Como se candidatar à Universidade na Espanha: saiba tudo

Espanha  / 

A Espanha admite anualmente mais de 100 mil estudantes estrangeiros, sendo considerado o terceiro país da União Europeia com o maior número de estudantes internacional. A qualidade do estudo aliado à facilidade do idioma motiva milhares de candidatos a buscarem uma oportunidade de estudo no país. Sede de 81 universidades, sendo em torno de 50 públicas e o restante privadas, não é uma tarefa fácil escolher a melhor dentre tantas opções na hora de pesquisar como se candidatar à universidade na Espanha. Acompanhe este artigo e eu vou te mostrar como fazer isso.

Precisa abrir uma conta bancária na Europa?

Você pode abrir a sua conta bancária grátis em 5 minutos e com toda a segurança no N26, um banco digital que funciona em toda a Europa.


O N26 não exige comprovação de rendimentos, você só precisa estar na Europa e ter seu passaporte em mãos.

ABRIR CONTA »

Como se candidatar à universidade na Espanha

As universidades da Espanha são sinônimos de qualidade, destacam-se 5 delas que aparecem listadas no top 400 de escolas classificadas pelo Times Higher Education Ranking Mundial University 2012-2013.

Uma grande vantagem é que as universidades estão localizadas nas mais diversas regiões do país, não estando concentradas apenas nas grandes cidades. Além disso, o processo de ingresso varia de acordo com o nível educacional que deseja cursar e o país de origem do aluno. Dessa forma, ficou mais ágil e prático o procedimento de como se candidatar à universidade na Espanha.

Prova de acesso

Os estudantes brasileiros que desejam estudar na Espanha devem realizar a Prova de Acesso à Universidade (PAU), como se fossem nativos do país (Espanha). Sendo assim, para fazer a PAU, é necessário antes homologar o diploma do Ensino Médio, esse procedimento pode ser realizado na Embaixada da Espanha no Brasil ou mesmo no Ministério da Educação na Espanha (o ideal é verificar em ambas as instituições previamente).

Após a revalidação do diploma, o candidato pode se inscrever nas provas por meio da Universidade Nacional de Ensino a Distancia (UNED), que está responsável por organizar a PAU no exterior. Como as provas ocorrem no final de maio ou início de junho, é fundamental que a matrícula seja efetuada entre março e maio.

Após a realização dos exames, o estudante receberá uma nota de acesso à universidade, onde irá disputar uma vaga na graduação escolhida por ele. Para requerer a vaga, ele deverá preencher um formulário de pré-matrícula, que varia para cada comunidade autônoma.

Observação: as aulas nas instituições normalmente iniciam em outubro, terminando em junho.

Aviso: todas as universidades na Espanha são pagas, inclusive as públicas.

O processo é diferente em cada Universidade

Cada universidade no país tem um determinado nível de autonomia para definir os procedimentos de como se candidatar a universidade na Espanha. Entretanto, as 3 modalidades mais comuns para cursar uma graduação em território espanhol são:

  • Nota média do Ensino Médio (em alguns casos uma prova também);
  • Transferência;
  • Ingresso como titulado (para quem já cursou uma graduação).

Nota do Ensino Médio

Existem 3 alternativas:

Precisa enviar dinheiro para outro país?

Depois de testarmos as principais alternativas do mercado (Paypal, Western Union, Moneygram, etc), a plataforma que nós recomendamos é o Remessa Online.


No Remessa Online você vai economizar até 8x nas suas transferências e, se precisar de algum suporte, o apoio ao cliente é em português. Crie a sua conta grátis e envie dinheiro com segurança.

VER COTAÇÃO »

Ingresso Direto

Alguns cursos são pouco procurados, por isso sobram vagas, sendo cinco a nota média mínima aceita para ingressar. No ato do início da homologação, será concedido um documento provisório que permitirá efetuar a admissão na universidade e cursar o primeiro ano inteiro enquanto tramita o processo.

Ingresso com a nota média

Em cursos mais concorridos como Fisioterapia e Economia, por exemplo, é necessário disputar as vagas com a nota média do Ensino Médio (neste caso, a homologação precisa já estar concluída).

Leve em consideração que o processo de revalidação é lento, em torno de 10 meses. Após a homologação concluída, o estudante terá o Ensino Médio válido na Espanha e dessa forma poderá usar a nota média para disputar a vagas nas universidades do país.

Ingresso com a nota média e prova

Em cursos muito disputados (Medicina, por exemplo), além da nota média, também há uma prova de admissão. Muitos candidatos têm dúvidas em relação a como se candidatar à universidade na Espanha quando envolve a exigência da prova, contudo, é um sistema simples.

É feito uma média em cima da nota do Ensino Médio (60%) e da prova de ingresso (40%). No que diz respeito à prova, não é um bicho de 7 cabeças como muitos pensam, pois não é cobrado todas as disciplinas da escola como ocorre no Brasil. Em terras espanholas, as provas são de acordo com a carreira escolhida.

Um fato interessante é que existem provas diferenciadas de acordo com a faixa etária do candidato, isto é, acima de 25 anos, acima de 40 anos com experiência profissional e mais de 45 anos sem a obrigatoriedade de comprovar experiência.

Transferência

A melhor forma de como se candidatar a universidade na Espanha através de transferência, é por meio de aproveitamento e transferência de disciplinas que correspondam no mínimo 1 semestre de estudos como requisito essencial, o que equivale a 30 créditos europeus.

Em todas as instituições, as disciplinas costumam ser separadas em 3 grupos, que pode diferenciar quanto ao nome, contudo sempre irão representar os módulos abaixo:

  • Disciplinas de Formação Básica (FP);
  • Disciplinas Obrigatórias (OB);
  • Disciplinas Optativas (OP).

São mais fáceis de serem substituídas por outras as disciplinas de Formação Básica e optativas, pois não constituem o foco fundamental da carreira universitária em questão.

Em síntese, para efetuar a transferência, não é necessário que as disciplinas transferidas sejam iguais se são optativas ou de Formação Básica. Entretanto, a palavra final, ou seja a decisão, caberá sempre a universidade de destino.

Exemplo prático

Podemos mencionar um exemplo simples: um estudante que tenha cursado 1 semestre de Contabilidade no Brasil, muito provavelmente ele fez disciplinas básicas de matemática e economia.

Isso significa que este estudante cursou disciplinas muito semelhantes com as de Formação Básica de Administração de Empresas na Espanha. Logo, se torna viável solicitar o ingresso por convalidación dessas matérias em solo espanhol, para estudar Administração de Empresas.

Isso também vale para outras áreas distintas, desde que a universidade espanhola efetue o aproveitamento de pelo menos 30 créditos europeus. A intenção é que esses 30 créditos se equivalem a 1 semestre letivo, sendo assim, o estudante de fora ingressaria no segundo semestre ou posteriores.

Observação: é possível convalidar 3 anos e meio de matérias e cursar somente o último semestre na Espanha, porém isso vai depender de análise curricular realizada pela universidade escolhida.

Titulados Superiores

Todas as universidades são obrigadas legalmente a reservar de 1 a 3% das vagas disponíveis (em todos os cursos) para titulados superiores que desejam fazer uma segunda faculdade.

Para ingressar como titulado superior é requisito ter efetuado a equivalência do título estrangeiro ou então possuir um título superior espanhol. A seleção é conduzida essencialmente pela nota média da titulação que possui.

Cabe ressaltar que nessa modalidade de ingresso, não há problema se o graduado se formou em uma área diferente do curso que escolheu fazer. Exemplo, caso ele tenha feito Serviço Social, poderá cursar Contabilidade sem a necessidade de ser uma área correlacionada.

Dica: em cursos muito concorridos como Medicina, é aconselhável solicitar o ingresso em universidades menos disputadas, isto é, fora das grandes capitais como Madrid.

Cursos de pós-graduação

Em relação ao ingresso nos cursos de pós-graduação, isso depende de cada universidade, sendo assim, o aluno deverá entrar em contato com a instituição escolhida por ele, para saber o processo de admissão.

Importante ressaltar que o ensino superior na Espanha é pago, entretanto o Estado financia uma parte das matrículas. Também existem no país centros conveniados e privados geralmente vinculados à igreja católica, e são pagos em todas as etapas.

Dica: para conhecer melhor o sistema educacional espanhol, acesse a página do Ministério da Educação na Espanha.

Já deu para notar que existem diversas opções de como se candidatar à universidade na Espanha, basta analisar aquela que se encaixa melhor ao perfil do aluno.

Alguns exemplos de boas universidades na Espanha

Saiba quais são algumas das melhores Universidades da Espanha:

  • IESE Business School: localizada em Barcelona, é ideal para estudantes que buscam universidades específicas na área de educação executiva em negócios;
  • Escola oficial de idiomas: os alunos que desejam aperfeiçoar o espanhol, possuem inúmeras opções de cursos espalhados pelo país, inclusive em universidades locais. Para ter acesso a listagem das instituições, acesse o site do Instituto Cervantes;
  • Universidade autônoma de Barcelona: considerada uma das melhores do país, possui um programa de língua espanhola durante o verão, além de diversos outros cursos na área de humanas;
  • Universidade de Salamanca: com fama de cidade universitária, a cidade da instituição tem atraído jovens do mundo inteiro, interessados não somente no idioma mas também na cultura local;
  • Universidade Politécnica de Valência: fundada nos anos 1960, possui ótimas referências em relação aos cursos de administração de empresas, arquitetura e engenharia;
  • Universidade Pompeu Fabra: está entre as menores universidades do país, entretanto, figura frequentemente nos primeiros lugares nos rankings internacionais das melhores universidades;
  • Universidade Carlos III: instituição reconhecida internacionalmente, algumas graduações são oferecidas em inglês ou bilíngue. Ela também possui cursos de pós-graduação (mestrado e doutorado) com boas referências no campo educacional.

Os que desejam fazer uma pós-graduação como mestrado ou doutorado, podem consultar uma lista de universidades com inscrições já abertas (outras ainda não) no site Bachelor studies para conferir a relação.

candidatar universidade Espanha processo

Preços: quanto custa estudar na Espanha

Quer saber quanto custa estudar na Espanha? É preciso saber que estudar em uma universidade pública na Espanha é mais barato do que em uma particular no Brasil. Nas universidades públicas do país não há o sistema de mensalidades, no entanto, é cobrado uma taxa única anual de matrícula.

Não existe um preço fixo para essa taxa anual, levando em conta que os valores são decididos pelo governo de cada região e varia também conforme a Universidade. Contudo, se o curso exige laboratórios e equipamentos especiais, o valor será mais alto em relação a uma graduação baseada apenas em livros e presença do professor.

A título de exemplo, em uma universidade privada na Espanha, a taxa anual de matrícula (propina) gira em torno de 6.000€, mas lembre-se que os valores são variáveis, principalmente nas regiões menores.

Como se candidatar a universidade na Espanha através de bolsa

Como as universidades na Espanha são todas pagas, a melhor forma de estudar na Espanha de graça é tentar uma bolsa. Algumas instituições ao redor do mundo oferecem bolsas de estudo para auxiliar os estudantes no que se refere às despesas (que não são poucas).

Um bom ponto de partida, é buscar informações a respeito de auxílios que o governo brasileiro possa oferecer para jovens alunos que desejam aperfeiçoar os estudos no exterior.

O Governo da Espanha, por meio da Fundação Carolina, concede bolsas para estudantes latino-americanos que desejam fazer uma pós-graduação em uma universidade espanhola.

A Fundação Carolina ofereceu no início de 2019, 763 bolsas no edital 2019/2020, um número maior em relação a 2018. As áreas são as mais diversas possíveis, o que acaba se tornando um ponto muito favorável para os candidatos, porém a concorrência é alta.

Apesar do prazo de inscrição já ter sido encerrado em março (as aulas devem iniciar em julho e outubro de 2019), o estudante já pode ficar atento com relação ao ano que vem, mais precisamente janeiro de 2020. Alunos graduados de qualquer país que pertence a Comunidade Ibero-Americana de Nações (o Brasil está incluído) podem concorrer a bolsa.

Alguns dos cursos abrangidos foram: ciências e novas tecnologias; energia, meio-ambiente, sustentabilidade e infraestrutura; economia e finanças, ciências da saúde, ciências sociais e jurídicas, humanidades e comunicação, engenharia, análise de dados, etc.

As opções são muitas, logo não há mais desculpas para não se candidatar a universidade na Espanha em uma próxima oportunidade.

Abaixo, temos alguns exemplos de bolsas de estudo que ainda dá tempo de se candidatar:

Bolsa para programa de liderança Santander e da Fundação Carolina

  • Prazo: até 17 de junho de 2019;
  • Abordagem: imersão na realidade política, social e econômica da Espanha e da União Europeia, promovendo a liderança e o empreendedorismo de jovens recém-graduados;
  • Quantidade de bolsas: 30 (inclui viagem aérea a Madrid e as despesas de manutenção, acomodação e transporte);
  • Duração: meados de setembro a início de outubro

Mais informações acesse o site do Santander Universidades.

Fundación Lengua – bolsa para estudar espanhol (curta duração)

  • Prazo: até 31 de outubro de 2019;
  • Requisito: além do formulário de inscrição, também é exigido uma carta de motivação;
  • Duração: 2 semanas (válido para qualquer nível de espanhol);
  • Bolsa: cobre somente o custo do curso (510€), despesas como transporte, acomodação e alimentação não estão incluídos.

Mais informações no site da Fundación Lengua.

Aviso: os cursos de línguas costumam durar de 2 semanas a no máximo 6 meses.

Outras instituições e empresas que oferecem bolsas são:

Algumas universidades espanholas oferecem suporte financeiro aos seus alunos estrangeiros, embora isso não ocorra com frequência. Certifique se a instituição escolhida oferece esse auxílio, basta procurar o Departamento de Relações Internacionais (DRI) dela, para obter essa informação.

Três dicas importantes para obter uma bolsa de estudos

  • Falar bem o idioma espanhol (nível avançado);
  • Ter no currículo atividades extracurriculares;
  • Ter um projeto de estudo.

O que a bolsa de estudos cobre

Isso é relativo, pois depende da universidade escolhida, na maior parte dos casos, a cobertura do mestrado é de 60% a 70% da anuidade da universidade, mais passagens aéreas, seguro saúde e uma ajuda mensal.

Apoio ao estudante estrangeiro

Se ocorrer alguma dúvida ou problema após a chegada na Espanha, as universidades possuem departamentos de relações internacionais, que visam coordenar a chegada e a integração dos estudantes estrangeiros, basta procurá-los para ser orientado da melhor forma.

Dica: resposta por e-mail às vezes pode demorar em função do acúmulo de trabalho do setor, todavia, é mais eficaz se dirigir pessoalmente ao Departamento de Relações Internacionais da instituição.

Sites úteis que orientam como se candidatar a universidade na Espanha

  • Study in Spain: página promovida pelo Ministério da Educação, é bastante útil para qualquer aluno estrangeiro, pois informa a respeito de oferta educacional, aspectos burocráticos e ainda possui um buscador de universidades;
  • Ministério do Exterior: possui informações de cunho jurídico acerca da burocracia exigida para entrar e viver na Espanha;
  • Sepie: página do serviço espanhol para a Internacionalização da Educação (SEPIE), contém informações sobre as universidades, bolsas e titulações.

Antes de embarcar para a Espanha

Após verificar todas as informações de como se candidatar a universidade na Espanha e ser aprovado, inicia a fase dos preparativos que antecedem a viagem. Reserve alguns meses para providenciar todos os documentos solicitados, levando em consideração que alguns são burocráticos.

1. Pesquise acerca de todos os documentos exigidos para morar na Espanha na condição de estudante, não esqueça de providenciar um passaporte;

2. Todos os cidadãos que não pertencem a comunidade europeia, necessitam requerer um visto de estudos na Embaixada da Espanha do país de origem, se a estadia for superior a 90 dias. Os documentos a serem apresentados estão listados abaixo:

  • Formulário de solicitação;
  • Passaporte vigente;
  • Carta de aceitação da universidade;
  • Comprovante de um seguro saúde que cubra a estadia no país;
  • Documento comprobatório de possuir recursos suficientes para as despesas de estudo;
  • Certificado de antecedente penal (se a estadia for superior a 6 meses);
  • Atestado médico que comprove não ser portador de doenças que possam alterar a saúde pública (se a estadia for superior a 6 meses);
  • Pagamento da taxa administrativa.

Importante: sempre consulte o site oficial da embaixada, em virtude de alterações que possam ocorrer em relação a documentação requerida.

Dica: solicite o visto de estudante para Espanha com antecedência, pois esse processo pode levar mais de 1 mês.

Carteira de Identidade Estrangeira (TIE)

Se o estudante permanecer na Espanha por mais de 6 meses, além do visto, ele deverá providenciar a carteira de identidade estrangeira (TIE), logo no primeiro mês no país. O TIE é emitido na delegacia da Polícia Nacional ou no Departamento de Imigração que corresponde a região de residência do aluno.

Tenha ciência que será necessário apresentar os seguintes documentos:

  • Formulário de solicitação;
  • 3 fotografias 3×4;
  • Pagamento da taxa administrativa.

A carteira de identidade estrangeira tem validade máxima de 1 ano, portanto se o programa de estudo do aluno for superior a esse período, será necessário renová-lo anualmente.

Se deseja obter mais informações ou mesmo esclarecer alguma dúvida, acesse o site do Ministério de Assuntos Exteriores e Cooperação.

Acomodação estudantil: tipos

A maioria dos estudantes estrangeiros preferem ficar em residências universitárias (conhecidas no Brasil como repúblicas estudantis), seguido por apartamentos compartilhados e por fim (em minoria) casas de família locais.

Alojamento universitário

Os alojamentos podem estar localizados dentro do campus da universidade ou muito próximo a ele. Economiza-se em transporte, além de ser uma ótima oportunidade de fazer novos amigos de todas as partes do mundo.

Há quartos duplos e individuais, além de contar com serviços como internet, lavanderia, café, espaço de estudo etc. Quanto às refeições, podem estar incluídas ou ter uma cozinha para preparar os alimentos.

Os alojamentos na maioria das vezes são mistos, mas existem alguns separados por gênero. Para saber como são essas residências estudantis, o aluno pode buscar informações no Departamento de Relações Internacionais ou consultar uma lista no site Study in Spain para ter uma noção das opções disponíveis em cada cidade.

Apartamento compartilhado

Alugar um apartamento compartilhado com outros estudantes, tem como vantagem a liberdade, por outro lado vai exigir mais responsabilidades também (limpeza, pagamento das despesas, regras de convivência etc).

Uma outra desvantagem, pode ser o preço, dependendo do bairro e cidade do imóvel, lugares como Madrid e Barcelona são mais caros. O Departamento de Relações Internacionais também pode ajudar o aluno nesse aspecto, além disso, nos murais dos corredores da universidade costumam ter anúncios de apartamentos ou companhia para dividir.

Casa de família

É a opção menos procurada pelos estudantes que podem alugar um quarto na residência de uma família. Essa alternativa é mais viável se o aluno estiver fazendo um curso de curta duração ou mesmo se ele passa praticamente o dia inteiro fora (estudando).

O site Abroadwith é uma possibilidade interessante para achar casas de família que estão dispostas a alugar um quarto para um estudante estrangeiro.

Dica: verifique junto ao DRI a respeito de hospedagem na casa de pessoas idosas. É uma opção vantajosa, pois o aluno faz companhia ao idoso, tem um quarto individual, paga apenas os gastos comuns e ajuda nas tarefas domésticas.

Como se candidatar a universidade na Espanha através do ENEM

Infelizmente essa opção não é possível! O Ministério da Educação só possui parcerias firmadas com Portugal, Irlanda, Inglaterra, França e Canadá baseado em informações publicadas no final de 2018, porém pode ocorrer de outros países serem incluídos ainda, embora sem previsão.

Nos Estados Unidos, a New York University passou a aceitar a nota do ENEM para todos os cursos de graduação em 2018, fazendo uma troca com as provas padronizadas tradicionais (SAT ou ACT) que eram aplicadas antes.

Como a universidade recebe candidaturas de alunos de outros países, eles não possuíam uma preparação adequada para fazer as provas padronizadas, isso levou a instituição de Nova York a aceitar a nota do ENEM.

Tudo pronto para ir para terras espanholas? Além dos documentos essenciais a quem quer saber como se candidatar à Universidade na Espanha, é importante também contratar o seguro viagem para Espanha, é um documento obrigatório. Saiba tudo sobre ele aqui.

Em destaque no Euro Dicas
  • Sabia que é obrigatório ter Seguro de Viagem para entrar na Europa?

    Seja para morar ou visitar, a imigração pode exigir esse documento no país destino. Se você não tiver, será obrigado a voltar ao Brasil. Em parceria com a Seguros Promo garantimos aos nossos leitores o melhor preço de seguro de viagem.

    COTAR SEGURO »
  • Precisa enviar dinheiro para outro país?

    A nossa plataforma preferida é o Remessa Online. No Remessa Online você vai economizar até 8x nas suas transferências e, se precisar de algum suporte, o apoio ao cliente é em português. Crie a sua conta grátis e envie dinheiro com segurança.

    VER COTAÇÃO »
  • Pensando em morar em Portugal?

    Escrevemos um guia com todos os passos necessários para organizar a sua saída do Brasil com rapidez, segurança e sem complicações. Receba grátis o índice e primeiras páginas.

    RECEBER AMOSTRA »
COMPARTILHE
Autor

Jornalista, vive no Brasil e ama Portugal, tem passagens pela África, Europa e América do Norte/Sul. Além da paixão por viagens, também adora animais e apoia projetos de conservação de vida selvagem na África do Sul e Brasil.