Tanto na hora de embarcar como na chegada, todo viajante precisa apresentar documentos para entrar na França. Eles variam, seja para quem vai a turismo ou planeja morar no país. Há muitas dúvidas sobre este assunto. Portanto, vale muito a pena conferir a lista com todos os requisitos que você precisa cumprir para se preparar com antecedência e seguir tranquilo.

Documentos para entrar na França para turismo

Para quem vai a turismo, os documentos para entrar na França são exatamente os mesmos para ingressar em qualquer outro país da Europa. São eles:

  • Passaporte válido;
  • Passagem de volta com a data marcada;
  • Comprovante de hospedagem;
  • Comprovante de recursos financeiros;
  • Seguro viagem.

Observação: pode ser necessário apresentar algum documento relativo à pandemia de Covid-19. Na data de publicação desse artigo os voos Brasil-França estão suspensos, e antes disso era obrigatória a apresentação de um teste negativo de Covid-19 feito no máximo 72 horas antes do embarque. Verifique no site da Embaixada da França quais são as diretrizes neste momento.

Passaporte válido

Este é o documento básico para qualquer viagem internacional e, claro, o mais importante entre os documentos para entrar na França. Ele precisa ser válido pelo menos três meses após a data de retorno ao Brasil. Para emitir o passaporte brasileiro, você vai precisar dos documentos originais:

  • Identidade e CPF;
  • Passaporte antigo, se houver;
  • Comprovante bancário de pagamento da GRU – Guia de Recolhimento da União;
  • Certidões de casamento, divórcio ou outras, que comprovem eventuais alterações de sobrenome.

É importante, além disso, conferir se está em dia com as obrigações eleitorais e se a situação junto ao serviço militar, no caso dos homens, está regular. Estes dados serão conferidos no momento do atendimento. É indicado levar no dia os comprovantes de votação da última eleição e o certificado de quitação do serviço militar.
Depois basta preencher o formulário eletrônico de solicitação. Ao completar o cadastro, será emitida a GRU no valor de R$257,25, cujo comprovante de pagamento será solicitado impresso no atendimento presencial. Após o processamento do pagamento, basta escolher o local onde deseja ser atendido e agendar. Em cerca de uma semana, o documento fica pronto para ser retirado pessoalmente.

Passagem de volta com a data marcada

As autoridades europeias estão cada vez mais atentas quanto à questão de imigração ilegal para os países, então um dos documentos para entrar na França com altas chances de ser solicitado é a passagem de volta.
O agente de imigração costuma pedir para checar este documento, que precisa ter a data marcada. Assim, ele poderá acreditar na intenção da pessoa, de que ficará no máximo os 90 dias permitidos no país.
passagem e passaporte para entrar na França

Comprovante de hospedagem

Outro item bastante importante para os agentes de imigração é a comprovação de que o viajante tem onde ficar durante todo o período previsto nas passagens aéreas. Mas é bastante simples: basta mostrar a reserva do hotel ou o contrato de aluguel do apartamento onde pretende ficar.
Outra opção, caso vá se hospedar na casa de um amigo, é apresentar a carta-convite (attestation d’accueil). Este documento é solicitado pelo seu anfitrião na prefeitura de onde mora. Portanto, requer um prazo maior de planejamento, entre realizar este trâmite e enviar o documento pelo correio para o Brasil, para que você viaje com ele e possa apresentá-lo na entrada.

Precisa enviar dinheiro para outro país?

Envie dinheiro com toda a segurança, rapidez e melhor taxa de câmbio. Atualizamos a melhor entidade diariamente, faça já a sua simulação!

Cotar Agora →
Precisa enviar dinheiro para outro país?

Depois de testarmos as principais alternativas do mercado (Paypal, Western Union, Moneygram, etc), a plataforma que nós recomendamos é a Wise. É seguro, rápido e fácil de utilizar.

Ver Cotação →

Comprovante de recursos financeiros

Entre os documentos para entrar na França mais complicados, este parece ser um deles. Mas calma, pois você pode realizar essa comprovação de várias formas. Vale apresentar dinheiro em espécie, um documento que comprove o limite do cartão de crédito internacional, um recibo de quanto você tem em cartões-moeda para viagem.
O que recomendamos? Que você leve uma parte do dinheiro em espécie e mostre que tem saldo nos seus outros cartões para deixar claras as garantias. É indicado, para ser compatível com os gastos diários no país, apresentar pelo menos 68€ por dia de estadia, para quem tem reservas em hotel já pagas. Para quem possui a carta-convite, o valor indicado é metade, 34€, segundo a Embaixada da França no Brasil.

Seguro Viagem

Este é um dos documentos para entrar na França que são obrigatórios. É exigido um seguro viagem Europa com cobertura de no mínimo 30 mil euros de despesas médicas e de repatriamento, que seja valido para todo o Território Schengen.
O mais recomendado é contratar um plano que seja adequado às necessidades individuais de cada viajante, especialmente se tratar de gestantes, idosos, crianças ou quem vai praticar esportes. Muitos dos seguros padrão não possuem valores suficientes para eventuais despesas médicas complexas ou têm limitações quanto à idade, entre outros pontos de atenção.
A partir de R$13 por dia de viagem, você já contrata um plano básico. Planos mais completos também são acessíveis, a partir de R$23 por dia.
Indicamos a contratação em sites especializados e confiáveis, como o nosso comparador de seguros viagem. Com eles, você pode visualizar e comparar, de forma rápida e simples, diversos planos e valores, para encontrar a melhor opção com o custo-benefício escolhido por você.

Documentos para entrar na França para morar

Além de todos os documentos para entrar na França que listamos acima, como passaporte, seguro viagem, comprovantes de hospedagem e recursos financeiros, o país exige evidentemente comprovações mais específicas no caso de um estrangeiro que chega com o objetivo de morar.
Para garantir maior tranquilidade na etapa de imigração, vale a pena ter em mãos um dossiê com todos os papéis essenciais para morar na França.

  • Visto de residência;
  • Carte de séjour;
  • Carte vitale.

Veja como obter e o que significa cada um deles.

Visto de residência

Existem várias modalidades de vistos para quem pretende residir na França, dependendo do objetivo de cada pessoa. Vale destacar que este é o documento mais importante para providenciar, obrigatório para viver legalmente no país. Veja as principais modalidades:

A solicitação deve ser realizada com antecedência, antes da viagem. Recomenda-se iniciar o processo e começar a organizar os documentos pelo menos 6 meses antes da data prevista da viagem. O pedido é realizado junto a um dos consulados da França no Brasil, com sedes no Rio de Janeiro (que atende aos estados do RJ, ES e MG), São Paulo (atende SP, MS, PR, SC e RS) e Brasília (atende aos demais estados).
Para os estudantes de graduação e mestrado, a solicitação precisa passar pelo Campus France, que é a agência oficial responsável pela promoção do ensino superior na França.
Quanto aos custos, eles variam de acordo com o tipo de visto, entre 50€ e 99€ em média. Mas atenção, que pode haver taxas extras ao longo do processo. Normalmente, cônjuges de cidadãos franceses estão isentos de pagamento.

Carte de Séjour

A carte de séjour funciona como o documento de identidade dos estrangeiros na França, que permite abrir conta em banco, vantagens de alguns serviços oferecidos apenas para residentes e entrar nos sistemas de benefícios sociais.
Depois de receber o visto de residente, ainda no Brasil, o consulado Francês vai entrar junto aos documentos um formulário do OFII (Office Français de l’Immigration et de l’Intégration), órgão que emite a carte de séjour.
Depois da chegada à França, basta enviar o documento ao OFII pelo correio e aguardar o agendamento para apresentar documentos e fazer um breve exame médico no dia (costuma ser um raio-x de tórax e responder a algumas perguntas). É necessário pagar uma taxa de 225€ nesta etapa.

Carte Vitale

Uma vez com a carte de séjour, é possível fazer o pedido da carte vitale, que é o seguro de saúde francês. Ele cobre até 75% das despesas de saúde e, por isso, muita gente prefere complementar e contratar o Mutuelle, que é um plano de saúde privado que cobre os demais gastos e pode cortar muito barato, como 5 euros por mês.
documento para residir na França

Tenho cidadania europeia, preciso de visto para França?

Não. Quem possui cidadania da União Europeia, do Espaço Econômico Europeu ou da Suíça é dispensado da solicitação do visto ou da autorização de residência francesa. Será preciso apenas solicitar a carta de séjour, que serve como carteira de identidade para os estrangeiros acessarem benefícios e auxílios do governo.
Entretanto, para os brasileiros sem cidadania europeia, será preciso obter um visto como o de longa duração (long séjour) para residir na França para uma temporada de estudos ou trabalho, por exemplo.
E se a intenção é somente fazer turismo, o brasileiro com ou sem cidadania europeia não precisa de visto para França ou para a Europa, desde que a viagem tenha duração máxima de 90 dias.
Aproveite e confira neste artigo todas as dicas sobre como morar legalmente na França.

Quanto custam os documentos para morar na França?

Para ter uma ideia dos custos dos documentos para entrar na França e morar lá, confira os principais valores para os vistos mais comuns.

Visto de longa duração

Emissão do visto no Brasil 99€ (R$657)
Taxa do OFII na chegada à França 58€ (R$385)
Total 157€ (R$1.042)

Visto de estudante

Emissão no Brasil 50€ (R$332)
Taxa do Campus France R$520
Taxa do OFII na chegada à França 58€ (R$385)
Total R$1.237

*Cotações do euro em reais realizada em 6 de abril de 2021, considerando o câmbio do dia.

Cuidados e dicas para organizar sua viagem para a França

Se você chegou ao final deste texto sobre documentos para entrar na França, já começou bem! Como um país muito ligado a burocracias, é importante seguir todos os processos e ir guardando todos os documentos em uma pasta para ter sempre tudo organizado e em mãos.
Ao viajar, leve esse dossiê na sua bagagem de mão, para apresentar todos os documentos que possam ser solicitados pelo agente de imigração na entrada do país ou do Espaço Schengen.
Para quem vai morar, é essencial pesquisar ainda no Brasil sobre a cidade onde pensa em se fixar, calcular o custo de vida na França e se preparar para guardar dinheiro. Vale, ainda, olhar os sites para alugar apartamento na França e montar essa base para viajar com uma ideia mais realista do caminho a seguir. Se for o caso, planeje se hospedar durante uma semana em um hotel enquanto conhece melhor os bairros antes de escolher a moradia definitiva.
Na hora de fazer as malas, pense na estação do ano em que você vai viajar e leve roupas adequadas, de preferência peças básicas que combinem entre si. Prefira sapatos confortáveis, melhores para o dia a dia a pé. Lembrando que, no caso de outono e inverno, vale muito mais a pena comprar um bom casaco por lá, que certamente será mais eficiente do que um adquirido no Brasil. Isso faz realmente a diferença!
Aproveite para, nos dias antes, assistir a programas de TV ou filmes em francês, para ir se acostumando com o idioma e captar algumas expressões locais. Essa é uma dica preciosa, para facilitar a sua comunicação e as novas amizades desde o início da nova vida.
Além disso, outra dica importante que pode ajudar no planejamento, é conferir o ebook O sonho de viver na Europa, um compilado de histórias inspiradoras. Seja para turismo ou mudança, o conteúdo apresenta dicas e a história de quem já realizou o passo a passo da mudança para o Velho Continente.