Se você chegou até essa publicação é porque a decisão de se mudar já foi tomada. E, convenhamos, que ótima decisão! Contudo, prepare-se para a burocracia. Encontrar um apartamento para alugar na França vai exigir tempo e paciência – atitude que você já pôs em prática se alguma vez procurou algo para alugar no Brasil. Neste artigo explicaremos como o processo é feito e, claro, daremos dicas para evitar dores de cabeça na busca pelo seu primeiro contrato de locação.

Como alugar apartamento na França?

Atividades como abrir conta em banco, explorar em detalhes os meios de transporte, se habituar ao custo de vida… Mudar para outro país é um processo difícil por natureza, mas a qualidade de vida que o aguarda na França, por outro lado, faz tudo valer a pena.

No entanto, observe que a situação mais complicada é, sem dúvidas, encontrar um cantinho para chamar de seu. Alugar apartamento na França é para os persistentes.

Afinal, não é tarefa simples escolher uma casa sem conhecer bem a área. O que é mais fácil: fazer os processos de modo virtual? Ir até uma agência imobiliária? Escolher um apartamento no centro ou nos arredores? Quanta coisa!

Dossiê: documentos para alugar apartamento na França

Para alugar uma moradia na França, você precisa submeter um dossiê – conjunto de documentos enviados para dar entrada no processo de locação – à agência imobiliária, ao banco ou ao proprietário, no caso de locações entre particulares.

E, quando você acaba de chegar na cidade, ainda que já tenha um pé de meia para manter o aluguel por alguns meses, pode ter dificuldade para conseguir firmar seu contrato de aluguel. E eu vou te explicar o porquê.

Por que é burocrático alugar apartamento na França?

Antes de continuarmos, é importante que você saiba que na França – e principalmente em Paris – o aluguel é concorrido. Há poucos imóveis e muita gente interessada, a velha máxima de que a demanda é maior que a oferta. Vamos desenhar um cenário:

Precisa enviar dinheiro para outro país?

Envie dinheiro com toda a segurança, rapidez e melhor taxa de câmbio. Atualizamos a melhor entidade diariamente, faça já a sua simulação!

Cotar Agora →
Precisa enviar dinheiro para outro país?

Depois de testarmos as principais alternativas do mercado (Paypal, Western Union, Moneygram, etc), a plataforma que nós recomendamos é a Wise. É seguro, rápido e fácil de utilizar.

Ver Cotação →

Você é um imigrante e tem um pé de meia para arcar com alguns – quiçá vários – meses de aluguel. Mas, na condição de recém-chegado, ainda não tem contracheques dos últimos três meses comprovando renda suficiente para locar seu apartamento. Muito provavelmente, não terá também uma contraparte francesa para servir como fiador.

Do outro lado, temos um nativo, com emprego, documentação e renda comprovada no país. Se você fosse o dono do imóvel, para quem alugaria? (Para o francês, não adianta titubear – eu faria a mesma coisa).

De modo geral, essa regra vale para onde quer que pensemos, seja Brasil ou França. Para muitos locatários, é melhor e mais fácil cobrar alguém do próprio país do que fora dele. Por isso, não é raro encontrarmos relatos de imigrantes falando sobre a burocracia e os problemas do setor imobiliário em território francês.

Mas, respira, vai dar certo. Organizando bem, o processo pode ser feito. Vamos ver como funciona.

Onde encontrar apartamento para alugar na França?

Tal qual no Brasil, a França também oferece seus imóveis em anúncios online, em redes sociais e por meio de agências imobiliárias físicas.

Mas, lembra-se daquele dossiê? Eles podem ser evitados quando se opta por anúncios feitos pelos proprietários (particulares). Isso ocorre porque, quando submetemos o dossiê pela agência, por comodidade serão exigidos de nós, brasileiros, os mesmos documentos que pediriam a um francês.

Já os proprietários tendem a diminuir esta lista, o que pode facilitar os trâmites para que você consiga um aluguel. Ao mesmo tempo, as exigências por depósitos antecipados de aluguel podem aumentar nas negociações entre particulares. Vá preparado para lidar com isso.

Rua em Paris com comércios e residências
Sites de imóveis são o melhor caminho para alugar apartamento na França.

Uma dica é: se você já tem um emprego e meios de comprovar renda no país, dirija-se a uma agência imobiliária. Com todos os documentos em ordem as chances de ter seu dossiê aprovado são altas. Caso contrário, busque fechar contratos diretamente com os proprietários.

Melhores sites para buscar apartamentos

Se você, como eu, adora se afundar no sofá para buscar imóveis, os sites a seguir são os que recomendo:

Leboncoin

O Brasil tem o Mercado Livre. A França, o Leboncoin. Na plataforma, além de móveis, objetos diversos e carros, por exemplo, você encontra ofertas de aluguel e compra de imóveis.

O maior benefício do portal é a possibilidade de encontrar um apartamento sendo alugado pelo proprietário. Se você se encaixa na categoria de imigrante que acabou de chegar, esse é o melhor caminho.

No entanto, é bom ficar atento aos anúncios, ao número de fotos e aos anunciantes, para não cair em golpe. Desconfie se encontrar preços abaixo da média e parta do seguinte pressuposto: se algo parece bom demais para ser verdade, é porque é mentira.

PAP

Ainda pensando nos contratos feitos com os próprios proprietários, temos o Particulier à Particulier (PAP). A ideia do portal é exatamente deixar as agências imobiliárias de fora da negociação. Portanto, mais uma vez, aqui você aumenta as suas chances de conseguir alugar seu espaço.

Superimmo

O Superimmo é um dos sites em alta no setor imobiliário. Ele reúne mais de 600 mil anúncios que contemplam imóveis em toda a França, de venda à locação. Seja para alugar ou comprar, é uma boa ideia consultá-lo durante a busca.

Seloger

O Seloger segue a mesma linha do Superimmo e, pela simplicidade, facilidade de uso e filtros disponíveis, é meu portal de imóveis favorito. Nele é possível encontrar opções de espaços mobiliados ou não, com fotos e descrições feitas pelos próprios agentes imobiliários. Há também anúncios direto com o proprietário.

Orpi

O Orpi também é excelente. A plataforma, que também dispõe de uma rede de agências físicas, reúne anúncios de imobiliárias espalhadas pela França. Se você dispõe dos documentos necessários para firmar o tão sonhado contrato de locação, esta é uma boa opção para encontrar o seu lar.

Melhores imobiliárias para alugar

Apesar de a internet ter dominado o mercado imobiliário, ainda é possível encontrar agências a cada esquina em Paris e nas demais regiões francesas. Alguns exemplos são:

Lodgis

Se o seu destino for Paris, uma opção a considerar é a Lodgis. A agência opera desde 1999 e oferece aluguel e venda de espaços residenciais na capital. A agência tem bom histórico de atendimento a expatriados (nosso caso). Isso facilita a busca, já que os profissionais conhecem o perfil dos estrangeiros e entendem os desafios desse público.

Century 21

A Century 21 também é uma boa opção para aqueles que buscam alugar apartamento na França. A empresa é uma referência no setor e pode ser encontrada também online.

Laforêt

A Laforêt também conta com agências físicas e site. A empresa pode ser uma boa opção caso você cumpra com todos os critérios para encontrar um apartamento para alugar na França.

Aluguel direto com o proprietário ou via imobiliária?

Como dito anteriormente, o aluguel direto com o proprietário facilita a vida daqueles que acabaram de chegar na França e ainda não possuem os comprovantes exigidos pelas agências imobiliárias.

Antes de optar por um dos dois, vale a pena estudar o custo de vida na França, traçar estratégias para comprovar sua renda e identificar quais requisitos você cumpre. Aí então você terá a resposta sobre qual caminho seguir, se o da agência ou o do proprietário.

Há, ainda, outras dicas para se morar na França que vão além da lista de documentos que veremos agora.

Documentos para alugar apartamento na França

Para alugar apartamento na França, você vai precisar de:

  • Contrato de trabalho com empresa francesa;
  • Contracheque dos últimos três meses;
  • Titre de Séjour – carteira de identidade comprovando sua residência legal na França;
  • Comprovante de rendimento superior a pelo menos 3x o valor do aluguel;
  • Número da conta bancária na França;
  • Fiador – que pode ser um residente francês ou mesmo um banco (eles cobram por isso, mas é uma saída segura);
  • Última declaração do Imposto de Renda.

Caso seja um aluguel de temporada, a agência pode pedir também um comprovante da renda no Brasil.

Brasileiros precisam apresentar outros documentos?

Além dos documentos listados acima, as agências podem pedir comprovações suplementares da renda no Brasil, para se certificar de que você possui meios para arcar com o valor da locação.

Isso pode ser comprovado por meio de declaração do Imposto de Renda ou comprovantes de rendimentos de aplicações financeiras, por exemplo.

Torre Eiffel entre prédios
A lista de documentos varia dependendo da sua situação: empregado, dupla cidadania, estudante ou apenas decidido a mudar de vida

Como é o contrato de aluguel na França?

Os contratos na França variam de acordo com o perfil do locatário e até mesmo do imóvel. Para estudantes, por exemplo, os contratos são baseados em acordos que se renovam automaticamente a cada 9 meses, caso nenhuma das partes decida por encerrá-lo.

Já os trabalhadores comuns que optam por uma agência conseguem contratos mais longos – geralmente de 3 anos de duração. Além do período mais longo, esses contratos também garantem o direito de o locatário ser comunicado com antecedência mínima de 6 meses, caso o imóvel não seja mobiliado, ou de cerca de 3 meses, caso possua mobília, na hipótese de proprietário optar por encerrá-lo.

Os contratos realizados sem o intermédio de agências dependerão das cláusulas firmadas entre locador e locatário, podendo variar muito. Nesse caso, minha recomendação particular é quase um recado de mãe: confira bem a documentação e estabeleça corretamente os pontos do contrato. Falar bem o francês, ou contar com auxílio de um tradutor ou pessoa de confiança, é essencial. Não economize nessa etapa.

Quanto custa alugar apartamento na França?

Prepare-se para flutuações enormes em preços. O valor do aluguel varia muito entre uma cidade e outra. Além disso, o número de quartos e de m² são fatores igualmente relevantes na composição do preço.

Para ajudá-lo a ter uma noção dos valores no hexágono, preparamos um levantamento de preços em algumas regiões da França, considerando o valor global do aluguel. Os valores de m² serão apresentados em outras tabelas mais adiante nesse artigo para não misturarmos as comparações.

Cidade Apartamento de 1 quarto Apartamento de 3 quartos
Paris 1.725€ 2.900€
Lyon 944€ 1.950€
Toulouse 715€ 1.300€
Nice 715€ 1.350€
Marseille 887€ 1.580€

As estimativas acima foram realizadas nas bases do Seloger e do Le Figaro Immobilier, e posteriormente normalizadas para chegar aos valores médios apresentados. Os valores foram pesquisados entre os dias 26 e 28 de maio de 2022.

Importante observar que os custos com aluguel não são os únicos. A qualidade de vida na França cobra seu preço e deve estar no seu radar.

Alugar quarto é mais barato?

Sim, e mais prático também.

Ao se optar pelo aluguel de quartos (colocation) evitam-se burocracias de agências, consegue-se pagar bem mais barato e aumentam-se a chances de conseguir um lugar com agilidade.

É possível encontrar boas opções em comunidades do Facebook, já que existem sempre muitos estudantes em movimentação nesses grupos – vacâncias são sempre anunciadas nas redes, e o melhor é que, normalmente, por pessoas com perfis semelhantes.

Contudo e particularmente falando, eu sempre fico com um pé atrás. Esse tipo de negociação é prática, é cômoda, tudo isso é verdade, mas deixe suas anteninhas sempre alerta ao lidar com alguém pelas redes sociais. Sua segurança deve sempre ser prioridade máxima, custe o que custar. Se a pulga estiver atrás da orelha, dê ouvidos a ela e procure outras opções.

Apartamentos em região luxuosa de Paris
O valor do metro quadrado de locação na França pode variar até 5 vezes. Paris lidera como cidade mais cara

Se você optar por alugar um quarto, uma opção para efetuar a busca é o Studapart. No portal é possível encontrar studios, kitnets e quartos em mais de 40 cidades. É possível ainda listar os imóveis mais próximos da sua universidade, por exemplo. É uma boa ferramenta para estudantes.

Há outras opções para estudantes?

Sim, na condição de estudante você também pode escolher viver em uma residência estudantil.

Sua busca pode começar pelo site do CNOUS (Centre National des Oeuvres Universitaires et Scolaires). No portal do serviço público é possível buscar por vagas perto da sua universidade, consultar valores e se informar sobre as opções de habitação.

As residências estudantis oferecem comodidades interessantes, como limpeza básica de quartos, segurança, vida em comunidade e estabilidade no aluguel – você não será pego de surpresa por um proprietário querendo desocupar o imóvel porque conseguiu vendê-lo por um ótimo preço.

Ao mesmo tempo, prepare-se para experiências nem sempre muito agradáveis. Você pode ter vizinhos barulhentos, que não estão em sintonia com seu estilo de vida. Quer ter um banheiro privado no seu quarto? É mais caro. A cozinha? Será compartilhada. Lavar roupa? Vai precisar pagar para utilizar a estrutura.

Há bastante coisa a ser considerada e você deve pensar em todas as variáveis antes de assinar seu contrato. Os custos começam com o aluguel, não se encerram ali.

Cidades mais caras para alugar apartamento na França

Como vimos, os custos associados ao apartamento para alugar na França não são os mais baratos. E, para que você tenha clareza desses valores, veja a lista de algumas das cidades mais caras para se morar na França, em ordem decrescente de valor por metro quadrado.

Os valores foram simulados utilizando a ferramenta do portal Seloger, minha ferramenta número 1 para esses estudos:

Cidade Valor do metro quadrado
Paris 32€
Boulogne-Billancourt 28€
Montreuil 28€
Aix-en-Provence 19€
Nice 19€
Saint-Denis 18€
Annecy 16€
Bordeaux 16€
Lyon 15€
Nantes 14€

Cidades mais baratas para alugar

Os valores a seguir, por sua vez, reúnem informações do portal La Pause Immobilière. A amostra é arbitrária e as cidades abaixo listadas são apenas para demonstrar as enormes flutuações na França.

Cidade Valor do metro quadrado
Saint-Étienne 7,8€
Mulhouse 8,3€
Brest 8,3€
Limoges 8,9€
Le Mans 9,5€
Besançon 9,6€
Perpignan 9,7€
Metz 10€
Clermont-Ferrand 10,2€
Angers 10,4€

Como são os apartamentos na França?

Os apartamentos na frança são muito pequenos!

Acostume-se, é normal encontrarmos pessoas vivendo em studios (ou, como chamamos em solo tupiniquim, kitnets) de 11m², dividindo o aluguel com amigos ou buscando colocações. Isso porque, além de nada espaçosos, os aluguéis na França costumam ser caros (a essa altura você já percebeu).

Por isso, é bom se preparar para um estilo de vida diferente daquele visto no Brasil. Há escassez de imóveis e, sobretudo, de terrenos. Aproveitamento de espaço é tudo.

Algumas residências estudantis, por exemplo, oferecem quartos que medem 14 metros quadrados por valores que começam em 700 euros. É muito dinheiro e pouco espaço, mas essa é a realidade da França, sobretudo em Paris.

Cuidados ao alugar apartamento na França

Ao longo do artigo trouxemos uma série de recomendações importantes. Na condição de brasileiro que já passou perrengues para alugar apartamento na França, meu objetivo é te deixar sempre alerta. Quando nos ajudamos, a vida de todos melhora, certo?

Dito isso, vamos recapitular:

  • Nunca alugue um apartamento antes de visitá-lo. Algumas agências e proprietários oferecem este tipo de serviço e, infelizmente, as chances de se cair num golpe sob essas condições são enormes;
  • Leia com atenção o contrato. Se você ainda não entende muito bem o idioma, como eu disse acima, peça auxílio a alguém de confiança ou mesmo a um tradutor. E, se alterarem o texto antes da entrega de chaves, leia de novo;
  • Pesquise as regiões antes de fechar qualquer acordo. Assim como em qualquer outro lugar do mundo, existem partes perigosas na França. São mais baratas, é verdade, mas se seu bolso permitir, procure locais seguros;
  • Se um anúncio parece bom demais para ser verdade, é porque há algo errado;
  • Não entregue seus documentos a qualquer um. Certifique-se de que a agência, intermediário ou particular são confiáveis;
  • Tenha tudo documentado. E-mails, trocas de mensagens em aplicativos, cópias de contratos, capturas de tela de anúncios: vale tudo!

Tomando estes cuidados sua busca será mais fácil. Assim, quando menos esperar, estará com as chaves do seu novo lar!

Diz aí: gostou desse guia para alugar apartamento na França? Quer se inspirar em histórias de brasileiros que atravessaram o Atlântico em busca de uma nova vida? Recomendo o ebook “O sonho de viver na Europa”, que reúne depoimentos inspiradores e reflexivos em que imigrantes brasileiros compartilham os seus desafios e aprendizados.