Ao atingir um marco significativo no mercado de trabalho durante o mês de abril, a Espanha registou o menor índice de desemprego dos últimos anos. Foram 200 mil novos empregos criados apenas no mês em questão, o que colaborou para marcar um recorde de inscritos na Seguridad Social em todo o país.

Recorde histórico na Segurança Social

As novas contratações permitem que o mercado de trabalho alcance um nível nunca atingido antes em termos de registros na Seguridad Social — sistema de proteção social espanhol: acima de 21 milhões de inscritos.

O número marca 48 meses seguidos da Espanha criando novos empregos. Ainda, vale ressaltar que nunca foram registrados tantos empregados com regime de contrato indefinido, ou seja, sem data para terminar: por volta de 14 milhões.

Elza Saiz, Ministra de Inclusión, Seguridad Social y Migraciones (Inclusão, Segurança Social e Migrações) declarou:

“Não só observamos uma melhoria quantitativa, superando os 21 milhões de afiliados mas também qualitativa. Nunca haviam sido registrados tantos afilados na Seguridad Social com contrato indefinido”.

Taxa de desemprego mais baixa nos últimos 16 anos

A nova cifra fez com que o número de desempregados no país fosse o mais baixo desde 2008, o ano da última maior crise financeira global com início no mercado imobiliário estadunidense.

Mais de 60 mil pessoas saíram do desemprego no mês de abril de 2024 em relação ao mês de março, fazendo com que o número de desempregados diminuísse para 2.666.500.

O desemprego chegou ao menor índice desde 2009 e se aproxima dos registros de 2008. Fonte: Ministério da Seguridad Social.

Mulheres e estrangeiros batem recorde entre os empregados

Em abril, as mulheres saíram na frente em relação às vagas de emprego na Espanha: foram elas que ocuparam 103.132 cargos dos 200 mil do mês, enquanto os homens ocuparam 96.406 vagas.

Comprar euro mais barato?

A melhor forma de garantir a moeda europeia é através de um cartão de débito internacional. Recomendamos o Cartão da Wise, ele é multimoeda, tem o melhor câmbio e você pode utilizá-lo para compras e transferências pelo mundo. Não perca dinheiro com taxas, economize com a Wise.

Cotar Agora →

Com isso, o grupo feminino conseguiu chegar à marca dos quase 10 milhões de empregos ocupados — mais especificamente 9.999.282 —, batendo um recorde histórico de mulheres no total de pessoas empregadas na Espanha.

Entre todos os trabalhadores e trabalhadoras, ainda, os estrangeiros que moram na Espanha representam quase 3 milhões de todos os empregados hoje, também batendo um recorde. Só em abril, inclusive, esse grupo ocupou mais de 70 mil das vagas que foram criadas.

Hotelaria é o setor com mais empregos

Três Comunidades Autônomas lideram a lista de novos empregos: Ilhas Baleares, Andaluzia e Catalunha. Segundo o jornal El Periódico, o número de novos postos criados em cada uma das regiões foi de 55.155, 41.365 e 33.089, respectivamente, somando 91 mil recém-empregados.

Já conforme dados do Statista, essas comunidades estão entre as cinco que mais receberam turistas internacionais em 2023 — as Ilhas Canárias e a Comunidade Valenciana foram as outras duas. Não à toa, o setor que mais teve crescimento em abril foi o da Hotelaria: foram mais de 90 mil registros na Seguridad Social sob empregos da área.

As áreas de Atividades Administrativas, Comércio e Transporte e Armazenamento foram as que mais cresceram depois da Hotelaria. Por outro lado, em termos anuais, também houve um crescimento considerável nos setores de Educação, Comunicações e Informação, além de Atividades Profissionais Científicas e Técnicas.

Emprego aumentou em todas as regiões

Embora as Ilhas Baleares liderem o índice de maior número de ofertas de emprego no mês de abril, o aumento aconteceu em todas as comunidades autônomas. Na totalidade, portanto, a Espanha tem desemprego mais baixo dos últimos anos.

Além das comunidades já citadas anteriormente, segundo o jornal El Independiente, as Comunidades de Madrid, Múrcia e Cantábria são outras que tiveram mais destaque no número de novos empregos.

Aumento gera recorde na Segurança Social

Além dos recordes no número de mulheres e de estrangeiros empregados, o país também bateu um recorde no número total de inscrições na Seguridad Social: é a primeira vez que a marca dos 21 milhões é atingida em número de empregados.

Desde abril de 2020, quando a pandemia do coronavírus fez com que muitos países, inclusive a Espanha, confinasse seus cidadãos em casa, já foram criados — e ocupados — 2,6 milhões de empregos.

E, destaque-se, cada vez mais em melhores condições para os trabalhadores, já que a última reforma trabalhista local limitou o uso de contratações temporais e eliminou os contratos por obra ou serviço.

Além de mais pessoas no mercado, os novos contratos têm mais qualidade. Fonte: Ministério de Seguridade Social.

Diante disso, a temporalidade também alcançou mínimos históricos no último abril de 2024: apenas 12,6% dos contratos de trabalho na Espanha foram assinados sob condições do tipo.

Situação da Espanha frente outros países

Vale lembrar, ainda, que os números da Espanha acabaram se destacando até em relação a outros países da região.

Enquanto a criação de empregos aumentou 8,9% desde o nível de 2019 no país, na França, Itália e Alemanha esse aumento ficou em 5%, 3% e 1,4%, respectivamente.

Por outro lado, a taxa de desemprego no país também é maior que a dos vizinhos europeus.