Como funciona o seguro viagem? Passo a passo para utilizar

Seguro Viagem  / 

Entender como funciona o seguro viagem na prática ajuda a esclarecer a importância de contratar esta proteção em todas as ocasiões. Neste artigo, nos concentramos em explicar o que ele cobre e como fazer em situações de emergência que envolvem urgências de saúde, imprevistos com a bagagem e até problemas com fiança. Confira a seguir.

Precisa abrir uma conta bancária na Europa?

Você pode abrir a sua conta bancária grátis em 5 minutos e com toda a segurança no N26, um banco digital que funciona em toda a Europa.


O N26 não exige comprovação de rendimentos, você só precisa estar na Europa e ter seu passaporte em mãos.

ABRIR CONTA »

Como funciona o seguro viagem de forma geral?

Como o seguro viagem, você tem acesso à cobertura contida no contrato, com os limites de valor estipulados nele. Se precisar utilizar algum serviço, basta entrar em contato com a central de atendimento 24 horas da empresa para ajudá-lo com o seu imprevisto.

O seguro pode funcionar tanto por prestação de serviço (em que você é encaminhado a uma rede conveniada sem precisar pagar nada a mais) ou reembolso (em que você paga a despesa emergencial, comprova o que ocorreu e o valor é ressarcido pela seguradora).

Coberturas extras para sua viagem

Além de ser comparado a um plano de saúde temporário que atende a emergências, inclui auxílios para amenizar imprevistos em geral, como extravio de malas e cancelamento de voo.

Cada viajante precisa contratar um seguro individual. Ou seja, se a viagem reúne um casal com dois filhos, são necessários quatro seguros. Agora vamos ver como funciona o seguro viagem em situações práticas. Mas antes disso lembramos que o Seguro Viagem Europa é obrigatório para entrar em 26 países europeus, se está de viagem marcada para o continente e ainda não tem o seu, consulte preços no nosso comparador de seguro viagem.

Como funciona o seguro viagem em caso de acidente ou doença?

Uma das cláusulas obrigatórias em todos os seguros de viagem é a que cobre despesas médicas e hospitalares, incluindo:

  • Atendimento médico e odontológico de emergência;
  • Exames médicos e odontológicos emergenciais;
  • Internação hospitalar para tratamento clínico ou cirúrgico de emergência;
  • Despesas com medicamentos receitados pelo médico na emergência.

Acionando a seguradora

Se o viajante sofrer um acidente pessoal ou doença súbita, deve acionar imediatamente o seguro. Ligue para a central de atendimento, informe o número do voucher (enviado ao cliente assim que compra o seguro), explique a situação e siga as instruções.

O contato normalmente é feito via telefone, mas algumas seguradoras já oferecem aplicativos de celular para agilizar o contato.

O seguro poderá indicar o hospital ou clínica mais próxima para realizar o atendimento, ou até mesmo enviar um médico ao hotel. Nestes casos, o segurado não precisa pagar nada, pois será socorrido por instituições de saúde e profissionais de sua rede autorizada.

Quando não é possível entrar em contato com a seguradora

Agora, se o viajante estiver em estado grave ou em um local isolado e não conseguir telefonar? Ele pode procurar atendimento por sua conta em um hospital e depois solicitar o reembolso das despesas médicas até o valor limite estipulado no contrato. É necessário comprovar todas as despesas, então guarde notas fiscais, receitas, resultados de exame e tudo mais.

Precisa enviar dinheiro para outro país?

Depois de testarmos as principais alternativas do mercado (Paypal, Western Union, Moneygram, etc), a plataforma que nós recomendamos é o Remessa Online.


No Remessa Online você vai economizar até 8x nas suas transferências e, se precisar de algum suporte, o apoio ao cliente é em português. Crie a sua conta grátis e envie dinheiro com segurança.

VER COTAÇÃO »

Ainda assim, é preciso entrar em contato com a seguradora o mais cedo possível e comunicar a ocorrência. Algumas empresas fixam um prazo máximo para serem comunicadas e garantirem o pagamento da indenização.

Quando utilizar o traslado médico?

Ele garante a remoção do viajante durante uma emergência até a clínica ou o hospital mais próximo, com maior capacidade técnica de socorrê-lo. O meio de transporte é o que a equipe médica responsável considerar o mais apropriado. Ele é acionado a pedido do médico que atende o segurado no local do evento.

Em situações de urgência ou emergência, o viajante pode solicitar à seguradora um transporte até o hospital mais próximo para ser atendido. Durante a transferência, também é possível requerer um médico responsável, legalmente habilitado, para prestar atendimento.

Como funciona o seguro viagem em caso de internação

Infelizmente, alguns casos de emergência evoluem para estados mais graves, que requerem internação para tratamento ou até mesmo cirurgia. Uma boa notícia para quem não sabe como funciona o seguro viagem, é que ele também paga este tipo de despesa.

Se a internação de emergência acontece de repente, a central de atendimento do seguro viagem precisa ser comunicada assim que ela ocorre ou antes da alta hospitalar. Assim, a seguradora consegue arcar com as despesas junto ao hospital.

Vale lembrar que o seguro viagem não cobre cirurgias plásticas estéticas, tratamentos de doenças epidêmicas nem tratamentos médicos de rotina, que não sejam emergenciais.

Descubra se seguro viagem cobre parto, neste artigo.

É possível repousar no próprio hotel?

Sim. É o que as seguradoras chamam de convalescença em hotel. Esta cobertura não está presente em todas as apólices, então vale a dica de sempre conferir o que seu seguro oferece. Caso o segurado tenha sofrido um acidente ou doença súbita e seja impedido, por determinação médica, de prosseguir viagem ou retornar ao seu local de origem, o seguro arca com as despesas de diárias adicionais no hotel.

Quem viaja sozinho também pode contar com o serviço de envio e hospedagem de acompanhante ou familiar, se houver indicação médica. Funciona assim: a seguradora paga as despesas com passagem aérea e acomodação para um familiar vir acompanhar o viajante que tenha sofrido um acidente pessoal ou enfermidade no período de viagem.

E se for preciso retornar ao país de residência?

Aí falamos de regresso sanitário, quando o segurado está internado há alguns dias corridos (algumas seguradoras estipulam o limite de 20 dias) e não há previsão de alta médica. O retorno à cidade de residência pode ser requerido, e a central de assistência do seguro viagem organiza a remoção com o meio de transporte mais adequado para um hospital na cidade de residência.

Vale lembrar que o seguro não cobre o tratamento neste retorno ao país de origem.

Para quem viaja com filhos pequenos

Imagine uma viagem de uma mãe com seu filho de 7 anos. Ela fica doente e é internada. Para que a criança não fique sozinha, há dois tipos de cobertura. O acompanhamento de menor garante às crianças com menos de doze anos o envio de outro familiar para acompanhá-lo. Já no retorno de menor, a seguradora organiza e arca com a viagem de volta do menor ao país de origem.

Quem tem passaporte europeu precisa de seguro viagem? Tire esta dúvida.

Se você precisar de remédios

Remédios que foram prescritos pelo médico durante a emergência também são ressarcidos. O viajante compra o medicamento, paga a despesa e depois pede o dinheiro de volta à seguradora, apresentando as notas ficais e a receita médica original. Se possível, tire uma cópia desses documentos e guarde com você, caso a empresa questione algo.

Os medicamentos podem ser adquiridos em qualquer farmácia, desde que o estabelecimento faça emissão de nota fiscal dos produtos. Remédios que serão necessários na continuação do tratamento não são incluídos no auxílio farmácia. Afinal, após o período da viagem, finaliza a vigência do seguro.

como funciona seguro viagem

Em caso de problemas com bagagem

Se a bagagem for extraviada, como funciona o seguro viagem? Uma vez constatada a perda da mala pela empresa aérea, o viajante precisa procurar imediatamente o balcão da companhia com o comprovante de despacho da mala e realizar os procedimentos que serão informados.

Com estes registros em mãos, deve acionar o seguro viagem o mais rápido que puder. Basta seguir as orientações da seguradora, que normalmente acompanha a busca da mala junto à companhia aérea. Geralmente, eles solicitam informações sobre seu itinerário e seu endereço temporário no exterior. Assim, seus pertences podem ser levados até você, caso sejam localizados.

Se a mala não for encontrada em até 7 dias (em voos nacionais) ou 21 dias (voos internacionais), é considerado extravio de bagagem. Neste caso, a indenização do seguro poderá ser um valor complementar ou suplementar – considerando a taxa paga pela companhia aérea responsável pelo voo.

Quando a mala é entregue com atraso

Esta cobertura pode ser acionada apenas no voo de ida, quando você chega no destino da viagem. A partir de 6 horas, é considerado atraso de mala e já vale acionar tanto a companhia aérea quanto a seguradora para exigir compensação financeira. O objetivo é providenciar itens de primeira necessidade, como roupas e produtos de higiene pessoal.

Contudo, algumas seguradoras só oferecem assistência a partir de 24 horas. Quando o atraso chega a 72 horas, o viajante já tem direito a uma indenização maior.

Se há danos à mala

Outro item que vale a pena, quando falamos de como funciona o seguro viagem. Nem todas as apólices contemplam esta cobertura, que consiste no pagamento de um valor correspondente a prejuízos sofridos se a mala for danificada durante o transporte aéreo.

Aproveite e veja este artigo sobre mala para bagagem de mão.

Assistência na localização das malas

A maioria das empresas com seguro bagagem costuma oferecer este apoio. A seguradora entra em contato com a companhia aérea com frequência para repassar ao viajante as informações atualizadas da localização da bagagem. Após a localização, a seguradora garante que as malas irão chegar até o viajante.

Aproveite e confira nosso top 5 de melhor seguros de viagem.

Contratempos com seu voo

Atrasos e cancelamentos de voos são os principais problemas neste item, mas como funciona o seguro viagem neste processo? São coberturas não obrigatórias, que não constam em todos os planos. Por isso, leia com atenção antes de contratar, para saber se você terá direito a estes benefícios.

No caso de atraso prolongado

A partir de seis horas, em média, o seguro cobre as despesas do viajante enquanto aguarda o próximo voo. Afinal, o passageiro precisa fazer refeições ou até descansar em um hotel, dependendo do número de horas. Os gastos, neste caso, são reembolsados. É preciso ter uma declaração da companhia aérea comprovando o atraso e as notas fiscais originais do que foi adquirido com alimentação e hospedagem.

Cancelamento de voo

Os transtornos pelo cancelamento de voo pela companhia aérea também podem ser minimizados. O seguro, nesta situação, pode ressarcir despesas como ingressos adquiridos para atrações no local de destino, pacotes turísticos já contratados e outros serviços já pagos.

Vale lembrar que a cobertura de cancelamento também pode ser acionada se acontecer algum imprevisto com o viajante ou familiares, em situações específicas. Entre elas, falecimento de algum familiar próximo, doença grave do viajante e outros casos.

Questões com a justiça

Acidente de carro, pagamento de fiança e outras situações estão sim, previstas no seguro viagem. Ou pelo menos na maioria deles.

Adiantamento da fiança do seguro viagem

Ele pode ser acionado se o viajante se envolver em um problema com a justiça no seu destino de viagem e ele sofrer, indevidamente, uma ordem de prisão ou detenção. A seguradora efetua o pagamento adiantado da fiança exigida para a liberdade, até o limite contratado na apólice. O cliente ressarce a empresa no prazo estipulado, que é normalmente de 30 dias corridos.

Assistência jurídica

Pode ser que o viajante necessite de um profissional para intermediar um problema com a justiça. A seguradora garante, desta forma, o pagamento dos honorários do advogado. Alguns planos oferecem assistência jurídica específica para acidentes de trânsito, que pode ser acionada se alguém fizer uma queixa contra o viajante.

Descubra se é possível contratar um seguro viagem já estando no exterior.

Onde contratar um bom seguro viagem?

Agora que você sabe como funciona o seguro viagem, uma última sugestão: pesquise esta proteção assim que comprar as passagens e tiver as datas de ida e volta. Você garante que não vai esquecer e assegura que o serviço estará ativo a tempo do início da viagem

Pela experiência da nossa Equipe Euro Dicas, a melhor forma para cotar e comprar um plano de forma rápida e confiável é utilizando o nosso comparador de seguro viagem. Basta inserir seus dados pessoais e de viagem, que ele gera em segundos uma lista de planos de várias empresas, com dezenas de opções. Outra forma que recomendamos é via portal Seguros Promo. Ele é um grande parceiro, com um excelente nível de comparação de planos e atendimento aos clientes.

Compre com desconto

No nosso comparador e no Seguros Promo, você pode garantir 5% de desconto com o pagamento à vista com boleto bancário. Ao adicionar nosso cupom EURODICAS5 você ainda garanta mais 5% de desconto. Faça sua compra e viaje na maior tranquilidade!

Em destaque no Euro Dicas
  • Sabia que é obrigatório ter Seguro de Viagem para entrar na Europa?

    Seja para morar ou visitar, a imigração pode exigir esse documento no país destino. Se você não tiver, será obrigado a voltar ao Brasil. Em parceria com a Seguros Promo garantimos aos nossos leitores o melhor preço de seguro de viagem.

    COTAR SEGURO »
  • Precisa enviar dinheiro para outro país?

    A nossa plataforma preferida é o Remessa Online. No Remessa Online você vai economizar até 8x nas suas transferências e, se precisar de algum suporte, o apoio ao cliente é em português. Crie a sua conta grátis e envie dinheiro com segurança.

    VER COTAÇÃO »
  • Pensando em morar em Portugal?

    Escrevemos um guia com todos os passos necessários para organizar a sua saída do Brasil com rapidez, segurança e sem complicações. Receba grátis o índice e primeiras páginas.

    RECEBER AMOSTRA »
COMPARTILHE
Autor

Luciana Andrade é jornalista, doutora em história, cursa especialização em marketing digital e não cansa de aprender coisas novas. À frente da Flows Conteúdo & Comunicação, escreve para diversos sites e clientes corporativos. Já morou em cinco cidades - no Brasil e na França - e está sempre planejando a próxima viagem.