentais.

Já se sabe, inclusive, que o certificado emitido pelo Brasil, através do Conecte SUS será aceito, na versão em inglês.

Segundo os dados mais atuais do Our World in Data, cerca de 79% da população italiana está totalmente vacinada, o que dá mais tranquilidade para que a decisão seja tomada. Além disso, o número de casos confirmados vêm diminuindo desde a segunda quinzena de janeiro.

Número de novos casos de Covid na Itália
Divulgação de imagem de novos casos de Covid na Itália no Google, em 22 de fevereiro. Fonte JHU CSSE Covid-19 Data.

A decisão foi tomada após uma recomendação da União Europeia

Há poucos dias, a União Europeia recomendou que os países do bloco não mantivessem as regras proibitivas para as pessoas vindas de países fora da União Europeia, desde que pudessem comprovar vacinação ou cura do Covid-19.

Seguindo a recomendação, o governo italiano optou por liberar a entrada de turistas. Entretanto, ainda é preciso esperar que sejam divulgados mais detalhes sobre as exigências e as vacinas que serão aceitas.

Precisa enviar dinheiro para outro país?

Envie dinheiro com toda a segurança, rapidez e melhor taxa de câmbio. Atualizamos a melhor entidade diariamente, faça já a sua simulação!

Cotar Agora →
Precisa enviar dinheiro para outro país?

Depois de testarmos as principais alternativas do mercado (Paypal, Western Union, Moneygram, etc), a plataforma que nós recomendamos é a Wise. É seguro, rápido e fácil de utilizar.

Ver Cotação →

Quais vacinas são aceitas na Itália?

Até o momento, a Itália aceita as vacinas que foram aprovadas pela Agência Europeia de Medicamentos ou recomendadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS):

  • Pfizer/BioNTech;
  • Oxford/AstraZeneca;
  • Moderna;
  • Janssen;
  • Novavax.

A Coronavac será aceita?

Ainda não se sabe, já que o governo italiano ainda não publicou mais detalhes sobre a decisão de abertura. Portanto, é preciso esperar para confirmar essa informação. Assim que for publicado, atualizaremos esse artigo.

Mas, segundo o Escritório de Turismo da Itália no Brasil, é possível que a vacina brasileira seja aceita, como já acontece em outros países.

Outra opção é que pessoas que receberam vacinas de outros fabricantes sejam autorizadas a entrar no país, desde que apresentem teste negativo. Podem ser aceitos um teste PCR realizado até 72 horas antes ou um teste de antígeno feito 24 horas antes.

O governo italiano deve divulgar mais informações em breve para esclarecer sobre vacinas aceitas, exigência de dose de reforço e certificados.

Fim do estado de emergência na Itália

O atual estado de emergência no país tem validade até o dia 31 de março.

É bem provável que a situação não seja renovada, tendo em conta o bom momento da pandemia na Europa. Até agora esta é a posição do governo, que deve ser mantida caso a situação não se agrave.

Além disso, o governo da Itália também discute a continuidade da existência do Green Pass, mas ainda não há um consenso sobre a data em que este Certificado Verde Reforçado deixará de ser exigido.

Por agora, a emissão do Green Pass continua sendo necessária para os cidadãos europeus e demais residentes na Europa.

Green Pass na Itália

Os europeus e residentes no Espaço Europeu não precisam realizar quarentena ou comunicar entrada na Itália, mas para isso precisarão apresentar um novo certificado que tem surpreendido europeus de férias no país: é o Green Pass (Certificado Verde Reforçado).

Esse documento está sendo exigido para entrada em cafés, restaurantes, museus, alojamentos e até para andar em transportes públicos. A medida foi implantada no dia 1º de fevereiro de 2022.

De acordo com informações do Portal das Comunidades, o Green Pass é emitido para 3 grupos de pessoas:

  • Para quem recebeu a dose de reforço ou se recuperou da doença após ter completado o esquema vacinal primário (o certificado tem validade ilimitada);
  • Quem tenha completado o ciclo de vacinação primário há mais de 6 meses ou tenha recuperado da doença há mais de 6 meses, o certificado pode ser emitido após a realização de um teste com resultado negativo;
  • Viajantes com vacinas não autorizadas no país poderão obter o certificado após a realização de um teste negativo.

Crianças e passagens rápidas pelo país são liberados do Green Pass

A obrigação de apresentar o Green Pass é dispensada para crianças menores de 12 anos e para estadias inferiores a 120 horas no país em caso de motivos comprovados de trabalho, saúde ou absoluta urgência, às deslocações através de território italiano com meio de transporte privado que durem menos de 36 horas, nem aos trabalhadores transfonteiriços e tripulações de meios de transporte, entre outras exceções.

Quem não apresentar o Green Pass terá de fazer quarentena

Quem não apresentar o Green Pass na entrada da Itália, precisará fazer quarentena de 5 dias e no fim do período realizar um teste molecular ou antígeno à Covid-19.

As autoridades italianas podem realizar testes Covid aleatórios aos viajantes à entrada do país, colocando em quarentena obrigatória de 10 dias num alojamento turístico, às custas do próprio viajante, a qualquer passageiro que tenha um resultado positivo no teste.

Brasileiros que podem entrar na Itália até 28 fevereiro

Podem entrar na Itália até a reabertura das fronteiras, cidadãos estrangeiros de países terceiros nestas condições:

  • Por motivo de trabalho;
  • Por motivo de saúde;
  • Para retorno à residência;
  • Por urgência comprovada;
  • Para Atletas, técnicos e juízos de competições esportivas de nível profissional;
  • Para quem tem relação afetiva comprovada e estável*.

*Quem tem relação afetiva comprovada e estável com cidadãos italianos, mesmo que não morem juntos, também poderão entrar no país. Todos os casos citados acima precisarão preencher um formulário de localização de passageiros e apresentar um teste de covid-19 com resultado negativo (PCR – 72 horas antes; antígeno – 24 horas antes).

É preciso comunicar a entrada e fazer quarentena

Depois da entrada de brasileiros na Itália, é preciso comunicar a entrada no Departamento de Prevenção da Agência Sanitária Local e se deslocar até o destino final em carro particular, não pode pegar serviço público.

Ao chegar ao local, deverá realizar quarentena de 10 dias e fazer novo teste no fim desse período para detectar a doença.

Turistas portugueses enfrentam problemas na Itália

Turistas portugueses de férias na Itália contaram em reportagem ao Jornal de Notícias que têm tido problemas para aproveitar o período no país. Sem a terceira dose e o Green Pass, não conseguiram se hospedar no país, usar o transporte público ou fazer refeições em restaurantes.

Na tentativa de conseguir emitir Green Pass, tentaram vacinar-se com a dose de reforço da vacina na Itália, mas não foi possível, pois foi exigido o número de contribuinte italiano provisório para isso. Em seguida, fizeram testes de covid-19 na tentativa de obter o Green Pass, mas até a data da publicação da reportagem, não haviam conseguido.

Os turistas portugueses sem a terceira dose da vacina não terão problemas para voltar para casa, pois a apresentação do Green Pass só é obrigatória nos voos domésticos, nos voos internacionais não é obrigatório.