Em 2020 a taxa de desemprego em Portugal voltou a subir, em comparação com o índice registrado no fim de 2019. A boa notícia é que, apesar disso, a taxa ficou abaixo do que era projetado para o ano.
Neste artigo mostramos os dados mais atualizados e contamos que são os mais afetados pelo desemprego no país.

Qual é a taxa de desemprego em Portugal?

A taxa atual de desemprego em Portugal é de 6,8%, conforme os dados divulgados no último trimestre de 2020 pelo INE (Instituto Nacional de Estatística). Este número indica que cerca de 373.200 pessoas estão sem emprego neste momento.

Em fevereiro de 2021

De acordo com os últimos dados divulgados pelo INE na data de publicação desse artigo, a taxa de desemprego está em 6,9%. A população desempregada diminuiu 0,3% em relação a janeiro de 2021 e 5,8% em relação a 3 meses antes (novembro de 2020).

Impacto do coronavírus na taxa de desemprego em Portugal

A pandemia do coronavírus, que foi descoberta em dezembro de 2019 e teve os primeiros registros em Portugal em março de 2020, afetou todo o mercado de trabalho no país. Por isso, os dados atuais de desemprego superaram os registrados em 2018 e 2019 (registrados em 6,7% e 6,6%).
A chegada da pandemia e a necessidade de fazer confinamentos para frear a propagação do vírus afetaram as previsões otimistas para 2020. No fim de 2019, analistas esperavam que em 2020 o desemprego poderia chegar a 5,9%, o que não aconteceu.
Mas há uma boa notícia: depois do começo da pandemia e do primeiro confinamento, o governo chegou a acreditar que Portugal fecharia o ano com um desemprego de 8,7%. Felizmente o país não atingiu esta taxa.

Como funciona o seguro-desemprego em Portugal?

O seguro-desemprego (chamado em Portugal de subsídio de desemprego) funciona de maneira semelhante ao seguro no Brasil. É um apoio concedido aos trabalhadores que estejam em situação de desemprego.
Para ter direito a receber o benefício, é preciso fazer o pedido e comprovar que preenche os requisitos exigidos. As condições podem variar, dependendo se você trabalha com contrato (por conta de outrem) ou é autônomo (trabalhador independente). De modo geral, é preciso cumprir estas condições:

Quer morar em Portugal com segurança e qualidade de vida?

Recomendamos a assessoria boutique da Atlantic Bridge, para quem deseja ir para Portugal de forma planejada, sem contratempos e com a segurança de ser acompanhado pelos profissionais mais experientes do mercado.

Saber Mais →
  • Ter cumprido o prazo mínimo exigido de trabalho (prazo de garantia) de 360 dias de trabalho nos últimos 24 meses;
  • Ter ficado desempregado involuntariamente;
  • Estar em dia com as contribuições mensais à Segurança Social;
  • Estar inscrito no IEFP (Instituto do Emprego e Formação Profissional) para procura de emprego.

Quem tem direito ao seguro-desemprego em Portugal?

De acordo com a Segurança Social, são estes os trabalhadores que têm direito ao subsídio de desemprego:

  • Trabalhadores por conta de outrem que ficaram desempregados ou suspenderam contrato por atraso de salário;
  • Profissionais do serviço doméstico;
  • Professores (ensino básico e secundário);
  • Trabalhadores do setor aduaneiro;
  • Pensionistas por invalidez que estejam novamente aptos para o trabalho e se encontrem desempregados;
  • Trabalhadores agrícolas inscritos na Segurança Social desde 1 de janeiro de 2011;
  • Trabalhadores agrícolas indiferenciados, inscritos na Segurança Social até 31 de dezembro de 2010 (se as contribuições foram calculadas pelo salário real);
  • Profissionais nomeados para cargos de gestão (se na data da nomeação, pertencerem ao quadro da empresa como contratados há pelo menos 1 ano e sejam enquadrados no regime geral de Segurança Social dos trabalhadores por conta de outrem);
  • Ex-militares em regime de contrato ou de voluntariado;
  • Trabalhadores contratados que são gerentes em uma entidade sem fins lucrativos (se não receberem remuneração).

Valor do seguro-desemprego em Portugal

O valor do seguro é variável, calculado pelo Segurança Social de acordo com os salários recebidos antes do desemprego. O valor a ser pago deve corresponder a 65% da remuneração usada como referência. No cálculo, também é considerado o tempo trabalhado e a idade do beneficiário.
Caso o trabalhador desempregado tenha direito a receber o subsídio, o apoio poderá ser pago pelo período de 150 a 900 dias.
Para que você tenha uma ideia, feitos os cálculos pela Segurança Social, o valor do subsídio pode variar entre 438,81€ e 1.097,81€ (ou 75% do valor líquido que serviu de base para o cálculo do valor.
Para saber mais detalhes, veja o nosso artigo sobre a Segurança Social em Portugal.
Desemprego em Portugal serviços

Evolução do desemprego em Portugal nos últimos 10 anos

Nos últimos anos, Portugal vinha em um processo de recuperação da economia e do mercado de trabalho, após a crise de 2008. Nos primeiros anos depois da crise, o desemprego chegou a atingir 16,2% em 2013, o índice mais alto dos últimos anos.
Entretanto, desde 2014 o índice estava diminuindo no país. Veja o comparativo dos números do desemprego em Portugal na última década, de acordo com o INE.

Ano % de população desempregada
2019 6,5%
2018 7%
2017 8,9%
2016 11,1%
2015 12,4%
2014 13,9%
2013 16,2%
2012 15,5%
2011 12,7%
2010 10,8%

Comparação com outros países da Europa

Em comparação com outros países que fazem parte da União Europeia, podemos dizer que nesse momento Portugal está em uma situação intermediária. Veja as taxas de desemprego registradas pelo site Eurostat em alguns países europeus em 2020.

País % população desempregada
Espanha 15,6%
Itália 9,1%
Suécia 8,3%
França 8,2%
Finlândia 7,8%
Bélgica 5,6%
Áustria 5,3%
Noruega 4,6%
Alemanha 4,2%
Polônia 3,2%

Comparação com o desemprego no Brasil

No Brasil, a taxa de desemprego registrada em 2020, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), foi de 13,5%. O valor é praticamente o dobro em comparação com os índices portugueses para o mesmo período.

Idade, gênero e áreas mais afetadas pelo desemprego em Portugal

Os dados registrados em 2020 pela Pordata (Base de Dados Portugal Contemporâneo) mostram que a faixa etária mais afetada pelo desemprego são as pessoas com menos de 25 anos, em que 22,6% estão desempregadas. A seguir, aparecem as pessoas entre 25 e 54 anos (6%) e as pessoas entre 55 e 64 anos (5,9%).
As mulheres são as mais atingidas pela falta de emprego: 7,1% das mulheres estão desempregadas em Portugal. Para os homens, esse índice é de 6,5%.
Entre os setores de atividade, o mais afetado pelo desemprego é o setor terciário, de prestação de serviços, com 69,9%. Em seguida, o setor secundário (indústria e construção civil) com 24,8% e o setor primário (agricultura e pecuária) com 5,4%.

Desemprego por região

Em fevereiro de 2021, o INE divulgou as taxas de desemprego em Portugal por região, com os totais referentes ao ano de 2020.

Norte 6,8%
Algarve 8,3%
Madeira 7,9%
Área Metropolitana de Lisboa 7,7%
Açores 6,1%
Alentejo 5,9%
Centro 5,6%

Desemprego por área

Pela análise dos mesmos dados divulgados, foi observado que as áreas que mais tiveram desemprego recente em Portugal são:

  • Comércio em geral e restaurantes;
  • Reparação de automóveis;
  • Transportes;
  • Alojamento.

Projeções para 2021

De acordo com as projeções econômicas publicadas pelo Banco de Portugal, estima-se que o desemprego ainda pode crescer mais um pouco em 2021, por conta dos prejuízos econômicos que são consequência da pandemia.
Foi estimado que o ano de 2021 pode fechar com uma taxa de desemprego de cerca de 8,8%. Para os próximos 2 anos, a economia deve entrar em recuperação, e o Banco de Portugal prevê uma redução para 8,1% em 2022 e 7,4% para 2023.
Em comunicado oficial, o Ministro do Estado e das Finanças de Portugal, João Leão, disse que a chegada da vacina contra o coronavírus fortalece as condições de recuperação da economia ao longo de 2021. Ele informou que o governo aumentará o investimento público durante o ano em 23%, para acelerar a recuperação da economia portuguesa.

Há empregos em Portugal?

Até o começo da pandemia do coronavírus, o mercado de trabalho português estava em expansão e as oportunidades de emprego vinham crescendo aos poucos, principalmente na área de prestação de serviços e de Tecnologia da Informação (TI).
Por agora, a tendência é que as vagas estejam mais escassas, mas elas ainda existem. Caso você esteja à procura de emprego em Portugal, tenha paciência na busca. Invista e, fazer um bom currículo e esteja sempre atento às vagas publicadas nos sites de procura de empregos.
Quer saber mais sobre os empregos em Portugal? Conheça o mercado de trabalho no país.

Onde procurar empregos em Portugal?

Caso você esteja em busca de empregos em Portugal ou queira acompanhar a evolução do mercado de trabalho no país, saiba que normalmente as vagas são disponibilizadas em sites especializados. Os principais são:

Conheça a lista dos profissionais mais procurados em Portugal.
Se você está planejando mudar para a Europa e está em dúvida se deve ou não seguir com os planos por conta da pandemia, veja estes conselhos que preparamos para você no artigo: Morar na Europa em 2021: é hora de desistir do sonho?