Pular para o conteúdo
vinicius-miranda

Vinícius Miranda

Autor

Vinícius é mestre em Direito pela Universidade do Porto e vive em Portugal desde 2016. Logo que mudou, começou a ajudar seus amigos com a melhores dicas para quem deseja realizar o sonho Europeu. Agora, deu um passo adiante e quer contribuir para que qualquer pessoa possa conquistar o Velho Continente da forma mais tranquila possível.

Conteúdos recentes
O custo de vida em Porto Portugal é alto
Portugal

Custo de vida em Porto, Portugal: principais gastos e como calcular

Se o Porto é o destino escolhido para viver no país luso, então você precisa conhecer o custo de vida na cidade para se preparar. Por se tratar de uma das maiores cidades do país e segunda maior área metropolitana, o custo de vida em Porto Portugal é mais elevado do que no interior do país. Apresentamos em detalhes os custos, de alimentação até moradia, passando por gastos com saúde, transporte e lazer. Confira! Pergunta Resposta Quanto custa morar no Porto? O valor depende muito do seu estilo de vida e de onde você escolhe morar. Mas já adiantamos que para morar no centro é preciso pelo menos 1.800€. Qual a média do preço do aluguel em Porto? A média é de 17,1€/m² na cidade e 15,1€/m² no distrito. O valor varia conforme a região, sendo muito difícil o aluguel de um apartamento de um quarto no centro do Porto por menos de 800€. Como calcular o custo de vida no Porto?‌ Somamos as médias dos gastos mais básicos como aluguel, alimentação, contas da casa, transporte, saúde e lazer. Consideramos também um valor para emergências. Como é o custo de vida em Porto, Portugal? Morar no Porto significa morar em uma das cidades com custos de vida mais elevados de Portugal, ficando atrás apenas de Lisboa. Porém, a cidade oferece de tudo aos moradores: qualidade de vida, boas opções de lazer e um clima agradável para se viver. Entre os itens que mais pesam no custo de vida em Portugal, e em especial nas grandes cidades, está o aluguel. Dessa forma, com a pressão imobiliária, especialmente em decorrência do turismo, os aluguéis nos centros das cidades se tornaram mais escassos e os valores mais elevados. Em Porto ou no Porto? No Porto. Esse é um dos erros mais comuns cometidos pelos brasileiros que acabaram de chegar na cidade. Mas com pouco tempo é possível perceber que o correto é no Porto e não em Porto. Também é importante destacar que existe a cidade do Porto e o distrito do Porto — o que teria uma equivalência ao nosso Estado federativo. Falando nisso, descubra como é a vida dos brasileiros no Porto. Custo de vida na cidade do Porto é mais barato que o de Lisboa? Sim. O custo de vida no Porto, na maioria dos itens, é mais barato que o custo de vida em Lisboa. Entretanto, um dos itens que mais pesa nessa conta, sem dúvida, é a moradia. Se no Porto consideram os aluguéis caros, em Lisboa eles são, em média, 43,8% mais caros, segundo o comparativo do site Numbeo. Além disso, comer fora no Porto também é mais barato que em Lisboa, cerca de 32,1%. O único item que tem o mesmo valor é o transporte público, mas apenas com relação ao passe mensal. Assim como acontece no Porto, em Lisboa existem duas categorias de passes: o de 30€, apenas para a zona municipal e o de 40€ que abrange a área metropolitana. Aumento do custo de vida no Porto O aumento do custo de vida em Portugal pode ser sentido especialmente em cidades como o Porto. Inegavelmente, os preços de aluguel tiverem crescimento constante nos últimos anos. Se em 2014 era possível alugar um T3 (apartamento de 3 quartos) no centro do Porto por 600€, em 2024 com esse valor já não é mais possível alugar sequer um apartamento de 1 quarto. Pelo menos não no centro. Outros custos também tiveram aumento, mas, por outro lado, o transporte barateou, com o estabelecimento dos novos modelos de passe de transporte. Com a pandemia de coronavírus em 2020, sofreu uma estabilização. Os aluguéis, apesar de não terem tido uma queda significativa no Porto, pararam de subir substancialmente durante algum tempo e passou a ser possível encontrar algumas boas ofertas para viver na zona central da cidade. [caption id="attachment_167551" align="alignnone" width="750"] Calcular o seu próprio custo de vida é essencial para fazer um planejamento financeiro eficiente para a mudança de país.[/caption] Entretanto, em 2022 os preços voltaram a subir e continuam a escalar ano após ano. Para se ter uma ideia, segundo o relatório da evolução de preços das casas do Idealista, nos últimos 5 anos, o valor do metro quadrado para aluguel no Porto (cidade) saltou de 10,4€/m² em 2019 para 17,10€/m² em 2024. Em 2022, a inflação atingiu 10,1%, o que teve impacto no bolso dos portugueses e estrangeiros residentes. A população sentiu a conta do supermercado ficar mais cara. Nos meses seguintes, a taxa foi diminuindo, ainda que tenha sentido um forte impacto da Guerra da Ucrânia, fechando o ano de 2023 com a taxa de 1,4%. Segundo os dados do INE referentes a março de 2024, voltou a subir e o Índice de Preços do Consumidor (IPC) aumentou em 2,3%. Principais despesas do custo de vida em Porto Para calcular o custo de vida em Porto Portugal, é preciso considerar alguns itens separadamente. Por isso, apresentamos os valores médios da vida na cidade. Eles foram extraídos, em sua maioria, do site Numbeo, em abril de 2024 e também contam com a nossa experiência pessoal como residentes da cidade. Custo de vida no Porto com aluguel Não é novidade que o aluguel consome uma boa parcela do orçamento mensal. No Porto não é diferente, já que os valores de aluguel aumentaram consideravelmente nos últimos anos, se estabilizaram na pandemia e voltaram a subir a partir de 2022. A verdade é que viver no centro do Porto pode ser bem caro e comprometer boa parte do custo de vida, mas tem uma série de comodidades que devem ser consideradas. Apresentamos os valores médios de aluguel, confira: Tipo de imóvel No centro do Porto Fora do centro do Porto Apartamento de 1 quarto 966€ 742€ Apartamento de 3 quartos 1.544€ 1.201€ Contas fixas mensais As contas têm valores bem lineares, sendo a maior diferença entre os meses de verão e inverno. Isso porque, é comum que no inverno as pessoas consumam mais água quente, usem os aquecedores, entre outros fatores. De modo geral, as contas de casa são: Item Custo Energia, gás e água 105,43€ Internet e TV 35,08€ TV, internet e celular No meu caso (Carolina), os valores de energia e água giram em torno de 85€ a 105€ por mês, já que na minha casa todos os itens são elétricos e não tenho conta de gás. Já na internet e TV optei por um plano completo, no qual incluo dois chips de celular, nesse caso, pago cerca de 60€. Por outro lado, se quiser optar por um plano apenas de TV e internet, o custo pode ficar mais baixo, entre 30€ e 40€, como os pacotes oferecidos pelas principais operadoras: Vodafone, NOS, MEO, ou NOWO. A inclusão do celular pode parecer um gasto extra, mas no fim faz mais sentido, funciona como um plano pré-pago, no qual você pode optar ou não por ter gastos extras na conta. Além disso, é mais cômodo, já que o plano renova automaticamente e não preciso me preocupar com mais uma conta. No meu caso (Lívia) que moro sozinha e trabalho fora, pago cerca de 70€ por mês de contas fixas que inclui a internet, água e energia. Energia Uma dica para a energia, caso o aquecimento da água seja elétrico, o ideal é regular a temperatura da água, especialmente na mudança de estação. Isso porque o cilindro é um dos itens que mais consome energia em casa, e manter uma temperatura mais baixa pode ter um impacto significativo na conta. Outra opção é comprar um temporizador para cilindro. Neste caso, o aparelho custa de 10€ a 20€ e você pode configurá-lo para o cilindro só funcionar em alguns momentos do dia, evitando um gasto desnecessário com o aquecimento da água. Outro ponto a ser considerado é o aquecimento. No Porto faz muito frio no inverno e a maioria das casas não são preparadas para ele — exceto os apartamentos mais novos que costumam contar com aquecimento central. No caso de não ter essa comodidade na sua casa, deve considerar um gasto com um aquecedor, seja ele elétrico, a óleo ou gás. Eu (Lívia) optei por comprar um aquecedor a gás ao invés do elétrico, com isso, nos meses de inverno, tenho um aumento no meu custo de vida no Porto. O gasto varia conforme o meu consumo e necessidade de me aquecer, mas em média, um botijão de gás dura cerca de 20 dias. O valor que pago na botijão é de 36,40€. Custo de vida com alimentação no Porto Portugal A alimentação em Portugal tem valores bem semelhantes em todo o país, assim os custos com supermercado pouco variam de uma cidade para outra. Como já foi mencionado anteriormente, a inflação andou castigando o bolso dos portugueses e estrangeiros em 2022, mas ainda que já esteja bem mais baixa, ainda sentimos os preços altos dos alimentos. Todavia, com um pouco de empenho é possível encontrar promoções e supermercados em Portugal que praticam preços mais honestos, contribuindo para o seu custo de vida em Porto. A seguir apresentamos alguns valores médios de alimentos no supermercado: Item Preço Leite (L) 0,90€ Arroz (kg) 1,41€ Ovos (dúzia) 2,69€ Queijo nacional (kg) 9,71€ Filé de frango (kg) 6,83€ Bife de carne vermelha (kg) 12,17€ Batata (kg) 1,39€ Cebola (kg) 1,70€ Tomate (kg) 2,22€ Podemos estimar que um casal gasta, em média, 350€ de supermercado por mês. No entanto, esse valor pode variar entre 250€ e 400€, dependendo especialmente do tipo de produto que consomem, se optam por marca do supermercado ou marcas conhecidas, quanto aproveitam as promoções, entre outros aspectos. Para ter uma ideia, eu (Lívia) morando sozinha, gasto uma média de 50€ por semana de supermercado, incluindo ali um vinho, umas cervejinhas e um docinho. Contudo, tenho amigos que gastam cerca de 20€ a 30€ por semana, mas em uma alimentação baseada em macarrão, arroz e feijão enlatado. [caption id="attachment_173790" align="alignnone" width="750"] O custo de alimentação é muito variável, por depender do que tem costume de consumir no dia a dia. Foto: Lívia Tostes[/caption] Uma boa forma de estimar estes gastos é realizando uma compra online. Faça uma lista com os itens regulares da sua semana e simule a compra. O ideal é realizar pelo menos 3 simulações, em períodos diferentes do mês, para entender as promoções, como elas podem impactar no valor das compras e, consequentemente, no custo de vida em Porto Portugal. Custos para comer fora no Porto Gastos para comer fora também devem ser considerados. Seja porque você não gosta ou não tem tempo de cozinhar, seja por uma questão de lazer. Eu (Lívia), almoço fora ao menos 2 vezes por semana e janto fora ao menos 1 vez por semana. No meu caso, é uma mistura da falta de tempo com o lazer. Confira a média de gastos para comer fora no Porto, segundo os dados do Numbeo e a minha experiência: Item Preço Refeição em restaurante simples 6,50€ a 9€ Refeição para 2 pessoas em restaurante médio 40€ McMeal no McDonald's 7,50€ Cerveja nacional (500 ml) 2,50€ Cerveja importada (330 ml) 3€ Cappuccino 1,58€ Refrigerante 1,50€ Água (330 ml) 1€ Gastos com transporte no Porto O transporte público no Porto conta com o passe único, o qual é um bilhete mensal que permite ao usuário circular por 3 zonas ou por todas as zonas da área metropolitana. Além disso, o passe permite andar de ônibus, nos elétricos (bondinhos) e no metrô do Porto. Para o caso de viagens esporádicas, existe a possibilidade de comprar um cartão recarregável. Pode-se carregar de 1 a 30 viagens do mesmo tipo e ao se comprar 10 iguais de uma vez, ganha-se 1 grátis. O valor depende de quantas zonas do transporte público vai cruzar. [caption id="attachment_167546" align="alignnone" width="750"] Com o Andante pode ser utilizado em todos os transportes públicos do Porto. Foto: Lívia Tostes[/caption] Para deslocações mais curtas, os bilhetes unitários Z2, Z3 e Z4 custam 1,40€, 1,80€ e 2,25€ e permitem passar por entre 2, 3 e 4 zonas, respectivamente. Do Z5 ao Z9, os valores variam entre 2,75€ a 4,55€ e permitem viajar por entre 5 a 9 zonas. Há também opções de passes mensais familiares, na versão municipal e na metropolitana. De modo geral, os valores não são absurdos, o que não impacta tanto no custo de vida em Porto Portugal. Confira os valores: Abrangência Valor 3 zonas limítrofes a escolha do usuário (Andante 3Z) 30€ Todas as zonas da zona metropolitana 40€ Andante família municipal (3 zonas) 60€ Andante família metropolitano 80€ Custo de vida com saúde e bem-estar Outros pontos a considerar no seu custo de vida em Porto Portugal são relacionados a sua saúde e bem-estar. Começando pelo seu bem-estar pode estar ligado a várias atividades, desde um passeio ou piquenique no parque, até academias de ginástica. Por isso, separamos algumas opções para promover o seu bem-estar e o custo médio. Item Preço médio Academia de ginástica 35€ Aluguel de quadra de tênis (1 hora) 15€ Aluguel quadra de padel (1 hora) 15€ Aluguel campo de futebol (1 hora) 70€ Academia de escalada (mensalidade com horário livre) 55€ Yoga (2 x semana) 60€ Pilates (aula) 40€ Passeio ou piquenique no parque Gratuito Praias de rio e mar Gratuito (dependendo de onde morar, terá o gasto com transporte público) Já a saúde pública em Portugal é de qualidade e atende à população de forma eficiente. Porém, diferente do Brasil, o atendimento pode ter custos para a população. As consultas primárias, com médico de família (clínico geral), e os exames solicitados por esses profissionais são gratuitos. Da mesma forma, as consultas de especialidade também são gratuitas, desde seja encaminhado pelo seu médico de família. O atendimento de urgência também não é cobrado em alguns casos, como quando o paciente é encaminhado ao hospital pelo Serviço Nacional de Saúde (SNS). [caption id="attachment_167548" align="alignnone" width="750"] Cada região da cidade tem um centro de saúde para atender a população gratuitamente. Foto: Lívia Tostes[/caption] Por outro lado, o atendimento de urgência será cobrado se o paciente for diretamente ao hospital, ou seja, sem passar pela triagem (presencial ou telefônica) do SNS. Nessas situações, faz-se necessário o pagamento de taxas moderadoras, cujos valores são 14€ para urgência básica e 18€ para emergência polivalente. Mas, se o utente precisar ser internado, não pagará as taxas. Coparticipação na compra de medicamentos Outro fator interessante é o custo com remédios, caso sejam prescritos pelo médico do SNS, os custos são consideravelmente mais baixos. Assim, basta apresentar a receita e ter os descontos (taxa de coparticipação). No próprio receituário há a indicação do custo máximo do remédio, sendo esta mais uma forma de diminuir o custo de vida no Porto. Custos com saúde privada no Porto, Portugal Apesar da saúde pública ser eficiente, há muitas pessoas que optam pela saúde privada. Nesse caso, você não precisa passar por um médico de família para conseguir uma consulta com um especialista, por exemplo. Contudo, os custos serão altos — uma consulta médica com especialista custa entre 80€ a 100€, sem contar os exames que poderão ser solicitados. Uma boa forma de acessar o sistema privado é contratar um seguro de saúde em Portugal. Ele é semelhante ao plano de saúde no Brasil, tem um custo relativamente baixo — a partir de 25€ por mês é possível contratar um plano satisfatório. Porém, a maioria dos seguros funciona de forma coparticipativa, ou seja, ao fazer uma consulta com o plano, você paga um determinado valor e a seguradora paga o restante. Por exemplo, se uma consulta com especialista custa 80€, você terá que pagar em média 15€, dependendo do plano. Eu (Lívia), pago 32,50€ por mês no meu seguro saúde. Quando preciso ir ao médico, pago entre 15€ a 18,50€, a depender da especialidade médica. Quando rompi o ligamento do tornozelo, precisei fazer uma ressonância magnética e paguei 50€ (o valor sem o plano era acima de 120€). Recentemente, em março de 2024, fiz um hemograma simples e paguei 4,75€ com o meu plano. Isso acontece porque em Portugal não existem planos semelhantes aos do Brasil, em que o usuário paga um valor mais alto que cobre todos os custos de saúde. Dessa forma, optar pelo sistema privado de saúde é mais caro, mas pode ter alguns benefícios, entre eles a possibilidade de buscar um especialista sem ter que passar pelo clínico geral. Gastos com lazer e entretenimento Os custos de lazer são os mais variáveis desta lista, pois eles vão depender especialmente do seu estilo de vida e do que gosta de fazer no tempo livre. Todavia, existem alguns aspectos que podem ser considerados nessa conta, por isso, destacamos alguns itens que podem fazer parte do seu lazer, confira: Item Custo Ingresso para o cinema 7€ Ingresso para o teatro 9€ a 15€ Cerveja nacional nos bares (500 ml) 2,50€ Cappuccino 1,62€ Festival Primavera Sound Porto (em junho e pista geral para 3 dias) 175€ Queima das Firas do Porto (em maio e por dia) 13€ Almoçar fora em restaurante simples 9,25€ Jantar fora em restaurante médio (refeição completa) 40€ Custo de vida no Porto com educação O custo de vida no Porto, no tocante à educação, tem valores muito distintos para creches, escolas ou universidades. Pesquisamos os sites das principais instituições em abril de 2024 e fizemos a média dos valores encontrados. Quartos e residências universitárias Outro gasto que pode impactar com o custo de vida no Porto e também está relacionado à educação é o aluguel de quarto ou residências universitárias. O valor é mais em conta do que um apartamento completo, partindo dos 250€, no caso de quartos individuais, e variando entre 180€ e 850€, no caso de residências universitárias — estas podendo ser públicas (da própria universidade) ou privadas. Resumo do custo de vida em Porto A partir do que foi apresentado, fizemos um resumo do custo de vida no Porto. Portanto, os valores consideram os preços apresentados no Numbeo e alguns dados de experiência própria na cidade, em abril de 2024. Os valores consideram um casal sem filhos vivendo no centro do Porto: Item Especificação  Custo Aluguel Apartamento de 1 quarto no centro do Porto 966€ Alimentação Compras de supermercado 350€ Contas da casa Água, gás, energia e internet com celular 140€ Transporte Passe mensal para 3 zonas 60€ Saúde Seguro saúde 60€ Lazer Almoços, jantares, saídas, cinema, teatro, etc. 250€ Total 1.826€ Certamente, outros custos poderiam ser adicionados a essa lista, como educação, academia, viagens, etc. Porém, apresentamos apenas os itens gerais que se refletem nas contas mensais básicas de um casal. Custo de vida de estudante em Porto, Portugal Para analisar quanto custa estudar em Portugal é preciso considerar os gastos básicos listados acima e ainda acrescentar os valores com relação ao estudo em si, por exemplo, o valor da mensalidade da universidade. Contudo, os estudantes acabam tento um custo de vida mais baixo, uma vez que alugam quartos para viver, podem economizar com a alimentação no bom e velho “bandejão”, e, pela nossa experiência própria enquanto estudantes no país, dá para economizar até no lazer — com bares e festas universitárias. Desse modo, apresentamos uma média do custo de vida em Porto Portugal para um estudante: Item Especificação Custo Aluguel Aluguel de quarto 350€ Alimentação Compras de supermercado 250€ Contas da casa Água, gás, energia e internet com celular A maioria dos quartos inclui as contas no valor do aluguel Transporte Passe mensal para 3 zonas 30€ (estudantes até 23 anos tem acesso gratuito) Saúde Saúde pública Gratuita Lazer Saídas noturnas, bares e festas universitárias 150€ Total   780€ Custo de vida no Porto vs Salário O salário mínimo em Portugal em 2024 é 820€. Para um casal, na hipótese de cada um ganhar apenas o mínimo, será certamente uma vida com muito mais controle e restrições. Nesse sentido, talvez morar no interior de Portugal seja outra opção. Inclusive, com incentivos para morar no interior sendo fornecidos pelo governo. Já o salário médio, segundo os últimos dados do Instituto Nacional de Estatística, o último trimestre de 2023, fechou com um salário médio de 1.670€. Dessa maneira, um casal que entre nessa média, consegue viver de forma confortável, ganhando o suficiente para cobrir o custo de vida no Porto. Em pesquisa recente, o Eurostat mediu o nível dos salários mínimos de 2024 em 27 países europeus e dividiu os países em três grupos: Países com salário superior a 1.500€; Países com salário superior a 1.000€ e 1.500€; Países com salário inferior a 1.000€ — Portugal está nesse grupo. Dentre os países analisados, considerando os salários dos mais altos para os mais baixos, Portugal se encontra na 11ª posição, enquanto Luxemburgo, Irlanda e Holanda ocupam as primeiras posições com salários que ultrapassam os 2.000€ mensais. Custo de vida: Porto versus Lisboa Se tem dúvida entre morar em Lisboa ou Porto, analisar o custo de vida de cada cidade pode ajudar na decisão. Conforme explicamos no início do artigo, a capital portuguesa apresenta preços mais elevados, sobretudo no que diz respeito ao aluguel. Mas de quanto estamos falando? Confira os indicadores segundo os dados do Numbeo, em abril de 2024. Indicador Variação Preço do consumidor sem aluguel Porto é 10,7% mais baixo que Lisboa Preço do consumidor com o aluguel Porto é 18,3% mais baixo que Lisboa Preço do aluguel Porto é 30,4% mais baixo que Lisboa Preço dos restaurantes Porto é 24,3% mais baixo que Lisboa Preço de supermercado Porto é 4,9% mais baixo que Lisboa Poder de compra local Porto é 37,5% maior que Lisboa Custo de vida no Porto versus interior Já comparando o custo de vida em Porto Portugal, com outras cidades do interior do país, os gastos dos portuenses são mais altos, sobretudo no aluguel, por outro lado, o poder de compra é superior. Confira os indicadores, segundo o Numbeo em abril de 2024: Indicador no Porto Braga Aveiro Coimbra Preço do consumidor sem aluguel Porto é 4% mais alto que Braga Porto é 4,7% mais baixo que Aveiro Porto é o mesmo que Coimbra Preço do consumidor com o aluguel Porto é 9,8% mais alto que Braga Porto é 4,2% mais alto que Aveiro Porto é 8,2% mais alto que Coimbra Preço do aluguel Porto é 23,9% mais alto que Braga Porto é 28,4% mais alto que Aveiro Porto é 29,5% mais alto que Coimbra Preço dos restaurantes Porto é 2,3% mais baixo que Braga Porto é 2,5% mais baixo que Aveiro Porto é 0,3% mais alto que Coimbra Preço de supermercado Porto é 11,5% mais alto que Braga Porto é 6,9% mais baixo que Aveiro Porto é 1,4% mais alto que Coimbra Poder de compra local Porto é 21,7% mais alto que Braga Porto é 38,3% mais alto que Aveiro Porto é 21,2% mais alto que Coimbra Dicas para economizar no custo de vida no Porto O custo de vida no Porto, a princípio, parece bem elevado, considerando especialmente o salário mínimo em Portugal. Por isso, a dica principal é organização financeira, vale a pena ter uma planilha mensal na qual contabilize todos os gastos. Esse controle é essencial para entender os custos da cidade e também definir os orçamentos. Do mesmo modo, outra dica importante é quanto à escolha do local para viver. Muita gente opta por viver nos arredores do Porto, isso porque os custos de aluguel são mais baixos e, em alguns casos, é possível encontrar apartamentos maiores. No entanto, vale a pena colocar no papel os custos antes de decidir onde viver. [caption id="attachment_167552" align="alignnone" width="750"] Buscar moradia fora da zona central do Porto ou na região metropolitana é a melhor maneira de economizar.[/caption] Apesar de parecer uma certa economia, em muitos casos pode ser um custo a mais. Por exemplo, eu (Carolina) vivo no centro do Porto e praticamente não tenho gasto com transporte. Assim, quando se vive mais afastado da cidade, além do passe mais caro de transporte, é preciso incluir nessa conta, alguns transportes privados para voltar para casa à noite, após uma saída, por exemplo. De maneira idêntica, outra dica é explorar os restaurantes e bares mais locais, especialmente nas zonas residenciais mais próximas do centro, onde é possível encontrar ótimos restaurantes com preços bem mais baixos em comparação à Baixa do Porto. Já eu (Lívia), vivo afastada do centro, mas em um bairro do Porto que tem uma excelente infraestrutura: lojas de comércio local, farmácias, supermercados, cafés, açougues, academias e até hospital. Então, no dia a dia, a minha vida acontece ali mesmo e raramente preciso ir ao centro. No entanto, quando chega final de semana e quero dar uma volta pela Baixa, acabo tendo que recorrer ao transporte público ou, na maioria das vezes, aos aplicativos de carro. Sem dúvida, nas zonas mais turísticas os preços são mais elevados, especialmente porque são destinados aos turistas. Por isso, explore a culinária portuguesa nos pequenos restaurantes. A brasileira Luiza Mouzinho, compartilha a experiência do custo de vida pessoal morando no Porto. Guia para planejar sua mudança Planejar a mudança para Portugal é essencial para se estabelecer de forma tranquila e sem problemas. Por isso, recomendamos que você comece esse planejamento com uma boa antecedência e se prepare financeiramente para a mudança. Para ajudar nesse processo, preparamos o Programa Morar em Portugal, um guia completo com videoaulas, e-book e fóruns especiais para esclarecer dúvidas sobre documentos, adaptação e outras questões pertinentes à mudança. Aproveite e boa sorte! Perguntas frequentes sobre o custo de vida em Porto Portugal Reunimos ainda algumas dúvidas frequentes dos nossos leitores para respondê-las aqui no artigo, confira! Diante do custo de vida em Porto, vale a pena morar na cidade? Na minha opinião (Lívia), sim! Apesar do alto custo de vida do Porto Portugal, eu amo viver na cidade. Acredito que ela traz um misto de cidade grande com cidade pequena, ou seja, ela não é tão grande e nem tem um ritmo mais frenético como Lisboa, mas também não é tão pequena e pacata quanto muitas cidades do interior. Por experiência própria, a melhor forma de buscar um equilíbrio financeiro é se abrir para viver fora da região central. Outro dia escutei portugueses conversando em um café e eles diziam que a Baixa (o centro) já não é dos portugueses, mas sim dos turistas. E infelizmente tenho que concordar. Inclusive, já tive a péssima experiência de viver na Ribeira (não é no centro, mas é turística) por 6 meses e foi um verdadeiro inferno na minha vida. Apesar de ter uma vista para o Rio Douro e a Ponte Dom Luís, o prédio inteiro era Airbnb e a bateção de mala na escada todo santo dia era insuportável. Sem falar da portaria que estava sempre aberta. Então, mesmo que o custo de vida seja alto, ainda é possível buscar alternativas para diminuir o gasto que mais pesa: o aluguel. Contudo, planejamento é fundamental para quem deseja viver no Porto ou em qualquer outra cidade do país. Então, reforço o Programa Morar em Portugal. Ele será um excelente guia para organizar o planejamento financeiro e as questões burocráticas que envolvem a mudança de país. Boa sorte com a mudança e nos vemos pelas ruas do Porto!

Casal conversa sobre como declarar herança recebida do exterior em dinheiro
Tributação para Expatriados

Como declarar herança recebida do exterior em dinheiro? Entenda

Viver o processo do luto pela perda de um ente querido é um dos momentos mais desafiadores que uma pessoa pode passar. Tudo fica ainda mais complexo quando é preciso tratar de questões burocráticas em uma altura de tanta fragilidade e morando fora do Brasil. Como declarar uma herança recebida no exterior em dinheiro é um desses assuntos complexos, mas que precisam ser resolvidos dentro do prazo legal e corretamente. Por isso, neste artigo te explicamos os principais pontos sobre o tema e damos dicas valiosas para evitar contratempos com o Estado. Como declarar uma herança recebida do exterior em dinheiro? Para declarar uma herança recebida no exterior em dinheiro, dois pontos serão cruciais: o Imposto de Renda e o ITCMD (Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doação). Sobre o Imposto de Renda falaremos mais no próximo tópico deste artigo. Quanto ao ITCMD, atualmente existe um pouco de controvérsia sobre este tópico. Uma vez que a Constituição Federal Brasileira estabelece que sua cobrança deve ser regulamentada através de Lei Complementar, que é um tipo de lei que visa complementar algum ponto já abordado pela Constituição. Assim, a Lei Complementar serve para aprofundar algum tema que a Constituição não aprofundou. Além disso, as Leis Complementares são leis federais. O que temos no Brasil atualmente é a cobrança do ITCMD pelos Estados através apenas de leis estaduais. Dessa maneira, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu pela necessidade de Lei Complementar para cobrança do tributo. E ainda estipulou um prazo para que uma nova lei seja editada pelo Congresso Nacional. Portanto, se a pessoa falecida for residente no exterior ou teve seu inventário processado no exterior e o herdeiro é brasileiro com residência fiscal no Brasil, vai ficar sujeito ao pagamento do ITCMD. Por outro lado, como o STF decidiu que o Congresso Nacional ainda tem um prazo para editar uma Lei Complementar sobre o tema, esta questão até o momento está pendente. Quem recebe dinheiro de herança tem que declarar Imposto de Renda? Primeiramente, é importante verificar como será feita a cobrança do imposto sobre a herança no próprio país em que ela foi recebida. Não iremos nos aprofundar neste tema ao longo deste artigo, porém este é o primeiro ponto a ser observado. A legislação varia de país para país, podendo haver cobranças que chegam a até 50% do valor recebido. O Imposto de Renda, no Brasil, é um tributo federal, calculado anualmente, e que incide sobre os rendimentos e aumento patrimonial de pessoas físicas e jurídicas. Inclusive, já temos artigos específicos que explicam como funciona a declaração de Imposto de Renda para brasileiros no exterior e como declarar valores enviados para o Brasil. Para quem reside no Brasil e recebe herança no exterior em dinheiro, não é necessário pagar Imposto de Renda, entretanto, é obrigatório declarar o valor. Isto porque apesar de não haver incidência de Imposto de Renda sobre esses valores, existe a obrigação de declarar herança recebida no exterior em dinheiro. Contudo, caso tenha a intenção de enviar dinheiro para o Brasil, saiba que sempre vai haver a incidência do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF). Como devo declarar Imposto de Renda quando recebi herança do exterior? Conforme já explicamos nos tópicos anteriores, a herança recebida do exterior em dinheiro fica sujeita ao pagamento do ITCMD, apesar de haver questões pendentes quanto à decisão do STF sobre quem tem competência para legislar sobre o tema. Quanto ao Imposto de Renda, não será necessário recolher valores, mas é preciso declarar o montante mesmo assim. No site do Governo Federal existe um guia de Perguntas e Respostas para o Imposto de Renda, com quase 300 páginas de informação. No entanto, não se preocupe, que estamos aqui para simplificar. No campo "Discriminação" deve-se informar o valor recebido em moeda estrangeira que consta no documento de transmissão do país que ocorreu a partilha. É importante destacar que os documentos devem estar traduzidos por um tradutor juramentado; No campo "Situação em 31/12/2022" é onde se informa o valor em reais recebido no exterior. No tópico a seguir explicaremos como é feita a conversão.  Em "Rendimentos Isentos e Não Tributáveis" coloque o valor em reais recebido como herança do exterior. Portanto, apesar de a herança não ser passível de cobrança do Imposto de Renda, ainda sim é obrigatório declarar estes valores. O valor da herança precisa ser convertido? Sim, o valor da herança recebida do exterior em dinheiro precisa ser convertido. O primeiro passo é converter o valor da moeda original para dólares dos Estados Unidos da América pelo valor fixado pela autoridade monetária do país emissor da moeda na data de envio. [caption id="attachment_152969" align="alignnone" width="750"] Antes de ser convertido para reais, o valor da herança precisa ser convertido para dólares americanos[/caption] Posteriormente, o valor é convertido novamente, dessa vez para reais, mas pela cotação do dólar fixada pelo Banco Central. Para isso, existe o Conversor de Moedas do Banco Central. Nesta parte é preciso ter atenção, pois a data base para a conversão em real será o dia 31 de dezembro do ano que se pretende declarar. Dúvidas sobre a declaração da herança recebida do exterior em dinheiro Com certeza declarar herança recebida do exterior em dinheiro é um assunto complexo e que precisa ser analisado com todo o cuidado necessário. Como já pontuamos, o valor do ITCMD é devido, porém, o imposto deve ser regulamentado através de Lei Complementar, o que não ocorreu até agora. O assunto ainda está pendente após decisão do STF de que a cobrança não pode ser feita pelos estados, e até o presente momento aguarda edição de Lei Complementar específica. Por isso, recomendamos os serviços oferecidos pela Personal Tax Brasil, uma empresa de consultoria fiscal e tributária com atendimento personalizado para brasileiros não residentes no Brasil. Além da questão pendente com o ITCMD, eles podem te ajudar com a declaração de imposto de renda, evitando assim cair na malha fina e evitando também futuras dores de cabeça sobre este assunto tão importante. Se não sou mais residente fiscal no Brasil, preciso fazer a declaração da herança? Não. A necessidade de declarar herança recebida do exterior em dinheiro se aplica apenas a quem ainda possui residência fiscal no Brasil. Inclusive, quem já não possui mais residência fiscal, sequer precisa apresentar declaração de Imposto de Renda. Mas fique atento, pois caso não tenha feito a declaração de saída definitiva do país, pode continuar com obrigações fiscais perante o Estado brasileiro. Sabemos que para leigos estes assuntos fiscais podem parecer algo de outro mundo. Portanto, para evitar pendências com o Estado, existem empresas especializadas no assunto. Reforçando o que já dissemos anteriormente, recomendamos a Personal Tax Brasil, que são profissionais em questões fiscais e conseguem te ajudar de forma personalizada, evitando futuros problemas com o fisco. Até a próxima!

Turista fotografa ponto turístico na Inglaterra enquanto utiliza Giffgaff chip
Chip de viagem Europa

Giffgaff chip é bom? Saiba como funciona e se vale a pena

Está de mudança para o Reino Unido ou vai a passeio? Para qualquer um dos casos, Giffgaff Chip é uma das opções para continuar conectado, mesmo longe de casa. E se for passear pelo resto da Europa, sem problemas, já que pode continuar utilizando a internet tranquilamente. Neste artigo te contamos tudo o que você precisa saber e ainda damos outras opções para que você faça a melhor escolha! O que é o Giffgaff chip? A Giffgaff é uma empresa de telefonia móvel, sediada no Reino Unido, comprometida em oferecer ótima cobertura de sinal, qualidade de serviço e tudo isso a um preço baixo e competitivo. Mas será que é a melhor opção? Continue comigo na leitura. Para quem o chip é indicado? O Giffgaff chip é indicado para quem vai viajar para o Reino Unido. Quem vai com a intenção de morar em Londres, por exemplo, precisa de um número de celular britânico para se inscrever no Seguro Social (NIN), abrir conta bancária, ter um contato no currículo etc. Apesar do Brexit, com o Giffgaff chip é possível continuar utilizando os dados móveis e chamadas caso você aproveite para conhecer o restante da Europa. Vamos combinar que não existe nada mais frustrante do que estar naquela viagem dos sonhos e não poder postar uma única foto, certo? Como funciona o chip Giffgaff? É super simples! Você pode pedir seu chip Giffgaff gratuitamente através do site. Para isso, basta preencher o formulário com seus dados e o cartão é enviado de forma gratuita para qualquer país da Europa em 5 dias úteis. E, além disso, você já recebe o cartão com £5 de saldo grátis ao ativar o cartão SIM com um plano mensal. Como colocar crédito no Giffgaff? É muito fácil colocar crédito no seu chip Giffgaff. Vamos te mostrar algumas opções: Através do cartão de crédito/débito ou PayPal no próprio site Giffgaff; Em sites como o Recharge você pode comprar um voucher e depois validar o código pelo site ou ligando para 43430; Pode também através do aplicativo Giffgaff (disponível apenas em inglês). Preços e planos Os planos disponíveis são sempre pré-pagos. Dessa forma, você paga seu Giffgaff chip antecipadamente, tem 30 dias para usar o tarifário e, após esse prazo, pode trocar por outro plano, cancelar ou renovar automaticamente. Em qualquer um dos planos os minutos e SMS são ilimitados, desde que seja para números começados por 01,02, 03 (números fixos) e 07 (números de celular). Chamadas internacionais e SMS para outros números não estão incluídos. O que muda é a quantidade de dados móveis. Vamos colocar em uma tabela para ficar mais fácil de visualizar: Quantidade de dados disponível Preço por mês 1GB £6 3GB £8 15GB £10 20GB £12 30GB £15 100GB £20 80GB + AlwaysON* £25 Dados ilimitados £35 *Com o AlwaysOn, ao gastar os 80GB, a velocidade da sua internet é reduzida entre as 8h da manhã e meia-noite. Velocidade ilimitada no resto do tempo. Como comprar o chip? Na verdade, não é preciso comprar nada, já que o chip é gratuito. O pedido do seu Giffgaff chip deve ser feito através do site oficial Giffgaff. Dessa maneira, é necessário apenas preencher o formulário e o seu chip chegará na sua casa no prazo de 5 dias úteis. Vale lembrar que os envios são feitos apenas para países da Europa. E-chip ou chip físico internacional? Veja como escolher a melhor opção. Giffgaff chip é confiável? Sim. Mas não sou só eu que digo isso, mais de 20 mil pessoas já avaliaram a Giffgaff no site de avaliações Trustpilot, com uma média de 4 estrelas, o que é muito bom. Além disso, a Giffgaff é uma empresa britânica que pertence ao grupo O2 - Telefonica. Mas não quer dizer que não tenha defeitos. Dentre as reclamações presentes no Trustpilot, as mais frequentes são relativas ao atendimento ao consumidor. Dificuldade de contato, cobranças abusivas e queda na velocidade da internet são algumas das reclamações. Confira também a avaliação da Casa do Chip e saiba se vale a pena contratar. Como ativar o Giffgaff chip? É possível ativar seu Giffgaff chip a qualquer momento e de forma online. Não precisa estar no Reino Unido para ativá-lo. Assim, você precisa apenas de um cartão SIM Giffgaff que não tenha sido ativado e um cartão de banco. São alguns passos, simples, que explicaremos agora: Primeiro precisa clicar no link de ativação (apenas disponível em inglês), preencher o campo com o código de ativação (activation code) com 6 números e que está impresso no seu cartão SIM. Em seguida, clique em "Activate your SIM"; Depois, preencha o campo com o seu e-mail e aguarde por uma confirmação com seu nome de usuário; Então registre uma senha que será necessária para acessar sua conta e clique em "Register"; Escolha se pretende receber ofertas por e-mail e sua data de nascimento (informação opcional) e clique em "Continue"; Selecione seu plano mensal, mas lembre-se que pode alterá-lo ao fim de um mês, sempre que precisar; Por fim, preencha com os dados do seu cartão bancário e alguns dados pessoais (nome, sobrenome e endereço) e clique em "Activate your SIM". Pronto! Já está com o seu Giffgaff chip ativo e pode começar a utilizá-lo na mesma hora. Como descobrir o número do chip? Primeiramente, vamos esclarecer que o seu número não é o que está escrito no próprio chip. Este é o número de série do seu cartão SIM. Seu número será fornecido pela Giffgaff após a ativação do cartão SIM. Uma vez ativo, pode confirmá-lo de 3 maneiras: Através do aplicativo; Pela área de cliente no site; Enviando um SMS com a palavra "Number" para 43430. Alternativas ao Giffgaff Um consumidor informado vale por dois (sim, sabemos que não é esse o ditado, mas acho que se encaixa no tema deste artigo, não?). Então, vamos te mostrar outras opções além do Giffgaff chip que podem se ajustar às suas necessidades. O America Chip é a melhor opção para quem vai fazer viagens por um curto período de tempo (até 90 dias). Ele é mais versátil, pois permite também a utilização em até 200 países, com planos específicos para quem viaja para os Estados Unidos, América do Sul, Central e Caribe. Para os viajantes mais experientes, há um plano só de internet que engloba todos os 200 países. [caption id="attachment_148997" align="alignnone" width="750"] Boas alternativas ao chip da Giffgaff são America Chip, Best Buy SIM e Woofi.[/caption] Por outro lado, existem também o Best Buy SIM. Da mesma forma que as outras opções já mostradas, existem pacotes específicos para região do planeta que você for viajar. Além disso, ainda conta com a opção e-SIM, para quem tem aquele smartphone mais recente, sem necessidade de esperar pelo cartão SIM físico. Também é recomendado para estadias curtas de até 90 dias. Por fim, indicamos ainda a Woofi Mobile, que possui planos para a Europa a partir de USD 44. Com opções que incluem chamadas e SMS ou apenas internet, é uma boa opção para estadias mais curtas de até 90 dias. Vale a pena comprar o chip da Giffgaff? Sim, vale a pena. Principalmente se você for para o Reino Unido, seja para morar ou apenas passear. Por outro lado, se sua estadia for em outros países da Europa, por exemplo, o melhor será optar pelas outras marcas que indicamos no artigo, como o America Chip ou Best Buy Sim. A dica principal que deixamos para estes casos é: pesquise! Este artigo trouxe várias opções de operadoras para você escolher. Por isso, tente priorizar o que mais se adequa às suas necessidades. Escolha a melhor opção e faça uma boa viagem!

Mãe que comprou passagem aérea para menor desacompanhado espera no aeroporto os filhos embarcarem
Passagens Aéreas

Como comprar passagem aérea para menor desacompanhado?

Você precisa saber como comprar passagem aérea para menor desacompanhado? Não precisa se preocupar. É tudo mais simples e mais seguro do que você imagina. Ao longo deste artigo vamos esclarecer quais são os requisitos, tanto para viagem nacional, quanto internacional. Explicaremos também se existem custos extras, quais são, onde pode ser feita a compra, o procedimento para embarque, idade mínima para viajar desacompanhado e outras questões fundamentais. Confira! Como comprar passagem aérea para menor viajar desacompanhado? Primeiramente, vamos explicar um pouco qual o significado de "menor". De acordo com o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), é considerada criança quem tem até 12 anos, incompletos. Por outro lado, adolescente é aquele que tem entre 12 e 18 anos de idade. Este detalhe é importante pois existem documentos específicos, e valores diferentes, para cada faixa etária. Dessa forma, para comprar passagem aérea para menor desacompanhado é preciso ter em mãos os documentos necessários, que já vamos explicar no tópico seguinte, e também verificar as especificidades de cada companhia aérea. Além disso, vai haver diferença quando for um voo nacional ou internacional. O processo compra da passagem aérea para menor desacompanhado pode, ou não, ser diferente do habitual. Algumas companhias aéreas especificam em seus sites que a compra deve ser feita apenas através da linha de apoio, agencia de viagens ou mesmo em um balcão de atendimento (como a TAP e a IBERIA). Por outro lado, a AZUL informa que é possível comprar pelo aplicativo e a GOL e a LATAM não deixam claro se existe procedimento específico. Você pode aproveitar e conferir o guia completo sobre o serviço de menor desacompanhado TAP. O que é preciso para um menor viajar desacompanhado? Quando chegar a hora de comprar a passagem aérea para menor desacompanhado, recomendamos que já tenha providenciado os documentos obrigatórios para a viagem. Este é um aspecto que não é possível driblar: se faltar um documento ou ele estiver mal preenchido, a criança ou adolescente não embarca. Por isso, você tem duas opções: Ou fazer todo o processo para compra da passagem aérea para menor desacompanhado sozinho, com muita atenção para não ter nenhuma falha que comprometa o embarque do menor; Ou contar com uma agência de viagem especializada que vai te ajudar e garantir que toda a documentação, embarque e desembarque do menor seja feita da maneira mais tranquila e segura possível. Caso você opte pelo auxílio de uma agência de viagem, nós indicamos a Cestarolli Travel, uma agência séria e muito bem avaliada, parceira do Euro Dicas. Caso você prefira fazer tudo sozinho, tudo certo, é perfeitamente possível. Para facilitar, vamos dividir o tópico em viagem nacional e viagem internacional. Viagem nacional Os documentos necessários vão variar dependendo se for uma viagem nacional ou internacional. A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) tem em seu site a lista dos documentos necessários. Como gostamos de simplificar ao máximo, vamos deixar a lista completa do que é preciso providenciar: Certidão de nascimento ou documento com foto; Autorização de viagem; Formulário da companhia aérea; Documentos do pai, mãe ou responsável. Com relação aos documentos de identificação do menor, se for criança (até 12 anos incompletos) é preciso que seja: certidão de nascimento (original ou cópia autenticada), ou um documento de identificação civil com foto (RG ou passaporte) com fé pública e validade em todo o território brasileiro. Para adolescentes, a partir dos 12 anos, só vale o RG ou passaporte. Por outro lado, a autorização de viagem é obrigatória apenas até os 15 anos. A partir dos 16 é possível viajar somente com um documento de identificação com foto (RG e passaporte), desde que seja em voos domésticos. Existem dois tipos de autorização. Primeiro, a judicial ou extrajudicial, que deve ser feita por escrito pelo pai, mãe ou responsável e com firma reconhecida em cartório. A outra opção é a Autorização Eletrônica de Viagem, que pode ser feita de forma totalmente virtual. Esta nova alternativa veio para simplificar a autorização extrajudicial que precisa ser feita em cartório, com firma reconhecida e na presença dos pais ou responsáveis. Além dos documentos já referidos, as companhias aéreas também costumam pedir que se preencha um formulário, da própria empresa, no momento de comprar a passagem aérea para menor desacompanhado. Assim, esteja sempre atento aos sites das empresas. Por fim, os documentos pessoais dos pais ou responsáveis. Nesta parte não existe muito segredo: são os documentos que comprovem a filiação, ou a responsabilidade, juntamente com os documentos da criança ou adolescente. Viagem internacional Quando a viagem é internacional, existem algumas diferenças a se observar ao comprar passagem aérea para menor desacompanhado. O documento, por exemplo, só pode ser o passaporte. Além disso, existe uma autorização de viagem que pode ser feita diretamente no passaporte da criança ou adolescente. Esse detalhe deve ser visto no momento de tirar ou renovar o documento, junto a Polícia Federal. Caso não tenha a autorização diretamente no passaporte, é preciso uma autorização com firma reconhecida. Algumas companhias aéreas pedem ainda que o documento seja reconhecido em um Consulado Brasileiro. O site da ANAC não deixa claro que a Autorização Eletrônica de Viagem pode ser utilizada neste caso. [caption id="attachment_150978" align="alignnone" width="750"] O serviço de menor desacompanhado garante que um funcionário da companhia aérea estará sempre junto dos menores[/caption] Por isso, melhor não arriscar, deixamos o modelo de autorização que está junto com a Cartilha de Viagens de Crianças e Adolescentes ao Exterior, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Por fim, o documento dos pais ou responsáveis também é necessário, devendo ser o passaporte. Quanto ao formulário da companhia aérea, novamente, é importante verificar no momento da compra. Inclusive, porque dependendo do país de destino, a companhia aérea já deve informar se é necessário algum outro documento extra. Quanto custa uma passagem aérea para menor desacompanhado? Como já vimos, existem critérios diferentes na hora de comprar passagem aérea para menor desacompanhado quando é uma viagem nacional ou uma viagem internacional. Da mesma forma, podem existir diferenças de valores dependendo da idade do menor. Só para esclarecer, esses valores são cobrados porque é designado um funcionário que vai acompanhar a criança ou adolescente durante toda a viagem. Assim, toda companhia aérea cobra pelo acompanhamento do menor. O valor varia com base na idade e no trajeto. A LATAM, por exemplo, cobra R$ 149 quando a viagem é apenas dentro do Brasil, mas cobra em dólar quando o voo é entre América do Sul e Europa (são US$ 150). Neste último caso, o valor ainda pode ficar sujeito a impostos de acordo com o país de destino. A GOL cobra apenas em real, R$ 200 para voos nacionais e R$ 349 para voos internacionais. Porém, este valor é relativo a cada trecho, ou seja, se for necessário escala ou conexão é preciso pagar mais. E além disso, o serviço não é oferecido quando a GOL opera com companhias aéreas parceiras (mais comum em viagens internacionais). A AZUL também disponibiliza o serviço para voos nacionais e internacionais. No entanto, em viagens para o estrangeiro a idade mínima é de 12 anos e fica por R$ 500 para Estados Unidos e Europa, e R$ 250 para América do Sul. Novamente, apenas transportam menores desacompanhados em voos diretos e operados pela própria companhia. Por fim, para finalizar o rol de exemplos, a TAP cobra entre 65€ e 150€, por trecho, variando o valor entre viagens nacionais (isto é, dentro de Portugal) e viagens internacionais. Já com a IBERIA o valor extra fica entre 55€ e 180€, mas a quantia pode aumentar dependendo da cobrança de taxas e impostos do destino final. Onde comprar passagem aérea para menor desacompanhado? Organizar uma viagem, por si só, já é algo que demanda energia e tempo. Desde algo simples como a escolha da melhor mala de viagem, até a contratação do seguro viagem mais vantajoso, são muitas as etapas. Quando falamos de comprar passagem aérea para menor desacompanhado, tudo pode ficar ainda um pouquinho mais complicado. Basicamente, como já abordamos em um tópico acima, cada companhia aérea tem uma forma diferente de lidar com o momento da compra da passagem. Pelos resultados da nossa pesquisa, algumas permitem a compra pelo site ou aplicativo; para outras é necessário entrar em contato com a linha de atendimento ao cliente; e ainda tem algumas que só permitem a compra se for diretamente no balcão. Isso sem entrar no mérito de que ainda existe um melhor dia para comprar passagem aérea, ou mesmo a possibilidade de comprar passagens com milhas. Por isso, para te ajudar nesse momento de planejamento, recomendamos a Agência de Viagens Cestarolli Travel. Eles são especialistas no assunto e quem melhor pode te auxiliar para comprar passagem aérea para menor desacompanhado. Como funciona o embarque de menor desacompanhado? Novamente, este ponto também pode variar dependendo da companhia aérea. Mas, a partir das nossas pesquisas, concluímos uma regra geral é que o adulto responsável deve aguardar no aeroporto até a confirmação de partida do voo. Algumas empresas permitem que você acompanhe a criança ou adolescente até o portão de embarque. Este é um ponto que precisa ser verificado com a companhia aérea. Idade mínima para viajar desacompanhado Aqui também não há uma regra geral adotada por todas as companhias aéreas. A maioria só aceita a partir dos 8 anos de idade. Existem algumas em que a idade mínima é a partir dos 5 anos. Além da idade mínima, a idade máxima para cobrar pelo serviço de menor desacompanhado também varia. Algumas companhias deixam o serviço como opcional a partir dos 12 anos, enquanto outras obrigam ao pagamento até os 16 anos. É seguro um menor viajar desacompanhado? Sim, é seguro um menor viajar desacompanhado. Como vimos, são necessários vários documentos e autorizações para que a viagem realmente se concretize. Além disso, as empresas aéreas cobram por esse serviço pois a criança ou adolescente será acompanhado em todas as etapas da viagem: do momento do check-in até a entrega a um responsável no local de destino. Sendo assim, para aqueles que não dispõem de todo o tempo e energia necessários para o planejamento de uma viagem destas, é sempre possível recorrer a uma agência de viagens para facilitar o processo. A nossa recomendação de confiança é a Cestarolli Travel. As pesquisas e experiências pessoais que utilizamos para este artigo obviamente não vão englobar todas as companhias aéreas existentes, por isso reforçamos aquela boa e velha dica: pesquise e se informe. O momento da viagem, especialmente para os menores que viajam desacompanhados, pode ser muito estressante. Assim sendo, deixar bem planejado pode ser uma oportunidade de criar lembranças incríveis!

Guias e dicas sobre a Europa

Mais dicas sobre

Portugal

Mais dicas sobre

Espanha

Mais dicas sobre

Itália

Mais dicas sobre

França

Mais dicas sobre

Inglaterra

Mais dicas sobre

Alemanha

Mais dicas sobre

Irlanda

Mais dicas sobre

Outros países
Conteúdo exclusivo da Europa no seu email!
Receba na sua caixa de entrada os artigos, notícias e colunas da sua preferência para mergulhar no mundo europeu e preparar sua mudança!
Assine já nossa Newsletter