Planejando mudar para a Alemanha com sua família e trazer seu fiel amigo do Brasil ou já está aqui e deseja adicionar um membro peludo à sua casa? Então, descubra quanto custa ter um pet na Alemanha e quais são as burocracias antes de começar o processo.

Seja trazendo-o do Brasil ou adotando localmente, a jornada envolve planejamento financeiro e pode exigir bastante do seu tempo. Por isso, para que você e seu companheiro de quatro patas tenham uma experiência incrível e sem problemas, detalhamos as despesas básicas e informações necessárias, permitindo que você desfrute da companhia do seu amigo peludo sem surpresas financeiras.

Quanto custa ter um pet na Alemanha?

Em média, para ter um cachorro o custo é entre 150€ a 250€ mensais, a depender da idade, porte do animal e região que mora. Já para quem tem gatos, os valores variam entre 50€ a 150€ mensais.

Toda essa soma é baseada nas despesas fixas como comida, imposto e vacinas, mas vale lembrar que também podem surgir gastos extras, como seguro, veterinário ou se você tiver que contratar uma pessoa para tomar conta do seu pet enquanto está de férias.

Quais são os custos para ter um pet na Alemanha?

Como explicado, os custos variam conforme o tipo de animal, bem como as despesas fixas e extras. Vamos aos detalhes!

Custos para os cachorros

As despesas regulares de quanto custa ter um pet na Alemanha são:

  • Microchip: se deseja levar cachorro para Alemanha a partir do Brasil, saiba que precisa ter o chip correspondente ao padrão europeu e a inserção no Brasil custa entre R$ 50 e R$ 150. Se vai adotar o cachorro na Alemanha, precisa colocar o chip, que custa entre 30€ e 60€;
  • Comida: rações aqui costumam ser em conta, em torno de 20€ a 120€;
  • Imposto: na Alemanha, é obrigatório que os donos dos animais de estimação paguem um imposto mensal e cada região estabelece esse valor. Em média, o custo varia de 20€ a 150€, a depender do animal e da cidade;
  • Vacinas: é necessário que o pet tenha a carteira de vacinação atualizada, inclusive, com a vacinação antirrábica válida e registrada no Passaporte de Animal de Companhia ou no certificado veterinário. As vacinas custam em média entre 11,50€ e 20€.

Outros gastos

Já as despesas extras são:

Precisa enviar dinheiro para outro país?

Envie dinheiro com toda a segurança, rapidez e melhor taxa de câmbio. Atualizamos a melhor entidade diariamente, faça já a sua simulação!

Cotar Agora →
Precisa enviar dinheiro para outro país?

Depois de testarmos as principais alternativas do mercado (Paypal, Western Union, Moneygram, etc), a plataforma que nós recomendamos é a Wise. É seguro, rápido e fácil de utilizar.

Ver Cotação →
  • Seguro: conhecido em alemão como “Hundehaftpflichtversicherung”, o Seguro de Responsabilidade Civil para cães não é obrigatório. No entanto, ele cobre muitas coisas, como: se o seu cachorro fizer algum dano na casa onde você morar na Alemanha ou na casa de outra pessoa, ou até mesmo se acontecer do seu cachorro morder alguém, você estará protegido pelo seguro e não precisará arcar com as despesas. Normalmente, os seguros custam entre 40€ e 70€ por ano;
  • Veterinário: se o seu animal ficar doente ou sofrer um acidente, não há alternativa a não ser uma visita ao veterinário. Além disso, há gastos com banho, tosa, etc. Em média, esses serviços custam em torno de 40€ a 150€, a depender do porte do cachorro. A conta também pode variar de veterinário para veterinário;
  • Creche: é muito comum encontrar escolinhas para animais na Alemanha. Principalmente, se a família vai viajar, existem muitos hoteizinhos para cuidar dos amigos de quatro patas. O valor pode variar pela quantidade de dias, mas prepare-se para algo entre 20€ e 60€ por dia.

A brasileira Camila Glau, que se mudou para Ampfing, na Alemanha, decidiu trazer a Nina, uma cadela de 10 anos da raça Shih-Tzu. Segundo Camila, a família tem um custo médio de 1.220€ por ano com o animal.

“As despesas da Nina são todas relacionadas a comida, vacinas, imposto e veterinário. Um dos gastos mais importantes que temos é o imposto anual para cães, que é obrigatório e na nossa cidade custa 40€ por ano. Como ela tem problemas de saúde por conta da idade, gastamos muito também com medicamentos.

Camila explica que também faz a aplicação da vacina antirrábica anualmente no veterinário. A dose desta vacina custa 30€.

Brasileira ao lado da sua cachorra conta quanto custa ter um pet na Alemanha.
Nina faz parte da Família e se mudou com Camila para a Alemanha. Foto: Camila Glau.

Assim como a Camila, o Ricardo Pina também trouxe sua cadela do Brasil, a Uffa, que tem quase nove anos e é uma Schnauzer miniatura. Ele mora com o esposo em Böblingpöen, próximo a Stuttgart, uma das melhores cidades da Alemanha, e relata que os gastos mensais com o pet chegam a 188€.

“Aqui, pagamos 118€ de plano de saúde, que não é obrigatório, mas preferimos ter por segurança. 60€ são só de ração e 10€ de imposto, que anualmente custa 120€.

Ricardo explica que esses valores não consideram outros gastos com brinquedos, capa de chuva, escova e pasta de dente, pente/escova, coleiras, entre outros.

Brasileiros no inverno da Alemanha com sua cadela Uffa.
Uffa tem nove anos e mora na Alemanha com os pais. Foto: Ricardo Pina

Se você for morar Berlim, é importante lembrar que esse imposto custa 120€ por ano para um cão e 180€ para cada cachorro extra. Já se for morar em Munique, o valor é de 100€ por ano para um pet.

Custos para os gatos

No caso dos felinos, as despesas fixas são:

  • Microchip: todos os animais vindo do Brasil precisam ter o chip correspondente ao padrão europeu. O custo no Brasil é em torno de R$ 50 a R$ 250. Se vai adotar o gato na Alemanha,colocar o chip que custa entre 30€ e 60€;
  • Vacinas: é necessário que o pet tenha a carteira de vacinação atualizada, inclusive, com a vacinação antirrábica válida e registrada no Passaporte de Animal de Companhia ou no certificado veterinário. As vacinas custam em média entre 11,50€ e 20€;
  • Comida: entre 10€ e 100€, a depender da quantidade que você deseja comprar;
  • O imposto não é obrigatório para quem tem gatos na Alemanha.

Outros gastos

Já as despesas opcionais de quanto custa ter um pet na Alemanha são:

  • Seguro: a depender da empresa privada que você escolher, os valores variam entre 2,27€ e 80€ mensais;
  • Veterinário: além das despesas veterinárias anuais com o seu gato, que rondam os 100€ a 200€, pode ainda ter de suportar despesas imprevistas com operações ou doenças necessárias;
  • Creche: a maioria das cidades tem creches para pets. Você pode precisar investir em torno de 20€ a 60€ por dia;
  • Areia: os valores custam entre 7€ e 50€, conforme o peso e podem ser adquiridas nos supermercados na Alemanha.

Conversamos também com a Raisa Bitencourt, que mora em Düsseldorf desde 2020 e tem dois gatos: o Coentro, que ela trouxe do Brasil, e o Penny, que foi adotado na Alemanha.

Dois gatinhos, o Coentro o Penny posam para a foto.
Coentro e Penny, os dois gatinhos da brasileira Raisa. Foto: Raisa Bitencourt.

Segundo ela, os valores de cada animal variam um pouco, já que ela prefere comprar quantidades maiores de ração ou areia. Em casa, a Raisa divide os gastos de quanto custa ter um pet na Alemanha com o namorado, que paga as despesas do Penny e ela do Coentro.

“Em média gasto 15€ com areia, 20€ com ração e 68€ com o plano de saúde para o Coentro. Existem opções mais baratas de areia e ração, mas aqui a gente prefere gastar um pouco mais para ter um pouco mais de conforto. Eu sei que o plano de saúde é opcional, mas como cobre todos os gastos veterinários, é uma mão na roda para mim. Qualquer coisa que ele precisar, eu corro pra clínica sem precisar pensar muito em quanto vai sair a conta”, detalha a brasileira.

Todos os veterinários têm o mesmo preço?

O custo de uma visita ao veterinário com um cão ou gato pode variar muito, interferindo o preço final de quanto custa ter um pet na Alemanha. Embora exista uma tabela de taxas para veterinários fixa, o GOT (Tierärztegebüühreordnung), os veterinários podem decidir muito por si próprios, por exemplo, qual a taxa que cobram.

As clínicas também pode determinar a conta de suprimentos médicos (cotonetes, luvas, etc.).

E para levar o pet do Brasil? Quanto custa?

Entre R$ 2.500 a R$ 4.000.

Isso porque levar um pet do Brasil para outro país, como a Alemanha, envolve diversos custos relacionados a documentação, vacinas, chip, passagem e, em alguns casos, serviços de agências especializadas em transporte de animais. Os valores podem variar, mas aqui estão algumas estimativas aproximadas:

  • Chip e registro: o custo do chip de identificação pode variar, geralmente entre R$ 50,00 e R$ 150,00. Além disso, há despesas associadas ao registro do animal, que podem variar conforme a cidade e o órgão responsável;
  • Vacinas e certificados veterinários: as vacinas obrigatórias, como antirrábica, podem custar entre R$ 80,00 e R$ 150,00. Os certificados veterinários para viagem internacional podem variar de R$ 100,00 a R$ 300,00;
  • Documentação para viagem: a emissão de documentos específicos para a viagem, pode custar em torno de R$ 200,00 a R$ 400,00. Já o Certificado de Vacinação Internacional (CVI) é gratuito;
  • Passagem aérea para o pet: o custo da passagem aérea para o pet depende da companhia aérea, tamanho e peso do animal.

Gastos detalhados dos entrevistados

Na experiência da Camila e do Ricardo com a Nina e a Uffa, ambos precisaram investir mais de R$ 3.000 para viajar com os doguinhos. Os gastos da Camila foram os seguintes: R$ 2.500 com chip, vacina, exame e consultas, mais o valor do transporte, que foi cerca de R$ 1.300. Totalizando R$ 3.800.

Já o Ricardo teve as seguintes despesas em 2019: R$ 100 com a vacina de raiva, R$ 985 com o exame de sorologia antirrábica, R$ 120 com a visita ao veterinário para fazer o atestado de saúde, R$ 695 com a caixa de transporte seguindo as diretrizes da International Air Transport Association (IATA) e mais 280€ da passagem para Alemanha. Totalizando na época R$ 3.380.

Para gatos, esse valor pode chegar a R$ 2.600, como foi na experiência da Raisa. Em 2019, a tutora do Coentro gastou R$ 200 pelo microchip mais a vacinação e cerca de R$ 900 pela sorologia. O preço da passagem foi cerca de R$ 1.300, pela LATAM, incluindo a caixa de transporte adequada para a cabine do avião.

Diferenças entre ter pet no Brasil e na Alemanha

Existem várias diferenças entre ter um pet no Brasil e na Alemanha. A primeira delas é que aqui os animais possuem documentos de identificação. Por conta do chip, é obrigatório que cães e gatos tenham um registro e cartão de vacina.

Outro fator interessante é que na Alemanha não existem animais de rua. O controle sobre a adoção e venda de animais aqui é bastante rígido. A burocracia é significativa nesse processo. Para vender ou adotar um companheiro de quatro patas, é necessário obter autorização dos órgãos públicos e seguir estritamente as leis aplicáveis.

Para Ricardo Pina, a principal diferença foi notar o quão silenciosos e bem treinados são os cachorros locais. Segundo ele, muitos canis incluem uma cláusula nos contratos que exige a matrícula dos cachorros em escolas de treinamento desde o nascimento.

“Essa peculiaridade é evidente nas creches. Nossa cadela não foi treinada e sempre preferiu interagir com pessoas em vez de outros animais. Quando chegamos, matriculamos a Uffa em uma creche, em Berlim, mas algumas semanas depois fomos convidados a retirá-la de lá. Isso ocorreu porque, para eles, é crucial que os cachorros brinquem apenas entre si. E a Uffa só queria mesmo brincar com as monitoras”, relembra o brasileiro.

Já para a dona do Coentro e da Penny, a variedade de opções de planos de saúde para os animais foi o que mais chamou a sua atenção nos gastos de quanto custa ter um pet na Alemanha.

“Tanto o percentual de participação, quanto a quantidade de empresas que oferecem o serviço é grande. Isso é algo que eu já tinha ouvido falar no Brasil, mas que não é algo comum. O acesso, a qualidade e variedade de produtos aqui também é muito maior e existem opções para cada necessidade”, analisa Raisa.

É comum levar o pet com frequência para tomar banho no veterinário?

Não é comum levar o animal de estimação com frequência para tomar banho no veterinário. A maioria das famílias prefere realizar essa tarefa em casa, reservando as visitas ao veterinário para serviços específicos, como tosa, quando necessário, ou para tratamentos de saúde.

“No Brasil, a Nina tomava banho toda semana e era tosada uma vez por mês. Na Alemanha, e principalmente em cidades pequenas como a nossa, é muito raro encontrarmos esse tipo de serviço. Atualmente, fazemos tudo em casa mesmo”, detalha a Camila.

Apesar de residir em uma cidade maior, em Böblingen, próxima a Stuttgart, Ricardo tem experiências semelhantes com sua cadela Uffa.

“Aqui, também é incomum encontrar locais que ofereçam serviços de banho para cachorros, pois eles costumam tomar cerca de dois banhos por ano. Percebo que há uma cultura muito forte do ‘faça você mesmo’ por aqui. A maioria dos proprietários cuida de tudo, e nesse aspecto, não nos surpreende, pois já tínhamos o hábito de dar banho na Uffa quando morávamos no Brasil”, comenta.

Vale a pena ter pet na Alemanha?

Depende. Você está preparado para se planejar financeiramente, sabendo que isso reflete no seu custo de vida na Alemanha?

Você já sabe quanto custa ter um pet na Alemanha, mas cuidar de um animal doméstico aqui envolve além de dinheiro, tempo, paciência e acima de tudo trazer conforto para o seu amiguinho. Vale lembrar que eles possuem sentimentos e, talvez, essa mudança de país, caso seja a sua situação, pode resultar em bastante estresse para o seu cão ou gato.

Se você deseja adotar por aqui, é importante ficar atento às regras da Alemanha e estar preparado para toda burocracia. Você viu quanto custa ter um pet no país, eles são normalmente planejados e custam caro.  Inclusive, se você quiser saber mais, existe um portal em alemão com várias informações úteis para pais de pet.

Brasileira Camila Glau detalha quanto custa ter um pet na Alemanha
Camila não se arrepende com os gastos de ter trazido a Nina para Alemanha. Foto: Camila Glau.

Fora isso, acredito que vale super a pena ter o seu melhor amigo por perto. Afinal, eles fazem parte da família e você não ficará sozinho.

“A Nina foi essencial nos primeiros meses como suporte emocional. Só quem passa por um processo de mudança tão grande como o nosso entende o quão difícil pode ser esse desafio. Existe saudade da família, problemas com idioma, burocracia de visto, mas o pet sempre estará lá para deixar nossos dias mais felizes”, desabafa a brasileira.

A gente espera que esse artigo tenha te ajudado a esclarecer a suas dúvidas e a estar preparado para ter um animal de estimação por aqui.

Se você pensa em morar na Alemanha ou outro país europeu, confira o ebook O Sonho de Viver na Europa. Ele reúne diversas histórias de brasileiros que se mudaram para o continente e compartilham as suas dificuldades e oportunidades. Vale a pena ler para se inspirar e refletir!