O sistema de saúde na Inglaterra é referência mundial e oferece um ótimo atendimento aos seus usuários. Se morar na Inglaterra está nos seus planos, veja o nosso artigo e saiba mais sobre o que é o sistema de saúde inglês e como ele funciona. Vamos lá?

O que é o NHS, sistema de saúde da Inglaterra?

O National Health System (NHS) é o sistema de saúde da Inglaterra. Financiado principalmente por impostos, oferece medicamentos e assistência médica gratuita ou de baixo custo para todos aqueles que residem legalmente nos países do Reino Unido, inclusive expatriados.

O NHS na Inglaterra é supervisionado pelo Departamento de Saúde. Enquanto isso, desde 2013, foram criados os Grupos de Comissionamento Clínico que têm a responsabilidade de contratar serviços de atenção secundária em áreas locais, como:

  • Cuidados de reabilitação;
  • Serviços de saúde mental;
  • Cuidado hospitalar planejado;
  • Serviços de saúde comunitários;
  • Atendimento de urgência e emergência.

Aconteceram diversas mudanças no NHS ao longo dos anos. Algumas empresas e instituições de caridade, por exemplo, passaram a se envolver na administração dos serviços de saúde.

O NHS é parecido com o SUS?

Assim como o Sistema Único de Saúde (SUS), o NHS é universal, gratuito e com financiamento por meio da arrecadação de impostos. Criado em 1948, o sistema de saúde da Inglaterra serviu de inspiração para a criação do SUS.

O NHS é composto por uma rede de hospitais e clínicas públicas onde todos os residentes são atendidos de forma gratuita. Para ingressar no sistema britânico, as pessoas devem receber atendimento em um General Practitioner (GP), uma espécie de UPA que existe nos bairros das cidades inglesas.

No GP, um clínico geral atende os usuários e faz os encaminhamentos necessários para especialistas. Além desses centros de saúde, a população também conta com os Walk-in Centres, nos quais não é preciso fazer o agendamento de consultas, hospitais e postos de pronto atendimento 24h.

Precisa enviar dinheiro para outro país?

Envie dinheiro com toda a segurança, rapidez e melhor taxa de câmbio. Atualizamos a melhor entidade diariamente, faça já a sua simulação!

Cotar Agora →
Precisa enviar dinheiro para outro país?

Depois de testarmos as principais alternativas do mercado (Paypal, Western Union, Moneygram, etc), a plataforma que nós recomendamos é a Wise. É seguro, rápido e fácil de utilizar.

Ver Cotação →

Como funciona o NHS?

Todos os bairros contam com um General Practitioner Surgery de referência e um médico geral é designado para atender à população daquela região. Esse profissional faz atendimentos e encaminha os pacientes para especialistas, caso considere necessário.

Assim, para ter direito aos serviços do sistema de saúde da Inglaterra, você precisa ir até uma clínica de atendimento, geralmente baseada de acordo com a região onde você mora, portando o seu documento de identidade e comprovante de residência.

No centro de saúde, é preciso preencher um formulário com dados pessoais e informações sobre o histórico de saúde.

Como é o sistema de saúde na Inglaterra

Ao concluir o registro, o paciente recebe um número de identificação e os dados da farmácia local para retirar os medicamentos gratuitos prescritos pelo médico. Para agendar uma consulta, é preciso solicitar um atendimento por telefone ou pessoalmente. É importante lembrar que não é possível escolher um médico de preferência, a não ser que você tenha uma boa razão para isso.

As pessoas que precisam de atendimento, mas ainda não foram registradas no sistema de saúde, devem procurar as clínicas Walk-in Centres. Essas clínicas não exigem o agendamento prévio para atender os pacientes, mas alguns locais podem cobrar uma taxa pelo atendimento. Você também pode utilizar esses centros em caso de emergências, por exemplo.

Brasileiros podem usar o NHS?

Os brasileiros sem cidadania britânica têm direito a acesso gratuito ao NHS, se tiverem residência definitiva no país. No entanto, aquelas pessoas que planejam morar por menos de seis meses pagam pelo atendimento médico, a menos que recebam isenções.

Por outro lado, quem vai morar na Inglaterra por mais de seis meses, não tem cidadania britânica ou os requisitos necessários para ser considerado residente, terá que pagar uma taxa anual para usar os serviços do NHS.

Essa taxa do NHS é paga durante a solicitação do visto e o valor varia conforme a sua idade e tipo de visto para Inglaterra. É possível fazer uma simulação no site do governo britânico, basta preencher o formulário com as suas informações para ver o valor.

Em 2021, por exemplo, um aluno de 18 anos que pretende estudar na Inglaterra, irá pagar uma taxa anual do NHS entre £600 a £700. Embora seja um valor alto, é necessário para você morar no país e ter acesso aos serviços do NHS, de acordo com a forma de funcionamento do sistema de saúde.

E turistas brasileiros?

Apesar de o sistema de saúde da Inglaterra ser bastante eficiente, os turistas brasileiros têm direito a atendimentos gratuitos apenas em casos de urgência e acidente. Após receber a assistência adequada e ir para o leito, o paciente precisa arcar com as despesas hospitalares e medicamentos cujos preços são altos.

Portanto, o ideal é que os turistas brasileiros contratem um seguro viagem Inglaterra que cubra gastos médicos e hospitalares durante a sua estadia no país. Os planos variam de acordo com a sua idade e o tempo de estadia no país.

O sistema de saúde inglês é gratuito?

A maioria dos serviços do NHS são gratuitos, financiados pela arrecadação de impostos diretos no país. No entanto, a população ainda precisa pagar uma taxa extra por alguns serviços, como:

  • Despesas de prescrição médica;
  • Despesas com tratamento dentário.

A população de baixa renda e maiores de 60 anos têm direito a isenções ou reduções nas taxas dos serviços do NHS. Eles incidem sobre os custos com atendimento odontológico e prescrições.

Existe sistema de saúde particular na Inglaterra?

Sim, mas apenas uma pequena parcela da população contrata esse tipo de serviço. Muitas pessoas que usam a rede privada o fazem por se tratar de um benefício concedido aos funcionários ou como forma de usar instalações mais confortáveis e evitar longos períodos de espera.

Além disso, ao contratar um plano de saúde particular, é possível escolher o médico e ficar em um leito particular durante a internação. Os planos são pagos todos os meses e os valores mudam de acordo com os benefícios escolhidos, idade, quantidade de dependentes, histórico de saúde, carência, entre outros.

Experiência: quando usei o sistema de saúde na Inglaterra

Eu usei o sistema algumas vezes já. A primeira vez foi em dezembro de 2017 porque eu sofro de enxaqueca crônica e ela piorou bastante depois que me mudei para a Inglaterra, então eu li que o sistema de saúde público trabalha com a enxaqueca e decidi procurar um clínico geral.

A primeira vez que fui ao médico aqui, eu não gostei do atendimento, mas quando tive que voltar, apenas pedi para marcar consulta com uma médica diferente e não tive nenhum problema com isso.

Todo mês faço acompanhamento para a minha enxaqueca com a mesma médica o que para mim é muito bom, pois acompanhamos a minha alimentação, meu estilo de vida e já fiz alguns exames de sangue para eliminar a possibilidade de ter desenvolvido outras enfermidades que podem estar desencadeando essas enxaquecas frequentes.

Confiar no seu médico é importante, independentemente do tipo de problema que você tem. Então se não gostar do médico com quem se consultou, troque. Lógico que em cidades pequenas o número de consultórios é menor, então você teria que se adaptar com que tem lá, ou tentar um plano de saúde.

Saúde na Inglaterra

Triagem feita por telefone

Eu também torci o meu pé em dezembro, mas como sou desastrada pensei que não fosse nada e segui a vida. Após ficar com o pé inchado e latejando por uma semana, liguei no meu consultório, mas como era um sábado, estava fechado e recomendaram que eu ligasse para o número geral do sistema de saúde na Inglaterra.

Eu fiz isso, ao me atender pelo telefone, me perguntaram qual era o problema que estava tendo e várias outras perguntas que segundo eles “podem parecer irrelevantes, mas podem estar conectadas ao meu problema”. No final da ligação eles perguntaram quais dos horários disponíveis eu poderia ir para o hospital, pois um médico me atenderia. Assim eu fiz, cheguei uns 20 minutos antes do meu horário e para a minha surpresa o médico estava atrasado. Não muito, somente uns 10 minutos, mas foi aí que percebi que o “horário britânico” não é tão pontual como pensamos.

O médico me atendeu, examinou o meu pé e fez as recomendações dele, que no caso eram para eu comprar uma faixa para imobilizar o meu tornozelo e tomar analgésicos. Foi rápido e efetivo.

Demorei mais tempo no telefone do que no consultório, mas gostei desse sistema, porque quando eu estava no telefone, pelo menos estava no conforto da minha casa e não em uma fila, e não tive que repetir as minhas informações 3 vezes para pessoas diferentes porque todos os meus dados já tinham sido enviados para o meu médico.

O sistema de saúde da Inglaterra é bom, mas não é perfeito

Antes de trocar de médico, tive uma crise de enxaqueca muito forte, liguei para a NHS e eles disseram que assim que tivessem um médico disponível para falar comigo, eles me ligariam.

Passou mais de uma hora, então a minha amiga me levou para o hospital. Como isso aconteceu durante o inverno, o hospital estava cheio de pessoas com gripe e outras doenças “típicas do inverno”.

Mesmo eu tendo vomitado algumas vezes dentro do hospital, eles demoraram cerca de 3 horas e meia para me atender. Depois de já ter voltado para casa o médico do NHS me ligou para poder saber o que estava acontecendo e como eu poderia prosseguir. Ou seja, o NHS não é perfeito, mas funciona. Acredito que mesmo estando muito mal, com certeza eles priorizaram pessoas que estavam em estado crítico antes de mim.

Saúde na Europa: veja quanto custam os tratamentos nos principais países.

Vale a pena usar o sistema de saúde da Inglaterra?

Sim, vale a pena usar o sistema de saúde da Inglaterra.

Os atendimentos funcionam com eficiência e os médicos são ótimos, sem contar que é gratuito, não é mesmo? Então, se formos considerar o custo de um plano de saúde no Brasil, por exemplo, e colocar na ponta do lápis esse valor que não precisará ser pago ao morar na Inglaterra, certamente vale a pena.

Mas também é preciso considerar os pontos negativos. Como todo serviço gratuito, o NHS possui os seus problemas. Assim como no Brasil, a gente demora para conseguir consulta com um especialista. Sem contar que precisamos passar pela consulta com o médico geral (GP), para ele encaminhar para um médico especialista. Então, é um processo que pode demorar um pouco.

Sem contar que, do meu ponto de vista, o sistema de saúde inglês não é preventivo. Ele funciona muito bem quando você já tem um problema, porém eu acho mais difícil fazer consultas preventivas comuns como fazemos no Brasil, mesmo no sistema público.

Alguns exames de rotina, como os ginecológicos, são feitos em um intervalo de tempo muito mais espaçado. E exames de sangue, só com um motivo especial, por exemplo. Contudo, ainda vale muito a pena, especialmente pela economia no final do mês!

Se deseja morar na terra da Rainha Elizabeth, recomendamos a leitura do ebook O sonho de viver na Europa, que traz vários relatos de brasileiros vivem no velho continente.