A escolha de imigrar é uma das mais significativas na vida de qualquer pessoa. Quando essa decisão é tomada em conjunto por um casal, as complexidades e desafios aumentam também, pois ambos estão passando por um processo intenso, que implica em mudanças emocionais e individuais. Nesta coluna, falo sobre as dificuldades que podem surgir durante esse processo e como um casal imigrante pode se preparar para lidar com elas da melhor forma possível.

Planejamento é fundamental

Imigrar requer muito planejamento e cuidado, e é natural que mesmo assim surjam conflitos ao longo do caminho. Para lidar com essas situações de forma eficaz, é necessário que o casal mantenha um diálogo aberto e desenvolva a resiliência.

Quando os companheiros estão em harmonia, imigrar juntos pode ser uma excelente oportunidade de crescimento e fortalecimento de vínculo entre eles.

Imigrando juntos, mas se sentindo sozinhos

Imigrar é como nascer de novo, pois a gente precisa aprender tudo do zero. No entanto, iniciar essa nova fase em conjunto ao seu parceiro pode gerar conflitos em relação à individualidade. Isso porque no Brasil o casal teve tempo para crescer separadamente, já no exterior, eles já chegam unidos, e isso pode afetar a sua identidade.

Se torna mais fácil fazer tudo com o outro, como ter os mesmos amigos, frequentar os mesmo lugares, fazer as mesmas atividades. E não há nada de errado nisso, mas é importante estarmos atentos para identificar se estamos buscando essas atividades porque realmente queremos ou apenas porque é mais fácil do que encontrar nossos próprios interesses individuais.

É preciso cultivar a individualidade

Uma das maiores dificuldades dentro de uma relação é compreender que é possível compartilhar uma vida juntos, mas que cada um sempre terá a sua própria individualidade. Para aqueles que vivem no exterior isso pode ser ainda mais desafiador, mas é fundamental para termos uma vida emocional mais equilibrada e saudável.

Aceitar sua identidade pode ser uma ferramenta para lidar com as incertezas e estresses que geralmente acompanham a vida do imigrante. A partir dela torna-se mais fácil avaliar as melhores decisões em momentos difíceis, o que pode trazer benefícios para sua relação consigo mesmo e com os outros.

Precisa enviar dinheiro para outro país?

Envie dinheiro com toda a segurança, rapidez e melhor taxa de câmbio. Atualizamos a melhor entidade diariamente, faça já a sua simulação!

Cotar Agora →
Precisa enviar dinheiro para outro país?

Depois de testarmos as principais alternativas do mercado (Paypal, Western Union, Moneygram, etc), a plataforma que nós recomendamos é a Wise. É seguro, rápido e fácil de utilizar.

Ver Cotação →

Dessa forma, conseguimos entender e gerenciar nossos próprios sentimentos, o que nos permite comunicar de forma mais clara e eficaz sobre nossos desejos e limites. Assim, criamos mais segurança em relação a quem somos, nossas escolhas e valores.

O apoio emocional entre o casal deve ser cuidadosamente planejado, pois ao mudarmos de país, perdemos toda ou grande parte da nossa rede de suporte, e quando damos conta só temos o nosso companheiro(a) ao nosso lado. Isso pode trazer questionamentos do tipo:

“Será que ele(a) vai realmente conseguir me entender?” ou “será que eu estou sobrecarregando ele(a) com os meus problemas?”

Dúvidas como essas conseguem aumentar a ansiedade ou a solidão, algumas pessoas podem lidar com essa situação se afastando cada vez mais do parceiro.

Por isso, quando somos mais sinceros um com o outro, maiores serão as chances de sermos compreendidos. Saber se ouvir com respeito também é fundamental para fortalecer a união e criar uma rede de suporte mútuo.

O sentimento de solidão no exterior

A solidão é uma emoção que está relacionada ao isolamento social ou emocional, quando nos sentimos desconectados de alguém ou de algum lugar. Durante os desafios da imigração, é comum não se sentir pertencente àquele local, principalmente pela falta das amizades, saudades da família, dificuldade de comunicação e compreensão da nova cultura.

Esse pode ser um sentimento confuso, já que como podemos nos sentir solitários estando ao lado do nosso parceiro?

Casal imigrante em momento de solidão
Mesmo estando juntos, é possível fazer por momentos de muita solidão durante a imigração

Sentir-se sozinho é esperado em certos momentos da vida, especialmente quando mudamos de país. Mas é importante estar ciente para que esse sentimento não te impeça de viver novas experiências e de aceitar a sua identidade em outro lugar.

Preparação emocional

A solidão em excesso pode levar a transtornos mais graves, como a ansiedade e depressão, por isso a preparação emocional deve estar na lista de planejamento do casal que deseja migrar. É importante que os dois estejam com suas expectativas alinhadas e limites bem definidos.

Essa preparação deve ser considerada desde o momento que o casal decide sair do Brasil, uma vez que quando se vive uma vida a dois, os planos precisam ser feitos em conjunto. A vida no exterior oferece inúmeras possibilidades, portanto, para evitar desentendimentos futuros, é fundamental que ambos conversem abertamente sobre os seus desejos e medos.

Estar disposto a lidar com essas emoções pode proporcionar clareza ao seu processo de autoconhecimento, isso vai te ajudar a enfrentar as dificuldades e prevenir possíveis crises no futuro.

Por onde começar?

Checar o estado da sua saúde emocional é o ponto de partida, pois se algo não está bem resolvido, pode nos acompanhar para qualquer lugar do mundo. É necessário fazer uma reflexão honesta consigo mesmo, e caso você ainda tenha alguma dúvida, busque ajuda de um profissional para te auxiliar.

Aqui estão algumas perguntas que você deve fazer a si mesmo antes de imigrar:

  • Sua terapia está em dia?
  • Você tem alguma questão emocional mal resolvida, mesmo que não tenha nada a ver com imigração?
  • Quais possíveis medos ou ansiedades essa mudança pode gerar em você?
  • Você tem estratégias para lidar com isso?
  • O que você imagina que será sua maior dificuldade e facilidade ao viver essa mudança?
  • Como é a sua relação com os seus parentes e amigos que vão ficar no Brasil?
  • Como é a sua relação com o seu parceiro que está imigrando como você?
  • Você e seu parceiro estão vivendo alguma crise? Vocês acham que a emigração pode resolver todos os problemas do seu casamento?

Entrar em contato com essas perguntas pode trazer à tona sentimentos que estavam guardados. É extremamente importante para a saúde emocional colocar para fora o que se sente, por mais difícil que possa parecer. Uma forma de fazer isso é exercitando a comunicação, principalmente com o seu parceiro.

Quando uma pessoa reprime um sentimento, ela o mantém dentro de si como uma carga emocional que, aos poucos, pode se transformar em ansiedade ou estresse. Por isso, cada casal deve encontrar a sua forma de estimular a comunicação, e claro, que saber ouvir e acolher a fala do outro não pode ser esquecido.

Essa é uma maneira de fortalecer e estreitar a conexão entre os dois, já que somente ao mostrarmos nossa vulnerabilidade é que podemos ser validados e contar com o suporte do outro.

Entenda mais sobre como funciona o preparo psicológico para expatriados.

Dicas para exercitar a comunicação

Mesmo quando há uma grande proximidade entre o casal, a comunicação nem sempre ocorre de maneira natural. A discussão sobre temas íntimos pode gerar desconforto e a sensação de exposição.

Para casais imigrantes, as conversas se tornam ainda mais essenciais, uma vez que esse processo pode afetar a sua vulnerabilidade e a sensação de solidão. Por isso, preparei algumas dicas para ajudar aqueles que desejam incluir uma comunicação mais efetiva em suas rotinas.

  • Fale sobre os seus próprios sentimentos em relação à nova rotina, em vez de focar no que o outro faz ou deixa de fazer. Isso pode facilitar a compreensão do seu parceiro sobre as suas necessidades individuais nesse novo país;
  • Comece compartilhando as suas emoções mais simples, isso pode ajudar o casal a se sentir mais confortável e aos poucos entrar em contato com temas mais profundos;
  • Preste atenção se você se sente ouvido e acolhido, pois a responsabilidade de uma conversa produtiva deve ser dividida entre todas as partes, e se torna mais importante quando não se tem uma rede de apoio, como a familiar, por perto;
  • Por fim, fale sobre o que é óbvio para você, já que nem sempre pode estar claro para o outro. Embora o casal tenha imigrado junto, é possível que as suas dificuldades sejam diferentes.

É válido ressaltar que, caso as dificuldades de comunicação persistam, uma alternativa é buscar o suporte de um profissional especializado em atendimento de casal e em terapia intercultural.

A imigração em conjunto envolve dois processos bastante complexos, a própria imigração e a relação conjugal. Por isso é fundamental aceitarmos que os desafios fazem parte desse momento, e que eles podem aumentar a maturidade emocional do casal. É através dessas situações que se pode alcançar o aprendizado necessário para a adaptação.