Espaço Schengen: o que é, como funciona e regras para entrar

Europa  / 

Muitas pessoas quando estão com viagem marcada para a Europa escutam alguém falando que é fácil a circulação por aqui, principalmente nos países que fazem parte do Espaço Schengen.

Sabia que é obrigatório ter Seguro de Viagem para entrar na Europa?

Seja para morar ou visitar, a imigração pode exigir esse documento no país destino. Se você não tiver, será obrigado a voltar ao Brasil.


Em parceria com a Seguros Promo garantimos aos nossos leitores o melhor preço de seguro de viagem. Faça uma cotação online sem compromissos e confira as várias opções de seguro para a sua viagem.

FAZER COTAÇÃO »

O Espaço Schengen é muitas vezes confundido com a União Europeia, porém, são acordos totalmente diferentes. Hoje vamos falar mais sobre o Espaço Schengen na Europa e trazer informações sobre o que é, como funciona, quais países fazem parte, entre outras curiosidades. Confira tudo!

Espaço Schengen: a área amiga do turista brasileiro

Uma informação que talvez você já saiba: brasileiro não precisa pedir visto para viajar à Europa como turista. E pode passear à vontade entre a maior parte dos países europeus, sem precisar mostrar um documento cada vez que entra e sai de um deles.

Agora uma informação que talvez você não saiba: isso só é possível graças ao Acordo de Schengen! Em vigor desde 1985, o Acordo de Schengen (ou Tratado de Schengen) prevê a criação do Espaço Schengen.

O que é o Espaço Schengen

O Acordo de Schengen resulta da convenção de diversos países da Europa onde estes, signatários do acordo, desenvolvem políticas de abertura das fronteiras para uma livre circulação de pessoas por até 3 meses (90 dias).

São, ao todo, 26 países. Todos integrantes da União Europeia (menos Reino Unido e Irlanda) e três que não são da União Europeia, mas aderiram ao Acordo de Schengen: Islândia, Noruega e Suíça.

Depois da assinatura deste acordo, criou-se uma área e esta é conhecida por Espaço Schengen, ou seja, um espaço onde países signatários são adeptos de políticas de livre circulação de pessoas e fronteiras abertas.

Veja também quantos países tem a Europa: dentro e fora da União Europeia.

Como funciona

O Espaço Schengen permite que cidadãos dos países signatários e turistas circulem livremente, sem a necessidade de apresentar documentos ou passaporte quando cruzam fronteiras. Obviamente que todos devem portar, em viagem, um documento de identificação. No caso dos turistas brasileiros, devem portar o passaporte, mas normalmente eles não são solicitados nas fronteiras entre países pertencentes ao Espaço.

Países que fazem parte do Espaço Schengen

Veja a lista dos países que fazem parte do Espaço Schengen:

  • Áustria;
  • Alemanha;
  • Bélgica;
  • Dinamarca;
  • Espanha;
  • Estônia;
  • Eslováquia;
  • Eslovênia;
  • Grécia;
  • Hungria;
  • Holanda;
  • Itália;
  • Islândia;
  • França;
  • Finlândia;
  • Letônia;
  • Liechtenstein;
  • Lituânia;
  • Luxemburgo;
  • Malta;
  • Noruega;
  • Polônia;
  • Portugal;
  • República Checa;
  • Suécia;
  • Suíça.

Quando tenho que passar pela imigração?

No primeiro país que você desembarcar na Europa.

O país europeu que “recebe” o turista ou visitante é que deve arcar com a responsabilidade de checar se a pessoa pode ou não pode entrar no continente. Se liberou, então os demais países confiam nesse julgamento e aceitam o trânsito em seu território, sem restrições por causa do Espaço Schengen.

Ou seja, se você for do Brasil para a Europa, quando entrar deverá passar pela imigração. Depois disso, se for circular somente nos países que fazem parte do Espaço, não precisará mais passar por toda a burocracia.

Para facilitar o entendimento, posso dizer que a circulação entre os países que fazem parte do Espaço Schengen é como se fosse um voo interno, de um estado para outro do Brasil.

Também já falamos sobre as 10 leis da Europa que você precisa conhecer antes de viajar.

Diminuir a burocracia não significa eliminar

Diminuir a burocracia para circular entre os países que fazem parte do Tratado de Schengen não quer dizer que você nunca precisará mostrar os seus documentos, eventualmente, em alguma fronteira.

Quer dizer apenas que o acesso está facilitado. Porém, pode acontecer de ser necessário apresentar algum documento em alguma fronteira (muitas vezes existe fiscalização), somente para comprovar a legalidade dos documentos.

Pensando em morar em Portugal?

Venha morar em Portugal sem complicações nem imprevistos com ajuda do nosso guia Como Morar em Portugal.


Num só lugar, você aprenderá o passo a passo para conseguir trabalho em Portugal e tudo sobre custos de vida, as melhores cidades para viver, cidadania, vistos, documentos necessários, educação e muito mais.


Receba grátis o índice e primeiras páginas!

RECEBER AMOSTRA »

Territórios na Europa que não fazem parte do Espaço Schengen

Mesmo com muitos países europeus aderindo ao Espaço Schengen, em alguns territórios o acordo não vale, veja abaixo:

  • Irlanda;
  • Reino Unido: Inglaterra, Escócia, Irlanda do Norte e País de Gales;
  • Helgoland, um arquipélago da Alemanha;
  • Groenlândia e Ilhas Faroé, Dinamarca;
  • Guernsey, Ilha de Man, Jersey e todos os territórios ultramarinos localizados fora da Europa, do Reino Unido;
  • Livigno, Itália;
  • Monte Athos, da Grécia;
  • Svalbard, da Noruega;
  • Todos os territórios ultramarinos da França.

Brexit: saiba tudo sobre a saída do Reino Unido da União Europeia.

Como se pronuncia Espaço Schengen?

É uma palavra feinha e soa mal (a pronúncia é “chen-guem”)! Mas é importantíssima para quem está pensando em viajar para a Europa. Por isso, pronuncie corretamente.

Espaço Schengen imigração

O que é necessário para visitar os países do Espaço Schengen

Se você estiver planejando visitar um país (ou mais) que faça parte do Tratado de Schengen você deve levar em consideração os requisitos necessários para entrar no país.

Para que você não tenha problemas, veja na embaixada/consulado quais os requisitos do país que você irá desembarcar.

Entre os requisitos comuns a todos os países ,ressaltamos:

  1. Passaporte válido por no mínimo 6 meses (antes da data de renovação);
  2. Passagem de volta ao Brasil com data antes dos 90 dias (não pode estar em aberto);
  3. Comprovante de reserva de hotel ou carta-convite de amigos ou parentes;
  4. Recursos financeiros para duração da viagem (mínimo de 60€ por dia), dinheiro em espécie ou comprovantes de limites de cartão de crédito emitido pelo banco;
  5. Comprovante de emprego no Brasil (opcional, pode ser pedido);
  6. Seguro viagem Europa (com valor mínimo de 30 mil € de cobertura).

Todos os documentos devem ser impressos e recentes. Se viajar para outros países que não falem português, tenha tudo traduzido em inglês também. Lembre-se de manter uma postura séria na imigração e responder tudo que lhe for questionado.

Seguro viagem para o Espaço Schengen

O seguro viagem é obrigatório para entrar no Espaço Schengen. Por existir a obrigatoriedade do seguro, não podemos esquecer de fazer, pois, isso irá implicar na nossa entrada (ou não) na Europa.

A cobertura mínima exigida para o seguro viagem é de 30 mil euros. O comprovante da contratação do seguro (apólice) poderá ser pedido pelo agente de imigração na hora de entrar no país. O valor a pagar pelo seguro irá depender de você, das suas necessidades e características. Atualmente no mercado podemos encontrar seguros que custam a partir de R$12 por dia.

A melhor maneira de conseguir um preço justo é fazendo uma cotação online. Sugerimos que você utilize o comparador de seguro viagem do Euro Dicas. Em parceria com o Portal Seguros Promo, garantimos o melhor preço aos nossos leitores.

Fronteiras do Espaço Schengen

Por ter uma política de abertura de fronteiras, você poderá cruzar as fronteiras entre os países utilizando transportes públicos (ônibus, trem, avião) ou então de carro. Caso você esteja viajando de carro, mesmo como um cidadão de fora da Europa, dentro de países que fazem parte do Espaço Schengen, de Portugal para a França, por exemplo, você não passa por controle de fronteiras.

Mas não se esqueça de quando for alugar um carro na Europa, fazer um seguro que inclua todos os países que pretende visitar.

Se você for apenas passar por um país para chegar em outro, você também precisará de seguro para o país onde está apenas de passagem. Se você não tiver o seguro e por acaso for parado na fronteira, poderá ser impedido de entrar.

Saiba também o que é imunidade diplomática e quem tem direito a ela.

Atenção ao prazo da viagem

Nós sabemos que os brasileiros não precisam de visto para entrar na Europa, mas não se esqueça que a sua estadia (contando todos os países do Espaço Schengen) não poderá passar de 90 dias. Se você estiver planejando viajar pela Europa mais de 90 dias, será necessário aplicar a um visto.

Você pode passar 90 dias a cada 180 dias

Um brasileiro pode passar até seis meses por ano na Europa apenas com o visto de turista. Desde que, é claro, divida esse período em no máximo três meses a cada 180 dias.

Por exemplo: você entra na Europa em 1 de janeiro e fica 3 meses como turista, até início de abril. Sai da Europa por 3 meses e depois, em julho, já está apto a voltar e ficar mais 90 dias.

Diferenças entre os países europeus na imigração

No Reino Unido e a Irlanda, países que fazem parte da União Europeia mas não participam do Espaço Schengen, você precisa passar pelo controle de fronteira. Tanto no país de origem quanto no de destino.

Se você é brasileiro e sair de Portugal para o Reino Unido ou Irlanda para viajar a turismo, por exemplo, no aeroporto precisará apresentar o passaporte e o título de residência para o oficial da imigração. Ele vai conferir as informações e validades dos documentos e vai carimbar o seu passaporte com a data de saída do país.

Ao chegar no Reino Unido ou na Irlanda, você vai passar pelo oficial de imigração do país de destino e ele vai, novamente, conferir o seu passaporte e o seu título de residência.

Outros comprovantes podem ser necessários para países fora do Espaço Schengen

Depois de fazer algumas perguntas ele pode carimbar o seu passaporte com um visto de turista com validade máxima de 6 meses, ou até negar a sua entrada caso julgar necessário. Em alguns casos é necessário mostrar a quantidade de dinheiro que você trouxe para a viagem ou cartões de crédito.

É bom também ter impresso seu comprovante de hospedagem, lugares que pretende visitar e a passagem de volta impressa. O ideal é que todas as reservas estejam em inglês para os oficiais de imigração.

O mesmo processo vai acontecer na viagem de volta. O oficial de imigração do Reino Unido ou Irlanda irá carimbar o seu passaporte com a data da saída e em Portugal você precisará mostrar o documento novamente ao oficial do SEF (Serviço de Estrangeiros e Fronteira).

Vale a pena conhecer os países do Espaço Schengen?

Se você der uma olhada na lista de países que fazem parte do Espaço Schengen vai ver que existem países “de norte a sul” da Europa.

Sim, mas e daí?

Daí que, com a facilidade para passar as fronteiras, é possível conhecer diferentes países. E quando digo diferentes não é somente por serem “um outro país” mas sim por terem uma arquitetura, cultura, língua e culinária totalmente diferente uns dos outros.

Você poderá ter experiências incríveis e completamente inesperadas em pouco tempo de passeio na Europa.

Não abuse do espaço Schengen

Vimos, portanto, o que é a Espaço Schengen e a importância dele para o turista brasileiro. Vou finalizar com um alerta: Schengen pode parecer um acordo liberal, e é, mas não abuse. O sistema do Espaço Schengen pode parecer relaxado, mas está longe de ser isso.

O controle de fronteira é bem rigoroso

O controle de entrada, saída e permanência de pessoas é bastante rigoroso, e quem tenta burlá-lo, ficando mais de 90 dias sem pedir visto ou entrando sem seguro viagem, acaba se dando mal. A pessoa será pega eventualmente e terá de responder por esse ato – de maneiras pouco agradáveis.

Isso inclui pagamento de multas pesadas, deportação da Europa, barragem e até mesmo processos criminais. Então respeite o Espaço Schengen e aproveite ao máximo todos os benefícios que esse incrível acordo concede.

Não deixe de ler também várias dicas que vão ajudar a encontrar passagens aéreas baratas.

Em destaque no Euro Dicas
  • Sabia que é obrigatório ter Seguro de Viagem para entrar na Europa?

    Seja para morar ou visitar, a imigração pode exigir esse documento no país destino. Se você não tiver, será obrigado a voltar ao Brasil. Em parceria com a Seguros Promo garantimos aos nossos leitores o melhor preço de seguro de viagem.

    COTAR SEGURO »
  • Precisa enviar dinheiro para outro país?

    A nossa plataforma preferida é o Remessa Online. No Remessa Online você vai economizar até 8x nas suas transferências e, se precisar de algum suporte, o apoio ao cliente é em português. Crie a sua conta grátis e envie dinheiro com segurança.

    VER COTAÇÃO »
  • Pensando em morar em Portugal?

    Escrevemos um guia com todos os passos necessários para organizar a sua saída do Brasil com rapidez, segurança e sem complicações. Receba grátis o índice e primeiras páginas.

    RECEBER AMOSTRA »
COMPARTILHE
Autores

Amanda é brasileira, jornalista, mestre em Ciências da Comunicação pela Universidade do Minho (Braga, Portugal). Mora desde 2014 em Portugal. Escreve para seu site Vagas pelo Mundo sobre oportunidades de emprego, a experiência de morar fora, bolsas de estudo e vistos para morar no exterior.

Julia é brasileira, formada em Turismo e mora em Portugal há 6 anos. Tirou o mestrado em Empreendedorismo na Universidade da Beira Interior e atualmente está terminando o doutorado em Gestão. Apaixonada por viagens, baladas e por fazer novas amizades, gosta de usar o tempo livre para conhecer novos países e culturas.

Dario é italiano (melhor, siciliano!), adotado há 2 anos pelo quente e colorido Brasil! É fundador do Pesquisa Italiana, e com um time de 14 colaboradores ajuda os descendentes de italianos a descobrir as próprias origens! Ama praia, churrasco e obviamente, pizza!