Presentemente, eu posso me considerar um sujeito de sorte”. Esses versos da música do Belchior passaram a fazer muito mais sentido para mim desde que consegui, finalmente, concretizar o meu plano para mudar para a Europa. No meu caso, passaram anos desde que tive a ideia da mudança até conseguir concretizar o plano.

Mas é claro que nem sempre é assim. Tem gente que em curto ou médio prazo consegue realizar esse sonho. De todo modo, sempre é preciso aprender a lidar com o tempo. Vem que eu te conto alguns exemplos e como foi para mim.

Plano para mudar para a Europa em curto prazo

Para começar de forma bem otimista, quero contar sobre uma conhecida que conseguiu realizar o sonho de mudar para a Europa em curto prazo. A Vanessa — uma peruana que conheci no mestrado — tinha recém terminado a graduação quando decidiu continuar os estudos em Barcelona.

Como ela ainda era jovem e contava com o apoio de uma família com recursos, foi o pai dela que tomou a dianteira. Ele a inscreveu no mestrado na Espanha, deu a entrada no visto de estudantes e alugou um quarto para ela na própria universidade. Além disso, pagou as passagens e o seguro de viagem e fez uma declaração de responsabilidade financeira.

Contando com todas essas facilidades, o plano de mudar para a Europa da Vanessa se tornou realidade em apenas um par de meses.

Como lidar com o curto prazo

Passar do sonho à concretização de maneira rápida pode parecer o melhor dos mundos. E talvez seja mesmo. Mas neste caso também é preciso saber lidar com o tempo. Ou seja, resolver tudo que for necessário em curto prazo.

Como a Vanessa é peruana, ela já conhecia o principal idioma do país de destino (neste caso, a Espanha). De toda forma, ainda tem a questão de fazer a mala para mudar de continente, despedir-se de amigos e familiares, entre outros pontos.

Precisa enviar dinheiro para outro país?

Envie dinheiro com toda a segurança, rapidez e melhor taxa de câmbio. Atualizamos a melhor entidade diariamente, faça já a sua simulação!

Cotar Agora →
Procura assessoria para morar na Espanha?

Para solicitar a sua cidadania espanhola, visto, documentos, validação de diploma ou acompanhamento jurídico recomendamos o Escritório Madeira da Costa. Agende a sua consultoria e mude para a Espanha com segurança e tranquilidade.

SABER MAIS →

Plano de mudar para a Europa em médio prazo

Há pouco menos de um ano, uma das leitoras aqui do Euro Dicas me contactou para saber mais sobre Valência. A Lourdes é brasileira e vive com a família em uma casa própria no Panamá.

Neste caso, uma das facilidades é que a família já tem passaporte europeu. Como vivem no Panamá, eles também já falam espanhol. Além disso, o marido da Lourdes tem um irmão que já vive no Velho Continente.

Inicialmente, eles estavam esperando para conseguir vender a casa por lá. Mas recentemente ela me contou que desistiram da espera e que dentro de alguns meses já estarão por aqui.

Longo prazo: a fábula ‘Pedro e o lobo’

Para mim, o sonho de mudar para a Europa nasceu em 2014. Nessa época, eu já vivia sozinha em Floripa há seis anos e fazia muito mais tempo que eu me sustentava sozinha. Foi quando comecei a pesquisar para onde iria e como faria.

Só que, detalhe: eu não tenho cidadania europeia. Também não tinha dinheiro suficiente para a mudança nem uma família com recursos. Só tinha mesmo o sonho, a ideia de um plano para mudar para a Europa.

Desde então, eu comecei a comentar sobre o tema com algumas pessoas. Mas o tempo foi passando e essa história de “eu vou morar na Europa” já se parecia com aquela fábula de Pedro e o lobo. O Pedrinho sempre mentia dizendo que havia um lobo, até que chegou um momento que ninguém mais acreditava nele.

A diferença é que, no meu caso, não era mentira. Era um sonho. Por isso, para continuar focada e com esperança, eu costumava cantar outra música do Belchior: “Você não sente e não vê, mas eu não posso deixar de dizer, meu amigo, que uma nova mudança em breve vai acontecer”.

Muita coisa pode acontecer

No meu caso, o plano de mudar para a Europa foi o resultado de um longo prazo, mais precisamente de quatro anos. E em quatro anos muita coisa pode acontecer. Ou melhor, muitas coisas aconteceram, boas e ruins.

Alguns dos acontecimentos positivos e muito memoráveis foram as viagens. Nesses quatro anos, eu conheci quatro países hispanohablantes: Argentina, Uruguai, México e Costa Rica. Essas experiências me ajudaram a aprender o espanhol, a conhecer melhor o idioma e as diferenças de vocabulário e pronúncia.

Torre Monumental, em Buenos Aires, Argentina
Uma das minhas recordações de Buenos Aires, a Torre Monumental. Foto: Tatylla Mendes

Por outro lado, nesse período, minha mãe perdeu o emprego e eu tive que ajudá-la com as contas. Depois, eu é que fui demitida e tive que me virar nos trinta para encontrar outro emprego. E encontrar também algumas fontes de renda extra para manter a mim, a minha mãe e o meu sonho.

Mas se você achar que eu tô derrotado, saiba que ainda estão rolando os dados. Porque o tempo, o tempo não para”, diria o Cazuza.

Aproveite o tempo

Já que entrei em ritmo de pop rock nacional, vale a pena recordar também o que dizia o Lulu Santos: “Hoje o tempo voa, amor. Escorre pelas mãos, mesmo sem se sentir. E não há tempo que volte, amor”.

A questão é que é fundamental saber aproveitar o tempo, seja em um plano de curto, médio ou longo prazo. Como comecei bem do zero (sem dinheiro, sem ser fluente em espanhol, etc.), acho que o plano de longo prazo foi adequado para mim. E eu soube aproveitar bem o tempo.

Fiz a homologação do meu diploma brasileiro na Espanha (que levou quase três anos). Passei um par de anos estudando espanhol e fiz o exame de proficiência (DELE). Consegui juntar dinheiro, entregar a casa que alugava (e me desfazer de tudo que tinha nela), organizar os documentos com calma e por aí vai.

Do sonho à realidade

Eu já ouvi muita gente dizer que sonha morar na Europa. Porém, conheço pouca gente que tem um patrocinador, uma fada madrinha ou um gênio da lâmpada. Então, para fazer o sonho virar realidade, é preciso primeiro transformá-lo em um plano.

Para começar esse plano de mudar para a Europa, é bom verificar que recursos você já tem (finanças, documentos, etc.) e o que falta para chegar lá. Sabendo disso, o próximo passo é traçar metas (estudar o idioma, juntar dinheiro, etc.) e se dedicar a alcançá-las.

Não pular degraus faz parte do plano de mudar para a Europa
Um passo depois do outro é a melhor maneira de chegar lá. Foto: Tátylla Mendes

Digo isso porque eu sei que o sonho de morar na Europa, em alguns casos, pode parecer inalcançável. Principalmente quando se trata de um plano de longo prazo, é normal ter uns dias de desânimo (e até de frustração). Ter objetivos e metas claras para cumprir pode ajudar a percorrer esse caminho passo a passo.

Além disso, para levantar o ânimo, um dos meus truques era aumentar o volume ao ouvir músicas como a ‘Oração ao Tempo’ do Caetano: “Por seres tão inventivo e pareceres contínuo. Tempo, Tempo, Tempo, Tempo, és um dos deuses mais lindos”.

E depois de chegar?

Independentemente do seu plano para mudar para a Europa realizar-se em curto, médio ou longo prazo, a chegada ao continente não é o último passo. Na verdade, é bem possível que você precise projetar todo um novo plano.

Isso depende, é claro, do objetivo da sua mudança e das suas intenções. Se deseja vir apenas para estudar e viver por aqui enquanto isso. Se quer arrumar um emprego. E inclusive o que você quer fazer após o vencimento do visto.

De todo modo, ao chegar é preciso solicitar novos documentos, abrir uma conta bancária, encontrar um lugar fixo para morar, etc. Minha dica é aproveitar a experiência com o plano anterior (de mudar-se para a Europa) e continuar perseguindo seus sonhos.

E para seguir com a playlist e cheio de energia, recomendo ouvir Chico: “Um marinheiro me contou que a boa brisa lhe soprou que vem aí bom tempo. O pescador me confirmou que o passarinho lhe cantou que vem aí bom tempo”.

Gostou da coluna? Confira o nosso ebook O sonho de viver na Europa, onde brasileiros compartilham as dores e as delícias de morar no velho continente e as dificuldades enfrentadas para conseguir concretizar o plano de mudança.