Muitos brasileiros desejam fazer intercâmbio na Irlanda, seja para ganhar em euro, morar, viajar, conhecer uma nova cultura e pessoas. Porém, existe um grande receio e insegurança com relação ao inglês. Por isso, neste artigo, vou te contar como o meu inglês melhorou depois que eu vim para a Irlanda e compartilhar a experiência de outros brasileiros perante as dificuldades e facilidades. Vamos lá!?

Como é o intercâmbio de inglês na Irlanda?

Com toda certeza, é uma experiência para a vida pessoal e profissional, mas para saber como realmente é fazer um intercâmbio para estudar e desenvolver o inglês, conversamos com vários brasileiros que moram na Irlanda e passaram por essa vivência.

Os cariocas Cynthia Telles de 30 anos e Hugo Loureiro de 32 anos, a brasiliense Luana Dias de 31 anos, a capixaba Maiana Knupp de 31 anos, o paulista Alexandre Lima de 29 anos e o mineiro Bruno Ribeiro de 35 anos.

A nossa conversa envolveu o motivo de buscar o intercâmbio, as principais dificuldades com o aprendizado e com o sotaque irlandês (que é bem difícil), como eles avaliam o inglês desde que chegaram na Irlanda e se agora já se sentem preparados para o mercado de trabalho no exterior.

Por que fazer intercâmbio na Irlanda para desbloquear o inglês?

São muitos os motivos que levaram os brasileiros na Irlanda a buscarem por um curso de inglês, listamos os principais pontos.

Aprender ou destravar o inglês

Aprender inglês “direto da fonte” com certeza vai fazer com que você tenha um aprendizado muito rápido se comparado aos cursinhos, mas precisa ter em mente que um intercâmbio na Irlanda de poucos meses não deixa ninguém fluente, mas destrava e muito!

Bruno no aeroporto de Cork na Irlanda
Bruno decidiu embarcar em um intercâmbio na Irlanda para melhorar o nível de inglês. Foto: Arquivo pessoal.

E por mais que muitas pessoas tenham estudado anos em um cursinho no Brasil ou até mesmo já terem dado aulas de inglês, elas não são fluentes. Acredite!

Esse inclusive, é o caso do Bruno Ribeiro, que era professor de inglês no Brasil, mas ainda assim sentia a necessidade de fazer um intercâmbio para obter fluência e vivenciar uma nova cultura.

“Mesmo sendo professor de inglês no Brasil, meu nível era intermediário para avançado, mas mesmo assim eu sentia bastante dificuldade na hora de me expressar. Eu entendia 100% do que era dito, conseguia ler e interpretar, assistia filme, ouvia música e entendia tudo, porém a dificuldade maior era colocar minha opinião e conseguir me expressar de uma forma mais completa”, ressalta Bruno.

Custo benefício do intercâmbio

Se comparado ao intercâmbio na Inglaterra ou nos Estados Unidos, por exemplo, a Irlanda apresenta um bom custo-benefício. Afinal, o intercambista pode trabalhar enquanto estuda, o que ajuda (e muito) a balancear o custo de vida na Irlanda, assim como te dá oportunidade de conviver ainda mais com o idioma por conta do trabalho.

O custo-benefício foi o que levou a Cynthia para a Ilha da Esmeralda para um intercâmbio de General English, e hoje, ela já está completando três anos no país. Será que o inglês dela melhorou depois desse intercâmbio? Sem dúvida alguma!

Faculdade na Irlanda

Fazer uma faculdade na Irlanda também atrai os olhos de muitas pessoas, mas para isso, o inglês precisa estar bem alinhado. Tanto, que os cursos exigem o exame de proficiência em inglês para candidatos internacionais.

Maiana com animais na Irlanda
Maiana está prestes a iniciar o mestrado na Irlanda após melhorar o inglês. Foto: Arquivo pessoal.

E para destravar o inglês e conseguir ingressar nas universidades irlandesas, nada melhor do que apostar em uma vivência no país. A Maiana Knupp aproveitou essa oportunidade e após dominar o idioma, garantiu a sua vaga para um mestrado na Irlanda na área de Recursos Humanos na Universidade de Cork.

Trabalhar na Irlanda e abrir portas para outros países

Tem lugar melhor para melhorar o inglês do que trabalhar e trocar experiências com colegas e clientes? Sendo na Irlanda, com certeza você vai escutar diferentes sotaques e não só o sotaque irlandês. Afinal, a ilha recebe imigrantes de diferentes partes do mundo.

Homem no Cliffs of Moher na Irlanda
Alexandre afirma que a sua vivência na Irlanda o ajudou muito com o inglês. Foto: Arquivo pessoal.

O Alexandre não perdeu tempo quando o seu ex-chefe contou a sua experiência e o seu encanto sobre o curso de inglês na Irlanda. Então, planejou durante 4 anos até se matricular no curso intensivo de inglês com curta duração, mas logo buscou uma oportunidade de emprego no país.

Hoje, após 6 anos, ele ocupa a vaga de Network Engineer em uma empresa irlandesa. Aliás, cabe dizer que os profissionais de TI são muito bem vindos na Irlanda!

Para vivenciar uma cultura diferente

Existem muitas pessoas que desejam vivenciar uma cultura diferente e acabam aproveitando a facilidade do visto de estudante para Irlanda para iniciar essa experiência, mas muitos acabam se apaixonando e ficando por lá. O caso do Hugo foi mais ou menos assim.

O irmão dele já vivia na Irlanda e estava programando uma viagem de longo prazo e pediu para ele passar um tempo no país para “cuidar” das suas coisas. Ao aceitar atravessar o Atlântico para ajudar o irmão, o Hugo resolveu fazer um intercâmbio para estudar inglês justamente para obter o visto de permanência.

E já se passaram 2 anos e meio desde a sua chegada. Hoje, ele trabalha como gerente de uma sorveteria e mora em Cork.

Hugo durante o inverno irlandês
Hugo é gerente de uma sorveteria e consegue se comunicar muito bem em inglês. Foto: Arquivo pessoal.

A Luana também queria vivenciar uma nova cultura e após pesquisar o Canadá e Estados Unidos, verificou que a Irlanda seria mais fácil para solicitar o visto. Já o outro motivo, foi a possibilidade de vivenciar não só a Irlanda, mas outros países da Europa.

“Outro motivo foi a questão de poder trabalhar e assim conseguir custear a nossa vida por aqui. A possibilidade de viajar pela Europa e o fato da Irlanda ser um país seguro, foram outros motivos que também nos levaram a tomarmos essa decisão”, explica Luana.

O inglês antes e depois do intercâmbio na Irlanda

Tem pessoas que chegam na Irlanda sabendo se comunicar muito bem no inglês, mesmo que ele seja o americano, como foi o caso do Bruno, que já dava aulas no Brasil. Contudo, conviver com os nativos e pessoas de várias outras nacionalidades fez com que ele melhorasse ainda mais o seu nível de inglês.

“Eu aprendi muito a forma deles falarem e nada melhor a vivência no país para ficar mais à vontade, adquirir algumas gírias, porque é este contato, o dia a dia, que faz com que a gente absorva esses pequenos detalhes que não se ensinam em escola nenhuma”, conclui Bruno.

Por outro lado, existem muitas pessoas que chegam na Irlanda com um inglês zerado ou bem básico, como a maioria dos nossos entrevistados. Porém, é unanimidade entre eles que o curso de inglês ajudou a melhorar o nível em partes, mas o dia a dia no trabalho e a vivência com os nativos que fez o inglês melhorar da água para o vinho.

“O que me ajudou a destravar foi a vida, foi estar aqui. Você estará diariamente com pessoas que só falam inglês, ou você fala ou você volta para o Brasil. No trabalho ninguém vai ficar traduzindo para o seu idioma”, comenta Alexandre.

No mercado, no café, na universidade, no trabalho, no bar e em qualquer outro lugar. Você vai precisar se comunicar em inglês. Mesmo que fale errado, essa convivência te obriga a falar e a perder qualquer medo ou timidez, como a Luana disse “isso faz parte do dia a dia e da sobrevivência”.

Mulher em frente ao Coliseu, em Roma na Itália
Cynthia já viajou por mais de 17 países durante o seu intercâmbio na Irlanda. Foto: Arquivo pessoal.

Além disso, uma coisa muito importante que a Cynthia comentou sobre a vivência dela, mas que também vale de dica para todos que desejam ir para a Irlanda melhorar o inglês é que não precisa ter vergonha de ser corrigido. Pelo contrário, aproveita a correção de um nativo para aprender ainda mais!

Mas e o sotaque irlandês?

A fama de que os irlandeses têm um sotaque difícil de entender corre o mundo, mas será que ela realmente existe? A resposta é sim, e esse é outro ponto de unanimidade entre os entrevistados.

“É engraçado que às vezes nem eles se entendem”, ressalta Luana.

Menina com a bandeira da Irlanda
Luana escolheu a Irlanda para aprender inglês e vivenciar uma nova cultura. Foto: Arquivo pessoal.

Contudo, mesmo diante do sotaque carregado, dois pontos se destacam e contribuem para melhorar o inglês.

  1. Os irlandeses são pessoas incríveis, pacientes e amáveis. Eles estão sempre dispostos a te ajudar a entender. E como os nossos entrevistados ressaltaram, com o tempo você também fica com o ouvido mais apurado;
  2. Acostumar o seu ouvido com o sotaque carregado dos irlandeses “te ajuda muito quando você vai para outros países, porque depois que você consegue entender o sotaque irlandês, qualquer inglês fica muito mais fácil de compreender”, explica Maiana.

Os benefícios de ter um inglês afiado

Vamos combinar que hoje, saber inglês é essencial para a vida. E depois que você consegue adquirir a confiança de falar outro idioma, o mercado de trabalho (e um mundo de possibilidades) se abre para você!

E todos os nossos entrevistados ressaltaram que hoje, se sentem completamente confortáveis e confiáveis para buscar por oportunidades de emprego, seja na Irlanda ou em qualquer outro lugar onde o idioma é exigido, mesmo que alguns tenham comentado que ainda sentem necessidade de aperfeiçoar o inglês ainda mais.

Mas cá entre nós, você não precisa de perfeição 100%. Afinal, se você não é uma pessoa que nasceu em um país onde o inglês é o idioma nativo, você “nunca” vai falar como tal. E está tudo bem!

O importante é destravar e melhorar o seu nível a ponto de você sentir confiança em si mesmo.

Dicas para melhorar o inglês ao ir para a Irlanda

Algumas dicas importantes dos nossos entrevistados que conseguiram melhorar o inglês durante o curso e moradia na Ilha da Esmeralda:

  • Não tenha medo ou vergonha de falar errado;
  • Ande com um caderno de anotações com vocabulários importantes;
  • E anote no caderninho as novas palavras e expressões;
  • Não limite as suas amizades apenas com a comunidade brasileira, pois dessa forma não vai melhorar o inglês;
  • Converse com os irlandeses e outros moradores que não falam o seu idioma para entender os diferentes sotaques;
  • Repita palavras ou expressões que tem mais dificuldade;
  • Inicialmente, procure trabalhar na Irlanda em locais que lhe dê oportunidade de falar com o público ou procure um trabalho comunitário;
  • Não tenha preguiça de estudar e aprender;
  • Ouça músicas e podcasts, assista filmes em inglês com ou sem legenda em inglês, leia jornais e livros em inglês.

Em resumo, para além da sala de aula do curso de inglês, deixa que a vivência na Irlanda e o contato diário com o idioma faz o resto!

Se possível, antes de embarcar para o seu intercâmbio, tente estudar um pouco de inglês, essa dica pode te deixar um pouco mais seguro quando chegar no país e assim conseguir se comunicar um pouco mais na fase inicial.