Visto para nômades digitais na Europa: como funciona e em quais países

Os nômades digitais certamente vêm ganhando bastante espaço no mercado de trabalho. Por não precisar estar em um lugar fixo, eles adotam um estilo de vida menos engessado e optam por trabalhar e viajar entre diversos países. No entanto, apesar das inúmeras vantagens, como conhecer outras culturas, uma das grandes preocupações é sobre a existência de um visto para nômades digitais na Europa.

Alguns países já facilitam a entrada e permanência desses profissionais. Para saber quais são, acompanhe o artigo abaixo e ainda veja se vale a pena um brasileiro ser nômade digital na Europa. Vamos lá?

Existe visto para nômades digitais na Europa?

Os nômades digitais são profissionais que trabalham online, portanto não há necessidade de trabalhar em um escritório, cidade ou país específico. Desde que tenham conexão à Internet, podem oferecer os seus serviços de qualquer parte do mundo.

Com um estilo de vida mais livre, muitos desses profissionais viajam muito, já que não existem fronteiras para seus trabalhos. No entanto, geralmente estão no “limbo” entre os requisitos de visto de turismo e trabalho e esse ainda é um dos principais obstáculos para o trabalho remoto no exterior. Por isso, muitos países já têm voltado os olhos para esses novos profissionais sem endereço fixo.

O primeiro visto para nômades digitais na Europa é da Estônia. Ele irá permitir que nômades digitais trabalhem legalmente no país, mesmo que remotamente.

Precisa enviar dinheiro para outro país?

Envie dinheiro com toda a segurança, rapidez e melhor taxa de câmbio. Atualizamos a melhor entidade diariamente, faça já a sua simulação!

Outros países europeus como Alemanha, Espanha e Portugal também oferecem opções de visto para freelancers e profissionais liberais sem a necessidade de comprovação de renda mensal. No entanto, o visto da Estônia é reconhecido como o primeiro visto do mundo especificamente para nômades digitais. A diferença dos freelancers, é que o visto da Estônia pode ser empregado por uma empresa.

Como funciona o visto para nômades digitais na Estônia?

Recentemente, o Congresso da Estônia aprovou uma emenda à Lei de Migração, que criou um visto para nômades digitais. O visto permite que eles permaneçam por no máximo um ano no país. Ou seja, nove meses a mais do que um visto de turista comum, com duração de três meses.

A Estônia já possuía um programa de residência digital chamado e-Residency. Nesse programa, com apenas 100€, empresários estrangeiros tinham a oportunidade de abrir uma empresa online dentro da União Europeia, ter um cartão de identificação e uma conta bancária sem exigir uma identidade. A diferença agora é que, com o novo visto, os profissionais poderão morar e residir legalmente no país.

O visto para nômades digitais tem o objetivo de atrair viajantes para morar no país sem ocupar os empregos de residentes locais. Os vistos emitidos para nômades digitais passarão pelos mesmos critérios detalhados que outras categorias.

Requisitos para aplicação do visto de nômade digital da Estônia

Para ter o seu visto de nômade digital aprovado, o requerente precisa cumprir alguns requisitos. São eles:

  • Capacidade para desenvolver seu próprio trabalho, independente de onde estiver;
  • Usar a Internet para trabalho remoto;
  • Ter um contrato válido com uma empresa registada fora da Estônia ou conduzir negócios, prestar serviços através da sua própria empresa. Ou também, trabalhar para clientes fora da Estônia (de preferência um freelancer);
  • Comprovar a renda mensal é de pelo menos 3.504€ (renda total) nos seis meses anteriores à inscrição.

Documentos necessários para aplicação do visto

Ao solicitar o Visto para nômades digitais na Estônia, são necessários alguns documentos. Veja:

  • Passaporte com validade que abranja todo o período que você pretende ficar no país;
  • Documentos que comprovem que pode desempenhar as suas funções à distância. Eles irão depender do tipo de trabalho que você realiza, tais como: confirmação do seu empregador, contrato de trabalho com a empresa para a qual presta serviços. Além disso, profissionais independentes devem provar a legalidade de seus serviços;
  • Extratos bancários ou notas fiscais dos últimos seis meses para comprovar a renda mínima necessária;
  • Currículo e Cover Letter atualizados com a descrição de seus estudos e carreira profissional.

Tipos de visto para nômades digitais

Outros países facilitam a vinda de nômades digitais?

No cenário profissional, o fenômeno dos nômades digitais ainda é relativamente novo. Países ao redor do mundo e na Europa passaram algum tempo determinando como incluí-los em suas políticas de visto, mas agora estão implementando regras e vistos específicos para eles.

Alguns dos melhores países para nômades digitais são:

Nômade digital na Alemanha

O país foi o primeiro a criar um visto para freelancers. Nesse caso, existem dois tipos de visto, também chamados de freiberufler: um voltado exclusivamente para artistas e o outro é para outros profissionais autônomos.

Aqui, os nômades digitais devem se registrar no departamento tributário e enviar uma série de documentos como carteiras de investimentos, extratos bancários e, em alguns casos, comprovantes de competência técnica.

Nômade digital na República Checa

Na República Checa, existe um visto especial de negócios (zivno ou zivnostenské opravneni) para nômades digitais. O pedido deve ser feito pessoalmente no consulado ou embaixada Checa, mas o tempo de permanência é significativamente mais longo do que o visto de turista, variando de 90 a 120 dias.

Nômade digital em Portugal

Apesar de ser conhecido como o visto dos empreendedores, o visto D2 em Portugal também pode ser solicitado como visto para freelancers e nômades digitais. Veja os requisitos e como solicitar nesse artigo.

Como viver legalmente como um nômade digital em Portugal?

Um dos destinos mais atrativos para os brasileiros viverem como nômade digital é Portugal. Apesar de o país ainda não possuir um visto específico para esse tipo de profissional, é possível viver legalmente no país como o visto D2.

Esse visto pode ser solicitado por trabalhadores autônomos e empresários no âmbito da prestação de serviços e permite a estadia por até um ano. Destina-se a realização de atividade profissional independente no âmbito de prestação de serviços por um período inferior a 12 meses.

Documentos necessários

Para solicitar um visto de estada em Portugal, é necessário apresentar alguns documentos. São eles:

  • Formulário de pedido de visto;
  • Passaporte ou outro documento de viagem válido por mais três meses para além da duração da estada prevista;
  • Duas fotos no modelo de passaporte;
  • Seguro de viagem válido;
  • Requerimento para consulta do registo criminal português pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF);
  • Antecedentes criminais;
  • Provas de meios de subsistência;
  • Contrato de sociedade ou prestação de serviços;
  • Quando aplicável, declaração emitida pela entidade competente para a verificação dos requisitos do exercício de profissão que, em Portugal, se encontre sujeita a qualificações especiais.

Além disso, para comprovar os rendimentos, deve ser apresentado um termo de responsabilidade assinado. Também é possível apresentar extratos bancários e notas fiscais de meses anteriores que comprovem seus rendimentos. Pode ser exigida ainda a Inscrição na Ordem Profissional portuguesa da sua área e exigida relevância da sua área de atuação.

Vale a pena sair do Brasil para ser nômade digital na Europa?

Certamente, o sonho de muitos brasileiros é viver na Europa, especialmente pela qualidade de vida. Mas nem sempre conquistar esse sonho é uma tarefa fácil. Por isso, ser um nômade digital pode ser uma boa possibilidade. No entanto, é preciso atenção a alguns detalhes.

Primeiramente, deve-se ter cuidado com a desvalorização do Real em comparação às moedas europeias. Então, se a pessoa trabalhar remotamente para empresas brasileiras que pagam na moeda nacional, pode ter ganhos muito baixos após a conversão.

Outro ponto de atenção deve ser o custo de vida na Europa. Alguns países como a Inglaterra, por exemplo, tem um custo de vida bastante alto. Por isso, antes de tomar essa decisão, é preciso ponderar se os custos valem a pena.

Por outro lado, ser um nômade digital na Europa pode possibilitar que você trabalhe para empresas de qualquer lugar do mundo e ainda conheça diversos países do velho continente. Além disso, existem outras vantagens como aprender um novo idioma, conhecer pessoas e culturas diferentes e aumentar o seu networking.

Dicas finais

Pessoas que trabalham como nômades digitais vêm ganhando cada vez mais espaço no mercado de trabalho. Com isso, as atenções de países têm se voltado para esses novos profissionais, a fim de oferecer opções de estadias legais.

Sendo assim, o visto para nômades digitais na Europa já é uma realidade. A Estônia está sendo pioneira nesse tipo de visto, mas outros países já facilitam a entrada desses profissionais.

Portanto, quem deseja ser um nômade digital na Europa deve se atentar aos prós e contras dessa decisão e se preparar muito bem antes do embarque.

Andrea é jornalista e também tem formação em Linguística. Apesar de nascida em Curitiba, não demorou muito tempo para seu coração ganhar o mundo. Começou a trabalhar com agronegócio, área que a fez ganhar gosto para trabalhar fora do escritório, com pessoas de culturas e lugares diferentes. Com uma câmera na mão, desbravou inúmeras cidades e nunca mais parou. Decidiu unir a paixão pela profissão e pelas viagens e fez disso sua vida. Viajou por todos os cantos do Brasil e também se aventurou pelos Estados Unidos, sete países da África e Ásia. Ao lado do filho já morou no Sri Lanka e no Vietnã. Desde 2018 vive na Inglaterra e divide seu tempo entre a maternidade, produção de conteúdo e viagens pelo Reino Unido e Europa.

Artigos relacionados

Family Search: saiba se é seguro e como funciona

Para ajudar a conectar familiares existe o Family Search, ferramenta que coleta, preserva e compartilha registros genealógicos no mundo todo.

Apostila de Haia: o que é, como fazer e quanto custa

Entenda o que é a Apostila de Haia, por que ela ajuda quem quer morar fora do Brasil, quais documentos pode apostilar e onde apostilar.

Carta de motivação: modelos e dicas para preparar o documento

Confira dicas para preparar uma carta de motivação, um modelo desse documento e veja exemplos de como escrevê-la para intercâmbio, mestrado e universidade.

Países fáceis de imigrar: veja os 4 mais receptivos da Europa

Confira a lista de países fáceis de imigrar e descubra o porquê da facilidade. Veja como é a adaptação, visto e burocracias para brasileiros nesses países.

Cidades que pagam para morar: 10 regiões encantadoras

Confira a lista de cidades que pagam para morar ou dão moradia ou terreno e veja quais são as condições para isso. Há várias na Europa.

Conseguir emprego no exterior ainda no Brasil: dicas úteis

Conseguir emprego no exterior não é uma tarefa fácil, mas temos dicas para fazer um bom currículo, onde procurar vagas e os melhores países para trabalhar.

Câmbio de moedas

EURO € : R$ 0.00

LIBRA £ : R$ 0.00

DÓLAR $ : R$ 0.00

Ouça nosso Podcast

Curta nossa página

Euro Dicas no Youtube