Como descobrir meus antepassados: soluções digitais

Europa  / 

Como descobrir meus antepassados? Nós vamos ajudar. Para viver o presente e construir o futuro é essencial saber de onde viemos. A identificação cultural é parte importante da vida humana, pois remete às nossas origens e memórias e ajuda a manter vivos aqueles que trilharam o caminho para que chegássemos até aqui.

Precisa abrir uma conta bancária na Europa?

Você pode abrir a sua conta bancária grátis em 5 minutos e com toda a segurança no N26, um banco digital que funciona em toda a Europa.


O N26 não exige comprovação de rendimentos, você só precisa estar na Europa e ter seu passaporte em mãos.

ABRIR CONTA »

É nesse contexto que conhecer os antepassados é tão importante e valorizado, especialmente em um momento no qual as pessoas buscam tirar suas cidadanias em países europeus e fazer valer o sangue que corre nas veias.

Como descobrir meus antepassados: porque é importante

Você provavelmente já se perguntou de onde veio determinfamilyado costume familiar, de onde foi herdado o jeito expansivo dos seus parentes ou até se olhou no espelho e pensou “por que nosso nariz é desse formato?”.

Conhecer os antepassados é, acima de tudo, uma aula de história e um meio de entender o caminho que as gerações passadas trilharam até chegar em você. É um exercício de autoconhecimento importante para reconhecer as próprias características e até traços de personalidade.

Para que serve saber como descobrir meus antepassados

Além da questão familiar e de identidade, saber como descobrir meus antepassados é importante para quem deseja tirar a cidadania de outros países por laços de sangue.

Na Europa, os países que concedem cidadania por consanguinidade para netos de migrantes são:

O que é árvore genealógica?

As partes visíveis da árvore são o tronco, a copa, as folhas e os frutos, mas para que possa crescer com força precisa preservar suas raízes intactas e com saúde.

Essa simples analogia explica o que é uma árvore genealógica, que nada mais é que uma representação dos membros da família a partir dos antepassados mais antigos de que se tem notícias e informações.

Assim, é possível conhecer melhor a história e origem da própria família e até descobrir problemas de saúde hereditários. O exercício de construir uma árvore genealógica pode também conectar parentes distantes ou que nem sabiam da existência um do outro.

Como fazer uma árvore genealógica

Antes de começar a construir a árvore genealógica e saber como descobrir meus antepassados, é preciso definir três pontos importantes:

Objetivo: se a ideia é construir uma árvore para tirar a cidadania italiana, por exemplo, será preciso levantar algumas informações específicas – diferente da ideia de montar uma árvore apenas para conhecer melhor a história da família. O ponto de partida é saber para que a pesquisa vai servir;

Precisa enviar dinheiro para outro país?

Depois de testarmos as principais alternativas do mercado (Paypal, Western Union, Moneygram, etc), a plataforma que nós recomendamos é o Remessa Online.


No Remessa Online você vai economizar até 8x nas suas transferências e, se precisar de algum suporte, o apoio ao cliente é em português. Crie a sua conta grátis e envie dinheiro com segurança.

VER COTAÇÃO »

Linhagem: você vai trabalhar a linhagem materna ou paterna? É bom começar com uma só para que a árvore não fique tão grande e você não tenha tanto trabalho, até porque é muito comum que as origem sejam diferentes e aí você terá trabalho redobrado;

Quem será incluso: quanto mais pessoas você incluir na árvore mais informações e dados terá que buscar. A maioria das árvores começa com os tataravôs, mas é bom lembrar que ela deve incluir também os tios, sobrinhos, primos e afins – o que pode dar um bocado de gente!

Onde encontrar informações

O primeiro passo é saber de onde vieram seus antepassados. No Brasil, a maioria das pessoas descende de espanhóis, portugueses e italianos por conta do período de colonização do país, e mais ao sul é comum encontrar descendentes de alemães e holandeses.

Um bom ponto de partida é conversar com os membros mais velhos da família e questionar a origem dos seus, além de pesquisar de onde vem o sobrenome da família.

Por exemplo, o sobrenome Garcia é muito comum por aqui e tem origem portuguesa. Sabendo disso fica mais fácil buscar registros vitais, parentes perdidos e outras informações importantes.

A partir daí, os dados podem ser buscados presencialmente, tanto com os próprios familiares quanto em cartórios, igrejas, delegacias, centros genealógicos, álbuns de fotografia, cartas, diários, cadernos de anotações e sites. Será preciso paciência, pois o processo é lento, mas vale a pena e pode até se tornar um hobby.

Sites para saber como descobrir meus antepassados

Dentre os sites utilizados para conhecer os antepassados o My Heritage é o mais popular. É possível criar uma árvore genealógica adicionando nomes, datas, fotos, documentos e demais informações familiares através de base de dados de registros internacionais.

Os registros civis datam desde 1829 enquanto os de batismo são desde 1688. Já os de casamento aparecem a partir de 1739 e os cartões de imigração a partir de 1900. O site já conta com mais de 95 milhões de usuários pelo mundo e envia alertas de conexões entra árvores familiares, registros e artigos de jornal.

Já o Family Search é gratuito, ao contrário do My Heritage, cujo acesso é grátis apenas por sete dias. Organização sem fins lucrativos, o site oferece suporte gratuito 24 horas por dia e um acervo de mais de quatro bilhões de nomes em todo o mundo. É possível indexar imagens, microfilmes e arquivos digitalizados com registros familiares para ajudar pessoas de todo o mundo a se conectar.

Saiba mais sobre cidadania espanhola para netos de espanhóis.

Registros vitais

Tendo em mãos o nome completo dos familiares e a origem do sobrenome é preciso pesquisar:

  • Certidão de nascimento com data e local
  • Certidão de casamento com data e local
  • Certidão de óbito com data e local
  • Certificado de reservista ou de dispensa do serviço militar
  • Históricos escolares
  • Passaporte e certificado de imigração

Quais perguntas fazer

Além das perguntas básicas – que incluem “de qual país nossa família veio?”, “quando e onde você nasceu?” e “por que o vovô saiu do país e veio para cá?” – algumas perguntas simples ajudam a construir a árvore genealógica e conhecer os antepassados.

  • Você tem o mesmo nome de outra pessoa da família?
  • Onde você foi batizado?
  • Você tinha um apelido? Ainda tem?
  • Qual era sua religião? E dos seus pais?
  • Você morou em quais cidades? E os bairros?
  • Qual a sua memória mais antiga?
  • Quais histórias de família seus pais e avós contavam?
  • Onde você estudou?
  • Qual o nome completo dos seus irmãos?
  • Como chamava seu primeiro namorado? Como você o conheceu?
  • Com quantos anos você se casou?
  • Em qual igreja você se casou?
  • Quem foi no seu casamento?
  • Você ganhou algum prêmio durante sua vida?
  • No que você se formou?
  • Por que escolheu essa profissão?
  • Qual e onde foi seu primeiro emprego?
  • Você fez serviço militar?
  • Quantos anos você foi casado?
  • Você já se divorciou? E casou novamente?
  • Se seu conjugue já faleceu, onde e quando foi?
  • Quantos filhos você tem?
  • Como escolheu os nomes dos seus filhos?
  • O que mudaria na educação dos seus filhos?
  • Que conselhos você daria sobre criação de filhos?
  • Quando e onde seus pais morreram?
  • Qual conselho dos seus pais você carrega para a vida?
  • Você já sofreu um acidente?
  • Você tem algum problema de saúde genético?

Depois é só começar a montar o puzzle com a ajuda das ferramentas digitais! Descubra ainda se tem antepassados italianos.

Em destaque no Euro Dicas
  • Sabia que é obrigatório ter Seguro de Viagem para entrar na Europa?

    Seja para morar ou visitar, a imigração pode exigir esse documento no país destino. Se você não tiver, será obrigado a voltar ao Brasil. Em parceria com a Seguros Promo garantimos aos nossos leitores o melhor preço de seguro de viagem.

    COTAR SEGURO »
  • Precisa enviar dinheiro para outro país?

    A nossa plataforma preferida é o Remessa Online. No Remessa Online você vai economizar até 8x nas suas transferências e, se precisar de algum suporte, o apoio ao cliente é em português. Crie a sua conta grátis e envie dinheiro com segurança.

    VER COTAÇÃO »
  • Pensando em morar em Portugal?

    Escrevemos um guia com todos os passos necessários para organizar a sua saída do Brasil com rapidez, segurança e sem complicações. Receba grátis o índice e primeiras páginas.

    RECEBER AMOSTRA »
COMPARTILHE
Autor

Clara é natural do interior de São Paulo e tem muito orgulho do sotaque caipira. Jornalista que adora gatos, tatuagens e livros, vê o mundo de cabeça para baixo e tem como vícios memes da internet e soltar piadas inesperadas no meio de uma conversa.