Imigração em Portugal: prós e contras, perfil dos imigrantes e mais

Portugal  / 

A Imigração em Portugal, assim como em toda a Europa, é uma questão que mobiliza muitas discussões políticas entre a população. Afinal, ela gera uma quantidade enorme de transformações culturais e sociais. Neste artigo, vamos recuperar um pouco da história deste fenômeno do ponto de vista dos brasileiros, confira.

Precisa abrir uma conta bancária na Europa?

Você pode abrir a sua conta bancária grátis em 5 minutos e com toda a segurança no N26, um banco digital que funciona em toda a Europa.


O N26 não exige comprovação de rendimentos, você só precisa estar na Europa e ter seu passaporte em mãos.

ABRIR CONTA »

Perfil de Imigração em Portugal

Atualmente, os imigrantes são apenas 4% da população de Portugal, que é de aproximadamente 10,4 milhões de habitantes. A ideia geral é que o país precisa atrair mais pessoas – por uma série de motivos que iremos explicar mais adiante.

Ao contrário do que muitas notícias sugerem, os números da Imigração em Portugal permanecem relativamente estáveis há pelo menos 11 anos, na casa de 400 mil pessoas. Entretanto, o governo está atento a uma forte tendência de aumento. Em 2018, o acréscimo da população estrangeira residente representou o maior número da série iniciada em 1976. Portugal acolhe, hoje, 480 mil estrangeiros, segundo o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF).

Imigração em Portugal geral

Observe abaixo um conjunto de dados sobre a Imigração em Portugal de modo geral, a partir de um recente estudo do Observatório das Migrações (OM) do país.

  • 51% dos estrangeiros em Portugal atuam em setores de base, como construção, indústria e trabalhos pouco qualificados. Suas remunerações médias são mais baixas que as dos trabalhadores portugueses;
  • Os estrangeiros correm mais risco de pobreza e estão mais vulneráveis ao desemprego. Em 2017, a taxa de desemprego para imigrantes não-europeus era de 14,4%. Para o total da população era de 8,9%;
  • No entanto, os imigrantes ficam menos tempo sem trabalho. Afinal, aceitam ocupações piores. A taxa de desemprego de quem procura trabalho há 25 meses ou mais é de 21,2% dos imigrantes, contra 40,7% dos portugueses.

Histórico da imigração de brasileiros para Portugal

Os “zucas” (como os brasileiros são chamados pelos lusitanos, às vezes de modo pejorativo) fazem o caminho contrário da rota do descobrimento há vários. O número oscila, mas tem se mantido relativamente constante, com uma tendência de alta.

Imigração brasileira em dados

  • Brasileiros já são um em cada cinco estrangeiros residentes em Portugal. Um avanço de 29,7%;
  • O SEF de Portugal aponta que, em 2010, eram pouco mais de 119 mil brasileiros em Portugal. Em 2019, são aproximadamente 105 mil;
  • Em 2018, os brasileiros foram os que mais receberam títulos de residência em Portugal. Foram mais de 28 mil emitidos, seguidos de longe pelos italianos – que tiveram quase 7 mil;
  • Do total de brasileiros que vivem em Portugal, cerca de 67% são mulheres e a faixa etária geral é de 30 a 44 anos – no auge da capacidade produtiva.

Veja agora o que veio mudando nos últimos 40 anos em relação à Imigração em Portugal, de vários perfis distintos de brasileiros.

Principais perfis de brasileiros

Décadas de 1980 e 1990: viajante solitário

Neste período, a economia brasileira estava bastante conturbada com altos índices de inflação, constantes trocas de moeda e indefinições sobre o futuro. Mas ainda não havia um processo de globalização tão forte como o que vivemos hoje. Então, a Imigração em Portugal ainda parecia uma realidade distante.

Tudo isso tornava morar em Portugal um ato de coragem. O perfil mais constante, portanto, era o indivíduo sozinho tentando mudar de vida. Costumavam entrar como turistas, decidiam ficar, não encontravam emprego e acabavam deixando de se legalizar.

Não recomendamos este tipo de atitude, que envolve riscos. Principalmente nos dias de hoje, em que o governo português já facilita a entrada de brasileiros por meios legais no país. Vamos falar disso na sequência.

Anos 2000: estudantes, brasileiros com melhor formação e investidores

Com a economia brasileira mais estável e uma economia global que incentivava os intercâmbios profissionais e estudantis, a Imigração em Portugal assume novo perfil.

Precisa enviar dinheiro para outro país?

Depois de testarmos as principais alternativas do mercado (Paypal, Western Union, Moneygram, etc), a plataforma que nós recomendamos é o Remessa Online.


No Remessa Online você vai economizar até 8x nas suas transferências e, se precisar de algum suporte, o apoio ao cliente é em português. Crie a sua conta grátis e envie dinheiro com segurança.

VER COTAÇÃO »
  • Pessoas com visto e emprego: com melhor formação, contrato prévio junto à empresa portuguesa e trabalho certo. As famílias geralmente vão junto e todos buscam mais qualidade de vida e segurança;
  • Investidores: seja na compra de imóveis em Portugal, com participação em alguma empresa ou para outros propósitos, muitos brasileiros aproveitaram a cotação favorável do real;
  • Aposentados: com o câmbio favorável, muitos fizeram as contas e viram que seria possível morar na Europa. O baixo custo de vida de Portugal foi um atrativo. Além do mais, há um acordo entre os dois países, para que os aposentados brasileiros possam viver em Portugal. Confira algumas vantagens para aposentados em Portugal;
  • Estudantes: o governo federal brasileiro na época fortaleceu a educação e liberou um grande número de bolsas de estudos, da graduação a pós-graduações. A facilidade do mesmo idioma certamente colaborou.

Movimentos recentes: investidores, estudantes e fuga da crise

Os números não deixam dúvidas: a quantidade de brasileiros em Portugal cresceu 23% e bateu um recorde de sete anos em 2018. A tendência é que este fluxo seja ainda maior em 2019, diante de um cenário político, social e econômico de crise.

O perfil da Imigração em Portugal e as razões para buscar oportunidades em terras lusitanas mudaram consideravelmente.

  • Famílias: muitas se ressentem da falta de segurança e de qualidade de vida no Brasil. Como afirmou uma reportagem da revista Veja, Imigração em Portugal virou o novo sonho da classe média brasileira;
  • Investidores: desta vez, é a incerteza econômica no Brasil que impulsiona pessoas e empresas a dirigir suas apostas a Portugal. Os brasileiros, em 2017, responderam por 19% dos investimentos estrangeiros em Portugal. É o que aponta uma matéria do UOL;
  • Estudantes: falta de incentivo à educação no Brasil e a oportunidades de se desenvolver em um grande centro intensificaram o aumento da procura de estudantes brasileiros por Portugal. De 2005 a 2008, o número de estudantes brasileiros em Portugal passou de 1.907 para mais de 12 mil. Outro fator foi que cerca de 35 universidades portuguesas passaram a aceitar o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) em 2014;
  • Trabalhadores qualificados e empreendedores: o alto desemprego no Brasil e a possibilidade de atuar profissionalmente na Europa aceleraram os planos de brasileiros empreenderem em Portugal.

Neste artigo, confira onde moram, os espaços que apoiam os brasileiros em Portugal e mais.

Imigração em Portugal é fácil?

No geral, não. Muita gente nem sequer imagina como é complexo mudar de país e fundar uma nova vida, do zero. Para se ter uma ideia, trazemos três pontos importantes que fazem parte da realidade da Imigração em Portugal vivida pelos brasileiros.

1. Dificuldades profissionais

Embora Portugal esteja vivendo um bom momento de recuperação econômica, nem sempre o imigrante consegue aproveitar as chances que surgem. É preciso estar inserido no mercado, ter contatos profissionais e as qualificações necessárias no lugar certo, na hora certa. Mesmo brasileiros com boa formação enfrentam dificuldades na validação de diploma e currículo, além de uma série de outras burocracias. É um processo caro e desgastante.

Quer saber como morar, trabalhar ou estudar tranquilamente em Portugal?

A Atlantic Bridge é o parceiro que nós recomendamos para ajudar a planejar e concretizar o seu sonho de vir para Portugal.

SABER MAIS »

2. Especulação imobiliária

Afeta quem mora em Portugal e principalmente quem chega a cidades grandes como Lisboa e Porto. Sabendo do aumento da procura dos imigrantes por imóveis, os proprietários elevam os preços, que dispararam, e aumentam as exigências. Chegam a exigir até 12 meses de pagamento antecipado do aluguel e mais de um fiador. Entre 2013 e 2018, de acordo com o grupo Confidencial Imobiliário, os preços dos imóveis cresceram 46% em Portugal.

Para quem tem possibilidade, pode considerar investir em imóveis em Portugal, é um negócio rentável.

3. Saudades do que ficou para trás

Sim, é bem difícil lidar com o fato de estar sozinho, sem família ou amigos por perto, para apoiar, levar afeto e fazer companhia. É um fator relevante que precisa ser considerado, pois muitas pessoas simplesmente desistem e retornam ao Brasil por isso.

Imigração Portugal

Saiba mais sobre a vida em Portugal para brasileiros.

Imigração em Portugal e adaptação à cultura

Para quem é do Brasil, claro, a Imigração em Portugal pode ter uma adaptação mais simples do que em outros países. Não é nenhum esforço estar em Portugal e ter contato com paisagens, monumentos e outras coisas tão lindas. Há vários elementos que nos conectam com Portugal e aproximam nossas culturas. Além de uma história em comum, o idioma é o mesmo, a gastronomia possui vários sabores e memórias parecidos.

Sem contar que o clima de Portugal é bastante agradável, com temperaturas amenas como as de muitas regiões do Brasil. O clima influencia na cultura do país e, certamente, um brasileiro que decide viver na chuvosa Inglaterra ou em países do norte da Europa terão uma curva de adaptação mais intensa. Mas depende da região.

Faz bastante frio no inverno na região norte, então se você não gosta de frio – e da chuva – provavelmente terá dificuldade de adaptação do país. É preciso gostar do frio ou tentar ver o lado positivo do inverno. Ah, e a chuva não é levada a sério pelos portugueses, ou seja, ela não serve de desculpa para que você desmarque um compromisso, por exemplo. Eles vão na chuva mesmo.

Resumindo, o jeito de ser de Portugal e sua cultura possuem familiaridade com o Brasil, o que facilita a transição de quem se lança ao desafio da Imigração em Portugal.

Vale ressaltar, contudo, que viajar para Portugal é bem diferente de morar. Quem decide viver em outro país vai enfrentar questões do cotidiano e do país, além de ter sua capacidade de tolerância e empatia muito mais exigida. É preciso ter isso em mente, sempre.

Portugal é um país receptivo?

Há diversos movimentos e percepções ao mesmo tempo. Portanto, vai depender do contexto em que cada pessoa se insere. Uma boa notícia é que Portugal ficou abaixo da média europeia entre os países que menos aceitam imigrantes, em 2017, de acordo com o European Social Survey. Mostra que eles estão reconhecendo a importância deste fenômeno como uma oportunidade para o país.

Por outro lado, o Relatório Anual sobre a situação da Igualdade e Não Discriminação Racial e Étnica em Portugal traz um dado importante. A nacionalidade brasileira surge na terceira posição entre os fatores de discriminação. Em 2018, foi referida em 45 queixas, sendo que no ano anterior foi reportada em 18 casos.

Faz sentido que transformações sociais aceleradas como esta tragam à tona conflitos, preconceitos e diferenças. É uma realidade mundial e em vários países vemos defensores e opositores, do mesmo modo que na imigração em Portugal. Mas, no geral, consideramos Portugal um país receptivo, sim.

Neste artigo, veja esta história: por que voltei para o Brasil.

Vantagens e desvantagens da Imigração em Portugal

Prós

Equilíbrio populacional

A Imigração em Portugal poderia desacelerar a queda no número de habitantes. Estima-se que a população atual, de 10,4 milhões, caia para 7,8 milhões até 2060 se nada for feito. O envelhecimento e baixa natalidade geram a escassez de mão de obra qualificada e, em 50 anos, o país poderá apenas ter metade da população em idade produtiva.

Economia e recursos

Novas pessoas aumentam a população economicamente ativa e a geração de impostos. A Imigração em Portugal acelera a chegada de mão de obra qualificada e de mais consumidores para gerar crescimento na economia.

Além do mais, imigrantes alimentam a economia, sim. O jornal Público fez uma matéria sobre o tema e afirmou que, em 2017, os imigrantes contribuíram com 603,9 milhões de euros em prestações sociais. Eles se beneficiaram de apenas 89,6 milhões de euros em 2017. Por isso, Portugal acaba de reformular sua Lei de Estrangeiros para atrair pessoas qualificadas e estudantes.

Um país multicultural

Uma sociedade multicultural e mais integrada pode ser a base de uma renovação benéfica ao país, influenciando o desenvolvimento do turismo, de novos segmentos da economia e aquecendo outros setores. Sem contar que incentiva transformações interessantes e a mudança de mentalidade. Tudo isso pode ser benéfico para o país em vários sentidos, não apenas em números.

Contras

Absorver as pessoas

O país tem realizado um conjunto de políticas que incentivam a chegada e a absorção produtiva da Imigração em Portugal com a nova Lei de Estrangeiros. No entanto, o fato é que este acaba sendo um processo lento, que exige adaptações e investimentos nas empresas, na legislação, na infraestrutura das cidades e dos serviços públicos para receber um fluxo migratório vindo de várias partes do mundo.

Conflitos

Infelizmente, movimentos de Imigração em Portugal também fizeram aflorar medos, ressentimentos, conflitos e preconceitos diversos. Muita gente acha que os brasileiros vão roubar os empregos, vagas das universidades, levar doenças e até causar divórcios entre casais portugueses, imagine. Os argumentos criados são variados e, definitivamente, compõem uma narrativa construída por pessoas intolerantes ou pouco informadas.

Por que os portugueses também emigram tanto?

O número de portugueses que escolhe viver em outros países é historicamente alto, mas vem diminuindo. Em 2017, foram 90 mil portugueses saindo do país – 10 mil a menos que no ano anterior, de acordo com a matéria do Jornal de Negócios.

Ainda assim, na União Europeia, Portugal é o país com maior quantidade proporcional de emigrantes em relação à população, com 2,3 milhões de lusitanos fora de seu país. O maior número havia sido de 130 mil pessoas, em 2013.

Entre as principais razões, está o fato de que os portugueses preferem sair em busca de melhores salários. Por isso, o principal destino costuma ser o Reino Unido – não se sabe, contudo, se com o processo do Brexit esta tendência irá se manter.

De todo modo, costumam ser os estrangeiros os trabalhadores em maior número em áreas como a agricultura, serviços do lar ou cuidados com bebês e idosos – trabalhos considerados menos qualificados pelos portugueses.

Imigração em Portugal: é preciso planejar

Se você está planejando entrar para as estatísticas e ser um imigrante em Portugal, sugerimos a leitura do nosso e-book Como Morar em Portugal. Trata-se de um guia completo com todos os passos que você precisa para morar legalmente no país, e sem imprevistos. Vale a pena!

Em destaque no Euro Dicas
  • Sabia que é obrigatório ter Seguro de Viagem para entrar na Europa?

    Seja para morar ou visitar, a imigração pode exigir esse documento no país destino. Se você não tiver, será obrigado a voltar ao Brasil. Em parceria com a Seguros Promo garantimos aos nossos leitores o melhor preço de seguro de viagem.

    COTAR SEGURO »
  • Precisa enviar dinheiro para outro país?

    A nossa plataforma preferida é o Remessa Online. No Remessa Online você vai economizar até 8x nas suas transferências e, se precisar de algum suporte, o apoio ao cliente é em português. Crie a sua conta grátis e envie dinheiro com segurança.

    VER COTAÇÃO »
  • Pensando em morar em Portugal?

    Escrevemos um guia com todos os passos necessários para organizar a sua saída do Brasil com rapidez, segurança e sem complicações. Receba grátis o índice e primeiras páginas.

    RECEBER AMOSTRA »
COMPARTILHE
Autor

Luciana Andrade é jornalista, doutora em história, cursa especialização em marketing digital e não cansa de aprender coisas novas. À frente da Flows Conteúdo & Comunicação, escreve para diversos sites e clientes corporativos. Já morou em cinco cidades - no Brasil e na França - e está sempre planejando a próxima viagem.