A imprensa portuguesa tem notícias alarmantes sobre o déficit crescente de professores, pois o número de docentes que vão se aposentando é bem maior do que o número daqueles que procuram as licenciaturas ligadas ao magistério. Aí está mais uma área em que brasileiros dispostos a emigrar para Portugal podem se lançar. Tem aumentado o número de profissionais brasileiros na educação, e nessa coluna de hoje vou falar sobre os brasileiros que educam com o futsal. Saiba mais no artigo a seguir.

Conheça brasileiros que educam com o futsal

Há atividades docentes obviamente com maiores oportunidades, como as das matérias básicas – português, matemática, geografia, história, física, etc. – mas certamente existem outras mais restritas que também oferecem oportunidades. Hoje falarei da docência destas últimas, mas prometo que durante o decorrer do ano explorarei também aquelas outras, que oferecem mais chances.

Estava almoçando na Adega da Paz, quando ouvi atrás de mim um senhor brasileiro conversando ao telefone com o Brasil, sobre a escolinha de futsal que fundara em dezembro. Quando ele se levantou para sair, puxei conversa e ele me contou que havia começado recentemente uma escolinha de futsal para crianças ali perto do restaurante e estava indo muito bem.

Eu disse ser jornalista e fotógrafo, e gostaria de fazer um artigo sobre o seu trabalho para o Euro Dicas. Uma das donas da Adega da Paz, a Sra. Susana, deu boas referências da escola, pois sua filha a frequenta.

Conheça a história de André Luiz

André Luiz de Oliveira é um paulista de 56 anos com um currículo invejável no campo desportivo. Tem pós-graduação em metodologia do aprendizado e treinamento de futebol e futsal, graduação em educação física e possui ainda a Licença Grau I em Futebol e futsal em Portugal.

No Brasil, foi professor de educação física e Coordenador pedagógico. Suas atividades profissionais em São Paulo começaram em 1981, e incluem um sem número de passagens vitoriosas por academias e clubes de futsal e futebol, inclusive na escolinha do Rivelino e do Ado.

André Luiz, professor de Futsal com alunos
André Luiz dá instruções, aumentando a autoestima das crianças. Foto: Cesar Barroso

O que mais me impressionou na primeira conversa longa com o André Luiz foi a sua visão educativa do esporte infantil, que ele coloca como prioritária em relação à competitividade. Para ele, o esporte é um auxiliar importante no desempenho e comportamento escolar, e na integração social em casa e na rua.

Precisa enviar dinheiro para outro país?

Envie dinheiro com toda a segurança, rapidez e melhor taxa de câmbio. Atualizamos a melhor entidade diariamente, faça já a sua simulação!

Cotar Agora →
Quer morar em Portugal com segurança e qualidade de vida?

Recomendamos a assessoria boutique da Atlantic Bridge, para quem deseja ir para Portugal de forma planejada, sem contratempos e com a segurança de ser acompanhado pelos profissionais mais experientes do mercado.

Saber Mais →

André condena a atitude de alguns pais de tirarem da criança o acesso ao esporte, caso não tenham bom desempenho nas matérias tradicionais e no comportamento. O profissional defende que é justamente através do esporte que a criança encontra o caminho da concentração mental, da disciplina, e da integração social no trabalho em equipe.

Acompanhando de perto a transformação através do esporte

Fui testemunha, ao visitar a sua escolinha de futsal, da prioridade que o André Luiz e o Fellipe Andrade, seu auxiliar, dão à parte humana da criança. Isso se dá através do tratamento respeitoso e atenção às suas necessidades não apenas desportivas.

Um dos meninos chegou para André Luiz dizendo que não iria participar do treinamento, porque tinha se comportado mal na escola e sua mãe lhe dera como castigo ficar fora do futsal naquele dia.

André Luiz telefonou imediatamente à mãe e convenceu-a de que este era o pior tipo de castigo, pois tirava do filho justamente a motivação para melhorar o seu comportamento. A mãe se convenceu e o menino ficou feliz da vida e grato ao seu treinador.

André Luiz e a paixão pelo esporte

André Luiz, que tinha planos antigos de tentar a vida no exterior devido aos problemas do esporte no Brasil, foi ano passado para a Inglaterra, mas a realidade que encontrou não atendeu às expectativas.

Veio, então, para Portugal, cujo futsal está no auge com a conquista do campeonato mundial no ano passado e o europeu neste ano. No país,  fundou a Eagles Academy, F.C. e convidou um amigo, o Antônio Horta, para se associar ao empreendimento. Obteve seu apoio no começo, mas este decidiu em seguida procurar outros caminhos.

Há poucas semanas o André Luiz ganhou a posição de técnico do Leixões Futsal Feminino. Ele está feliz com esta nova atribuição. Neste momento, o que o incomoda é não ter podido ainda trazer para Portugal a mulher, Fernanda, e os filhos André Luiz Júnior, de 26 anos, e os gêmeos Octávio Augusto e Luiz Henrique, de 15 anos.

Treinador com alunas de Futsal
André Luiz em um jogo do Leixões de Futsal feminino. Foto: Cesar Barroso

André Luiz contratou então para seu auxiliar Fellipe Andrade. Apesar da diferença de idade (o André Luiz tem 56 anos e o Fellipe 33), eles comungam dos mesmos princípios sobre a educação das crianças através do esporte. É bonito vê-los trabalhar juntos com os alunos da escolinha, a paciência que têm com as crianças, as quais lhes devolvem a dedicação com mostras de respeito e carinho.

Professor orienta três alunos na quadra de futsal
Professor André Luiz instrui alunos sobre troca de passes. Foto: Cesar Barroso

Parceria que deu certo

Embora este artigo seja mais sobre o empreendimento do André Luiz, sinto a necessidade de me estender sobre o Fellipe Andrade, principalmente por sua atuação de destaque nos cinco anos em que está em Portugal, onde já é conhecido nos meios desportivos. Ele deu uma entrevista à Rádio Estádio Portugal, no YouTube, muito esclarecedora sobre as diferenças entre o esporte em níveis estudantil e geral no Brasil e em Portugal.

Acho que escutá-la é de interesse de todos (não apenas dos que estão focados no esporte estudantil) porque esclarece para as famílias brasileiras que pretendem emigrar para Portugal algumas diferenças importantes sobre as relações familiares aqui e lá.

Uma das observações do Fellipe é que:

“o brasileiro vê o esporte, principalmente o futebol, como uma forma de sair da pobreza, e luta com violência, se preciso for, por um lugar ao sol. As torcidas familiares chegam a se engalfinhar para manter as vagas de seus filhos num time. Em Portugal, a situação é bem mais calma”, diz Fellipe.

Fellipe e André Luiz, treinadores de futsal
A dupla de professores Fellipe Andrade e André Luiz, na Ponte Luis I, no Porto. Foto: Cesar Barroso.

Ele é licenciado e bacharelado em educação física e mestrando em treinamento. Estudou também logística escolar, auxílio de educação infantil e supervisão de recreio. Segundo Fellipe, é na hora do recreio escolar que se detectam os problemas de relacionamento de uma criança.

Conheça alguns brasileiros que abriram negócios de carros em Portugal.

Crescimento do futsal em Portugal

Nas escolas de futebol, Fellipe foi treinador no Benfica, no Sporting e no Porto. Trabalhou na formação de base no Boa Vista e tamb;em foi campeão nacional como auxiliar-técnico da equipe sênior de futebol de praia dos Leixões.

Ambos, André Luiz e Fellipe, estão oficialmente capacitados a exercerem sua profissão em Portugal com a consecução da licença UEFA C. Eles continuam a frequentar cursos que os habilitarão às classificações B e A da UEFA.

Eles são unânimes em exaltar Portugal e o tipo de vida que se leva aqui. “Quando vim da Inglaterra foi que percebi como é importante estar num país em que se fala a nossa língua materna, onde o futsal é popular, o clima é melhor, o povo mais acolhedor e a comida deliciosa”, declarou André Luiz.

Fellipe, por sua parte, disse que “desde 2005 venho de férias a Portugal. A vida aqui é muito melhor e eu decidi estabelecer-me em definitivo há cinco anos”.

A Eagles Academy, F.C. funciona em Vila Nova de Gaia, no Pavilhão Municipal Miguel Maia/João Brenha.