Financiamento de casa na França: saiba tudo e veja como financiar a sua

França  / 

Se você vive na França e gostaria de criar raízes no país, saiba que fazer um financiamento de casa na França é relativamente fácil e menos burocrático do que outros procedimentos. Desde a crise econômica mundial de 2008, a França passou a facilitar bastante a compra de imóveis, seja financiado ou não. Isto porque, além de simplificar o andamento do processo e documentação, a taxa de juros é muito mais baixa do que em outros países, o que atrai compradores e investidores de todo o mundo.

Precisa abrir uma conta bancária na Europa?

Você pode abrir a sua conta bancária grátis em 5 minutos e com toda a segurança no N26, um banco digital que funciona em toda a Europa.


O N26 não exige comprovação de rendimentos, você só precisa estar na Europa e ter seu passaporte em mãos.

ABRIR CONTA »

Atualmente, é possível garantir um financiamento com uma taxa de 0,85%, enquanto no Brasil este valor começa em 8%. Por isso, preparamos este artigo para que você saiba tudo sobre financiamento de casa na França.

Exigências para solicitar um financiamento de casa na França

Conhecida por sua burocracia e lentidão em processos legais, neste aspecto podemos afirmar que a França facilita a vida do comprador – seja francês ou estrangeiro. Isto porque o país não exige que a pessoa que irá financiar um imóvel seja francês ou até mesmo europeu. O estrangeiro que pretende comprar casa na França não precisa nem mesmo apresentar um visto ou titre de séjour (título de residência).

Porém, diferentemente de Portugal que oferece a facilidade do Golden Visa para estrangeiros que compram imóveis, na França o estrangeiro na mesma situação será considerado apenas um investidor. Não importa o valor do imóvel que você compre, não isso garante a cidadania ao estrangeiro.

Como dar início ao processo de financiamento de casa na França

Para um francês financiar uma casa, o processo é mais simples do que para um estrangeiro. Ainda assim, a França continua sendo um dos países menos complicados para um estrangeiro financiar uma casa. Não é preciso ter visto nem estar vivendo no país para dar início ao processo. Entretanto, a intermediação de um funcionário de um cartório é necessária para registrar a transação.

Como no Brasil, você não poderá comprar ou vender um imóvel sem que a documentação seja devidamente reconhecida pelo cartório. Na França, este funcionário chama notaire e é ele que irá acompanhar todo o processo.

Abaixo você saberá a diferença entre comprar um imóvel à vista e a prazo. Confira também os documentos necessários se deseja morar na França.

Compra de casa à vista

Após a escolha do imóvel, o notaire irá preparar um documento de compra e venda e registrar este compromisso junto ao governo. Este documento chama offre d’achat. Neste momento, para garantir o imóvel o comprador precisa depositar uma quantia referente a 10% do valor do imóvel. E, caso queira desistir da compra, tem até 7 dias para desfazer o negócio.

Depois desse prazo inicial, o notaire irá em busca da documentação completa do imóvel, para se certificar de que não há nenhum impedimento legal à venda. Porém, esse processo pode levar até 3 meses. Somente após este período o comprador deverá pagar o restante do valor do imóvel – caso queira comprar à vista ou dar início ao financiamento junto ao banco. Não esqueça do imposto sobre a operação, que costuma ser entre 1% e 4% do valor da propriedade.

O notaire geralmente cobra 1% sobre o valor do imóvel, pela sua prestação de serviço. No entanto, se ele também tiver sido o corretor, este valor será maior. Comprar uma casa na França envolve muitos cuidados, sobretudo em relação à legislação do país para com o regime de sucessão da propriedade. Desde 2015, a França permite que estrangeiros optem entre a legislação local ou a do próprio país.

Precisa enviar dinheiro para outro país?

Depois de testarmos as principais alternativas do mercado (Paypal, Western Union, Moneygram, etc), a plataforma que nós recomendamos é o Remessa Online.


No Remessa Online você vai economizar até 8x nas suas transferências e, se precisar de algum suporte, o apoio ao cliente é em português. Crie a sua conta grátis e envie dinheiro com segurança.

VER COTAÇÃO »

Há valor limite para o financiamento de casa na França

Caso você opte por fazer um financiamento, até o momento de preparar o documento de compra e venda o processo é idêntico ao comprar uma casa à vista. Entretanto, como nesse caso é obrigatório comprovar renda, é altamente aconselhável já ter um financiamento pré-aprovado por um banco.

Na França, o valor financiado costuma ser cerca de 80% o valor da propriedade. No ato do financiamento, é preciso dizer se o imóvel se trata de uma residência ou investimento, pois as taxas podem mudar conforme o objetivo do comprador.

É preciso comprovar renda

É essencial ressaltar que financiar um imóvel na França – assim como alugar – exige algumas burocracias e diversas exigências. Você só irá conseguir financiar uma propriedade se puder comprovar renda. Ou seja, através de um emprego que comprove que você ganhe no mínimo 3 vezes o valor pago por mês pelo financiamento ou com uma transferência alta para uma conta bancária francesa.

Esse valor será definido pelo próprio banco. Apenas não se esqueça que, na transferência de recursos do Brasil para o exterior, o tributo a ser pago é o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), que incide sobre 0,38% do valor, fora a taxa de serviço cobrada pelos bancos para fazer a transação.

Para ambos os casos, a conclusão do pagamento para aquisição do imóvel é feita pelo comprador através do notaire. A escritura é chamada de acte de vente.

Saiba tudo sobre investir na França e como funciona esse processo.

Documentos necessários

Os documentos necessários para financiar um imóvel pode mudar, conforme: a cidade, o vendedor e o banco. Porém, a documentação mínima é:

  • 2 últimas declarações de imposto de renda;
  • 3 últimas folhas de pagamento;
  • 3 últimos extratos de conta bancária;
  • Documento de identidade;
  • Comprovante de residência;
  • Compromisso de compra e venda.

Não se esqueça que, caso você não resida na França e todos os seus documentos sejam em português, será preciso apostilar tudo, em um cartório brasileiro (Apostila de Haia) e fazer uma tradução juramentada. Algumas imobiliárias exigem que a tradução juramentada seja feita diretamente na França, então não se esqueça de verificar isso.

Compra de imóvel na França

Custos

Os custos de comprar um imóvel vão muito além do valor da própria propriedade. Isto porque, ir atrás de toda documentação necessária também tem seus custos – sobretudo se você for estrangeiro e precisar traduzir todos os documentos.

Se você for brasileiro e precisar traduzir toda a documentação, antes é necessário apostilar um por um. Caso viva em São Paulo, cada documento custa R$ 107,00. Para fazer uma tradução juramentada, a lauda custa R$ 86,24. Isto quer dizer que cada página que você precisar traduzir custará isso. Preste muita atenção na hora de traduzir, pois, os tradutores oficiais são concursados e fazem parte de uma lista oficial. Na internet existe muita gente oferecendo seus serviços de tradutor juramentado quando, na verdade, não são. Some estes custos, mais os impostos sobre transação internacional e valor para a imobiliária e notaire.

Dicas para financiamento de casa na França

Encontrar um imóvel em outro país não é tarefa simples. No entanto, graças à tecnologia, alguns sites podem facilitar a sua vida. Sites como o Top Annonces e o Seloger podem ajudar. Este último até traz simulações de financiamento e compara taxas oferecidas por bancos. Já o site oficial do serviço de notaire da França traz o preço por metro quadrado das regiões de acordo com o tipo de construção, seja casa ou apartamento.

Se planeja se mudar para a França com sua família, não esqueça de conferir nossas dicas.

Quanto custa um imóvel na França

Um imóvel em Paris terá um preço completamente diferente do que no interior ou até mesmo outra cidade grande, como Lyon ou Marselha. Em Paris, o metro quadrado custa em média 10 mil euros. Já em Lyon, cerca de 5 mil euros. Veja alguns exemplos abaixo:

  •  Estúdio de 16 m² no bairro do Marais – em Paris = 173 mil euros;
  • Apartamento de 77 m² no 5º arrondissement em Paris = 1.200 mil euros;
  • Apartamento de 80 m² no 1º arrondissement em Lyon = 565 mil euros;
  • Casa de 130 m² em Marselha = 395 mil euros;
  • Casa de 160 m² em Bourg en Bresse (interior da França) = 184 mil euros.

Se visitar a França à procura do imóvel dos sonhos está nos seus planos, não esqueça que o seguro viagem é obrigatório. Para fazer a cotação do seu seguro de forma personalizada, recomendamos que você utilize o nosso comparador de seguro viagem. Ele apresenta planos das principais seguradoras do mercado e ainda garantimos os melhores preços aos leitores do Euro Dicas.

Em destaque no Euro Dicas
  • Sabia que é obrigatório ter Seguro de Viagem para entrar na Europa?

    Seja para morar ou visitar, a imigração pode exigir esse documento no país destino. Se você não tiver, será obrigado a voltar ao Brasil. Em parceria com a Seguros Promo garantimos aos nossos leitores o melhor preço de seguro de viagem.

    COTAR SEGURO »
  • Precisa enviar dinheiro para outro país?

    A nossa plataforma preferida é o Remessa Online. No Remessa Online você vai economizar até 8x nas suas transferências e, se precisar de algum suporte, o apoio ao cliente é em português. Crie a sua conta grátis e envie dinheiro com segurança.

    VER COTAÇÃO »
  • Pensando em morar em Portugal?

    Escrevemos um guia com todos os passos necessários para organizar a sua saída do Brasil com rapidez, segurança e sem complicações. Receba grátis o índice e primeiras páginas.

    RECEBER AMOSTRA »
COMPARTILHE
Autor

Gabriela é brasileira, jornalista e vive na França, onde faz mestrado em comunicação. Apaixonada pelo país desde sempre, foi na França que ela se encontrou e aproveita este espaço para dar dicas e contar histórias e curiosidades sobre este país que vive no imaginário de muita gente. Com um gosto particular por cultura e viagens, ela é nômade digital e nunca mais pretende deixar de ser.