Você já pensou que sua casa é onde você está? Ao chegar a um novo país, as ruas podem ser intimidadoras. Lidar com pessoas, idiomas e regras diferentes pode ser desafiador, e é comum que a casa do imigrante seja o refúgio onde buscam conforto e paz. Transformar uma casa em lar pode demandar tempo, especialmente no exterior, onde tudo é novidade.

Algo que muitos estrangeiros desconhecem é que a nossa casa pode ser um reflexo da nossa mente. Em outras palavras, se ela está desorganizada ou incompleta, pode ser um momento oportuno para refletir se sua mente está na mesma condição.

Por que é importante construir um lar?

Na minha última coluna, clima e fuso horário, falei sobre como lidar e se adaptar com as diferenças e abordei como o ambiente externo pode afetar na saúde mental dos imigrantes. Mas é importante ressaltar que os ambientes internos também têm esse efeito.

É essencial para o imigrante explorar novos lugares e culturas para se integrar a um novo país. No entanto, para vivenciar completamente a experiência da imigração, é fundamental que o seu lar acompanhe esse processo, proporcionando uma harmonia entre o sentimento de pertencimento tanto nas ruas de um novo país quanto nos momentos individuais da sua rotina em casa.

Para aqueles imigrantes que não se sentem adaptados à nova cultura, seu lar pode refletir esse sentimento de não pertencimento. É comum que, sem perceber, o estrangeiro evite se estabelecer em sua casa, pois isso significa a concretização da mudança e ele pode se sabotar, sentindo-se culpado por abandonar suas raízes.

Nesses casos, é válido reconhecer a importância de se sentir pertencente e acolhido em sua própria residência. Gradualmente, isso pode estimular o sentimento de pertencimento em outras áreas da vida, como no trabalho, círculos de amizade ou atividades fora de casa.

Crie um ambiente acolhedor, invista em itens que transmitam conforto e tranquilidade, mesmo as pequenas decorações, como almofadas, plantas ou porta-retratos, podem fazer uma grande diferença.

As necessidades de cada perfil

Existem diversos perfis de imigrantes, e a maneira com escolhem conduzir sua jornada pode afetar sua adaptação. Cada um enfrenta dificuldades e facilidades específicas, por isso reconhecer suas necessidades individuais é essencial.

Precisa enviar dinheiro para outro país?

Envie dinheiro com toda a segurança, rapidez e melhor taxa de câmbio. Atualizamos a melhor entidade diariamente, faça já a sua simulação!

Cotar Agora →
Precisa enviar dinheiro para outro país?

Depois de testarmos as principais alternativas do mercado (Paypal, Western Union, Moneygram, etc), a plataforma que nós recomendamos é a Wise. É seguro, rápido e fácil de utilizar.

Ver Cotação →

Vou falar sobre os principais perfis de estrangeiros e trazer algumas sugestões que podem ajudar a transformar suas casas em verdadeiros lares.

Estudantes ou intercambistas

Esses são casos bastante comuns em que os estudantes precisam compartilhar acomodações com pessoas desconhecidas, às vezes de diferentes nacionalidades. A falta de intimidade e os espaços partilhados, geram frequentemente a sensação de viver em um ambiente estranho, quando, na verdade, a casa é de todos.

Esse sentimento pode levar o estudante ao isolamento social ou a se sentir excluído dentro do seu próprio lar. A limitação de espaço pode tornar esse processo mais desafiador. Por isso, é crucial investir nos espaços, mesmo que sejam pequenos.

Sugestões para melhorar a sua casa enquanto estudante

Por exemplo, se você tem apenas uma cama, é importante garantir que ela seja confortável. Se houver uma parede vazia, pendure fotos suas ou de pessoas especiais para você. Tente trazer objetos pessoais e simbólicos que o ajudem a se reconectar com a sua própria identidade.

Outro aspecto importante é estar aberto a conhecer e conviver em harmonia com os seus companheiros de casa. Estabelecer regras claras e investir em uma comunicação efetiva pode ser essencial para evitar mal entendidos, já que a responsabilidade pela casa deve ser de todos.

Além disso, os colegas de casa podem proporcionar uma oportunidade para socializar, e obter apoio de pessoas que estão passando por situações semelhantes.

Imigrantes solo

Nesses casos, é comum que o objetivo do imigrante seja viver de forma independente, sem compartilhar sua casa com outras pessoas, podendo ou não ter tido essa experiência no Brasil. No entanto, as dinâmicas podem ser diferentes no exterior.

O sentimento de solidão pode ser mais intenso, e a falta de conexão com a cultura pode se estender para a sua própria residência, já que não há ninguém para compartilhar suas emoções e fortalecer os vínculos com seu país de origem.

Plantas ajudam a criar um ambiente acolhedor para o novo lar.
Se gosta de plantas, tê-las em casa pode criar um ambiente acolhedor e o cuidado com elas, pode ser uma boa terapia.

Ter companhia durante o processo de imigração pode alterar a perspectiva que se tem da sua casa. Isso ocorre porque as pessoas contribuem para transformar sua residência em um lar. Você pode compartilhar suas preocupações no seu próprio idioma, receber apoio nos momentos difíceis e celebrar as alegrias com alguém.

Sugestões para melhorar a sua casa morando sozinho

Quando se emigra sozinho, é fundamental que a sua casa proporcione acolhimento, mesmo que você seja o único ocupante. Nesses casos, você tem mais liberdade para decorar o espaço, trazendo objetos que lhe tragam conforto e reflitam sua personalidade.

Também é importante valorizar sua própria companhia e se sentir confortável em estar sozinho, especialmente em um ambiente que tenha esse propósito.

Naturalmente, é importante buscar momentos de socialização também. Outra sugestão é convidar pessoas para visitar sua casa, sejam visitantes do Brasil ou amigos que vivem no exterior. Isso pode criar uma sensação de movimento em sua residência, mostrando que além de acolher a si mesmo, você também pode acolher os outros.

Casal de imigrantes

Nesses casos, o casal que decide emigrar junto conta com a companhia um do outro, porém é essencial aprenderem sobre o seu papel na relação. Os dois podem enfrentar muitas situações estressantes juntos, e por isso, é crucial saber como ser o suporte um do outro para evitar transformar o lar em um ambiente mais estressante ainda.

Construir ou decorar uma casa juntos pode proporcionar a sensação de companhia, porém, é possível se sentir solitário mesmo na presença de seu parceiro. Além disso, é importante ter cuidado para não sobrecarregar um ao outro, pois na maioria das vezes eles são suas únicas companhias.

Sugestões para melhorar a casa do casal imigrante

Casais que estão pensando em viver a experiência da imigração devem cuidar para evitar que tragam os problemas que já existem no Brasil para o exterior. Ao chegar no novo país, também é essencial evitar misturar o que é da relação entre os dois e o que é pessoal de cada um. Quando a convivência se torna intensa demais, sua casa pode se tornar apenas um local para despejar problemas, em vez de um verdadeiro lar.

Para um casal, a sua casa representa o espaço onde escolheram compartilhar e construir suas vidas em conjunto; por isso, é tão importante cuidar dela. Quando o casal está em harmonia, isso se reflete no ambiente doméstico, tornando-o um lugar agradável para continuarem juntos na jornada migratória e do casamento.

Famílias com filhos

Pais de crianças pequenas ou adolescentes, passam por grandes adversidades na imigração. Lidar com a própria adaptação já é um grande desafio, e somar isso à preocupação com a adaptação dos filhos torna tudo ainda mais complexo.

No início da mudança é comum que os filhos tenham dificuldade em compreender o sentido dessa transição e os altos e baixos do processo. Isso pode resultar em grande frustração e afetar a dinâmica familiar, influenciando na percepção da criança sobre onde é o seu verdadeiro lar, no Brasil ou na casa nova.

Sugestões para melhorar a casa da família

É crucial que a família seja paciente durante esse processo, e sempre que possível, envolva os filhos em atividades que promovam a conexão entre eles. Por exemplo, permitir que a criança tenha autonomia para decorar seu novo quarto, escolhendo alguns móveis ou decorações, isso ajudará a criar uma maior afinidade com esse novo ambiente.

Sua casa é onde você está e pode fazer adaptações para torná-la um lar agradável.
Se há crianças no processo de mudança, é importante envolvê-las nas atividades para a construção do novo lar.

Além disso, pode ser útil trazer para a residência objetos ou brinquedos que tenham significado para a criança, para que ela associe a nova casa. Reproduzir atividades familiares que costumavam fazer em sua casa antiga, como noite de jogos ou sessões de filmes em família, pode proporcionar mais segurança para a criança, e consequentemente para toda a família.

Tenha paciência com o tempo da mudança

Há diversas maneiras de viver a imigração, e diversas formas de como transformar a sua casa em um lar. É importante reconhecer que cada indivíduo possui as suas próprias necessidades.

Essas dicas podem te oferecer um direcionamento e estimular a refletir sobre esse processo, mas é essencial incluir o autoconhecimento para determinar se essas sugestões são suficientes para que você se sinta em casa na nova cultura.

Esse é um processo lento e desafiador, que pode exigir paciência, mas alcançar o senso de pertencimento em sua casa deve ser um dos maiores objetivos do processo de adaptação do imigrante. Se você estiver enfrentando dificuldades significativas, não hesite em buscar ajuda, seja de uma terapia psicológica ou da comunidade de brasileiros que vivem no seu país.

Compartilhar experiências em um ambiente seguro com pessoas que enfrentam situações semelhantes pode ajudá-lo a se sentir mais integrado, tornando sua adaptação mais leve e reduzindo a sensação de solidão.

Leia também a coluna Não sou mais o mesmo depois que mudei de país e entenda os motivos que fazem os imigrantes mudarem os seus comportamentos e valores.