Com o 6° melhor IDH do mundo segundo o último Relatório de Desenvolvimento Humano publicado, e com o melhor PIB da Europa, a Alemanha tem atraído cada vez mais brasileiros que buscam mais segurança e qualidade de vida. Mas a dúvida é: qual o custo de vida na Alemanha?

Neste artigo, vamos esclarecer essa e várias outras dúvidas a respeito do custo de vida no país germânico.

Pergunta Resposta
O custo de vida na Alemanha é alto? Sim, se comparado ao Brasil, a Alemanha tem um custo de vida 72% mais alto.
Dá para viver com um salário mínimo na Alemanha? Sim. O salário mínimo na Alemanha fica em torno de 1.584€, sendo que os custos mensais de uma pessoa solteira ficam em torno de 780€ – sem o aluguel
Cidades com menor custo de vida na Alemanha Aachen, Bochum, Leipzig e Passau

Fonte: Numbeo.

Qual o custo de vida na Alemanha?

A melhor resposta para essa pergunta seria: depende.

Depende do seu estilo de vida, do seu nível de consumo, da cidade onde você mora, enfim. Mas, em geral, viver na Alemanha não é tão caro quanto se imagina, tendo equilíbrio entre lazer e necessidades básicas.

Custos de moradia na Alemanha

Uma pessoa ganhando um salário mínimo consegue viver tranquilamente em um bom apartamento sem se preocupar com os boletos no final do mês.

Segundo o site Numbeo, que é referência em informações sobre custo de vida no mundo, a estimativa de gastos mensais para uma pessoa solteira fica em torno de 780€, sem considerar o valor do aluguel.

Precisa enviar dinheiro para outro país?

Envie dinheiro com toda a segurança, rapidez e melhor taxa de câmbio. Atualizamos a melhor entidade diariamente, faça já a sua simulação!

Cotar Agora →
Precisa enviar dinheiro para outro país?

Depois de testarmos as principais alternativas do mercado (Paypal, Western Union, Moneygram, etc), a plataforma que nós recomendamos é a Wise. É seguro, rápido e fácil de utilizar.

Ver Cotação →

Custos de aluguel

Mas afinal, quanto custa o aluguel na Alemanha? Veja os exemplos:

Tipo de imóvel Valor
Apartamento (1 dormitório) – Centro 740€
Apartamento (1 dormitório) – Fora do centro 556€
Apartamento (3 dormitórios) – Centro 1.420€
Apartamento (3 dormitórios) – Fora do centro 1.067€

Aluguel nas áreas periféricas das grandes cidades

Há uma alternativa para quem busca pagar preços mais baixos no aluguel e consequentemente ter um custo de vida na Alemanha mais baixo. O ideal é optar por morar em áreas mais distantes do centro ou mesmo em cidades nos arredores das capitais.

Os alugueis costumam ser mais baratos e, além disso, é mais fácil encontrar imóveis maiores e melhores. Assim, como o sistema de transporte no país é bastante eficiente, muitas pessoas, principalmente famílias que precisam de um imóvel mais amplo, acabam fazendo essa opção.

Casas compartilhadas

Uma opção bastante comum na Alemanha – e que pode diminuir o custo de vida no país- é optar por moradias compartilhadas.

Durante o período que morei na Alemanha, especialmente pela dificuldade em encontrar apartamentos para alugar, eu e meu marido vivemos por 1 ano em um WG, sigla para Wohngemeinschaft (literalmente, apartamento compartilhado).

Esse estilo de moradia é bastante popular entre estudantes e tem a vantagem de incluir todos os custos da casa no aluguel: aquecimento, internet, luz e água.

Em geral, você aluga um quarto privativo e o restante do espaço (banheiro, cozinha e sala), é compartilhado com os demais moradores do WG. Gosto sempre de falar sobre essa possibilidade, pois ela nos permite criar laços, melhorar o idioma (seja inglês ou alemão) e economizar muito!

Valor médio das contas da casa

De qualquer forma, caso você não se sinta à vontade, os valores médios das contas da casa são os seguintes, segundo o site Expatistan, que também faz comparativos de custo de vida pelo mundo.

Tipo de conta Custo
Custos fixos da casa (aquecimento, gás, eletricidade, água, lixo) 126€
Internet 32€

Quanto custa a alimentação na Alemanha?

Um dos custos mais baixos que você provavelmente vai ter na Alemanha está relacionado ao mercado. Apesar do país ter tido uma alta na inflação em 2021, ficando em torno de 6% para os alimentos, os valores continuam acessíveis.

Além da variedade de redes espalhadas no país, todos oferecem muitos descontos durante a semana.

Redes como Lidl, Aldi e Penny são consideradas de médio/baixo custo, oferecendo produtos mais simples para o dia a dia. Já Rewe e Edeka – outras redes de mercados – têm uma variedade maior de marcas, sendo um pouco mais caros que os demais, mas também apresentando um ótimo custo-benefício.

Custos de supermercado

Uma dica que vale a pena seguir na hora de ir às compras é aproveitar o sistema Pfand, que está sinalizado em alguns produtos, principalmente bebidas (em recipientes de vidro, plástico ou alumínio). Em alemão, Pfand pode ser traduzido como “depósito”, e funciona da seguinte forma:

Você compra um produto que custa 75 centavos, por exemplo. Desse valor, 50 centavos é do produto (cerveja, refrigerante, etc), e 25 centavos é Pfand do recipiente.

Após consumir, você pode retornar ao mercado (não precisa ser o mesmo em que o produto foi comprado) e devolver o recipiente em uma máquina – que normalmente está localizada na entrada – gerando um cupom no valor de 25 centavos para você usufruir no estabelecimento.

O ideal é acumular o máximo de recipientes e fazer a troca de uma só vez, gerando um cupom maior e que possa ser abatido na sua próxima compra, ajudando bastante a equilibrar os custos com comida.

Os rótulos das embalagens geralmente estão sinalizados com o selinho do Pfand quando é permitido. Caso contrário, a expressão Pfandfrei poderá surgir se a devolução não for válida para determinado produto.

Veja os custos básicos do mercado, segundo o site Numbeo.

Produto Preço
Leite 0,91€
Pão branco (500g)  1,45€
Arroz (1kg)  1,94€
Ovos (dez) 2,40€
Frango (1kg) 7,00€
Bife (1kg) 10,00€
Batata (1kg) 1,34€
Cebola (1kg) 1,28€
Tomate (1kg) 1,47€
Água (1,5l) 0,43€

Os gastos com comida podem variar bastante conforme o estilo de vida de cada pessoa. Existem opções para todos os gostos e o valor médio para uma pessoa pode ficar em torno de 200€, sem considerar os itens de higiene e beleza – que costumam ser mais caros e pesar mais no bolso.

Em 2020, ano em que morei na Alemanha com meu marido, nosso consumo mensal ficava em torno de 300€, também sem considerar os gastos com produtos de higiene (desodorante, absorvente, pasta de dentes, shampoo e condicionador, etc), comprando a maioria dos itens no Edeka e no Penny.

Frutas e legumes deixávamos para as feirinhas de produtores locais que aconteciam na cidade semanalmente (elas oferecem mais variedade, produtos frescos e mais baratos). E para quem não abre mão das carnes, vale explorar os açougues e ir em busca de diferentes cortes e preços mais em conta.

Custos para comer fora

Já comer fora também pode variar bastante de acordo com a frequência, mas conforme a estimativa do Numbeo, uma refeição em um restaurante acessível fica em torno de 10€ – sem a bebida. Para um casal, fica em torno de 50€ em um bom restaurante, considerando três pratos.

restaurante-tipico-na-alemanha
O schnitzel é um prato típico alemão, bastante acessível nos restaurantes do país.

Um combo de fast food pode sair por apenas 8,00€ e um Döner Kebab, prato típico turco e encontrado em várias esquinas na Alemanha, custa apenas 5,00€. As bebidas variam e ficam entre 2,13€ (uma garrafa d’água) a 3,70€ (500ml de cerveja).

No caso dos refrigerantes, uma dica importante: sempre que for a um restaurante, certifique-se de que oferecem a lata da bebida fechada. Caso contrário, o que virá é um copo servido de uma garrafa de 2 litros que já está aberta e sem gás! Na dúvida, sempre peça uma cerveja.

Quanto custa o transporte na Alemanha?

Uma coisa é certa, a bicicleta é sempre a melhor opção. A primeira dica para você que está migrando para a Alemanha é chegar no país, se instalar e adquirir a sua.

Para se ter uma ideia do incentivo e da facilidade de usar esse meio de transporte, só a capital, Berlim, possui 1.000 km de ciclovias. Na Alemanha, as bicicletas superam o número de carros: são 74 milhões contra 48 milhões de automóveis aproximadamente.

Em cidades menores, normalmente a bicicleta é suficiente para fazer o deslocamento. Porém, nem sempre essa opção é viável, especialmente nos grandes centros.

bicicletas-em-universidade
Na Alemanha as bicicletas tomam conta das ruas e são utilizadas pela maior parte da população.

Transporte público

O transporte público na Alemanha é extremamente eficiente e pontual, mas para quem vem de fora, pode ser confuso entender a dinâmica no início. Os “metrôs” são chamados de U-Bahn, que em geral são subterrâneos (mas isso não é uma regra), enquanto os trens são chamados de S-Bahn.

Além disso, também estão disponíveis ônibus (Bus) e os bondinhos, conhecidos como Tram ou Straßenbahn. Já os trens regionais são os RE ou RB (regional express e regional Bahn, respectivamente) e os trens interurbanos são os IRE ou ICE (interregio-express e intercity express).

Feitas as apresentações, vamos aos valores. Os custos com transporte na Alemanha não costumam ser altos. Tanto trens como ônibus são relativamente acessíveis, custando em torno de 1€ a 2€ o ticket.

Para quem usufrui desse serviço diariamente, vale a pena considerar fazer um cartão mensal, que custa entre 70€ e 90€, dependendo da região.

A vantagem desses cartões é que eles cobrem custos de bonde, trem e ônibus, além do benefício se estender a um dependente em alguns casos.

trem-em-munique
O transporte público da Alemanha é um dos mais eficientes do mundo.

Para estudantes ou idosos as tarifas podem ser ainda menores. Ao manter a carteira de identificação sempre atualizada, é possível criar um BahnCard, que oferece uma série de descontos em diferentes modalidades.

Tipo de bilhete Preço
Bilhete local (só um trajeto)  2,80€
Passe mensal  70€

Como são os custos de saúde na Alemanha?

Existem algumas particularidades quando se trata de plano de saúde na Alemanha, mas uma coisa é fato: todos no país precisam estar cobertos por algum plano, seja ele público ou privado.

Os custos com saúde na Alemanha podem variar de 80€ até 1.500€ por mês, conforme cada cobertura e plano de saúde escolhido. Existem duas opções de seguro saúde na Alemanha: a pública, chamada de GKV (Gesetzliche Krankenversicherung) e a privada, conhecida pela sigla PKV (Private Krankenversicherung).

Seguro de saúde público

O plano de saúde público, onde a maioria da população se enquadra, é dividido entre empregado e empregador. As contribuições dependem do salário bruto de cada pessoa, sendo aplicada uma taxa de 14,6%, dividida meio a meio entre segurado e empregador. Mas, nesse sistema, o governo também subsidia, garantindo que pessoas desempregadas também possam receber esse auxílio.

No seguro de saúde estatal, cônjuges e filhos podem receber o benefício gratuitamente como dependentes. Para sair do sistema público, é preciso se encaixar em alguns critérios, como por exemplo: ganhar mais de 60.750€ por ano, ser autônomo ou trabalhar como funcionário público. Porém, vale o alerta: uma vez que você sai do sistema público, não é tão simples retornar a ele.

Seguro de saúde privado

Os valores do seguro saúde privado podem variar de acordo com a seguradora e a cobertura. Assim como no Brasil, quanto mais jovem e saudável você for, menor será a mensalidade. Portanto, os valores variam de 175€ por mês, chegando a 1.500€ em casos de pacientes de alto risco.

Para entender mais sobre o sistema de saúde alemão, confira nosso artigo.

Quanto custa o lazer na Alemanha?

Cheia de festivais e rica em cultura, a Alemanha com certeza traz ótimas opções de lazer acessíveis, inclusive algumas gratuitas, tendo o custo apenas com a alimentação. Uma pessoa solteira ou um casal conseguem aproveitar os finais de semana ou fugir da rotina eventualmente sem que isso pese tanto no orçamento.

roda-gigante-em-colonia
Roda-gigante aberta ao público em Colônia, na Alemanha.

Veja alguns gastos conforme:

Tipo de atividade Preço
Jantar para dois em restaurante do bairro 35,00€
Dois ingressos de cinema 23,00€
Dois ingressos premium para o teatro 117,00€
Jantar para dois em restaurante na área nobre da cidade, incluindo entrada, prato principal, vinho e sobremesa 54,00€
Drink em bar no centro da cidade 8,00€

Resumo do custo de vida na Alemanha

Se você está em dúvida se a sua renda mensal é suficiente para viver confortavelmente no país, separamos uma média de custos para um casal sem filhos, incluindo despesas como alimentação, transporte, aluguel, lazer e saúde.

Tipo de despesa Custo
Aluguel no centro 740,00€
Custos fixos da casa (aquecimento, gás, eletricidade, água, lixo, internet)  266,00€
Seguro saúde (estatal) 180,00€
Alimentação 350,00€
Transporte (passe mensal) 140,00€
Lazer 93,00€
Total 1.769,00€

Os valores variam conforme a região e estilo de vida de cada casal, e no cálculo você ainda pode incluir academia ou a prática de algum esporte, que fica em torno de 30€ por pessoa, considerando a média do país.

A Julia Meier Farias tem um vídeo ótimo falando sobre o custo de vida de um casal, que ajuda a ter uma boa estimativa sobre os valores para viver na Alemanha. Veja:

O custo de vida na Alemanha é alto?

Como foi dito anteriormente, o custo de vida na Alemanha pode variar muito entre as cidades. Entre as cinco principais: Berlim, Munique, Colônia, Hamburgo e Frankfurt, a capital é a mais acessível.

Dependendo da região da cidade, é possível encontrar apartamentos de 1 dormitório por 600€ mensais. Já Munique é considerada a mais cara entre as cinco, pois o aluguel dificilmente baixa dos 1.000€ por mês. No entanto, o restante dos custos apresenta pouca variação entre as cidades.

Como é o custo de vida alemão em relação a outros países europeus

Quando colocamos qualidade de vida na balança, a Alemanha pode ser um dos países com melhor custo-benefício da Europa. Na hora de escolher onde morar, muitos fatores pesam, e o país germânico sai à frente em diversos quesitos. Economia, segurança, emprego, bem-estar, educação, entre outros, são fatores que tornam a Alemanha referência e uma ótima opção se comparada aos vizinhos europeus.

custo-de-vida-em-berlim
A Alemanha é um dos países com melhor custo-benefício da Europa.

A maioria dos países que fazem fronteira com a Alemanha apresentam um custo de vida equivalente ou até mesmo mais alto. A capital da Áustria, por exemplo, tem um salário médio que pode ser até 27% menor que o de Berlim com um custo de vida muito próximo, o que acaba tornando a Alemanha uma opção mais vantajosa.

Da mesma forma Itália, França e Espanha, até podem ter um custo de vida menor que o da Alemanha, mas com salários proporcionalmente inferiores.

Custo de vida na Alemanha em comparação ao custo de vida no Brasil

O custo de vida na Alemanha é maior que o custo de vida no Brasil.

Uma comparação do Numbeo mostra que os gastos, sem considerar o aluguel, são 77,73% mais altos na Alemanha do que no Brasil. Por outro lado, o poder de compra na Alemanha é 270,24% maior comparado ao do Brasil, algo que deve ser levado em conta na hora de fazer a listinha de prós e contras da imigração.

Se pegarmos o salário mínimo médio como comparativo, a diferença entre os dois países chega a mais 640,31% para os alemães.

Salário médio no Brasil Salário médio na Alemanha
349,00€ 2.586,28€

Fonte: Numbeo.

O custo de vida na Alemanha é compatível com os salários?

O custo de vida na Alemanha é completamente compatível com os salários praticados no país. Uma pessoa solteira levando um estilo de vida de estudante, morando em um apartamento compartilhado, economizando com transporte e outros itens no dia a dia, consegue economizar bastante, podendo viver com apenas 850€ por mês. Da mesma forma, um casal sem filhos pode viver de forma confortável gastando cerca de 2.000€ por mês.

E se você ainda tem dúvidas se vale a pena sair do Brasil e se aventurar em algum país da Europa, confira nosso Ebook O sonho de viver na Europa, com dicas exclusivas e o relato de quem vivenciou essa jornada.