Portugal comemora o cumprimento de mais uma meta no plano de vacinação contra o Covid-19. A aplicação da vacina Covid no país atingiu a marca de 70% da população adulta com pelo menos uma dose recebida. Acompanhe este artigo para saber informações atualizadas sobre a vacina do Covid em Portugal.

70% da população adulta está vacinada com pelo menos uma dose em Portugal

De acordo com a informação publicada no site do Sistema Nacional de Saúde no dia 10 de julho, Portugal já atingiu a meta de ter 70% da população vacinada com pelo menos uma dose de vacina contra o Covid.

Este foi um dos compromissos assumidos pelo país em janeiro de 2021, alinhado às metas de vacinação que foram decididas pela União Europeia. A chegada de mais vacinas ao país foi o principal fator que permitiu que a meta fosse atingida.

No comunicado, foi informado de que até o dia 9 de julho já tinham sido aplicadas 9.504.206 doses de vacinas em cerca de 5,8 milhões de pessoas. Dados do dia 10 de julho já confirmam a aplicação de 10.085.192 de doses.

População com vacinação completa

Além disso, Portugal já tem quase 4 milhões de pessoas com o esquema vacinal completo.

Esse número representa quase a metade da população, pouco mais de 10 milhões de pessoas (segundo dados da Pordata – Base de Dados Portugal Contemporâneo).

Portugal já tinha cumprido outra meta

Antes de vacinar 70% da população, em março o país já tinha atingido outra meta importante no combate ao Covid: vacinar 80% das pessoas com mais de 80 anos e 80% dos profissionais de saúde.

Precisa enviar dinheiro para outro país?

Envie dinheiro com toda a segurança, rapidez e melhor taxa de câmbio. Atualizamos a melhor entidade diariamente, faça já a sua simulação!

Cotar Agora →
Quer morar em Portugal com segurança e qualidade de vida?

Recomendamos a assessoria boutique da Atlantic Bridge, para quem deseja ir para Portugal de forma planejada, sem contratempos e com a segurança de ser acompanhado pelos profissionais mais experientes do mercado.

Saber Mais →

Foi mais um objetivo comemorado, já que a população idosa foi a que mais sofreu com a pandemia e com as complicações da doença. Das 17.172 mortes registradas até o momento, 11.257 foram de pessoas com mais de 80 anos, o que representa 65% dos óbitos.

Outros dados sobre a vacinação do Covid em Portugal

O Jornal Público, no site criado especialmente para acompanhar a vacinação do Covid em Portugal, mostrou que esses dados correspondem atualmente (em 13 de julho) a 40,28% da população totalmente vacinada. Há ainda os 61,32% da população que receberam a primeira dose.

  • 93,88% da população com 80 anos ou mais e 75,25% das pessoas entre 65 e 79 anos estão totalmente vacinadas;
  • Na faixa etária entre 50 e 64 anos 58,94% já estão completamente vacinados;
  • Atualmente, 16,05% das pessoas de 25 a 49 anos e 4,85% das pessoas entre 18 e 24 anos já estão com as vacinas completas.

A vacinação já dura alguns meses

Em Portugal, a aplicação das vacinas começou no dia 27 de dezembro. O plano foi agendado em fases e, primeiramente, receberam as doses os profissionais de saúde e pessoas com mais de 50 anos portadoras de doenças como insuficiência cardíaca, renal e doença respiratória crônica.

Atualmente, quase sete meses depois, o país está na terceira fase do calendário previsto para a vacinação.

Vacina Covid Portugal aplicação

Problemas no agendamento e longas filas têm sido recorrentes

Apesar de existir um plano e um calendário de vacinação, durante a execução têm acontecido alguns problemas que geram incômodos aos cidadãos. O principal deles, e que tem sido notícia, são as dificuldades para garantir o agendamento da data de aplicação da vacina.

Além disso, em muitos locais, mesmo com agendamento prévio, formam-se longas filas de espera. A situação foi noticiada principalmente em grandes cidades, como aconteceu nas regiões do Porto e em Lisboa.

No início de julho foi registrada uma fila com milhares de pessoas em Carnaxide. No Porto, também houve registro de filas por conta do atraso na vacinação. O coordenador da task force, vice-almirante Gouveia e Melo, que é responsável pela organização do processo, explicou que estão sendo tomadas medidas para evitar que essas situações sigam acontecendo. Em entrevista ao Jornal Expresso, ele afirmou:

“Já era expectável que isto acontecesse esta semana, face ao número de vacinas que vamos dar, mas é indesejável que as pessoas estejam tanto tempo na fila e vamos tentar melhorar o processo”.

Dentre as medidas, está a criação de um Drive Thru de vacinação, instalado no Porto e que deverá operar com capacidade de até 2000 vacinas por dia. O objetivo é reduzir a demanda dos outros locais de vacinação na cidade.

Dificuldades no agendamento

Além das filas que se formam nas portas dos centros de vacinação, a dificuldade de finalizar o agendamento também tem sido uma queixa frequente. Muitas pessoas têm relatado que ao iniciar o agendamento pelo site são informadas de que não há vagas, sendo encaminhadas para uma lista de espera.

No Instagram oficial do Sistema Nacional de Saúde, as reclamações sobre essa dificuldade são muitas. Por isso, há pessoas que têm optado por agendar a toma da vacina em cidades menores, onde não há falta de vagas.

Como funciona o agendamento da vacina Covid em Portugal

Em Portugal o agendamento das vacinas é feito de duas formas:

  • Por convocatória das administrações de saúde;
  • Por agendamento online.

Quem ainda não foi chamado pelo sistema de saúde e faz parte da faixa etária liberada para vacinação, pode fazer a marcação diretamente no site de agendamento.

Nesse momento (no dia 13 de julho) o agendamento da vacinação está aberto para pessoas com 23 anos ou mais. É preciso ficar de olho no Portal Vacina Covid-19, já que a idade limite para a marcação da vacina tem sido alterada com muita rapidez.

O agendamento da segunda dose

O agendamento da segunda dose da vacina do Covid em Portugal também tem causado alguns transtornos e demoras. Era esperado que os usuários do sistema de saúde fossem contactados por mensagem de celular para confirmação da data e horário da vacinação.

Mas em algumas regiões isso não tem acontecido, inclusive por dificuldades técnicas enfrentadas por alguns centros de saúde. Os cidadãos que ainda não têm a confirmação têm se deslocado ao local onde receberam a primeira dose para agendar a data da segunda dose.

Além de não ter garantia de receber a segunda dose no mesmo dia, há chances de enfrentar uma fila de espera.

Quem já tiver recebido as duas doses e quiser viajar, pode solicitar o passaporte Covid, que facilita o trânsito entre os países da União Europeia.

Vacinas utilizadas em Portugal

De acordo com a Norma 002/2021 da Direção-Geral de Saúde (atualizada em 12 de julho), as quatro vacinas contra o Covid aplicadas em Portugal são as seguintes:

  • Comirnaty (Pfizer/BioNTech): aplicada para pessoas com mais de 18 anos, em duas doses;
  • Spikevax (Moderna): para pessoas a partir de 18 anos, em duas doses;
  • Vaxzevria (Astrazeneca/Oxford): para pessoas com mais de 60 anos, em duas doses;
  • Janssen: para homens com mais de 18 anos e mulheres acima de 50 anos, em dose única.

Até o momento, segundo as informações mais atuais, o país comprou cerca de 32 milhões de doses de vacinas contra o Covid.

Fim da vacinação ainda não tem data definida

Ainda não há uma previsão para o fim da imunização da população em Portugal. O que se sabe é que o processo tem sido acelerado para cumprir o calendário, em comparação à previsão inicial.

No momento o país está na terceira e última fase prevista e o objetivo é vacinar cerca de 120 mil pessoas por semana.

Espera-se que nos próximos dias seja aberta a vacinação para pessoas a partir dos 18 anos, a última faixa etária que consta do plano atual. Caso o plano de vacinação seja executado conforme o esperado, o governo estima que os jovens entre 16 e 18 anos comecem a ser vacinados na última semana do mês de agosto. A informação foi dada pela Ministra da Saúde, Marta Temido.

Para pessoas abaixo de 16 anos, ainda não há previsão de vacinação.

Conheça a história de brasileiros que adiaram os planos de morar na Europa por conta da pandemia do coronavírus.