Pular para o conteúdo
Visto

Será que precisa de Visto para Europa? É uma pergunta que quase 90% da população se pergunta, e nessa categoria você encontra todas as respostas, todos os tipos de vistos, quando solicitalos, como e onde.

Artigos recentes

Pessoas preenchendo formulário de visto.
França Visto

Visto de pesquisador na França: como solicitar o seu

O visto de pesquisador na França oferece benefícios para aqueles que pretendem passar um período trabalhando com pesquisa no país. Ficaram curiosos? Então, conheça um pouco mais sobre esse documento, os pré-requisitos para solicitá-lo e suas condições de renovação! O que é o visto de pesquisador na França? O visto de pesquisador na França é um tipo de visto de longa duração (visa long séjour ou VLS), cuja menção Passeport Talent-Chercheur permite seu detentor fazer um curso de doutorado, realizar trabalhos de pesquisa ou dar aulas em nível universitário na França. Como funciona o visto de pesquisador? O visto de pesquisador na França, assim como o visto de trabalho, é um atestado de seu status de assalariado no país. Isso significa que você terá os mesmos direitos e deveres que um francês assalariado. Ele te permite exercer atividades profissionais, desde que tenha ligação com a Universidade que está te recebendo. Sem dúvidas, trata-se de um visto bastante poderoso. Em minha experiência, por exemplo, por mais que eu fosse uma doutoranda, ele me permitia acessos a espaços especiais da Universidade, bem como a possibilidade de fazer certas demandas exigidas pelo meu trabalho nas bibliotecas em Paris. Quem pode solicitar o visto? Detentores de um diploma de mestrado que estão realizando uma pesquisa científica ou são professores-pesquisadores (em francês, enseignants-chercheurs) podem solicitar o visto de pesquisador na França. Eventualmente, como no meu caso, estudantes de doutorado também podem fazer a solicitação. Contudo, isso vai depender do tipo de vínculo estabelecido com a Universidade francesa, o período de permanência e os recursos financeiros disponibilizados para a sua estadia. Os cônjuges e filhos menores de uma pessoa detentora do visto de pesquisador na França podem se beneficiar de um procedimento simplificado de família acompanhante. Isso significa que eles podem obter a permissão de entrar e permanecer na França sem ter de passar pelo procedimento de reagrupamento familiar. Quais são os requisitos para conseguir o Passeport Talent? Para obter o Passeport Talent, é preciso cumprir com os seguintes requisitos: Possuir um diploma de Mestrado; Ter sido convidado por uma Universidade na França para conduzir trabalhos de pesquisa ou trabalhar com o ensino de nível universitário; Possuir uma Convention d’accueil assinada por um organismo público ou privado - de acordo com esse período de missão de pesquisa ou ensino. Ela deve indicar que você é um pesquisador, o objetivo da estadia na França e a duração de sua permanência. O que é a Convention d’accueil? A Convention d’accueil é um documento administrativo que vai indicar a natureza e a duração dos trabalhos que serão conduzidos pelo pesquisador ou pelo doutorando em questão. Além disso, o documento faz uma precisão dos recursos, das condições de estadia e a cobertura médica que o beneficiário tem acesso. Essa Convention é emitida pela Universidade francesa que vai te receber e deve ser endereçada ao beneficiário. Uma vez com o documento original em mãos, é preciso entregá-la ao Consulado francês de sua circunscrição para fazer a demanda de visto. O procedimento da Convention se aplica aos casos em que o pesquisador ou doutorando é recebe recursos mensais para conduzir seus trabalhos de pesquisa ou cursos na Universidade. Europeus não precisam da Convention A Convention não é emitida para os que possuem nacionalidade dos países da União Europeia, do Espaço Econômico Europeu, da Suíça, da Romênia e da Argélia. Contudo, se você é brasileiro e pretende passar uma temporada na França nos moldes acima descritos, você poderá solicitar uma Convention junto a sua Universidade. Documentos necessários Os documentos necessários para o visto de pesquisador na França são os seguintes: Cópia de todas as páginas de seu Passaporte. Ele deve ter sido emitido há menos de 10 anos, ter pelo menos duas páginas em branco, e ser válido até 3 meses após a data de expiração do visto solicitado; Fotografia de identidade; Comprovante de residência; Convention d’accueil original; Diploma de Mestrado. Esses são os documentos oficialmente solicitados, no entanto, é possível que o Consulado ainda necessite de outros documentos. No meu caso, por exemplo, além dos documentos acima, o Consulado de São Paulo também indicou que eu tivesse em mãos: Comprovante de estadia na França, pelo menos para os primeiros três meses; Cópia do seguro-saúde contratado para a Convention d’accueil; Comprovante dos recursos financeiros que eu ia receber. Como solicitar o visto de pesquisador na França? O passo a passo para solicitar o visto de pesquisador na França ficou ainda mais fácil nos últimos anos devido à implantação de uma ferramenta unificada de solicitação dos documentos nos Consulados brasileiros. Essa mesma ferramenta é utilizada para a emissão de outros vistos, como o visto férias-trabalho na França. Veja as etapas pelas quais você deve passar se quiser ter esse documento: 1. Se certificar de que você é elegível ao visto de pesquisador na França Oficialmente, os requisitos para solicitar esse visto são os mesmos mencionados acima. No entanto, minha experiência mostra que cumpri-los não é o suficiente para fazer a solicitação. Conheço alguns colegas doutorandos que, mesmo cumprindo com esses requisitos, foram aconselhados a solicitar um visto de estudante de longa duração, passando pelo procedimento da Campus France. [caption id="attachment_163645" align="alignnone" width="750"] A Convention e a tradução do diploma são imprecindíveis para o visto de pesquisador na França. Foto: Bárbara Ábile.[/caption] Outros, como eu, até tentaram fazer a solicitação de visto de estudante, mas foram aconselhados pela própria Campus France a solicitar a emissão de uma Convention d'accueil junto a Universidade. Assim, minha sugestão é que você contate, em primeiro lugar, a Campus France. Esse é o melhor meio de se informar dos procedimentos necessários para qualquer tipo de projeto universitário na França. 2. Contatar a Universidade da França Se a Campus France indicou que, no seu caso, você é elegível ao Passeport Talent Chercheur, você deve entrar em contato com sua Universidade da França informando seu projeto de estudos e solicitando a Convention d’accueil. Para isso, peça ao laboratório que vai te receber indicar o melhor contato para tratar desse assunto. Normalmente, é o setor que cuida de alunos estrangeiros. Para adiantar, envie logo neste primeiro contato os documentos justificando o motivo de sua solicitação, como a carta convite do laboratório de pesquisa que vai te acolher na França e o atestado de recursos financeiros para o período. Fiz isso e me economizou um tempão! Já na primeira resposta a pessoa responsável me passou quais outros documentos eu deveria apresentar para a emissão da Convention. 3. Solicitar a emissão da Convention d’accueil A emissão da Convention exige o envio de outros documentos à parte daquele que precisará ser entregue ao Consulado e que citamos anteriormente. Esses documentos podem variar de acordo com a Universidade, mas de maneira geral eles costumam ser: Um formulário da própria universidade francesa com seus dados pessoais; Cópia do seu passaporte; Tradução juramentada para o francês de seu diploma de Mestrado; Atestado de honra de que você não está inscrito como estudante em nenhuma outra faculdade francesa, nem está fazendo pós-graduação na França; Carta convite da pessoa que será responsável por supervisionar seu trabalho na universidade francesa. Essa carta precisa indicar as datas exatas da estadia na França e seu objetivo; Comprovante de recursos financeiros para cobrir os gastos de estadia; Formulário de Convention de séjour assinado pelo laboratório que vai te acolher; Comprovante de que você possui um seguro médico ou um plano de saúde na França válido por toda duração da viagem; Atestado de responsabilidade civil, que assume a cobertura de eventuais acidentes causados a terceiros durante a validade da estadia. Para fazer as traduções com rapidez e garantia de qualidade na entrega, indicamos que conheça a Yellowling. A empresa possui uma equipe de tradutores especializados e certificados e todo serviço é feito online, do orçamento à entrega dos documentos traduzidos. 4. Aguardar a emissão da Convention d’accueil Essa é, de longe, uma das partes mais angustiantes do processo. Em primeiro lugar porque a reunião de todos esses documentos depende de vários fatores, como a assinatura de várias pessoas, conseguir encontrar um seguro médico válido por todo período e pagá-lo. Esse último ponto, pelo menos para mim, foi bem difícil e motivo de muito estresse. Em segundo lugar porque a emissão da Convention costuma demorar, em média, 3 semanas a partir do recebimento do jogo completo de documentos. No entanto, isso também pode variar de universidade para universidade, e depende muito do momento em que você solicitou. Nesse sentido, posso dizer que tive sorte: fiz minha solicitação no final do ano, portanto, ainda que houvesse o medo da pausa de final de ano, eu sabia que não havia tantas demandas desse tipo na universidade. Em 1 semana o documento já havia sido emitido. 5. Receber a Convention original Depois de conseguir reunir todos os documentos e enviar para a universidade, é preciso pensar em como essa Convention original chegará até você. Normalmente, a instituição até envia uma cópia pdf da Convention para você, mas nem pense em tentar marcar um horário no Consulado se você não está com o papel original: será uma perda de tempo. No meu caso, pude contar com o amigo de uma colega que estava na França e que se disponibilizou a pegar minha Convention e fazer a postagem para envio internacional. Como eu tinha uma certa pressa, contratei uma empresa que faz esse tipo de envio de maneira rápida, ainda que custosa. 6. Complete seu pedido de visto online Enquanto sua Convention não chega, vá preparando o conjunto de documentos obrigatórios para solicitar o visto. Uma vez feito isso, complete seu pedido de visto pelo portal France-visas, preenchendo os campos necessários e anexando os documentos solicitados. 7. Apresente seu dossiê no Consulado Após preencher seu dossiê, visite a página de informações dos centros de vistos franceses no Brasil e saiba a quem você deve se dirigir para apresentar seu pedido. Nessa mesma página, você encontrará a ferramenta de marcação de atendimentos no Consulado de sua circunscrição, a partir da qual você deve escolher um dia e um horário. Por fim, basta acompanhar seu processo de pedido de visto. O Consulado vai te convocar para retirar seu documento assim que ele estiver pronto. Quanto custa o visto de pesquisador na França? O visto de pesquisador na França custa 99€. Você deve pagá-lo em moeda local no dia de seu primeiro atendimento no Consulado, em espécie ou cartão de débito. Vale lembrar que o pagamento do visto não significa, obrigatoriamente, que o Consulado vai aprovar sua solicitação. Quanto tempo leva para o visto Passeport Talent ficar pronto? Em torno de 15 dias, mas isso vai depender da demanda da época em que você estiver solicitando. Eu, por exemplo, fiz minha solicitação no início de janeiro e o visto ficou pronto em 14 dias corridos. Qual é a duração do visto? Depende da duração do vínculo especificado em sua Convention d’accueil. Se sua Convention especificar que você ficará na França por até 12 meses, o seu Passeport Talent terá a menção VLT-TS (visa valant titre de séjour) e terá a validade de um ano. Mas, se sua Convention mencionar a permanência por mais de 12 meses, significa que ele poderá durar até 4 anos. Tal permanência está diretamente atrelada à disponibilização de recursos financeiros para tal. Pode renovar? Novamente, isso depende da duração do vínculo especificado em sua Convention d’accueil. Se sua Convention especificar que você ficará na França por até 12 meses, o seu Passeport Talent terá a menção VLT-TS (visa valant titre de séjour) e não será renovável. Mas, se sua Convention mencionar a permanência por mais de 12 meses, significa que ele será renovável. Nesse caso, o Consulado vai emitir um visto simples do tipo Passeport Talent-Chercheur, que terá a validade de três meses. Sendo assim, nos dois primeiros meses após sua chegada na França, você deverá ir até a Préfecture de Police para fazer o pedido de sua carte de séjour pluriannuelle, com menção Passeport Talent-Chercheur. Essa carte de séjour terá uma duração idêntica à que está registrada em sua Convention d’accueil, com um limite de 4 anos. A Convention define tudo Se Convention não mencionar a possibilidade de continuar no país, você não conseguirá renovar seu visto. Lembrando que essa permanência no país está estritamente vinculada à disponibilização de recursos para tal. Só para ilustrar, menciono meu exemplo: O projeto do qual eu participava previa um tempo determinado de uma bolsa de estudos de mestrado e doutorado, portanto, eu só poderia continuar na França após esse período se: a universidade francesa me enquadrasse em outro projeto com acesso a outra bolsa ou se a bolsa de estudos brasileira não exigisse meu retorno para o Brasil após o fim da concessão de recursos. Validação do visto de pesquisador França Se o seu visto de pesquisador na França é o Passeport Talent com a menção VLT-TS (visa valant titre de séjour), será necessário fazer a validação de seu visto. Esse foi o meu acaso. Assim, nos três meses seguintes à sua chegada na França, você deverá realizar esse procedimento via internet. A ferramenta é superintuitiva. Ao final do procedimento, você deverá pagar 225€. Após isso, você recebe um documento pdf que comprova a validação de seu visto, e, portanto, sua legalidade de permanência na França. Visto de estudo ou visto de pesquisador? Existem vários tipos de visto para a França e cada um deles é atribuído em função do projeto do solicitante. Sendo assim, vários critérios são decisivos na hora de indicar a categoria de visto mais adequada, como o tipo de estudo, a instituição, a duração da formação, entre outros. Como vimos, o visto de pesquisador na França exige que você esteja em posse da Convention d’accueil, mas você apenas terá esse documento caso você se enquadre em um projeto específico. Portanto, em alguns casos a emissão da Convention pode ser negada. [caption id="attachment_163644" align="alignnone" width="750"] Se informe junto à Universidade ou à Campus France para saber qual a melhor opção de visto para seus objetivos.[/caption] Se isso acontecer com você, não se preocupe! Normalmente, isso ocorre quando o solicitante está inscrito como estudante de doutorado em uma universidade francesa sem financiamento ou com uma bolsa de estudo na França, mas sem contrato doutoral ou de trabalho. Se esse for o seu caso, basta solicitar um visto de estudante de longa duração. O visto de estudante de longa duração na França autoriza, normalmente, que seu proprietário trabalhe até 60% da carga horária legalizada na França. Sua emissão acompanha o formulário de Demande d'attestation OFII e tem a duração de 1 ano, com possibilidade de renovação. Vale a pena solicitar o Passeport Talent? Na minha opinião, depende da duração do vínculo especificado em sua Convention d’accueil. Se a previsão é que você fique por mais de 12 meses na França, o Passeport Talent vale muito a pena. Ele tem o procedimento de renovação facilitado, possibilita o exercício de uma atividade profissional junto da Universidade mencionada em sua Convention, além de permitir o reagrupamento familiar. Nesse sentido, o cônjuge do titular de um visto de pesquisador na França também pode trabalhar. Quando não vale a pena? Contudo, se a previsão é que você fique até 12 meses no país, acredito que o Passeport Talent não seja a melhor opção. Primeiramente porque é um visto bastante caro: são 99€ para a emissão de visto e mais 225€ para sua validação. Em outras palavras, são quase 330€ em um documento que, na teoria, é uma carte de séjour pluriannuelle, mas não na prática. Além disso, dado que a Convention é um contrato de trabalho, seu status na França passa a ser de assalariado. Isso significa que você deixará de ter acesso a certos descontos previstos para quem estuda na França, como as refeições nos restaurantes universitários. Por isso, de acordo com o que vivi, acredito que para doutorandos que vão ficar até 12 meses na França, o ideal é o visto de estudante de longa duração. Apesar disso, ressaltamos que a escolha por um ou pelo outro pouco depende do solicitante. O poder de decisão está com a Campus France e com a própria Universidade que vai te receber.

Pessoa aplicando para visto na França.
França Visto

Visto para França em 2024: como solicitar e quanto custa

Conhecer os tipos de visto para a França é o primeiro passo a ser dado se você quer se mudar para o país. Para ajudar no seu processo, saiba que cada um deles possui critérios, benefícios e até preços diferentes. Conheça abaixo um pouco mais sobre esse documento essencial e encontre o mais adequado pra sua necessidade! Pergunta Resposta Para ir para França precisa de visto? Não, caso sua estadia tenha duração igual ou inferior a 90 dias. Para 90 dias ou mais, precisa. Quanto custa para tirar visto francês? Há casos em que os vistos são gratuitos, outros são emitidos mediante taxas cobradas em euros, em valores que não ultrapassam 99€. Brasileiro precisa de visto para França? Brasileiros com cidadania europeia não precisam de visto para França. Precisa de visto para França? Depende do tempo de sua estadia. O visto não é necessário caso você vá visitar a França para ficar um período menor de 90 dias. Contudo, se você for permanecer no país por mais de 90 dias, o visto é obrigatório. Assim como os Estados-membros europeus que fazem parte do Espaço Schengen, a França não exige visto dos brasileiros que desejam entrar no país como turistas. Sendo assim, é possível planejar uma viagem de até 90 dias e permanecer legalmente no país sem qualquer dificuldade. Por outro lado, caso seu plano seja de permanecer no país por mais de três meses, se você não possuir cidadania europeia (passaporte ou identidade), será necessário solicitar um visto antes de sair do Brasil. Portanto, o visto é essencial para permanecer legalmente no país por mais de 90 dias. Documentos para visto francês De acordo com o Consulado Geral da França em São Paulo, os documentos básicos são: Formulário de visto preenchido e assinado; Passaporte válido + cópia das 3 primeiras páginas; 2 fotos 4cm X 5cm recentes; Certidão de nascimento ou casamento; Comprovante de residência no Brasil; Comprovação de recursos financeiros. Os valores e formas de comprovação variam de acordo com a modalidade do visto; Comprovante de residência ou hospedagem na França. Ela pode ser oferecida pela empresa que te contratou, comprovada por aluguel ou carta convite de responsabilidade de alojamento, comprovante de residência do responsável e cópia da identidade; Seguro de viagem internacional com cobertura mínima de 30 mil euros em despesas médicas e hospitalares pelo período de 3 meses de estadia. É importante reiterar que pode haver diferenças nos documentos solicitados entre as circunscrições de cada região. Por isso, vale checar o site oficial do consulado que atende ao estado em que você vive para não ter erro. Lembrando que existem pelo menos 10 categorias de vistos para a França e cada um deles conta com uma lista de documentos e pré-requisitos específicos. Caso você queira explorar todos os documentos para cada tipo de visto, a ferramenta dedicada aos vistos franceses é bem intuitiva e pode te ajudar. Visto de trabalho na França É o visto para quem conseguiu uma vaga de trabalho na França e custa 99€. Os documentos necessários para pedir o visto de trabalho, além dos documentos essenciais acima mencionados, são: Permissão de trabalho obtida por seu empregador junto à administração francesa; Cópia de diplomas, provas de qualificação e certificados de trabalho. Visto de estudante na França O visto de estudante atende àqueles que pretendem entrar no sistema de ensino na França, isto é, realizar um curso de francês, executar um acordo de cotutela ou de duplo-diploma, realizar a graduação completa, o mestrado, eventualmente o doutorado ou outros cursos livres de longa duração, como de culinária, por exemplo. Os documentos específicos para o visto de estudante para longa duração são: Número do processo concluído na Campus France, ferramenta através da qual você dará início ao seu processo de matrícula em uma universidade francesa; Pré-inscrição ou inscrição em um estabelecimento universitário com as datas de início e fim do curso, ou de curso do idioma francês com carga horária mínima de 20 horas semanais reconhecido pelo Ministério Francês da Educação Nacional; Garantias financeiras regulares suficientes à duração. Pode ser uma declaração de financiamento parental (com firma reconhecida em cartório), de recebimento de bolsa ou de autofinanciamento no valor mínimo de 615€ mensais. O pedido de visto custa 50€, mas se você for contemplado com alguma bolsa de estudos do Brasil, ele é gratuito. Experiência com visto de estudante para a França Eu, Bárbara, tive de pedir um visto de estudante para a França durante o mestrado, quando fui contemplada com uma bolsa financiada por uma fundação brasileira para passar 6 meses estudando e morando em Paris. Segui as instruções de iniciar o processo de solicitação com 3 meses de antecedência. Assim, o primeiro passo foi me cadastrar na plataforma da Campus France e anexar todos os documentos que comprovavam meu aceite na Universidade francesa, bem como os recursos financeiros que eu receberia durante o período fora. Como eu já tinha dois dos documentos mais difíceis do processo, isto é, o aceite da Universidade e a comprovação de recursos financeiros, a análise do meu dossier foi bem rápida. Em duas semanas eu já tinha feito minha entrevista pré-consular, tinha o meu número do processo e comecei a organizar a lista de documentos para marcar minha entrevista no Consulado francês. Devo dizer que a cada documento que eu colocava em minha pastinha, o coração batia mais forte! Fiz todo o procedimento com o Consulado de São Paulo, que fornece todas as instruções detalhadas para cada passo a passo. Como na época eu ainda não tinha uma residência fixa, nem conhecia ninguém na França, fiz uma reserva com cancelamento gratuito no Booking.com e usei como comprovante de estadia. Nesse campo específico do formulário de solicitação do visto, eu inseri as coordenadas da Universidade onde eu ficaria atrelada. Depois de pouco mais de uma semana, recebi um email do Consulado francês avisando que meu visto para a França já estava pronto e que eu poderia retirá-lo. Não foi necessário realizar mais nenhuma formalidade em relação ao visto, ao chegar em Paris. Visto Visiteur na França Essa modalidade de visto não permite trabalhar. É uma categoria que pode ser utilizada em situações como, por exemplo, aposentados no Brasil que desejam viver uma temporada estendida na França ou familiares de estudantes ou pessoas que desejam passar um tempo no país sem trabalhar. O visto custa 99€. Os documentos específicos para pedir o visto Visiteur são: Carta em francês com motivo do pedido de residência; Declaração de que não exercerá nenhuma atividade remunerada na França, feita de próprio punho e assinada; Justificativas de rendimentos suficientes para sua estadia na França; Comprovantes da situação socioeconômica no país de residência; Certidão negativa criminal. Visto de empreendedor na França Para quem pretende abrir um negócio na França através do visto de empreendedor, além dos documentos básicos, deve apresentar: No caso de atividade comercial, artesanal ou industrial, apresentar a opinião da Plateforme interrégionale de la Main d'œuvre Etrangère no departamento em que o projeto está previsto; Comprovante de registro da empresa (contrato social, extrait K ou Kbis) ou de filiação ao convênio social dos autônomos (se os documentos já tiverem sido obtidos); Formulário CERFA do tipo “commerçant, artisan, industriel” preenchido; Extrato do registro judiciário ou documento equivalente; Comprovantes relativos à sua capacidade de exercer a atividade em questão, como diplomas, qualificações, certificados, entre outros. Além disso, há ainda uma série de documentos que devem ser entregues conforme sua situação, isto é, no caso de criação de uma atividade ou inserção em uma atividade existente. Visto para cônjuge de francês Esse visto é gratuito e exclusivo para quem contraiu matrimônio com um(a) francês(a) e é o primeiro passo caso você queira tirar o cartão de residência para familiar de cidadão europeu. Os documentos necessários a essa modalidade, além dos básicos anteriormente listados, são: Cópia integral recente (menos de 3 meses) da certidão de casamento francesa, seja elaborada por uma prefeitura da França, seja transcrita nos registros consulares de estado civil para casamentos fora da França; Comprovante de nacionalidade francesa do cônjuge. Visto para Au Pair na França Na França, o programa de Au Pair tem como pré-requisito a inscrição em curso de francês ou a comprovação de conhecimento da língua. Ao mesmo tempo, essa categoria de visto não possui qualquer exigência em relação à comprovação da situação financeira do solicitante. Os documentos específicos necessários são: Carta de motivação em francês justificando o pedido de visto; Convenção elaborada pela família acolhedora no formulário específico CERFA, pelo período máximo de um ano; Atestado de conhecimentos básicos da língua francesa ou do nível de francês adquirido emitido por escola; Diploma ou certificado de educação secundária ou da qualificação profissional do candidato. Para fazer o pedido do visto de Au Pair é preciso pagar uma taxa de 99€. Visto para estágio na França Se você conseguiu aquela sonhada vaga de estágio na França para dar um salto na carreira, atente-se aos documentos específicos para essa categoria, além dos mandatórios e básicos listados anteriormente: Convenção de estágio aprovado pela administração francesa; Comprovantes de meios de subsistência para a duração do estágio; Documento especificando as condições de acomodação durante o estágio; Seguro médico para os 3 primeiros meses da estadia. O visto de estágio custa 99€. Passeport Talent Chercheur/Scientifique O Visto Passeport Talent Chercheur/Scientifique é voltado aos pós-doutorandos, pesquisadores e professores-pesquisadores que pretendem ficar na França por pelo menos 12 meses. Em alguns casos, ele também é atribuído à doutorandos – a decisão por esse visto, normalmente, cabe à Campus France ou à Universidade francesa que vai te receber. Além da documentação já listada, candidatos a esse visto devem apresentar: Convention d’accueil original de um organismo credenciado, constando o carimbo e assinatura da instituição de ensino; Diploma equivalente a um mestrado (Master) na França e sua respectiva tradução para o francês. Ele é tarifado em 99€. Experiência com visto Passeport Talent Chercheur/Scientifique para a França No doutorado, eu, Bárbara, fui contemplada com uma bolsa de estágio de pesquisa em uma Universidade de Paris. Após receber os documentos da agência financiadora brasileira, busquei a Campus France para dar início em meu processo. Anexei todos os documentos na plataforma, contudo, recebi uma notificação que afirmava que no meu caso eu deveria requisitar o visto Talent Chercheur/Scientifique, e não o de estudante. Por fim, indicaram que eu entrasse em contato com a minha Universidade francesa para solicitar a emissão de minha Convention d’accueil. [caption id="attachment_163170" align="alignnone" width="750"] Independentemente do seu tipo de visto para a França, é preciso ficar atento à documentação exigida.[/caption] Foi um processo angustiante, para dizer o mínimo. Estávamos no início de dezembro e a instituição de ensino ia em breve fazer sua pausa para festas de final de ano. Mas, para solicitar a emissão da Convention, tive que providenciar traduções de diplomas e contratar um seguro saúde que fizesse a cobertura de minha estadia na França - coisas que levam um certo tempo e considerável emprego de recursos. Após enviar todos os documentos necessários para a Universidade via e-mail, aguardei uma semana e recebi o aviso de que a Convention estava pronta. Vale dizer que o pessoal da minha Universidade trabalhou em tempo! Como tinha o prazo muito apertado, tive que contratar o serviço da DHL para fazer um envio prioritário do documento ao Brasil. Convention d'accueil original é obrigatória Apesar de estranho, de fato precisamos levar a Convention original ao Consulado na hora de pedir o visto. Isso porque se trata de um contrato de trabalho entre o pesquisador e a universidade de destino, portanto, tal documento deve conter a assinatura original do próprio reitor da Universidade, do Consulado francês no Brasil e do pesquisador convidado. O próprio atendente do Consulado de São Paulo me pediu para que eu guardasse a Convention com muito cuidado, pois ela era um documento importantíssimo. Reuni todos os documentos necessários, marquei meu atendimento e após 14 dias corridos recebi um e-mail que informava que meu visto estava pronto. Foi tudo bem em cima da hora, mas deu tudo certo! Para além dos 99€ pagos no dia de minha solicitação de visto, depois de chegar na França tive ainda que fazer a validação online do documento e pagar uma taxa de 225€. Visto para família de quem pede visto Talent Chercheur/Scientifique Esse visto é aplicável se você se enquadra no caso de ser esposa, marido ou filha(o) de quem está partindo para a França com um visto Talent Chercheur/Scientifique. Além dos documentos anteriormente mencionados, a papelada necessária para essa modalidade inclui: Certidão de casamento ou de nascimento de filhos, associada à tradução juramentada. Não é aceita a união estável; Autorização para residir na França, caso o menor esteja viajando apenas com um dos pais, com tradução juramentada; Formulário do contrato de trabalho do beneficiário, ou seja, a Convention d’accueil. O visto custa 99€. Visto Férias-Trabalho na França Em vigor desde março de 2018, o visto férias-trabalho na França é exclusivo para pessoas com idades entre 18 e 30 anos e pode ser solicitado até a véspera do aniversário de 31 anos. Ele permite que você vá para o país sem ter um emprego. Sua vantagem é que, caso encontre um emprego no país, poderá trabalhar legalmente. A modalidade permite estadia na França por no máximo 1 ano e não prevê renovação. Os documentos necessários para solicitá-lo são: Uma carta de motivação descrevendo o objetivo da viagem, currículo e comprovativo de conhecimento da língua francesa recomendado; Comprovantes financeiros pessoais: último extrato bancário pessoal recente (menos de 1 mês) ou uma declaração de seu banco comprovando um valor de pelo menos 2.500€ (ou o equivalente em reais). Cartões de crédito ou meios financeiros de terceiros não serão aceitos; Certificado médico atestando boa saúde e capacidade de exercer uma atividade profissional; Comprovante de retorno ou compromisso de fornecer uma prova de retorno ao final do visto; Comprovante de um registro criminal limpo. O visto é gratuito. Experiência com visto Férias-Trabalho na França A Laura Fahed conta um pouco de sua experiência com o visto Férias-Trabalho na França. Apesar de falar mais precisamente sobre o Férias-Trabalho, as dicas gerais que ela dá pode ajudar muito quem quer tirar qualquer outro tipo de visto para o país: Portanto, a dica principal é preparar todos os documentos com antecedência e tirar todas as suas dúvidas antes de viajar! Como tirar visto para a França? O procedimento para solicitar o visto para a França segue sempre os mesmos passos e ocorre diretamente com o Consulado de sua circunscrição: você reúne os documentos, preenche os formulários, faz um agendamento e aguarda a emissão do documento. A exceção é com o visto de estudante, cujo processo passa obrigatoriamente pelo intermediário Campus France, a agência oficial do governo francês responsável pela promoção do ensino superior na França. Portanto, se você for estudante, precisará se cadastrar na plataforma da Campus France, pagar uma taxa atualmente fixada em R$ 570,00 e enviar todos os documentos solicitados. Após enviar seus documentos à Campus France e conferir o passo a passo de candidatura, você passará por uma pré-entrevista consular e, somente após ter recebido o aceite de uma universidade, poderá agendar um horário no consulado. Quanto custa visto para França? De 0 a 99€, dependendo da categoria. Os valores podem ter seus custos consultados diretamente no site da Ambafrance. Alguns vistos, como para estudantes bolsistas no Brasil e do tipo férias-trabalho, por exemplo, são isentos de taxas consulares. Outros, como o de estudante, custam 50€ (excluída a taxa da Campus France). Mas a maioria das categorias de visto custam 99€. Você pode pagar este valor com o cartão de débito ou em espécie. Toda solicitação de vistos deverá ser paga em reais, diretamente no Consulado, de acordo com a cotação do dia. Onde tirar visto para França no Brasil? No Consulado da França que atende o estado brasileiro de sua residência. Confira como é feita a divisão: Embaixada de Brasília: GO, AC, AP, AM, PA, MT, RR, RO, TO; Consulado de Recife: AL, BA, CE, MA, PB, PE, RN, SE, PI; Consulado do Rio de Janeiro: RJ, MG, ES; Consulado de São Paulo: SP, PR, SC, RS, MS. Seção consular da Embaixada da França em Brasília Website: Seção consular da Embaixada da França em Brasília Endereço: Av. das Nações - Lote 04 - Quadra 801 Telefone: (61) 3222-3999 Consulado Geral da França em Recife Website: Consulado Geral da França em Recife Endereço: Edifício BV Corporate – 10° Andar - Boa Viagem - Recife - PE, 51021-410, Brasil Telefone: (81) 3117-3290 Consulado Geral da França no Rio de Janeiro Website: Consulado Geral da França no Rio de Janeiro Endereço: Avenida Presidente Antonio Carlos, 58 Telefone: (21) 3974-6699 Consulado Geral da França em São Paulo Website: Consulado Geral da França em São Paulo Endereço: Avenida Paulista, 1842 Telefone: (11) 3371-5400 Quanto tempo demora para o visto francês ficar pronto? Em média, 15 dias úteis. A emissão do visto em si não é demorada, mas o processo deve ser considerado na totalidade. Em outras palavras, é preciso levar em conta o tempo de reunir a documentação de acordo com a categoria de visto a ser solicitada. Como vimos, dentre eles estão  os comprovantes financeiros, a matrícula em uma instituição de ensino francesa ou o recebimento da Convention d’accueil (se for o caso), o preenchimento dos formulários e as eventuais traduções. O agendamento do visto também pode se tornar um problema, especialmente em meses de altíssima demanda, como o período compreendido entre julho e agosto, uma vez que o ano letivo na França começa em setembro. Por isto, nossa dica é começar a se preparar seguindo o prazo sugerido pelos consulados: 3 meses de antecedência. Pode renovar o visto francês? Depende do visto que você tiver. Documentos do tipo Férias-Trabalho, por exemplo, não podem ser renováveis. Outros, como o Talent Chercheur/Scientifique, permitem uma renovação plurianual. Os de estudante, por sua vez, permitem renovação para a quantidade de tempo restante para concluir o curso no qual você está matriculado. Ainda, o visto de cônjuge de francês também permite um prolongamento, seguindo as regras específicas do caso. Portanto, se você gostaria de renovar seu visto, o indicado é que você contate a prefeitura de seu lugar de residência na França alguns meses antes do final da validade do documento. Nesse sentido, vale dizer que não é possível renovar um visto já vencido. Já estou na França, posso pedir visto? Não. As circunscrições consulares são muito claras ao informar que não existe a possibilidade de solicitar o visto estando na França. No caso de brasileiros, é preciso voltar ao Brasil e dar entrada no pedido no Consulado. Tenho cidadania europeia, preciso de visto? Não! Se você tiver cidadania europeia, mesmo que seja de outro estado-membro, você não precisa passar pelas etapas burocráticas associadas à emissão de vistos. Se este for o seu caso, basta solicitar um documento chamado carte de séjour depois que você estiver na França). Trata-se de uma espécie de carteira de identidade que vai facilitar seu acesso aos benefícios do governo, como auxílio moradia, seguro de saúde, dentre outras coisas. Esse documento pode ser obtido na prefeitura da cidade onde você pretende morar na França. No site do Serviço Público francês é possível simular sua situação e conferir os procedimentos. Ao chegar no país, entre em contato com o Office Français de l’Immigration et de l’Intégration (OFII) e não se esqueça de se inscrever na Assurance Maladie, o serviço público de saúde na França. Documentos necessários para entrar na França Existem 2 maneiras de entrar na França sem ter cidadania europeia: como turista ou com um visto, independente da categoria. Confira abaixo a lista de documentos para ambos os casos. Entrando na França como turista Passaporte: documento válido com data de expiração para, no mínimo, três meses após a data marcada em sua passagem de volta; Passagem aérea de volta: o agente da imigração pode pedir a passagem de volta para seu país de origem, e caso você não o tenha, ele está no direito de impedir a sua entrada na França. Considerando que comprar a passagem para apenas um sentido é mais caro do que comprar a ida e volta juntos, compre sempre os dois trechos de uma vez; Seguro-saúde: cobertura mínima de 30 mil euros e que cubra todo o Espaço Schengen; Hospedagem: comprovante de hospedagem ou atestado de acolhimento de algum francês. Para o comprovante de hospedagem, você pode utilizar reserva em sites, como Booking e Airbnb, mas se for ficar hospedado na casa de alguém, precisará da carta convite escrita à mão e reconhecida na prefeitura; Meios financeiros: comprovantes de que possui meios financeiros para bancar sua estadia no país. Entrando na França com visto Seja qual for a categoria de visto, a entrada na França costuma ser menos rigorosa quando se apresenta um visto na imigração porque presume-se que você já apresentou os documentos na hora de obter o visto. Na maioria das vezes, apenas apresentar o visto já basta, mas é sempre bom ter em mãos todos os comprovantes que justifiquem sua entrada no país. Isso é ainda mais importante se você for fazer uma conexão antes de chegar à França. [caption id="attachment_163171" align="alignnone" width="750"] As formalidades em sua chegada na França são diferentes, a depender do visto que você possui.[/caption] Eu, Bárbara, por exemplo, quando cheguei no país de um voo direto, bastou apresentar meu passaporte com visto e fui liberada imediatamente. Contudo, quando tive que fazer uma conexão em outro país antes de chegar na França, apesar de estar munida de meu passaporte com visto, o agente da imigração solicitou algumas informações e outros comprovantes que justificassem minha entrada. Entreguei minha Convention d’accueil, meu comprovante de estadia e de bolsa e deu tudo certo! Quantos euros são necessários para entrar na França? Entre 32€ e 120€ por dia, a depender de seu projeto no país. Segundo informações do France-Visas, o mínimo exigido por pessoa é: 120€ por dia, caso você não tiver uma hospedagem em um hotel; 65€ por dia, se você for se hospedar em um hotel; 32,50€ por dia, se você for se hospedar em casas de familiares ou amigos. O agente de imigração pode pedir saldos disponíveis em conta-corrente, extratos de cartão de crédito, cartão pré-pago e/ou dinheiro em espécie. Estes valores são calculados quando uma pessoa viaja à França como turista. Caso você esteja de mudança para o país, o valor calculado são 615€ mensais. Mais uma vez, você precisará comprovar que já possui esta quantia somada para o período em que ficará quando solicitar o visto e não para o agente de imigração. Para comprovar as quantias é possível apresentar declarações de financiamento parental, desde que você comprove que seus pais recebem esta quantia todos os meses, ou até mesmo um extrato da conta bancária com o valor para um ano, que neste cenário totaliza 7.380€. Dúvidas frequentes sobre o visto para França Veja agora as respostas a algumas das perguntas mais frequentes sobre os vistos para o país.   Para finalizar, a dica essencial é: vá para a França legalmente desde a primeira vez, obtenha o visto correto para o seu momento de vida e parta para a sua viagem. Mesmo que seu visto seja de uma categoria não renovável, como o férias-trabalho, você terá inúmeras chances de fazer contatos com empresas que poderão chancelar um visto de trabalho no futuro. Com isso ficará muito mais fácil aplicar para o seu visto definitivo. A jornada é longa e burocrática? Sim. Mas é perfeitamente possível conseguir. Boa sorte na sua solicitação!

Reichstag, parlamento alemão em Berlim.
Alemanha Visto

Visto para Alemanha em 2024: tipos, custos e como solicitar o seu

Se você sonha em explorar as oportunidades ou a cultura do país da Oktoberfest, entender o sistema de visto para Alemanha é o primeiro passo. Em estadias curtas, focadas em turismo, os brasileiros não precisam apresentar um visto. No entanto, para permanecer por mais de 90 dias, há diversas categorias de visto que se adequam aos diferentes objetivos, desde estudos a reunião familiar, sendo essencial solicitar um, muitas vezes antes da partida. Nesse guia completo sobre o assunto, te ajudamos a encontrar o visto ideal para você e a entender todo o processo: Perguntas Respostas Para morar na Alemanha precisa de visto? Sim, a não ser que você possua a nacionalidade de algum dos países da União Europeia. Onde tirar visto para Alemanha no Brasil? Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro e São Paulo são as Representações da Alemanha no Brasil. Para viajar para Alemanha precisa de visto? Para fazer turismo na Alemanha, não é necessário visto. No entanto, a partir de 2025 será exigido o ETIAS (Sistema Europeu de Informação e Autorização de Viagem). Precisa de visto para Alemanha? Para permanecer por mais de 90 dias, sim! Para realizar atividades básicas na Alemanha, como alugar um apartamento, abrir uma conta bancária ou registrar um bebê, é preciso ter um visto. Embora em certos casos seja possível contornar a exigência do visto, morar na Alemanha sem um visto por um longo período, ilegalmente, é praticamente inviável. Quem fica muito tempo sem visto na Alemanha pode receber multa e ser impedido de entrar no país por cinco anos, caso seja descoberto. Uma saída para evitar problemas é sair do Espaço Schengen e ficar fora por pelo menos 180 dias, caso você queira voltar à Alemanha por mais 90 dias legalmente. Além disso, vale lembrar que a partir de 2025 será obrigatório solicitar o ETIAS para entrar na Alemanha como turista, mesmo o período sendo inferior a 90 dias. Como conseguir visto para Alemanha? Quem possui cidadania europeia não precisa de visto para morar na Alemanha, tendo o chamado “direito de livre circulação” pelas leis da União Europeia. Ao chegar, basta realizar o registro na cidade onde vai morar (conhecido como Anmeldung) e pode seguir a vida tranquilamente. Lembrando que para conseguir se registrar, é preciso alugar um apartamento na Alemanha para comprovar a residência. Quem não tem cidadania europeia, deve solicitar o visto para Alemanha. Cada visto possui requisitos diferentes, mas há dois caminhos mais comuns na hora de solicitá-los. Alguns precisam ser feitos ainda no Brasil, enquanto outros permitem que o cidadão brasileiro entre em território alemão como turista — por 90 dias — e realize no país os trâmites necessários para adquirir sua permissão de residência. Se você não conseguir regularizar a sua situação dentro deste período, é possível pedir um prolongamento da sua estadia ao Departamento de Estrangeiros da sua cidade. Visto de trabalho para a Alemanha Um dos vistos mais desejados é com certeza o visto para trabalhar na Alemanha e as suas variações. Com ele você pode trabalhar o quanto quiser, contribuir para a aposentadoria e ter acesso a todos os direitos e benefícios dos trabalhadores alemães. Tipos de visto de trabalho A Alemanha atualizou os tipos de visto de trabalho, tornando a migração de pessoas de fora da União Europeia mais flexível. Ao todo, são sete categorias que dão direito a trabalhar na Alemanha por diferentes períodos e em diversas áreas. Geralmente, esses vistos estão vinculados a uma oferta de trabalho concreta, embora existam exceções. Visto de trabalho qualificado Na categoria de visto de trabalho qualificado, existem nove possibilidades para obter um visto para Alemanha. O principal fator que distingue cada uma delas é a formação profissional ou acadêmica, além de fatores como salário e área de atuação. Para ambos os grupos, é essencial que as qualificações obtidas no exterior sejam reconhecidas na Alemanha, um processo que valida a equivalência dos diplomas e formações profissionais aos padrões alemães. Os trabalhadores qualificados com formação profissional precisam ter completado um curso qualificante com duração mínima de dois anos, conforme estabelecido pela legislação alemã. [caption id="attachment_163080" align="alignnone" width="750"] Os profissionais de tecnologia conseguem facilmente uma proposta de emprego no país para obter um visto de trabalho qualificado.[/caption] Já os trabalhadores com formação acadêmica devem possuir um diploma de ensino superior reconhecido ou considerado equivalente a um diploma alemão. O site da Anabin é o caminho para saber se o seu diploma é aceito no país. Caso você precise fazer o reconhecimento na Alemanha, é preciso seguir os passos indicados no site Anerkennung in Deutschland para poder exercer sua profissão no país. Geralmente isso é exigido para as áreas da saúde. Também vale ressaltar que quem obtêm esse tipo de visto só pode exercer atividades profissionais qualificadas. Para obter um visto que permita o trabalho na Alemanha, o trabalhador qualificado deve cumprir alguns requisitos, como: Ter sua qualificação estrangeira reconhecida na Alemanha; Possuir uma oferta concreta de emprego. Nesse caso, a futura empresa deverá preencher o formulário “Declaração sobre a relação laboral”; Obter autorização para exercer a profissão, caso esta seja regulamentada (como no setor da saúde, engenharia, etc.); Atender aos demais requisitos gerais da lei alemã para estrangeiros, que incluem ter um passaporte válido e meios de subsistência assegurados. Parece complexo, mas muitas empresas que contratam estrangeiros auxiliam no processo. De qualquer forma, uma coisa você já deve preparar mesmo antes de fazer o pedido de visto: a tradução juramentada para alemão e a Apostila de Haia de todos os seus diplomas. As nove categorias de visto de trabalho qualificado são: Visto Cartão Azul EU — Acadêmicos; Cartão Azul (UE) para especialistas em TI; Visto Cartão Azul EU — Grau tetriário; Visto para especialistas (trabalhador qualificado); Vistos para especialistas no setor das tecnologias da informação (TI); Visto de trabalho com reconhecimento parcial da formação profissional (p. ex. no setor da saúde); Visto para intercâmbio de mão de obra internacional/ICT; Visto para procura de emprego; Visto de trabalho para profissionais e empreendedores autonômos. Você pode saber mais detalhes sobre cada uma delas no site da representação alemã no Brasil. Também é possível fazer uma espécie de “teste” com o Navegador de Visto para ter informações mais direcionadas para o seu caso. Visto de Au Pair É o visto para quem vai trabalhar como Au Pair na Alemanha. Está apto a se candidatar quem atingiu 18 anos e ainda não completou 27. O período mínimo para trabalhar na casa de uma família anfitriã é de seis meses e no máximo doze, não sendo possível renovar esse tipo de visto. Outro requisito para esse tipo de visto é a comprovação do nível A1 de proficiência em língua alemã. Para isso, é necessário apresentar um certificado reconhecido, que deve ser emitido conforme os padrões de institutos examinadores credenciados pela ALTE, como, por exemplo, o Instituto Goethe. Visto para procura de vaga em curso profissionalizante Agora a Alemanha também dispõe de um visto para procura de vaga em um curso técnico, conhecido como Ausbildung. Esse visto permite que a pessoa fique no país por um período máximo de 180 dias para procurar uma vaga no curso. Para esse visto, é necessário ter conhecimento de nível B2 da língua, pois muitos cursos são ministrados completamente em alemão, e ter pelo menos 25 anos. Outro requisito é comprovar, em conta bloqueada, o valor de 1.027€ mensais ou uma declaração de compromisso oficialmente emitida pelas autoridades alemãs (Verpflichtungserklärung). Além disso, é preciso comprovar fundos de necessários para uma possível saída da Alemanha. Lembrando que os comprovantes financeiros devem ser apresentador com a solicitação do visto, caso contrário, ele não será aceito. O que é bacana dessa formação é que ela tem um formato que une teoria e prática desde o início. Então, os participantes dividem seu tempo entre aprender em uma escola profissional (Berufsschule) e receber treinamento prático diretamente em uma empresa. Geralmente o curso dura entre dois e três anos e nesse período, você tem um contrato com uma empresa, que vai lhe pagar um salário (sim, você é pago nesse período). No final, você recebe um certificado válido em toda a Alemanha, que abre portas para empregos diretos na área de formação ou para a continuação dos estudos e especialização. Visto de curso profissionalizante Para solicitar o visto de curso profissionalizante (Berufsausbildung), é necessário que você já tenha garantido uma vaga em uma empresa ou instituição que ofereça esse tipo de formação. Além disso, é preciso ter um conhecimento prévio da língua, que pode variar do nível básico (A2) ao intermediário (B1) — tudo vai depender dos requisitos específicos da área escolhida. Outro requisito para a obtenção do visto para Alemanha é a comprovação de financiamento suficiente para cobrir seu custo de vida na Alemanha. Nesse caso, exige-se pelo menos 909€ líquidos por mês para o primeiro ano da sua estadia. Se você planeja fazer um curso de alemão antes da formação profissionalizante e não receberá salário durante esse período, ou se o salário da formação for menor, será necessário comprovar apenas a diferença. Visto para estágio Outra possibilidade de visto para Alemanha é por meio de um estágio. A representação alemã emite um visto com validade de 90 dias e, após chegar à Alemanha, você deve procurar o Departamento de Estrangeiros local para trocar seu visto por uma autorização de residência. O estágio deve ser vinculado à área do seu curso superior e para isso você precisa estar matriculado em uma universidade no Brasil e ter completado pelo menos 4 semestres. O estágio não pode exceder 12 meses, e a remuneração deve ser de no mínimo 939€ bruto (752€ líquido) para 40 horas semanais. [caption id="attachment_164527" align="alignnone" width="750"] A empresa que oferece o estágio deve solicitar aprovação da ZAV antes de fechar o contrato.[/caption] Se o estágio não for remunerado ou a remuneração for inferior, é necessário apresentar um comprovante de recursos financeiros. Além disso, a empresa ou entidade alemã que oferecer o estágio deve solicitar a aprovação da Agência Federal do Trabalho (ZAV). Após a aprovação, você receberá um certificado ZAV, necessário para a solicitação do visto. Quem já concluiu o curso superior também tem a possibilidade de realizar um estágio de aperfeiçoamento profissional. Neste caso, a aprovação do ZAV não é necessária. No entanto, a Agência do Trabalho da cidade na qual você planeja viver deve avaliar seu caso para decidir se concederá uma autorização de trabalho. Portanto, aqui o processo de solicitação de visto é semelhante ao de um visto de trabalho. Visto para trabalho voluntário O visto de trabalho voluntário tem como principal objetivo a aquisição de competências, engajamento e abertura cultural, estando associado a um contrato de 6 a 24 meses com uma instituição de serviço voluntário. Além de carta de motivação, conhecimento nível A1 em alemão e o contrato de serviço voluntário, dependendo da situação há um limite de idade, de até 27 anos. Visto Working Holiday Essa modalidade de visto é bastante conhecida e está disponível para vários destinos além da Europa. Porém, só em 2019 que foi feito um acordo entre o Brasil e a Alemanha para viabilizar o visto de férias-trabalho, chamado Working Holiday Visa. Ele é concedido aos jovens entre 18 e 30 anos para permanecerem durante um ano no país, com a possibilidade de trabalhar em “empregos de férias” (Ferienjobs) a fim de complementar a renda durante a estadia na Alemanha. Assim que foi implementado em 2019, fiz a solicitação para poder acompanhar meu marido — na época namorado — durante o período em que ele iria fazer o doutorado na Alemanha. O processo é bastante simples e o requisito mais “burocrático”, por assim dizer, é o valor que você precisa bloquear em uma conta na Alemanha para comprovar que tem condições de se manter nos primeiros meses, até conseguir um emprego. Esse valor é atualmente de 600€ por mês para os primeiros quatro meses (ou seja, um total de 2.400€) depositados em uma conta bloqueada ou comprovados por uma declaração de compromisso oficialmente emitida pelas autoridades alemãs (Verpflichtungserklärung). Na época, abri uma conta no Expatrio ainda no Brasil e quando cheguei à Alemanha, fiz uma conta no Monese para receber o valor mensalmente. Mas, é claro, há outras empresas que oferecem serviços semelhantes e que são tão eficientes quanto as que escolhi. Segundo as informações das Representações Alemãs no Brasil, esse visto só pode ser emitido no Brasil e existe uma limitação de mil vistos por ano. Minha experiência com o Working Holiday Visa Minha experiência com o visto Working Holiday foi um pouco frustrante no início, pois no ano que decidi ir para a Alemanha, começou a pandemia de Covid-19. Só para contextualizar, em 2019, quando solicitei o visto, estava buscando uma alternativa para acompanhar meu namorado no período de um ano que ele ficaria no país para o doutorado-sanduíche. Na época, não havia tantas opções como hoje e, no início, cogitei o visto para curso de alemão na Alemanha. Porém, ele não permite que a pessoa trabalhe durante o período, o que seria inviável para mim, pois, além de pagar o curso, não poderia gerar renda. O Working Holiday Visa era o que eu precisava Eis que em meio a essa angústia o governo alemão lança em setembro daquele ano o Working Holiday Visa, que se encaixava perfeitamente para o que precisava no momento: um visto de um ano, que permitia que eu trabalhasse na Alemanha em empregos não qualificados, sem precisar comprovar renda para o período inteiro. Como já expliquei antes, precisei abrir uma conta para bloquear o valor exigido (2.400€ para 4 meses), e apresentar os demais documentos, como carta de motivação, currículo no padrão europeu e seguro saúde para todo o período (ou seja, um ano). O processo foi bem rápido e correu super bem, afinal, eu devia ser uma das primeiras pessoas a solicitar esse visto na época. Mas, vale lembrar que há um limite anual, o qual é de até mil para todo o Brasil, então quanto antes pedir, melhor. Minha procura por trabalho Bom, voltando à experiência, quando cheguei à Alemanha, em dezembro de 2019, ainda não havia começado a pandemia. Minha busca por emprego iniciou em fevereiro de 2020 e, uma semana depois, já fui chamada para uma entrevista em um restaurante, para trabalhar na cozinha. Na época, eu tinha zero conhecimentos em alemão. Fiz a entrevista em inglês e fui chamada para um teste de três dias. Se passasse, seria contratada para um minijob — um emprego com uma remuneração fixa e poucas horas mensais, cerca de 40h. Eu nunca havia trabalhado em cozinha na minha vida — sou formada em jornalismo — mas todo o processo era bastante “automatizado” e o mais difícil era aprender o nome dos ingredientes em alemão. Depois dos três dias, fui informada de que havia sido aprovada e que gostariam de me contratar. [caption id="attachment_163082" align="alignnone" width="750"] Consegui meu visto para Alemanha, mas logo veio a pandemia para dificultar o processo. Foto: Ana Carolina Lisboa.[/caption] Deixei claro que tinha uma viagem agendada para os dias seguintes e poderia iniciar em algumas semanas. Lembro que fiquei surpresa com a tranquilidade que essa informação foi recebida pelo gerente, que simplesmente disse “tudo bem”, que eu poderia fazer a minha viagem e começar quando pudesse. Bastava ir no dia agendado para assinar o contrato. O Covid interrompeu meus planos Fiz a minha viagem e, quando cheguei ao destino, começaram as notícias de que o Covid havia chegado à Alemanha e todos os estabelecimentos seriam fechados. Não pude aproveitar a viagem e quase perdemos o trem de volta, pois tudo estava sendo cancelado. Quando retornamos, enviei um e-mail para o restaurante para saber se poderia assinar o contrato e trabalhar — já esperando uma resposta negativa — e, infelizmente, disseram que estavam fechando e não poderiam seguir com a contratação. A partir daí (isso foi em março), eu e meu namorado ficamos cerca de três meses entre idas ao mercado, parques e passeios para cidades próximas. Eu segui trabalhando remotamente para a empresa que tinha vínculo no Brasil e, em junho, quando as medidas de segurança foram flexibilizadas na Alemanha, conseguimos fazer nossa primeira viagem para fora do país. Em resumo, apesar de toda a situação que o mundo se encontrava na época, que por vezes foi bastante angustiante estar longe da família e ver o problema crescendo no Brasil, foi uma experiência muito enriquecedora e que, com certeza, teria sido ainda melhor em um contexto mais seguro. Além disso, essa vivência nos ajudou a perceber que de fato gostaríamos de morar no país por um período maior, sendo decisiva para o nosso retorno em 2022. Valeu a pena Mesmo com os contratempos, consegui conhecer diferentes cidades na Alemanha e visitar dois países em oito meses — pois resolvemos voltar antes do visto expirar, quando as fronteiras para fora da Europa foram abertas novamente. Minha dica para quem quer um visto para Alemanha como o Working Holiday é que você se planeje bastante, pois os custos no início podem ser altos, como seguro saúde para um ano inteiro e o valor bloqueado. Fora isso, é curtir muito e aproveitar ao máximo essa experiência! Documentos para solicitar o visto Como você pode ver, são inúmeros tipos de visto para Alemanha que permitem trabalho. Contudo, cada um solicita uma documentação diferente. De forma geral, você vai precisar: Passaporte com pelo menos seis meses de validade; Duas fotos biométricas atuais nos padrões exigidos na Alemanha; Formulário preenchido: “Requerimento de autorização de residência”; Comprovante de seguro saúde (cobertura mínima de 30 mil euros ou USD 50 mil); Conhecimento na língua. Os demais documentos variam conforme o visto solicitado. O ideal é saber qual visto para Alemanha você planeja solicitar e conferir a lista completa da documentação no site oficial das Representações da Alemanha no Brasil. Tenha certeza de que você tem todos os documentos certinhos em mãos. Requerimentos incompletos podem levar ao indeferimento do pedido de visto para Alemanha. Visto de estudante na Alemanha Os vistos para estudar na Alemanha existem em vários níveis, do intercâmbio ao doutorado e à pesquisa científica. São eles: Curso intensivo de alemão: permissão de residência para o estudo de alemão. O curso de alemão precisa ter no mínimo 18 horas semanais e o estudante não pode trabalhar no período; Intercâmbio escolar: permissão de residência para realizar intercâmbio escolar. Menores de idade podem estudar na Alemanha por até um ano com esse visto; Estudo (inclusive doutorado): permissão de residência para estudos de nível superior (graduação, mestrado, doutorado) ou Studienkolleg. Dá direito a 120 dias de trabalho em tempo integral e 240 dias de meio período; Permanência de cientistas: este visto é destinado à estadia de doutores — inclusive quem faz doutorado sanduíche, em instituições de pesquisa alemã via contrato de trabalho ou bolsa de estudo na Alemanha. O visto de estudos também abrange aqueles que vêm fazer o Studienkolleg, o qual é o curso necessário para complementar a formação do ensino médio para poder ser aceito em uma das universidades da Alemanha. Esse curso tem duração de um a dois anos, com matérias direcionadas à área de formação do estudante, como humanas, exatas, saúde, entre outras. Documentos para solicitar o visto de estudante A documentação para o visto de estudante na Alemanha também varia conforme o tipo. Veja a documentação comum a todos: Passaporte com pelo menos seis meses de validade; Duas fotos biométricas atuais nos padrões exigidos na Alemanha; Formulário preenchido: “Requerimento de autorização de residência”; Comprovante de seguro saúde (cobertura mínima de 30 mil euros ou USD 50 mil); Matrícula no curso de alemão ou universidade. Alguns exigem ainda o comprovante de conhecimento da língua, enquanto outros pedem comprovação de recursos para se manter no país — geralmente 947€ por mês, no mínimo. Esse comprovante pode ser bolsa de estudos ou conta bloqueada com o valor total para durar a estadia inteira. Uma família na Alemanha também pode se responsabilizar financeiramente por você. Outros tipos de visto para a Alemanha Além dos vários tipos de visto para Alemanha que permitem trabalhar e estudar, ainda é possível encontrar mais opções. Visto para casamento na Alemanha Para solicitar um visto para casamento com subsequente residência permanente na Alemanha, é necessário que o futuro cônjuge resida no país e que o casal planeje viver juntos na Alemanha. A representação alemã emite um visto com validade de 90 dias, permitindo a entrada na Alemanha e a passagem pelos Estados Schengen. Assim que chegar no país, dentro de 90 dias, o solicitante deve se dirigir ao Departamento de Estrangeiros local para substituir o visto por uma autorização de residência. Os documentos necessários são geralmente a certidão de casamento e um certificado de proficiência em alemão no nível A1. Visto para reunião familiar com cônjuge Esse é o visto para Alemanha de reunião familiar para cônjuges com visto de trabalho no país. Lembrando que união estável não é válida para a obtenção desse visto. Nesse caso, você já é casado com a pessoa, então é aconselhável preparar todos os documentos e certificados brasileiros com suas traduções, antes de entrar no país. Cheguei à Alemanha em 2022 seguindo meu marido, que conseguiu um emprego aqui e possui o visto Blue Card. Por conta disso, obtive a permissão de residência. Então, considero um equívoco falar que a reunião familiar se dá por um visto específico. [caption id="attachment_163085" align="alignnone" width="750"] Em 2022, quando vim para a Alemanha, não precisei solicitar o visto no Brasil. Foto: Ana Carolina Lisboa.[/caption] Na verdade, você deixa o Brasil apenas com seu passaporte e, ao chegar à Alemanha, é que a documentação necessária é processada. No entanto, o que se recebe não é um visto propriamente dito (esse, só o meu marido possui). Na reunião familiar, não é necessário comprovar conhecimentos básicos na língua. Porém, eu fui obrigada a fazer um curso de integração na Alemaha quando cheguei, onde obtive o certificado de nível B1 e o Leben in Deutschland. Esta permissão de residência permite que o parceiro trabalhe em qualquer área, inclusive aquela para a qual possui qualificação, além de garantir acesso ao seguro de saúde e outros benefícios. Autorização de Residência na Alemanha Brasileiros sem cidadania europeia têm diversas opções de visto para escolher. Após a solicitação do visto é preciso requerer a Autorização de Residência na Alemanha. Os primeiros são para aqueles que já vivem no país: O Niederlassungserlaubnis (Autorização de Residência Permanente), concedido a quem tem pelo menos 5 anos ininterruptos vivendo na Alemanha com um visto de permanência (Aufenthaltserlaubnis); Aufenthalt zum Daueraufenthalt (Permanência de longa duração), que possibilita viver em qualquer outro país da União Europeia. Já os vistos mais comuns recebidos pelos brasileiros na Alemanha são os chamados Aufenthaltserlaubnis (Autorização de Residência), concedidos por diversos motivos, a depender da solicitação do visto para Alemanha. Como saber qual o melhor tipo de visto para Alemanha? Cada caso é um caso. Depende do seu objetivo no país, da sua renda e se a sua intenção é permanecer por um longo tempo na Alemanha ou não. No entanto, alguns vistos são mais fáceis de tirar, como o de estudo em uma escola de idiomas para aprender alemão. É possível ficar até dois anos com este visto (em casos excepcionais), mas é preciso estudar a língua por pelo menos 18 horas por semana e não pode trabalhar. Mas mudar deste visto para outro é relativamente fácil. Com exceção do visto de trabalho, Au Pair e outros, que precisam ser requeridos no Brasil. Já estando na Alemanha, é mais fácil encontrar uma vaga para fazer um curso técnico, por exemplo, que dá direito a estudar e trabalhar na área de estudos. Caso tenha dúvidas sobre qual o melhor tipo de visto, também pode contar com a ajuda de um advogado especializado para entender qual é o mais adequado para o seu caso, o Euro Dicas recomenda a Assessoria da Madeira da Costa, uma equipe competente para acompanhar o seu processo, tornando-o mais seguro e rápido. Outras possibilidades de visto Outra opção é tirar o visto para preparação de estudos, caso seja necessário complementar a sua formação, ou ainda ir direto para o ensino superior, seja graduação, mestrado ou doutorado. Caso nenhuma das opções acima seja possível, o visto de ano social, que é visto para realização de trabalho voluntário, também pode ser requerido ainda na Alemanha. Por fim, se você está no Brasil e deseja se mudar para a Alemanha com um visto de trabalho, o nosso guia sobre Emprego na Alemanha mostra as melhores formas de buscar uma vaga no país. Saiba mais sobre os tipos de visto para Alemanha e como escolher o melhor para o seu caso no vídeo do canal da Débora França, brasileira que mora no país desde 2020. Onde solicitar o visto para Alemanha É possível solicitar o visto no Brasil, através das Representações da Alemanha, como a Embaixada ou Consulados, ou diretamente na Alemanha. Isso vai depender do tipo de visto que deseja solicitar. Vistos que precisam ser requeridos no Brasil Teoricamente, todos os vistos podem ser requeridos no Brasil, mas alguns são obrigatoriamente emitidos pelas representações da Alemanha no país, como o visto de trabalho e o de Au Pair. Para outros, como o visto de intercâmbio escolar, é altamente recomendado sair do Brasil já com o visto em mãos. Nestes casos, o primeiro passo é agendar online um horário de atendimento na representação alemã de sua jurisdição. Elas estão em Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro e São Paulo. Existem alguns casos em que há a possibilidade de enviar os documentos por correio ou por meio de um Cônsul Honorário. Estes são os requerimentos de menores de 12 anos, familiares com liberdade de circulação e diplomatas a serem credenciados na Alemanha. É importante mencionar que as autoridades alemãs no Brasil emitem o chamado visto nacional e que é preciso apresentá-lo ao Departamento de Estrangeiros na Alemanha em 90 dias a partir da entrada no país para obter o visto final. Vistos que podem ser requisitados na Alemanha Outros tipos de vistos podem ser requeridos já em solo alemão, sempre dentro dos 90 dias da estadia como turista. Alguns deles são o de estudante de idiomas, estudante de ensino superior e de curso profissionalizante, dentre outros. Para isso, o primeiro passo é o mesmo, e também é preciso agendar online um horário no Departamento de Estrangeiros da sua cidade. Em grandes cidades como Berlim, nem sempre é possível encontrar horários disponíveis na internet. Muita gente acorda de madrugada e vai para a fila na porta do Ausländerbehörde (Departamento de Estrangeiros). Por isso, o ideal é, assim que chegar no país, iniciar esse processo. Em caso de dúvida, prefira sempre acionar um advogado, como a Equipe da Madeira da Costa Associados. Quanto custa um visto para a Alemanha? Alguns vistos são gratuitos, como os de estudantes de ensino superior que possuem bolsa de estudos do DAAD (Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico). Os demais custam 75€. O pagamento deve ser feito com cartão de débito, que na Alemanha é chamado EC-Karte, ou você receberá uma carta com os dados para realizar a transferência do valor. No Brasil, o valor é pago em reais (dinheiro) ou com cartão de crédito internacional em euros (Mastercard, Visa). Euros em espécie, cheques, cartões de débito ou PIX não são aceitos. Quanto tempo dura o trâmite do visto? Pode demorar muito ou pouco, dependendo da sua situação em particular e, às vezes, do bom humor do funcionário que te atende. Na Alemanha, alguns vistos saem na hora, assim que termina a entrevista com o funcionário público. Já outros vistos, tanto requeridos no país quanto nas autoridades consulares, demoram entre quatro e seis semanas para serem emitidos. Como sei se o meu pedido de visto para Alemanha foi aceito? O último passo da solicitação do visto para Alemanha é ir buscar o visto na embaixada ou no Departamento de Estrangeiros. Você será alertado por e-mail que pode ir buscar o visto quando o requerimento tiver sido aceito e o visto tiver sido emitido, tanto na Alemanha quanto no Brasil. Se você pediu que o seu visto fosse enviado por SEDEX (no caso das autoridades consulares no exterior), você terá que deixar o seu passaporte lá até o seu visto ficar pronto. Caso não, você pode ir buscar pessoalmente — sem esquecer o passaporte. Pode renovar o visto? Sim, na maioria dos casos é possível renovar seu visto para Alemanha. Porém, o processo e a possibilidade de renovação dependem de cada caso. Para o visto de estudante, por exemplo, é possível solicitar a renovação se você comprovar que continua matriculado em um curso ou precisa de mais tempo para concluir seus estudos. Geralmente, é necessário apresentar a confirmação de matrícula e comprovantes financeiros. Já para o visto de trabalho, você deve comprovar que seu contrato foi renovado ou que encontrou um novo emprego. A renovação também pode depender da aprovação da Agência Federal de Emprego (Bundesagentur für Arbeit). No meu caso, que possuo reunião familiar, a renovação depende do status de residência do meu marido, a qual é a pessoa que justifica a minha estadia no país. Portanto, se ele ainda tem o direito de residir na Alemanha, eu também tenho e posso renovar. Mas uma coisa é certa: independente do tipo de visto, para iniciar esse processo de renovação, você precisa entrar em contato com a Ausländerbehörde da sua cidade com certa antecedência, antes do seu visto atual de fato expirar! É importante não deixar para a última hora, pois a renovação não é tão rápida, especialmente nos grandes centros, como mencionado antes. Perguntas frequentes sobre visto para Alemanha Separamos algumas perguntas frequentes para quem quer fazer um visto para Alemanha. Como faço para tirar o visto para Alemanha? Para tirar o visto para a Alemanha, você deve primeiro definir o tipo de visto que precisa com base no propósito da sua viagem (estudo, trabalho, etc.). Em seguida, confira a documentação necessária e preencha o formulário de solicitação de visto disponível no site da Embaixada ou Consulado da Alemanha no Brasil. Faça o agendamento para a entrevista na representação alemã mais próxima de você e aguarde os próximos passos. O ideal é iniciar esse processo bem antes da data planejada para a viagem, mais ou menos com uns seis meses de antecedência. Quantos dias posso ficar na Alemanha sem visto? Cidadãos brasileiros podem ficar na Alemanha sem visto por até 90 dias a cada período de 180 dias para turismo, visitas ou negócios. Esse período vale para todo o Espaço de Schengen, não só para a Alemanha. E se você está se preparando para se mudar para a Alemanha ou outro país da Europa, confira o Ebook O Sonho de Viver na Europa, que reúne vários depoimentos de brasileiros que foram morar no Velho Continente e compartilham suas experiências e impressões. É uma boa fonte de inspiração e reflexão.

Mãe e filha com visto de reunião familiar em aeroporto na Alemanha
Alemanha Visto

Visto de reunião familiar na Alemanha: como e onde solicitar?

Sabia que com o visto de reunião familiar na Alemanha (Familienzusammenführung) você pode acompanhar o seu cônjuge que recebeu uma proposta de trabalho, que vai estudar ou que por alguma outra razão se mudou para o país? A seguir, explicaremos os requisitos do visto e como solicitar. Continue lendo até o fim para planejar sua mudança sem erro! O que é o visto de reunião familiar na Alemanha? O visto de reunião familiar foi criado para que cônjuges e filhos estrangeiros possam acompanhar a família e morar na Alemanha com uma autorização de residência temporária, já que o máximo de tempo que nós, brasileiros, podemos ficar sem visto no país é 90 dias. Podem solicitar o visto de reagrupamento familiar: Cônjuges estrangeiros; Filhos menores de idade. Em alguns casos excepcionais, outros membros da família também podem receber um visto: Filhos maiores de idade que sejam solteiros; Pai ou mãe de filho menor de idade alemão; Outros parentes. Neste artigo, focaremos no visto para brasileiros que desejam se juntar ao cônjuge ou filho menor de idade na Alemanha, que são os casos mais comuns. Como funciona o visto reunião familiar Alemanha? O Familienzusammenführung, visto de reunião familiar, concede uma autorização de residência temporária aos estrangeiros que pretendam juntar-se aos seus familiares que já moram na Alemanha. Tem direito a solicitar esse tipo de visto os membros do mesmo núcleo familiar, ou seja, cônjuges, filhos menores de idade e pais de menores de idade, sendo preciso atender mais alguns requisitos, que detalharemos adiante. Normalmente, esse visto tem a validade atrelada ao contrato de trabalho do cônjuge, podendo ser renovado para permitir que a família fique junta o tempo que for necessário no país. É o mesmo que reagrupamento familiar? Sim, os termos “reunião familiar” e “reagrupamento familiar” se referem ao mesmo processo de visto pelo qual membros estrangeiros da família buscam para se reunir com um parente próximo. Neste caso, para se reunir com um familiar que já reside na Alemanha com uma autorização de residência válida ou que seja cidadão alemão. Como conseguir o visto de reunião familiar na Alemanha? Para solicitar seu visto de reunião familiar, basta comprovar vínculo com um parente próximo que reside ou vai morar na Alemanha com você e cumprir alguns requisitos, como comprovação de recursos financeiros. As regras para solicitar o visto de reunião familiar na Alemanha variam se o solicitante faz parte de uma família estrangeira que deseja se unir a um cidadão alemão ou de uma família que deseja se reunir com um estrangeiro que reside no país. Por exemplo, uma brasileira que quer se reunir com o cônjuge alemão e uma brasileira que pretende se reunir com o cônjuge de mesma nacionalidade. A principal diferença entre os dois casos está na exigência do conhecimento no idioma alemão, que é obrigatório para quem solicita o visto para reagrupamento para uma família de nacionalidade alemã. O motivo desta exigência é para melhor se adaptar na cidade alemã que você for morar com seu marido ou esposa e conseguir um emprego. Caso você precise de orientação e auxílio na solicitação do seu visto de reunião familiar, recomendamos que entre em contato com o Escritório Madeira da Costa. São profissionais experientes e de confiança para fazer uma consultoria e tornar o seu processo mais seguro e mais rápido. Requisitos para o visto reunião familiar na Alemanha Como falamos, existem alguns requisitos para solicitar o visto de reunião familiar na Alemanha, o principal deles é que seu parente próximo já esteja residindo no país com um título de residência alemão válido ou viajando junto com você. [caption id="attachment_162777" align="alignnone" width="750"] A documentação para solicitar o visto de reunião familiar para Alemanha depende do grau de parentesco[/caption] Após entrar na Alemanha, é preciso se registrar no Ausländerbehörde, o Departamento para Estrangeiros, por meio do Anmeldung, o seu novo local de residência em até 90 dias para trocar o visto pela autorização de residência temporária. Confira as exigências para cada caso e, em sequência, toda a documentação necessária para dar entrada no seu visto. Visto para reunião familiar com o cônjuge Pode solicitar o visto de reunião familiar com o cônjuge: Se o cônjuge já estiver morando na Alemanha; Se o cônjuge viajar junto com você para a Alemanha; Se o casal tem a intenção de transferir a vida em comum para a Alemanha. O certificado de casamento deve ser válido para a legislação alemã, sendo aceito casais do mesmo sexo. Porém, para aqueles que possuem apenas união estável, este tipo de visto para a Alemanha não se aplica. Visto para reunião familiar do filho menor de idade com o(s) pai(s) Para filhos menores de idade, os pais ou tutores legais podem solicitar o visto para o reagrupamento infantil na Alemanha se atenderem aos seguintes requisitos: Os pais ou responsável legal mora(m) na Alemanha e possui(em) uma autorização de residência temporária, um Cartão Azul UE, uma autorização de residência permanente na Alemanha ou na União Europeia; Ou: Os pais ou responsável legal mora(m) no Brasil e pretende(m) viajar para a Alemanha com o filho e está solicitando o visto para iniciar uma atividade profissional no país ou para reunião familiar com o cônjuge; A família tem intenção de se estabelecer na Alemanha; Para crianças com guarda compartilhada, a reunião familiar do filho só será possível se um dos titulares da guarda consentir com a permanência do mesmo na Alemanha ou se houver uma decisão judicial sobre o assunto. Lembre-se que menores de idade, caso não viajem acompanhados dos pais, necessitam de uma autorização de viagem para poderem sair do país. Documento necessários para o visto Os documentos exigidos para o visto de reunião familiar são, geralmente, os mesmos para os outros tipos de visto alemães. Sendo necessário, portanto, apresentá-los no dia previamente agendado no Consulado-Geral, se o processo for realizado no Brasil, ou no Departamento de Estrangeiros na Alemanha. Separe os seguintes documentos originais e uma cópia simples: O formulário (VIDEX), preenchido online, impresso e assinado; Uma fotografia biométrica recente (3,5 x 4,5 cm com fundo claro); Passaporte brasileiro válido por pelo menos 1 ano a partir da data de emissão do visto e com pelo menos 2 páginas livres; Comprovante de residência no Brasil; Para cônjuges, certidão de casamento com apostila de Haia acompanhada de tradução em alemão feita por tradutor juramentado ou certidão de casamento alemã; Para menores, certidão de nascimento com apostila de Haia acompanhada de tradução juramentada em alemão; Para brasileiros com cônjuge não-alemão na Alemanha: cópia do passaporte, documento de identidade e título de residência alemão do cônjuge residente na Alemanha, cópia do certificado de registo, cópia dos comprovativos de rendimentos (declaração de impostos ou contrato de trabalho na Alemanha); Para brasileiros com cônjuge alemão: comprovante de conhecimentos básicos da língua alemã mediante apresentação de certificado de idioma de nível A1, segundo os padrões dos institutos examinadores credenciados pela ALTE (Association of Language Testers of Europe); Para menores, cópia dos passaportes e título de permanência dos pais ou responsável legal; Para menores, contrato de locação de imóvel na Alemanha; Para menores que estejam viajando com apenas um dos pais ou responsável legal: comprovante do direito de guarda exclusiva do pai/da mãe residente na Alemanha, OU declaração de consentimento da outra parte formalizada na representação alemã, OU decisão judicial de uma entidade brasileira competente (tabelião, tribunal); Seguro saúde para viagem. Quanto custa o visto reunião familiar Alemanha? A taxa para solicitar o visto de reunião familiar na Alemanha depende de alguns fatores, confira em qual você ou seu parente se encaixa: Situação Taxa do visto Filho menor de idade 35€ Cônjuge estrangeiro 75€ Cônjuge de cidadão alemão ou de cidadão dos Estados-Membros do Espaço Econômico Europeu (Estados UE, Noruega, Islândia e Liechtenstein) Gratuito Se o visto for solicitado no Brasil, o valor deve ser pago em reais, de acordo com o câmbio do dia. Em fevereiro de 2024, esse valor é de R$ 187,29 para filhos menores de idade e R$ 401,97 para cônjuges estrangeiros. Onde solicitar o visto? O visto de reunião familiar pode ser solicitado diretamente na Alemanha, após você se registar no Departamento para Estrangeiros, o Ausländerbehörde. Mas caso você queira fazer o processo ainda no Brasil, basta realizar o agendamento no consulado-geral de Porto Alegre, Rio de Janeiro, São Paulo ou Recife pelo site das Representações Alemãs. Contudo, vale reforçar que no Brasil o agendamento deve ser feito em um computador ou notebook, não sendo possível por telefone ou pessoalmente. Quanto tempo demora para sair o visto? Em média, o visto de reunião familiar Alemanha demora seis semanas para ser entregue, contando a partir da data da entrega de toda sua documentação na representação alemã. Se a solicitação for um caso mais complexo, que exija envio de comprovação extra, o prazo pode ser mais demorado. Vantagens do visto de reunião familiar Alemanha O visto de reunião familiar é uma das melhores formas de imigrar em família para a Alemanha e a principal vantagem é continuar vivendo junto no país. Afinal, uma das principais queixas de quem mora fora é a saudade da família. Por experiência própria, ter o cônjuge ao seu lado ajuda muito na adaptação. Ter alguém que te apoia e com quem conversar é muito importante nos primeiros meses, até você fazer novas amizades. Quando migramos, pensamos muito em melhorar de vida e essa também é uma das vantagens que vale destacar com o reagrupamento familiar na Alemanha. Tendo toda a documentação, você e sua família terão acesso ao sistema de saúde, educacional e a conhecida qualidade de vida do país. Como também, a oportunidade de viver uma nova cultura e aprender um novo idioma. Porque, sim, falar alemão é essencial, mesmo que você não precise no trabalho. Se você e sua família vão criar raízes na Alemanha, vão precisar fazer amizades com outros alemães e estrangeiros. Por fim, a Alemanha está bem localizada na Europa, fazendo fronteira com nove países: Áustria, Bélgica, Dinamarca, França, Luxemburgo, Países Baixos, Polônia, República Tcheca e Suíça. Sendo mais fácil de viajar mais gastando menos, seja de trem, ônibus ou companhias aéreas low cost. Vale a pena solicitar o visto reunião familiar Alemanha? Se você não tem visto de trabalho ou de estudante na Alemanha, vale a pena solicitar o visto de reunião familiar para continuar junto de sua família. Claro que esta é uma opinião pessoal. A decisão de solicitar esse tipo de visto pode variar de acordo com seus objetivos, como carreira profissional e acadêmica. Mas verdade seja dita, uma vez morando na Europa, você terá muitas oportunidades de crescimento e trabalho. A Alemanha é conhecida por sua qualidade de vida, segurança e educação. Uma vez que você tenha a autorização de residência em mãos, terá acesso aos serviços públicos e direitos como qualquer outro. Além disso, seu cônjuge também terá autorização para trabalhar e contribuir com a renda familiar, um ponto decisivo para quem está mudando de país com filhos. Agora que você tem noção das exigências e documentações para solicitar seu visto de reunião familiar na Alemanha, recomendamos se planejar bem. Separe uma reserva de emergência para fazer todas as traduções e viver sem perrengue nos primeiros meses no novo país. Boa sorte!

Documentos para solicitar um visto para Portugal
Portugal Visto

Visto para Portugal em 2024: como tirar e quanto custa

Portugal é um dos destinos mais escolhidos pelos brasileiros que desejam viver a experiência de morar fora. E, na maioria dos casos, para poder entrar no país você precisará ter um visto para Portugal. Tem dúvidas sobre este assunto? Neste artigo explicamos quando é preciso pedir um visto, como solicitar, custos e quais são os principais tipos. Vamos começar por responder de maneira objetiva a três perguntas bem comuns. Perguntas Respostas É necessário visto para ir para Portugal? Se a intenção é passar mais de 90 dias no país, o visto é necessário para ir para Portugal. Qual é o valor do visto para Portugal? R$ 628,88 para visto de residência em Portugal. O valor sofre pequenas variações a cada mês, pois segue a variação cambial entre Real e Euro. É possível pedir visto para Portugal online? Não. Porém, é possível fazer o pedido enviando os documentos por correio. O agendamento na VFS Global é online. Caso prefira, você pode ouvir esse conteúdo! Basta dar play abaixo: Brasileiro precisa de visto para Portugal? A resposta para essa pergunta é: depende de qual é o motivo da sua viagem. Vamos explicar melhor. Se você pretende vir a Portugal apenas para turismo, não é preciso solicitar um visto. Turistas podem entrar e permanecer no país por até 90 dias, e também é possível pedir a extensão do visto de turista, sob algumas condições. Por outro lado, se você planeja vir morar em Portugal, seja por um tempo ou indefinidamente, será preciso pedir um visto que autoriza a sua entrada no país. Independentemente de qual seja o motivo da sua mudança para Portugal — estudo, trabalho, empreendimento ou aposentadoria, por exemplo — você deve solicitar o visto. Para cada situação há um pedido adequado, explicaremos mais detalhes sobre cada tipo logo a seguir. Quando é preciso pedir um visto para Portugal? Sempre que você pretender passar mais de 90 dias em Portugal, caso não tenha cidadania europeia, será necessário solicitar um visto. O tipo de visto escolhido depende do que você vai fazer no país e também de quanto tempo você vai ficar. Existem vistos para estudos (de curta ou longa duração), para trabalho, para aposentados, para pessoas que têm rendimentos próprios, para quem deseja investir no país, para nômades digitais ou mesmo para quem quer procurar um emprego. Tipos de visto para Portugal Para que você saiba qual visto deve pedir para morar em Portugal, antes devemos esclarecer que existem três categorias de vistos: visto de estada temporária, visto de residência e visto Schengen. Visto de estada temporária É destinado às pessoas que vão se manter em Portugal por um tempo inferior a 12 meses. Pode ser aplicado a várias finalidades, como: Tratamento médico; Acompanhamento de familiar em tratamento médico; Trabalho independente; Trabalho sazonal (por mais de 90 dias); Participação em atividade de formação profissional; Atividade esportiva amadora; Participação em atividade de investigação científica; Cursos breves ou programas de intercâmbio; Acompanhamento familiar de requerente de visto de estada temporária; Trabalho de forma remota (nômade digital). Visto de residência para Portugal É a opção correta para as pessoas que vão permanecer em Portugal pelo período superior a 1 ano. Algumas situações que podem ser aplicadas ao pedido do visto de residência são: Estudo (com período de 1 ano ou mais); Trabalho subordinado (com contrato de trabalho); Trabalho independente; Empreendedores; Trabalho de forma remota (nômade digital); Procura de Trabalho; Desenvolvimento ou participação em pesquisa em instituição científica portuguesa; Participação em programa de voluntariado; Reagrupamento familiar; Aposentados, religiosos e pessoas que possuam rendimentos próprios. Visto Schengen O visto Schengen é destinado às pessoas vindas de países terceiros que precisem de um visto de curta duração (até 90 dias) para entrar em Portugal. Este visto não abrange os cidadãos brasileiros, já que a entrada para períodos de até 90 dias para nacionais do Brasil não requer um pedido de visto. [adinserter block="69"] Agora, vamos conferir em detalhes cada um dos principais tipo de visto para Portugal! 1. Visto D7 — Visto de rendas próprias O visto D7 é adequado para as pessoas com rendimentos próprios e que possam se sustentar em Portugal, como os aposentados ou das pessoas que têm rendimentos em aplicações financeiras, propriedade intelectual (como direitos autorais) ou rendimentos de bens móveis ou imóveis, por exemplo. Para conseguir o visto, é preciso comprovar uma renda mínima, com base no valor do salário mínimo português (820€ em 2024), conforme a quantidade de pessoas da família. Os rendimentos mínimos que devem ser comprovados são os seguintes: Membro da família Porcentagem do salário mínimo 1º adulto (requerente do visto) 100% do salário mínimo 2º adulto 50% do salário mínimo Cada criança ou jovem com menos de 18 anos 30% do salário mínimo Observe que estes são os valores mínimos para que o visto D7 seja aprovado. O governo português exige que o requerente do visto comprove possuir o valor mínimo necessário para um ano, disponível em conta bancária portuguesa. Caso você tenha disponibilidade para comprovar uma renda maior, deve fazer isso. Exemplo prático Um casal sem filhos deve comprovar o valor referente a 1,5 salário mínimo. Considerando o salário de 820€, será preciso comprovar o valor de 14.760€, equivalente a 1.230€ por mês. Na cotação atual (1€ = R$ 5,35 em 20 de fevereiro de 2024), o valor anual corresponde a cerca de R$ 79 mil. O pedido do visto deve ser feito no site da VFS Global. Nele, você também pode acessar a lista dos documentos exigidos para visto D7. Se você é aposentado e tem o desejo de morar em Portugal, conheça o nosso Ebook Morar em Portugal aposentado, que contém informações detalhadas sobre todo o planejamento da mudança. 2. Visto D4 — Visto de estudo O visto de estudante para Portugal, também conhecido como visto D4, é indicado para pessoas que vão estudar no ensino superior (licenciatura, mestrado e doutorado), e também se aplica para estudantes de intercâmbio e para a realização de estágios profissionais. Deve se candidatar a este visto quem for estudar no país por um período superior a 1 ano. Para cursos com duração menor (entre 3 meses e 1 ano), o visto correto é o de estada temporária para estudo. Além da documentação básica exigida para o visto D4, você deve apresentar os comprovantes da atividade que vai fazer. Se você foi aceito em uma universidade portuguesa, por exemplo, deve enviar a carta de aceite da instituição. Minha experiência com o visto de estudante Eu (Lívia), solicitei esse tipo de visto para Portugal em 2018, quando o pedido ainda era feito via Consulado e o processo foi muito tranquilo. Na época, as exigências de documentação eram maiores, mas ainda assim, deu tudo certo. Assim que recebi a notícia da minha aprovação no mestrado em Portugal, entrei em contato por e-mail com os Serviços de Relações Internacionais da Universidade do Porto para saber como proceder à matrícula e ter a carta de aceite oficial e fui prontamente atendida. [caption id="attachment_163207" align="alignnone" width="750"] Obter o visto de estudante foi fácil, pois eu tinha a carta de aceite e toda a documentação necessária em mãos.[/caption] Logo em seguida, reuni toda a lista de documentos exigida para o visto e seus devidos apostilamentos, fiz o agendamento no Consulado (ainda não havia passado para a VFS Global), compareci no dia para entregar os documentos e cerca de 45 dias depois, recebi a notícia que meu visto estava aprovado. O visto de estudante é considerado um dos mais fáceis de solicitar, sendo que o principal documento é a carta de aceite ou o comprovante de matrícula. A minha dica é que assim que receber a notícia da sua aprovação na universidade portuguesa, se movimente o mais rápido possível para reunir a documentação e dar entrada no visto. O meu demorou 45 dias para aprovação, mas a VFS Global diz que, em média, são 60 dias. Não deixe para a última hora, pois o visto para Portugal, independente do tipo, é apenas uma das etapas de um planejamento de mudança de país. 3. Visto de trabalho — subordinado ou independente Para obter um visto de trabalho em Portugal, você deve ter um contrato de trabalho ou uma promessa de contrato de trabalho no país. Por isso, antes de fazer o pedido, é preciso encontrar vagas de trabalho que sejam adequadas a sua profissão e fazer a candidatura. Já no caso de um trabalho independente, é preciso ter um contrato de prestação de serviços ou um contrato de sociedade. Fique atento: para solicitar esse visto, é indispensável já ter, ao menos, a promessa de contrato de trabalho em Portugal. A comprovação deve ser feita por documento (contrato ou promessa de contrato) emitido pela empresa em que você vai trabalhar. Quando tiver a documentação do visto de trabalho reunida, você deve encaminhar o pedido de visto no site da VFS Global. 4. Visto para procurar emprego em Portugal O visto para procurar emprego em Portugal foi criado em 2022 para facilitar a entrada de imigrantes que pretendam procurar uma oportunidade de trabalho. O visto tem validade inicial de 120 dias, podendo ser renovado por mais 60 dias. Nesse período, o imigrante pode morar legalmente no país e participar de processos seletivos de trabalho. Se, durante a validade do visto, for contratado, poderá solicitar sua autorização de residência em Portugal. Caso não consiga, deverá retornar ao país de origem no final do período. Um novo pedido desse visto pode ser feito depois de um ano após o fim da validade. O visto pode ser solicitado mediante apresentação da lista de documentos necessários na VFS Global. 5. Visto para nômades digitais (trabalho remoto) Outro visto aprovado na alteração da Lei de Estrangeiros em 2022 é o visto para nômades digitais em Portugal. Ele é destinado aos profissionais que trabalham remotamente, ou seja, que não dependem de um escritório físico para exercer sua atividade profissional. Esse visto se aplica tanto para temporadas mais curtas (estada temporária — menos de 12 meses) ou para temporadas mais longas (residência — mais de 12 meses) no país. Para o seu visto ser aprovado, você precisa comprovar que possui um trabalho remoto e demonstrar o valor do ganho mensal pelo trabalho. O valor mínimo para aprovação é a comprovação do equivalente a 4 salários mínimos de Portugal por mês (cerca de 3.280€ mensais, conforme o salário mínimo de 2024). O visto pode ser solicitado através da VFS Global. Confira os documentos necessários para fazer o pedido. O casal de brasileiros do canal Eu Vim Passear, conta a experiência de como foi solicitar e receber o deferimento do visto de nômade digital. 6. Visto D2 — Visto de empreendedor O visto D2 se destina aos imigrantes que pretendem abrir um negócio em Portugal. Para obter o visto, é preciso comprovar que a atividade é relevante para o país. Além disso, também é preciso demonstrar que você tem capacidade financeira para o empreendimento durante o tempo que vai viver em Portugal. No caso do visto de empreendedor, é preciso apresentar a documentação básica do pedido de visto e os documentos referentes ao negócio, como comprovantes de investimento e registro da empresa (caso ela já exista). Se a empresa ainda não estiver em funcionamento, é necessário comprovar a intenção de empreender no país, juntamente com comprovativos financeiros. Se este for o seu caso, reúna a documentação do visto D2 e encaminhe o pedido de visto. 7. Visto D3 — Visto para profissionais altamente qualificados O visto D3 é destinado a profissionais que vão trabalhar em Portugal e sejam considerados de alta qualificação. As atividades altamente qualificadas são: Cargos de chefia ou direção: se enquadram nesta categoria dirigentes de empresas, executivos, profissionais que trabalhem em quadros superiores da Administração Pública, gerentes administrativos, entre outros; Especialistas em atividades científicas e intelectuais: são os profissionais de saúde, área científica, TI, engenheiros, professores, especialistas em cultura ou assuntos jurídicos, por exemplo. Para solicitar, é preciso reunir a documentação do visto D3 e encaminhar o pedido diretamente na VFS Global. 8. StartUP Visa O StartUp Visa é a opção correta para os imigrantes que tenham a intenção de abrir uma empresa inovadora no país. O processo de obtenção deste visto é um pouco diferente dos demais. O primeiro passo é ser aprovado em uma incubadora portuguesa, que vai receber e acompanhar o desenvolvimento do seu projeto. Esta fase inicial acontece por meio de um cadastro e envio de documentos para o IAPMEI (Agência para a Competitividade e Inovação). No site disponibiliza um mini guia de candidatura. Nesta primeira etapa é preciso apresentar a seguinte documentação: Currículo atualizado; Carta de motivação que demonstre o interesse em desenvolver um projeto empreendedor ou inovador em Portugal; Cópia do documento de identificação (passaporte ou autorização de residência, caso já tenha); Autorização para a IAPMEI consultar seus registros na Autoridade Tributária (Finanças) e na Segurança Social (se já os tiver); Certidão de Antecedentes Criminais emitida no país de origem; Declaração bancária que comprove que dispõe de meios de subsistência no valor de 5.146,80€ (é preciso confirmar a possibilidade de transferência destes fundos para Portugal). Se o projeto for aprovado na seleção, você deverá reunir a documentação necessária para o StartUp Visa a ser apresentada na VFS Global - segunda etapa do processo. Quando aprovado o visto, você poderá ir para Portugal e então solicitar a autorização de residência na AIMA (Agência para Integração, Migrações e Asilo — antigo SEF). 9. Golden Visa — suspenso para investimentos imobiliários O Golden Visa é uma Autorização de Residência para Atividade de Investimento (ARI) destinado a pessoas que façam grandes investimentos em Portugal. Ao investir no país e solicitar o visto, o investidor recebe uma autorização de residência para viver por aqui. Para aplicar para este visto, é preciso fazer altos investimentos em alguma das hipóteses previstas na lei, com a atenção de que só depois de concretizar o investimento é que o pedido deve ser feito. Tipos de investimentos Golden Visa Os tipos de investimentos até então listados na lei eram os seguintes: Compra de imóvel (a partir de 500 mil euros) — revogado; Compra e reforma de imóvel em área de reabilitação ou construído há mais de 30 anos (mínimo de 350 mil euros) — revogado; Aquisição de unidades de participação em fundos de investimento ou capitais de risco para capitalização de empresas (mínimo de 500 mil euros); Transferência de capitais (a partir de 1.500.000€); Criação de sociedade comercial (mínimo de 500 mil euros) e criação de 5 vagas de trabalho; Investimento com criação 10 vagas de trabalho; Financiamento de investigação e pesquisa científica (mínimo de 500 mil euros); Apoio à produção artística ou manutenção de patrimônio nacional (valor mínimo de 250 mil euros). O pedido do Golden Visa é feito de forma diferente dos demais. Para encaminhar o pedido, é preciso fazer um registro obrigatório no Portal ARI, da AIMA (antigo SEF). Os documentos deverem ser inicialmente encaminhados através desta plataforma. Alterações ao Golden Visa No final de 2020 foram aprovadas algumas alterações para os investimentos imobiliários, uma das hipóteses de aquisição do Golden Visa — e a campeã de pedidos. Em 2022, Porto, Lisboa e Algarve ficaram fora do programa para investimentos imobiliários. Como estas cidades já receberam muito investimento estrangeiro nos últimos anos, o governo passou a incentivar os investimentos em outras regiões do país. Assim, só são eram aceitos no interior e nas Regiões Autônomas dos Açores e da Madeira. Essas mudanças começaram a valer no dia 1 de janeiro de 2022, segundo o Decreto-Lei n.º 14/2021, de 12 de fevereiro. Anteriormente, a previsão era que as medidas seriam válidas a partir de julho de 2021, mas o Governo adiou a decisão para 2022. O fim para investimentos imobiliários No final de 2022, o governo de Portugal declarou que o programa Golden Visa poderia deixar de existir. O então primeiro-ministro de Portugal, António Costa, fez um pronunciamento em 16 de fevereiro de 2023 para explicar que foi aprovada uma medida para a extinção do visto de investidor. O ministro explicou que essa medida está sendo tomada para “combater a especulação imobiliária” em Portugal, já que o visto Gold é focado, principalmente, para quem quer investir em imóveis no país. A Lei nº 56/2023, de 6 de outubro, no artigo 42º, revogou o pedido de novos vistos e autorizações de residência para atividade de investimento. No entanto, a revogação não prejudica aqueles que já possuem o Golden Visa. Os investidores que estavam com pedidos pendentes para análise da concessão do visto até a data da publicação da lei, também não serão prejudicados e terão os seus pedidos analisados conforme a Lei n.º 23/2007. Atenção: para os outros tipos de investimento, o Golden Visa ainda pode ser solicitado. Quais são os vistos mais comuns para Portugal? A advogada e especialista em imigração Roberta Fraser explica:  Como conseguir visto para Portugal? Agora que você já sabe que precisa de visto para Portugal, o primeiro passo é verificar qual o tipo adequado a sua situação. Depois que você souber qual é o visto correto, deve verificar quais são os requisitos a serem cumpridos e documentos necessários. Os pedidos de visto devem ser encaminhados para a VFS Global (com exceção do Golden Visa). Esta empresa é a responsável no Brasil pela gestão dos pedidos de vistos para Portugal. Lembrando que o StartUP Visa deve passar pela etapa de aprovação do IPAMEI antes de ser encaminhado para a VFS. Passo a passo para pedir o visto Para garantir que o seu pedido de visto para Portugal não terá erros, siga estes passos: Acesse o site da VFS Global; Leia as instruções do processo de pedido de visto e esteja atento a todos os detalhes informados pela empresa (você deve cumprir os procedimentos da empresa rigorosamente); Escolha o tipo de visto adequado ao seu caso e confira com atenção a documentação exigida; Junte todos os documentos conforme o pedido (originais e cópias, quando for necessário); Preencha e assine o Formulário de Pedido de Visto referente ao seu tipo de visto; Faça o pagamento das taxas relativas ao seu pedido; Envie toda a documentação organizada (conforme a ordem descrita no Formulário de Pedido de Visto) e o comprovante do pagamento das taxas para o escritório da VFS que atende a sua região (a empresa tem escritórios em São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Nova Lima e Salvador — verifique o local correto da VFS para saber onde tirar o visto). Depois que enviar a documentação, no prazo de 15 dias, você deve receber um e-mail contendo as informações necessárias para acompanhar o andamento do seu pedido. O prazo médio do processo fica em torno de 60 dias, contados depois que a sua documentação for analisada e aprovada. Como preencher o formulário de pedido de visto para Portugal O formulário do pedido de visto (disponibilizado no site da VFS Global) deve acompanhar todos os pedidos de visto encaminhados através da empresa. Ele é composto por 3 páginas e 37 campos que devem ser preenchidos cuidadosamente. Na primeira página, é preciso colar uma das fotos solicitadas na lista de documentação e devem ser fornecidas informações básicas, como nome, data e local de nascimento, filiação, sexo e estado civil; A seguir, a partir do campo 11, devem ser informados números de documento de identificação, informações do passaporte, endereço e dados sobre a atividade profissional; A partir do campo 21, o requerente do visto deve preencher informações sobre a viagem, como objetivo, país de destino, local de entrada, duração da estadia e data de chegada e partida pretendida; Nos campos 31 e 32, devem ser prestados esclarecimentos sobre quem receberá o requerente em Portugal ou sobre o alojamento temporário após a chegada; Por fim, no campo 33 devem ser prestadas informações sobre o custeio das despesas da viagem. Após concluir o preenchimento de todos os campos e ler as indicações finais, é preciso assinar o documento. Segundo informa o site da VFS Global, o formulário de pedido de visto poderá ser preenchido diretamente no dia da entrevista juntamente com o serviço de auxílio. Quanto custa para tirar o visto para Portugal? Vamos explicar quais são as taxas cobradas quando você faz o pedido do visto. Saiba que os valores podem sofrer algumas alterações, porque são revisados periodicamente de acordo com a cotação do euro e conforme o tipo de visto. Os valores apresentados foram coletados no site da VFS Global em fevereiro de 2024: Visto de residência Taxas Valores Taxa consular R$ 481,00 Taxa de transferência R$ 15,27 Taxa de processamento R$ 133,61* Valor total R$ 629,88 *A taxa de processamento é calculada com base no câmbio do euro. Portanto, mensalmente, ocorrem pequenas variações nesta taxa. Visto de estada temporária Taxas Valores Taxa consular R$ 481,00 Taxa de transferência R$ 13,27 Taxa de processamento R$ 133,61* Valor total R$ 627,88 *A taxa de processamento é calculada com base no câmbio do euro. Portanto, mensalmente, ocorrem pequenas variações nesta taxa. Golden Visa As taxas do Golden Visa foram pesquisadas em fevereiro de 2024, na tabela da AIMA. Taxas Valores Recepção e análise do pedido de concessão ou renovação da ARI 580,31€ Emissão do título de residência (cada) 5.797,58€ Quanto tempo demora para tirar o visto para Portugal? A VFS Global informa que o pedido de visto leva, em média, 60 dias para ser concluído. O prazo começa a contar quando a solicitação é inscrita no sistema de vistos, e isso só acontece depois que os seus documentos forem analisados e confirmados. Por isso, se for possível, encaminhe o pedido com antecedência, para garantir que a sua viagem não vá sofrer atrasos. Documentos necessários para tirar visto para Portugal Cada tipo de visto necessita de uma documentação específica, de acordo com a atividade que você vai fazer no país, como os documentos referentes ao estudo, trabalho, investimento ou rendimentos próprios, por exemplo. Além destes, há uma lista de documentos básicos que são comuns a todos os pedidos. São os seguintes: Formulário de pedido de visto; 2 fotos 3x4 iguais e recentes; Cópia do passaporte; Seguro viagem ou PB4; Certidão de Antecedentes Criminais (emitida pela Polícia Federal) — com Apostila de Haia; Autorização para consulta do Registro Criminal Português pela AIMA; Comprovantes financeiros; Comprovante de alojamento (como contrato de aluguel ou carta convite). Para poder conferir a lista completa da documentação exigida para o visto que você vai solicitar, acesse o site da VFS Global e escolha a categoria do seu tipo de visto. Assessoria para tirar visto para Portugal Se você tem dúvidas sobre o pedido de visto mais adequado ou como fazê-lo, um advogado especializado pode auxiliar no processo de solicitação, além de acompanhar o seu processo, indicar e conferir a documentação. [adinserter block="69"] Existe visto de turista para Portugal? Não. Atualmente, para entrar em Portugal na condição de turista não é preciso de visto. Como turista, você tem direito a ficar no país por até 90 dias. Mas, a partir de 2025, as regras da entrada de turistas vão mudar. Será preciso solicitar uma permissão de viagem para Portugal: o ETIAS — Sistema Europeu de Informações e Autorização de Viagem. [caption id="attachment_163209" align="alignnone" width="750"] Se tem intenção de morar no país, não deve entrar como turista, mas sim, solicitar o visto para Portugal ainda no Brasil.[/caption] Entretanto, apesar de não precisar de visto, para poder entrar no país, você deve cumprir alguns requisitos. Quando chegar no aeroporto e for passar pela imigração, alguns documentos podem ser solicitados. Por isso, tenha a documentação organizada em uma pasta, isso facilitará a sua passagem pela imigração. Documentos para entrar em Portugal como turista As exigências atuais para entrada como turista são: Passagem de retorno para o Brasil ou saída do Espaço Schengen; Comprovante de hospedagem (reserva de hotel, hostel e Airbnb, ou uma carta convite de um amigo/familiar que viva legalmente no país a vá hospedar você); Comprovante financeiro (é preciso comprovar que tem condições financeiras de se manter durante a viagem, a Embaixada portuguesa recomenda 70€ para o dia de entrada no país + 40€ por cada dia de viagem — valores por pessoa); Seguro viagem para Portugal. Posso entrar em Portugal como turista e ficar? Não. O correto não é entrar no país como turista e decidir morar, embora existam pessoas que façam isso. Nós do Euro Dicas não indicamos que você faça isso, e sempre incentivamos que a sua entrada no país seja de acordo com a lei e de forma tranquila. Por isso, se você tem intenção de morar no país, recomendamos que se informe sobre o tipo de visto para Portugal que se aplica ao seu caso e elabore um planejamento para fazer a mudança. Como se regularizar depois de entrar em Portugal como turista? Caso você já esteja no país e decida tentar regularizar a sua situação, saiba que existe uma possibilidade legal: através da Manifestação de Interesse. O processo de Manifestação de Interesse permite que você solicite a regularização da sua situação e obtenha uma autorização de residência. Para poder fazer o pedido, é preciso cumprir estes requisitos: Ter entrado legalmente em Portugal; Ter um contrato de trabalho ou uma promessa de contrato de trabalho; Comprovar que tem sua situação regularizada na Segurança Social. Como encaminhar o pedido Para fazer a Manifestação de Interesse você precisa acessar o Portal SAPA (o Sistema Automático de Pré-Agendamento da AIMA — antigo SEF) e fazer um cadastro. Você receberá uma data de agendamento e nesse dia deverá ir à AIMA para entregar os seguintes documentos: Passaporte; Comprovante de entrada regular no país; Comprovante de meios de subsistência; Certidão de antecedentes criminais emitida Pela Polícia Federal; Certificado de registo criminal do país em que resida há mais de um ano (se não for Portugal); Autorização para consulta do registo criminal português pela AIMA; Comprovante de alojamento; Comprovativo de inscrição e situação regularizada na Segurança Social (não é preciso caso tenha uma promessa de contrato de trabalho); Comprovativo de inscrição nas Finanças; Contrato de trabalho ou promessa de contrato de trabalho. Reagrupamento familiar em Portugal O reagrupamento familiar em Portugal serve para que os familiares de uma pessoa que tem uma autorização de residência regularizem a sua situação e também receber uma autorização para viver no país. Os familiares que podem fazer esse pedido são: Cônjuge ou companheiro; Filhos menores de 18 anos ou incapazes; Filhos menores de 18 anos adotados; Filhos maiores, se forem solteiros e estiverem estudando em Portugal; Pais do residente ou do seu companheiro/cônjuge, se estiverem sob sua responsabilidade; Irmãos menores de 18 anos, que estejam sob responsabilidade do residente. O pedido é feito através da AIMA, mas pode ser encaminhado tanto no Brasil, como em Portugal. Vale lembrar que depois das alterações da Lei de Estrangeiros, o pedido de reagrupamento pode ser feito ao mesmo tempo que o pedido do visto principal. Pedido no Brasil No Brasil, no momento em que o visto principal é solicitado, os familiares podem requerer o visto de reagrupamento familiar. Os documentos exigidos para o pedido são: Formulário de pedido de visto; 2 fotos 3x4 recentes; Passaporte; Seguro viagem ou PB4; Certidão de Antecedentes Criminais emitida pela Polícia Federal; Carta de Intenção que justifique o motivo da viagem a Portugal; Requerimento para consulta do registro criminal português pela AIMA; Comprovante dos vínculos familiares (certidão de nascimento ou de casamento, por exemplo); Comprovantes financeiros de recursos estáveis e regulares. Pedido em Portugal Caso os familiares já estejam no país, tendo entrado como turistas, o pedido deve ser feito diretamente na AIMA. Os documentos exigidos são: Declaração do requerente explicando as razões do pedido; Documento de aprovação do reagrupamento emitido da AIMA; Comprovante dos vínculos familiares (certidão de nascimento ou de casamento, por exemplo); Comprovantes financeiros; Comprovante de alojamento em Portugal; Seguro viagem ou PB4; Certidão de Antecedentes Criminais emitida pela Polícia Federal; Passaporte; Cópia da carteira de identidade; 2 fotos 3×4 recentes. Se este for o seu caso, fique atento ao prazo. Você tem 3 dias úteis após a chegada no país para entrar em contato com a AIMA e fazer o agendamento do atendimento. Perguntas Frequentes sobre visto para Portugal Ainda com dúvidas sobre o visto para Portugal? Buscamos as perguntas mais frequentes dos nossos leitores para serem respondidas aqui. Confira! Ajuda para morar em Portugal Se você planeja viver a experiência de morar no país luso, saiba que o mais importante é ter informação e organização. Busque estar informado sobre a cultura do país, qual o lugar onde quer morar e, principalmente, qual a melhor forma de fazer isso. Para que você faça tudo com bastante planejamento e organização, criamos o Programa Morar em Portugal. É um guia completo com videoaulas e testes práticos, que vão ajudar em todo o seu planejamento de mudança para Portugal. Além disso, você pode participar de fóruns exclusivos com a Equipe Euro Dicas para tirar todas as suas dúvidas e ainda recebe um e-book completo para servir de guia em cada um dos passos dessa caminhada.

Guias e dicas sobre a Europa

Mais dicas sobre

Portugal

Mais dicas sobre

Espanha

Mais dicas sobre

Itália

Mais dicas sobre

França

Mais dicas sobre

Inglaterra

Mais dicas sobre

Alemanha

Mais dicas sobre

Irlanda

Mais dicas sobre

Outros países
Conteúdo exclusivo da Europa no seu email!
Receba na sua caixa de entrada os artigos, notícias e colunas da sua preferência para mergulhar no mundo europeu e preparar sua mudança!
Assine já nossa Newsletter