(Atualizado em Maio de 2021). Cursar um doutorado em Portugal faz parte dos sonhos de muitos brasileiros. Se você é uma destas pessoas e não sabe por onde começar, fique atento a este artigo. Vou explicar o passo a passo para ajudar a planejar o seu doutorado, desde o momento da escolha da universidade até o embarque para Portugal.

Como fazer doutorado em Portugal?

Normalmente, para poder um doutorado em Portugal (que aqui também é chamado de 3º ciclo de estudos) é preciso já ter feito um mestrado. Em alguns casos excepcionais, é possível ingressar diretamente depois de terminar a licenciatura. Mas para isso, é preciso ter um currículo considerado relevante. Essas informações podem ser consultadas diretamente com as universidades.

A primeira coisa que você deve fazer é escolher qual a sua área de estudos e pesquisar quais universidades portuguesas oferecem cursos na sua área de interesse.
Se você pretende ou já está começando a fazer um planejamento para morar em Portugal para fazer um doutorado, preste atenção nas dicas a seguir. Elas podem ser como um guia, para ajudar você a se organizar para concretizar esse desejo.

1. Escolha a instituição

O primeiro passo é escolher em qual (ou quais) universidades você pode estudar. Para isso, é importante que você faça uma boa pesquisa e encontre as universidades que oferecem um doutorado na área que você pretende estudar.

Analise também a região onde as universidades estão localizadas e procure conhecer um pouco mais a região. Veja, por exemplo, se o clima da cidade é uma boa opção para você. Algumas regiões de Portugal, como o Norte, são mais chuvosas e frias. No Sul, o clima é mais quente e seco.

2. Verifique a afinidade do tema com a instituição

Procure saber se a universidade oferece um curso que seja bem adequado ao que você pretende estudar ou à sua linha de pesquisa (caso você já tenha uma).
Você pode buscar informações diretamente no site da universidade, verificando o Plano de Estudos e as disciplinas oferecidas.

Também pode contactar professores do doutorado para conversar a respeito das suas pretensões de estudo.

Precisa enviar dinheiro para outro país?

Envie dinheiro com toda a segurança, rapidez e melhor taxa de câmbio. Atualizamos a melhor entidade diariamente, faça já a sua simulação!

Cotar Agora →
Precisa enviar dinheiro para outro país?

Depois de testarmos as principais alternativas do mercado (Paypal, Western Union, Moneygram, etc), a plataforma que nós recomendamos é a Wise. É seguro, rápido e fácil de utilizar.

Ver Cotação →
Quer morar em Portugal com segurança e qualidade de vida?

Recomendamos a assessoria boutique da Atlantic Bridge, para quem deseja ir para Portugal de forma planejada, sem contratempos e com a segurança de ser acompanhado pelos profissionais mais experientes do mercado.

Saber Mais →

A importância da afinidade do tema com a instituição

Eu acho que esse é um dos momentos mais importantes para que você tome uma boa decisão. Por isso, digo que é fundamental verificar se o Plano de Estudos oferecido pelo doutorado tem bastante afinidade com o que você quer estudar.

Como o sistema de ensino do país é desconhecido para quem ainda está planejando vir estudar (e existem algumas diferenças), eu recomendo que você tenha bastante atenção na hora de fazer essa pesquisa.

Não se atenha somente ao nome do curso ou à área de especialização, pesquise mais a fundo para ter certeza de que você vai escolher um curso que seja adequado às suas expectativas.

3. Analise os custos necessários

Depois de ter feito a pesquisa prévia e o contato com as universidades de interesse, verifique quais são os custos necessários para poder cursar o doutorado. Um dos principais é o valor da propina, o preço anual que é pago para a universidade.

Caso você ainda não saiba, em Portugal até mesmo as universidades públicas são pagas. Quase sempre os valores são mais em conta nas públicas, mas você vai precisar desembolsar algum valor para pagar o curso (a não ser que consiga uma bolsa de estudos).

A seguir, eu explico um pouco mais sobre as propinas das universidades portuguesas. Além desse gasto anual, também é preciso colocar na ponta do lápis outros custos da vida em Portugal, como:

  • Taxa de candidatura e taxa de matrícula;
  • Valor do visto de estudo e da autorização de residência;
  • Passagem aérea;
  • Custo do aluguel de um quarto, apartamento ou residência universitária;
  • Contas mensais (se não forem incluídas no contrato de aluguel);
  • Alimentação;
  • Transporte;
  • Custos com material e livros.

4. Faça a candidatura

Quando você tiver escolhido o curso, é hora de preparar a candidatura. Em Portugal, o processo de seleção é feito quase sempre diretamente pelo site da universidade, e lá você vai encontrar o edital com as informações necessárias.

Não tenha pressa na hora de se candidatar, leia todos os requisitos do edital e prepare a documentação com atenção. Algumas regras podem mudar de uma universidade para outra, mas normalmente você vai precisar:

  • Preencher um cadastro pessoal;
  • Anexar documentos pessoais, currículo, diploma de mestrado e carta de motivação.

Em algumas universidades, o processo de seleção para o doutorado também pode incluir uma entrevista, além da análise do currículo e da entrega da documentação. Se for o caso, confirme com a universidade se a entrevista pode ser feita online.

Atenção: os documentos obtidos no Brasil, com o diploma de mestrado, devem ter Apostila de Haia para serem aceitos em Portugal.
Também fique atento aos prazos de candidatura. É comum que existam duas ou três fases com ofertas de vagas, sendo a primeira logo no começo do ano.

Como o ano letivo em Portugal inicia em setembro, quando mais cedo você fizer a candidatura, mais tempo terá para organizar a sua mudança.

5. Se for aprovado, solicite visto de estudante

Se tudo correr bem e você for aprovado na seleção do doutorado, o próximo passo é pedir o visto de estudos. O pedido, que vale por 120 dias, é feito ainda no Brasil. Com ele em mãos, você tem o direito de entrar em Portugal. Quando já estiver por aqui, deve agendar um atendimento no SEF (Serviço de Estrangeiros e Fronteiras) para requerer a autorização de residência.

Como pedir o visto

O pedido de visto é feito através da empresa VFS Global. No site, você encontra todas as informações e a documentação necessária para fazer o pedido corretamente. A VFS só recebe e analisa as solicitações que estejam de acordo com as instruções do site. Por isso, faça tudo com bastante atenção.

Os documentos necessários são:

  • Formulário de pedido de visto preenchido e assinado;
  • 2 fotos 3×4 recentes;
  • Passaporte (original e cópia da página de identificação e das folhas usadas);
  • Comprovante de que foi aceito na universidade (carta de aceite emitida pela própria universidade);
  • Comprovativo de que tem alojamento em Portugal (alojamento universitário, locação de imóvel ou quarto, carta-convite ou reserva de hotel ou hostel);
  • Seguro viagem ou PB4;
  • Certidão de Antecedentes Criminais emitida pela Polícia Federal, com Apostila de Haia (máximo de 30 dias de emissão);
  • Autorização de consulta do Registro Criminal Português;
  • Comprovante de que possui meios de subsistência (Termo de Responsabilidade de um familiar que vai pagar seus gastos, comprovante de recebimento de bolsa de estudos ou Declaração de Imposto de renda).

Custo do visto

Atualmente (em maio de 2021) o valor total é de R$ 777,82 (taxa Consular R$ 596,78 + taxa de transferência R$15,27 + taxa de processamento R$ 165,77).
Reúna os documentos e envie para a empresa de acordo com as instruções do site. E não esqueça de enviar o comprovante de pagamento. Em média, a análise do pedido de visto leva cerca de 60 dias.

6. Embarque para Portugal

Quando tiver o visto em mãos, pesquise os valores das passagens para a data que você pretende viajar. Nem sempre é fácil encontrar uma tarifa em conta, mas estas dicas podem ajudar:

  • Tenha flexibilidade nas datas e também pesquise voos que tenham escalas. Essa é das melhores formas de encontrar bons preços;
  • Pesquise bastante e aproveite os comparadores de preços, que ajudam muito nessa tarefa. Experimente o Kayak, Skyscanner, e Submarino Viagens;
  • Se puder, encaixe a data de voo na baixa temporada, quando os preços são mais baixos (de novembro a março).

estudantes da Universidade de Coimbra

Doutorado ou doutoramento?

A verdade é que doutorado e doutoramento significam a mesma coisa. Mas, como você vai notar, em Portugal não usamos a expressão doutorado. Por aqui, o 3º ciclo de estudos é chamado de Doutoramento. Agora, quando começar a acessar os sites das universidades, você já sabe o que procurar.

Como fazer para entrar em um doutorado?

Para entrar no doutorado em Portugal, você pode fazer a candidatura pelo processo tradicional, pode fazer um doutorado sanduíche ou pode pedir transferência (que é menos comum).

Candidatura tradicional

A candidatura tradicional é aquela em que você faz a inscrição na universidade e participa de todo o processo de seleção: análise de currículo e documentos e entrevista.
Você faz esse processo ainda no Brasil, e se for aprovado, pede o visto para poder vir estudar em Portugal. A seguir eu mostro o passo a passo dessa forma de candidatura.

Doutorado sanduíche

No doutorado sanduíche, o aluno que já cursa o doutorado no Brasil faz uma parte da pesquisa em outro país, ou seja, faz uma espécie de intercâmbio no âmbito do doutorado. Depois disso, deve voltar ao Brasil e fazer a defesa da tese na instituição de origem. O prazo de duração do doutorado sanduíche é variado, geralmente, entre 6 meses e 1 ano.

Uma das maneiras de fazer o doutorado sanduíche é verificar se a instituição em que você estuda no Brasil já tem um convênio com uma universidade portuguesa. Se for o caso, o processo se torna mais simples, e para fazer isso você deve ter o aceite do seu orientador. Normalmente, a universidade auxilia o aluno nos procedimentos necessários.

Em relação à universidade portuguesa onde você pretende fazer a fase da pesquisa, é preciso verificar quais são os requisitos exigidos. Em alguns casos, pode ser preciso se matricular no programa de doutorado, mesmo que vá fazer apenas uma parte da pesquisa na instituição.

Você também pode procurar o auxílio de órgãos que têm editais de Programa de Doutorado Sanduíche no Exterior, como a Capes e o CNPq (atualmente, em março de 2021, os órgãos não têm editais abertos). Também é possível verificar instituições estaduais que oferecem bolsas de pesquisa.

Transferência

A transferência não é o procedimento mais comum para fazer um doutorado em Portugal. Para verificar a possibilidade de fazer isso, é preciso confirmar se a universidade portuguesa aceita transferências.

Se for possível, você precisará fazer um processo semelhante ao da candidatura, e vai precisar reunir documentos e enviar para a universidade para que sejam analisados. Provavelmente, também será preciso reconhecer as disciplinas que já foram cursadas no Brasil.

Para verificar se esta possibilidade é viável para a sua área, verifique nas universidades de interesse as regras de transferência. Em Portugal, esse processo é chamado de Mudança de par/instituição.

Transferir faculdade para Portugal: entenda como funciona.

Documentos solicitados para concorrer ao doutorado

Cada universidade pode solicitar uma documentação específica, mas em geral são exigidos:

  • Cópia do passaporte (ou outro documento de identificação se você tiver nacionalidade de um país europeu);
  • Cópia do diploma e histórico escolar do grau anterior (com Apostila de Haia);
  • Currículo profissional ou acadêmico (verifique no edital o que é exigido);
  • Carta de motivação (mesmo que não seja obrigatório, é recomendável enviar uma).

Algumas universidades também podem exigir que você apresente cópias de artigos acadêmicos que já tenha publicado e um Termo de Comprometimento do seu provável orientador.

Para evitar a reprovação pela falta de um documento, verifique as regras do edital com atenção e faça a candidatura com calma.
Lembre-se que é preciso pagar uma taxa de candidatura. Os valores começam em 40€, mas podem chegar a mais de 100€ (dependendo da instituição).

Passo a passo para se candidatar ao doutorado em Portugal

Antes de tudo, você deve acessar o site da universidade para verificar os requisitos de acesso, documentos exigidos e calendário de candidatura. Quando estiver com tudo certo, é hora de se candidatar. O procedimento é semelhante em quase todas as universidades, mas não esqueça de verificar os detalhes na sua instituição. De modo geral, o passo a passo é o seguinte:

  1. Acesse o site da universidade e preencha o cadastro com todos os dados solicitados;
  2. Anexe os documentos exigidos, tanto os pessoais, como os acadêmicos (passaporte, diploma, histórico escolar, entre outros);
  3. Verifique qual a taxa de inscrição e faça o pagamento dentro do prazo;
  4. Caso a universidade disponha de acompanhamento da candidatura, faça isso. Do contrário, fique atento às datas de divulgação do calendário;
  5. Se o curso escolhido tiver uma entrevista de seleção, não perca a data e procure se preparar para esse dia.

Se você for aprovado, a universidade deve indicar os procedimentos seguintes e como será realizada a matrícula. Em caso de dúvida, não hesite em contactar a secretaria do seu curso.

Quanto tempo dura um doutorado em Portugal?

Os doutorados duram entre 3 e 4 anos, sendo o primeiro (2 semestres) quase sempre composto por aulas. De modo geral, os anos seguintes são dedicados à pesquisa, orientação e elaboração da Tese de Doutorado, que será apresentada publicamente no final do curso.

Também é possível fazer o curso em regime parcial, cursando menos disciplinas por vez. Nesse caso, o doutorado pode se estender por mais tempo. Para saber mais sobre este tipo de regime, consulte as regras diretamente com a universidade, antes de fazer a matrícula.

Quanto custa um doutorado em Portugal

Essa é uma pergunta com uma resposta muito variável. Podemos apontar uma média de 2500€-3300€ por ano.

Primeiro, depende de qual tipo de universidade você vai escolher (privada ou pública). Mesmo que as universidades públicas também sejam pagas, ainda sim os custos costumam ser bem mais em conta, em comparação com as universidades privadas.

Outro fator que pode influenciar no preço do curso é a sua nacionalidade. Caso você tenha cidadania de algum país da União Europeia, você vai pagar valores mais baratos. Isso acontece porque os estudantes europeus pagam os mesmos valores que os estudantes portugueses.

Em algumas universidades, há preços diferenciados para os alunos CPLP (da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa). Os alunos brasileiros são CPLP e por isso, em muitas instituições pagam um valor intermediário (que fica entre o valor cobrado dos estudantes nacionais e dos alunos estrangeiros). Informe-se se a universidade onde você vai se candidatar possui estes valores diferenciados.

Além destas questões, o valor do doutorado também pode variar de acordo com a área de estudos ou mesmo a estrutura e as atividades que são oferecidas pelas universidades.

Exemplos de valores

Para que você tenha ideia do que pode ter que pagar para fazer um doutorado em Portugal, veja esse levantamento de preços que fizemos em março de 2021.

Curso Valor da propina
Psicologia (Universidade do Porto) 3300€
Sociologia (Universidade do Porto) 3300€
Criminologia (Universidade do Porto) 2750€
Ciência Política (Universidade de Aveiro) 2000€
Design (Universidade de Aveiro) 2750€
Direito (Universidade Católica Portuguesa) 4000€ (1º ano) / 2900€ (anos seguintes)
Bioenergia (Universidade Nova de Lisboa) 2750€
Genética (Universidade Nova de Lisboa) 2750€
Antropologia (Universidade de Lisboa) 2750€ (1º ano) / 1375€ (anos seguintes)
Economia (Universidade de Lisboa) 3000€ (1º ano) / 2000€ (anos seguintes)
História da Arte (Universidade de Lisboa) 2750€ (1º ano) / 1500€ (anos seguintes)

*Os valores são anuais. As universidades costumam permitir o parcelamento sem juros das propinas. Em algumas instituições, você pode pagar o valor em até 10 vezes.

Como fazer doutorado em Portugal com bolsa?

Para conseguir uma bolsa de doutorado e estudar de graça, é preciso ir em busca dos editais de candidatura. Existem basicamente dois tipos de bolsas: as que cobrem apenas o valor da propina e as que incluem um valor mais elevado, que pode custear outras necessidades, como aluguel, alimentação e material de estudo.

Bolsas no Brasil

No Brasil, como explicamos, você pode procurar auxílio em órgãos de fomento à pesquisa como a CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) e o CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico).

Quando há programas disponíveis, estes órgãos costumam disponibilizar bolsas integrais que cobrem todos os gastos com os estudos. Dependendo do edital, até mesmo os custos de passagem aérea podem estar incluídos.

Além destes, você também pode verificar algumas instituições estaduais de incentivo à pesquisa, como:

  • FUNCAP (Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico);
  • FAPEU (Fundação de Amparo à Pesquisa e Extensão Universitária);
  • FAPERGS (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul);
  • FAPESP (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo);
  • FAPEMAT (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Mato Grosso);
  • FAPEAM (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas).

Bolsas em Portugal

Já em Portugal, você pode concorrer a uma bolsa pela FCT (Fundação para a Ciência e Tecnologia). Todos os anos a Fundação abre um edital de bolsa para doutorado. Para concorrer, é preciso apresentar, entre outros documentos, um pré-projeto de doutorado, plano de trabalhos e a carta de aceite do orientador.

Também é possível se candidatar a uma bolsa do programa Erasmus Mundus. Ele se destina a promover o intercâmbio de alunos entre universidades europeias. É preciso já ser aluno de uma universidade, e as vagas podem ser consultadas diretamente no site do programa.

A Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) também publica editais de bolsas para alunos oriundos de países onde se fala português. Além das bolsas oferecidas pela comunidade, em muitas universidades os alunos CPLP (como os brasileiros) têm desconto nas propinas do doutorado. Verifique se a sua universidade oferece esse desconto. Vale a pena!

Outras bolsas que você pode verificar

Para além destes programas que citamos, também existem outros editais que oferecem bolsas de estudo. É preciso verificar quais são as condições exigidas para poder concorrer. Fique de olho nestas instituições:

É preciso validar o diploma para fazer doutorado em Portugal?

Sim.

Para poder estudar no país você precisa validar o diploma brasileiro. A validação serve como um reconhecimento e indica que o diploma é original. Se o curso exigir o histórico de notas ou das disciplinas cursadas, estes também devem ser validados.

Para validar é preciso fazer a Apostila de Haia (apostilar o documento). O procedimento é feito em cartórios autorizados, e você pode consultar a lista atualizada de locais no site do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Para algumas instituições (acredito que a maioria), o apostilamento é suficiente. Já para outras, o reconhecimento de grau de diploma estrangeiro pode ser uma exigência. Para ter certeza, recomendo que entre em contato com a instituição onde você vai se candidatar.

O processo de reconhecimento é feito em Portugal, através da Direção-Geral de Ensino Superior (DGES). O seu diploma será analisado por uma universidade que tenha um currículo semelhante. Se o currículo for considerado correspondente, o diploma será reconhecido.

Depois de concluir o doutorado é preciso validar o diploma no Brasil?

Sim.

Para que o diploma obtido em Portugal seja válido no Brasil, você deve fazer a validação (o nome correto é reconhecimento do diploma).
O pedido é feito de forma eletrônica, no Portal Carolina Bori.

É preciso reunir a documentação exigida, escolher a instituição onde vai pedir o reconhecimento e fazer o pedido no site. Depois, é necessário entregar os documentos pessoalmente na universidade.

O prazo do reconhecimento é de cerca de 180 dias e os custos são variáveis, é preciso checar a informação diretamente com a instituição onde você vai pedir o reconhecimento.
Normalmente, para reconhecimento de doutorado é preciso apresentar:

  • Cadastro com dados pessoais e informações de vínculo institucional no Brasil (se for o caso);
  • Cópia do diploma (registrado pela instituição que o emitiu);
  • Um exemplar da tese com registro de aprovação da banca examinadora e uma cópia digital;
  • Documento oficial da instituição de origem (com a data da defesa, o título do trabalho, a aprovação e notas ou conceitos obtidos);
  • Lista dos participantes da banca examinadora e do orientador (com currículos resumidos);
  • Caso o doutorado não preveja defesa pública da tese, é preciso juntar um documento (emitido e autenticado pela pela universidade) com a descrição do método de avaliação da tese;
  • Cópia do histórico escolar (com as disciplinas/atividades cursadas, períodos e carga horária total, frequência e resultado das avaliações);
  • Descrição resumida das atividades de pesquisa realizadas e cópia dos trabalhos científicos decorrentes da tese que tenham sido publicados ou apresentados em congressos (é preciso indicar autoria, nome do periódico e data da publicação ou nome e local dos eventos científicos);
  • Resultados da avaliação externa do doutoramento (se existir), caso tenha sido realizada por instituições públicas reconhecidas no país de origem (também é possível apresentar outras informações sobre a reputação do programa, comprovadas por documentos e relatórios, por exemplo).

Opinião de quem já passou pela experiência do doutorado em Portugal

Eu conversei com o Orlando e com a Ana, dois brasileiros em Portugal, para saber a opinião de quem já passou por essa experiência.

Experiência do Orlando com o doutorado em Portugal

O Orlando, que já concluiu o doutorado, me contou que a experiência dele começou no mestrado e permitiu uma mudança de carreira. Pela satisfação no mestrado, ele decidiu prosseguir a pesquisa no doutorado e recebeu apoio dos professores da universidade.

Ele disse que teve uma boa formação durante o período de aulas e que o debate foi muito rico, principalmente pela presença de estudantes de áreas variadas. Para ele, a experiência valeu a pena, porque em Portugal tinha fácil acesso a outros países, além da oportunidade de recorrer a apoios econômicos da União Europeia.

Entretanto, ele destacou que precisou criar um percurso de investigação de forma bastante independente, um pouco por conta da escassez de oferta profissional em relação à investigação. Para ele, o cenário acadêmico português está em processo de reforma, o que pode ser ao mesmo tempo um cenário de conflito e de boas oportunidades.

Estudantes Campus Portugal

Experiência da Ana com o doutorado em Portugal

Já a Ana, que ainda está cursando o doutorado, me contou que escolheu o curso pelo desejo de estudar em outro país, aliado ao fato de encontrar um doutorado específico da sua área de pesquisa oferecido em português.

Ela me disse que o curso atende suas expectativas em partes, já que se deparou com algumas disciplinas que não eram exatamente o que ela buscava para a sua investigação, o que fez com que ela sentisse falta de algumas abordagens mais profundas que unissem teoria e prática.

A Ana considera que a experiência tem sido válida porque o curso tem muita qualidade e com propinas mais em conta, em comparação com o Brasil. Ela também destacou que achou o processo de seleção um pouco mais simplificado e acessível, principalmente para quem não tem uma grande produção acadêmica.

Vim para Portugal estudar e fiquei: conheça a história de 4 brasileiros que decidiram não voltar.

Ajuda para estudar em Portugal

Agora que você tem certeza de que quer fazer um doutorado em Portugal e já conhece os passos necessários para concretizar esse objetivo, saiba que nós podemos ajudar você ainda mais.

A equipe Euro Dicas criou o ebook Estudar em Portugal. Nele, você terá acesso a toda informação necessária e detalhada para ajudar no seu planejamento para estudar aqui, desde o momento da decisão até a sua chegada em Portugal. Vale a pena!