Quando você decide viver uma vida a dois, é preciso ter em mente que o amor une duas pessoas, mas que ninguém precisa se anular. Ninguém está acima de ninguém, não importam as circunstâncias. É preciso que você tenha muito claro na cabeça (e no coração) que, apesar do romantismo insistir com a ideia de que “duas pessoas tornam-se uma”, na prática, são dois seres com características, gostos e expectativas diferentes. Ninguém é exatamente igual a ninguém, por isso, hoje trago um alerta: cuidado, seu casamento pode acabar em Portugal.

Como respeitar as individualidades na relação

Há escolhas super individuais: que roupa usar numa festa? Devo colocar ketchup na pizza? Com qual cor pinto o cabelo? Será que coloco um piercing? Todas estas opções são praticamente inofensivas quando falamos de um casal. Nenhuma delas, em tese, vai afetar profundamente uma vida a dois.

Entretanto, há decisões na vida de duas pessoas que “juntam os trapinhos” que não podem ser tomadas de forma unilateral. Os dois precisam participar e o alinhamento é essencial. Uma dessas decisões está diretamente ligada ao nosso tema central aqui, embora muita gente acabe negligenciando o assunto, por achar que é algo menor.

Sim, a imigração pode acabar com seu casamento, da noite pro dia!

Deu ruim

Através do nosso Instagram @encontreseufarol, conhecemos um casal que veio do Sul do Brasil. O sonho de emigrar era muito mais forte nele do que nela. Chegaram a compartilhar sua história nas redes sociais, como fazem centenas de brasileiros. Em dado momento, pararam de postar vídeos.

Alguns meses depois, ele voltou a publicar novos conteúdos e, de cara, explicou o sumiço: o casamento tinha acabado em Portugal e a esposa decidiu voltar para o Brasil. Em um dado momento, ela cansou de viver o sonho dele, botou as roupinhas na mala e partiu para o aeroporto.

Me ajuda aí!

Temos alguns seguidores que, volta e meia, nos pedem ajuda para convencer o parceiro a emigrar. Geralmente, o que acontece é que apenas uma das partes tem real vontade de morar em Portugal.

Precisa enviar dinheiro para outro país?

Envie dinheiro com toda a segurança, rapidez e melhor taxa de câmbio. Atualizamos a melhor entidade diariamente, faça já a sua simulação!

Cotar Agora →
Quer morar em Portugal com segurança e qualidade de vida?

Recomendamos a assessoria boutique da Atlantic Bridge, para quem deseja ir para Portugal de forma planejada, sem contratempos e com a segurança de ser acompanhado pelos profissionais mais experientes do mercado.

Saber Mais →

A outra parte ou tem muitas dúvidas (e até medo) ou descarta completamente a ideia de começar uma nova vida em outro país. E não há nada de errado nisso, afinal, ser imigrante não é para todo mundo mesmo.

O que respondemos para estas pessoas é muito simples e direto: se o casal não concorda em fazer uma mudança de vida tão radical, melhor não mudar de país. Convencer o outro a embarcar no seu sonho é uma tarefa árdua e que nem sempre surte bons efeitos a longo prazo.

Romantizando a imigração

Há algo que me incomoda muito: nem todos entendem a seriedade com que uma imigração precisa ser tratada. Com a enorme quantidade de brasileiros romantizando o assunto nas redes sociais, há pessoas que acreditam na ideia de que o processo é extremamente simples. Só sabem entrar em supermercados, ligar a câmera e dizer “olha como é barato!” ou “isso não tem no Brasil”.

Vila Nova de Gaia
Foto de Maurício Martins

Nosso conselho é que você sempre faça as coisas da forma correta e procure informações em fontes oficiais. Infelizmente, alguns brasileiros tendem a acreditar em ideias equivocadas sobre como emigrar. Explore bastante o Euro Dicas, porque aqui você sempre terá notícias verificadas e atualizadas.

Mudar de país envolve muitas mudanças, inclusive no ritmo de vida que bem diferente em Portugal.

O diálogo sobre a mudança precisa ser constante

Imigrar é algo complexo e precisa ser tratado com grande planejamento, ainda mais quando falamos de uma família com filhos. Já imaginou imigrar e um deles não concordar com a ideia de sair do Brasil, onde já está acostumado com a escola, os amigos e a rotina em geral? Também temos seguidores que enfrentaram o mesmo drama. Por isso, reforçamos que o tema precisa ser tratado abertamente, em família.

Um dos maiores motivos para que este diálogo seja intensificado diz respeito à frustração. Ao mudar de país, há enormes vantagens, mas não se iluda: há desvantagens em morar fora do Brasil também.

Emprego, especificamente na sua área, pode demorar a aparecer. Há muita burocracia nos órgãos públicos. Você vai sentir saudade da família e de sua rede de apoio. A adaptação ao dia a dia, principalmente ao clima frio, pode ser um desafio complicado para muitos brasileiros.

Se o casal não estiver muito alinhado e ciente dos obstáculos que virão pela frente, o relacionamento tende a se desgastar.

Contando apenas um com o outro

E atente para outro fato: possivelmente, por um bom tempo, o casal só vai poder contar um com o outro. Não é da noite para o dia que você vai conseguir novas amizades e construir uma rede de apoio.

Se não houver respeito e, principalmente, objetivos em comum, a coisa pode ficar esquisita a qualquer momento.

A decisão é questão de maturidade

Há quem seja radical e pense assim: “se eu quero emigrar e ele/ela não quer, é melhor separar e cada um seguir seu caminho”.

Não sou conselheiro amoroso e acredito na velha máxima que cada um sabe da sua vida, mas quando o é tema é relacionamento, nem tudo pode ser tratado a ferro e fogo. Cada um sabe dos seus porquês e deve ter maturidade para lidar com suas decisões.

Sinceridade, por favor

A questão central é manter um diálogo honesto com seu parceiro sobre emigração. Sejam sinceros e deixem claro um para o outro suas expectativas e medos. Tudo deve ser falado, sem filtros. O sonho precisa ser dos dois.

Durante o planejamento, levantem várias hipóteses e estudem alternativas. Sempre há chance de algo não acontecer da forma exata que vocês planejaram.

O desafio pode ser muito grande para algumas pessoas, afinal, mudar de país é começar do zero.

A vontade de mudar de país era dos dois

Quando saímos de nossa zona de conforto, os sentimentos transbordam. Digo isso por experiência própria. Por aqui, a vontade de imigrar para Portugal era dos dois. Nenhum queria mais do que o outro.

A decisão deve ser do casal
Foto de Maurício Martins

Queríamos mudar de vida, sair do Brasil e ter a experiência de morar fora. Após horas, dias e meses de muita conversa, tomamos a decisão juntos. Óbvio que há dias em que fraquejamos, sentimos falta de alguém ou de algum lugar, mas isso logo passa. Nessas horas, um apoia o outro.

Acredite: se o casal está unido pelo amor e tem objetivos em comum, isso fica ainda mais evidente durante a imigração. Não deixe de lado seu relacionamento ou pense que a outra parte deve ir contra o que acredita, na esperança de “mudar de ideia” depois. Fazer algo contra a vontade é meio caminho andado para criar um aborrecimento que pode destruir uma vida a dois.

Não tente convencer ninguém a embarcar num sonho que é apenas seu. A chance de dar errado é bem grande, por isso, digo: cuidado, seu casamento pode acabar em Portugal!

*As opiniões dos colunistas não refletem necessariamente a opinião do site Euro Dicas.