Onde morar em Londres: conheça as melhores áreas e bairros

Inglaterra  / 

Muitos estrangeiros sonham em viver em Londres, não apenas pela questão de emprego mas também em razão da qualidade de vida. Na hora de escolher onde morar em Londres, é bom estar ciente que a cidade tem preços elevados.

Especula-se que 350 mil brasileiros vivem em Londres, uma cidade cosmopolita, onde diversas culturas se encontram. Não é pra menos que o Reino Unido é uma das 10 maiores economias do mundo, cuja união política envolve a Escócia, Inglaterra, Irlanda do Norte e País de Gales.

Onde morar em Londres: conheças as zonas mais caras e baratas

A cidade está dividida em 9 zonas (alguns dizem 6), quanto mais longe a zona, mais barato é o aluguel, em contrapartida o transporte público para o centro será mais caro. O ideal é achar um local meio termo quando for olhar onde morar em Londres.

Precisa abrir uma conta bancária na Europa?

Você pode abrir a sua conta bancária grátis em 5 minutos e com toda a segurança no N26, um banco digital que funciona em toda a Europa.


O N26 não exige comprovação de rendimentos, você só precisa estar na Europa e ter seu passaporte em mãos.

ABRIR CONTA »

Woolwich – o bairro de estudantes oferece bom custo benefício

E é justamente nesse meio termo que o bairro de Woolwich pode ser uma boa opção, se analisarmos do ponto de vista de valor de aluguel, vida noturna (lazer), distância até o centro (tempo de trajeto) e proximidade de algumas universidades. Sendo um bairro com uma concentração grande de estudantes, o aluguel em média é 27% mais em conta em relação às zonas mais centrais (e mais caras).

Morar no coração de Londres tem seu preço

A zona 1 é a mais cara na hora de pesquisar onde morar em Londres, sendo o coração da cidade. Contudo, todos os bairros possuem área verde e espaços comunitários, além de uma excelente abrangência em relação a transporte público londrino. Porém, o valor do aluguel pode variar bastante entre uma região e outra.

Sendo o centro de Londres uma área muito valorizada pela sua localização central, o aluguel de um apartamento de 1 quarto pode girar em torno de £1.656. Todavia, se for em um bairro mais afastado, esse valor pode ser por volta de £1.187, tudo vai depender de alguns fatores.

E se a intenção for alugar um imóvel de 2 ou mais quartos em uma região central, prepare o bolso, pois o preço pode pular para £3.129 (> R$12 mil reais).

Alternativas para economizar

Por causa desses preços, muitas pessoas optam por morar nos arredores e subúrbios da cidade, onde o aluguel é mais em conta.Uma outra alternativa muito comum entre os brasileiros e outros imigrantes, é dividir uma casa ou mesmo alugar um quarto na casa de uma família, reduzindo assim os custos.

Brixton por exemplo, é uma região muito procurada pelos londrinos, seja em função dos supermercados, o que significa praticidade ou mesmo pela agitada vida noturna com pubs e bares.

Conheça também as principais cidades perto de Londres para morar (e economizar).

Onde morar em Londres: sugestões de bairros

Na dúvida onde morar em Londres, veja alguns exemplos de lugares muito bons para viver:

Precisa enviar dinheiro para outro país?

Depois de testarmos as principais alternativas do mercado (Paypal, Western Union, Moneygram, etc), a plataforma que nós recomendamos é o Remessa Online.


No Remessa Online você vai economizar até 8x nas suas transferências e, se precisar de algum suporte, o apoio ao cliente é em português. Crie a sua conta grátis e envie dinheiro com segurança.

VER COTAÇÃO »
  • Stratford;
  • Wembley Park;
  • Leytonstone;
  • Greenwich;
  • Finsbury Park.

O oeste de Londres é uma área muito valorizada (em outras palavras – caro), tais como Kensington, Knightsbridge e Chelsea, um apartamento de 2 quartos em um desses bairros pode custar £2.500.

Mas se por um acaso a intenção for morar perto da comunidade brasileira, a melhor opção é a região de Bayswater, onde há muitos brasileiros vivendo. Além de Bayswater, lugares como Stockwell e Brent também tem muitos “tupiniquins” morando.

Highgate e Hampstead são bairros bastante procurados e por isso são bem caros, são zonas com áreas verdes, limpas e muito seguras, não é a toa que viver nesses locais não é barato. Stoke Newington e Finsbury Park são ainda mais caros, pois são consideradas as áreas mais bacanas para se viver da região norte de Londres.

Bairros mais baratos

Mas não se desespere se você não tem a mínima noção onde morar em Londres, áreas um pouco mais em conta do que estas duas citadas, são Camden Town e Islington, que são repletas de cafés, cinemas e bares, habitada por jovens profissionais.

Regiões mais afastadas do centro como Finchley, Hendon e Kilburn possuem uma boa relação custo – benefício, entretanto vai exigir um deslocamento maior para chegar a zona central. Além dessas mencionadas anteriormente, Ealing, Fulham e Shepherd’s Bush que tem fácil acesso a transporte público, também possuem um bom meio termo.

bairro Greenwich Londres

De acordo com dados apresentados pelos sites Numbeo e Expatistan de 2019, o custo de vida médio para 1 pessoa morando em um apartamento de 1 quarto, incluindo os gastos mensais como luz, água, aquecimento, mercado (básico), levando-se em conta uma região afastada e outra mais próxima do centro da cidade, seria respectivamente:

  • Apartamento: entre £1000 e £2000;
  • Despesas: entre £90 e £255;
  • Mercado: entre £161 e £206;
  • Transporte: £141 (zonas centrais 1-2).

Total: entre £1.392 e £2.602.

Obs: A média salarial em Londres varia entre £1.200 a £2.504,66 (conforme a função/cargo/gorjetas).

Excluindo o aluguel e incluindo apenas as despesas de transporte, mercado, comida, serviços e lazer, em uma família com 4 pessoas, o custo médio seria £2.702 (lembrando sem o aluguel). Isto é, um valor astronômico se compararmos com a moeda do Brasil, não é pra menos que o aluguel corresponde a uma das despesas mais altas.

Se está interessado em morar na Inglaterra, você precisa ler esse artigo com tudo sobre o tema.

Mapa das zonas mais caras de Londres

Londres é tão cara quanto Nova York, até porque ambas as cidades representam uma sociedade moderna e globalizada. Um site interessante onde é possível ter referências de valores de aluguéis por áreas, é a plataforma da prefeitura de Londres.

O mapa está dividido por cores que representam os bairros/zonas londrinas, sendo a área vermelha a região central (e por isso mais cara, onde o aluguel de um simples apto de 1 quarto vale £2.000 de acordo com o site). Conforme já mencionamos anteriormente, a medida que for se distanciando da zona vermelha, os valores vão diminuindo gradualmente.

A área amarela que no mapa circula a zona vermelha, é bastante ampla e os aluguéis são a partir de £1.700 e na área verde a partir de £1.500, enquanto que a área azul que é a mais afastada do centro, os aluguéis são de até £1.500. Se tomarmos por base os preços do site da prefeitura de Londres, os valores estão superiores em comparação aqueles que mencionamos antes. De todo modo, é possível fazer uma pesquisa mais detalhada na plataforma de acordo com o local (bairro/zona) e tipo de imóvel (kitinete, quarto-sala, etc).

onde morar em Londres downtown

Onde morar em Londres: sites para pesquisar casas e custos

É claro que uma série de fatores podem influenciar no valor do aluguel, se ele tem vista ou mesmo está a poucos passos de um parque, se está localizado em uma rua com bastante badalação noturna ou mesmo o tamanho do imóvel, onde alguns metros quadrados a mais podem fazer uma grande diferença.

E por falar em plataformas onde o indivíduo pode pesquisar casas através da localização, um site útil é o Find Properly. Ele reúne informações sobre os preços de aluguel nos arredores das estações de metrô, sendo que nesta plataforma, os preços são por semana e podem variar muito de acordo com cada estação ferroviária.

O site mostra o mapa das linhas de metrô da cidade, e ao clicar em uma das cores (linhas), uma nova página exibe todas as estações e o valor médio semanal de um imóvel perto de cada uma delas, cuja quantia oscila bastante.

A maioria desses apartamentos são equipados, principalmente a cozinha mas não é uma regra, logo é bom estar atento a isso quando for olhar onde morar em Londres.

Dicas: sites como Right Move, Zoopla, Spareroom e Gumtree são boas alternativas na hora de buscar um imóvel para locação.

Hábitos dos londrinos: saiba como é o ritmo na capital da Inglaterra

  • A cidade vive em um ritmo constantemente acelerado, como se a população estivesse sempre apressada e atrasada, mas nada mais é do que o estilo de vida deles. Se precisar pedir informação para alguém, peça aos policiais, nem sempre os londrinos terão tempo pra isso;
  • Educação é algo presente na vida deles, logo não se esqueça das velhas palavrinhas: “por favor, obrigado e com licença”;
  • Não estranhe se ver nos parques públicos em dias ensolarados pessoas tomando sol usando apenas roupas íntimas, é um hábito normal;
  • Prepara-se para beber muito chá, um costume muito comum;
  • Os pubs fecham pontualmente às 23h, logo se quiser beber, vá algumas horas antes;
  • Os londrinos são pessoas reservadas, e raramente alguém vai vê-los comentando ou reparando roupas ou mesmo atitudes das pessoas e vizinhos;
  • Britânicos de modo geral seguem as regras sem questioná-las, mesmo que elas possam ser um pouco rígidas demais.

Obs: apesar da capital da Inglaterra ser uma cidade cara, os serviços são de extrema qualidade, além disso o salário é em libras, então isso compensa o alto custo de vida.

5 verdades sobre Londres

  • As zonas 1 e 2 são as mais centrais, isto significa que elas são mais organizadas e limpas. A ideia de que todas as áreas de Londres são assim é pura ilusão;
  • Não chove o tempo todo em Londres e a fama de cidade nublada também não se aplica muito. Isso ocorre, porém não o ano inteiro, como alguns imaginam;
  • Londres é muito segura se compararmos com o Brasil, mas sendo uma grande metrópole pode ocorrer às vezes crimes envolvendo arma branca;
  • Londres não é uma cidade caótica, os londrinos têm um ritmo acelerado, mas a cidade oferece locais tranquilos como vários parques de área verde, praças etc;
  • O transporte público não é tão conturbado como nas grandes cidades brasileiras como Rio e São Paulo. Porém no horário de pico, os transportes tais como ônibus e metrô ficam bem cheios, isso sem mencionar as greves que podem acontecer as vezes.

Alimentação

A melhor dica para economizar em alimentação, é cozinhar em casa, a cidade possui grandes redes de supermercados (Lidl, por exemplo), além disso, os alimentos perecíveis costumam baixar de preço próximo do horário de fechamento do comércio.

Estima-se que uma pessoa gaste uma média de £20 a £50 por semana com as compras de mercado (isso é variável de acordo com os hábitos alimentares de cada um), incluindo lavanderia e itens de higiene pessoal. E por falar em mercado, produtos como queijo e carne estão entre os mais caros.

Média dos valores de alguns artigos de mercado em 2019

Alimento Preço médio
Leite £1.09 –  £2,2
Cereal £2,20
Peito de frango (1kg) £5,79
Coxa de frango (1kg) £2,18
Vegetais e frutas (diversos- 1kg) £4
Suco de Laranja (1L) £2,60
Pão de forma (400g) £0,85
Macarrão integral (pacote de 500g) £1
Arroz branco (1kg) £1
Sorvete (900 ml) £1,68
Ovos (caixa com 6) £1,50
Manteiga (225g) £1,65
Molho de tomate (500g) £0,64
Água (5L) £1
Azeite (1L) £2,98

Fonte: Asda groceries.

Comer fora em Londres é outra coisa cara, um almoço básico pode sair em torno de £15, e se o restaurante for mais requintado, a conta pode chegar a bagatela de £50 (> R$230 reais) para 2 pessoas.

Obs: 1 copo de cerveja gira em torno de £5 enquanto que um drink £7 em média, nos pubs.

Se quiser saber mais sobre quanto custa morar em Londres, visite o nosso artigo completo sobre o tema.

Transporte público em Londres

O transporte público em Londres é de ótima qualidade, logo,  independentemente de onde morar em Londres, sempre terá transporte disponível (principalmente ônibus), e para facilitar ainda mais a vida dos brasileiros em Londres, existe o Oyster card, que é um cartão (passe) válido para metrô, trem (alguns), ônibus e barco.

O ônibus é o meio de locomoção mais barato em Londres e tem uma boa cobertura abrangendo várias áreas. Para quem usa o bus com frequência, o Oyster card é a melhor opção (escolha a categoria de passe mensal).

Dica: O site do transporte público em Londres é muito fácil de consultar, através dele é possível calcular o trajeto, tempo de percurso de A a B, os tipos de transporte disponíveis e os horários que os ônibus trafegam.

Emprego

Aqueles que possuem inglês (nível avançado) e o visto adequado (que permite trabalhar), vai certamente encontrar oportunidades profissionais em Londres. Importante frisar que o salário mínimo inglês é estipulado por hora, logo para o ano de 2019 o minimum wage estava em £8,21/hora, mas geralmente as pessoas ganham um pouco mais que isso, principalmente em áreas onde envolvem gorjetas.

Para quem não tem formação, experiência ou contatos profissionais em Londres, os empregos mais comuns em Londres para estrangeiros são em faxina de residência/escritório, garçom (festas, pubs, restaurantes e eventos), chef e auxiliar de cozinha, babá, construção civil, cuidador de idosos e outras áreas. Apenas para servir de exemplo, isso sem contar as redes de fast-food como McDonalds, KFC, Starbucks, etc.

Assim como ocorre em Portugal, existem também centros de emprego em Londres, basta ir pessoalmente ao local e fazer o cadastro. Se o estrangeiro tiver um diploma de nível superior, vale a pena fazer a validação/equivalência para poder atuar na área. Contudo esse processo é burocrático e vai exigir também um exame de proficiência que comprove que o imigrante fala o idioma inglês com fluência.

Se tem interesse em concorrer a uma vaga de emprego na Inglaterra, veja como se candidatar neste artigo.

Pontos positivos e negativos de se morar em Londres

Antes de se decidir onde morar em Londres, analise os pontos positivos e negativos, para ver se vale realmente a pena.

Positivos

  • Transporte pontual e seguro;
  • Segurança nos espaços públicos;
  • Vários parques de área verde na cidade;
  • Museus, galerias de arte, cinema ao ar livre e outras atrações gratuitas;
  • Londrinos são educados com os turistas e estrangeiros;
  • Londres é uma cidade multicultural (todos os países estão aqui, inclusive a culinária);
  • Baixa desigualdade social, muito em função de um efetivo sistema de proteção social;
  • Valorização do trabalho, funções como limpeza ou garçom não são vistos como empregos inferiores a outras áreas de nível superior. Há um respeito em relação a qualquer profissão, sem desmerecimento (algo que infelizmente ainda ocorre no Brasil);
  • Não há uma pressão social para ter bens materiais;
  • Saúde pública de boa qualidade.

Negativo

  • Café da manhã longe de ser saudável (ovos, bacon, salsichas etc);
  • Transporte público cheio de modo geral, principalmente os ônibus em horário de pico;
  • É uma cidade mais apropriada para pessoas jovens, pelo agito do dia a dia, os mais velhos podem preferir locais mais tranquilos;
  • Geralmente, os apartamentos seguem um padrão onde quase não tem espaço na cozinha para uma geladeira grande e armários.

Gostou do nosso artigo? Saiba também quais são as principais diferenças entre morar na Inglaterra e morar em Portugal, na visão de uma brasileira.

Em destaque no Euro Dicas
  • Sabia que é obrigatório ter Seguro de Viagem para entrar na Europa?

    Seja para morar ou visitar, a imigração pode exigir esse documento no país destino. Se você não tiver, será obrigado a voltar ao Brasil. Em parceria com a Seguros Promo garantimos aos nossos leitores o melhor preço de seguro de viagem.

    COTAR SEGURO »
  • Precisa enviar dinheiro para outro país?

    A nossa plataforma preferida é o Remessa Online. No Remessa Online você vai economizar até 8x nas suas transferências e, se precisar de algum suporte, o apoio ao cliente é em português. Crie a sua conta grátis e envie dinheiro com segurança.

    VER COTAÇÃO »
  • Pensando em morar em Portugal?

    Escrevemos um guia com todos os passos necessários para organizar a sua saída do Brasil com rapidez, segurança e sem complicações. Receba grátis o índice e primeiras páginas.

    RECEBER AMOSTRA »
COMPARTILHE
Autor

Jornalista, vive no Brasil e ama Portugal, tem passagens pela África, Europa e América do Norte/Sul. Além da paixão por viagens, também adora animais e apoia projetos de conservação de vida selvagem na África do Sul e Brasil.