A carreira na enfermagem em Portugal é um pouco diferente do Brasil, uma vez que não existem os profissionais de nível técnico. De todo modo, o trabalho acontece em conjunto com outros profissionais da área de saúde com o objetivo de cuidar das pessoas e prestar a assistência necessária aos pacientes.

Neste artigo, vamos explicar como trabalhar na área de enfermagem no país luso, quais as condições de trabalho, média salarial e a experiência de uma brasileira que é enfermeira em Portugal. Vamos lá!

Como trabalhar na área de enfermagem em Portugal

Se você quer trabalhar na área de enfermagem em Portugal, saiba que não é um caminho tão simples de seguir, uma vez que a validação do diploma é obrigatória para trabalhar na área de saúde e ela nem sempre é rápida.

A Natasha Vila Chã, uma brasileira que atua como enfermeira em Portugal, nos contou que quando chegou em terras lusitanas trabalhou com o apoio domiciliário até conseguir a equivalência do seu diploma.

Segundo ela, após a validação, passou a trabalhar em uma residência geriátrica, onde permaneceu durante 2 anos, incluindo o período conturbado da pandemia. Imagina só viver na linha de frente e em contato diário com o maior grupo de risco da Covid-19?

Se quer mesmo morar em Portugal para trabalhar como enfermeira, uma boa alternativa é seguir os passos da Natasha. Começar a procurar por empregos como cuidadora de idosos em Portugal e apoio domiciliário, é uma ótima maneira de continuar trabalhando enquanto aguarda a validação do diploma.

Contudo, se você ainda não possui um diploma universitário, a outra opção é realizar a graduação no país luso. Existem várias universidades que oferecem o curso de enfermagem e vou falar sobre elas mais abaixo.

Precisa enviar dinheiro para outro país?

Envie dinheiro com toda a segurança, rapidez e melhor taxa de câmbio. Atualizamos a melhor entidade diariamente, faça já a sua simulação!

Cotar Agora →
Quer morar em Portugal com segurança e qualidade de vida?

Recomendamos a assessoria boutique da Atlantic Bridge, para quem deseja ir para Portugal de forma planejada, sem contratempos e com a segurança de ser acompanhado pelos profissionais mais experientes do mercado.

Saber Mais →
Natasha Vila enfermeira em Portugal
Natasha Vila Chã é brasileira e atua como enfermeira em Portugal. Foto: arquivo pessoal

Processo de validação do diploma de enfermagem

Para quem cursou enfermagem no Brasil, o processo de validação do diploma em Portugal é obrigatório e merece atenção e paciência para reunir toda a documentação e lidar com as questões burocráticas.

O primeiro passo é reunir toda a documentação necessária para dar entrada no processo, isso significa que você deve reunir diploma de conclusão da graduação, histórico escolar com notas, descritivo e carga horária das disciplinas, média final do curso. Além deles, pode ser que seja necessário documentos adicionais, a depender de como irá realizar o processo de validação.

Para exercer a profissão de enfermeira em Portugal há três tipos de processo de validação do diploma, são eles:

Diretamente na Ordem dos Enfermeiros

Para realizar a validação diretamente na Ordem dos Enfermeiros, é necessário ter o grau de Licenciatura com 4.600 horas de curso, sendo que 50% dessa carga horária deve ser de ensino prático.

Natasha explica que é “muito difícil cumprir esses requisitos, principalmente porque no Brasil saímos como Bacharel”. Além da dificuldade, esse tipo de validação tem um ponto que merece atenção: “o pedido pela Ordem dá direito a exercer a sua profissão em todo país, mas não dá direito de continuar os estudos”, ressalta.

Portanto, se você pensa em um dia realizar o mestrado em Portugal, um doutorado ou até mesmo fazer cursos de especializações, o melhor a se fazer é seguir com a validação através das universidades.

Nas universidades

Formou no Brasil, mas quer seguir na área de enfermagem em Portugal? Então, o melhor a se fazer é a validação de diploma em uma das universidades portuguesas.

Natasha diz que “esse processo é o mais utilizado pelos enfermeiros estrangeiros atualmente e o que tem dado mais resultados positivos”.

Nesse caso, além de ter que apresentar toda a documentação para solicitar a “creditação das disciplinas”, você ainda pode ter que cursar mais algumas horas que o conselho técnico científico do curso de enfermagem em Portugal achar necessário.

Pela DGES

A outra forma de tentar a validação do diploma de enfermagem em Portugal é através da DGES – Direção Geral de Ensino Superior, mas se a validação diretamente na Ordem já é difícil, essa nem se fala.

Para conseguir a validação na DGES, a graduação – disciplinas cursada, carga horária e obtenção do grau deve ser praticamente idêntica ao do curso de enfermagem em Portugal. “Esse processo é o mais vagaroso, burocrático e com muitas negativas, pois nem todo diploma do Brasil cumpre com os requisitos exigidos pela plataforma da DGES”, explica Natasha.

Dica: a enfermeira Natasha, após percorrer esse “caminho das pedras” criou o Instagram @enfsemfronteiras no qual compartilha as suas experiências e ainda dá dicas valiosas para quem deseja ser enfermeira em Portugal. Ela também deu início na validação do diploma nos EUA e também compartilha o processo por lá.

Inscrição na ordem dos enfermeiros

Após conseguir a validação do diploma de enfermagem em Portugal, você deve se apresentar à Ordem dos Enfermeiros com os documentos comprovativos e preencher o formulário de solicitação de inscrição.

São várias as categorias para solicitar a inscrição e a documentação varia a condição de cada profissional. No site oficial da Ordem dos Enfermeiros é possível obter as orientações gerais para cada um dos casos.

Após a análise da inscrição e a resposta for positiva, você terá a sua cédula profissional e poderá exercer a enfermagem em Portugal.

Como são as condições de trabalho de enfermeiros em Portugal

Não são muito animadoras.

Natasha contou que:

“atualmente estamos (os enfermeiros) numa luta constante contra o governo português que não valoriza a profissão. Há progressão de carreiras estagnadas e há entidades patronais oferecendo contratos incrédulos e desvalorizados”.

Não é à toa que muitos profissionais desta área emigram para outros países europeus em busca de melhores condições de trabalho.

“O Sindicato Independente de Todos os Enfermeiros Unidos (SITEU) alertou para a falta de valorização da classe por parte do Governo, levou cerca de 1.300 profissionais a deixarem o país durante a pandemia da Covid-19”, contou a enfermeira em Portugal, Natasha.

O trabalho dos enfermeiros nos momentos críticos da pandemia

Se tem uma coisa que aprendemos durante a pandemia, foi a valorizar todos os profissionais da área de saúde, sejam enfermeiros, médicos, psicólogos, etc. Todos aqueles que estiveram na linha de frente colocando a sua própria vida em risco para salvar outras são dignos de aplausos.

Contudo, se durante a pandemia cerca de 1.300 profissionais deixaram Portugal para viver e trabalhar em outros países da União Europeia, o que constatamos é que essa valorização por parte do governo não foi tanta assim.

Por outro lado, houve muitas contratações emergenciais entre médicos e enfermeiras em Portugal para dar conta da pandemia, principalmente, nas fases mais críticas. Em maio de 2021, o governo anunciou que iria integrar ao SNS – Sistema Nacional de Saúde – cerca de 2.474 profissionais da área de saúde que haviam sido contratados – até então – para o período da Covid-19.

Também durante esse período, o governo autorizou a contratação de profissionais da área de enfermagem em Portugal e médicos estrangeiros que se encontravam com o pedido de validação de diploma em andamento.

Experiência de uma enfermeira em Portugal na linha de frente

A enfermeira Natasha passou a pandemia trabalhando em um lar de idosos ou Estruturas Residenciais para Idosos – ERPI (como se diz em Portugal), ou seja, na linha de frente com o principal grupo de risco da Covid-19.

Apesar de todas as medidas implementadas para reduzir o risco de transmissão, ela comenta que “psicologicamente foi muito desafiador” e que, infelizmente, houve os casos positivos e a taxa de mortalidade foi alta pela vulnerabilidade dos residentes.

Qual o salário médio de enfermagem em Portugal?

Segundo o último levantamento do site de emprego Indeed realizado em agosto de 2021, o salário médio dos profissionais de enfermagem em Portugal é de 1.246€. Sendo que no Porto foi registrado o maior salário, com 2.369€.

Se comparado ao valor do salário mínimo em Portugal que em 2021 é de 665€, o valor do salário é de, pelo menos, dois salários mínimos.

Mercado de trabalho na enfermagem em Portugal

O mercado de trabalho na enfermagem em Portugal pode oferecer oportunidades para estrangeiros visto que muitos profissionais portugueses emigram para outros países europeus em busca de melhores condições de trabalho.

Contudo, antes de entrar no mercado de trabalho em Portugal (e europeu) é preciso entender que é bem diferente do Brasil. Natasha explica que o foco de trabalho é no “cuidado assistencial e integral. O que eu quero dizer com isso é que somos responsáveis pela assistência total ao paciente”.

Enfermeira em Portugal

É importante destacar, que em Portugal não existe o profissional Técnico em Enfermagem, muito comum no Brasil. Portanto, são os enfermeiros (graduados) que fazem todo o serviço “desde banho e troca de fraldas, até o mais complexo procedimento de enfermagem”, afirma Natasha.

Onde procurar emprego na enfermagem em Portugal?

Para encontrar emprego, você pode utilizar os sites de emprego, tais como:

Mas se quer mesmo trabalhar como enfermeira em Portugal é bom começar pelo principal: a validação do diploma.

Estudar enfermagem em Portugal

Se ainda não tem formação superior, uma opção é estudar em Portugal. Existem muitas universidades que oferecem o curso de enfermagem e com a boa qualidade do ensino português.

Se já é um profissional com graduação, pode ainda optar por fazer o mestrado ou doutorado em Portugal. Tenho certeza que será uma experiência enriquecedora para a sua vida pessoal e profissional.

Melhores universidades

As melhores universidades de Portugal que oferecem o curso de enfermagem, são:

  • Escola Superior de Enfermagem do Porto – ESEP;
  • Universidade do Minho;
  • Escola Superior de Enfermagem de Lisboa – ESEL;
  • Instituo Politécnico de Viseu;
  • Escola Superior de Enfermagem de Coimbra – ESEC;
  • Universidade Fernando Pessoa;
  • Escola Superior de Saúde da Cruz Vermelha Português;
  • Universidade Católica Portuguesa.

Quanto custa estudar enfermagem em Portugal?

O valor depende da universidade escolhida para cursar enfermagem em Portugal, bem como o grau acadêmico. Veja alguns exemplos de anuidade para graduação:

Universidade Propina  (anuidade)
ESEC 5.500€
ESEL 2.500€
Escola Superior de Saúde da Cruz Vermelha Português 4.300€
Instituo Politécnico de Viseu 1.050€
Universidade Católica Portuguesa 3 mil euros

Como se candidatar para o curso?

Cada universidade tem o seu próprio processo de candidatura. As inscrições para as universidades em Portugal geralmente começam em janeiro/fevereiro e podem se estender até junho, dependendo da ocupação das vagas do curso.

Muitas universidades em Portugal aceitam o ENEM para entrar na licenciatura. O ideal é ficar de olho nos sites oficiais nas instituições desejadas para não perder o prazo de inscrição e ler o edital de candidatura com atenção.

Vale a pena trabalhar na enfermagem em Portugal?

Depende do que você busca.

Se está querendo bons salários e boas condições de trabalho, não vale a pena trabalhar como enfermagem em Portugal. Nesse caso, assim como outros profissionais portugueses, talvez seria melhor procurar outro país para trabalhar na Europa.

Por outro lado, se você deseja trabalhar como enfermeira em Portugal ganhando o suficiente para ter uma boa qualidade de vida no país, vale a pena. O mercado de trabalho está aberto para te receber se a validação do diploma for concluída.

Agora que você já sabe tudo sobre a área de enfermagem em Portugal, que tal começar a organizar a sua mudança? Para te ajudar, recomendamos o Programa Morar em Portugal, que reúne todo o passo a passo necessário para organizar o planejamento de mudança. São 22 vídeos, um ebook completo, acesso a lives mensais do Euro dicas e um suporte da equipe em caso de dúvidas.