Como morar legalmente na França: veja tudo que é preciso

Com sua riqueza cultural, histórica e culinária, a França é um dos destinos europeus mais desejados pelos brasileiros que querem morar no exterior. Se você é um deles e sonha em viver na terra do croissant, saiba que antes de tomar essa decisão, é preciso muito planejamento. Não decida vir morar ilegalmente na Europa, pois a busca por um sonho pode virar um pesadelo pelo fato de você estar ilegal. Para te ajudar, reunimos neste artigo tudo o que você precisa saber sobre como morar legalmente na França.

Como morar legalmente na França: passo a passo

1. Vistos

Os requisitos para morar na França dependem da sua cidadania atual. Ou seja, se você for um cidadão da União Europeia, do Espaço Econômico Europeu ou da Suíça, você não precisa solicitar um visto ou autorização de residência francesa.

No entanto, para os cidadãos dos demais países, e aí se inclui o Brasil, ter um visto é essencial para poder residir legalmente no país. Veja os tipos de vistos de longa duração (long séjour) disponíveis para a França.

  • Visto para estudos;
  • Visto para empreendedores;
  • Visto para pesquisadores científicos;
  • Visto para trabalho;
  • Visto para cônjuge de francês;
  • Visto para visitantes;
  • Visto para religiosos;
  • Visto de férias e trabalho.

Como você pode ver, são muitos os tipos de vistos franceses disponíveis. Mas algo imprescindível é que ele seja solicitado antes da sua viagem ao país, no consulado francês mais próximo de sua residência. Falaremos agora sobre os tipos de visto mais solicitados:

Visto de trabalho

Os vistos de longa duração com permissão de trabalho são destinados a pessoas contratadas por empresas francesas para trabalhar no país. É válido por um ano e pode ser renovado.

Sonho de Morar na Europa?

Confira nosso livro Sonho de Morar na Europa com as jornadas de vários brasileiros que vivem atualmente na Europa e conheça todos os passos para chegar no Velho Continente e realizar o seu sonho!

Veja aqui como trabalhar na França: documentos, salários e como conquistar uma vaga.

Visto de estudo

O visto de estudo destina-se a estudantes que desejem frequentar instituições públicas ou privadas na França. Tem duração máxima de um ano, e pode ser renovado de acordo com o tipo de curso em que o aluno esteja inscrito.

Visto de empreendedor

Para os brasileiros que desejam investir ou trabalhar de forma autônoma na França, o país também oferece um tipo de visto especial com a declaração “empreendedor/profissão libérale”, é o visto de empreendedor na França. É válido por um ano, desde que você solicite a validação do seu visto nos quinze dias após sua chegada à França.

Mas atenção: se você deseja montar um novo negócio, será preciso demonstrar a viabilidade econômica do seu projeto. Já se você desejar trabalhar em uma profissão liberal, deverá provar que possui recursos financeiros suficientes para se manter no país.

Saiba mais sobre os vistos no site oficial de vistos para a França.

Nota importante

Se seu cônjuge conseguir um emprego ou for estudar na França, você também poderá ir.

Depois que você chegar na França, você terá que ir no OFII (Office Français de l’Immigration et de l’Intégration) para regularizar seu visto em até 3 meses da sua chegada. O processo pode ser muito demorado, então sugiro que vá se possível assim que você chegar na França.

2. Imigração: documentação necessária para entrar no país

Depois de definir, de acordo com sua necessidade e perfil, como morar legalmente na França, é preciso cuidar das exigências para a entrada no país. Na imigração, ao chegar no país, podem te pedir algumas informações/comprovantes. Confira quais são os documentos para morar na França de acordo com a Embaixada da França no Brasil:

  • Passaporte;
  • Seguro de viagem Europa;
  • Local que irá ficar;
  • Dinheiro suficiente para se manter durante sua estadia;
  • Se você falar que vem a turismo, então podem te cobrar a passagem com volta marcada para até 90 dias depois da sua chegada;
  • Caso você não tenha passagem de volta com data para até 90 dias da sua chegada, você precisará apresentar um visto.

Passaporte brasileiro

É preciso uma página em branco e deve ser válido por pelo menos três meses após a partida do Espaço Schengen. Se o seu passaporte possuir um visto francês, tenha o máximo de cuidado para não danificá-lo.

Hospedagem ou carta-convite

Ao chegar na França, obviamente, você vai precisar comprovar o local em que ficará hospedado no país.

Se você for ficar em hotel, é só apresentar o comprovante da hospedagem confirmada. Já se você for se hospedar na casa de algum amigo ou familiar que more legalmente no país, precisará apresentar uma carta-convite ou “attestation d’accueil”. Este documento deve ser solicitado pela pessoa que irá recebê-lo na prefeitura de onde mora.

Comprovante de capacidade financeira

Um dos requisitos para a entrada na França é a comprovação dos meios de subsistência durante a sua estadia no país.

Segundo a Embaixada da França no Brasil, isso pode ser feito por meio da apresentação de dinheiro em espécie, Travellers cheques, cartões de crédito internacionais, etc.

Os valores variam em função da duração e do seu objetivo em território francês (65€ por dia ou 32,50€ por dia se você possuir carta-convite).

Seguro saúde ou seguro viagem

Para entrada na França, é obrigatório apresentar seguro médico internacional, no valor mínimo exigido pelas normas locais. No caso da França, o valor do seguro médico internacional e de repatriamento exigido é de 30.000€.

Veja aqui como cotar no nosso comparador de seguro viagem e consulte o nosso guia completo sobre seguro viagem. Não viaje sem seguro de viagem! Você pode ser barrado na imigração se não estiver com o seu seguro de viagem em mãos. Aqui no Euro dicas, voltamos a frisar que desaconselhamos morar ilegalmente na Europa.

Seguro do cartão de crédito

Não se esqueça que muitos cartões de crédito já oferecem o seguro gratuito de 30 dias caso você compre a passagem no cartão.  Você precisa estar coberto até conseguir regularizar sua situação no sistema de saúde francês. Saiba mais sobre essa temática no artigo sobre saúde na França.

Verificar documentação necessária para morar legalmente na França

3. Depois de chegar na França: o que é preciso providenciar?

Agora que você entendeu a documentação necessária e como morar legalmente na França, saiba que há mais algumas providências a se tomar após sua chegada ao país.

Carte de Séjour

A carte de séjour (cartão de residência) é como uma carteira de identidade do estrangeiro no país.

Ao se apresentar no consulado francês para receber o visto, você receberá também o formulário OFII (Office Français de l’Immigration et de l’Intégration), que deve ser guardado com o máximo de cuidado, pois precisará dele para obter sua carte de séjour.

Após sua chegada à França, você precisa enviar este formulário preenchido para a sede regional do OFII, via correio (algo bem comum na França). A recomendação é só preencher ao chegar ao país, pois você precisará de informações exatas como local de estadia e data de chegada.

Depois, é preciso esperar o contato do OFII (que pode demorar até três meses), é uma carta com a data agendada da visita e dos procedimentos e documentação necessária para a obtenção da carte de séjour.

Carte Vitale

A Carte Vitale é o cartão nacional de seguro de saúde francês. Os estrangeiros que se qualificam para se registrar no serviço podem ter de 60 a 70% de seus custos médicos, incluindo consultas, exames e prescrições, cobertos pelo governo francês.

Você precisará mostrar que vive no país há pelo menos três meses ao fazer seu pedido de Carte Vitale na CPAM local (Caisse Primaire d’Assurance Maladie).

Como morar legalmente na França: custo de vida

O valor do custo de vida na França dependerá do seu próprio estilo e de onde planeja morar. Optar por Paris com certeza demandará um orçamento mais alto em comparação com outras cidades francesas mais tranquilas.

Para ter uma ideia de quanto você pode gastar em um mês, fizemos uma simulação para uma pessoa na França de acordo com o site Numbeo, um banco de dados colaborativo sobre várias cidades do mundo.

Aluguel (apartamento 1 quarto no Centro) 661,49€
Alimentação (refeição restaurante econômico) 13,50€
Transportes (passe mensal normal) 51€
Serviços (água, eletricidade, gás, lixo) 138,56€
Internet 27,04€
Total: 891,59€

Além disso, tenha paciência, pois às vezes é difícil conseguir alguém que alugue para estrangeiros. Você pode contratar uma imobiliária (para isso pagará uma taxa) ou então tratar direto com os proprietários.

O salário mínimo da França em 2020 é 1.539,40€ bruto. Dependendo do seu estilo de vida, é um salário possível para se viver em qualquer cidade da França. Para saber tudo sobre o custo de vida na França, leia este artigo.

Na posse destas informações, aconselhamos ainda o seguinte:

Venha com uma reserva financeira

Quando se chega sempre temos grandes gastos como pagar adiantado o aluguel (aqui se paga antes do início do mês), comprar móveis ou algo que falte na sua moradia, gastos com a regularização do visto, etc. Além disso, sempre é bom ter um dinheiro guardado para um imprevisto.

Como morar legalmente na França: venha com vontade de encontrar um emprego

Se você ainda não tem um emprego na França, dê uma olhada nos sites de emprego na França e também em quais são os profissionais em falta na França, pode ser a sua oportunidade.

É possível conseguir um emprego já estando no país, porém para isso é bom que esteja com algum visto que te permita trabalhar na França, pois muitas empresas não gostam de ter trabalho e gastos para trocar um visto. Além disso, trabalhar estando ilegal é perigoso.

Você já vive no país e quer saber como se legalizar na França? Leia esse artigo.

Espero que possamos ter te ajudado nesse desafio. Tem mais dúvidas? Conte para a gente e teremos o prazer em te ajudar. Nunca desista de seus sonhos!

Oi! Me chamo Andréia, sou brasileira, jornalista, especialista em Marketing e consultora de viagens (sim, ajudo as pessoas a fazerem o que existe de melhor!). Em 2019 morei na encantadora cidade do Porto, em Portugal, e conheço ainda outros 13 países da Europa, com destaque para Alemanha, Espanha, Itália, França, Holanda e Dinamarca. Meu interesse por lugares, culturas, cafés alternativos e cidades antigas beira ao vício, e por isso resolvi unir minhas duas paixões: viagens e escrita, para inspirar, ensinar e informar que o mundo é mais acessível e seguro do que a gente pensa, e muito mais maravilhoso do que a gente jamais poderia imaginar! Espero que tenha gostado da leitura.

Elaine é brasileira e mora em Paris. Completamente apaixonada por Paris desde pequena, sempre sonhou em  morar na cidade Luz. Adora viajar, fazer novos amigos, conhecer novas culturas e descobrir cada vez mais sobre França e a cultura francesa.

Artigos relacionados

Salário mínimo na França: o valor em 2020 e custo de vida

Você sabe qual é o salário mínimo na França? Descubra o valor, quando ele aumenta e ainda informações sobre o seguro desemprego no país.

Trabalhar na França: salários, visto e como encontrar vaga

Considerando trabalhar na França? Confira tudo que é preciso saber para conseguir um emprego, o valor dos salários, como procurar e se é preciso visto.

Sites de emprego na França: conheça os melhores

Você quer um emprego na França? Compartilhamos uma lista com os melhores sites de emprego na França e várias dicas para procurar trabalho por lá.

Custo de vida na França: quanto é preciso para viver no país

Veja qual é o custo de vida na França, um dos países mais procurados por estrangeiros para morar. Conheça o custo da alimentação, moradia, saúde e mais.

Morar na França: tudo sobre visto, emprego e custo de vida

Veja qual o visto necessário para morar na França, o mercado de trabalho, as melhores cidades para morar, quanto custa e vantagens e desvantagens.

Profissionais em falta na França: veja quais são e os salários

Sabia que existem profissionais em falta na França? Saiba quais áreas que têm maior carência de profissionais e quais os que setores que mais empregam.

Câmbio de moedas

EURO € : R$ 0.00

LIBRA £ : R$ 0.00

DÓLAR $ : R$ 0.00

Ouça nosso Podcast

Curta nossa página

Euro Dicas no Youtube