Talvez você nunca tenha parado para pensar nisso, mas para além dos vários pontos turísticos, é possível encontrar uma ampla variedade de bibliotecas em Paris. Seja para estudar, trabalhar ou apenas visitar a construção, conhecer esses espaços de cultura e conhecimento é uma ótima forma de conhecer um pouco mais sobre a cidade. Veja abaixo as que você precisa ir pelo menos uma vez!

Como são as bibliotecas em Paris?

De maneira geral, as bibliotecas em Paris possuem uma estrutura ótima para os que pretendem utilizá-las como espaço de estudo ou trabalho. As mesas são amplas, as cadeiras são confortáveis e os espaços são bem iluminados. As bibliotecas também costumam ser climatizadas, portanto, nada de passar frio ou calor lá dentro.

No que se refere aos materiais disponibilizados, os acervos costumam ser bem completos e podem ser consultados no catálogo online disponível no site de cada biblioteca. É comum que você também tenha acesso a bases de dados especiais, uma vez tendo feito seu cadastro.

Por fim, as bibliotecas em Paris também costumam oferecer outros serviços que facilitam a vida de seus usuários: máquinas de café, venda de lanches, possibilidade de impressão, xerox e empréstimos das obras, espaços de descanso, acesso à internet, além de uma equipe preparada para te auxiliar quando necessário.

Situadas em construções surpreendentes, as bibliotecas em Paris estão espalhadas por toda a cidade. No mapa abaixo, que reúne as melhores bibliotecas para estudar e visitar, é possível visualizar a localização de algumas delas:

Paga para entrar nas bibliotecas em Paris?

Depende da biblioteca.

Precisa enviar dinheiro para outro país?

Envie dinheiro com toda a segurança, rapidez e melhor taxa de câmbio. Atualizamos a melhor entidade diariamente, faça já a sua simulação!

Cotar Agora →
Precisa enviar dinheiro para outro país?

Depois de testarmos as principais alternativas do mercado (Paypal, Western Union, Moneygram, etc), a plataforma que nós recomendamos é a Wise. É seguro, rápido e fácil de utilizar.

Ver Cotação →

Se elas forem públicas, você não precisará pagar. Por outro lado, algumas bibliotecas de Paris são pagas e exigem um tipo de inscrição específica.

Melhores bibliotecas em Paris para estudar

Paris possui uma rede enorme de bibliotecas dos mais variados tipos e especialidades. Algumas delas oferecem uma estrutura incrível para que você possa estudar lá por horas a fio. Se você estuda na França, veja abaixo nosso ranking das melhores bibliotecas em Paris para você colocar seus estudos em dia.

Biblioteca François Mitterand

A Biblioteca François Mitterand faz parte da Bibliothèque Nationale de France, também conhecida como BNF. Como veremos com outros exemplos, a BNF possui algumas sedes por Paris e a François Mitterand é a mais nova dentre elas.

Aberta em 1996 como fruto de um projeto que buscava modernizar as bibliotecas nacionais francesas, a construção possui elementos minimalistas da arquitetura contemporânea. Ela é formada por quatro torres em forma de livros abertos, sendo que no meio há um jardim lindíssimo.

Corredor interno da BNF
Corredor de umas das alas da biblioteca de pesquisa François Mitterand. Foto: Bárbara Ábile.

Com uma coleção de 16 milhões somente em livros, lá é possível encontrar salas dedicadas às várias áreas do conhecimento, cada uma com um acervo disponibilizado diretamente aos usuários. Através de seu catálogo online, é possível encontrar outras obras disponíveis para consulta na própria biblioteca.

Além disso, a BNF disponibiliza gratuitamente a Gallica, ferramenta de busca e armazenamento de itens já digitalizados de seu acervo.

Serviços disponibilizados pela Biblioteca François Mitterand

Para além de consulta de seu acervo, a Biblioteca François Mitterand também oferece diversos serviços como:

  • Ateliê de conversação e escrita em francês;
  • Disponibilização de métodos de aprendizagem em francês e outras línguas;
  • Espetáculos de teatro e projeções de cinema;
  • Ciclo de palestras;
  • Exposições temporárias.

No prédio, ainda é possível encontrar vários espaços para descanso, opções de alimentação e terraços com vista para Paris. Outro ponto positivo dela é que, devido ao seu tamanho, você dificilmente terá problemas para encontrar uma mesa vaga.

Por isso, em minha opinião, ela é a melhor biblioteca em Paris para estudar. Todos esses serviços permitem que você possa passar horas lá dentro de maneira muito confortável.

Informações práticas

A Biblioteca François Mitterand é dividida em duas seções. Aquela que permite acesso ao público fica aberta de terça a sábado das 10h às 20h; e aos domingos das 13h às 20h. Já a biblioteca de pesquisa fica aberta de segunda a sábado das 9h às 20h, sendo que às segundas ela abre às 14h.

Cada uma dessas seções permite acessos diferentes, sendo que a biblioteca de pesquisa só é acessível aos estudantes inscritos na pós-graduação na França ou fora do país. O acesso anual à biblioteca aberta ao público da BNF custa 24€, enquanto o acesso anual à biblioteca de pesquisa tem o valor de 55€.

A Biblioteca François Mitterand está na Quai François Mauriac, no 13º arrondissement, sendo rodeada de transportes públicos, como ônibus, tramway, metrô e RER.

Biblioteca de l’Hôtel de Ville

Fundada em 1801, a Biblioteca de l’Hôtel de Ville foi vítima de um incêndio em 1871, e só reabriu oficialmente em 1985. Suas salas de leitura, que datam do fim do século XIX, tem uma estrutura metálica mascarada pela madeira, dando a impressão de uma arquitetura tradicional do material.

As coleções da biblioteca BHdV têm em sua origem um caráter quase enciclopédico, já que buscava cobrir todos os possíveis interesses da administração parisiense. Por isso, atualmente, ela é muito forte nas áreas de Ciências e História Administrativa, Direito, Economia, Finanças públicas, Estatística, Política, Relações Internacionais, Cultura, entre outros.

Além disso, lá é possível encontrar documentos raros e excepcionais, tal como uma carta assinada por Louis XIII (1601-1643).

Uma vez sob a tutela do órgão parisiense que cuida dos negócios culturais da cidade, sua coleção é tida como sendo de excelência. Portanto, se você se interessa por alguma dessas áreas, ela acaba sendo uma ótima opção para ir estudar.

Informações práticas

A Biblioteca de l’Hôtel de Ville fica no número 5 da rue Lobau, no 4º arrondissement de Paris, e é possível chegar lá por meio de metrôs e ônibus, principalmente. Ela fica aberta de segunda a sexta, das 9h30 às 18h.

Ela faz parte da rede de bibliotecas públicas do Paris, portanto qualquer um pode utilizá-la mediante a apresentação de um documento de identidade.

Em sua primeira visita à biblioteca, você será inscrito como usuário das bibliotecas parisienses e receberá um cartão com seus dados. Esse mesmo cartão poderá ser utilizado para acessar outras bibliotecas da rede.

Biblioteca Sainte-Geneviève

No coração do quartier Latin, a Biblioteca Sainte-Geneviève (ou BSG) também é um bom lugar para se estudar. Fundada em 1851, trata-se de uma biblioteca estadual e interuniversitária, com vínculos às Universidades Sorbonne 1, 2, 3, 4 e 7, uma das melhores universidades de Paris.

Suas coleções totalizam aproximadamente 2 milhões de volumes, repartidos em três fundos: um dedicado a obras antigas, raras e preciosas; outro dedicado às obras, periódicos e documentos publicados entre 1811 e hoje; e um fundo especial nórdico, reconhecido em 2017 como uma das coleções mais importantes sobre o tema na Europa.

Na BSG é possível solicitar o empréstimo de obras de outras bibliotecas, bem como reproduzir documentos patrimoniais. Lá também é permitido reservar uma sala de trabalho coletiva, serviço destinado aos pesquisadores e doutorandos. Por fim, aos alunos das Universidades vinculadas à Sainte-Geneviève é possível seguir as formações oferecidas pela instituição.

Informações práticas

A BSG está localizada no número 10 da place du Panthéon, no 10º arrondissement de Paris. A biblioteca funciona de segunda a sábado das 10h às 22h, e em alguns domingos entre 13h e 19h.

Para acessar as obras raras e específicas da biblioteca, é preciso contactar o setor responsável, já que os horários de funcionamento são diferentes. Para se inscrever, é necessário preencher um formulário online e fazer sua validação na própria biblioteca.

Biblioteca Richelieu

A sede Richelieu da Bibliothèque Nationale de France é o berço histórico da biblioteca nacional francesa. Ele fica em uma construção de 1643, que anteriormente foi o Palácio do Cardinal Mazarin, além de ter abrigado a Companhia das Índias em 1719.

O complexo de 58.000 m² reúne:

  • Salas de pesquisa de departamentos especializados, como Artes do espetáculo, Mapas, Estampas e fotografias, Manuscritos, Moedas, Medalhas e Música;
  • A famosa Sala Oval, bem como salas de leitura e espaços de descanso;
  • Museu da BNF;
  • Galerias Mansart e Pigott;
  • Bibiliotecas do Institut National d’Histoire de l’Art (INHA) e da École Nationale des Chartes.

O espaço ficou 12 anos fechado para reforma e foi recentemente reinaugurado. Lá é possível consultar livremente 20.000 obras que tratam de 4.500 anos de história.

Consulta de documento em computador
A biblioteca INHA, oferece espaços de consultas a documentos patrimoniais via computador. Foto: Bárbara Ábile.

Para além da ótima estrutura para estudos, na Richelieu ainda é possível encontrar jardins, cafés, espaço para descanso, livrarias e oferecimento de outras atividades e ateliês.

Informações práticas

A Biblioteca Richelieu fica no número 5 da rue Vivienne, no belíssimo 2º arrondissement de Paris. Ela fica aberta todos os dias da semana, mas seus horários são variados: segundas (14h às 19h30), terças (9h às 20h), quartas às sextas (9h às 19h30), sábados (9h às 18h30), domingos e feriados (10h às 18h).

Enquanto sede da BNF, o acesso à biblioteca funciona da mesma forma daquele que apontamos no tópico sobre a sede François Mitterand. Assim, tanto os detentores do passe normal, quanto do passe de pesquisador podem acessar o espaço e se beneficiar de seus serviços.

Biblioteca Mazarine

Conhecida como a mais antiga biblioteca pública da França, a Biblioteca Mazarine tem sua origem ligada às coleções pessoais do cardinal Mazarin, sucessor de Richelieu e um dos ministros de Louis IV.

Seu acervo conserva aproximadamente 600 mil documentos, que se articulam entre fundos antigos de impressos, manuscritos, objetos e obras de artes; e fundos mais recentes, alimentados por compras regulares. Seu acervo é majoritariamente concentrado nas disciplinas históricas, como: história medieval e moderna, história local e regional da França; história do livro, da edição e das bibliotecas; outras ciências auxiliares à história.

Informações práticas

A Biblioteca Mazarine localiza-se na quai de Conti, no 6º arrondissement de Paris, próximo à Ponte des Arts e de várias estações de metrô, de RER e de ônibus. Ela fica aberta de segunda a sexta-feira, das 10h às 18h.

É possível planejar uma visita livre ou com um guia na biblioteca. Essa última é gratuita e acompanhada por um conservador, que explica durante 1h30 tudo sobre a sua história, coleções e conservação.

A Mazarine é uma biblioteca pública, portanto, qualquer pessoa pode acessá-la mediante apresentação de um documento de identidade. É preciso fazer uma inscrição em sua primeira visita, cujo acesso anual custa 15€. Também é possível solicitar um passe gratuito e não renovável, de validade de cinco dias.

Biblioteca Forney

A Biblioteca Forney fica no Hôtel de Sens, um dos raros vestígios de arquitetura medieval civil em Paris, cuja construção data de 1519. Inaugurada em 1886, o nome da biblioteca é uma homenagem ao industrial Samuel-Aimé Forney, que se dedicou à educação de artesões.

Ela faz parte da rede de bibliotecas especializadas de Paris, reunindo um amplo acervo nas áreas de belas-artes, artes decorativas, artes gráficas e temas relacionados, como moda, publicidade e design. Ela se destaca pela diversidade de documentos, que compreende livros, revistas, catálogos, amostras de tecidos, desenhos, filmes, entre outros.

No total, são mais de 230 mil volumes de livros, mais de 50 mil catálogos, 4 mil títulos revistas, além das várias coleções iconográficas. Além da consulta das obras, a Biblioteca Forney também possui salas de exposições e visitas guiadas.

Informações práticas

A biblioteca Forney está na 1 rue du Figuie, no bairro de Paris 4º arrondissement, próxima a estações de metrô e pontos de ônibus. Ela funciona de terça a sexta das 11h às 19h, e aos sábados das 12h às 19h. A entrada na biblioteca é gratuita, no entanto, é necessário fazer uma inscrição.

Para tal, basta preencher um formulário e entregar um documento de identidade. Você receberá um cartão que deverá apresentar em sua entrada, ou caso você queira emprestar algum livro.

Biblioteca BPI

A história da BPI, a Bibliothèque Publique d’Information, tem relação com a fundação do Centro Pompidou, o famoso museu de arte moderna de Paris. Isso porque quando surgiu o projeto de fundar o museu, a proposta de instalar uma grande biblioteca pública dentro dele passou a ser considerada. Assim, desde a década de 1960 a BPI ocupa parte do espaço do Pompidou, fazendo dela um lugar muito incrível para se estudar em Paris.

Ela é aberta a todos e possui um catálogo de mais de 430 mil documentos que contemplam as várias áreas de conhecimento. Além disso, ela também propõe espaços de leitura e trabalho, atividades culturais relacionadas ao museu.

Estudantes na parte interna da Biblioteca BPI
Um dos meus detalhes preferidos da BPI é que ela tem os mesmos detalhes estéticos do Centro Pompidou. Foto: Bárbara Ábile.

Para além de toda a estrutura, vale dizer que a BPI conta, além de tudo, com uma vista maravilhosa para Paris. Então, se você quer estudar olhando a Torre Eiffel, este é seu lugar!

Informações práticas

A BPI localiza-se no prédio do Centro Pompidou, portanto o acesso pode ser feito tanto pela place Georges-Pompidou, quanto pela rue Beaubourg. Ela fica perto da estação de metrô Rambuteau, bem como da Hôtel de Ville e Châtelet.

Da mesma forma, é possível chegar nela via RER e ônibus. Ela fica aberta diariamente, com exceção das terças-feiras. Durante a semana, ela funciona das 12h às 22h, e aos finais de semana e feriados, ela funciona a partir das 10h.

Por ser uma biblioteca pública, o acesso é livre e gratuito a todas as pessoas, e não há necessidade de inscrição.

Confira também quais são as melhores universidades da França.

Quais as bibliotecas mais bonitas em Paris?

Cada biblioteca de Paris tem seu charme, mas algumas específicas se destacam pela sua beleza. São elas:

Vale a pena visitar durante uma viagem de turismo?

Sim!

Se você for viajar para a França, vale muito a pena se planejar para conhecer pelo menos uma das bibliotecas de Paris.

A maioria das bibliotecas de Paris impressionam por suas construções e muitas delas oferecem visitas guiadas por seus espaços. Não são todas que valem a pena visitar e a necessidade de inscrição para entrar em seu espaço acaba não sendo tão prático. Por isso, caso você se interesse por conhecer alguma biblioteca ao longo de sua viagem de turismo, eu lhe indicaria duas.

Primeiramente, a sede Richelieu da Bibliothèque Nationale de France. Apesar de ela exigir inscrição, é possível aproveitar seu jardim e contemplar sua arquitetura sem muitas dificuldades de acesso. Nesse sentido, os turistas conseguem entrar facilmente no prédio, em uma de suas famosas salas e na Biblioteca do Institut National d’Histoire de l’Art.

Em segundo lugar, eu indicaria a visita à sede François Miterrand, também da BNF. Ainda que seja necessário um passe para acessar as salas de leitura e os ambientes de pesquisa, é possível circular pelas áreas comuns da construção, além de reservar visitas guiadas por ela.

Confira também o artigo Paris da ficção versus a Paris real e esteja preparado para visitar a cidade!

Como usar as bibliotecas em Paris?

O uso das bibliotecas de Paris pode variar conforme sua especificidade e tipo. Como vimos em nosso ranking, há bibliotecas públicas, gratuitas, pagas e até mesmo algumas mais reservadas.

Na Biblioteca Kadinsky, por exemplo, é preciso comprovar seu vínculo com alguma instituição ou curso na área de artes. Já na biblioteca de pesquisa François Mitterand, por sua vez, apenas estudantes vinculados a algum curso de doutorado ou mestrado na França podem entrar. Veja mais detalhes abaixo.

Cadastro nas bibliotecas

A forma de cadastro nas bibliotecas de Paris diferencia-se conforme as regras do estabelecimento. Se você faz faculdade na França, por exemplo, pode ser que não seja necessário fazer cadastro em certas bibliotecas. Ao mesmo tempo, é possível que você possa utilizar esse mesmo cadastro para acessar outras bibliotecas pela cidade.

O ideal é sempre verificar no site da biblioteca de seu interesse os requisitos para cadastro. Normalmente, os documentos solicitados consistem em documento de identidade com foto e o formulário de inscrição da biblioteca preenchido, que pode ou não estar disponível online.

No entanto, ainda é possível que você tenha que apresentar:

  • Comprovante de vínculo com alguma instituição francesa de ensino;
  • Precisões sobre em qual nível de ensino superior você está;
  • Carta explicando sobre seu tema de pesquisa;
  • Comprovante de que mora na França.

Empréstimos de livros e materiais

Nem todas as bibliotecas de Paris aceitam fazer empréstimos de documentos. Por exemplo, nenhuma sede das bibliotecas BNF o fazem.

Uma das fachadas da biblioteca Forney, em Paris.
A Forney é uma das bibliotecas em Paris que permitem empréstimo de parte de seu acervo. Foto: Bárbara Ábile.

Normalmente, algumas das unidades que fazem parte da rede das bibliotecas públicas parisienses possibilita o empréstimo de materiais, basta se inscrever nelas. No entanto, há uma seleção de materiais que você só pode consultar no espaço da biblioteca.

Preço do empréstimo

O preço do empréstimo de materiais nas bibliotecas de Paris segue a seguinte tabela:

Empréstimo Preço anual
Livros físicos, digitais, revistas em quadrinhos, partições, métodos de língua etc. Gratuito
Oferta acima, além de CDs musicais em bibliotecas de empréstimos e especializadas 30,50€
Itens acima, além de CDs musicais e DVDs em bibliotecas de empréstimos e especializadas 61€

Tempo do empréstimo

O tempo do empréstimo nas bibliotecas de Paris é de 4 semanas, mas certos documentos possuem um limite de retirada de 3 semanas. Durante as férias de verão, é possível fazer o empréstimo por 8 semanas.

Nas bibliotecas de Paris que permitem empréstimo, é possível pegar 40 documentos por biblioteca e 40 documentos em toda a rede, independentemente do tipo de material.

Tem multa por atraso na devolução?

Sim. Se você atrasa a devolução de seu material, as bibliotecas aplicam algumas penalidades.

Caso você for adulto, há uma multa de 0,15€ para dia de atraso e por documento. Se você for menor de idade, a multa é de 0,07€ por dia de atraso e por documento, ou suspensão de possibilidade de empréstimo por duas semanas.

Além disso, as bibliotecas bloqueiam seu cartão de usuário a cada atraso de 7 dias ou mais.

Vantagens e desvantagens de estudar nas bibliotecas de Paris

As vantagens de estudar nas bibliotecas de Paris são inúmeras. Veja algumas delas:

  • Facilidade de acesso com o transporte público na França;
  • Ótima iluminação;
  • Conforto, no que se refere às cadeiras e mesas;
  • Disponibilidade de máquinas de bebidas e lanches;
  • Acervo específico e muito amplo;
  • Beleza da construção;
  • Acesso a diversos serviços;
  • Segurança (é possível, por exemplo, dar uma saidinha rápida para comer algo e deixar suas coisas na mesa sem problema algum);
  • Custo-benefício, para as bibliotecas pagas.

Desvantagens de estudar nas bibliotecas de Paris

Apesar das vantagens, estudar nas bibliotecas de Paris também tem seus pontos negativos:

  • Você não pode emprestar materiais em todas as bibliotecas;
  • As melhores bibliotecas cobram a entrada;
  • Maioria das obras ficam em uma área reservada, portanto seu acesso é mediante solicitação ao bibliotecário;
  • Nem sempre o bibliotecário consegue atender às demandas imediatamente, portanto às vezes é preciso esperar alguns minutos (ou horas) para conseguir consultar o que você precisa;
  • Há épocas de muita afluência de pessoas, principalmente nas bibliotecas públicas, o que dificulta encontrar um bom lugar;
  • Nem sempre as bibliotecas são silenciosas: é preciso se acostumar com os constantes cochichos e celulares vibrando em cima da mesa.

Vale a pena frequentar as bibliotecas em Paris?

Sim!

Se você pensa em morar em Paris, vale muito a pena frequentar as bibliotecas da cidade.

A quantidade e qualidade de acervo que você encontra é impressionante, assim como as possibilidades de serviços. Em todas você tem direito a uma mesa, cadeira, luminária, tomada e acesso à internet, o que apesar de ser essencial aos estudos, nem sempre encontramos em bibliotecas brasileiras, por exemplo.

Além disso, os funcionários são muito solícitos, é possível chegar nelas de transporte público e elas são lindíssimas! Confesso que nunca vi nenhuma biblioteca em Paris que não impressionasse pela sua beleza, construção e arquitetura.

Por fim, as bibliotecas de Paris são muito confortáveis, tanto no que se refere às cadeiras, quanto ao oferecimento de áreas de descanso, disponibilidade de banheiros, limpeza e venda de cafés e lanches. Realmente, são lugares nos quais você consegue se concentrar e estudar tranquilamente. Além de sair de lá super inspirado!