12 coisas a fazer antes de morar no exterior: saiba tudo

Europa  / 

O pontapé inicial foi dado, e você chegou a conclusão de que realmente quer viver fora do Brasil. Mas e aí, já sabe por onde começar? Confira 12 coisas a fazer antes de morar no exterior para viajar com planejamento, objetivo e de cabeça fresca.

12 coisas a fazer antes de morar no exterior que vão ajuda na sua mudança

São muitos detalhes, procedimentos e burocracias, então se você é uma pessoa imediatista, vai precisar controlar os ânimos. Reserve ao menos seis meses antes de viajar e confira quais são as 12 coisas a fazer antes de morar no exterior.

1. Pesquisar, e muito, sobre o país escolhido

Você pode até ter escolhido determinado país porque achou as paisagens maravilhosas, mas além desse aspecto turístico, um objetivo real e de longo prazo deve ser estabelecido. E essa determinação é a primeira e mais importante dentre as 12 coisas a fazer antes de morar no exterior.

Se você quer fugir da agitação dos grandes centros, talvez uma capital ou outro centro urbano não resolva o seu problema. Isso se aplica a qualquer outro elemento que te incomoda na cidade, estado ou país em que vive hoje — não vá trocar seis por meia dúzia e ainda ficar longe da família. Enumere os motivos que você tem para sair, e certifique-se que eles sejam maiores que os que têm para ficar.

Passagem de volta

Informe-se sobre o destino pretendido com base em fontes confiáveis, como sites do Governo local. Procure tomar como base as opiniões de pessoas com o perfil semelhante ao seu: se foram para cursar uma universidade, se foram com a família, se têm crianças pequenas, se o cachorro foi junto, etc.

Não se esqueça de procurar informações sobre o mercado de trabalho, principalmente na sua área profissional e, se a mudança vai ocorrer com filhos em idade escolar, pesquise bem a questão de educação, saúde e como se locomover. Planejamento racional é a melhor forma de se sair bem nessa nova empreitada. E é uma das primeiras coisas a fazer antes de morar no exterior.

2. Guardar dinheiro

Mesmo para quem já tem uma proposta de emprego à sua espera, guardar dinheiro para se manter nessa nova vida é fundamental. A quantia deve ser estipulada logo no início, tomando como base o custo de vida do país de destino, que pode ser estimado em sites como o Numbeo ou Expatistan, colocando no mínimo 20% em cima disso como margem de segurança.

A poupança deve levar em consideração também seu objetivo, que já deve estar bem pré-estabelecido a essa altura. Considere o padrão de vida que deseja ter assim que chegar e os gastos iniciais até se firmar numa rotina.

Se pergunte se pretende alugar um imóvel mobiliado ou vai comprar todos os móveis; se terá despesas extra com crianças ou animais de estimação; se precisará gastar com alguma outra documentação; entre outros detalhes importantes. Existem muitas probabilidades que você precisa considerar.

Garanta um montante capaz de sustentar você e quem mais esteja nessa empreitada durante um período mínimo de 3 meses, sendo o ideal a partir de 6 meses. “Mas um conhecido meu foi com só 500€ no bolso” — jogue pelo seguro e não corra riscos, com o de ser deportado, de ter um problema de saúde ou de não conseguir voltar caso algo aconteça.

Uma dica é também reservar um dinheiro emergencial considerando o custo de passagens aéreas de volta para cada um de vocês. Dando tudo certo ou não, assim que precisarem esse dinheiro tem destino certo.

3. Preparar a sua família

Conversar bastante com a família antes de imigrar e ter o apoio dos parentes, caso eles não se mudem com você, é fundamental para dar ao seu coração o suporte emocional necessário para essa mudança.

Se sua família for com você ou apoiar a sua mudança, tudo pode ser mais simples. E, mesmo com planos de que tudo dê certo, caso nada seja do jeito que programou, você sabe que tem para onde voltar. Trabalhar bem seu psicológico e o de sua família é fundamental nas coisas a fazer antes de morar no exterior, para que você viaje em paz.

4. Dar um destino para seus bens

Se a mudança é definitiva, já sabe que vai precisar dar um destino para tudo aquilo que não for embora com você. E quanto antes começar a organizar esse quesito, melhor.

Comece pensando no lugar onde mora. Se for alugado, comunique o proprietário sobre a sua saída; se for próprio, é hora de decidir o que fazer com ele.

Sobre móveis, utensílios, roupas e outros objetos, comece a anunciar a venda deles o quanto antes para não correr o risco de ficar nada para trás. Se tiver algo que você não quer se desfazer, encaixote tudo de maneira organizada e providencie um lugar para deixar esses itens na sua ausência.

5. Fazer um check-up

Mesmo que tenha contratado um seguro saúde, faça um check-up completo antes de deixar o país. Passe em consultas de rotina com seus médicos de confiança e peça por exames específicos e laboratoriais para saber se está tudo bem. Faça uma avaliação odontológica e, se usa óculos, vá ao oftalmologista. Para as mulheres, também é sempre indicado fazer uma visita ao ginecologista.

Medicamentos e receitas

Caso faça uso de medicamentos para tratamentos específicos, inclusive anticoncepcionais, é fundamental solicitar ao médico responsável receitas traduzidas, assinadas e carimbadas. Lembrando que essas receitas servem somente para justificar a quantidade de medicação controlada que estiver saindo do país com você.

Medicamentos usuais como analgésicos, antitérmicos, antialérgicos ou anti-inflamatórios, por exemplo, podem ser levados com você na bagagem despachada. Vale preparar um estoque com todos os remédios que costuma tomar por aqui.

Vacinas

E não se esqueça das vacinas! É uma das coisas a fazer antes de morar no exterior. Coloque em dia sua carteira de vacinação e certifique-se com antecedência sobre a obrigatoriedade de imunizações específicas para o embarque, como da febre amarela, por exemplo. Peça pelo Certificado Internacional de Vacinação assim que tiver tomado a vacina exigida pelo país.

Tanto para homens quanto mulheres, pode ser uma boa ideia também cortar o cabelo, pintar, retocar a progressiva, fazer as unhas, marcar uma depilação ou qualquer outro procedimento de beleza e estética. Isso porque em muitos países esses serviços ou são bem mais caros, diferentes dos nossos ou simplesmente não existem.

5. Quitar dívidas

Quer evitar muitas dores de cabeça? Quite todas as dívidas possíveis e cancele ou transfira as contas que estiverem no seu nome. Se tiver um plano pós-pago de celular e quiser manter o número, faça a migração para a modalidade pré-paga.

Outra possibilidade é manter sua linha de telefone fixo e móvel, mas solicitar o redirecionamento das chamadas para um número internacional de Skype. Sendo assim, não importa a distância, as ligações sempre chegarão até você. Fique atento, entretanto, sobre quais operadoras permitem fazer isso.

passaporte

6. Tratar de pequenas burocracias

Mesmo para quem não vai deixar nada para trás, é de suma importância deixar com um familiar ou pessoa de sua confiança uma procuração, concedendo a ela plenos poderes para movimentar contas bancárias, tratar de questões judiciais ou representa-lo diante de órgãos arrecadadores ou fiscalizadores na sua ausência.

Aproveite para deixar uma procuração para movimentação bancária específica para o seu banco, descrevendo todas as permissões que esse representante terá sobre a sua conta. Lembre-se de comunicar à instituição sobre a movimentação da mesma a partir do exterior — pode ser preciso um pedido de ativação.

Para quem vai dirigir em outro país

Outro detalhe que, por ser óbvio acaba passando desapercebido, é a validade de documentos importantes, como a Carteira de Habilitação e o valioso passaporte. Se for dirigir no exterior, tire a Permissão Internacional para Dirigir junto ao Poupatempo ou site do Detran do seu Estado. A solicitação é feita pela internet e a PID pode ser recebida pelos Correios. O documento tem custo de R$ 282,70 em São Paulo e pode variar de acordo com a região do país.

E se for ficar fora do país por mais de um ano, vai precisar também fazer uma comunicação de saída definitiva do país junto à Receita Federal. O procedimento pode ser feito pela internet, clicando aqui, e não precisa ser feito com tanta antecedência.

7. Organizar documentações

Outro tópico muito importante dentre as 12 coisas a fazer antes de morar no exterior é organizar todos os seus documentos. Sim, todos eles! E isso inclui também a documentação exclusiva para a viagem. Veja o que você vai precisar organizar para levar na bagagem de mão:

Gerais para a viagem – embarque

O Seguro viagem é obrigatório para todos os viajantes não-europeus em 26 países pertencentes ao Espaço Schengen. Para comparar planos e garantir o melhor seguro viagem, utilize o nosso comparador de seguro viagem.

Gerais pessoais

  • RG;
  • CPF;
  • Certidão de nascimento (tire uma segunda via, se a que tiver for muito antiga);
  • Certidão de casamento, se aplicável;
  • Título de eleitor;
  • Carteira de Habilitação;
  • Permissão Internacional para Dirigir (PID);
  • Carteira de Vacinação;
  • Certificado Internacional de Vacinação.

Documentos acadêmicos

Enquanto organiza os originais, digitalize cada um deles e renomeie os arquivos de acordo. Feito isso, coloque-os na nuvem e compartilhe com seus familiares ou salve em pendrives para deixar algo físico com quem preferir.

8. Trocar dinheiro

Entre as coisas a fazer antes de morar no exterior, enviar dinheiro para sua conta bancária em outro país é o processo de maior e mais constante acompanhamento. Para aproveitar as melhores cotações do mercado e enviar seu dinheiro no momento mais oportuno, acompanhe a oscilação da moeda local todos os dias.

É importante saber que a Receita Federal permite que você saia com apenas a quantia de R$ 10 mil ou equivalente em espécie sem a necessidade de declarar. Por isso, a melhor forma de ter dinheiro no exterior é por meio do envio pelas plataformas digitais, que geralmente oferecem melhores taxas, prazos e maiores limites do que os bancos.

Entre elas, o Euro Dicas indica para seus leitores a Remessa Online. Com ela, você paga o câmbio justo, o dinheiro cai na conta em até 1 dia útil e é possível aumentar seu limite utilizando o cadastro completo da Remessa Online.

Veja como funciona a Remessa Online e se a plataforma é segura.

9. Abra uma conta no exterior

Hoje em dia, abrir uma conta no exterior não é mais um bicho de sete cabeças. Você pode abrir uma conta no Millenium, o maior banco privado em Portugal, e depois enviar dinheiro para a sua conta, aproveitando as melhores cotações do momento. Eles aceitam abrir conta para quem mora no Brasil.

São somente três passos para abrir sua conta no banco:

  • Preencher os seus dados (demora cerca de 15 minutos);
  • Fazer o upload dos documentos (tenha acesso ao cartão de cidadão e comprovativo de morada e entidade patronal, com validade inferior a 6 meses);
  • Realizar uma videochamada.

Caso queira abrir sua conta pessoalmente, o Millenium possui escritório no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Impostos cobrados para enviar dinheiro para o exterior

Para enviar dinheiro para o exterior, você deve levar em consideração os impostos cobrados. Todas as instituições cobram taxas e outros impostos para enviar e receber dinheiro do exterior. Mas os valores podem variar de acordo com cada provedor e também com a natureza da operação.

IOF

O Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) é um imposto federal cobrado em todas as operações financeiras internacionais. Ele é aplicável tanto para pessoas físicas quanto jurídicas. Quando você envia dinheiro para si mesmo, o IOF é de 1,1%. Mas, ao enviar dinheiro para outras pessoas, o IOF cobrado é de 0,38%.

Câmbio

A taxa de câmbio é a definição utilizada pelo mercado financeiro para expressar a relação de troca entre moedas de diferentes países. Existem taxas de câmbio diferentes e cada uma é aplicada a um tipo de operação.

A taxa de câmbio comercial é considerada a taxa referência do mercado, aplicada às operações relativas às importações e exportações. Já o câmbio turismo está ligado às operações de compra e venda de moeda estrangeira para pagar gastos de viagens ao exterior. Ela é aplicada sobre a cotação do câmbio comercial de cada moeda, acrescentando-se impostos, custos administrativos e outros ao valor do câmbio comercial, o que tornam o câmbio turismo mais caro.

A maioria das instituições financeiras convertem o seu dinheiro com base na taxa de câmbio turismo, isto é, adicionam uma margem sobre o câmbio comercial.

Tarifa de envio (SWIFT)

O Society for Worldwide Interbank Financial Telecommunication (código SWIFT) é necessário ao efetuar uma transferência internacional entre diferentes contas bancárias. Ele conecta as diferentes instituições bancárias do mundo com moedas distintas.

Para fazer a movimentação entre moedas diferentes entre contas bancárias de diferentes países, as instituições cobram a taxa SWIFT, que varia de acordo com cada banco – não possui valor fixo.

Os bancos e as plataformas online também cobram uma taxa de serviço sobre o valor enviado, que variam de acordo com cada instituição financeira.

10. Estude o idioma do país para o qual você vai

Estudar e conhecer bem o idioma do seu destino é uma das coisas a fazer antes de morar no exterior. A comunicação é tudo! Confira nossas dicas sobre cursos de idiomas e se qualifique na língua local. Especializar-se na sua área também é fundamental para aumentar suas chances de conseguir um bom emprego.

11. Reserve um lugar para ficar

Antes de alugar um apartamento definitivamente, é recomendável reservar um local para ficar no primeiro mês; pode ser um apartamento de temporada no Airbnb, na Uniplaces, ou em outra plataforma, um hostel, ou outra acomodação, prezando pela localidade que você pretende morar.

Uma dica é não alugar apartamento ao ano a distância; somente se você já tiver algum familiar ou amigo que possa lhe ajudar no processo – nunca deposite nenhum valor em conta de estranhos!

12. Arrumar as malas com calma

Se vai para ficar ou se não sabe quando volta, arrumar as malas cuidadosamente é um importante processo. Não se preocupe se preferir começar a arrumação muitos meses antes da viagem. É provável que você faça e desfaça tudo diversas vezes, e com isso será capaz de desapegar de várias coisas que ali já estavam ou se lembrar de algo que estava faltando.

Lembre-se também do quesito peso. Com a alteração nos limites de bagagem, muitas companhias aéreas reduziram a franquia de embarque para uma ou duas bagagens de 23kg cada. Se for indispensável levar mais malas, se informe sobre qual companhia ainda mantém a franquia de duas bagagens de 32kg cada, ou então será necessário pagar uma taxa extra para levá-las (geralmente bem salgada).

Descubra ainda se tem o perfil para morar no exterior.

COMPARTILHE
Autores

Brasileira, tem formação em Design de Games e Comunicação em Computação Gráfica. Apaixonada por tecnologia, cinema e literatura, desapegou e foi viver na Europa em 2015. De volta ao Brasil, hoje é grande entusiasta de um estilo de vida quase nômade.

Carolina é luso-brasileira, jornalista e especializada em Comunicação Empresarial. Desenvolve e revisa conteúdos para diversas mídias. Adora viajar o mundo, conhecer novas culturas e escrever sobre suas experiências. Tem prazer em dar dicas de restaurantes, hotéis e também em ajudar brasileiros que desejem morar em outro país.