(Atualizado em Maio de 2021). Eu não vou mentir: se você está buscando informações sobre como alugar apartamento na França, saiba que um bom spoiler seria: prepare-se para a burocracia. E é exatamente por isso que estou aqui. Neste artigo, vou explicar como o processo é feito e, claro, dar dicas para evitar dores de cabeça na busca pelo seu primeiro contrato de locação.

Como alugar apartamento na França?

Abrir uma conta em banco, explorar os meios de transporte, se habituar ao custo de vida… Se mudar para outro país já é um processo difícil por si só. Mas, ao não conhecer o destino, enfrentamos um momento ainda mais complicado: o aluguel de um apartamento.

Afinal, como escolher uma casa sem conhecer bem a área, saber se o processo é mais fácil online ou em agência física ou se é melhor buscar um lugar no centro ou nos arredores?! A coisa piora quando a gente adiciona a burocracia à mistura.

Para alugar um espaço na França, você precisa submeter um dossiê – é assim que chamamos o conjunto de documentos enviados para dar entrada ao processo – à agência imobiliária, ao banco ou ao proprietário. E, quando você acaba de chegar na cidade, ainda que já tenha um pé de meia para manter o aluguel por alguns meses, pode ter dificuldade para conseguir o seu contrato de aluguel. E eu vou te explicar o porquê.

Por que é burocrático alugar apartamento na França?

Antes de continuarmos, é importante que você saiba que na França – e principalmente em Paris – o aluguel é concorrido. Então, pensa só:

Você é um imigrante e tem um pé de meia para arcar com alguns – ou mesmo vários – meses de aluguel. Mas, como é recém-chegado, ainda não tem contracheques dos últimos três meses comprovando renda suficiente para o apartamento. Muito provavelmente, não terá uma fonte francesa para servir como fiador.

Do outro lado, temos um francês, com um emprego, toda a documentação e a renda comprovada no país. Se você fosse o dono do imóvel, para quem alugaria?

Precisa enviar dinheiro para outro país?

Envie dinheiro com toda a segurança, rapidez e melhor taxa de câmbio. Atualizamos a melhor entidade diariamente, faça já a sua simulação!

Cotar Agora →
Precisa enviar dinheiro para outro país?

Depois de testarmos as principais alternativas do mercado (Paypal, Western Union, Moneygram, etc), a plataforma que nós recomendamos é a Wise. É seguro, rápido e fácil de utilizar.

Ver Cotação →

Esta é, muitas vezes, a lógica seguida na França. Para muitos locatários, é melhor ter a quem cobrar no país do que fora dele. Por isso, ouvimos tantos relatos de imigrantes falando sobre a burocracia e os problemas do setor imobiliário em solo francês.

Mas, calma. Organizando bem, o processo pode ser feito. Vamos ver como ele funciona.

Onde encontrar apartamento para alugar na França?

Assim como no Brasil, aqui temos os anúncios online, os grupos em redes sociais e as agências imobiliárias físicas.

Mas, se lembra dos problemas com o dossiê que mencionei ali em cima? Eles podem ser evitados quando se opta por anúncios feitos pelos proprietários. Isso ocorre porque, quando submetemos o dossiê pela agência, elas vão nos cobrar os mesmos documentos que pediriam a um francês. Já os proprietários tendem a diminuir esta lista, o que pode facilitar os trâmites para que você consiga um aluguel.

A dica é: se você tem um emprego e meios de comprovar renda no país, vá para uma agência imobiliária. Com todos os documentos certinhos, você pode conseguir ter o dossiê aprovado. Caso contrário, busque um contrato com o proprietário, porque é a forma mais possível de ter a sua demanda aprovada.

Quanto custa alugar imóvel na França

Melhores sites para buscar apartamentos

Confira abaixo os sites que te ajudarão nesta fase de busca:

Leboncoin

Se o Brasil tem o Mercado Livre, a França tem o Leboncoin. Na plataforma, além de móveis, objetos diversos e carros, por exemplo, você encontra ofertas de aluguel e compra de imóveis.
O maior benefício do portal é a possibilidade de encontrar um apartamento sendo alugado pelo proprietário. Porque, como falei agora a pouco, isso facilita o processo de locação.

No entanto, é bom ficar atento aos anúncios, ao número de fotos e aos anunciantes, para não cair em um golpe. Desconfie se encontrar preços bons demais para ser verdade.

PAP

Ainda pensando nos contratos feitos com os próprios proprietários, temos o PAP: Particulier à Particulier. A ideia do portal é exatamente essa: deixar as agências imobiliárias de fora da negociação. Portanto, mais uma vez, aqui você aumenta as suas chances de conseguir alugar seu espaço.

Superimmo

O Superimmo é um dos sites em alta no setor imobiliário. Ele reúne mais de 720 mil anúncios que contemplam imóveis em toda a França. Seja para alugar ou comprar, é uma boa ideia consultá-lo durante a sua busca.

Seloger

O Seloger segue a mesma linha do Superimmo e tem mais de 600 mil anúncios que se dividem entre venda e aluguel residenciais. Lá você encontra opções de espaços mobiliados ou não, com fotos e descrições feitas pelos próprios agentes imobiliários. Vale a pena conferir.

Orpi

Por fim, mas não menos importante, temos o Orpi, que, além de um site completo, onde você encontra anúncios de mais de 1.200 agências imobiliárias espalhadas pela França, também possui agências físicas espalhadas pelo país. Se você tem os documentos necessários para o tão sonhado contrato de locação, esta é uma boa opção para encontrar o seu lar.

Melhores imobiliárias para alugar

Apesar da internet ter dominado o mercado imobiliário, ainda é possível encontrar agências a cada esquina em Paris e nas demais regiões francesas. Alguns exemplos são:

Orpi

Acabei de falar sobre ele, lembra? A rede imobiliária é uma boa opção se você cumpre todos os requisitos necessários para alugar um apartamento na França.

Lodgis

Se o seu foco é Paris, uma opção é o Lodgis, que funciona desde 1999 e oferece aluguel e venda de espaços residenciais na cidade luz. Um benefício de procurar a agência é sua atuação junto ao público internacional. Isso facilita a busca, já que ela conhece o perfil e sabe os desafios enfrentados por ele.

Century 21

A Century 21 também é uma boa opção para aqueles que buscam alugar apartamento na França. A empresa é uma referência no setor e pode ser encontrada também online.

Laforêt

Por fim, temos a Laforêt. Assim como a Century 21, ela conta com agências físicas e site e pode ser uma boa opção caso você cumpra com todos os critérios para realizar a locação de uma espaço na França.

Aluguel direto com o proprietário ou via imobiliária?

Como falei no início, o aluguel direto com o proprietário ajuda aqueles que acabaram de chegar na França e ainda não possuem os comprovantes exigidos pelas agências imobiliárias. Além disso, é também uma forma de garantir um lugar para morar, visto que o mercado imobiliário é concorrido por aqui.

Antes de optar por um dos dois, vale a pena colocar a sua situação na ponta do lápis, pensar em como você vai comprovar a renda e em quais requisitos você cumpre. Aí então você terá a resposta sobre qual caminho seguir, se o da agência ou o do proprietário.

Documentos para alugar apartamento na França

Para alugar apartamento na França, você vai precisar de:

  • Um contrato de trabalho francês;
  • Os contracheque dos últimos três meses;
  • Seu Titre de Séjour – a carteira de identidade que eles dão que comprova residência na França;
  • Comprovante de rendimento superior a pelo menos 3x o valor do aluguel;
  • Número da conta bancária na França;
  • Fiador – que pode ser um residente francês ou um banco;
  • Última declaração do Imposto de Renda.

Caso seja um aluguel de temporada, a agência pode pedir também um comprovante da renda no Brasil.

Brasileiros precisam apresentar outros documentos?

Além dos documentos listados acima, as agências podem pedir comprovações suplementares da renda no Brasil, para se certificar de que você possui meios para arcar com o valor da locação.

Como morar na França

Como é o contrato de aluguel na França?

Os contratos aqui mudam um pouquinho de acordo com o perfil do locatário e do imóvel. Os estudantes, por exemplo, normalmente possuem um acordo que se renova automaticamente a cada 9 meses, caso nenhuma das partes decida encerrá-lo.

Já os trabalhadores comuns que optam por uma agência conseguem um contrato maior – geralmente de 3 anos – e a renovação varia de um para o outro. No entanto, além do período mais longo, eles também garantem o direito de receber um aviso prévio com antecedência mínima de 6 meses – caso o imóvel não seja mobiliado – ou de cerca de 3 meses – caso seja – se o proprietário optar por encerrá-lo.

Os contratos realizados sem o intermédio pela agência dependerão do acordo entre locador e locatário, podendo variar bastante. Nesse caso, fica o lembrete de conferir bem a documentação.

Quanto custa alugar apartamento na França?

O valor do aluguel pode variar bastante entre uma cidade e outra. Além disso, o número de quartos e de m² pesa bastante no preço final. Para ajudar você a ter uma noção dos valores por aqui, fizemos um levantamento de preços em algumas regiões da França. Confira:

Apartamento de 1 quarto Apartamento de 3 quartos Preço por m²
Paris 1.500 € 2.530 € 28,6 €
Lyon 800 € 1.800 € 16,4 €
Toulouse 820 € 1.200 € 13,4 €
Nice 850 € 1.600 € 17,0 €
Marseille 710 € 1.320 € 13,9 €

Esta estimativa leva em consideração o valor de contratos realizados diretamente com o proprietário. Tenha isso em mente quando se planejar, certo?

Alugar quarto é mais barato?

Sim. Além disso, é mais prático. Alugando quartos – ou, como chamamos por aqui, colocation – nós evitamos as burocracias de agências, conseguimos pagar bem mais barato e temos mais chances de conseguir um lugar com agilidade. E o melhor é que podemos encontrar boas opções até mesmo em comunidades do Facebook, já que existem sempre muitos estudantes em movimentação nesses grupos.

Se você optar por alugar um quarto, uma opção para efetuar a busca é o Studapart. No portal, você encontra studios e quartos em mais de 40 cidades e pode listar os imóveis mais próximos da sua universidade, por exemplo. É uma ferramenta para os estudantes.

Além disso, você também pode escolher viver em uma residência estudantil. Basta acessar o site do CNOUS (Centre National des Oeuvres Universitaires et Scolaires) e buscar por uma vaga perto da universidade. Lá, você consulta os valores e informa se quer um studio ou um quarto.

Os valores de uma colocação podem variar, mas é possível encontrá-las até mesmo por 400 euros. Não é fácil achar um bom lugar de cara, mas é possível.

Cidades mais caras para alugar apartamento na França

Como vimos, os preços para alugar apartamento na França não são os mais baratos. E, para que você tenha em mente os lugares a evitar, aqui está uma lista das cidades mais caras para se morar na França:

Cidade Preço do metro quadrado
10. Saint-Denis 3 973 € por m²
9. Aix-en-Provence 4 123 € por m²
8. Nantes 4 151 € por m²
7. Nice 4 485 € por m²
6. Bordeaux 5 023 € por m²
5. Annecy 5 243 € por m²
4. Lyon 5 652 € por m²
3. Montreuil 6 876 € por m²
2. Boulogne-Billancourt 9 063 € por m²
1. Paris 10 683 € por m

Cidades mais baratas para alugar

Cidade Preço do metro quadrado
1. Saint-Étienne 8 € por m²
2. Nîmes 10,5 € por m²
3. Angers 0,7 € por m²
4. Toulon 1,5 € por m²
5. Le Havre 1,5 € por m²
6. Dijon 1,7 € por m²
7. Reims 12,1 € por m²;
8. Rennes 12,4 € por m²
9. Grenoble 12,4 € por m²
10. Villeurbanne 12,7 € por m²

Custo de vida na França

Como são os apartamentos na França?

Pequenos. Pois é, aqui é normal vermos pessoas vivendo em studios – em velho e bom português, a famosa kitnet – de 11m2, dividindo o aluguel com amigos ou buscando colocações. Isso porque, além de nada espaçosos, os aluguéis na França costumam ser caros. Por isso, é bom se preparar para um estilo de vida diferente do que estamos acostumados no Brasil.

Em Belo Horizonte, Minas Gerais, eu vivia em um apartamento espaçoso com sala, quarto, cozinha e banheiro. Aqui em Paris, é outra história. Se você tiver um lugar com mais de 20m2 em uma boa área, já pode se considerar uma pessoa de sorte.

Cuidados ao alugar apartamento na França

E finalmente chegamos ao fim deste artigo. Mas, antes de me despedir, deixo aqui alguns conselhos para evitar problemas e dores de cabeça desnecessárias:

  • Nunca alugue um apartamento antes de visitá-lo. Acredite, com o mundo digital, algumas agências e proprietários oferecem este tipo de serviço e, infelizmente, muitas vezes é um golpe;
  • Leia com atenção o contrato. Se você ainda não entende muito bem o idioma, peça para um amigo. E, se alterarem o texto antes da entrega de chaves, confira-o de novo;
  • Pesquise as regiões antes de fechar qualquer acordo. Assim como em qualquer outro lugar do mundo, existem partes perigosas na França. Evite-as;
  • Não caia em anúncios que parecem bons demais para serem reais. Eles geralmente são;
  • Não confie em anúncios com uma ou duas fotos. Você precisa conhecer os ângulos do local antes de marcar uma visita;
  • Não entregue seus documentos a qualquer um. Certifique-se de que é uma agência ou pessoa confiável;
  • Tenha tudo documentado.

Tomando estes cuidados, sua busca será mais fácil.

Ah, e se você chegou até aqui e ainda não sabe se vale ou não a pena viver na Europa, dê uma olhada em nosso e-book. Nele, você descobre mais sobre a vida de imigrantes brasileiros em terras europeias, entende os benefícios da vida aqui e conhece as dicas para conseguir vir de maneira segura. É uma ótima maneira de saber se a vida aqui é ou não uma opção para você.