Euro: tudo o que você precisa saber sobre a moeda da Europa

Câmbio de moedas  / 

Euro é a moeda oficial da Zona Euro, que é constituída por 19 dos 28 países da União Europeia, entre eles: Portugal, Alemanha, Áustria, Bélgica, Espanha, Estônia, França, Grécia, Irlanda, Itália e Países Baixos.

Precisa enviar dinheiro para outro país?

Depois de testarmos as principais alternativas do mercado (Paypal, Western Union, Moneygram, etc), a plataforma que nós recomendamos é o Remessa Online.


No Remessa Online você vai economizar até 8x nas suas transferências e, se precisar de algum suporte, o apoio ao cliente é em português. Crie a sua conta grátis e envie dinheiro com segurança.

VER COTAÇÃO »

Em 2018, o euro era utilizado todos os dias por aproximadamente 343 milhões de europeus e hoje constitui a segunda moeda mais importante do mundo, ficando atrás somente do dólar americano. As notas e moedas de euro tornaram-se um símbolo tangível da integração europeia. Quer saber mais sobre o euro? Então confira este conteúdo que preparamos para você!

Euro: a moeda oficial dos países da Zona do Euro

A Zona do Euro é composta por 19 dos 28 estados-membros da União Europeia (UE), que adotam a moeda como comum:

  • Alemanha;
  • Áustria;
  • Bélgica;
  • Chipre;
  • Eslováquia;
  • Eslovênia;
  • Espanha;
  • Estônia;
  • Finlândia;
  • França;
  • Grécia;
  • Irlanda;
  • Itália;
  • Letônia;
  • Lituânia;
  • Luxemburgo;
  • Malta;
  • Países Baixos;
  • Portugal.

De acordo com a informação presente no site do Banco Central Europeu, os microestados de Andorra, Mônaco, São Marino e Cidade do Vaticano também usam o euro, com base em um acordo formal com a Comunidade Europeia. Montenegro e Kosovo também usam o euro, mas sem um acordo formal.

Todos os países da União Europeia (UE) (exceto Dinamarca e Reino Unido) que se beneficiam de uma opção de exclusão devem aderir à união monetária e introduzir o euro assim que cumprirem os critérios de convergência.

Verifique neste artigo quantos países tem a Europa: dentro e fora da União Europeia.

Fluxos de caixa na Zona do Euro

As notas e as moedas de euro têm circulação ampla na Zona do Euro, principalmente por conta do turismo, das viagens de negócios e das compras além das fronteiras. De maneira bem mais limitada, as notas nacionais, antes de o euro ser introduzido, “mudaram-se” por meio das fronteiras e tiveram que ser “repatriadas”, especialmente por meio do sistema bancário comercial, para o Banco Central que as emitiu.

Não são necessários esses retornos com o euro. No entanto, uma vez que as grandes quantidades de notas de euro não ficam no país onde foram emitidas, são levadas para outros países da Zona Euro e gastas no país, os bancos centrais devem as redistribuir, visando evitar a escassez de notas em um país e um excedente em outro. Estas transferências são coordenadas centralmente e financiadas pelo BCE.

História do euro

A ideia de se estabelecer uma moeda única na Comunidade Econômica Europeia (CEE) surgiu na década de 1970. Seus principais defensores foram os economistas Fred Arditti, Neil Dowling, Wim Duisenberg, Robert Mundell, Tommaso Padoa-Schioppa e Robert Tollison.

Mas somente pelo Tratado de Maastricht, de 1992, esta ideia passou da teoria para o direito. O tratado foi celebrado pelos 12 países que, na época, compunham Comunidade Econômica Europeia.

zona do euro

Neste tratado, o Reino Unido e a Dinamarca optaram por ficar de fora da moeda única. Na teoria, os países que depois aderissem à União deveriam aderir à moeda única. A Suécia aderiu à União em 1995, mas negociou entrar em uma fase posterior. Os critérios para os países aderirem à nova moeda única foram estabelecidos em 1997, pelo Pacto de Estabilidade e Crescimento.

European Currency Unit em Inglês

O primeiro nome para o sistema de conversão entre as moedas que se uniriam foi o European Currency Unit (ECU). A nomenclatura “euro” é atribuída ao Belga German Pirloit, que assim o sugeriu a Jacques Santer, e tornou-se oficial em 1995.

Com base na norma ISO 4217, padrão criado pela Organização Internacional de Padronização (International Organization for Standardization) para designar as moedas em circulação, o código para esta moeda é EUR.

Valor da moeda

O valor da nova moeda (o euro) foi relacionado ao do ECU por resolução do Conselho da União Europeia, de 1998. Esta passou a vigorar em janeiro de 1999, como se fosse uma moeda invisível, em forma não material (usada para pagamentos eletrônicos, por exemplo).

Somente em janeiro de 2002, começou a circular em notas e moedas, inicialmente em 12 países, o que a tornou a moeda de uso corrente entre os membros originais.

Segundo o Banco Central Europeu (BCE), neste período, cerca de 308 milhões de pessoas passaram a usar a moeda. Atualmente, mais de 341 milhões de pessoas utilizam a moeda, conforme a fonte.

Confira o artigo que fizemos sobre a cotação do euro e saiba quantos reais a moeda vale hoje.

Fatores que levam à oscilação da moeda

O fortalecimento econômico europeu, juntamente com a diminuição dos estímulos monetários por parte Banco Central Europeu, que regula e administra a moeda da União Europeia, estão fazendo elevar a procura por uma moeda única.

Além disso, outros fatores, como, por exemplo, a valorização (ou a diminuição) de commodities e o juros baixos ou altos e a inflação no Brasil estimulam na taxa de câmbio da moeda.

Veja aqui as respostas para a pergunta: “Por que o euro não para de subir?

O dinheiro e suas características

Desde sua introdução em 2002, o valor e o número de notas de euro em circulação cresceram consideravelmente. Sem dúvidas, o dinheiro (a moeda) é o meio de pagamento mais utilizado para realizar transações na Zona do Euro em termos do número de transações.

Apesar desse dado, exposto no site do Banco Central Europeu, em termos de valor, o dinheiro tem uma cota significativamente menor. No entanto, nos dois aspectos, o papel do dinheiro em espécie vem reduzindo gradualmente nas últimas décadas, enquanto a utilização de cartões de débito e de crédito vem crescendo consideravelmente.

Como instrumento/meio de pagamento, o dinheiro tem características singulares, como:

  • É a forma de pagamento mais utilizada (de maneira ampla) e também mais rápida para compras e vendas (varejo), além de ser o mais relevante instrumento de pagamento de contingência;
  • É considerado o meio de pagamento mais barato para pequenas compras de varejo, tendo em vista que o custo médio total por transação para pequenos pagamentos é mais baixo em dinheiro do que para instrumentos de pagamento eletrônico comparáveis;
  • É “inclusivo”, pelo aspecto de a pessoa poder efetuar pagamentos, mesmo sem possuir conta bancária ou tendo acesso limitado a ela ou, até mesmo, quando não tem como usar outras formas eletrônicas de pagamento;
  • Possibilita que as pessoas acompanhem seus gastos de perto;
  • É considerado, ao mesmo tempo, uma forma de pagamento e também uma reserva de valor;
  • A moeda é segura no que diz respeito à resistência à fraude ou à falsificação.

Moedas e notas de euro e suas divisões

Um euro é dividido em 100 cêntimos. Há oito diferentes denominações de moedas: 0,01€; 0,02€; 0,05€; 0,10€; 0,20€; 0,50€; 1,00€; 2,00€ e sete denominações de notas: 5€, 10€, 20€, 50€, 100€, 200€ e 500€.

Design das notas e moedas

O design e a textura das notas e das moedas de euro são adaptados para deficientes visuais. Isso significa que elas são reconhecíveis por meio do tato, evitando a fraude e/ou a falsificação.

Notas

Suas características incluem:

  • Tamanhos diferentes: quanto maior o valor, maior a nota;
  • Cores marcantes: as denominações vizinhas têm cores claramente contrastantes. Por exemplo: a nota de 5€ é cinzenta, enquanto a de 10€ é vermelha;
  • Os numerais são de grande valor;
  • A impressão é aumentada, sendo de fácil sensibilidade;
  • Há marcas tácteis junto às margens das notas de 200€ e 500€ e não existem tais marcas na nota de 100€, que é da mesma largura que as notas de valor mais elevado.

Moedas de euro

Suas características incluem:

  • Tamanhos, formas, cores e arestas diferentes;
  • Pesos também distintos: quanto maior o valor, mais pesada é a moeda (exceto a moeda de 1€);
  • Diferentes espessuras: quanto maior o valor, mais espessa é a moeda (exceto as moedas de 1€ e de 2€);
  • Os valores são claramente exibidos no lado europeu das moedas;
  • Arestas diferentes: por exemplo, as moedas de 5 e 1 cêntimos têm uma extremidade suave, enquanto as de 2 cêntimos são suaves e têm um sulco ao longo da borda.

Novas notas

De acordo com a informação presente no site do Banco Central Europeu, as novas notas de 100€ e 200€ entraram em circulação em maio de 2019, completando a série Europa. Eles aprimoraram os recursos de segurança e são tão duráveis ??quanto antes.

Troca de dinheiro nacional

Na maioria dos casos, as notas e as moedas nacionais antigas, como o marco alemão ou as pesetas espanholas, podem ser ainda trocadas por euro. Esse procedimento é realizado somente pelos respectivos bancos centrais nacionais.

Alguns bancos centrais estabeleceram um prazo para a troca de notas e moedas nacionais. Alemanha, Estônia e Irlanda, por exemplo, não possuem prazo para realizar a troca. Já Portugal tem até 28 de fevereiro de 2022 para realizar o câmbio das notas.

Você pode conferir nesta página do Banco Central os prazos para realizar a troca de moedas e notas nacionais.

Para ver quais notas podem ser trocadas por euro, clique em um país no lado esquerdo da tela e consulte os limites de tempo fornecidos na tabela que está embaixo. Vários bancos centrais nacionais ainda trocam séries de notas ainda mais antigas do que as descritas.

Compra e venda do euro

Bancos, corretoras de câmbio, agências de turismo e viagens são autorizadas para comprar e vender euro no Brasil.

Mas, para saber se determinada instituição é, realmente, credenciada e autorizada pelo BACEN a realizar operações de câmbio, basta consultar a lista de instituições credenciadas no site do Banco Central do Brasil.

Como comprar moeda estrangeira

Se você vai viajar e precisa comprar euro, é importante saber que a moeda pode ser comprada em espécie (papel), traveller’s check (cheque registrado por emissores autorizados) ou cartão de débito.

Caso você possua um cartão de crédito internacional, pode utilizá-lo para efetuar compras no exterior.

Onde comprar euro mais barato

Se você deseja saber como comprar euro mais barato, deve saber que a melhor forma de comprar moedas estrangeiras por uma cotação menor é verificar no site do Banco Central do Brasil o ranking VET, que aponta exatamente quanto se está pagando pela moeda, com todos os impostos, taxas e tarifas incluídos.

Você também pode verificar sites ou aplicativos que buscam uma melhor cotação do câmbio, tanto para dinheiro em espécie, quanto para cartões pré-pagos. Algumas ferramentas possibilitam, inclusive, fechar o negócio na hora, com segurança, e ainda receber o dinheiro na sua residência.

Melhor Câmbio, Cambiar e BeeCâmbio são exemplos dessas plataformas. Todas elas são confiáveis. Faça uma simulação e verifique as taxas cobradas pela BeeCâmbio, empresa que nós do Euro Dicas confiamos e a primeira casa de câmbio online.

Geralmente, os bancos praticam taxas de câmbio mais elevadas do que as outras formas de trocar moedas. Mas em geral, quem compra euro no banco em que possui conta paga taxas menores. Além disso, quem deixa para comprar no aeroporto, acaba pagando mais. Esses são “truques” que você aprende com pesquisas.

Importante

É válido lembrar uma mesma corretora de câmbio pode cobrar cotações variadas, ou seja, um valor pela moeda que foi comercializada pelo telefone, outra para a loja física e outra para a venda internet.

No Brasil, o câmbio é livre. Além da cobrança com diferentes valores, uma corretora pode oferecer uma melhor cotação para um cliente que, por exemplo, comprar uma quantia mais elevada da moeda.

Conversor de moeda: conheça os 5 principais e aprenda a utilizá-los.

Levar dinheiro para o exterior: plataformas online

Você pode comprar euro de diferentes formas: bancos, casas de câmbio, agências de turismo, plataformas, desde que não opte pelo mercado paralelo para não correr riscos.

Mas uma maneira bastante usada ultimamente por pessoas que precisam levar dinheiro para o exterior e desejam economizar com taxas é fazer a remessa de dinheiro para o exterior para uma conta bancária no país de destino.

O procedimento pode ser feito de maneira rápida e simples, sem a necessidade de você sair de sua casa. Basta ter uma conta bancária no exterior (sua ou de uma pessoa de sua família ou de confiança).

Remessa Online

A Remessa Online é uma ótima alternativa para levar dinheiro para o exterior. A plataforma possui IOF de apenas 0,38% para o envio de remessas e cobra as taxas mais baixas do mercado para realizar esse serviço.

Em abril de 2019, com o câmbio comercial do euro valendo R$ 4,4155 na plataforma, se você enviar R$ 1 mil para o exterior, o beneficiário vai receber 221,41€ pela Remessa Online.

Já para ter os mesmos 221,41€ no exterior, serão necessários R$ 1.027,45 em uma troca em uma casa de câmbio,  R$ 27 mais caro do que na Remessa Online.

Confira o artigo que fizemos e saiba como funciona a Remessa Online e como poupar no envio de dinheiro.

TransferWise

A TransferWise também é outra grande estratégia para fazer transações financeiras para outros países e conseguir receber seu dinheiro no exterior. A comissão cobrada pela instituição é de 2,52% da quantia a ser convertida mais R$ 1,84 (IOF já incluído).

Confira neste artigo como funciona a TransferWise.

Taxa de câmbio

A taxa de câmbio de um país é o preço de sua moeda no exterior. Como qualquer produto, seu preço aumenta se mais pessoas procuram e diminui quando todos desejam vendê-lo.

Economia ruim, preços internos elevados e crises em outros países são motivos que ocasionam uma fuga de capitais: os investidores não querem investir, as exportações são reduzidas e os turistas deixam de visitar.

Desde 1999, a taxa de câmbio da moeda é flexível, o que quer dizer que ela é negociada livremente por quem compra e por quem vende.  Diariamente, o BACEN divulga uma média da taxa praticada pelos bancos (Ptax). No entanto, ela serve somente como referência e não é obrigatória.

Saiba o que é e como funciona o hedge cambial.

Taxa de compra e taxa de venda da moeda

A taxa de compra significa o valor que é pago pela instituição ao comprar a moeda.  Já a taxa de venda significa o preço que é cobrado pela instituição, como um banco ou uma casa de câmbio, para comercializar o euro ou outra moeda estrangeira. Isso significa que se você compra euro para viajar, pagará a taxa de venda.

A BeeCâmbio é uma empresa de confiança que realiza o câmbio de moedas estrangeiras com boas taxas e segurança. Faça sua cotação com eles e confira se é vantajoso para você.

Impostos que incidem na compra do euro

É importante conhecer quais são os impostos que incidem em uma operação de compra da moeda.

IOF

O Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) é o tributo federal que está sempre presente nas operações de câmbio, crédito, seguros ou operações de títulos ou valores mobiliários. Nas operações cambiais, a alíquota do IOF pode variar entre 0,38% e 6,38%.

A taxa de 0,38% é aplicada sobre o valor de todas as remessas internacionais para contas de terceiros, a taxa de 1,1% é aplicada sobre o valor das compras de moeda em espécie e transferência internacional para uma conta da mesma titularidade. Já a taxa de 6,38% incide sobre o valor das transações efetuadas no exterior com cartões de pré-pagos internacionais, cartões de débito e de crédito.

Tarifa de comissão

A tarifa de comissão é o preço cobrado por cada instituição para realizar o serviço de câmbio. Ele é variável, de acordo com a instituição.

Taxa de entrega

Por comodidade, várias pessoas optam pela entrega do dinheiro em sua residência. Nesse caso, é primordial se atentar ao valor que será cobrado pelo serviço, que também varia com base no fornecedor.

Em destaque no Euro Dicas
  • Sabia que é obrigatório ter Seguro de Viagem para entrar na Europa?

    Seja para morar ou visitar, a imigração pode exigir esse documento no país destino. Se você não tiver, será obrigado a voltar ao Brasil. Em parceria com a Seguros Promo garantimos aos nossos leitores o melhor preço de seguro de viagem.

    COTAR SEGURO »
  • Precisa enviar dinheiro para outro país?

    A nossa plataforma preferida é o Remessa Online. No Remessa Online você vai economizar até 8x nas suas transferências e, se precisar de algum suporte, o apoio ao cliente é em português. Crie a sua conta grátis e envie dinheiro com segurança.

    VER COTAÇÃO »
  • Pensando em morar em Portugal?

    Escrevemos um guia com todos os passos necessários para organizar a sua saída do Brasil com rapidez, segurança e sem complicações. Receba grátis o índice e primeiras páginas.

    RECEBER AMOSTRA »
COMPARTILHE
Autor

Carolina é luso-brasileira, jornalista e especializada em Comunicação Empresarial. Desenvolve e revisa conteúdos para diversas mídias. Adora viajar o mundo, conhecer novas culturas e escrever sobre suas experiências. Tem prazer em dar dicas de restaurantes, hotéis e também em ajudar brasileiros que desejem morar em outro país.