Com o alto volume de imigrantes em Portugal, inclusive brasileiros, os investimentos empresariais têm aumentado consideravelmente no país. Mas criar um novo empreendimento nem sempre é fácil. Por isso, muitas pessoas pensam em recorrer a um financiamento para abrir empresa em Portugal.

Neste artigo explicamos quais os tipos de apoios públicos e privados que podem ser solicitados por quem já possui autorização de residência em Portugal. Veja as formas de obter crédito para criar uma empresa, os documentos necessários, entre outras informações importantes. Acompanhe!

Como conseguir financiamento para abrir uma empresa em Portugal?

De início, você precisa de uma ideia de negócio que seja viável e inovadora, para assim conseguir buscar uma fonte de investimento, seja em apoios públicos ou privados.

O ponto-chave para conseguir esse financiamento é apresentar um plano de negócios completo, coerente e bem elaborado. Através desse plano, você entenderá se a sua ideia de negócio é rentável em Portugal.

Basicamente em todos os apoios e créditos é solicitado um plano que explique detalhadamente a sua ideia: como ela será comercializada, os custos envolvidos, o impacto na economia de Portugal, entre outros aspectos.

Com o plano de negócio feito, é o momento de buscar uma instituição que financie a sua ideia. Em Portugal existem créditos para diferentes áreas de negócios, tanto em entidades bancárias quanto nos apoios que os governos oferecem. Explicamos mais sobre isso a seguir.

Como encontrar uma fonte de financiamento em Portugal?

Os bancos e os apoios públicos do governo são as principais formas para encontrar um financiamento no país. Veja quais são as principais fontes e por onde começar a pesquisar para se candidatar.

Precisa enviar dinheiro para outro país?

Envie dinheiro com toda a segurança, rapidez e melhor taxa de câmbio. Atualizamos a melhor entidade diariamente, faça já a sua simulação!

Cotar Agora →

Reforçamos que este conteúdo é dedicado aos brasileiros que já moram em Portugal legalmente, pois muitas das opções que vamos listas abaixo não estão disponíveis para estrangeiros sem autorização de residência no país.

Crédito bancário

Alguns bancos portugueses oferecem financiamentos próprios para pessoas que pretendem empreender em Portugal, seja para expandir um negócio, ou iniciar uma nova empresa no país.

Outros aderem aos apoios liberados pelo governo, fornecendo créditos para os candidatos que estejam dentro das regras da instituição reguladora.

Para você ter uma ideia dos financiamentos bancários, trouxemos dois créditos diferentes, disponibilizados por dois bancos portugueses.

Millenium BCP

O Millenium BCP é um dos principais bancos do país e fornece tipos diferentes de crédito e financiamento para empresas, sendo alguns exclusivos para os correntistas.

O Microcrédito do Millenium BCP é destinado a empreendedores que tenham uma ideia viável para um novo negócio. O banco disponibiliza um financiamento máximo de 25.000€, que pode ser pago em até 48 meses, caso o valor disponibilizado seja de até 7.000€, ou em até 60 meses, se for acima de 7.000€.

Para saber mais sobre o crédito, é necessário ir até uma das unidades do banco e verificar a documentação necessária. Há também outros tipos de financiamentos, todos disponíveis na área de negócios do site do Millenium.

Caixa Geral de Depósitos

A Caixa Geral de Depósitos, conhecida também como CGP, disponibiliza o crédito no projeto Caixa Jovem Empreendedor.

O crédito é concedido para pessoas com até 40 anos de idade, que queiram abrir um negócio ou expandir uma empresa já existente. O valor financiado é de até 50.000€, destinados para compras de equipamentos ou outros elementos que sejam cruciais para a expansão/abertura da empresa.

Quem consegue esse financiamento com a CGD tem um prazo de até 72 meses (6 anos) para implementar o projeto e abrir o novo negócio.

Todas as informações de candidatura podem ser verificadas diretamente em uma das agências do banco ou através do telefone 808 212 213.

Outros bancos portugueses

Em outras entidades bancárias, como o BPI, Novo Banco e o Bankinter, é possível encontrar outros tipos de financiamento para abrir empresa em Portugal, geralmente para empresas que já existem (do tipo Start Up), com viés tecnológico e inovador, ou das áreas de turismo e agronegócio.

Como dissemos anteriormente, muitos desses bancos são aderentes aos apoios criados pelo próprio governo para abertura de empresas. Por isso é possível conseguir outros tipos de créditos no próprio banco, além dos que são oferecidos por eles.

Apoios IEFP

O Instituto de Emprego e Formação Profissional, conhecido como IEFP, disponibiliza os chamados Apoios ao Empreendedorismo, com financiamentos para abrir o seu próprio negócio em Portugal.

O Apoio à Criação de Empresas, por exemplo, é um projeto voltado para pequenas empresas que possuam fins lucrativos. Neste caso, o IEFP oferece um financiamento que possui bonificações nas taxas de juros cobradas pelos bancos.

O empreendedor que concorre a esse apoio pode ter direito a uma das seguintes linhas de crédito:

  • Invest+: investimento maior que 20 mil e até 200 mil euros, com o financiamento máximo de 100 mil euros. No primeiro ano, as taxas de juros são integralmente bonificadas pelo instituto. Nos 2º e 3º ano são beneficiadas parcialmente. A taxa aplicada é a Euribor de 30 dias, mais 0,25‰. A taxa mínima é 1,25% e a máxima 3,25%;
  • Microinvest: investimento de até 20 mil euros, com financiamento de até 20 mil euros. As taxas aplicadas e as bonificações dos juros são as mesmas que a linha de crédito Invest+.

Só é importante estar atento às condições específicas que o IEFP aplica para os perfis dos candidatos. Para o Apoio à Criação de Empresa, as condições são:

  • Ter pelo menos 18 anos e sem incidentes bancários em Portugal;
  • O projeto (plano de negócio) precisa apresentar viabilidade econômica e financeira;
  • Na fase de investimento e criação de postos de trabalho, não pode: criar mais de 10 postos de trabalho e ter um investimento total superior a 200.000€;
  • A concretização do investimento e a criação de postos de trabalho devem estar concluídas em até um ano, a partir da data em que foi disponibilizado o financiamento.

A apresentação do projeto deve ser realizada diretamente em algum dos bancos aderentes ao Apoio do IEFP. São eles:

Capital de Risco – IAPMEI

O Capital de Risco é um investimento feito por uma entidade ou um único investidor que coloca um grande capital na empresa. O valor desse capital pode vir de um fundo próprio, de seguradoras, bancos, fundos de pensões ou poupança.

É comum ver o Capital de Risco ser investido em Start Ups, a fim de alavancar a implementação comercialização dos seus projetos. Nas empresas mais tradicionais, o capital investido pode ajudar na melhoria dos resultados e na reestruturação da gestão estratégica.

Em Portugal, o Capital de Risco é disponibilizado pelo IAPMEI, o Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas e à Inovação.

Pessoa solicitando financiamento para abrir empresa
Além de financiamentos para emprensas, o IEFP também disponibiliza outros tipos de apoios financeiros.

O instituto indica que o financiamento é realizado através dos recursos próprios do investidor do capital, por um período temporário, geralmente de 3 a 7 anos. O próprio IAPMEI é o principal financiador público do fundo do capital de risco e conta com a parceria de entidades privadas.

Os principais beneficiários desse financiamento são:

  • Pessoas que estão criando empresas inovadoras e de base tecnológica, como as Start Ups em Portugal;
  • Transmissão e redimensionamento de empresas;
  • Empresas que vão passar por processo de expansão, modernização, internacionalização e/ou diversificação.

Para conseguir esse financiamento é necessário apresentar um plano de negócio na Sociedades de Capital de Risco, a SCR.

Após a apresentação, é realizada uma análise, sendo feita uma seleção baseada na credibilidade do candidato e no potencial de valorização de empresa. O financiamento liberado pode ser entre 2,5 e 10 milhões de euros.

IAPMEI

O IAPMEI é uma das maiores instituições em Portugal com incentivos à criação de novas empresas. Em maio de 2023, consultamos a lista atualizada dos programas de financiamento e investimentos disponibilizadas no Portal de Financiamentos do Instituto. Abaixo, as principais oportunidades.

Fundo de Coinvestimento 200M

Voltado para empresas inovadoras e tecnológicas, o Fundo 200M tem por objetivo reforçar os capitais próprios de empresas que estejam em seu estágio inicial.

Nesse caso, a própria empresa precisa encontrar o seu investidor que, em seguida, fará o pedido de investimento através do Fundo 200M para angariar o crédito. O valor pode variar de 500 mil a 5 milhões de euros por participação na empresa.

Fundo para Inovação Social

O Fundo para Inovação Social, conhecido como FIS-Capital, é um tipo de incentivo financeiro voltado a ajudar empresas que solucionem problemas e necessidades sociais.

Neste projeto, a empresa não necessariamente precisa estar em seu estágio inicial, mas, como no incentivo anterior, precisa encontrar um investidor que, em seguida, fará o pedido de aprovação para angariar o incentivo financeiro do IAPMEI.

O valor do financiamento pode variar entre 25 mil e 2,5 milhões de euros.

Linha Apoio Desenvolvimento Negócio

Conhecida também como ADN Start Up, é a linha de apoio que fornece um financiamento para microempresas que estejam no seu estágio inicial, com até 4 anos de atividade.

Caso o negócio não tenha sido criado ainda, a garantia do financiamento só será concretizada após a constituição formal da empresa. O valor máximo de financiamento é de 50 mil euros, realizado pelos bancos aderentes à linha de apoio, como o Bakinter, Santander e o Banco BPI. A lista completa está no site do IAPMEI.

Outros financiamentos

Além desses incentivos de financiamento, há outros específicos para a área de turismo, como o Linha de Apoio à Qualificação da Oferta 2021 – Empreendedorismo, que assegura melhores linhas de créditos para Pequenas e Médias Empresas (PME) e Empresários em Nome Individual (ENI) que atuam no ramo.

Também há o programa Portugal 2030, em que o governo fornece apoio financeiro para empresas que foquem em ideias de negócios voltados para inovação tecnológica, sustentabilidade, mobilidade urbana, competitividade e educação.

Investidor Anjo

Os Investidores Anjos, conhecidos também como Business Angels, são empresários que investem um alto capital em novas empresas, principalmente Start Ups de tecnologia. O investimento pode ser feito com os próprios recursos financeiros do investidor ou de sua(s) empresa(s).

A grande diferença é que o investidor anjo não apenas investe um valor econômico na empresa, mas também pode ser acionista (em alguns casos) e participar ativamente do negócio, agregando seu conhecimento e experiência empresarial.

Dois homens dando aperto de mão
Para conseguir o apoio de um investidor anjo, é muito importante ter um plano de negócio bem detalhado e credível.

O objetivo é financiar e viabilizar a implementação de um produto ou serviço para que ele seja comercializado, ajudar na contratação de funcionários, entre outras necessidades que a empresa tenha para iniciar o projeto.

Em Portugal existem algumas associações de investidores anjos, como a Invicta Angels, a Associação de Business Angels do Porto. No site da associação é possível enviar um e-mail de contato para apresentar o seu projeto.

Fundos de Business Angels IAPMEI

O IAPMEI também disponibiliza uma lista com os diferentes investidores anjos em Portugal, que atuam em diversas regiões do país.

O apoio é voltado para empresas que estão em sua fase inicial do negócio e que estejam situadas em território nacional.  O Cofinanciamento de Portugal, neste caso, é de no máximo de 375 mil euros por empresa.

Crowdfunding

O Crowdfunding é umfinanciamento coletivo para empreendedores independentes, que querem iniciar o seu negócio através do auxílio de apoiadores. Esse tipo de crédito é geralmente realizado online, através de alguma plataforma específica de Crowdfunding que funciona como intermediária entre empreendedor e apoiadores.

Para participar, é necessário encontrar uma plataforma confiável e apresentar o seu projeto no site. Com o projeto online, é possível receber apoio financeiros de diferentes pessoas que queiram investir no seu plano de negócio.

Em Portugal, a plataforma mais conhecida é a PPL, que funciona de maneira bem simples e intuitiva: você faz o cadastro de um projeto de Crowdfunding, a equipe da PPL dá um feedback com possíveis melhorias que podem ser feitas, e em seguida, seu projeto fica disponível no site.

É determinada uma meta de valor total a ser alcançada e o número de dias em que você precisa atingir a sua angariação. Caso não você não atinja esse valor no tempo determinado, a própria PPL devolve o dinheiro aos apoiantes. Se conseguir atingir a meta, recebe todo o valor arrecadado.

Entenda como o Market Fit pode ajudar no processo de internacionalização do seu negócio.

Documentos para solicitar o financiamento para abrir uma empresa em Portugal

É importante ter em mente que os documentos podem variar conforme o tipo de apoio solicitado ou entidade, alguns apoios do Governo podem requerer documentos mais específicos, seja do projeto ou do empreendedor. Por isso, é importante estar atento às regras.

No geral, os documentos solicitados são:

Documentos empresariais

  • Plano de Negócios;
  • Estudo de viabilidade e impacto econômico-social do seu produto/serviço;
  • Licenças necessárias (se aplicável);
  • Relatório de Contas;
  • Certificação PME (certificado de Pequenas e Médias Empresas);

Documentos do empresário

  • Documento de identificação – pode ser solicitado passaporte, cartão de cidadão ou autorização de residência;
  • Declaração de IRS – Imposto sobre o Rendimento de Pessoas Singulares;
  • Comprovante de Residência;
  • NIF – Número de Identificação Fiscal;
  • Registros bancários.

Ter empresa no Brasil é diferente de ter empresa em Portugal? Veja nossa análise.

Brasileiros conseguem financiamento para abrir uma empresa em Portugal?

Sim, brasileiros podem conseguir financiamento para abrir empresa em Portugal.

A boa notícia é que os créditos que apresentamos ao longo do artigo estão disponíveis para estrangeiros que tenham interesse de investir na economia do país, incluindo brasileiros.

Na maior parte dos casos, são investimentos voltados a quem tem residência no país. Portanto, é preciso estar atento: nos financiamentos pode ser solicitado um documento de identificação de Portugal – como a autorização de residência, cartão de cidadão ou passaporte europeu, além do NIF.

Por isso, se você não mora em Portugal, é essencial avaliar quais financiamentos, sejam públicos ou privados, podem se encaixar melhor para o seu caso.

Vale a pena solicitar o financiamento e abrir uma empresa em Portugal?

Depende do seu objetivo. No geral, vale a pena sim.

Antes de solicitar o financiamento, indicamos que você elabore um plano de negócios estruturado, entenda como o seu projeto pode ser viável economicamente e se um financiamento é o ideal para o seu caso.

Para pessoas com ideias de cunho tecnológico e turístico, por exemplo, vale a pena aproveitar as oportunidades de financiamentos oferecidas, já que as linhas de apoio são focadas principalmente nesses tipos de empreendimentos.

Faça um estudo de mercado aprofundado, entenda como a sua ideia pode impactar social e economicamente Portugal e busque o financiamento ideal para o seu caso.

Se você tem o sonho de abrir uma empresa em Portugal, mas ainda não mora no país, nós podemos te ajudar nessa jornada. O Programa Morar em Portugal foi elaborado por uma equipe experiente, e contém mais de 20 videoaulas e um ebook completo que te ajudam no passo a passo para morar no país de forma legal, segura e bem preparado. Aproveite!