Bandeira de Portugal: história e significado desse símbolo do país

Conhecer a história de um país é muito importante para entendermos seus costumes, hábitos culturais e especialmente a sua história. Portugal é país com mais de 2 mil anos de história e que já passou muitas batalhas, conquistas e derrotas. Hoje vamos te contar o significado da bandeira de Portugal e qual a sua história.

Cores da bandeira de Portugal

A bandeira de Portugal possui duas cores principais, o verde escuro e o vermelho, dividas de forma vertical. A parte verde aparece à esquerda (na tralha) e representa 2/5 da bandeira, enquanto a cor vermelha aparece à direita (na batente) e representa 3/5.

No centro da bandeira há um escudo com 7 castelos e 5 quinas nas cores azuis. Já em volta do escudo encontra-se uma esfera armilar na cor amarela.

Já escrevemos também  um texto sobre 10 cidades pequenas de Portugal que valem a pena morar.

O que significam as cores da bandeira de Portugal?

O retângulo verde se assemelha em sua forma ao próprio mapa do país e a sua cor simboliza a esperança. Por outro lado, o verde, que não tinha tradição histórica no design da bandeira, era uma das cores utilizadas pelo partido republicano português a par da cor vermelha.

Por que escolhemos a Goldenergy em Portugal?

Já o vermelho representa o sangue de todos os homens e mulheres, que com coragem morreram em defesa do país, quer durante toda a política expansionista na descoberta de novos mundos assim como na conquista e defesa de território soberano português.

O escudo português

Composto por 5 escudos azuis (conhecidos por quinas) sobre base branca e uma faixa vermelha com 7 castelos amarelos.

As 5 quinas da bandeira representam os 5 reis mouros que foram derrotados pelo rei D. Afonso Henriques na batalha de Ourique. Podemos verificar que cada escudo contém 5 bolinhas brancas que representam as chagas de Jesus Cristo na cruz, que D. Afonso Henriques teria visto numa aparição antes da Batalha de Ourique.

Dentro do escudo, os 7 castelos referem-se as regiões fortificadas que D. Afonso Henriques conseguiu conquistar dos Mouros na região que hoje é conhecida como Algarve (1249).

Foi nesse célebre confronto da história de Portugal, de 25 de Julho de 1139, onde os cristãos, comandados por D. Afonso Henriques, defrontaram-se e derrotaram um exército muçulmano que sem aviso apareceu em terras de Ourique, e em número muito superior ao exército que envergava na bandeira a cruz de Cristo.

Tão estrondosa que foi a vitória, e tamanho foi o feito realizado por D. Afonso Henriques, que à época suas tropas o proclamaram como Rei de Portugal, cargo que ocupou de 1139 até a sua morte em 1185.

A esfera armilar

Tem forma circular e aparece em amarelo. Este é um instrumento de navegação astronômico que foi bastante usado pelos marinheiros portugueses, simbolizando os importantes descobrimentos que esse povo encabeçou nos séculos XV e XVI.

Você pode conferir como é o sistema de educação em Portugal.

História da bandeira de Portugal

A atual bandeira de Portugal é utilizada desde o dia 19 de junho de 1911, após a instauração da República. A comissão da nova bandeira nacional era composta pelas seguintes pessoas:

  • Abel Botelho (político e escritor);
  • Columbano Bordalo Pinheiro (pintor);
  • António Ladislau Parreira (oficial da Armada);
  • José Afonso de Pala (oficial do Exército);
  • João Chagas (jornalista e político) e que definiu esse novo modelo.

Também já escrevemos um guia detalhado para ajudar você a morar em Portugal.

Como era a primeira bandeira de Portugal?

Quando surgiu (meados de 1139) a primeira bandeira de Portugal tinha as cores azul e branca e tinha como formato uma cruz azul com fundo branco. Na época, ostentar uma bandeira era algo novo, e a história tinha origem nos escudos das armas.

Ao longo dos anos e da história de Portugal, a bandeira foi se modificando de acordo com os acontecimentos políticos e da monarquia.

O que fazer quando chegar a Portugal? Veja a resposta aqui.

Evolução da bandeira

Os primeiros registros de uma bandeira de Portugal datam 1139, através de reconstruções do que elas poderiam ter sido. Desde então foram cerca de 16 modificações no símbolo do país. Cada rei determinava algo novo para a bandeira de acordo com as vivências de seu trono. A primeira bandeira que surgiu simbolizava apenas uma cruz azul.

 

Já na segunda D. Afonso Henriques acrescentou besantes (dinheiros). Já o sucessor do rei D. Afonso Henriques, D. Sancho I (1185), trocou a cruz azul por cinco quinas azuis com branco, que poderiam simbolizar os escudos da época.

 

Em 1245, Afonso III opta por acrescentar uma borda vermelha a bandeira de Portugal. Junto da cor, estão castelos em dourado que representavam as fortalezas que foram tomadas na região do Algarve.

 

Já no ano de 1385 encontra-se a primeira bandeira comprovada de Portugal, através de registros. Nessa fase foram adicionadas quatro flores-de-lis nas cores verdes por D. João.

Em 1485, D. João II resolveu retirar novamente a flor-de-lis da bandeira e alterou os escudos anteriores, por escudos de armas português, como é utilizado até os dias de hoje.

O sucessor D. Manuel I (1495) mudou novamente a bandeira de Portugal e acrescentou uma coroa real aberta aberta em cima do escudo.

 

Já em 1577-78, D. Sebastião solicitou que a coroa real da bandeira fosse fechada, representando a conquista de Marrocos.

Em 1667, D. Pedro II muda novamente o símbolo nacional e altera a coroa para cinco arcos, para representar um novo reforço a autoridade régia.

D. João V, em 1707 ordena a mudança da bandeira para um estilo mais barroco, acrescentado um barrete de cor púrpura para a coroa real.

 

Em 1826 se dá a última bandeira nacional dentro do regime da monarquia e acrescenta-se um fundo branco e azul de forma vertical.

Até chegarmos na última versão da bandeira de Portugal, como conhecemos hoje, a partir de 1910, quando acontece a Implantação da República Portuguesa.

 

Conheça mais sobre a cultura portuguesa nesse artigo.

Bandeira a meia haste

Em situações de luto, tanto a nível nacional quanto local, a bandeira de Portugal poderá ser hasteada a meia haste. Existe, no entanto, um protocolo próprio e específico sobre a forma como se deve fazê-lo. Apenas a título de exemplo, antes da bandeira ser colocada à meia haste deverá ser içada até o topo e só depois descida até metade.

Modo de içar e de arraiar

A quem couber a digna tarefa de içar a bandeira de Portugal deverá fazê-lo de forma viva e enérgica. Contudo, no momento da sua retirada, deverá acontecer de forma lenta e moderada.

Costumes de Portugal: veja algumas curiosidades do país lusitano.

Curiosidade

Ainda hoje é possível encontrar várias bandeiras portuguesas à venda que diferem do modelo original. O que acontece é que em vez de encontrarmos os 7 castelos no escudo português, encontramos 7 casinhas chinesas amarelas.

Esta situação causou já alguns embaraços, principalmente quando em cerimônias oficiais, e que envolvem a república portuguesa, é possível ver que na bandeirinha lá atrás mostra-se a arquitetura chinesa.

Brincadeira ou desatenção, nós não sabemos. Mas o fato é que muitas são produzidas no grande continente Asiático, mais propriamente na China.

Por isso, se vai comprar uma bandeira portuguesa, que pode ser uma opção de lembrancinha para os mais próximos, preste bem atenção antes de escolher qual levar.

Agora que já deu para aprender um pouco sobre a história da bandeira portuguesa é hora de arrumar as malas e conhecer as belezas desse país.

Ajuda para morar em Portugal

Está planejando se mudar para Portugal? É um processo longo e burocrático e você precisa fazer tudo direitinho para ficar dentro da lei. Recomendamos o nosso Ebook Como Morar em Portugal que tem todos os passos em detalhes sobre o que você precisa fazer para morar no país. Veja aqui o índice e as primeiras páginas desse e-book.

Veja também como é o hino de Portugal e saiba tudo sobre Portugal.

Evellyn Lima é brasileira e atualmente não tem endereço fixo. Resolveu viver uma vida de nômade digital. É jornalista, redatora, revisora e compartilha detalhes e surpresas das suas viagens no Instagram @ninguemcontadaviagem.

Amanda Corrêa é brasileira, jornalista, mora na Europa desde 2014. Possui Mestrado em Ciências da Comunicação pela Universidade do Minho, experiência na área de assessoria de imprensa e televisão. Já morou na Inglaterra e atualmente mora em Portugal. Amanda já visitou 15 países do mundo, ama viajar e conhecer novas culturas e gastronomias. É co-fundadora do site Vagas pelo Mundo, apresentadora do podcast "Partiu Morar Fora" e produtora de conteúdo para diversos portais.

Artigos relacionados

Como trabalhar em Portugal: visto, salários e oportunidades

Todos os passos para trabalhar em Portugal: veja como obter o visto de trabalho, média salarial, os melhores sites de emprego e mais.

Visto para Portugal: tipos, custos e como solicitar o seu

Vai se mudar para Portugal?Sozinho ou com a família? Confira o visto necessário, custos e procedimentos passo a passo para viajar tranquilo.

Como morar em Portugal em 2020 (Guia Atualizado!)

Dicas que ninguém te conta sobre como morar em Portugal na primeira pessoa: passo a passo, como conseguir um visto, qual é o custo de vida e mais.

Sites de emprego em Portugal: veja a lista com os melhores

Descubra os melhores sites de emprego em Portugal e algumas alternativas para encontrar a sua vaga, seja através de sites, agências ou pelas redes sociais.

Custo de vida em Portugal 2020: quanto custa viver no país

Conheça o custo de vida em Portugal, quanto custa alugar apartamento, fazer compras do mês, gasto com saúde, transporte e salário para viver no país.

Estudar em Portugal de graça: programas e bolsas de estudo

Estudar em Portugal de graça pode ser mais comum do que você imagina, basta ser aprovado em programas de bolsas e intercâmbios. Veja como se inscrever!

Câmbio de moedas

EURO € : R$ 0.00

LIBRA £ : R$ 0.00

DÓLAR $ : R$ 0.00

Ouça nosso Podcast

Curta nossa página

Euro Dicas no Youtube